Jump to content
Forum Cinema em Cena

Em Cartaz nos Cinemas

Aqui você pode conversar sobre os filmes que estão atualmente nos cinemas do Brasil e do Mundo e os que irão estrear em breve!

  • Posts

    • Morte no Nilo | Continuação de Assassinato no Expresso do Oriente tem estreia adiada Por  Pedro Vieira  -  23/06/2018   Kenneth Branagh em Assasinato no Expresso do Oriente Morte no Nilo, continuação do suspense Assassinato no Expresso do Orienteteve sua estreia adiada pela Fox.   Segundo o Deadline, a Fox resolveu adiar a data do longa que estava programada para 8 de novembro de 2019, para o dia 20 de dezembro do mesmo ano. Desse modo, o longa competirá diretamente com grandes produções como Star Wars IX e a sequência de Jumanji: Bem-Vindo à Selva A Fox encomendou o filme após o sucesso surpreendente de Assassinato no Expresso do Oritente, que arrecadou US$ 349 milhões mundialmente, a partir de um orçamento de apenas US$ 55 milhões. O diretor de Assassinato no Expresso do Oriente, Kenneth Branagh, vai retornar para comandar e estrelar a continuação. O roteirista Michael Green também vai retornar para o projeto. Morte no Nilo mostra o detetive Hercule Poirot (Branagh) aproveitando um luxuoso cruzeiro pelo Rio Nilo, no Egito, quando uma herdeira é morta a bordo. O livro foi adaptado em 1978, com elenco que incluía Peter Ustinov, Mia Farrow, Bette Davis e Jane Birkin.   Fonte: Observatorio do cinema
    • Visto OUIJA: A ORIGEM DO MAL         Na trama situada na Los Angeles de 1967, Alice Zander (Elizabeth Reaser) é uma trambiqueira, que sobrevive fingindo ser vidente com a ajuda das duas filhas, a adolescente  Paulina (Annalise Basso) e a caçula Doris (Lulu Wilson). Quando a matriarca da família compra um tabuleiro Ouija para incrementar o seu truque, o que parecia ser só uma farsa começa a ser real, já que a sensitiva Doris parece mesmo poder se comunicar com os espíritos. Mas o que parecia um sonho, logo torna-se um pesadelo, quando através do tabuleiro, Doris é possuída por espíritos malignos.  Prequel do horroroso (no mal sentido) OUIJA: O JOGO DOS ESPÍRITOS, o filme comandado por Mike Flanagan, veterano no gênero, tendo comandado filmes como O ESPELHO, HUSH: A MORTE OUVE e JOGO PERIGOSO consegue ser muito melhor que a produção original estrelada por Olivia Cooke em 2014, o que não é um grande mérito, tendo em vista que se tratava de um filme muito ruim. Mas é um filme com personagens mais carismáticos, e com um núcleo melhor construídos, com jornadas dramáticas simples, mas funcionais. Ainda assim a produção não escapa da mediocridade. Sempre gostei do trabalho de Flanagan como diretor, pois os seus filmes são bem característicos, e ele sempre conseguiu conferir grande identidade nas produções que comandou. Isso aumentou um pouco o fator decepção pra mim neste filme, pois não vi quase nada do Flanagan aqui. No geral, OUIJA: A ORIGEM DO MAL, não é uma bomba nuclear como o filme original, mas também tem muita pouca coisa que vá deixa-lo na memória do público. 
    • Visto FUGITIVOS DO INFERNO         Na trama, a tripulação de um bombardeiro britânico é abatida em pleno solo alemão. Os cinco sobreviventes, liderados pelo Tenente Terrence Forbes (Errol Flynn) agora precisam cruzar a Alemanha nazista sem serem capturados, enquanto são caçados pelo sádico Major Otto Maumeister (Raymond Maussey), devido ao roubo de importantes planos nazistas..   Dirigido por Raoul Walsh como parte do esforço de Hollywood de "filmes de propaganda" (a produção é de 1942) FUGITIVOS DO INFERNO revela-se uma boa aventura de ação para o período, fazendo valer a indicação ao Oscar de melhores efeitos visuais que levou (onde perdeu para VENDAVAL DE PAIXÕES, filme que não vi). Um dos grandes méritos do filme é a grande integração e química existente entre o seu elenco principal, que além de Flynn, conta ainda com Arthur Kennedy (repetindo a parceria de O INTÉRPRIDO GENERAL CUSTER) o futuro presidente dos Estados Unidos Ronald Reagan e Alan Hale (o filme até se tornou um pouco polêmico retroativamente, já que a certa altura os personagens devem se disfarçar de nazistas, o que não pegou bem para Reagan quando ele se lançou em carreira politica)  O filme ganha alguns pontos por não retratar todos os alemães como nazistas, mostrando que havia resistência interna dentro do regime de Hitler, resistência representada aqui pela enfermeira Kaethe Brahms (Nancy Coleman). Também é impressionante e louvável para a época que o filme evite transformar Kaethe em interesse amoroso de algum dos protagonistas, o que seria forçado. O filme pega apenas por não ter um roteiro muito redondo. Percebemos que os personagens podiam ter escapado da Alemanha bem mais rápido do que fazem, mas ficam entrando em "missões paralelas" que parecem estar ali apenas para esticar a duração do filme.  Mas ainda assim, é um bom entretenimento, e um "filme de propaganda" que não fica refém de seu aspecto de propaganda a favor dos Aliados.
    • 'Halloween': Jamie Lee Curtis revela como a Laurie se tornou o novo Dr. Loomis Publicado em 18/06/2018 às 20:22 por Nefferson Taveira COMPARTILHE! FacebookTwitterWhatsAppE-mail Em uma nova entrevista, Jamie Lee Curtis refletiu como sua personagem no reboot de 'Halloween', comparando-a com o Dr. Loomis do original. Danny McBride, co-roteirista do novo filme, acrescentou: "Eu acho e espero que nós fizemos o filme que os fãs estavam querendo assistir."   FONTE: CINEPOP
  • Popular Contributors

×