Jump to content
Forum Cinema em Cena

SergioBenatti

Members
  • Content count

    1,439
  • Joined

  • Last visited


Reputation Activity

  1. Like
    SergioBenatti reacted to Gust84 in Qual Livro Você Está Lendo?   
    Estou na metade do segundo volume escrito por Marti Perarnau, sobre o PEP GUARDIOLA:
     
    O primeiro livro já era impressionante, e este é só para suprir o gosto de quero mais que aquele deixa. É absurda a importância que esse cara tem para o futebol, e a maneira que ele o encara é espetacular. Ouso dizer que uma pessoa que sequer ouviu falar do esporte, que detesta futebol, se ler estes livros ficará no mínimo intrigado ou curioso.
    Guardiola troca figurinhas com atletas olímpicos, psicólogos, escritores, chefs de cozinha, do mundo todo, sempre em prol de seu crescimento como profissional.
    De um jantar com Woody Allen, com conversas com Ferran Adria, ao JOGO, e que jogo. Amo futebol pra mim estes livros se tornaram livros de cabeceira, tenho vontade de ler eternamente sobre a mente desse maluco.
  2. Like
    SergioBenatti got a reaction from Questão in O Que Você Anda Vendo e Comentando?   
    Gosto muito. Valeu uma indicação ao Oscar de Atriz à grande Stockard Chaning, eternamente lembrada por "Grease".
  3. Like
    SergioBenatti reacted to Gust84 in Qual Livro Você Está Lendo?   
    Eu terminei a algumas semana a  " Onda que se ergueu no mar" do Ruy Castro:

    Obra que segue a mesma deliciosa narrativa do "chega de saudade - a história e as historias da bossa nova". Eu gosto muito da forma como o Ruy Castro nesse livro descreve músicas, e traduz o que a Bossa Nova fez. Muito acertada a crítica que faz do Brasil em insistir em colocar a Bossa nova no passado, nos "tempos dela", e não a considerar como um gênero como todos os outros.
    Faz uma análise interessante do coitadismo e da cabeça dura nossa em não reconhecer Tom Jobim e João Gilberto como grandes ícones da música mundial. Enfim, leitura deliciosa, cheia de cultura inútil pra gente poder falar em roda de cerveja e amigos. Desde os tempos de Briggite Bardot em búzios, até os hábitos nada comuns de João Gilberto.
    Leitura fácil, deliciosa e quase torturante, por que a cada página você quer pesquisar mais sobre estes artistas, sobre essas influências, e até sobre a influência das influências.
  4. Like
    SergioBenatti reacted to Dinhow in Oscar 2018: Previsões   
    Alguns filmes que estão em cartaz nos cinemas do Brasil:
    "A Forma da Água"
    "Artista do Desastre"
    "Com Amor, Van Gogh"
    "Lou"
    "Me Chame Pelo Seu Nome"
    "Os Iniciados"
    "Pela Janela"
    "Sem Fôlego"
    "The Post - A Guerra Secreta"
    "The Square - A Arte da Discórdia"
    "Visages, Villages"
    "Corpo e Alma"
    "Uma Mulher Fantástica"
    "O Insulto"
    Que época LINDA pra ser amante da SÉTIMA ARTE !! Aproveitem bem pq já já os "50 tons de mierda" vão dominar as salas de cinema!!!
  5. Like
    SergioBenatti got a reaction from Big One in Oscar 2018: Previsões   
    É o comentário anual mais difícil de fazer. Então vou beber no que escrevi ano passado:
    "Tomo muito cuidado antes de tecer qualquer comentário sobre a série "Star Wars", pois eu nunca fui fã, e todos os meus melhores amigos são loucos pelos filmes. É uma posição delicada. Acabei de ver o deste ano. "Rogue One" me divertiu, me entreteve, mas não mais do que isso. E com certeza menos, bem menos que "The Force Awakens". Tem todos os defeitos essenciais de sempre, e tem as qualidades de sempre. Se decompormos a estrutura do filme, a unidade básica bruta é sempre a mesma: os heróis começam em desvantagem, separam-se, unem-se, e, no máximo, há um empate, um empate redentor e também dolorido. Um triunfo confinado, que abrirá caminho para outra história. Em uma palavra, é uma fórmula comercial de cinema! Fórmula legítima, mas que não se coaduna com o que eu espero de um trabalho de arte."
    Foi o que escrevi ano passado sobre o filhote "Rogue One", e o que poderia escrever sobre "Star Wars: The Last Jedi". A única coisa que eu mudaria a respeito desse episódio VIII é a enorme coragem do roteirista e diretor Rian Johnson de ir contra o consagrado! Depois de 1 hora e pouco querendo enfiar um sabre de luz nos olhos, só testemunhando o que eu não gosto,  consegui entrar na história do filme, e perceber as nuances de personalidade criadas sobretudo para os personagens principais. "Deixar o velho ruir", como diz o Kylo Ren,  só fortaleceu o filme. Parabéns! Essa coragem garantirá pelo menos mais uns 5 filmes pela frente. Serei obrigado a ver todos. Ai de mim...Ai de mim ter que aguentar essas criaturinhas fofinhas, engraçadinhas, diretamente ligadas ao setor de produtos do Marketing...Ai de mim ter que aguentar esse monte de piadas infanto-juvenis...Ai de mim, esses olhares panorâmicos de coragem, as criancinhas injustiçadas da galáxia...Mas, repetindo, a coragem do novo roteiro de queimar seus ídolos, e assim reviver o cânone, deu vida nova à saga. "Temos tudo o necessário", disse, por último, a eterna  princesa.
    Tomara que melhorem a questão do ritmo. "The Force Awakens", o que eu mais gosto, tinha uma agilidade e um dinamismo que senti falta aqui.
    As indicações a Som e Efeitos visuais são justificadas, ajudadas também por um ano não tão forte nas categorias. A indicação a Trilha, a meu ver, é apenas protocolar , a 51ª do John Williams, só por que não poderiam indicá-lo pelo "nada auditivo" que é a trilha de "The Post".
    O Oscar de Edição de Som é possível. Já que Matthew Wood e Ren Klyce têm 4 e 7 indicações, respectivamente, e dividem um sentimento de injustiça, pois nunca venceram.
  6. Like
    SergioBenatti reacted to lmborba in Oscar 2018: Previsões   
    Voto com o relator. Apesar de The Mistery of Love não ser o único momento musical intenso e perfeito de Call Me By Your Name, é o mais importante. Linda música. Belo trabalho de Sufjan Stevens em pelo menos três músicas excelentes no filme. 
    Eu vi o filme hoje e ainda estou digerindo, mas fazia tempo que não saía com esse gostinho maravilhoso de ficar encucado com um filme. Tentando decifrar as maravilhas dele. Os reflexos do fascismo, os símbolos artísticos, e o papel do desejo, do corpo e das memórias disso tudo. 
  7. Like
    SergioBenatti got a reaction from Nightcrawler in Oscar 2018: Previsões   
    Martin McDonagh foi o excluído da vez da lista do DGA. Considerou a Academia que "Three Billboards Outside Ebbing, Missouri" é um filme de roteiro. Isso realmente é muito ruim para as pretensões do filme. "The Shape of Water" se tornou bem forte agora. 
    Surpreso a mais não poder com o Paul Thomas Anderson em Direção. Roteiro, pelo qual ele costuma entrar, era até factível. Mas Direção foi um arraso. Quebou o bolão de todo mundo.
    Parabéns, como em todo ano, ao Nathaniel Rogers que previu Lesley Manville roubando a vaga da Holly Hunter.
    "Logan", pra mim, um filme extraordinário, entrou em Roteiro Adaptado. Primeiro filme de super-herói a conseguir tal feito. Mas devo dizer que preferia "Blade Runner 2049" aqui.
    "Jane", vencedor do DGA, fora dos Documentários é chocante!
    Filme Estrangeiro: o vencedor do Globo de Ourto, mais uma vez, fora.
    "Call me By Your Name" sub-representado. Culpa, ao final das contas, do merda do Kevin Spacey.
    Felizão pela Mary J. Blige, pela Agnès Varda, e pelas indicações merecidísimas ao ótimo "Baby Driver".
    Diane Warren, nona indicação em Canção. Eu, burro, a coloquei pelo filme errado.
  8. Like
    SergioBenatti got a reaction from Nightcrawler in Oscar 2018: Previsões   
    GENTE, GARY OLDMAN....
     
     
     
  9. Haha
    SergioBenatti got a reaction from Nightcrawler in Oscar 2018: Previsões   
    ACE Awards 2018:
    Best Edited Feature Film/Dramatic: “Dunkirk” Lee Smith, ACE
    Best Edited Feature Comedy I, Tonya Tatiana S. Riegel, ACE
    Animated Feature – Coco, Steve Bloom, ACE
    Best Edited Documentary, Feature. Joe Beshenkovsky, ACE, Will Znidaric, Brett Morgen for “Jane.”
  10. Like
    SergioBenatti got a reaction from Dinhow in Oscar 2018: Previsões   
    Livro: Me chame Pelo seu Nome; André Aciman; Intrínseca; 288 páginas; +-R$39,90.
    (Contém Spoilers do livro)
    Como acontece frequentemente nessa época do ano, um livro que serve de base a um filme indicado ao Oscar entra na lista dos mais vendidos. Está difícil encontrá-lo nas livrarias, e a notícia que eu tenho é que a editora já prepara uma nova edição para março. Estive tão obcecado com o filme neste último mês, que, se bobear, há comentários meus em todas os vídeos do Youtube, seja em inglês, seja em francês, seja em português. Sentei o dedo no like e no deslike, com força.
    Mas só terminei de ler hoje. Gente...que trabalho do James Ivory! Se tivesse de resumi-lo em uma palavra seria: condensação. "Ora, Sergio, toda adaptação é isso". Com efeito, mas eu acrescentaria, toda boa adaptação condensa, a maioria das adaptações apenas restringe. Condensar é outra coisa,  tem a ver com o ar. É pegar o clima, a atmosfera, o perfume constitutivo de algo. Em "Me chame pelo Seu nome", filme, o local, a casa, a Itália; e o quando, a estação, a época, são fundamentais. Está-se no verão, a temperatura da luz é 30 graus,  a casa é antiga, repleta de livros, cheira a frutas cítricas, e há ainda todo o resto...
    No livro, o cenário é outro, a casa debruça-se sobre o mar. Isso influi um pouco nas demonstrações de carinho. Elio vai gostar de correr na praia com Oliver, colocando seu pé sobre a pegada do outro. Oliver passará os finais de tarde sentado em uma pedra próxima da arrebentação. O penhasco, é dito, onde Monet pintou alguns de seus quadros, servirá de ligação intelectual entre eles.
    Os diálogos entre os dois personagens do livro são bastante vagos. É dizer: não se nomeia o que se sente. Não tem nome de amor. Não tem nome de paixão. Isso o filme conservou maravilhosamente, no qual a cena ao redor do monumento é o melhor exemplo. Já vi gente que achou aquele diálogo confuso. No livro, igualmente, não há confrontação direta. E são quase exatamente as mesmas frases. O que quero ressaltar é que não há questionamentos sobre: "Sou bissexual?", "Sou homossexual?", "Sou cis?", "Sou não binário"? Não há meditações desse tipo. Ninguém se vitimiza! Ninguém é coitado profissional. Ninguém vota no PT! Conta-se uma história do desejo e pronto. Da mesma maneira, a questão etária é tão desimportante no livro, quanto no filme. Prova de que a questão realmente está na cabeça oca das pessoas.
     Informa o livro que Elio já teve alguma experiência no passado, 3 anos antes, com um garçon de Roma. De Oliver, continuamos sabendo pouco sobre seu passado sexual.  Porque ele tem a função de ser misterioso, né (Às vezes é justamente por isso que a atuação do Hammer não foi tão celebrada.)? O que se acrescenta é que ele foi estudante de Harvard, além de barman. No mais, ele é professor de Filosofia. Não História, ou Artes. E estará lançando um livro em breve.
    A escrita do André Aciman ( já disse: só conhecia antes pela peça Variações Enigmáticas, com o Paulo Autran) é muito bonita,  muita erudita, com muitas referências a "alta cultura" digamos assim: Dante, Mozart, Ferruccio Busoni, etc, e  vai ser muito dahora ver, depois do sucesso do livro, tantos adolescentes gays procurarem  "Variações Goldberg" de Bach, após ouvirem Pablo Vittar pela milésima vez. Voltando: a escrita do Aciman é bastante chique, elegante, e sedutora, combinando a mais não poder com o histórico de trabalho do James Ivory.
    A passagem relativa ao pêssego no livro... Quase idêntica ao filme. Mas a deliciosa piada do Oliver no filme sobre os reinos animal, vegetal e mineral... No livro é um pouco diferente. Ficou melhor, mais redondo, no filme. Agora se as pessoas acharem que esta é a parte mais controversa da história...Preparem-se para a página 200 do livro! Eu jamais, seja em literatura, seja em artes plásticas, seja em filme, li/vi algo tão...sedutor/nojeto...como aquilo que está no livro. É muito impactante! Nem o Guadagnino, nem o Ivory, nem o Chalamet, nem o Hammer, poderiam retratar aquela passagem. O filme não seria exibido em lugar nenhum do planeta! Como a Literatura é a arte principal da Humanidade, e pode TUDO!, ainda bem, o Aciman conseguiu criar uma passagem muito lírica, o máximo de intimidade que eu já vi. E olhem que eu já vi muita coisa por aí desde "O Sabor da Melancia" do Tsai Ming-Liang a "Visitor Q" do Takashi Miike.
    O diálogo do pai de Elio é exatamente o mesmo. Mas as ocasiões são um pouco diferentes. No livro, Elio volta sozinho de trem, Anchise o espera na estação. No filme, ele precisa pedir que a mãe o busque, numa fraqueza de ainda inocência. Depois ele cai no sono, cai no choro, cai na saudade, e só depois há a conversa. 
    Há muitas coisinhas diferentes: no livro, joga-se tênis, e não vôley. Há uma criança da vizinhança em tratamento de câncer que torna-se grande amiga de Oliver. A questão do pôquer fica mais bem entendida: é como Oliver ganha dinheiro (no filme, isso é estranhamente enquadrado). Marzia no livro tem até uma função ligeiramente menor. No livro, os dois viajarão a Roma e ficarão 3 dias por lá, conhecendo a cidade de bar em bar; gozando da companhia de intelectuais da editora de Oliver, vomitando pelas vielas e se beijando depois ("Quem nunca?" Eu nunca!  Risos)...Mas, no fundo no fundo, ou melhor, lá em cima, no ar, na atmosfera, no perfume, a adaptação é bastante fiel. 
    Até que se chega ao final do livro. Onde o filme para, no livro há ainda um avanço de cerca de um capítulo, e um avanço temporal importante. Chegam-se a mais 20 anos de história. Eu não vou contar o que acontece. Deixo vocês lerem.
    Vale a pena ler o livro? Sim. É curto, é muito bem escrito, é, contrastando-se com o filme, uma aula de roteiro. Um roteiro que tem tudo para levar a estatueta para casa.
    O que "causa" o Roteiro? Um roteiro original  é causado por um desejo, por uma inquietação, por uma necessidade de quem o escreve.
    O que "causa" o Roteiro? Um roteiro adaptado frequentamente é causado por um livro. Um livro que você quer "ver" fora da cabeça. Uma imagem que saia (por favor!) de apenas dentro de você e ganhe o mundo. Agora o mundo tem Elio e Oliver vivendo fora das páginas, num ampliado imaginário popular.
    Como eu li o livro depois, agora eu os tenho à mão, sempre que quiser tocá-los, "dentro de um livro/ dentro da noite veloz".
     
  11. Like
    SergioBenatti reacted to lmborba in Oscar 2018: Previsões   
     
  12. Like
    SergioBenatti got a reaction from Big One in Oscar 2018: Previsões   
    Estava gostando até bastante da primeira parte de "Darkest Hour", mas a segunda hora tem tantos romanceamentos, tantas gratuidades, que o filme desmoronou para mim.
    Faltou indicarem a trilha do Dario Marianellli, heim?
    Que maquiagem! Incrível!
    Gary Oldman, monstrão!
  13. Like
    SergioBenatti got a reaction from lmborba in Oscar 2018: Previsões   
    Casey Affleck não apresentará o prêmio de Melhor Atriz.
     
  14. Like
    SergioBenatti reacted to Big One in Oscar 2018: Previsões   
    Verdade Jail. Apesar de tudo ela se saiu bem. 
    Perguntei para a Ana Maria Bahiana se The Phantom Threat era bom. Olha o que ela respondeu. 
     
     

  15. Haha
    SergioBenatti got a reaction from lmborba in Oscar 2018: Previsões   
    A categoria de Animação sofreu uma grande reformulação. Agora todos a Academia escolhe os 5 indicados, não é mais apenas os animadores. Isso fortalece os grandes estúdios, os grandes lançamentos, e enfraquece as produções estrangeiras e de nicho. Uma pena. Pra vocês verem como democracia às vezes é ruim hehehehe
  16. Like
    SergioBenatti reacted to lmborba in Oscar 2018: Previsões   
    Eu gostaria de ter visto Blade Runner aqui, mas ver filme do PTA indicado dá uma acerta alegria pra qualquer cinéfilo. É aquele caso típico de filme que foi lançado tarde, não apareceu nas Guilds e portanto foi difícil prever seu impacto. Por isso ficou sumido e agora parece inesperado. Achava que I, Tonya tinha mais força que The Post, por exemplo. Subestimei a popularidade do time do filme. Falha de amador.
    PTA de novo. Categoria bem diversa, o que é bom, principalmente por não precisar ser algo imposto. Trabalhos realmente bons. Jordan Peele foi uma surpresa muito agradável.
    Logan!!! Parece óbvio que a categoria tava despovoada e dava lugar para algumas surpresas. Mas no fim, nem foi tão surpreendente, os indicados foram exatamente os mesmos do WGA. Só não gostei muito de The Disaster Artist.
    Não tinha muito como fugir desses indicados, aqui. 
    Denzel em filme que não foi indicado a mais nada. Vai virar a Meryl Streep do masculino. Kalluya entrando!!! Nada de surpreendente. 
    Dois indicados do mesmo filme. Three Billboards é filme de elenco. E os branches relacionados (actors e casting directors) é sempre o mais importante na votação, com 1331 votantes. Isso ainda pode significar algo no final que valorize o filme frente ao The Shape of Water.
    Meryl Streep de novo... 
    Mary J. Blige aplaudidíssima na indicação. E de resto o esperado.
    Tanto eu como você, Sérgio, evitamos colocar The Boss Baby como indicado. INFELIZMENTE, estávamos os dois errados. :'(
    Carlos Saldanha indicado mais uma vez. O que nos interessa pelo bairrismo nosso de cada dia. De resto, o esperado. E Coco ganha como esperado.
    Enfim, uma cinematógrafa indicada. Excelente. Era feio isso nunca ter acontecido.
    The shape of the water?
    Last Men in Aleppo !!! Que coisa linda. 
    Abacus é simples mas muito interessante. Vale ver.
    Apostava em algum filme sobre o racismo,  mas esperava em LA92 e não em Strong Island. Strong Island um filme muito pessoal, que não teve tanto apelo para mim. 
    Heroin(e) !!! Ótimo e fácil de ver.
    Baby Driver, que ótimo. Bom ver o filme representado. Um dos filmes que mais gostei de ver esse ano. Não esperava I,Tonya indicado, confesso.
    Filme estrangeiro é sempre uma surpresa maluca. Dificílimo de prever. Fantastic woman sai fortalecido sem Foxtrot e sem In the Fade. E The Square parece apelar muito ao público, o que pode ser bom em uma campanha pós-indicação.
    Aqui o hairstyling mostrando força na comparação com makeup e forjando a indicação de Victoria & Abdul.
    John Williams sempre. Só achei que entrava por The Post.
    The Greatest Showman ganhando força com o vídeo da música. Achei que Detroit entraria aqui. Gosto das músicas daquele filme.
    Ok... Nada muito fora.
    Um filme adaptado de um texto do Players Tribune, a melhor coisa que surgiu na mídia esportiva, indicado. Pra quem gosta de esporte, é maravilhoso. E meu filme preferido dessa lista. 
    Não vi nada aqui. Só podia chutar mesmo.
    Mesmos indicados. Baby Driver é meu preferido nessas categorias.
    Essa é sempre a categoria mais fácil de ver todos os filmes. Normalmente quase tudo saiu no verão.
    Okja fora foi o que mais me surpreendeu, e em efeitos, como em todos os filmes recentes da série, torço por Planet of the Apes.
  17. Like
    SergioBenatti got a reaction from lmborba in Oscar 2018: Previsões   
    Tiffany Haddish, que pé no saco! Errou os nomes, não enxergou, arrumava o vestido a toda hora. Um pouco de classe, minha filha. Péssima! 
  18. Like
    SergioBenatti got a reaction from lmborba in Oscar 2018: Previsões   
    Tiffany Haddish, que pé no saco! Errou os nomes, não enxergou, arrumava o vestido a toda hora. Um pouco de classe, minha filha. Péssima! 
  19. Like
    SergioBenatti got a reaction from lmborba in Oscar 2018: Previsões   
    MELHOR DIA DO ANO!!!!!
  20. Like
    SergioBenatti reacted to lmborba in Oscar 2018: Previsões   
    Opa... chegou o dia. Hora daquele chute errado.
    Melhor Filme
    Three Billboards outside Ebbing, Missouri
    The Shape of Water
    Dunkirk
    Call Me By Your Name
    Get Out
    Lady Bird
    Darkest Hour
    I, Tonya
    Blade Runner 2049 (Here comes the BOOM)

    Melhor Diretor
    The Shape of Water
    Three Billboards outside Ebbing, Missouri
    Lady Bird
    Call Me By Your Name
    Dunkirk

    Melhor Ator
    Darkest Hour
    Phantom Thread
    Call Me By Your Name
    Roman J. Israel, Esq.
    Get Out

    Melhor Atriz
    Three Billboards outside Ebbing, Missouri
    I, Tonya
    Lady Bird
    The Shape of Water
    Molly’s Game

    Melhor Ator Coadjuvante
    Three Billboards outside Ebbing, Missouri
    The Florida Project
    The Shape of Water
    All the Money in the World
    Call Me By Your Name

    Melhor Atriz Coadjuvante
    I, Tonya
    Lady Bird
    Mudbound
    Downsizing
    Phantom Thread

    Melhor Roteiro Original
    Three Billboards outside Ebbing, Missouri
    Get Out
    Lady Bird
    The Big Sick
    The Shape of Water

    Melhor Roteiro Adaptado
    Call Me By Your Name
    Mudbound
    Molly’s Game
    Film Stars Don’t Die in Liverpool
    Logan (Here comes the second boom)

    Melhor Animação
    Coco
    The Breadwinner
    Loving Vincent
    Ferdinand
    The Girl Without Hands

    Melhor Desenho de Produção
    The Shape of Water
    Blade Runner 2049
    Beauty and the Beast
    Darkest Hour
    Phantom Thread

    Melhor Cinematografia
    Blade Runner 2049
    The Shape of Water
    Mudbound
    Darkest Hour
    Three Billboards outside Ebbing, Missouri

    Melhor Figurino
    Phantom Thread
    Beauty and the Beast
    Murder on the Orient Express
    The Post
    Victoria and Abdul

    Melhor Montagem
    Three Billboards outside Ebbing, Missouri
    The Shape of Water
    Dunkirk
    Get Out
    Baby Driver

    Melhor Maquiagem
    I, Tonya
    Darkest Hour
    Wonder

    Melhor Mixagem de Som
    Blade Runner 2049
    Baby Driver
    Dunkirk
    The Shape of Water
    Star Wars: The Last Jedi

    Melhor Som
    Blade Runner 2049
    Baby Driver
    The Shape of Water
    Dunkirk
    Detroit

    Melhores Efeitos Visuais
    Blade Runner 2049
    War for the Planet of the Apes
    Star Wars: The Last Jedi
    The Shape of Water
    Okja

    Melhor Trilha Sonora
    The Shape of Water
    Dunkirk
    Phantom Thread
    The Post
    Darkest Hour

    Melhor Música Original
    Coco
    Marshall
    Detroit
    Mudbound
    The Greatest Showman on Earth

    Melhor Filme Estrangeiro
    Foxtrot
    A Fantastic Woman
    The Square
    Loveless
    In the Fade

    Melhor Documentário
    Jane
    Faces Places
    Long Strange Trip
    Last Men in Aleppo
    LA 92

    Melhor Curta de Animação
    Lou
    Dear Basketball
    In a Heartbeat
    Garden Party
    Cradle

    Melhor Curta Documentário
    Heroin(e)
    Edith+Eddie
    Alone
    116 Cameras
    Ten Meter Tower

    Melhor Curta Live Action
    DeKalb Elementary
    Facing Mecca
    Lost Face
    Witnesses
    Rise of a Star
  21. Like
    SergioBenatti got a reaction from Big One in Blade Runner 2049   
    Big One, terminei a leitura. Cara, me surpreendeu. Achei extraordinário! Muito melhor do que pensava!
    Passei a admirar mais o Ridley Scott por que ele ele pegou um fiapo da história mas manteve a essência e o clima do livro. Parabéns também ao Villeneuve por inserir tão bem os cavalos de madeira em seu filme.
    Philip k. Dick morrer pouco antes da estreia parece ficção científica.
  22. Like
    SergioBenatti got a reaction from Big One in Oscar 2018: Previsões   
    Quando a Twentieth Century Fox anunciou que "The Greatest Showman" não tinha pretensões ao Oscar, todo mundo recolheu as fichas. Mas eu não pensei que fosse um filme tão terrível assim. O Musical é o gênero mais odiado pela maioria das pessoas, e a cada "La La Land" que consegue furar esse bloqueio subjetivo, chegam 10 drogas como essa para reforçá-lo.
    Conservo apenas a indicação a Canção: "This is me".
  23. Like
    SergioBenatti reacted to Big One in Blade Runner 2049   
    Encontrei. Eh a mesma versão que eu li.  Eh o prosfácio do tradutor Ronaldo Bressane onde ela faz parecemos com o livro e o filme.  Muito bom. Segue o link  a quem possa interessar  
     
    https://ronaldobressane.com/2017/10/05/falso-e-verdadeiro/
  24. Like
    SergioBenatti got a reaction from Big One in Blade Runner 2049   
    Estou lendo a edição mais recente da Editora Aleph. Tem posfácio da lavra do tradutor, entrevista com o Philip K. Dick, e outras notas sobre o filme.
  25. Like
    SergioBenatti got a reaction from Big One in Detroit (Kathryn Bigelow, 2017)   
    Eu vi.
    Muito bem realizado, muito bem atuado, muito pesado. Uma mistura de estilos de filmar que desagrada: de animação a estilo documental a filmagem convencional.
×