Jump to content
Forum Cinema em Cena

All Activity

This stream auto-updates     

  1. Past hour
  2. Liga da Justiça (2017) #2

    Liga da Justiça | "Se você gostar do Aquaman, pode agradecer Zack Snyder", diz Jason Momoa Ator fala da importância do cineasta na construção do personagem 21/10/2017 - 21:38 - FÁBIO DE SOUZA GOMES Jason Momoa não poupou elogios a Zack Snyder. O ator, que fará oficialmente sua estreia nas telonas como Aquaman em Liga da Justiça, agradeceu ao cineasta em entrevista à Total Film (ViaCB) e falou que sua versão do herói só existe por conta do diretor. “Zacké a pessoa que meio que salvou minha vida. Essa oportunidade de estar onde estou é por causa dele. Então, se você gostar do Aquaman, pode imediatamente agradecer o Zack Snyder, pois nada disso aconteceria se não fosse ele”. Recentemente, o ator afirmou que as tatuagens foram ideia do diretor - leia mais. Liga da Justiça tem no elenco Ben Affleck (Batman), Gal Gadot (Mulher-Maravilha), Henry Cavill (Superman), Jason Momoa (Aquaman), Ray Fisher (Ciborgue), Ezra Miller (Flash), Amber Heard (Mera), Willem Dafoe (Vulko), J.K. Simmons (Comissário Gordon), Jeremy Irons (Alfred) e Amy Adams (Lois Lane), entre outros, e previsão de estreia para 16 de novembro FONTE: OMELETE Consequentemente, se não gostarmos, já sabemos a quem culpar
  3. O Que Você Anda Vendo e Comentando?

    The Legend of the Drunken Master (1978) Ótima comédia de kung fu. Apesar de estrelado Jackie Chan e dirigido por Woo-Ping Yuen (provavelmente o melhor coreógrafo do cinema), a verdadeira estrela são as coreografias e humor que puxa do Buster Keaton mas introduz a visão própria com as artes marciais.
  4. The Predator (Shane Black - 03/08/2018)

    Versão animada do poster
  5. Today
  6. 19 Dias de Horror

    Dia 21/10 A Vingança de Cropsy (The Burning, Dir.: Tony Maylam, 1981) 3/4 Fonte: Youtube Revendo um dos meus traumas de infância. Assisti quando era bem pequeno quando passou na 'Sessão das Dez' no SBT nos anos 80. A figura do assassino com sua tesoura de jardineiro é bem forte e as mortes são bem violentas. Isso me traumatizou e nunca mais vi o filme (até porque nunca vi em locadoras VHS, e nem em DVD saiu por aqui). Tom Savini, responsável pelo efeitos especiais do primeiro Sexta-Feira 13, resolveu não continuar na série, por medo de caparem seu trabalho, e foi pros independentes onde teria maior liberdade. Esse aqui foi o primeiro filme que ele participou e se nota que era queria ir além. Muito sangue mesmo. Mas as mortes mais chocantes são meio variações da morte do Kevin Bacon no Sexta. No filme se nota que quiseram chupinha mesmo o Sexta, mas "corrigindo" algumas coisas. Como, por exemplo, o filme rolando mesmo num acampamento com vários jovens ali se divertindo; assassinatos demorando um pouco mais a rolar já que quiseram mostrar mais os personagens, pro público se envolver mais com eles; e quiseram colocar um link maior entre o assassino e os jovens dali (Spoilers: no Sexta, Pamela não tinha ligação com ninguém ali, talvez só o Steve, aqui o assassino realmente tem um passado com dos personagens). Até curti muito o filme (o trauma já foi embora e poderia rever esse filme mais vezes sem problemas). Tem cenas tensas, e violentas, mas faltou um pouco mais de ritmo em algumas cenas (a perseguição final demora muito).
  7. Viva- A Vida é Uma Festa (Pixar)

    Como o embargo da crítica acabou ontem, os críticos finalmente puderam começar a publicar seus textos e comentários a respeito da nova animação da Pixar, Viva – A Vida é Uma Festa. E as opiniões são extremamente elogiadoras. Confira algumas abaixo: Variety: “Em uma época em que os jovens são facilmente seduzidos por celebridades, Viva – A Vida é Uma Festa revela o vazio de tal adulação, ensinando, emocionalmente, as crianças a preservar e respeitar as memórias dos mais velhos, lembrando-lhes que a fonte da verdadeira criatividade é, muitas vezes, pessoal.” Hollywood Reporter: “Viva – A Vida é Uma Festa revela-se não apenas a melhor produção original da Pixar desde Divertida Mente, como também está entre as mais ressonantes emocionalmente da empresa.” The Wrap: “Se uma animação tem que oferecer às crianças uma maneira de lidar com a morte, é difícil imaginar um exemplo mais vivaz, tocante e bizarramente divertido do que Viva – A Vida é Uma Festa.” Screen Daily: “Com uma elegante trilha sonora e uma série de encantos visuais de uma narrativa comparativamente imaginativa, Viva – A Vida é Uma Festa é doce e sentimental, mesmo sem ser particularmente atraente.” Vale lembrar que, embora as animações da Pixar tenham um histórico de elogios da crítica e do público, algumas produções mais recentes, como Universidade Monstros, O Bom Dinossauro e Carros 3, não tiveram uma recepção tão boa quanto as mais clássicas, então é aliviador para alguns fãs mais adultos queViva – A Vida é Uma Festa esteja sendo aclamada. No Brasil, a animação só será lançada em 4 de janeiro; já nos Estados Unidos, sua estreia acontece em 22 de novembro, apenas uma semana depois de Liga da Justiça. FONTE: O VÍCIO
  8. Jurassic World - O Reino está Ameaçado (21/06/2018)

    Jurassic World: O Reino Está Ameaçado | Primeira sinopse prevê novas espécies de dinossauros POR CAIO COLETTI - 20/10/2017 Pôster nacional de Jurassic World 2 Abrir Ouça este conteúdo 0:00 01:15 A Universal lançou a primeira sinopse oficial de Jurassic World: O Reino Está Ameaçado, continuação de um dos filmes mais bem sucedidos de todos os tempos. “Com todas as maravilhas, aventuras e emoções sinônimas de uma das franquias mais populares e bem sucedidas da história do cinema, esse novo evento cinematográfico mostra o retorno dos personagens e dinossauros favoritos do público – além de novas espécias, mais espetaculares e aterrorizante do que nunca”, descreve a sinopse. Chris Pratt e Bryce Dallas Howard retornam aos personagens que interpretaram no filme d3 2015. James Cromwell, Ted Levine, Justice Smith, Geraldine Chaplin, Danielle Pineda, Toby Jones e Rafe Spall são as novidades do elenco. Enquanto isso, BD Wong (Dr. Wu) e Jeff Goldblum (Ian Malcolm) retornam aos seus papeis clássicos. J.A. Bayona (O Impossível) dirige roteiro de Colin Trevorrow, que assinou o primeiro filme, e seu parceiro habitual Derek Connolly. Jurassic World: O Reino Está Ameaçado tem lançamento programado para 22 de junho de 2018. FONTE: OBSERVATÓRIO DO CINEMA
  9. 1922 (Nova adaptação de Stephen King)

    Visto 1922 Na trama, (passara obviamente em 1922) Wilfred James (Thomas Jane) é um fazendeiro que vive na pequena cidade de Hemingford Home, Nebraska, com a esposa Arlette (Molly Parker) e o filho adolescente Henry (Dylan Schmid). Wildred ama a vida no campo, mas sua esposa quer vender as terras e ir viver na cidade. Os dois tentam o divórcio, mas Arlette ficaria com a maior parte da terra, e ainda levaria Henry com ela para a cidade grande. Wilfred resolve então matar a esposa, manipulando o próprio filho para cometer o crime. O assassinato, entretanto, dá início a uma reação em cadeia que destruíra tudo aquilo que o fazendeiro mais ama. 2017 foi um ano e tanto para os fãs do escritor de Stephen King. Desde os anos 80, o escritor do Maine não tinha tantas obras adaptadas em um espaço tão curto de tempo. Antes do lançamento deste filme, a obra do autor já havia gerado em 2017 três filmes, A TORRE NEGRA, o excelente IT e o ótimo JOGO PERIGOSO, além de também ter dado origem a duas séries, O NEVOEIRO (não assisti e nem vou por que foi cancelada) e a boa MR MERCEDES (já renovada para uma segunda temporada). 1922, baseado em uma noveleta publicada na coletânea "Escuridão Sem Estrelas" é o ultimo filme do ano a levar a obra de Stephen King, produzido pela mesma Netflix que produziu JOGO PERIGOSO, mas embora não seja um filme ruim, acaba não se destacando muito também. Como muitas das histórias criadas por Stephen King, a trama do filme é contada por um personagem em flashback, nesse caso o próprio protagonista vivido por Thomas Jane, já veterano em protagonizar adaptações do King, tendo estado a frente do elenco de O APANHADOR DE SONHOS e da versão cinematográfica de O NEVOEIRO. A narração entretanto muitas vezes acaba soando intrusiva na história, muitas vezes nos explicando coisas que deveriam ser transmitidas pelas próprias cenas. O filme passa por diversos gêneros, do drama familiar, passando pelo thriller de crime, até o próprio horror sobrenatural, que surge quando o fazendeiro passa a ser assombrado pelo fantasma da mulher representado principalmente por uma horda de ratos. Mas falta algo ao filme. As coisas acontecem simplesmente de forma muito rápida, de modo que não conseguimos nos conectar realmente com os personagens de modo a sermos impactados pelos eventos que se desenrolam, e as situações vão se amontoando sem dar tempo do publico respirar, e não digo isso de uma forma positiva. E o diretor não tem uma mão muito boa não, parecendo ter sérios problemas na hora de decupar as cenas de forma a explorar realmente a dramaticidade, a tensão ou as sequências de maior horror da história. O que torna 1922 um filme só "ok" ao invés de ruim é o ótimo desempenho de Thomas Jane. Jane realmente constrói Wilfred como uma figura multifacetada, circulando bem entre os aspectos "pai amoroso e fazendeiro humilde" e "pai manipulador e homem calculista" de seu personagem. O forte sotaque e trejeitos sutis, mas perceptíveis são detalhes que mostram que o ator realmente trabalhou em seu protagonista, e se percebe isso no filme. Existe intensidade emocional sem exagero, e isso é digno de nota. Molly Parker, mais conhecida por seu trabalho em HOUSE OF CARDS é uma boa parceira de cena, fazendo de Arlette uma mulher amarga e meio megera, mas não se destaca muito não. Por fim, Neal Mcdonaugh tem uma participação pequena, mas válida por sua ótima cena final. No fim das contas em um ano repleto de boas adaptações de Stephen King, 1922 acaba sendo uma obra esquecível. Não acho que vá entrar em uma lista de piores adaptações ou algo assim no futuro, mas decididamente não vai ficar nas melhores também. A direção claudicante, e o roteiro que se rende muitas vezes as raízes literárias do filme o impedem de ir mais longe, mas vale a conferida pela atuação do Thomas Jane.
  10. 19 Dias de Horror

    Visto 1922 Na trama, (passara obviamente em 1922) Wilfred James (Thomas Jane) é um fazendeiro que vive na pequena cidade de Hemingford Home, Nebraska, com a esposa Arlette (Molly Parker) e o filho adolescente Henry (Dylan Schmid). Wildred ama a vida no campo, mas sua esposa quer vender as terras e ir viver na cidade. Os dois tentam o divórcio, mas Arlette ficaria com a maior parte da terra, e ainda levaria Henry com ela para a cidade grande. Wilfred resolve então matar a esposa, manipulando o próprio filho para cometer o crime. O assassinato, entretanto, dá início a uma reação em cadeia que destruíra tudo aquilo que o fazendeiro mais ama. 2017 foi um ano e tanto para os fãs do escritor de Stephen King. Desde os anos 80, o escritor do Maine não tinha tantas obras adaptadas em um espaço tão curto de tempo. Antes do lançamento deste filme, a obra do autor já havia gerado em 2017 três filmes, A TORRE NEGRA, o excelente IT e o ótimo JOGO PERIGOSO, além de também ter dado origem a duas séries, O NEVOEIRO (não assisti e nem vou por que foi cancelada) e a boa MR MERCEDES (já renovada para uma segunda temporada). 1922, baseado em uma noveleta publicada na coletânea "Escuridão Sem Estrelas" é o ultimo filme do ano a levar a obra de Stephen King, produzido pela mesma Netflix que produziu JOGO PERIGOSO, mas embora não seja um filme ruim, acaba não se destacando muito também. Como muitas das histórias criadas por Stephen King, a trama do filme é contada por um personagem em flashback, nesse caso o próprio protagonista vivido por Thomas Jane, já veterano em protagonizar adaptações do King, tendo estado a frente do elenco de O APANHADOR DE SONHOS e da versão cinematográfica de O NEVOEIRO. A narração entretanto muitas vezes acaba soando intrusiva na história, muitas vezes nos explicando coisas que deveriam ser transmitidas pelas próprias cenas. O filme passa por diversos gêneros, do drama familiar, passando pelo thriller de crime, até o próprio horror sobrenatural, que surge quando o fazendeiro passa a ser assombrado pelo fantasma da mulher representado principalmente por uma horda de ratos. Mas falta algo ao filme. As coisas acontecem simplesmente de forma muito rápida, de modo que não conseguimos nos conectar realmente com os personagens de modo a sermos impactados pelos eventos que se desenrolam, e as situações vão se amontoando sem dar tempo do publico respirar, e não digo isso de uma forma positiva. E o diretor não tem uma mão muito boa não, parecendo ter sérios problemas na hora de decupar as cenas de forma a explorar realmente a dramaticidade, a tensão ou as sequências de maior horror da história. O que torna 1922 um filme só "ok" ao invés de ruim é o ótimo desempenho de Thomas Jane. Jane realmente constrói Wilfred como uma figura multifacetada, circulando bem entre os aspectos "pai amoroso e fazendeiro humilde" e "pai manipulador e homem calculista" de seu personagem. O forte sotaque e trejeitos sutis, mas perceptíveis são detalhes que mostram que o ator realmente trabalhou em seu protagonista, e se percebe isso no filme. Existe intensidade emocional sem exagero, e isso é digno de nota. Molly Parker, mais conhecida por seu trabalho em HOUSE OF CARDS é uma boa parceira de cena, fazendo de Arlette uma mulher amarga e meio megera, mas não se destaca muito não. Por fim, Neal Mcdonaugh tem uma participação pequena, mas válida por sua ótima cena final. No fim das contas em um ano repleto de boas adaptações de Stephen King, 1922 acaba sendo uma obra esquecível. Não acho que vá entrar em uma lista de piores adaptações ou algo assim no futuro, mas decididamente não vai ficar nas melhores também. A direção claudicante, e o roteiro que se rende muitas vezes as raízes literárias do filme o impedem de ir mais longe, mas vale a conferida pela atuação do Thomas Jane. 1) Tem explicação mesmo não. Hehehe. Sempre achei que de alguma forma o medo da Kirsty (ela era a unica que parece não ter superado o Freddy dos sobreviventes do filme anterior) acabou trazendo o Freddy de volta, já que ela era a Mestre dos Sonhos e tal. Mas isso é Punheta mental minha. Hehehe. A explicação chata é que precisavam fazer a sequência (Hehehe) 2) Acho que a Kirsty não sabia que o Freddy tava usando os poderes dela pra atacar os outros. Em nenhum momento, ela parece perceber que funciona assim (até por que essa lógica só existe nos filmes com a Alice ). E a própria Alice só vai se ligar disso mais pra frente no filme. Do resto, não existe nem tentativa de explicação mesmo. Hehehe
  11. 19 Dias de Horror

    Dia 20/10 Gritos Mortais (Dead Silence, Dir.: James Wang, 2007) 1/4 Fonte: Netflix A figura da velha com os bonecos é até assustador, mas não solberam dar substância a isso, então não funcionou. Personagem principal faz coisas absurdas e tem um policial que o segue que é bem irritante (policial mala, tem outro crimes pra ele investigar não, e deixar o cara lá em paz?). E tem um plot twist ali meio previsível. Enfim, passo.
  12. Yesterday
  13. Ant-man and The Wasp

    Homem-Formiga e a Vespa | Filme terá cenas de ação nos anos 80 POR PEDRO VIEIRA - 21/10/2017 Homem-Formiga Abrir Ouça este conteúdo 0:00 01:32 O site Omega Underground revelou que Homem-Formiga e a Vespa terá cenas da década de 1980. O primeiro filme do Homem-Formiga já utilizou algumas cenas dos anos 80 em sua produção, como a sequência de flashback que conta o destino da Vespa original. Agora, porém, o site revelou que o segundo filme também terá uma sequência em décadas passadas, e mais especificamente será uma sequência de ação. Isto graças a uma chamada de elenco que busca homens para interpretar militares dos anos 80. Não se sabe ainda se a sequência será um flashback ou um prólogo, como ocorreu na abertura do primeiro filme. “Após os eventos de Capitão América: Guerra Civil, Scott Lang (Paul Rudd) tenta lidar com as consequências de suas escolhas como super-herói e pai. Enquanto ele tenta balancear sua vida doméstica, é contatado por Hope Van Dyne (Evangeline Lilly) e Dr. Hank Pym (Michael Douglas) com uma missão urgente. Scott deve novamente usar o traje e aprender a lutar ao lado da Vespa para desvendar segredos de seu passado”, diz a sinopse do filme. FONTE: OBSERVATÓRIO DO CINEMA
  14. Liga da Justiça (2017) #2

    Liga da Justiça será o menor filme do Universo DC nos cinemas, diz site Longa terá 121 minutos 21/10/2017 - 14:30 - FÁBIO DE SOUZA GOMES Foi confirmado o tempo de duração de Liga da Justiça. Segundo o Sreen Rant, o longa terá 121 minutos (2h01m) e, com isso, será o menor filme do Universo Cinematográfico da DC até agora. Até então, o menor filme do DCU era Mulher-Maravilha, com 2h21. O Homem de Aço contava com 2h23, enquanto Batman vs Superman: Origem da Justiça contava com 2h31 em sua versão cinematográfica e mais de três horas em sua versão estendida. Liga da Justiça tem no elenco Ben Affleck (Batman), Gal Gadot (Mulher-Maravilha), Henry Cavill (Superman), Jason Momoa (Aquaman), Ray Fisher (Ciborgue), Ezra Miller (Flash), Amber Heard (Mera), Willem Dafoe (Vulko), J.K. Simmons (Comissário Gordon), Jeremy Irons (Alfred) e Amy Adams (Lois Lane), entre outros, e previsão de estreia para 16 de novembro. FONTE: OMELETE
  15. Aquaman - O Filme

    Filmagens terminaram. 14 meses ainda pro lançamento, estão bem tranquilos pro post desse filme.
  16. Blade Runner 2049

    Hummm...
  17. Alien Covenant

    Então, mas não é a repetição de um processo. É justamente um ponto de partida novo, ué Isso é bem claro pra mim. A franquia precisa ganhar novos ares, e embora os últimos dois filmes do Scott na franquia tenham uma boa ideia aqui e outra ali, eles tem uma certa auto reverência, e o resto é burocracia. E o que eu gostava na quadrilogia é que cada filme apesar de guardar semelhanças, é substancialmente diferente um do outro.
  18. Last week
  19. The Walking Dead

    Trailer da primeira parte da 8° temporada que começa nesse domingo: [media]
  20. Halloween (Novo filme - 19/10/2018)

    Pois é. Estranhei bastante a decisão também. Como o JAIL disse, o Carpenter também escreveu o roteiro do HALLOWEEN 2. Tá certo que são dois filmes bem diferentes, e enquanto no primeiro filme, Michael é o "mal inexplicável", no segundo, ele vira o irmão psicótico (mas que ainda assim continua sendo o mal inexplicável). De certa forma, foi o segundo filme que estabeleceu boa parte da mitologia da série, e é estranho imaginar visualizar um mundo onde Michael e Laurie não são irmãos. Afinal, não acho possível reproduzir a ideia de um "mal inexplicável e semi-aleatório" como no primeiro filme, se é que vem dai a decisão de só considerar o filme original.
  21. Círculo de Fogo 2

    Círculo de Fogo pode ter crossover com Godzilla e King Kong, diz diretor POR CAIO COLETTI - 20/10/2017 Círculo de Fogo 2 Abrir Ouça este conteúdo 0:00 01:59 Círculo de Fogo: A Revolta ainda está longe de estrear (confira o primeiro trailer aqui), mas o diretor Steven S. DeKnight está animado para o futuro da franquia, e contou ao Collider que um crossover de peso pode acontecer. “Houveram algumas discussões sobre a possibilidade de um crossover entre Círculo de Fogo e o universo de monstros da Legendary. Eu acho que seria um passo natural. Faz parte do plano geral depois do terceiro filme, mas não é uma certeza, apenas uma teoria”, disse. O universo de monstros da Legendary foi iniciado por Godzilla (2014) e continuado por Kong: Ilha da Caveira (2016) – Godzilla: King of Monsters, continuação do primeiro, deve chegar em 22 de março de 2019, e os dois se cruzarão em Godzilla vs. Kong, marcado para 29 de maio de 2020. “John Boyega (Star Wars) estrela como o rebelde Jake Pentecost, um piloto de Jaeger que já foi promissor, e cujo lendário pai deu sua vida para assegurar a vitória da humanidade contra os monstruosos Kaiju. Jake desde então abandonou seu treinamento, apenas para se envolver no submundo do crime. Mas quando uma ameaça ainda mais impossível aparece para destruir nossas cidades e levar o mundo aos joelhos, é dada a ele uma última chance para honrar o legado de seu pai, com a ajuda de sua irmã Mako Mori (Rinko Kikuchi), que lidera uma corajosa nova geração de pilotos que cresceram sob a sombra da guerra. Eles procuram justiça pelos que se foram, e sua única esperança é se unir em uma revolta global contra as forças de extinção”, detalha a sinopse. Círculo de Fogo: A Revolta foi escrito por Derek Connolly (Jurassic World). A direção está a cargo de Steven S. DeKnight (Demolidor). O filme tem lançamento marcado para 23 de fevereiro de 2018 FONTE: OBSERVATÓRIO DO CINEMA Curto não.
  22. Capitã Marvel (08/03/2019)

    Capitã Marvel terá designer de figurino de Star Trek: Sem Fronteiras e Maze Runner Longa estreia em 2019 20/10/2017 - 16:27 - CAMILA SOUSA De acordo com o Omega Underground, Capitã Marvel contratou a designer de figurino Sanja Milkovic Hays, conhecida por filmes como Maze Runner: Prova de Fogo, Star Trek: Sem Fronteiras, entre outros. Capitã Marvel terá Brie Larson no papel principal e os aliens Skrulls como vilões, numa trama ambientada nos anos 1990. Anna Boden e Ryan Fleck, conhecidos por Se Enlouquecer, Não Se Apaixone e Billions, serão os diretores e o lançamento é previsto para 14 de março de 2019, no Brasil. FONTE: OMELETE
  23. Alien Covenant

    Mantendo ou não a continuidade, podemos concordar que Scott já deu o que tinha que dar? Um cineasta que tem "passe vitalício" comigo por causa de Alien e Blade Runner (e outros), mas vamos seguir em frente né? Ele precisa daquele amigo da balada que toma a bebida da nossa mão e chama o taxi... Alien precisa de ácido novo.
  24. Alien Covenant

    Como era mesmo aquela famosa definição de insanidade?
  25. Shazam (2016)

    Longa contrata diretor de fotografia de Annabelle 2 E designer de produção De acordo com o Omega Underground, o filme do Shazam! tem duas novidades em sua equipe: o diretor de fotografia Maxime Alexandre e a designer de produção Jennifer Spence, ambos de "Annabelle 2: a criação do mal". A estreia do filme é prevista para 2019.
  26. Alien Covenant

    O que tem de muito difícil de lembrar? O Alien 3, a Ripley morre. No 4, tem uma clone dela e que cai na terra. Não acho que ninguém vai ficar perdido na história se continuarem do 4.
  27. Alien Covenant

    Também acho isso. Também quero isso.
  28. Halloween (Novo filme - 19/10/2018)

    Também não entendi o lance de ignorarem o 2. Até porque o John tava envolvido nele. **E se bobear eu credito o Halloween II mais ao John que próprio o diretor Rick Rosenthal, porque o segundo filme é muuuuito bom, e esse diretor foi fazer um Halloween sozinho, sem o John, e saiu aquela coisa chamada Halloween Ressurreição. Então, vá saber se o tal Rick tivesse sozinho ali no Halloween II, não teria feito algo tão ruim quanto. hehehe
  29. Alien Covenant

    Nesta altura, sabe-se lá se as pessoas realmente se lembram de Alien 3, o que dirá do Alien Ressurrection. Desconfio, mas é um palpite, que as pessoas têm muito mais familiaridade com Alien e Aliens. Continuar de um filme pouco lembrado pode ter o problema da falta de uma conexão emocional com aquela história. Seria quase que começar do nada. No meu caso mesmo. Tenho o primeiro e o segundo filme inteiro na cabeça. Uma continuação deles seria bem orgânica. Ao passo que lembro pouca coisa do terceiro (e não faço muita questão de rever), e do quarto lembro mais coisas (por ser bem trash), mas nada de especial. Para continuar daí, o filme teria que ter um esforço multiplicado para estabelecer uma identificação da audiência com a protagonista e o arco narrativo em si.
  1. Load more activity
×