Jump to content
Forum Cinema em Cena

Big One

Administrators
  • Content count

    14,677
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    51

Reputation Activity

  1. Like
    Big One reacted to SergioBenatti in Blade Runner 2049   
    Big One, terminei a leitura. Cara, me surpreendeu. Achei extraordinário! Muito melhor do que pensava!
    Passei a admirar mais o Ridley Scott por que ele ele pegou um fiapo da história mas manteve a essência e o clima do livro. Parabéns também ao Villeneuve por inserir tão bem os cavalos de madeira em seu filme.
    Philip k. Dick morrer pouco antes da estreia parece ficção científica.
  2. Like
    Big One reacted to Jorge Soto in Liga da Justiça (2017) #2   
    Estrada para a Justiça Jornada ao lado dos quadrinistas da DC enquanto eles exploram mais de cinquenta anos de Liga da Justiça, dos quadrinhos às aventuras animadas até a estreia nos cinemas. Coração da Justiça Descubra o coração, alma, e mente da Liga da Justiça, enquanto o elenco e diretores compartilham sua admiração pela icônica trindade da DC: Superman, Mulher-Maravilha e Batman. A Tecnologia da Liga da Justiça Do arsenal de Batman à tecnologia alienígena do Ciborgue, navegue pelo banco de dados da Liga da Justiça para descobrir seus segredos mais obscuros. Liga da Justiça: Os Novos Heróis Junte-se a Ray Fisher em um tour pessoal para conhecer os membros mais novos da Liga da Justiça: Aquaman, Flash e Ciborgue. O Retorno de Superman Cenas bônus não vistas nos cinemas. Lobo da Estepe o Conquistador Junte-se ao ator Ciarán Hinds e aos diretores enquanto eles revelam a história por trás do antigo inimigo da humanidade e o maior desafio da Liga da Justiça. Estudos de Cena: Revisitando as Amazonas Olhe mais perto o processo de gravações por trás das sequências de ação mais empolgantes visualmente de Liga da Justiça. Estudos de Cena: O Resgate da Mulher-Maravilha Olhe mais perto o processo de gravações por trás das sequências de ação mais empolgantes visualmente de Liga da Justiça. Estudo de Cena: Heroes Park Estudos de Cena: A batalha do Túnel Veja mais de perto o processo de gravações por trás das sequências de ação mais empolgantes visualmente de Liga da Justiça. Vista-se: O Visual da Liga O Figurinista Michael Wilkinson explora a inovação e artisticidade usada para criar os uniformes dos icônicos heróis da DC.
  3. Like
    Big One reacted to primo in Liga da Justiça (2017) #2   

  4. Like
    Big One reacted to Jorge Soto in Esquadrão Suicida 2   
    Aprende Ayer 
     
  5. Haha
    Big One reacted to Jailcante in Os Vingadores 3: Guerra Infinita   
     
  6. Like
    Big One reacted to SergioBenatti in Oscar 2018: Previsões   
    Quando a Twentieth Century Fox anunciou que "The Greatest Showman" não tinha pretensões ao Oscar, todo mundo recolheu as fichas. Mas eu não pensei que fosse um filme tão terrível assim. O Musical é o gênero mais odiado pela maioria das pessoas, e a cada "La La Land" que consegue furar esse bloqueio subjetivo, chegam 10 drogas como essa para reforçá-lo.
    Conservo apenas a indicação a Canção: "This is me".
  7. Like
    Big One got a reaction from Jailcante in Superman - O Homem de Aço 2 (20??)   
    Alex Ross no Twitter 
     
    #MondayMotivation #Superman


  8. Like
    Big One reacted to Jorge Soto in Aquaman - O Filme   
    Jovens Titãs tiram sarro do filme do Aquaman em trailer
    A Warner Bros. trará em 2018 a primeira versão cinematográfica da série de TV de animação da DC Os Jovens Titãs em Ação, e o primeiro trailer do longa provocou uma pequena polêmica. Em meio aos anúncios sobre a produção, o trailer clama que o filme dos Titãs existe porque “se Aquaman pode conseguir um filme, qualquer um consegue”. Confira mais abaixo a prévia.“Zoado” por anos graças ao seu retrato ridículo em séries animadas como Superamigos, o Aquaman recebeu um novo visual e atitude na pele de Jason Momoa, destaque de Liga da Justiça.O filme solo, dirigido por James Wan, chega em 20 de dezembro de 2018. Enquanto isso, os Jovens Titãs estreiam no cinema em 26 de julho.
     
  9. Like
    Big One reacted to Jailcante in Obituários (in memoriam)   
    Dolores O'Riordan, cantora do Cranberries, morre aos 46 anos
    Ela ficou famosa por hits como 'Zombie', 'Linger', 'Dreams', 'Ode to my family' e 'Salvation'.
        15/01/2018 15h21  Atualizado há menos de 1 minuto

        Dolores O'Riordan, cantora do Cranberries, morreu aos 46 anos, segundo o jornal "Irish Times".
    O jornal diz que um representante enviou nota dizendo que os integrantes da banda "estão devastados por ouvir as notícias" e pediram privacidade "nesta hora muito difícil".
    Não há mais informações sobre a morte.
    Dolores nasceu em Ballybricken, na Irlanda, em 1971, a mais nova de sete filhos.
     
    Hits nos anos 90
     
    Ela entrou no Cranberries em 1990. A banda emplacou hits como "Zombie", "Linger", "Dreams", "Ode to my family" e "Salvation".
    O grupo vendeu mais de 40 milhões de cópias de seus seis álbuns. A estreia foi em 1993, com "Everybody else is doing it, so why can't we?".
    O trabalho mais recente de inéditas, "Roses", é de 2012, o único de inéditas após a reunião, em 2010. Antes, os integrantes haviam ficado afastados por seis anos.
    Dolores deixa três filhos, Taylor Baxter, Molly Leigh e Dakota Rain, e o ex-marido, Don Burton.
    https://g1.globo.com/pop-arte/musica/noticia/dolores-oriordan-cantora-do-cranberries-morre-aos-46-anos.ghtml

  10. Like
    Big One got a reaction from SergioBenatti in Blade Runner 2049   
    Encontrei. Eh a mesma versão que eu li.  Eh o prosfácio do tradutor Ronaldo Bressane onde ela faz parecemos com o livro e o filme.  Muito bom. Segue o link  a quem possa interessar  
     
    https://ronaldobressane.com/2017/10/05/falso-e-verdadeiro/
  11. Like
    Big One reacted to Saga Stark in Blade Runner 2049   
    Filme foda!
    Muito bom, Villeneuve se sagrou O nome na nova geração dos diretores de filme de ficção científica.
  12. Like
    Big One reacted to SergioBenatti in Blade Runner 2049   
    Estou lendo a edição mais recente da Editora Aleph. Tem posfácio da lavra do tradutor, entrevista com o Philip K. Dick, e outras notas sobre o filme.
  13. Like
    Big One reacted to SergioBenatti in Detroit (Kathryn Bigelow, 2017)   
    Eu vi.
    Muito bem realizado, muito bem atuado, muito pesado. Uma mistura de estilos de filmar que desagrada: de animação a estilo documental a filmagem convencional.
  14. Like
  15. Haha
    Big One reacted to Jorge Soto in Liga da Justiça (2017) #2   
    o CGI da Warner  deve ta se revirando até agora...
    VÍDEO FAZ GRAÇA COM BIGODE DO SUPERMAN E MÚSICA DO QUEEN!

    Liga da Justiça foi um sucesso de bilheterias no Brasil mas passou por maus bocados nos mercados internacionais. Além de tudo, o filme foi alvo de diversas zoeiras por conta de um simples motivo: o bigode de Henry Cavill, o Superman. A remoção digital do bigode do Superman nas gravações adicionais de Liga da Justiça continua dando o que falar. Há até mesmo uma nova paródia, criada pelo canal Darth Blender, que mescla cenas de Homem de Aço, Batman v Superman: A Origem da Justiça e do novo filme. A ideia é brincar com o herói e seu bigode de mentira, no melhor estilo Freddie Mercury, ao som de Don’t Stop Me Now, do Queen.
     



     
     

     

     
  16. Like
    Big One reacted to SergioBenatti in Oscar 2018: Previsões   
     Call me By Your Name
    A remessa perfeita que esse filme faz em mim...
    Parece que todo mundo elabora a mesma resenha sobre cinema, hoje em dia,  antes de mijar pela manhã. Não queria mais escrever assim.
    Vou fazer diferente. Vou falar da remessa perfeita que esse filme faz em mim...
    Minha família é italiana, então o filme me dá a Itália nas suas mais variadas formas. 1) O apreço pela boa mesa, o apreço pela discussão política à mesa, gostar de cozinhar, gostar de receber, a desfeita cultural que é você não se sentar à mesa para jantar  - como o personagem americano em certo momento faz.  2) A cidade de Crema, na Lombardia, captada pelo fotógrafo indiano Sayombhu Mukdeeprom ( que disse muito acertadamente que a luz do Equador é uma merda pois não tem nuances,  mas a da Itália é maravilhosa, "seca". Reparem na luminosidade dos jardins da casa, como a sombra é mais preta, como a grama é mais verde. É a sensualidade também da natureza! E isso o tempo todo se reflete no filme: O peixe recém-pescado abre as guelras, desesperado. Uma mosca pousa no ombro do protagonista, que a aceita, e o diretor deixa, deixa, eu queria frisar- deixa- não manda o contra-regra espantá-la) 3) A sensualidade natural das pessoas. É tão bom ser latino, né? Não ter aquele atroz medo do corpo como os americanos têm. Assisto aos vídeos dos youtubers do USA e eles a comentar o uso escandaloso dos "shorts". Os personagens usam shorts, no calor, vejam vocês!  E os homens ficam sem camisa! Vejam vocês! Que coisa! 4) Os italianos amam futebol? Sim. Mas também amam voley ("pallavolo")...parece bobo, é um detalhe, mas eu  amo ver o cinema agir como um detetive da cultura.  5) A riqueza na Itália visa ao conforto e não à ostentação-Kardashian. O design de produção desse filme é absurdo de maravilhoso. Captou a riqueza intelectual dos personagens. A casa da locação tem rachaduras, a pintura está descascando em alguns pontos, mas os livros estão por todo canto.  São velhos, tem orelhas, foram "usados", a dizer, foram lidos...Os móveis não são de design da Armani, são de madeira, são de ferro, ficam envelhecendo e enferrujando no jardim. A piscina não tem borda infinita, a piscina é um tanque de tijolos medievais, sabe? Que locação! Que achado! As pessoas falam: "o filme é bonito", mas não sabem explicar por que é bonito. É porque se passou dias e dias procurando um lugar assim. Uma das tarefas menos "visíveis" do cinema é o trabalho duro de se achar as locações. Não é fácil.
    Eu sempre fui um admirador dos filmes do James Ivory. A elegância de tudo, quase um esnobismo, na verdade (Vamos contar um segredinho entre parêntesis, que é como o convém: Tudo bem ser um pouco esnobe na vida! As outras pessoas, por incrível que pareça, gostam.). O andamento calmo. As coisas mais desimportantes ganham 5 minutos de atenção. Que coisa maravilhosa que o Ivory nos ensina: que o colateral é importantíssimo! O 'plot' dos filmes dele é apresentado quase como uma "chateação"...É a vida que importa! Enfim, como cinéfilo, é prazeroso reconhecer o tanto de "A Room with a view" nós temos aqui. Não só um banho de Itália , mas o sempre artístico banho no lago. O banho de lago entre homens, vale dizer! Tanto naquele filme, como neste. Banho no lago, seja na pintura, seja no cinema, seja na literatura: uma forma aristocrática de apresentação da nudez! Naquele filme, os amantes vão para as montanhas fazer um piquenique; neste também. Amantes precisam se isolar... Eu fiquei catando esses paralelos...O novo filme que me era apresentado confrontando-se com o velho filme que existia dentro de algum escaninho empoeirado da minha mente (De dentro dela, estabeleci um outro paralelo entre a cena do trem e a cena do trem de "Summertime", de 1955, do David Lean, com a Katharine Hepburn fazendo ...uma solteirona americana apaixonada em Veneza. Foda!). James Ivory ganhará sua aguardada estatueta,  pela adaptação do roteiro, tornando-se o mais velho a receber um Oscar. A remessa perfeita.
    A importância do primeiro amor. Como negar? Eu duvido que exista uma pessoa no mundo que não pense constantemente no seu primeiro amor. Não pode ser apenas eu que tenha esse problema mental! Não pode ser eu apenas o único louco! E não sou! Tanto que o escritor egípcio André Aciman (Nunca li nada dele, mas vi a peça "Variações Enigmáticas", com o saudoso Paulo Autran) escreveu sobre isso. Porque o primeiro amor é diferente de todos! Inaugura o corpo; inaugura o conhecimento do ciúme ( no filme, representado na cena da festa, com um close espetacular, que, é concomitantemente, uma das mais belas imagens de alguém fumando cigarro que eu já vi!); inaugura aquela vontade incontrolável de querer estar perto de outro ser humano o tempo todo ( no filme, representado na brilhante cena de Timothée quase ajoelhado, alquebrado, na porta de casa, enquanto toca a lindíssima canção do Sufjan Stevens); inaugura a vontade maluca de MORAR dentro das roupas de outra pessoa (no filme, a ardente cena da bermuda), como se vestir as roupas da outra pessoa pudesse ser um abraço contínuo (ecos de "Brokeback Mountain"? Sim, o abraço da camisa!). Roupas que o Figurino inteligentemente escolheu em tons pastéis, claros, a brincar com listras verticais para o Hammer, e horizontais para o Chalamet (A menina Marzia também usa listras. E a mãe! O que Freud diria disso? Só as listras dariam uma tese)! E ainda me matou de inveja com a camisa do Talking Heads.O primeiro amor merece um filme como este. E o primeiro amor merecia sobretudo o extraordinário monólogo do personagem do Michael Stuhlbarg! Que texto! Que coisa mais linda! Seria merecidíssima a indicação. O primeiro amor causa inveja. O Sérgio de 2017 inveja até hoje o Sérgio do ano de 2000. Nunca mais poderei sentir aquilo novamente. Daquela maneira pura e intensa. É a remessa perfeita que eu nunca mais terei. "Is it a video? Is it a video?".
    Mas, convenhamos, se tem um aspecto que é decisivo no filme é a não mencionada palavra "bissexualidade". É a remessa mais forte do filme em mim. A perfeita remessa. Semana passada, peguei um cara e uma menina. Meus amigos - no geral, roqueiros barbudos héteros - ainda estão tentando se acostumar a ver isso. E tão sempre me perguntando: "Mas qual você gosta mais?". A partir de agora eu posso responder a eles, pagando de culto e citar Heráclito: "Por mudar, é que permaneço o mesmo, galera. Foi dito num filme aí". No Filme também, os dois personagens gostam do corpo feminino e gostam do corpo masculino. Chalamet foi perfeito nisso, até com uma fruta ele demonstrou a força do prazer, numa cena ANTOLÓGICA. Percebo o Mito do Amor Romântico na inúmeras resenhas vendendo o filme como "história de amor entre dois homens". Sim, tem amor na sua faceta "homossexual". Mas pra mim o tesão bateu foi de ver a bissexualidade atuando!  O personagem descobrindo que gosta de uma coisa e gosta de outra. Tem tesão pelas duas. As pessoas, querendo posar de libertárias, têm enxergado o filme assim: " Que lindo! Salve o amor! Salve o amor!" É dizer: O amor autoriza você a gostar seja de quem for. Como se o sentimento de amor "legitimasse". Ora, não precisa de amor! Que papo careta! "Call me By Your Name", para mim, não é "história de amor entre dois homens", é mais amplo, é uma "HISTÓRIA DO PRAZER" ! Todo ser humano está naturalmente legitimado, pela natureza, a ter relações sexuais com quem quiser! É por isso que a família, intelectualizada o bastante, orgulhosamente discreta quanto à religião!,  não se incomoda de ver um dos seus representantes pegar, no mesmo dia,  ora uma vizinha, ora uma visita, e nem pergunta se está ou não apaixonado, ou coisas do gênero. Não há essa pesquisa romântica. Os pais querem que o filho se descubra. Nada é forçado ("Nada foi escavado, e sim trazido à superfície"). Querem que o filho tenha liberdade ( talvez ele dê um gritão sem sentido diante de uma cachoeira, só para o TAO ouvir!). Como decorrência da liberdade,  aqueles pais inclusive não veem problema em o filho transar na própria casa. A sociedade careta brasileira inventou o "motel" por que não suportava admitir o sexo passado dentro de casa! Na Europa, na França que eu conheço bem, não existe motel! Os filhos transam na casa dos pais, ora! Qual o problema? 
    O texto já está colossal, extrapolou o  confidencial, eu vou parando por aqui...Indicaria o filme a tudo: Fotografia, Trilha, as duas canções originais ( executadas em dois momentos brilhantes: a cena do ônibus e o final de encher os olhos), Montagem, Roteiro Adaptado,  Ator Coajduvante ( Stuhlbarg!, pela precisão técnica, pelo speech; e  o Hammer, em uma atuação "flamboyant", de um jeito como "flutuante"); Direção ( bastaria a brilhante cena do sonho); Filme; Figurino, Direção de arte; tudo que pudesse. Tudo é meritório. Mas se eu pudesse apenas escolher uma categoria, uma só, teria de ser forçosamente ATOR!
    Timothée Chalamet, um arraso! Uma atuação sublime! Extraordinária! O modo como ele se ajeitava no sofá, desculpe, mas nem o Daniel Day-Lewis faria melhor.  Por outro lado, é maravilhoso ver um ator heterossexual acertar em maneirismos tão delicados que um cara fluído tem. Coisas de mão, certos olhares; gestos pequenos mesmos...O filme só poderia terminar com 4 minutos do rosto dele, onde se vê saudade, fossa e... um sentimento que não tem nome, mas todo mundo já sentiu: "orgulho da dor". Que alguém um dia invente uma palavra - deve ter em alemão - para esse sentimento.
    Foi uma remessa perfeita. Vi na tela o italiano que eu sou. O esnobe que eu sou. O jovem apaixonado que eu fui. E a cara de prazer que eu demonstro, seja com um homem, seja com uma mulher. 
    A remessa perfeita.
     
     
  17. Like
    Big One reacted to SergioBenatti in Oscar 2018: Previsões   
    O Pablo Villaça disse que "The Shape of Water" poderia ser um filme da Disney. É verdade, é um conto de fadas. Mas - que irônico - ver ele competindo e se dando muito melhor do que "The Post", pois, digo eu, "The Shape of Water" poderia ser tranquilamente um filme do Spielberg de décadas atrás, quando ele ainda era garoto, quando ele ainda tinha a fantasia que vimos ao longo do tempo se esvair...
    Palmas para o desenho de produção, palmas para fotografia, palmas para a trilha sonora. Penso ter acabado de assistir aos vencedores dessa categorias.
    Ator Coadjuvante também seria muito justo. Richard Jenkins está incrível.
    Atriz também seria muito justo. Sally Hawkins está incrível.
    Sinto muito, Nolan. Acreditei no seu nome a temporada toda. Te favoritei, em negrito, o ano todo. 
    Mas, palmas para o del Toro. Justo vencedor.
     
  18. Like
    Big One reacted to Jailcante in Black Mirror   
    Foi uma temporada boa. Faltou aquele ep. totalmente foda (tem uns que passaram perto da trave aí), mas no geral teve eps. legais e nenhum ruim.
    O dirigido pela Jodie Foster foi o mais fraco. O ep. basicamente fala que mesmo criando um dispositivo novo, o conflito mãe-filha vai continuar o mesmo. Nisso, o ep. acaba não criando nada de novo ou interessante. Fica na preguiça de acrescentar algo ao tema.
    Curti mais o ep. do Star Trek, o ep. final e o do tinder de casais (esse foi bem gutti-gutti). E tem outro que faz homenagens ao Hitchcock. Inclusive interessante ter uma assassina com visual da Janet Leigh de Psicose, inclusive ela comete um assassinato no banheiro (meio que invertendo o filme hehe). 
    Ep. final da temp. (Black Museum) entrega que todos episódios se passam no mesmo universo. Achei demais isso.
    Meu Top de episódios:
    1 - Temp. 2 Ep. 4 - White Christmas
    2 - Temp. 1 Ep. 1 - The National Anthem
    3 - Temp. 3 Ep. 3 - Shut Up and Dance 
    4 - Temp. 2 Ep. 3 - The Waldo Moment
    5 - Temp. 1 Ep. 3 - The Entire History of You
    6 - Temp. 3 Ep. 6 - Hated in the Nation
    7 - Temp. 4 Ep. 1 - USS Calister
    8 - Temp. 4 Ep. 6 - Black Museum
    9 - Temp. 4 Ep. 4 - Hang The DJ
    10 - Temp. 3 Ep. 4 - San Junipero
    11 - Temp. 2 Ep. 1 - Be Right Back
    12 - Temp. 4 Ep. 3 - Crocodile
    13 - Temp. 3 Ep. 1 - Nosedrive
    14 - Temp. 2 Ep. 2 - White Bear
    15 - Temp. 4 Ep. 5 - Metalhead
    16 - Temp. 4 Ep. 2 - Arkangel
    17 - Temp. 1 Ep. 2 - The Fifteen Million Merits
    18 - Temp. 3 Ep. 2 - Playtest 
    19 - Temp. 3 Ep. 5 - Men Against Fire
     
    * Diria que do 1 até 12 vão dos ótimos até os bons. Do 13 até 16 são assistíveis mas não acho nada desses epis. Meio nhé mesmo, sem sal. E do 17 até 19 são os epis. fracos.
  19. Like
    Big One got a reaction from SergioBenatti in Oscar 2018: Previsões   
    Quem arrematou também foi a Barbra Streisand aí lembrar que ele foi a única mulher a ganhar. 
  20. Haha
    Big One got a reaction from Jailcante in Liga da Justiça (2017) #2   
    Kkkkk Como díria o Dook. Eh falta de sexo. 
  21. Haha
    Big One reacted to Jorge Soto in Liga da Justiça (2017) #2   
    isso não deve ser...kkk...tem duas WW aí nesse balaio que dão um bom caldo...
  22. Haha
    Big One got a reaction from Jailcante in Liga da Justiça (2017) #2   
    Kkkkk Como díria o Dook. Eh falta de sexo. 
  23. Like
    Big One reacted to SergioBenatti in Oscar 2018: Previsões   
    A coisa mais importante do Globo de Ouro de ontem: Natalie Portman selando uma vaga de Direção para a Greta Gerwig.
  24. Haha
    Big One reacted to Gust84 in Liga da Justiça (2017) #2   
    Daqui a pouco vemos o rick nos estúdios com um cartaz:
    DEVOLVAM MEU BATMAN - DEVOLVAM MEU BALE - DEVOLVAM MEU NOLAN
    Quem viver, verá.
  25. Like
    Big One reacted to SergioBenatti in Bright | Will Smith   
    Se houvesse um Medidor de Ridículo, o martelo pararia no 100! 
×