UA-130521384-1 Jump to content
Forum Cinema em Cena

Newman

Members
  • Content count

    208
  • Joined

  • Last visited

  1. Newman

    Fringe

    Excelente retorno da série, com um tour-de-force de John Noble e algumas respostas para nós. Achei genial a explicação para o braço artificial de Nina Sharp - mostrando que os autores já tinham a história inteira em mente desde o começo da série. O episódio deixa portas abertas para vários desdobramentos possíveis, entre eles a reação do Walter paralelo com o sumiço do filho. Espero que mantenham o nível, que andou irregular ultimamente.
  2. Newman

    The Big Bang Theory

    Eu gosto das cenas com o Sheldon x Penny. Também gosto de alguns personagens periféricos, como as mães: do Howard, do Sheldon e do Leonard (a mais hilária). Também achei hilário o professor de entolomogia. Mas, num todo, a série é muito boa. Não é à toa que é líder de audiência lá fora.
  3. Newman

    Fringe

    Eu concordo que as coisas amainaram um pouco, mas acho que isso é comum em segundas temporadas, quando se procura explorar mais o lado pessoal de cada personagem. O fio principal é retomado esporadicamente, com alguns picos de ação para manter o interesse, e os redatores tratam de ir descascando a cebola até os episódios finais da temporada, cheios de adrena. O personagem Walter, além de ser o grande elo de ligação da trama principal, também é o ponto convergente das atenções graças em grande parte ao talento de Noble. Mas eu penso que o personagem de Joshua Jackson, Peter, também está crescendo, sendo mais participativo e por vezes decisivo. Não são raras as vezes em que termina um episódio cheio de feridas e hematomas. Até a simpática Astrid tem aparecido mais, assim como Browles. Isso compensa em parte a ausência de Charlie e uma certa redução na participação de Olivia. Entendo agora que Charlie deveria sair para Peter poder aparecer mais e crescer na série. O crescimento do personagem parece ter sido decidido no final da primeira temporada, quando ficamos conhecendo a origem de Peter e que sua história teria peso fundamental na temporada atual. Enquanto a guerra interdimensional não chega, se é que virá, as tramas semanais garantem a diversão e a pipoca. Lembra ou não lembra X-files?
  4. Newman

    Fringe

  5. Newman

    Fringe

    Também não achei grande coisa. A trama foi um X-File típico (nada contra, mas também nada de novo). Ao que parece, a aparição relâmpago de Nimoy foi um mimo para fechar a 1a temporada e precisará correr muita água debaixo da ponte para que apareça de novo. Os roteiristas novamente contam a história principal em doses homeopáticas. Ela é apenas o fio condutor, não a trama central dos episódios. Liv vive um momento "Hero" e desperta a curiosidade, mas não é o bastante para sustentar uma temporada inteira. Vejamos o que acontece.
  6. Newman

    Fringe

    Bem, talvez nossa discussão seja meramente acadêmica, pois o Peter aparentemente já resolveu o problema... Sem a divisão Fringe, Broyles fica sem função e Walter provavelmente perde seu laboratório na Universidade. Seriam perdas pesadas... Liv continua como agente, mas, sem o suporte de Broyles, seu tiro fica mais curto. A alternativa que encontro para um hipotético fechamento da divisão é a exploração da nova condição de Olivia (de viajante dimensional involuntária) para que as coisas comecem a acontecer com e ao redor dela. Mesmo assim, continuo achando que isso seria apenas temporário. O governo sempre tem um papel importante - contra - a cumprir. Fringe seria reaberto para manter os personagens amarrados e sob vigilância. Não soa familiar?
  7. Newman

    Fringe

    *** SPOILER ALERT *** Concordo com as observações dos colegas. Os roteiristas estão experimentando novidades com os personagens e dando continuidade à história introduzindo a possível interação interdimensional. Fiquei desapontado por não termos presenciado um diálogo Olivia-Bel, mas, pensando bem, não era mesmo de esperar que fossem entregar a cocada logo de cara. A nova personagem provavelmente substituirá o Charlie. Achei meio sem sal, mas eu também achava a Olivia sem sal no primeiro episódio, portanto... Quanto à extinção da divisão Fringe, é uma receita antiga utilizada por Chris Carter no início da segunda temporada de X-Files, quando também haviam decidido separar Fox e Scully e fechar a divisão. Inócuo em termos de roteiro, mas eficaz para espicaçar os ânimos e testar a receptividade do público. Com o recrudescimento das invasões interdimensionais a divisão será reativada, tal como ocorreu em X-Files. *** Fim do Spolier *** Um começo de temporada pendendo mais para o morno (se levarmos em conta o último epi da temporada anterior), mas com vertentes interessantes a serem desdobradas. A expectativa permanece.
  8. Newman

    Fringe

    Hoje assisti o último episódia e vim aqui fazer um mea culpa. Tal como deixei registrado lá trás, havia me decepcionado com o piloto. Continuei assistindo com relutância e ceticismo, mas aos poucos a série foi me conquistando. Havia um fio condutor que o Abrams veio puxando aos poucos, de modo elegante, criando expectativas, fazendo as peças se encaixarem no tempo certo. Os últimos episódios trouxeram respostas (embora algumas tenham ficado para serem respondidas na próxima temporada) e prenderam a atenção até o fim. Excelente mesmo. *** SPOILER ALERT *** Quanto ao moto da série, não chega a ser de fato novidade. É um tema explorado até por seriados mais juvenis, mas a narrativa bem feita encarregou-se de atenuar a sensação de déja vu (para quem já assistiu o último episódio, desculpe o trocadilho). Até mesmo o Sheldon (Big Bang Theory) discute a teorias das cordas com Leslie Winkle - enfim, é um tema da moda, garantindo o interesse. Não que se possa afirmar que os argumentos propostos pelos personagens (especialmente pelo Walter) pareçam convincentes por estarem revestidos de alguma base científica - longe disso - mas para quem gosta de um bom sci-fi (como eu), eles são um prazer. Há furos abissais aqui e ali - a tal "rolha dimensional" do Walter mais parece ter saído de Hogwartz - mas, quem liga? Há tempos eu não assistia algo tão divertido na telinha. *** FIM DO SPOILER *** Eu critiquei a atriz principal (Anna Tory) no post anterior. Só havia assistido o piloto e não gostei da moça (divido a culpa com o marketing da série, que até hoje insiste em taxá-la de "sucessora de Arquivos X" - o que nos leva invariavelmente a Mulder e Scully). Hoje eu não consigo imaginar outra atriz para o papel. E adoro Olivia Dunham. O Joshua Jackson para mim continua muito insosso - se bem que o seu papel de escada para o Walter Bishop (John Noble, excelente) não o ajuda muito. Ele é o contraponto necessário, o cético que faz o papel de chato. Tudo bem. O restante do elenco cumpre bem a proposta da série. Enfim, fiquei satisfeito por ter perseverado - graças à opinião de vocês também - e pretendo comprar o box da primeira temporada. Para quem não viu ainda, e gosta de Sci-Fi, imperdível.
  9. Newman

    CSI

    Bem, já com algumas semanas com o elenco renovado, estou gostando. Sinto falta do Grissom e do Warrick, mas o programa ainda é perfeitamente assistível (principalmente quando Lauren Lee Smith está processando alguma coisa... ) Cathy, para mim, sumiu como nova supervisora. Talvez tenha sido uma opção da atriz, não sei. Fishburne angaria simpatia com sua inexperiência no metier, o que acho interessante. A série não perdeu o pique, continua boa, mas imagine uma Enterprise sem o Spock...
  10. Newman

    Terminator: The Sarah Connor Chronicles

    Pode-se dizer de tudo sobre o final da temporada (e provavelmente da série), menos que tudo o que aconteceu foi previsível. Fiquei atônito. Cozinharam o galo semanas a fio e no fim o enfiaram pela nossa goela com osso e tudo. Fiquei com duas impressões: a primeira foi que os produtores seguraram a verba o ano todo e só resolveram soltar no último episódio, para criar um final "aceitável" com a ação que se espera do tema - com direito à Cameron num revival à La Schwar-T101-zenegger - para dar a um livro insosso uma capa e uma contra capa (primeiro e último episódios) vendável. A segunda impressão foi que os redatores se vingaram do tiroteio que sofreram o ano todo. Não só enfiaram o pé no acelerador e atenderam os pedidos dos fãs - incluindo uma cena "quente" "top on top" John&Cameron - como também criaram trocentas dúvidas "a serem esclarecidas na terceira temporada". Como a possibilidade disso acontecer é praticamente zero, obviamente eles rirão por último. Ficamos todos com cara de tacho com um monte de perguntas que não foram respondidas, incluindo as que surgiram nesse único episódio, e que não foram poucas. O rescaldo desse tsunami cibernético concentrado é duvidoso. Responderam algumas coisas, de modo até surpreendente, mas atropelaram outras e deixaram dúvidas em excesso no ar. Os fóruns estão fervendo de comentários (muitos deles raivosos) sobre todas essas lebres que os redatores levantaram. Eles devem estar rolando de rir. Seria divertido aproveitar o tópico para debater algumas dessas dúvidas (até para preparar os ânimos para o T4). Praticamente cada cena do Ep. 22 contém algo que "responde" ou que levanta dúvidas. Mas é melhor a turma (ou melhor, os que ainda acompanham) assistir primeiro. Para mim, esse episódio final deixa evidente a total integração com os dois primeiros filmes da franquia e a total separação com o T3. Basta ver onde John terminou na série e onde ele começa no T3. Também ficou mais ou menos claro que, do jeito que a temporada terminou, dificilmente a Fox bancará a próxima. O custo de produção seria bem mais alto (cenários!) e historicamente a emissora não dá a mínima para cliffhangers. De qualquer modo, já começou a campanha pró-terceira temporada, com abaixos-assinados e tudo. Newman2009-04-13 00:40:21
  11. Newman

    Fringe

    Bem, eu assisti o piloto na Warner. Já estava meio com o pé atrás pelo que li no jornal - que a série visaria as "viúvas" de X-Files. Ahn... com todo o respeito a quem de direito, não tem nada a ver. E não é nem por falta de tentativa - talvez queiram mesmo atingir esse público - mas a série não tem nem uma fração do clima de X-Files. Não tem suspense, não tem personagens carismáticos, não tem "estofo". Talvez seja mais preciso dizer que a série não tem Chris Carter... E a atriz... nossa, no jornal chamaram a menina de "atriz revelação"... Revelação de que...? Achei a moça muito simpática, mas muito sem sal... É implicância minha? Quanto à trama em si, claro, tem pontos interessantes e que hoje, digamos, estão na moda: projeção astral, conspiração, etc. Eu até gosto do tema e achei que seria uma razão para curtir. Me decepcionei. Mas, como alguns já assistiram aos demais episódios e no geral falaram bem, vou fazer mais uma tentativa.
  12. Newman

    Terminator: The Sarah Connor Chronicles

    Rsrs... Ethan, se é assim, eu assistiria. Porque, apesar dos pesares, é uma série interessante. Não tem a adrenalina dos filmes originais (o que seria de se esperar em se tratando de uma série televisiva de orçamento limitado), mas tem o mesmo DNA, a mesma idéia mater. Fazendo uma comparação rasteira, seria uma Deep Space Nine da vida em relação ao Star Trek cinematográfico.
  13. Newman

    Terminator: The Sarah Connor Chronicles

    Apesar dos pesares, ainda acompanho a série. Houve uma pausa longa, mudaram o dia na Fox americana (para Sexta, se não me engano) e, pelo que senti, deram uma guaribada na condução da trama. A cada episódio a sensação é a de que transformaram a série numa soap ópera. Os núcleos (John-Riley, Sarah, Derek-Jesse, Ellison-Catherine-Cromartie) se separaram mais e cada um agora vive praticamente tramas separadas que, obviamente, dependem da principal para o desenrolar da história até o doomsday. Como a quase ausência de CG, trataram de criar tramas complicadas para tentar prender a atenção, envolvendo recursos dos mais variados tipos, até mesmo misticismo, e transformando Sarah num autêntico saco de pancadas físico e emocional. E tome tiro, drogas químicas, choque elétrico, tortura psicológica, transtorno obsessivo, distúrbio de sono e por aí vai. O penúltimo episódio trouxe Cameron de lingerie - possivelmente uma tentativa para elevar o ponteirinho do ibope e quem sabe mexer com o ponteiro do John também. O fato é que tal cena é um exemplo do que Cameron passou a ser no show - uma figura decorativa, de pouca participação na história. Ela ainda é importante para a trama - e o último episódio tentou mostrar isso - mas os roteiristas parecem tê-la deixada "na reserva", preferindo explorar os outros personagens e guardando-a para quando o doomsday finalmente chegar (se é que chegará...). De qualquer modo, o último episódio foi um pouco diferente pelos fatos novos que fora inseridos. Veremos no que isso resultará. ***Spoiler*** Parece que a pressão do público por um envolvimento platônico entre John e Cameron deu certo. Acompanhem o ep. 17 para ver.
  14. Newman

    Quais Séries Você Anda Vendo?

    Pra mim eles misturaram a Elaine com o George Costanza, gerando essa criatura absolutamente patética... rs. Tem alguns momentos engraçados (por exemplo, no episódio em que ela descobre estar saindo com o pai da atual namorada do ex-marido), mas acho que os roteiristas pesam muito a mão em outros. Excesso escatológico enjoa. A dona já é disgusting por si mesma, não precisa deixar isso tão claro todo santo episódio...
×