Jump to content
Forum Cinema em Cena

All Activity

This stream auto-updates     

  1. Past hour
  2. Liga da Justiça (2017) #2

    Segundo o ator Holt McCallany a cena inicial do Batman foi escrita por Jos Whedon e seria mais cômico porém o estúdio achou que não ficaria bom ter uma cena cômica logo no inicio editou a cena Joss Whedon escreveu cena de abertura com Batman em Liga da Justiça, revela ator https://omelete.uol.com.br/filmes/noticia/liga-da-justica-joss-whedon-escreveu-cena-de-abertura-com-batman-revela-ator/?utm_source=Whatsapp Por falar em Joss Whedon... Essa veio do Twitter do Jurandir Filho do site Rapadura. “Tá rolando um rumor no mercado de fake news que Joss Whedon teve o contrato reincidido com Warner/DC. Por enquanto, só rumores, nada oficial.” Rumor desmentido: Joss Whedon continua trabalhando em filme da Batgirl https://omelete.uol.com.br/filmes/noticia/batgirl-joss-whedon-continua-trabalhando-no-filme-garante-site/?utm_source=Whatsapp
  3. Today
  4. Liga da Justiça (2017) #2

    Voltando a falar no filme da Liga: praticamente já foi derrubada por COCO da Pixar / Disney. COCO abriu a terça de pré exibição com 2.3 milhão , o que é acima das expectativas. Agora, a animação da Disney que tem 97% no Rotten, deve abrir o fim de semana com 55 a 60 milhões e os 5 dias de feriado de ação de graças com 77 milhões. Em ambas projeções, COCO derruba a Liga.
  5. Liga da Justiça (2017) #2

    Realmente a DC esta ferrada no cinema, vai precisar de vários filmes e formadores de opinião para refazer os conceitos dos espectadores senão já era. Tem gente realmente achando que é possível uma DC como vingadores, guardiões ou ragnarok mesmo com toda flopagem dos filmes piadas da DC desde Batman e robin até a Liga.
  6. The Punisher (Netflix/Série)

    “O Justiceiro é diferente porque é uma série bem fundamentada”, diz atriz da série da Netflix Por Adolfo Molina - 22/11/2017 Ouça este conteúdo0:0001:17Audima A atriz Deborah Ann Woll, que interpreta a jornalista Karen Page na nova série da Marvel na Netflix, O Justiceiro, mostrou porque a série sobre Frank Castle (Jon Bernthal) é tão diferente das outras, principalmente pelo reforço do drama militar. Em entrevista ao site CinemaBlend, Woll foi perguntada suas impressões sobre a primeira temporada sobre uma série que fala de um personagem que, diferente dos outros heróis da Netflix, não possui poderes. “Eu acho que é lembrar o quão vulnerável Frank é. Isso não é somente emocional, mas também físico. Ele não é à prova de balas, não pode voar, não tem super-força e nem super-audição. Então é realmente bacana lembrar que ele não é apenas um herói, mas todo mundo no universo de O Justiceiro é.” Woll também disse como ela se sente sobre sua personagem e a conexão com Frank. “Não é apenas um personagem que precisamos, mas você tem que ver a humanidade nele e eu acho que as cenas com a Karen ajuda nisso. Você acredita na sua colaboração e estou feliz em estar lá para lembrar disso”, completa Deborah. O Justiceiro, nova série dos heróis da Marvel já está disponível na Netflix. FONTE: OMELETE PUBLICIDADE
  7. Liga da Justiça (2017) #2

    Meu amigo GUST, depois da quantidade de asneira e desinformação que esse indivíduo já escreveu aqui, me surpreenda que você ainda espere qualquer tipo de comentário coerente vindo dali. É o tipo de fanático que é melhor ignorar completamente.
  8. Yesterday
  9. Liga da Justiça (2017) #2

    Tentei, Brasil. Voltarei aos memes.
  10. Capitã Marvel (08/03/2019)

    Caso se concretize, a Marvel terá 2 Sherlocks e 2 Watsons.
  11. Liga da Justiça (2017) #2

    Li todo seu post, como li este de novo. "Acontece que você tem que pegar o mainstream na hora de comparar" Ai mesmo que a DC é mais sombria do que tudo. Depois de todas as eras de HQs e graphic novels clássicas , de filmes que se levam a sério como superman I e II, Batman do Tim burton e do Nolan, de games sombrios e sérios como os do Batman ou Injustice, ai mesmo que a DC já esta carimbada na mente das pessoas como SÉRIA e SOMBRIA. E essas sagas ai do Homem aranha são fichinhas perto do que eu falei da DC, a "Última caçada de Kraven" é o cavaleiro das trevas dos pobres. A MARVEL, pegou conceitos como aceitação e discriminação (xmen) E o Homem aranha pra colocar os herois no mesmo plano que o leitor, trazendo dilemas e conceitos palpáveis. Esta "versão de fatos", que você esta falando, é propaganda da Marvel e saiu dos escritórios de marketing da editora mas também vou refutar : Primeiro que nada na Marvel é original , ou eles pegam da DC ou das Pulp. O aranha é uma nova versão do "the spider" , os X men é a patrulha do destino escarrado, o Reed Richard é o homem elástico, o Tanus é o Darkside, o Deadpool é o Deathstroke, o Wolverine é o TimberWolf, o Capitão América é o The shield e até as equipes da Marvel foram criadas "inspiradas" na DC segundo o próprio Stan lee assume. Pra dizer que eles não fizeram nada de novo no universo de heróis, eles pegaram a antiga fábula da transição da vida adolescente(que existe em várias histórias clássicas como Alice no País das Maravilhas) e colocaram em suas histórias para criar uma aproximação com o adolescente que é de onde surge a famosa "humanidade real" dos heróis da Marvel. Acontece que, por exemplo, a humanidade do aranha é fake. Se o aranha existisse no mundo real ele não agiria daquele jeito, ou ele seria capturado por governos/corporações ou viraria uma pessoa que se acha a ultima coca cola do deserto se tornando uma espécie de vilão: ele jamais ficaria no colégio brigando com o Flash tompson , tentando namorar a Mary Jane , comprando remédio para Tia may e fazendo prova prova de ensino médio. O aranha como a maioria dos personagens da Marvel, são analogias da transição da adolescência para fase adulta, e os super poderes , são uma referência as mudanças corporais que os adolescentes passam. Agora, o Superman,Batman,Mulher Marvilha, Titãs Wolfman e perez(que já passaram pela adolescência), patrulha do destino, watchman tem histórias mais densas, adultas fazendo referência ao que adultos querem se tornar na vida real, esse é o sombrio e realista da DC. Faça um filme da DC voltado para jovens e adultos , com um mínimo de coerência que o filme vai bater o bilhão e vai até pro Oscar.
  12. Oscar 2018: Previsões

    Não me surpreeenderia se "Three Billboards Outside Ebbing, Missouri" ganhasse Best Picture, Best Original Screenplay, Best Actress, e Best Supporting Actor, tornando-se assim o principal ganhador da noite em importância.
  13. Liga da Justiça (2017) #2

    Não sou especialista nesse tipo de produção, mas eu adorei o filme. Não entendo essa nota baixa, parece má vontade. Gostei da rapidez, de como ele não perde tempo com origens, de como ele resolve rixas românticas apenas com insinuações, por exemplo; gostei da química entre os atores (alguns só têm carisma - como a Gadot - outros têm talento RealOficial como o Ezra Miller); gostei do figurino; da atmosfera mais bem humorada... Mas, gente, esse vilão é uma bosta! Um antagonista sintético, convencional, bobo, com voz gutural sem criatividade. O antagonista é o responsável para que a história de fato exista, então teria de ser melhor construído. Pra mim, é o grande senão do filme, junto com a trilha sonora do Danny Elfman - que é o mesmíssimo trabalho de sempre.
  14. Dom Quixote

    Terry Gilliam planeja lançar The Man Who Killed Don Quixote em 2018 Publicado em22 de novembro de 2017 às 14h07 A maldição acabou: após 17 anos repletos inúmeros contratempos, filmagens perdidas, refilmagens e mudanças de elenco, The Man Who Killed Don Quixote está próximo de estar finalizado. O diretor do longa, Terry Gilliam (Brazil, Os 13 Macacos) inclusive falou que planeja lançar o filme na edição de 2018 do Festival de Cannes. “Nós temos praticamente o corte final do filme”, disse Gilliam ao New York Times.”Ainda temos trabalho a fazer nos efeitos especiais, som e música, mas estamos praticamente finalizados e está tudo surpreendentemente maravilhoso”, completou o diretor. Adam Driver (Star Wars), Michael Palin (Monty Python) e Jonathan Pryce (Game of Thrones) integram o elenco do longa que reimagina a história de Dom Quixote, personagem título do romance de Miguel de Cervantes. The Man Who Killed Don Quixote não tem previsão de estreia. FONTE: JOVEM NERD
  15. Capitã Marvel (08/03/2019)

    Capitã Marvel | Jude Law pode se juntar a Brie Larson no elenco Marvel não confirmou negociação 22/11/2017 - 17:56 - MARIANA CANHISARES Jude Law está negociando o papel de destaque ao lado de Brie Larson em Capitã Marvel, de acordo com a Variety. A editora, porém, não quis comentar a informação. Capitã Marvel terá papel importante na conclusão da fase 3 da Marvel Capitã Marvel terá Brie Larson no papel principal e Ben Mendelsohn junto com os aliens Skrulls como vilões, numa trama ambientada nos anos 1990. Anna Boden e Ryan Fleck, conhecidos por Se Enlouquecer, Não Se Apaixone e Billions, serão os diretores. Mendelsohn trabalhou com a dupla em Mississippi Grind. O lançamento é previsto para 14 de março de 2019, no Brasil. FONTE: OMELETE
  16. Liga da Justiça (2017) #2

    ouca aqui, na faixa Friends and Foes, a partir do minuto 42
  17. Liga da Justiça (2017) #2

    O futuro do Universo Cinematográfico da DC depois de Liga da Justiça Filme da equipe chegou aos cinemas, mas ainda não é a solução para os problemas do estúdio Não dá para dizer que a DC não se arrisca nos cinemas. Desde a década de 70, quando lançou o primeiro filme do Superman, a empresa não tem medo de recomeçar suas franquias, trocar atores e tentar uma nova abordagem quando algo não dá certo. Liga da Justiça chegou aos cinemas com o intuito de estabelecer de vez o Universo Estendido da empresa, mas parece que a DCprecisará de coragem mais uma vez para se reinventar. O filme arrecadou US$ 93 milhões na estreia americana, valor abaixo do esperado, e isso é um indicador importante para o futuro. Para comparação, Mulher-Maravilha arrecadou US$ 103 milhões em seu primeiro fim de semana; Batman vs Superman - A Origem da Justiça, US$ 166 milhões; Esquadrão Suicida, US$ 133 milhões e O Homem de Aço, US$ 116 milhões. A reunião dos heróis é, até o momento, o longa do Universo Estendido da DC com a menor arrecadação de entrada. Segundo algumas projeções, ele pode até dar algum prejuízo para a Warner. Vários fatores podem ter influenciado isso, mas a questão principal é como ficam os próximos filmes da DC depois desse resultado negativo inicial. Por enquanto, as certezas são o filme solo do Aquaman, em fase de pós-produção, Mulher-Maravilha 2, a sequência de um dos grandes acertos do estúdio, e Shazam!, que deve ter um tom mais leve e já contratou seus protagonistas. Existem ainda os projetos da Batgirl de Joss Whedon, do Asa Noturna e do Exterminador, mas não existem detalhes sobre quando essas produções serão feitas. As dúvidas residem mesmo nos demais filmes do estúdio, que foram anunciados há alguns anos na San Diego Comic-Con. A começar por Ciborgue, personagem fundamental para a trama de Liga da Justiça e que teve várias de suas cenas de origem deletadas do corte final. Com isso, há espaço para explorar a vida de Victor Stone antes de seu acidente, e como ele teve seu corpo transformado pela Caixa Materna. Porém, se Liga da Justiça não teve o resultado inicial esperado, será que um personagem como o Ciborgue consegue, sozinho, sucesso em termos financeiros? Indo para o Flash, seu filme solo chegou a ter Rick Famuyiwa na direção, mas o cineasta deixou o projeto em outubro de 2016. Na última Comic-Con, a DC anunciou que o longa terá como base a trama do Flashpoint (Ponto de Ignição), que pode significar uma virada para o estúdio nos cinemas. Nas HQs, o Flashpoint mostra Barry Allen vivendo em uma linha do tempo alternativa, que altera vários heróis como Ciborgue, Aquaman, Mulher-Maravilha e, principalmente, o Batman. Nesse mundo, Bruce Wayne foi morto ainda criança no lugar dos pais e Thomas Wayne se tornou o Homem-Morcego. Martha Wayne enlouquece com a morte violenta do filho e se torna uma versão do Coringa. É uma história dura, mas a DC sempre teve essa característica nos quadrinhos. Enquanto a Marvel tem heróis mais “pé no chão”, a DC tem os “deuses entre nós”, com arcos dramáticos que surpreenderam fãs de quadrinhos ao longo de várias décadas. Seria um passo importante adaptar uma trama densa como o Flashpoint, desde que a produção tenha qualidade e não sirva apenas para alterar os rumos dos próximos filmes. O foco precisa ser a história. Arrumando a casa Além da bilheteria abaixo do esperado, a DC lida com outro grave problema, que são os rumores envolvendo seus projetos. É difícil passar uma semana inteira sem ouvir boatos sobre novos longas que podem ou não acontecer. Nessa lista estão Gotham City Sirens, filme com as vilãs de Gotham City; um possível filme solo do jovem Coringa; outro que uniria Coringa e Arlequina, personagem querida pelo público depois de Esquadrão Suicida, entre outras produções. Nenhum desses projetos foi oficializado, mas apenas a menção a cada um deles já bagunça os ânimos dos fãs, que começam a fazer teorias sobre como seria cada história. Até mesmo o longa solo do Batman, que atualmente tem Matt Reeves confirmado na direção, já perdeu Ben Affleck atrás das câmeras e agora discute uma possível troca de Affleck como o herói do título. Em setembro, Geoff Johns comentou sobre essa sensação de “desorganização” que os fãs sentem com a DC. Segundo ele, muitas coisas vazam enquanto ainda estão na fase de roteiro e isso atrapalha a estratégia da empresa. Outro indicativo dado por ele é que os longas do estúdio podem ser menos interligados, diminuindo essa sensação de um universo compartilhado. Isso não seria uma completa novidade na DC. Por muitos anos, os filmes do Batman existiram sozinhos e o personagem fez sucesso. Porém, nesse momento, o universo compartilhado já está em andamento e seria frustrante para os fãs ter esse projeto interrompido sem uma finalização. O que fazer então? Há uma solução para tudo isso, que vai muito além do que apenas acrescentar humor. Como dito acima, a DC tem histórias complexas e, para chegar ao impacto necessário nos cinemas, o público precisa se importar, ter empatia com os heróis mostrados na tela. A Mulher-Maravilha é uma personagem bem-sucedida e grande parte desse sucesso se deve ao seu filme solo. Gal Gadot é uma atriz carismática que mostrou as forças e fraquezas da heroína amazona. Agora que conhecemos sua história, é mais fácil se importar com qual será o seu destino nos próximos filmes. O Homem de Aço (2013) também tinha essa premissa, mas apresentou um Superman que ainda não era o farol de esperança esperado pelos fãs. Quanto ao Batman, Ben Affleck foi aclamado por muitos fãs, mas a ideia de mostrar o personagem já veterano, sem nenhum pano de fundo, não funcionou muito bem para a criação de um universo coeso. Se a Liga da Justiça não melhorar em termos de bilheteria, é hora de repensar os próximos passos com calma. Estabelecer a personalidade dos heróis de forma contundente e fazer um plano de lançamentos possíveis a longo prazo parece uma boa forma de começar a arrumar a casa. Quando isso estiver estipulado e os espectadores já conhecerem e sentirem uma ligação com cada personagem, aí sim é o momento de unir equipes e apostar em histórias mais desafiadoras. Para fazer isso, é importante que a DC não se compare com estúdios como Marvel e Fox ou tente alcançá-los rapidamente. É hora da empresa de Superman, Batman e Mulher-Maravilha traçar um plano de futuro contundente e realista, com uma cara própria, que a diferencie do que já existe e faça os fãs aguardarem ansiosos pelos seus lançamentos. Em suas mãos, a DC tem os heróis mais admirados do planeta, aqueles nos quais nos espelhamos e nos inspiram a sermos melhores. Colocar anos dessa tradição nos cinemas não é uma tarefa fácil, mas com calma e criatividade é possível sim criar um universo grandioso e digno da maior trindade que a cultura pop já viu. E meus amigos parece que vai ter muita coisa para especular nos próximos anos, Pois ate o momento só temos Aquaman pronto e Mulher Maravilha e Shazam e pre produção, E um longo percusso ate finalizar e chegar nos cinemas, Alguém tem mais uma dica. mais uma discussão saudável
  18. Aquaman - O Filme

    Aquaman: James Wan revela que os diálogos aquáticos não serão como os de Liga da Justiça Por Renato Furtado — 22/11/2017 às 11:25 Esqueça o estilo de Zack Snyder. Dentre os elementos que não convenceram muito os fãs em Liga da Justiça, certamente destaca-se o diálogo submarino entre Aquaman (Jason Momoa) e Mera (Amber Heard), que precisam fabricar uma espécie de bolha de ar pouco prática para conversar debaixo d'água. Se você não gostou muito deste detalhe, não se preocupe, pois James Wan revelou que não seguirá o estilo Zack Snyder em Aquaman: "Sem pânico, nada de 'bolhas de ar para conversar' no meu mundo submarino" E ainda que o cineasta responsável pela bem-sucedida franquia Invocação do Mal não tenha entrado em maiores detalhes sobre como lidará com estas sequências, ele pode simplesmente pegar a solução dos quadrinhos emprestada. Nas HQs, os habitantes de Atlantis conversam debaixo d'água como os seres humanos conversam em terra firme. Simples assim. De qualquer forma, resta esperar para ver que surpresas Wan preparou para o público em seu próximo filme. Apresentado em Liga da Justiça, Arthur Curry, o futuro rei do mundo aquático, terá sua história desenvolvida em Aquaman - o que explica o porquê do personagem não ter ganhado mais profundidade narrativa no longa dirigido por Snyder e finalizado por Joss Whedon. Coestrelado por Nicole Kidman, Patrick Wilsone Willem Dafoe, Aquaman estreia no dia 20 de dezembro de 2018. Aquaman: James Wan revela que os diálogos aquáticos não serão como os de Liga da Justiça Por Renato Furtado — 22/11/2017 às 11:25 Esqueça o estilo de Zack Snyder. Dentre os elementos que não convenceram muito os fãs em Liga da Justiça, certamente destaca-se o diálogo submarino entre Aquaman (Jason Momoa) e Mera (Amber Heard), que precisam fabricar uma espécie de bolha de ar pouco prática para conversar debaixo d'água. Se você não gostou muito deste detalhe, não se preocupe, pois James Wan revelou que não seguirá o estilo Zack Snyder em Aquaman: "Sem pânico, nada de 'bolhas de ar para conversar' no meu mundo submarino" E ainda que o cineasta responsável pela bem-sucedida franquia Invocação do Mal não tenha entrado em maiores detalhes sobre como lidará com estas sequências, ele pode simplesmente pegar a solução dos quadrinhos emprestada. Nas HQs, os habitantes de Atlantis conversam debaixo d'água como os seres humanos conversam em terra firme. Simples assim. De qualquer forma, resta esperar para ver que surpresas Wan preparou para o público em seu próximo filme. Apresentado em Liga da Justiça, Arthur Curry, o futuro rei do mundo aquático, terá sua história desenvolvida em Aquaman - o que explica o porquê do personagem não ter ganhado mais profundidade narrativa no longa dirigido por Snyder e finalizado por Joss Whedon. Coestrelado por Nicole Kidman, Patrick Wilsone Willem Dafoe, Aquaman estreia no dia 20 de dezembro de 2018. Fonte: Adoro Cinema
  19. Liga da Justiça (2017) #2

  20. Liga da Justiça (2017) #2

    Liga da Justiça | Diretor de fotografia Fabian Wagner gostaria de ver corte de Zack Snyder Longa está em cartaz nos cinemas Em entrevista ao Hollywood Reporter (via HH), o diretor de fotografia de Liga da Justiça, Fabian Wagner, revelou que gostaria de ver um corte do filme feito por Zack Snyder: “Esse foi menor do que eu esperava, então algumas cenas não estão lá. Eu realmente espero conseguir ver um corte do diretor, que mostraria tudo o que filmamos e não acabou lá. O que eu amo sobre os cortes de diretor do Snyder é que eles são longos, mas ele toma o seu tempo para contar a história. Nunca vi nenhum de seus cortes e pensei ‘isso é longo’. Mesmo que eles tenham três horas, ou três horas e 10 minutos, eles sempre parecem passar rápido”.
  21. Jennifer Lawrence revela que fez Operação Red Sparrow como resposta ao vazamento de fotos íntimas Por Renato Furtado — 22/11/2017 às 16:05 O suspense de espionagem reúne a estrela com seu diretor na franquia Jogos Vorazes, Francis Lawrence. Há três anos, Jennifer Lawrence foi vítima de hackers, que invadiram sua nuvem de arquivos pessoais para roubar e, posteriormente, divulgar inúmeras fotos íntimas da atriz na internet. A violação é, evidentemente, um grande trauma para a atriz, mas em entrevista ao The Hollywood Reporter, Lawrence revelou que começou o processo de superação através da produção de seu próximo filme, Operação Red Sparrow: "O filme é muito sexual, algo que sempre me assustou muito. Sempre neguei fazer esse tipo de filme - especialmente depois do que aconteceu com a invasão. Sempre neguei fazer qualquer filme sensual assim. Então, finalmente fazer Operação Red Sparrow foi como recuperar algo que foi arrancado de mim", declarou a ganhadora do Oscar por O Lado Bom da Vida. No longa, que reúne a estrela com seu diretor na franquia Jogos Vorazes a partir de Em Chamas, o cineasta Francis Lawrence, a atriz interpreta a espiã Dominika Egorova, uma Sparrow - ou agente especial da inteligência russa treinada para utilizar táticas de sedução contra os inimigos. Egorova, no entanto, acaba iniciando uma ardente e perigosa paixão com Nathaniel Nash (Joel Edgerton), um oficial da CIA e seu principal alvo. Lawrence, que declarou ainda estar se recuperando das consequências do hack, é uma das atrizes mais bem pagas do mundo e pode escolher praticamente qualquer projeto que desejar. Assim, é interessante perceber que ela não só vem diversificando sua carreira nas telonas - com a opção por protagonizar o controverso Mãe!, de Darren Aronofsky -, como também utiliza o cinema para superar um trauma e enviar uma mensagem forte de apoio às vítimas que sofreram o mesmo que ela. Coestrelado por Matthias Schoenaerts, Charlotte Rampling, Jeremy Irons e Mary-Louise Parker, Operação Red Sparrow estreia no dia 1º de março de 2018. Fonte: Adoro Cinema
  22. Liga da Justiça (2017) #2

    Cara, você leu todo o meu post? Só quis rebater uma ínfima parte dele. Mas vamos lá, vou tentar de novo. Impossível discutir com um chorão. Tudo isso que você tá falando está certo e li muito desse material muito mesmo. Acontece que você tem que pegar o mainstream na hora de comparar. Posso ficar aqui falando pra você ler a minissérie Tormento, Última caçada de Kraven, A minissérie Wendigo A morte de Jean dewollf, a morte de Gwen Stacy, e dizer pra você que o Homem Aranha é sombrio, sério e realista. Você faz questão de rotular quando tem coisa boa e ruim nos dois Universos, mas na ESSÊNCIA, no CORE, a DC tem em 2 de seu trio de ferro, conceitos muito mais abrangentes na jornada do heroi. Personagens fantásticos, indestrutíveis, pouco palpáveis no ser humano, no sentido da aproximação destes com o ser comum. Estão acima deles. A MARVEL, pegou conceitos como aceitação e discriminação (xmen) E o Homem aranha pra colocar os herois no mesmo plano que o leitor, trazendo dilemas e conceitos palpáveis. Enquanto o Superman queria salvar o MUNDO INTEIRO do Lex luthor, o Homem Aranha queria pegar um ladrão ao mesmo tempo que precisava pagar contas, e chegar a tempo de uma prova. Eu estou defendendo um do outro? NÃO. Os personagens em 60,70,80 anos de história podem ter fases ou contos sombrios ou alegres? Obviamente que sim. Estou dizendo que o conceito é diferente. E sempre será. Agora se você vai responder uma parte só do que eu disse e ainda tentando me diminuir, é impossível de falar com um teimoso que é incapaz de enxergar o óbvio.
  23. Liga da Justiça (2017) #2

    Nossa! Olha a resposta do cara pro post do Gust. Nem falo mais nada, vai que é doença...
  24. Duna (Denis Villeneuve) reboot

    Denis Villeneuve fala sobre Duna Categoria: Entrevistas Por Bernardo D.I. Brum Fã do livro, diretor filmará a adaptação que sempre sonhou fazer. Após em três anos alcançar grande reconhecimento crítico com Sicário: Terra de Ninguém, A Chegada eBlade Runner 2049, Denis Villeneuve irá dirigir uma nova adaptação do clássico literário de ficção científica Duna, escrita por Frank Herbert em 1965. O filme já teve uma adaptação cancelada nos anos 70 que seria dirigida por Alejandro Jodorowsky e outra em 1984, que resultou em uma briga entre David Lynch e o estúdio, onde o cineasta perdeu o direito ao corte final do seu filme. Durante uma live do Facebook, ele explicou como vê Duna de uma forma diferente na hora de adaptar para o cinema. "David Lynch fez uma adaptação nos anos 80 que tem qualidades muito fortes. Quero dizer, ele é um dos melhores diretores vivos, eu tenho muito respeito por ele. Mas quando eu vi sua adaptação, eu fiquei impressionado, mas não é o que eu tinha imaginado, então estou tentando fazer a adaptação dos meus sonhos. Não terá nenhuma conexão com o filme de Lynch. Eu vou voltar ao livro, vou até até as imagens que me vieram quando eu o li". Duna será a terceira ficção científica seguida de Villeneuve. A produção começará em breve, assim que o diretor terminar uma pequena pausa para descanso. Quem fez o convite foi a produtora Mary Parent (O Regresso, Godzilla), da Legendary Pictures. Fonte: Cineplayers
  25. Shazam (2016)

    Shazam! | Diretor dá resposta divertida a boatos de que universo da DC nos cinemas acabará Desempenho de Liga da Justiça na bilheteria seria o motivo para o cancelamento Desde que foi anunciada a bilheteria de estreia de Liga da Justiça, circulam boatos no Reddit de que o universo cinematográfico da DC será cancelado. Usuário ativo do fórum, o diretor de Shazam! David F. Sandberg resolveu respondê-los de um jeito engraçado (via LRM). Ao usuário que dizia ter fontes dentro da Warner Bros., ele escreveu: "Ninguém me disse. Posso tirar o dia de folga amanhã? Realmente queria tirar um cochilo."
  26. Liga da Justiça (2017) #2

    Ai papai, lá vem os marvetes. O Gust84, vou refutar essa sua alegação mostrando dados : Os quadrinhos(HQs) da DC tem 5 grandes fases: pulp fiction(DC/National já existia e era dona de várias pulp), era de ouro, era de prata, era de bronze e era atual . Destas, 4 foram para jovens adultos e só uma (era de prata) foi para crianças por que criaram uma lei chamada comic code autority proibindo o quadrinho para adultos, o marcatismo que acabou no inicio dos anos 70. - Nas pulp não preciso nem mencionar o tipo de coisa que acontecia com o sombra e outros. - Se voltarmos a era de ouro, o Superman esmurrava os outros(e nem voava no início) o Batman torturava com arma e a Mulher maravilha subornou pessoas para adquirir uma identidade falsa para ficar no mundo dos homens. - Passando o marcatismo / era de prata que acabou no inicio dos anos 70. Temos HQs ainda mais violentas que os pulp e era de ouro: batman do Neil adams, liga da justiça em detroid(realismo), arqueiro verde / lanterna verde debatendo a cultura americana(realismo), watchman(antes disso a patrulha do destino já antecipou watchman e x men). - Titas wolfman e perez(sombrio e realista) onde o asa noturna era(e é ate hoje) arrogante , prepotente. A Ravena era uma manipuladora digna de uma vilã mexicana, o Deathstroke tinha relação com uma menor de idade e a vitima dele "a Terra" se mostrou vilã sendo uma supremacista racial que fumava e bebia. - Cavaleiro das trevas, Batman ano tudo sombrio, serio e realista. - Coringa aleijou e estuprou a barbara gordon, bolinou sexualmente a pscóloga no Assylum arkam. - E muito mais como Reino do amanhã e outros. Até as sagas atuais são sérias como Rebirth, novos 52 e etc. Nada disso ai é para criança , me desculpe mas não é. Agora, me diz um clássico da marvel ? marvel não tem clássico e não vem dizer que guerra civil é clássico porque não é.A coisa mais próxima que a marvel tem disso é a phoenix negra que vão fazer mais um filme sobre isso na Fox. A unica coisa de "fantasia" mesmo que a DC tem foi feito pelo Jack kirby com os "novos Deuses" que , não é coincidência, foi um dos fundadores da Marvel.... Se você for pegar e pensar em como seria um filme de personagens DC, eles estão muito mais próximo de um filme do Tarantino do que de uma comédia ação oitentista tipo "aventureiros do bairro proibido".
  27. Liga da Justiça (2017) #2

    Filho: Vá procurar pela internet em qualquer site/blog/youtuber nerds listas de "melhores filmes de super-heróis". Vamos ver quantas dessas listas excluem os filmes do Nolan, ou o Logan, ou Xmen da lista por "não ser de super heróis"... (sem falar no fato de que se pessoa excluir eles de serem "filme de super-heróis" seria na base do elogio, pelo filme ser "maior que o gênero" e não por serem menores). Boa sorte.
  1. Load more activity
×