UA-130521384-1 Jump to content
Forum Cinema em Cena

Gustavo Adler

Members
  • Content count

    2,272
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    4

Gustavo Adler last won the day on February 26

Gustavo Adler had the most liked content!

About Gustavo Adler

  • Rank
    Editor de Som

Recent Profile Visitors

The recent visitors block is disabled and is not being shown to other users.

Enable
  1. Gustavo Adler

    Invocação do Mal 3

    sinceramente, isso passou despercebido por mim. Me incomoda demais essas exposições de figuras monstruosas como se fossemos crianças que estivesse as vendo pela primeira vez, e acho que o segundo filme pecou demais em cenas com monstros (todos eles), o primeiro teve o final que fugiu de toda a ambientação e escorregou nessa de monstros ou casa assombrada explodindo no meio do exorcismo, mas no todo, foi excelente, inclusive a parte da annabelle fncionou justamente pela ambientação e sugestão da boneca e tal, coisa que os filmes dela foi pra o caminho oposto, de exposição de criaturas feias e cenas pitorescas.
  2. Gustavo Adler

    It: Capítulo 2

    mas heim? um clocar um cena do filme? o que diabo tu quis dizer com isso?
  3. Gustavo Adler

    It: Capítulo 2

    excelente trailer
  4. Gustavo Adler

    Invocação do Mal 3

    boa comparação com o iluminado, pois o que assusta no iluminado não são as aparições, mas toda a sutileza e a ambientação, toda a sugestão que isso leva e que é o contexto do qual as aparições se apresentam.
  5. Gustavo Adler

    Invocação do Mal 3

    o 2 acho que pecou por ficar muito na aparição de monstro (a assombração da freira e tal), perdeu a sutileza do terror sugestionado
  6. Gustavo Adler

    Invocação do Mal 3

    Sei lá. to com uma espectativa alta, pois, pra mim, essa é a única série de espiritos e possuição moderna que deu certo (ou melhor, vem dando certo)
  7. Gustavo Adler

    O Rei Leão (Jon Favreau - 19/07/2019)

    UAAAU Vale muito a pena! E discordo que é apenas um remake desnecessário se não fosse o apelo da obra prima que é. Pois o fato de simular um live action, ou seja, de apresentar uma animação mais próxima possível das cores da realidade, transforma a simbologia da obra, com toda a mistica daquelas criaturas, na mistica existente que envolve a realidade dessas seres e de seu equilibrio com o meio. Tipo, não vejo mais um desenho de um leão, mas um leão realmente ali, sendo responsável pelo equilibrio daquele ecossistema
  8. Gustavo Adler

    Nós, Dir: Jordan Peele

    Meu caro, isso: "com ideias e conceitos novos de artistas contanto suas historias, sou negro estou adorando ver que abriu a porta de outras etnias terem seu devido espaço" é política, portanto, não se deve lutar pra que seja adotado essa política, e não a política vigente de marginalizar a cultrua não eurocentrica e explorar sua mão de obra?
  9. Gustavo Adler

    X-Men - Fênix Negra (07/06/2019)

    Esse trailer eu gostei, embora continue não achando que o fiilme vai ser bom
  10. Gustavo Adler

    Superman - O Homem de Aço 2 (20??)

    Finalmente um super heroi a altura de seus poderes hehehe
  11. Gustavo Adler

    Bohemian Rhapsody (Dexter Fletcher)

    Filminho mais ou menos, e o ator atuou bem, mas não pra ser premiado, premiação devido ao apelo da fama da banda e do cantor
  12. Gustavo Adler

    Brinquedo Assassino (Remake - 20/06/2019)

    Se o filme for inteligente usar isso abordando como uma falha do sistema da IA que eles inventaram cujo distaque seja a presença de um sistema emotivo integrado com a IA. A IA dos bonecos terem sido desenvolvidos com um sistema do qual simula o sentimento adquiridas das experiências do boneco, e que influenciam suas escolhas, e esse chuck ter por algum causo fogido do que programava a empresa e ter criado um sentimento sádico, ter relacionado um sentimento positivo a experiÊncias envolvendo o sofrimento alheio, dos humanos. E assim deixaria um subtexto muito interessante a ser abordado no filme
  13. Gustavo Adler

    Brinquedo Assassino (Remake - 20/06/2019)

    Acho que tudo depende da forma que conta. Tipo, se um brinquedo é possuido por wifi, logo qualquer brinquedo pode te esfaquar, ou mesmo qualquer carro automatizado pode te matar, se o filme conseguir tratar isso bem (se bem que perde a característica de brinquedo assassino e da série). Ou, se o brinquedo assassino for um erro do sistema da IA que (assim como a ia da microsoft que se tornou uma pessoa odiosa e racista, fascista) passou a adotar uma postura violenta e assassina, ou seja, foi aquele brinquedo cuja a IA "escolheu" seguir a vida de boneco assassino, seria interessante também.
  14. Gustavo Adler

    Brinquedo Assassino (Remake - 20/06/2019)

    Hmm, não li nada a respeito do filme, mas será que o remake será uma repaginada, que, ao invés de fazer um brinquedo possuido pelo demonio, será um brinquedo possuido por uma inteligencia artificial que fugiu do projeto (pelo menos no primeiro filme), que adota uma postura assassina, e mesmo depois de quebrado, aprende a se transferir por chip pra outro brinquedo no segundo filme da franquia....? Se for assim, ai esse será um dos poucos remakes que realmente e finalmente se mostra o motivo de faze-lo, pegando o horizonte tecnologico que temos atualmente, trazendo as questões advindas desse mundo tecnológico e da contemporaneidade, e colocando na marca que se tornou o brinquedo assassino.
  15. Gustavo Adler

    Infiltrado na Klan, Dir: Spike Lee

    Eu entendi teu ponto agora. Bem, a mim não me incomodou não, porque é como se tivesse esfregando na cara mesmo, e acho que é necessário dentro da sociedade em que vivemos. Mas discordo de você quanto ao fato de "deveria". Acho que o filme dizer que a terra é uma rocha e não deixar que a história diga foi a estratégia dele, foi escolha dele. Ele construiu toda uma narrativa que escancarava pra, no final, ele jogar na cara que tanto é assim que continua até hoje assim. Então, eu não vejo problema nisso, eu concordo com você, de fato destoa. Mas, diferente de você, eu vejo necessidade, pois além das pessoas não entenderem (sim, porque não querem, como bem frisou você mais abaixo), esse acréscimo impede o espectador de manter distância no tempo. Não, essa história é tão presente quanto é verdadeira. E se percebe isso no filme. Percebe-se um impulso aqui. Um remendo em uma tapeçaria que já estava pronta. E não acho que eu deveria perceber que foi um impulso. Bem, então, talvez se ele encontrasse uma técnica que integrasse mais a parte final a obra talvez perderia o efeito de esfregar na cara. Tipo, pode até ter sido erro dele, mas não me incomodou porque estamos em um momento que é preciso desse momento de tradução do que se quis dizer, uma tradução que esfregue na cara aquilo que foi dito. Hmmm, é verdade, mas acho que ele acreditava na estratégia dele, e não condenava a estratégia da sua amiga Mas eu também não acho que ele tinha a intenção ou expectativa de que seus colegas se conscientizassem do quanto os negros sofrem preconceito, e ainda mais, nem acho que ele tinha a experctativa de que seus colegas deveriam ficar puto da vida. Acho que a única expectativa dele era que seus companheiros ficassem de olho e reconhecessem que esse preconceito pode se voltar contra eles, principalmente contra seu amigo judeu. Agora, se ele ficasse puto com esse racismo contra judeus ou não, ai é responsabilidade do amigo judeu, e se ele ficasse puto com o racismo que os negros sofrem, também é responsabilidade dele, não acho que o personagem principal tivera alguma expectativa quanto a reação dos seus amigos (mas sim, concordo contigo, ele consegue contagiar os colegas e obteve uma vitoria com isso. Então, mas ai é porque eu peguei a perspectiva da visão média das pessoas atualmente que se prendem a forma, e não ao conteúdo. Se você for ver a forma com que os manifestantes negros diziam, e agiam, pode parecer semelhante ao que a kkkk fazia. O filme, como você falou, deixa claro que eles não eram extremistas, mas senti que o Lee deixou essa aparente semelhança como pano de fundo pra cativar quem possa estar inclinado a achar que todos aqueles que se antepõe a kkk está sendo extremista, a achar que ao propor o uso da violência, o movimento negro está sendo extremista e incentivando o ódio contra os brancos. O Lee põe em uma pequena parte, o discurso que pode cooptar a atenção daqueles que já, antes do filme, tendem a interpretar uma reação de defesa como extremista, pra através do filme, força-lo a reflexão (e aqui acho que o trecho final faz mais sentido ainda). Entendi, mas sei lá, senti que ele a ve como parceira de combate. Mas acho que tu colocou muito bem a questão: - "o impasse do casal protagonista é quase como Martin Luther King/Malcolm X outra vez. A luta deles era a mesma, mas discordavam completamente da forma como conduziam. Então, sim, acho que o Ron respeita como ela conduz a sua luta, mas não concorda. Se concordasse, largava a polícia."
×