Jump to content
Forum Cinema em Cena

Freak

Members
  • Content count

    2,086
  • Joined

  • Last visited

  1. Alien Covenant

    Acabei de assistir Alien Covenant e achei excelente, da mesma forma como achei Prometheus excelente. Dou uma nota 9 para ambos. Atuação espetacular de Fassbender. Tem uns 10 anos que não entro nesse fórum e hoje vim aqui só para falar que ODEIO críticos de cinema, principalmente brasileiros. Eu deixei de assistir Prometheus no cinema por causa deles, e depois me arrependi. Dessa vez não cometi o mesmo erro. Espero que Ridley Scott continue o excelente trabalho, e que venham mais filmes da franquia.
  2. Home Theater

    Putz, o Nacka indicou justamente as minhas caixas... Este Onkyo eu não compraria, muito pobrinho, e essas caixinhas dão dó só de olhar. Eu acho que a melhor opção pra quem não pode gastar muito e vai começar do zero é catar o receiver da Sony mesmo e ir comprando caixas bookshelf aos poucos, como eu fiz. Primeiro comprei o receiver, que ficou parado uns meses, depois comprei o trio frontal (e fiquei assistindo filmes em 3.0), depois as surrounds e por fim o subwoofer. Prefiro o sofrimento da espera do que jogar dinheiro no lixo, e na minha opinião comprar conjuntos IAB principalmente com caixas satélite é jogar dinheiro no lixo. Depois vai ter que começar do zero de novo.
  3. Blu-Ray Players

    Bem, finalmente resolvi dar um descanso para o meu PS3 velho de guerra que está há ininterruptos três anos deixando os meus dias mais azuis. Não que ele tenha pedido arrego, pois continua lá firme e forte, mas resolvi diminuir a carga de trabalho do bichinho. Ela já estava sendo ajudado pelo computador que eu montei com drive Blu-ray e placa de vídeo fodona, mas o trabalho principal ainda ficava com ele. Depois de meses namorando o Samsung BDC5500, que quase cheguei a comprar inúmeras vezes, acabei pedindo o novo da Sony BDPS370 na Fast Shop ontem por 467 reais. Aliás os preços dos BD players estão tão bons que acho que vou comprar outro para colocar em outra TV aqui. E pensar que tinha gente que dizia que o Blu-ray ia ser produto de nicho e nunca ia pegar. Que feio. Agora é esperar o bichinho chegar para botar ele pra brincar com a minha Plasma e com meu receiver.
  4. Blu-Ray Players

    Putz, finalmente achei algo na internet sobre o assunto. Estava começando a achar que era o único no mundo preocupado com isso. O que você pode fazer se não enxerga em 3D? Quinta-Feira 21 de Janeiro de 2010 Fisioterapia para visão? Sim, se você não consegue ver 3D. Veja os motivos e conheça soluções para o problema. Quem acompanhou a CES 2010 aqui pelo portal Baixaki sabe que uma das grandes atrações da maior feira de tecnologia foi o 3D. As televisões em terceira dimensão são a nova promessa do futuro, em conjunto com Blu-rays, câmeras digitais e outros aparelhos que acompanham a tendência. Junte a isso a febre do filme “Avatar”, que já ganhou o Globo de Ouro, deve ganhar o Oscar e tem tudo para se tornar a maior bilheteria de todos os tempos para que a discussão sobre a tecnologia em três dimensões esteja cada vez mais na boca do povo. Este tipo de visão que necessitamos para ver 3D é chamada “visão binocular”. A projeção é feita através de duas imagens sobrepostas na tela e cada olho foca em uma das imagens projetadas para que a profundidade seja percebida. Entretanto, não são todas as pessoas que conseguem enxergar esta maravilha. Estima-se que entre 4% e 10% da população mundial não possua a habilidade de enxergar em “estéreo”, como a maioria das pessoas. De acordo com um estudo da Universidade de Valência, os números são ainda mais impressionantes. Em um ano de estudos clínicos (com 1679 pacientes entre 18 e 36 anos) foi constatado que 56% deles apresentavam algum tipo de sintoma de disfunção binocular. Razões do problema Aqueles que não conseguem enxergar em 3D são chamados “stereoblinds”. Essas pessoas simplesmente não conseguem enxergar imagens em profundidade, o que faz que um filme como “Avatar” visto em tela 3D fique embaçado, sujo ou não mostre diferença em relação ao filme normal em 2D. Isso ocorre devido à incapacidade dos dois olhos de trabalharem juntos. Indivíduos com estrabismo e ambliopia (olho vago ou preguiçoso) são aqueles que possuem maior tendência a desenvolver o problema, assim como pessoas que utilizam os olhos em sincronia, porém não o tempo todo. Isso quer dizer que, se os olhos não trabalharem em conjunto, nada feito. Tendo em vista que a porcentagem de pessoas com este problema não é irrelevante, o que se pergunta é: com a revolução 3D, o que acontecerá com aqueles que veem o mundo de forma diferente? Soluções Infelizmente, para aqueles que possuem apenas um olho não existe solução, uma vez que é preciso que os dois olhos trabalhem para reconhecer imagens tridimensionais. Porém, se os dois olhos estão ali, porém só um pouco “dispersos”, há solução. Em seu artigo sobre o assunto o Dr. Dan Fortenbacher, um optometrista de Michigan, comenta que este tipo de deficiência pode ser curada através de fisioterapias de visão. Entretanto, é importante reforçar que este tipo de terapia só deve ser feita com acompanhamento profissional e depois de uma avaliação extensa do problema que atinge cada um. Com isso, é possível que o indivíduo recupere a capacidade de sincronizar os olhos e assim, assistir a 3D sem nenhum problema. Fortenbacher comenta que é preciso ficar de olho também nas crianças. Caso elas reclamem de visão embaçada, fora de foco ou sem nenhum efeito, vale a pena levá-la para uma consulta e conferir se há algo de errado com a visão, para que um tratamento seja recomendado. Mas e as TVs 3D? O que fazer? Apesar de muito se falar sobre 3D na CES 2010, nada foi comentado sobre as pessoas que possuem deficiência de visão para a tecnologia. É bom frisar que televisores 3D ainda não estão disponíveis para compra e, quando chegar ao mercado, trará preço salgado. Portanto, ainda há um bom tempo para adaptar-se à nova tecnologia. O que é importante frisar, entretanto, é que uma boa televisão em três dimensões deve também ser uma boa televisão “normal”, ou seja, em duas dimensões. A ideia é que uma boa televisão 3D tenha a visão tridimensional como mais um requisito do sistema, assim como som estéreo ou surround. Teoricamente, você deve ser capaz de desligar as opções 3D e ver os conteúdos criados especificamente para a terceira dimensão também em 2D, através da visualização de apenas uma projeção na tela. Você não deve observar tantas mudanças na qualidade da imagem, segundo os especialistas. Agora o que resta é ficar de olho na saúde e consultar um bom médico, caso você tenha problemas para enxergar imagens em 3D. Não deixe também de compartilhar conosco suas ideias e experiências sobre o assunto. E que venha a nova tecnologia tridimensional. http://www.baixaki.com.br/info/3491-o-que-voce-pode-fazer-se-nao-enxerga-em-3d-.htm ******************************************************************************************* Já esse outro texto aqui eu mesmo poderia ter escrito, tamanha a semelhança que possui com o meu caso. 19 de fevereiro de 2010 | N° 16251Alerta ARTIGOS A tecnologia me tornou deficiente, por Thaís Furtado* Até pouco tempo, o fato de eu ter 18 graus de miopia em apenas um dos olhos só era conhecido pelas outras pessoas quando eu, por vontade própria, contava. Enxergar apenas de um olho nunca fez diferença substancial em minha vida. Quando eu era adolescente, jogava basquete com toda a facilidade no colégio. Aprendi a tocar violão, a cantar, a nadar, a dançar. Namorei, tive filhos. Enfim, uma vida normal. Em minha carteira de motorista está escrito “visão monocular”, mas isso nunca me impediu de dirigir. Não posso ser motorista profissional, ou piloto de avião. Mas como escolhi ser jornalista, ver apenas com o olho esquerdo nunca fez diferença para mim. Entrevistei políticos, artistas, médicos, pessoas de todos os tipos. Nunca ninguém me disse: “Puxa, tu não enxergas do olho direito. Como é isso?”. Passei a dar aulas na universidade, fiz mestrado, estou fazendo doutorado e nunca um aluno ou um colega percebeu que eu só enxergava com o olho esquerdo. E ainda tive a sorte de nascer com olhos verdes, portanto, só recebi elogios sobre eles. A única pessoa que às vezes faz metáforas com minha maneira particular de ver o mundo é minha terapeuta: “Não vai fechar um olho para não ver o que está acontecendo, hein?”. Mas isso muita gente que enxerga dos dois olhos faz a toda hora. Quando foi criada a lei que garante aos deficientes uma parcela de vagas nas empresas brasileiras, liguei para o departamento pessoal da universidade onde trabalho para ver se eu não poderia ser enquadrada como deficiente. Não podia. Ver com um olho só não é considerado uma deficiência, pelo menos no Brasil. Portanto, consigo fazer tudo que as outras pessoas fazem. Ou melhor, conseguia. “Tu já viste Avatar em 3D?” Essa pergunta me tornou deficiente. Não vi. Não consigo ver em 3D. É preciso dos dois olhos para ver um filme em 3D. Sempre achei que a evolução tecnológica só poderia ser positiva para a minha saúde. Minha miopia é muito alta para ser operada, também não consigo melhorar minha visão por completo com lente de contato. São 18 graus! Mas, apesar de eu ter uma vida normal, achei que um dia a medicina evoluiria de tal forma que eu, ou pelo menos pessoas como eu encontrariam uma forma de enxergar do olho doente. Foi o contrário. A tecnologia do entretenimento foi mais rápida do que a da saúde. Hoje tem uma coisa que praticamente todos podem fazer e eu não: ver filmes em 3D. E eu adoro cinema! Acho que sempre existirão filmes que não sejam em 3D. Mas como serão os voos dos pássaros de Avatar em terceira dimensão? Como vai ser o mundo de Alice de Tim Burton saindo da tela? Eu nunca saberei. Mas o pior não é isso. É a insistência dos outros, os normais. “Mas tu não consegues ver mesmo? Tem certeza?” É como perguntar para um cego dos dois olhos se ele tem certeza que não enxerga. Quando eu confirmo, vem o constrangimento, a troca de assunto. Agora eu sei como um deficiente se sente. Minha cegueira se tornou visível. * JORNALISTA, PROFESSORA DA UNISINOS
  5. Blu-Ray Players

    Gui, infelizmente é impossível que eu enxergue em 3D, assim como é impossível que várias outras pessoas enxerguem. Meu oftalmologista é um dos melhores do Brasil, e não há nada que a ciência possa fazer a respeito disso. Não, meu problema não é só em um olho, tenho uns 3 graus de miopia no olho esquerdo, mas essa é facilmente solucionada com o uso de óculos que deixam a visão perfeita. O problema é no olho direito onde tenho quase 18 graus de miopia, e essa não tem operação ou lente que resolva. É a chamada visão monocular, informação essa que veio escrita em minha primeira carteira de motorista mas que por alguma razão veio omitida nas renovações. Na verdade não sou totalmente cego do olho direito, mesmo com a alta miopia do olho direito, a pouca visão que tenho nesse olho me ajuda a ter visão periférica e consigo me locomover perfeitamente só com ele, mas ler é impossível, reconhecer detalhes também. Quando eu descobri meu problema, o médico me disse que eu poderia ter uma vida absolutamente normal, e que ninguém saberia que eu enxergo pouco com o olho direito a não ser que eu quisesse, e que eu poderia fazer tudo o que quisesse na minha vida, menos ser motorista profissional ou piloto de aviões. E foi assim até hoje, isso nunca me atrapalhou em absolutamente nada, até agora, com essa febre de filmes em 3D que eu não posso aproveitar. Confesso que estou um pouco frustrado com isso. Além disso tudo, esse é o meu problema específico, o da visão monocular, mas existem outros problemas visuais que podem impedir que uma pessoa enxerge em 3D. Mesmo quem enxerga bem com os dois olhos, com o auxílio de lentes ou não, pode ter uma disfunção binocular que faz com que os olhos não captem as imagens da maneira que elas precisam ser captadas para gerar o efeito 3D. E tem muita gente que tem esse problema e não faz a menor idéia. Por isso acho que o ideal seria uma tecnologia 3D que dispensasse o uso de óculos, mas infelizmente ainda acho que isto está longe da realidade. Até lá, posso apenas imaginar como deve ser ver um filme em 3D.
  6. Blu-Ray Players

    O problema do preço não é o maior vilão ao meu ver. Como toda nova tecnologia sempre é caro no início e depois cai com a popularização. Apesar de que acho uma baita sacanagem lançarem algo totalmente incompatível com o que já existe, para obrigar tudo mundo a comprar tudo de novo em um espaço de tempo tão curto. Mas o mundo capitalista é assim mesmo, e este não é o maior problema da tecnologia 3D. No meu caso tal tecnologia é e sempre será totalmente inacessível por um motivo muito óbvio mas que por mais incrível que pareça ninguém comenta. Nunca li ou ouvi absolutamente nada na imprensa sobre esse assunto. A tecnologia 3D, para ser aproveitada e ser percebida, exige que os espectadores enxerguem muito bem com os dois olhos, já que cada olho recebe um de cada vez uma imagem diferente para formar a ilusão da imagem tridimensional. Quem enxerga mal com um dos olhos (meu caso) jamais conseguirá saber o que é assistir um filme em 3D enquanto insistirem nessas tecnologias que exigem o uso de óculos especiais. Eu descobri que enxergava mal com o olho direito justamente quando ganhei em 1989 o video game Master System junto com os óculos 3D que eram ligados ao aparelho e com um jogo em 3D. Como não funcionou comigo, pois com os óculos via praticamente a mesma imagem toda tremida que via sem os óculos, inicialmente achei que estivessem com defeito, para mas tarde descobrir que tinha alto grau de miopia e astigmatismo no olho direito (exatamente como miha mãe, aliás). Por isso nunca consegui ver nada em 3D que dependa de óculos. A pior experiência foi a de ver no cinema um filme em 3D desses que usam óculos de papel com lente colorida, eu só conseguia ver direito uma cor. Por isso tudo acho essa tecnologia extremamente excludente, não só por causa de casos como o meu, mas também no caso de pessoas que enxergam mal com os dois olhos, mais notadamente os mais velhos que vão perdendo a visão com a idade. A alta definição, com suas imagens mais nítidas, e que popularizou o uso de telas grandes, foi de grande valia para quem não enxergava 100%, mas essa tecnologia 3D na minha opinião vem em sentido contrário. Há pessoas que mesmo usando óculos de grau ou lentes de contato têm dificuldades para ler legendas (e não são poucas, conheço muitoa assim). Imaginem essas mesmas pessoas tendo que usar um (ou mais um por cima) par de óculos para poder perceber o 3D com suas legendas flutuantes. Outro problema dessa tecnologia é que ela também é exclusivista, ou seja, exige que o espectador assista só aquilo que está sendo exibido e que não faça mais nada. Imagine aquela dona de casa que gosta de cozinhar ou costurar enquando assite sua novela. Ou então no meu caso, que assisto jogos de futebol e outros esportes enquanto uso o computador? Deve ser um saco colocar o óculos quando olhar pra TV e tirar pra mexer no computador. Isso sem falar em inúmeras outras coisas inconvenientes relacionadas ao uso de tais óculos 3D que não vou citar aqui para não me alongar mais e para a mensagem não ficar mais off topic do que já é. Pra quem é relativamente jovem, ou early adopter, ou viciado em tecnologia, e que enxergue bem com os dois olhos, tudo isso pode parecer maravilhoso demais, um novo mundo, mas a impressão que eu tenho é que é uma tecnologia lançada antes da hora, imatura, feita para um público específico. Tenho certeza de que com a popularização dessa tecnologia 3D muitas pessoas que não sabem que possuem problemas de visão vão descobrir que têm já que não vão conseguir perceber o efeito, e que outras não vão achar a tecnologia tão útil assim devidos aos inconvenientes que ela acarreta. Eu chuto que pelo menos uns 15% das pessoas que hoje assistem filmes no cinema ou na TV não poderão aproveitar a tecnologia 3D atual. E para não ficar só lamentando sobre minha deficiência, pelo menos tenho o consolo de saber que não vou ter que jogar o equipamento que acabei de comprar no lixo, já que além de uma TV nova e de um player novo também teria que comprar um receiver novo, já que o meu não tem o tal HDMI 1.4 que será necessário para a exibição de imagens 3D. Enquanto isso, mantenho esperanças de estar vivo no dia em que inventarem e popularizarem uma tecnologia 3D que não precise de óculos nem de qualquer outro acessório, apenas do olho nu...
  7. Blu-Ray Players

    Não, não roda só 3D, mas este é seu principal diferencial, o que não me anima nem um pouco pois jamais poderei aproveitar tal tecnologia mesmo.
  8. Tvs LCD/Plasma/LED

    Quanta bobagem. Plasmas consumem em média o mesmo que uma LCD. O consumo das LCDs é constante, não importa o que estiverem exibindo, devido ao backlight sempre ligado. Já nas Plasmas o consumo é variável, varia de acordo com o exibido, quanto mais branca a imagem, consumo mais alto, quanto mais preta, consumo muito baixo. Na média final, acaba consumindo o mesmo que uma LCD. Isso sem falar nos painéis de Plasma de 2009, que reduziram o consumo em torno de 30%. Quanto a brilho, isso geralmente é coisa de quem gosta dessas imagens lisinhas e artificiais de lojas. Na minha Plasma não deixo o brilho nem em 50 e é mais que o suficiente.
×