Jump to content
Forum Cinema em Cena
Nacka

Cozinha do Inferno

Recommended Posts

A cozinha, ainda que duvidosa estará sempre de portas abertas Dani... volte sempre. 05

 [/quote']

Com cerveja 16

 

Tem que ter uma entrevista dos cozinheiros também! 05

 

 

 

Mas antes queremos entrevistar você... 08 Marca aí...

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

A cozinha, ainda que duvidosa estará sempre de portas abertas Dani... volte sempre. 05

 [/quote']

Com cerveja 16

 

Tem que ter uma entrevista dos cozinheiros também! 05

 

 

 

Mas antes queremos entrevistar você... 08 Marca aí...

 

 

Vcs estão me zoando, né? 0806

 

Fiquei fora do fórum quase um século e já tão querendo colocar a tomate pra tostar na chapa!!!

 

Depois agendo uma coletiva com vcs. Deixa eu voltar a interagir com o povo primeiro.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Excelente entrevista do Deadman. Até pouco tempo atrás não tinha nenhum tipo de contato com ele e tinha pouco acesso a seus posts. Portanto, não fazia muita idéia de que ele era um usuário, digamos, polêmico. E, sendo assim, nunca tive a oprtunidade de entrar na lista dele de esganamento (palavra engraçada...).

 

Mas como pude descobrir o quanto ele é uma pessoa interessante, um cara com conteúdo e propenso a boas discussões, pretendo sim dar a oportunidade dele me odiar (é fácil! 05) quando pudermos sair pra bater um papo. 06

 

Bom ver gente assim aqui no Fórum, cada vez mais me alegro em descobrir usuários relevantes, como o Deadman e o Alexei, por exemplo. Parabéns à equipe do Hell's Kitchen, parabéns Ricardo (o relato da bebedeira em Buzios foi hilário! 06) por ser tão bom interlocutor...e que beleza que a Tomate deu o ar da graça! 05

Tomara que não suma de novo...
Thico2006-11-14 19:04:56

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ás voltas com a próxima entrevista. Breve o fórum vai conhecer Octavio Caruso, fã do Elvis (hummm, isso vai ser saboroso), dublê de ator, morador do Rio de Janeiro e formado em propaganda. Ok, olhando o nick MAD TIGER vocês imaginavam tudo isso?

Não esqueçam, dia 26 de Novembro aqui no Cozinha, dêem uma passadinha para conhecer melhor o:

 

Avatar

MAD TIGER

E ainda teremos, como primeira entrevista do ano de 2007 ninguém menos que:

 

Avatar

 

 

 

 

 

Plutão Orco, fritando no óleo do Cozinha...

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Só fui ler a entrevista agora, adorei! E ainda fui citado 1306. Mas nem é por isso, o Deadman aparenta ser um das pessoas mais sensatas daqui apesar da imagem que tentaram passar do próprio algumas vezes. E a entrevista foi assim, interessante, contundente, legal de ler, que nem os posts do próprio. Pra ser sincero foi a primeira que li aqui, vou atrás das outras agora, gostei muito do resultado. Parabéns pro entrevistado e pra "Equipe da cozinha".

 

 

Atrizes Prediletas: Rachel MacAdams

[/quote']

 

E tem bom gosto também icon_mrgreen06

 

ps : Gostei da lista dos próximos, ótima sacada terem convidado o Fernando e o Plutão tbm
Beckin Lohan2006-11-18 17:23:05

Share this post


Link to post
Share on other sites

O Cozinha do Inferno segue com a entrevista do MAD TIGER, usuário cadastrado no fórum desde de Outubro de 2004, posta pouco e quando posta fica longe do Geral, mas ele explica... fã de Elvis Presley (daqueles de ir em convenções e tudo) não tem medo de cantar as músicas do Rei e diz que nunca pagou mico. Octávio Caruso mora no Rio (longe das praias, ele frisa) dá aulas de Inglês e já fez teatro, tem uma coleção invejável de dvds e diz que é caseiro... com vocês, no grill do Cozinha... MAD TIGER:

 

EquipeAvatar do Cozinha do Inferno

AvatarAvatarAvatarAvatar

 

 

 

 
<?xml:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

                                        

Avatar

 

 

 

 

Prato do Dia

 

 

Ajudantes do Cozinha:

 

Avatar

Avatar

 

 

 

 

 

 

 

Avatar

 

 

 

 

 

 

De onde você tirou este nick tão extravagante?

MAD TIGER: Na realidade, antes de participar do fórum do Cinema em Cena, costumava participar de um fórum sobre Elvis Presley. MAD TIGER é o nome de uma das roupas de show que Elvis usou nos anos 70. Tinha esse nome por ser uma roupa branca com um tigre na frente e garras de tigre nas costas.

 

Achei o nome bem sonoro e comecei a usar. Em realidade não representa nada sobre a minha pessoa, sou muito tranqüilo.

 

Você nos contou o que o cinema representa para você, mas o que fez esta paixão aflorar em seu coração? Possui algum filme marcante na sua vida?

MAD TIGER: O filme que me fez despertar esta paixão foi BEN-HUR. Assisti com minha mãe quando eu tinha 6 anos. Foi um ótimo filme para estabelecer altos padrões de qualidade, adorava a música de Miklos Rozsa.

 

Como adorava revistas em quadrinho, me interessei em ver filmes sobre os personagens que eu lia, daí veio meu segundo filme preferido: SUPERMAN.

 

Sempre amei ler, sempre amei música de qualidade e orquestrada, logo foi fácil me apaixonar pela sétima arte, pois contém tudo isto junto, ótimas histórias com ótimas músicas.

 

 

Avatar

 

Quem é o MAD TIGER? 

 

MAD TIGER: Meu nome é Octavio Caruso, em Dezembro passado me formei em Propaganda e Marketing, porém dou aulas particulares de Inglês desde meus 18 anos. Já fiz uma peça de teatro, dirigido pela atriz Zaira Zambelli(de Bye-bye Brasil) e tenho o hobbie de me apresentar cantando em eventos de fãs de Elvis Presley (Levo a sério... sou fã a 9 anos).

5 de Novembro passado comemorei meu vigésimo-terceiro aniversário. Atualmente estou na batalha por um emprego mais estável. Sou solteiro, mas encontrei minha alma gêmea de nome Teresa, estamos namorando a 1 ano e 2 meses(sem idas e vindas é importante salientar...rrsrsrsrs).

Sou do Rio de Janeiro.

 

Fã do Elvis? Conta essa história aí pra gente rapaz... Já pagou mico se apresentando? Como você lidou com isso?

 

MAD TIGER: Gostaria de dizer que sou um fã de boa música, inclusive Elvis. Digo isso pois no meio de fãs, existem muitos radicais que denigrem outros cantores em favor de Elvis, o que não acontece comigo.

 

Nas vezes que me apresentei, me esforcei tanto em apresentar um ótimo trabalho vocal (posto que não sou extremamente parecido com Elvis), que nada de grave aconteceu... só uma vez, em um refrão mais empolgado, deixei meus óculos caírem, mas não chegou a atrapalhar a música e a apresentação foi ovacionada por um público de pé. Tenho miopia... os óculos são necessários, não são utensílios para show...rsrsrsr

 

Lidei com o acontecido da forma mais natural possível, e como Elvis faria... dei uma risada e um olhar cúmplice para o público e continuei cantando.

 

Você diz que já fez uma peça de teatro, parou porquê? Fazer teatro é mais prazeiroso do que fazer cinema em sua opinião?

 

MAD TIGER: Entrei para o curso de teatro para combater a timidez. Levei muito a sério e me esforcei bastante, fiz uma peça chamada: "Não pensa muito que dói!". Interpretei um personagem rebelde que tocava violão nas horas vagas(este é outro hobbie meu). O cenário era os anos 60 no Brasil.

 

Parei por pura falta de maturidade, hoje em dia não teria parado.

 

Nunca fiz cinema, mas acredito que o material advindo do cinema é mais prazeiroso de se ver do que o do teatro.

 

Morando no Rio, um lugar culturalmente efervescente com muitas opções, o que falta e o que sobra aí? Você é de que parte do Rio?   

 

MAD TIGER: Sou da zona norte do RJ, longe das praias (graças a Deus....rsrsrsrsr). Acho que falta segurança, como em qualquer parte do Brasil hoje em dia. Fico vendo a hora em que o RJ vai se encher de vigilantes como Charles Bronson em Desejo de matar....sobra esperança de que isso tudo um dia vai mudar.

 

Você é reservado, costuma sair pouco ou é exatamente o contrário? Enfia o pé na jaca...

 

MAD TIGER: Sou muito reservado, costumo ficar em casa assistindo meus DVD´s, lendo meus livros(no momento estou lendo Ian Fleming) ... odeio baladas, odeio música alta (só se for orquestra).

Não bebo, não fumo e adoro ficar com minha namorada o maior tempo possível.

 

Quais pessoas que você tem mais afinidade aqui? Locais do fórum onde você costuma ir e outros onde nunca ninguém vai encontrar um post seu?

 

MAD TIGER: Existem amigos daqui que eu admiro e respeito, como o Cavalca, Enxak, Nacka, Jeffs etc. Infelizmente não posto tanto quanto gostaria, por questões de tempo.

 

Os locais do fórum que costumo ir sempre são : Filmes em geral, Cineclube em cena( uma idéia genial!!!) e home entertainment (sou viciado em DVD!!).

 

Vocês nunca irão me ver nos tópicos referentes a TV e assuntos gerais.

 

O que você não gosta no Fórum e que poderia ser melhorado? Já participou de alguma situação "saia justa" aqui? Se sim com quem e como tudo terminou?

 

MAD TIGER: Acho que com a adição do Cineclube em cena, o fórum melhorou muito. Foi uma idéia genial e criativa. Não existe nada que me desagrade, quando vejo um tópico que não curto ou algo que não me interessa, simplesmente não entro.

 

Já participei de algumas discussões acaloradas, nenhuma célebre.

A que mais me recordo foi com um amigo (infelizmente não me recordo quem...) que gostava de 2001 - Uma Odisséia No Espaço. Eu odiava este filme e argumentei forte contra a obra.Hoje em dia, o filme é um dos meus preferidos... então, agradeço ao amigo que me fez ver detalhes que nunca havia percebido antes no filme.

 

Sempre tratei todos com respeito e exijo que ajam da mesma forma comigo. Nunca tive problemas com ninguém no fórum.

 

Você costuma assistir filmes em casa, aproveitando os dvds que compra ou prefere o cinema? 

 

MAD TIGER: Assisto muito meus DVD´s, minha coleção está no momento com 356 títulos, dos mais variados gêneros. Infelizmente não vou muito ao cinema, posto que poucos filmes despertam meu interesse atualmente. Estou ansioso para assistir Cassino Royale em Dezembro.

 

O que o cinema representa para você? E porquê?  

 

MAD TIGER: O cinema é essencial na minha vida. Quando era criança, lembro de me ver sentado em meio a um monte de revistas Video News e SET(que meu pai comprava na época do advento do videocassete), posso dizer que aprendi a ler com estas revistas.

 

O meu grande sonho é ser diretor de cinema ou trabalhar com roteiros para cinema, mas vivendo no Brasil, nós temos a dura tarefa de adaptar nossos sonhos a realidade.

 

Não consigo me imaginar em um mundo sem filmes.

 

Você sonha em ser diretor de cinema, tivemos um usuário aqui do fórum que sonhava a mesma coisa, o Lordshake...se você se tornar um, o que filmaria? Porque o cinema brasileiro não decola com todo potencial que tem?

 

MAD TIGER: Amo escrever histórias, tenho um grande acervo de contos e histórias longas. Se acaso me tornasse um diretor com total liberdade de escolha, seria como um Robert Wise, filmaria vários gêneros diferentes, pois amo todos...desde o mais denso drama até o mais sanguinário horror.

 

Há algumas histórias que escrevi que adoraria transformar em curtas- metragens... infelizmente não tenho dinheiro para bancar uma produção.

 

O problema do cinema Brasileiro são os diretores. Criatividade muito pequena, pretensão estratosférica. Falta ousadia e humildade, inclusive a coragem de assumir que nosso cinema não é bom.

Pra cada Cidade de Deus que é feito, são realizados 30 filmes do padre Marcelo e da Xuxa.

 

O ano está acabando, hora do costumeiro balanço, como foi? Valeu a pena? O que você nunca pensou em fazer e fez?

 

MAD TIGER: O ano de 2006 foi diferente de todos que já tive. Foi o primeiro ano em que passei com uma namorada( o ano inteiro), aconteceram mortes na família muito dolorosas, meu avô faleceu e é uma perda muito sentida.

 

Pessoalmente ocorreram mudanças em mim, amadureci. Obtive maior confiança em meus talentos e mais reconhecimento de minhas qualidades.

 

Nunca pensei que conseguiria dançar bem, porém entrei para uma aula de dança de salão e agora tenho CERTEZA que nunca dançarei bem!!.....rsrsrsrr...brincadeira.... até que estou me saindo muito bem.

 

Seu avô, que parece ter sido uma pessoa muito próxima de você, faleceu. Como você lidou com isso? Você acha que ficou mais próximo de sua família depois disso?

 

MAD TIGER: Meu avô era o alicerce da família e sua perda já foi sentida no momento de sua morte. Nós nunca tivemos um convívio muito assíduo, mas ele me respeitava e eu a ele. Infelizmente minha família nunca se aproximou muito, agora então estamos mais separados que de costume. Tive que ser forte para ajudar minha mãe a suportar a perda. Amadureci muito com isso.

 

PERGUNTA: Qualidades e Defeitos de Octavio Caruso...

 

MAD TIGER: Tenho um senso de humor onipresente, sempre tenho um sorriso para todas as pessoas que convivem comigo. Aprendi Inglês sozinho, por meio de filmes e força de vontade...esta é uma qualidade.

 

Sou generoso, adoro ver a cara de alegria de uma pessoa quando lhe ofereço um presente ou atenção. Sempre brigam comigo, quando compro presente para minha namorada e não é aniversário dela nem nada...rsrsrsr...simplesmente gosto de vê-la feliz.

 

Meu defeito maior é a ansiedade...sou do signo de Escorpião e tenho uma mente um pouco polêmica...adoro discutir temas controversos, como religião.

 

Emito minha opinião sem pensar no que a outra pessoa vai achar...da mesma forma que quero que ajam assim comigo.

 

Reparei que seu sobrenome é o mesmo de muita gente famosa, qual a relação? Enrico Caruso o tenor lírico de I Pagliaci? Paulo e Chico Caruso cartunistas? Marcos Caruso o ator e diretor de teatro?

 

MAD TIGER: Quem dera....rsrsrsrsr....Sinceramente não possuo nenhuma ligação direta com nenhuma destas personalidades. A única coisa que sei é que uma tia minha diz que o Rodrigo Santoro é meu primo em segundo grau...mas nada foi confirmado.

 

Adoro meu sobrenome, acho que é forte e bonito.

 

Em uma discussão o que é importante?  

MAD TIGER: Acho fundamental em uma discussão que ambos os lados possuam argumentos bem fundamentados e estruturados.

 

Uma discussão infrutífera seria...

 

MAD TIGER:

Uma discussão com uma pessoa dominada por dogmas e/ou "rédeas' criadas pela sociedade. É a pior coisa do mundo.....

 

 

Agora é a vez do cozinheiro Scofa e suas perguntas/texto:

 

Avatar

 

Filmes apresentam diversas características que os distinguem e os particularizam. Esse é o principal motivo pela qual venho percebendo que uma estória muito parecida e, por vezes, muito simples, pode ser contada inúmeras vezes de diversos modos, mostrando percepções que podem conferir brilho, densidade, cor, luz, magia, etc a todos os elementos de forma distinta. Enquanto alguns apresentam uma beleza estética inegável (como algumas pessoas do fórum vêm comentando sobre Barry Lyndon, por exemplo), outros possuem um plot extremamente denso e filosófico (Stalker, por exemplo), ou grandes efeitos especiais (como Star Wars), dentre inúmeras variações, combinações e outros contextos. É possível, pra você, avaliar filmes com particularidades diferentes da mesma forma, expressando-os em escalas de notas/estrelas ou comparando atributos? Você valoriza mais algum tipo de atributo em particular em um filme? Quais são suas preferências?

 

MAD TIGER: Não sou muito técnico quando da avaliação de um filme. Nem mesmo em uma música, não sou daqueles que analisam cada instrumento separadamente, interesso-me pelo resultado final.

 

Sem dúvida que um bom roteiro aliado a boas atuações fazem enorme diferença, porém não são fundamentais na criação de um ótimo filme. Um bom exemplo foi dado por você: Star Wars. Mark Hamill não é nenhum Pacino, o roteiro é clichê, mas o filme é um divisor de águas.

 

Se eu tiver que escolher, valorizo a ousadia.


PERGUNTA:
Qual é sua percepção da dinâmica do fórum no dia-a-dia? Discussões apimentadas são necessárias e tornariam o ambiente mais atraente (se sim, por quê?)? Quais são os fatores positivos e negativos desse grande sistema de relações pessoais, de troca de opiniões e de perfis distintos? Se pudesse efetuar mudanças de qualquer natureza, o que gostaria que mudasse? Qual sua opinião sobre as brincadeiras, os espaços de discussão e descontração do fórum?


MAD TIGER
: Discussões são fundamentais, não só no fórum, mas na vida. Quem não discute, não tem nada a dizer.

 

Antes de haver Internet, eu me considerava um solitário fã de Kubrick, pois ninguém que eu conhecia tinha a menor idéia de quem ele era. Após a Internet e por conseguinte, após minha entrada no fórum, vejo que somos uma grande equipe, cada um com suas preferências.

 

A única mudança que eu orquestraria no fórum seria aumentar o espaço do cineclube em cena. Acho esta idéia um "ovo de Colombo", como se o fórum tivesse amadurecido.

Quanto às brincadeiras, não participo de muitas por falta de tempo, mas curto muito ficar assistindo algumas discussões. Sempre aprendo coisas novas, é muito útil.

 

Recentemente o jornalista aqui da nossa equipe, o Forasteiro, me encantou com um post muito interessante sobre a "identidade" dos usuários do fórum. Ao nos assustarmos com as idades de nossos amigos e ótimos argumentadores Rubysun (15) e lthrpsm (13), ele constatou que aqui não temos contato físico entre os usuários.

Consequentemente, não precisamos sofrer preconceito de idade, racial, religioso, filosófico, político, etc se não quisermos (basta não revelar). Por outro lado, essa distância corporal, acaba por causar novos problemas para aproximar nossas relações. Por exemplo, a usuária Lucy in the Sky afirmou uma vez que não conseguia entender como era possível haver amizades no fórum. Na sua opinião o que faz com que as pessoas optem por exibir/não exibir suas características ou opiniões a respeito dos diversos assuntos discutidos aqui (e como você age particularmente com relação a isso)?

 

É possível ter amizades ou desenvolver afinidades no fórum? Em que medida a revelação de uma característica "diferente" perante a sociedade "marca" sua visão de um usuário quanto às idéias posteriores a descoberta? (exemplo: o Ruby ter 15 anos, as opiniões radicais da Abelha, a Beatrixxx expor suas idéias sobre sexo abertamente, o Bart ser fã ferrenho de Kate Winslet, etc)?


MAD TIGER:  Para algumas pessoas é muito difícil expor suas opiniões. Devemos entender o contexto no qual a pessoa está inserida, se vêm de uma família "mente aberta" ou se são dogmáticos. Particularmente, sempre tive liberdade de dizer o que penso, como nunca me "filiei" a nenhuma religião e nenhum partido político, me vejo livre para pensar e argumentar sobre tudo.

 

O fórum é um ótimo lugar para se encontrar amigos, talvez a única barreira seja a distância, pois temos pessoas dos mais diversos lugares. Hoje em dia, se você quiser conversar com alguém sobre Bergman, você só precisa ligar o computador.

Não vejo as pessoas como seres de barro, nunca conversei com uma criança subestimando-a. Acho que foi Spielberg quem disse uma vez que as crianças são inteligentes o suficiente para você conversar com elas como adulto.

 

Um amigo ter 15 anos, outro ser fã de um determinado artista... nada disso influencia na hora de eu me comunicar com ele. Já tive conversas muito legais com pessoas de 15 anos e já tive que aturar papos ignorantes de adultos. Não é a idade, a cor ou o credo que faz uma pessoa.


Ultimamente tenho visto muitos curtas-metragens. Com o advento do youtube e correlatos, muitas coisas que não eram encontradas facilmente  ganharam um novo público (existem pequenas preciosidades como vídeos de estudante de Scorcese, o pequeno vídeo de 3 minutos de Christopher Nolan do início de carreira, o ácido Ilha das Flores ou a crítica sensível de More ou o soturno The Confession, dentre inúmeros outros). É possível construir uma trama interessante e uma mensagem valorosa em 10, 15-20 minutos? Você se interessa por essas formas particulares de expressão da arte? Quais são seus preferidos? Na sua opinião que fatores diferenciam o "processo de conquista do expectador" entre os short movies e os longas?


MAD TIGER
: Não tenho muito contato com curtas-metragens, mas acho que é possível contar uma ótima história em 10 minutos. Adoraria realizar alguns contos que eu escrevi como curtas, mas me falta o dinheiro para o processo.

 

Gosto muito dos curtas  de Chaplin, especialmente os do período na Mutual Studios. Em um longa- metragem o tempo de conhecimento é maior, você pode desenvolver características de um personagem com mais cuidado... porém não é o que acontece em todas as vezes.

Nos curtas, existe um fator importante, pela falta de tempo, o diretor exerce mais de sua criatividade e ousadia.

 

Se eu tiver que escolher entre um filme longa dirigido por Michael Bay e um curta de qualquer cineasta amador, ficaria sem pensar duas vezes com a segunda opção.

 

 

O nosso cozinheiro e dublê de jornalista, Forasteiro encurrala o tigre... e o Darth Maul é lembrado.

 

Avatar

 

 

 

 

Os usuários deste fórum têm um certo perfil absolutamente diferente do que a gente vê nos jovens por aí. Preferimos ficar em casa, ouvir boa música, assistir um bom filme... O que nos une, portanto, seria uma questão de inteligência? De seriedade? Preferindo Fuga de Bach a CPM22 e Laranja Mecânica a Triplo X, estaríamos sendo superiores a nível cultural? E ainda, essa nivelação por baixo do que a maioria dos jovens consome, seria em decorrência do quê? Qual a diferença que você acha ter lhe separado desta maioria?

 

MAD TIGER: Dizer que somos inteligentes é muita pretensão. Somos apenas pessoas que escolhemos nos divertir com filmes e livros. Um lavrador que toca sua gaita é tão inteligente quanto qualquer um de nós. Simplesmente ele não teve acesso a outras mídias que o possibilitassem escolher.

 

O nível cultural não é medido pela quantidade de informações que agrupamos e sim pela qualidade do material que coletamos. Eu odeio Laranja mecânica...então sou menos culto que você? É muito complexo. O maior prazer da vida é viver em paz, sem atrapalhar ninguém e fazendo o que se gosta. Seja isto considerado cultura ou não. Eu amo ler, se meu vizinho odeia, fazer o quê?

Acho que a maioria dos jovens nem têm escolha.... são criados em meios robotizados, com pais dogmáticos que lhes ensinam a temer Deus e rezar antes de dormir. O jovem tem duas escolhas: Rebelar-se contra os pais e ouvir Heavy-metal ou aceitar a vida como ela é.

Mas mal sabe ele que a maior rebeldia é ser você mesmo!

 

Quando comecei a gostar de Elvis, muitos colegas da época debocharam de mim, me excluíram do grupo. Hoje em dia eu estou feliz da vida, enquanto muitos deles já trocaram de estilos mil vezes, usaram camisetas de Che Guevara, Linkim Park, Alanis....tornaram-se punks quando a sociedade pedia, depois viraram emos quando a namorada pedia....hoje em dia são NADA...

 

Enquanto eu, estou no meu caminho...consciente de cada passo que dou. Não me sinto um excluído, simplesmente tenho poucos e bons amigos.

 

Segundo você, o problema do cinema brasileiro são os diretores. Cite nomes. Quais os adeptos da “criatividade pequena, pretensão estratosférica” e os que fazem bom uso da “ousadia e humildade”. Do que você é fã no cinema nacional?

 

MAD TIGER: Amigo, vou ser muito sincero... nem me interessei em coletar nomes, mas posso salientar um que eu acho o cenobita do cinema nacional (adora nos instigar dor e sofrimento...): Moacyr Góes. Jabor também fez filmes fraquíssimos, Neville D´Almeida...

 

Nada no cinema Brasileiro presta, falta sensibilidade nas cenas amorosas, falta emoção nas cenas de ação, falta suavidade nas cenas dramáticas...

 

Mas irei falar dos diretores que respeito. José Mojica Marins pela ousadia e criatividade, Fernando Meirelles e Breno Silveira pelo belo trabalho que fez em 2 filhos de Francisco.

 

Não posso dizer que sou fã em algo no cinema nacional, mas gosto de alguns filmes, como o já citado acima, Central do Brasil e Cidade de Deus.

Menção honrosa para O pagador de promessas, que também respeito pela crítica feroz à Igreja.

 

Você diz que nunca o veremos no Geral. Por quê? Teve alguma má impressão? Já tentou debater alguma coisa ou, simplesmente, entrar no Fórum da Mãe Joana pra conhecer melhor os usuários? Se não, o que lhe impede? Você não sente necessidade de descentralizar um pouco a atenção, usando o Geral como uma válvula de escape? Falar SÓ de cinema não enche o saco?

 

MAD TIGER: Não me entendam mal, não quis denegrir o espaço. Simplesmente não tenho tempo de passear mais pelo fórum. Quando entro, normalmente estou em busca de uma informação específica.

 

Quando tenho um dia mais tranquilo, dou uma olhada nos outros tópicos. Já entrei no fórum da mãe Joana e achei sensacional, curti muito a premiação do Pablito de ouro. Nas férias de fim de ano terei mais oportunidades para participar ativamente, podem ter certeza!

 

Falar sobre assuntos gerais eu já falo aqui no mundo exterior , fora da "Matrix"...rsrsrsr...o fórum é o único lugar onde eu posso encontrar pessoas que curtam tanto cinema como eu.

 

Ainda sobre o fórum, escolha um, e apenas um, usuário que sempre vale a pena ser citado e outro que você pagaria pra não ver na frente.

 

MAD TIGER: Bom, não gosto de fazer inimizades, mas irei responder sua pergunta. 

 

O usuário que sempre vale a pena ser citado é o Jeffs, ele parece ser muito esforçado e nunca vi ele tratar mal ninguém.

 

Um usuário com o qual não simpatizava muito era o Darth Maul.

 

Você disse que tem 356 títulos na sua videoteca. São todos originais?

 

MAD TIGER: Sim, todos originais e nenhum importado.

 

Se sim: O que não te deixa ceder à pirataria? A qualidade ou um certo “peso” na consciência?

 

MAD TIGER: Vejo a pirataria como algo dispensável, coisa que meus DVD´s nunca serão. Na época do VHS, tinha uma coleção de 600 filmes, a maioria piratas (cópias). Na época dos VHS era difícil se achar para vender alguns filmes. Os DVD´s já foram criados para serem colecionados.

 

Perguntas do cozinheiro boa praça, Silva e o tigre fala sobre mpb e pirataria:

 

Avatar

 

 

Sobre música: Já fomos informados que você gosta de boa música em geral (especialmente Elvis). Como voc vê o panorama musical atualmente??? Está melhor ou pior do que antes??

 

MAD TIGER: Acho que a música de hoje é horrível. Esta onda de Hip-Hop que invade o mercado é desprezível. Músicas sobre homens que pegam todas as gatinhas com seus carrões e diamantes...e existem mulheres que dançam ao som disso!! Parece que não se dão valor...pena!

 

Claro que existem bons cantores, mas parece que o povão gosta mesmo é de música ruim e com "curto prazo de validade".

 

Eu não sofro com isso, pois tenho uma boa coleção de Mozarts e Sinatra para ouvir (além de Elvis, claro...rsrsrs).


Ainda sobre música: É de consenso geral que as vendas de cd's cairam drásticamente (e, com certeza, não voltarão aos índices de antes). Grande parte dessa "crise" da indústria fonográfica é creditada ao download desenfreado e ilegalmente de músicas através de programas P2P (Kazaa, Limewire, Emule, entre outros). Você acha que a internet (e os downloads desenfreados) são culpados da crise da indústria fonográfica???

 
MAD TIGER: Sinceramente, a crise na indústria fonográfica deriva da péssima qualidade do que é feito hoje em dia. Duvido que um fã de Beach Boys iria comprar um cd pirata de seus ídolos. Mas pra quê vou torrar meu dinheiro para ouvir músicas desprezíveis e que sei que daqui a 7 meses nem vou lembrar que ouvia?

 

Os downloads vieram para ajudar. É muito mais fácil hoje em dia se achar uma soundtrack obscura de um Jerry Goldsmith do que a 5 anos atrás. Isso sem falar no dinheiro que se gastava para importar estes cd´s. Concluindo, não sejamos hipócritas. Todos sabemos que é a própria indústria fonográfica que permite a pirataria.


Sobre cinema: Você costuma acompanhar as premiações do meio cinematográfico (Oscar, Globo de Ouro, Cannes)??? Até que ponto elas representam um "atestado de qualidade" para um filme?? Você acha que as premiações são justas??

 
MAD TIGER: Eu sou fascinado por isso! Oscar é Carnaval para mim....rsrsrsr. Sei que a premiação em si não significa muita coisa em termos de qualidade real. Erros históricos já foram cometidos em premiações passadas.


Percebemos pelas suas respostas às perguntas feitas pelo Nacka que você é uma pessoa de poucas palavras. Isso é um sinal (ou uma demonstração) da sua timidez? Ou você é mais reservado em relação a certos aspectos pessoais seus?

MAD TIGER: Minha timidez nunca me atrapalhou em contatos via fórum. Acredito que não se mede a qualidade de um texto pelo seu volume. Se fosse assim, Guerra e paz seria o melhor livro do mundo. Respondo qualquer tipo de pergunta, não sou reservado. Simplesmente escrevo exatamente o que quero dizer, sem rodeios ou firulas.

PERGUNTA: Como você avalia a convivência entre os usuários do fórum?? Acha que aqui no fórum há lugar para todos (aqueles que querem discutir cinema e aqueles que só querem "jogar conversa fora", só para ficar entre os dois extremos)?? Você acha que é possível criar laços de amizade através do fórum???

 

MAD TIGER: Como espectador, vejo uma grande família Italiana, sentados numa mesa de jantar, todos falando juntos e se divertindo. Há espaço para todos, até para os que simplesmente se sentam afastados só para ouvir a conversa.

 

É possível criar-se laços de amizade através do fórum. Acho que aqui já aconteceu isto muitas vezes. Eu considero todos aqui como amigos, me ajudaram muito em questões cinematográficas.

 

Aqui a pálida contribuição dos ajudantes, porquê é tão difícil formular uma pergunta? Entenda o caso...

 

 

Avatar

 

 

 

 

Você não se sente ridículo ao apresentar-se vestido de Elvis Presley, imitando sua voz ao cantar e tudo mais? Não se sente meio "freak"?

MAD TIGER: Eu não me visto de Elvis, não imito sua voz. Eu me apresento sem firulas, cantando com minha voz real, mesmo sem ter feito aula de canto, consegui fazer uma platéia me aplaudir de pé. Freak significa esquisito....não me considero esquisito.

Não sou um cover de Elvis. Sou um cantor, que quando estou em convenções de fãs, canta músicas de Elvis. Em casa e com amigos canto de tudo. Infelizmente existe um grande preconceito com fãs de Elvis, isto deveria acabar. Basta você se interessar em ler a história do cantor, que verá a sua importância no ramo musical e sua influência no mundo de hoje.

 

Avatar 

 

 

 

 

Você tem vários pontos de vista interessantes, seus posts são sempre interessantes. Porque você não participa mais do fórum?


MAD TIGER: Amigo Cavalca, realmente gostaria de postar mais frequentemente, mas dou aulas particulares de Inglês e quase nunca paro em casa. Sabe como é, trabalho autônomo...


Nas férias de fim de ano é o período que mais participo. Não costumo criar tópicos, pois sei que posso não dar a atenção devida aos mesmos.

 

 

FIM

 

Elvis-Presley-0001.jpg

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Desculpem a entrevista sair assim com um aspecto meio descuidado, mas é que meu PC tá um lixo e eu não consegui fazer uma formatação das fontes do modo que eu queria... vai assim mesmo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Acho que nunca fui tão bem citado num post. 08 Valeu, amigão!

 

Essa é a segunda entrevista que leio do Cozinha (a outra foi a do Moviola), simplesmente porque o Mad Tiger era um usuário que tinha vontade de conhecer mais, depois de sua participação no Cinegame (aliás Mad, começou a V.1.1 03). A entrevista cumpriu o objetivo. Muito boa! Parabéns a todos. 01

Mad, também sou do Rio! Mora em que cidade? Não moro bem como você (Zona Norte), sou de Nilópolis. 06

E não teria nenhuma gravação sua no PC cantando Elvis para enviar pra gente não? Fiquei curioso. 06

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olá Jeffs, não agradeça...somos todos da mesma equipe!(Momento Superman...06)

Estou tentando decifrar a prova do CINEGAME...pode deixar que, assim que estiver seguro, irei te enviar a MP com as respostas.

Sou da capital do RJ, na Tijuca.

Quanto a gravação, vou ficar devendo.... tenho alguns VHS...caso eu consiga colocar no Youtube eu aviso!

Espero que os amigos tenham gostado da entrevista...quase não houve comentários...eu gostei muito.

 

MAD TIGER

Share this post


Link to post
Share on other sites

 O prato servido estava bom. Mas, acho que faltou um pouco de tempero... Logo, a "culpa" foi dos cozinheiros de plantão e seus ajudantes, não do entrevistado. Achei as perguntas pouco criativas e formais demais. Sei lá! À despeito disso, Mad me pareceu uma pessoa sincera, batalhadora e autêntica. 

 

PS: "Guerra e Paz" É considerado um dos melhores livros do mundo.   

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 O prato servido estava bom. Mas' date=' acho que faltou um pouco de tempero... Logo, a "culpa" foi dos cozinheiros de plantão e seus ajudantes, não do entrevistado. Achei as perguntas pouco criativas e formais demais. Sei lá! À despeito disso, Mad me pareceu uma pessoa sincera, batalhadora e autêntica. 

 

PS: "Guerra e Paz" É considerado um dos melhores livros do mundo.   
[/quote']

Bom, a sua sugestão está anotada, Deadman!!! Quanto ao fato das perguntas estarem formais demais, da minha parte, devo salientar que, como recebi a alcunha de "o boa - praça", não é "tarefa" minha colocar a pimenta no nosso prato quinzenal...06. Em todo o caso, vamos fazer o possívbel para colocar mais tempero na próxima entrevista...

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Quanto a Guerra e Paz, realmente tem esta fama. Mas você já tentou ler?...rsrsrrsrs

Eu amo ler e não consegui terminar este livro.

Já li em semanas livros com mais de 500 páginas, mas este simplesmente me faz ter sono a cada página...

 

MAD TIGER

Share this post


Link to post
Share on other sites

Domingo conheça o inquieto Enxak, a entrevista completa do nosso dublê de apresentador. Ele mesmo, o da ursinha...contando coisas que você nem imaginou.

 

Avatar

Share this post


Link to post
Share on other sites

EquipeAvatar do Cozinha do Inferno

AvatarAvatarAvatarAvatar

 

 

Prato do Dia

Avatar

 

 

 

 

 

 

Trainee desta Entrevista:

 

Avatar

 

 

 

 Jailcante

 

 

 

<?xml:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

Começamos com um membro da Equipe que está exilado de certa parte do fórum no momento. Ele, o Pato louco:

 

Avatar

 

 

 

 

 

 

Pergunta: Você organiza diversos programas, eventos e afins no Forum Cinema em Cena e acredito que isso consome muito do seu tempo. O que sua família acha disso?

ENXAK - Minha mulher acha um saco,um desperdício. Diz que eu deveria me dedicar, por exemplo,ao meu livro, que seria bem mais proveitoso. Na época de “O Cinéfilo” nós chegamos a brigar (ela na verdade brigou comigo), porque eu ficava muito tempo no computador. Ela não entendia, como eu poderia me dedicar tanto a algo que não me traria lucro algum, que pelo contrário,s ó me trouxe prejuízo, afinal paguei 14 reais para enviar os prêmios ao Forasteiro,o vencedor,em Erechim,RS. Mas é algo que me dá prazer, é como um hobbie nerd, como se fantasiar de Mestre dos Magos e jogar RPG com barbudos magros de óculos,só que mais discreto,e mais produtivo.

Já falei para ela do Big Brother e ela me respondeu com um já esperado “Putz, de novo não...”. Fazer o que? Homens precisam de um hobbie. O meu é interagir com estranhos em games na internet.

Você sempre encabeça os projetos em que está envolvido. Por que você está sempre querendo estar no poder? Você aceitaria ser "ajudante" de alguém?

ENXAK - Poder, poder, poderrrrr!!!! Rá rá rá ráaaaa!!!!

O motivo é simples: Se me proponho a executar algo, gosto de ter o controle sob aquilo, ou não sairá como eu quero e ao ser criticado,me sentirei injustiçado (foi o caso da Casa dos Artistas 2). Então se é pra fazer merda, ou pra ser ovacionado, que seja de forma justa, que seja por meus méritos.

Deixei o “Cinegame” no comando do Jeffs, que agora parece ter passado para o Lunatic não porque não gostava de dividir a apresentação com ele,mas porque tinha outras prioridades (A “Caras de Pau”,atualmente). Adoraria sim participar de qualquer outro programa criado por outro usuário, como colaborador, como por exemplo o “Cozinha do Inferno”, o qual participei algumas vezes e foi muito bom. Basta que o projeto seja bem conduzido. Não participaria jamais de algo elaborado por você, Pato Inútil, por exemplo, pois sei que acabaria me irritando, sem falar que ser subordinado de um Pato seria humilhante.

 

 

Nackinha afia as garras e vai direto na canela...

 

 Avatar

 

                                          Enxak Família...

 

 

Você está prestes a ser pai, como tem reagido a isso? Era uma coisa que vocês tinham planejado? O que mudou?

ENXAK - Não estou mais. Minha mulher menstruou anteontem. Isso já aconteceu 2 vezes,desde que eu "publiquei" lá no fórum que seria pai. Estamos começando a ficar preocupados. Antes de responder a pergunta, sei que é meio feio começar a minha entrevista falando que minha mulher menstruou, mas é assim que eu sou, escatológico, longe de ser uma pessoa com pudores e muito mais longe ainda de ser um cara que veste a carapuça da moralidade para se sentir melhor com as outras pessoas. Me sinto confortável assim, sendo eu, cheio de falhas e imperfeições como todo mundo. Assumi-las, creio eu, é a cada dia, um passo para "a cura". Ainda sou bem jovem (27), eu chego lá. Tenho consciência disso e isso já é um excelente sinal, acho.

Mas indo direto à pergunta (sou só um pouco dispersivo, pelo que dá pra perceber), estou junto com a Mariana desde 29/02 deste ano. Ela morava aqui mesmo, na rua. Nos conheçemos pra valer há uns 4 anos, quando eu ainda estava com a Carolina (com quem namorei por quase 4 anos) e ela sempre demonstrou muito carinho por mim, e quando me separei nos tornamos amigos. Depois de uma seção de "A Pantera Cor de Rosa" no shopping, tomei coragem e perguntei se ela "ainda gostava de mim". Ela envergonhada, se entregou: "Como vc sabia"? E daí pra frente estamos vivendo nosso Love Story. Passamos a morar juntos em abril, quando compramos os móveis (fogão,cama de casal,guarda roupa,geladeira). Moro na parte de cima da casa dos meus pais, portanto é como se morasse separadamente deles e isso está sendo muito interessante. Sabe, comprar a despesa do mes, detergente pro banheiro, sabão em pó, papel higienico, não poder mais esbanjar dinheiro com futilidades (DVDs, locadora, cinema, doritos) porque se não acaba pesando no final do mês na geladeira, essas coisas da vida real. Acho que cresci mais nesses últimos meses do que (no mínimo), nos últimos 5 anos de minha vida de adulto. Ela, muito diferente de mim nesse aspecto, me ajuda muito a conter a criança estúpida que teima em não crescer dentro de mim, contendo meus gastos compulsivos, colocando meus pés no chão.

E numa tarde, no dia anterior à viagem que fez à sua mãe,em Minas Gerais, ela disse pra mim: "Sem camisinha". E eu fiquei até meio assustado na hora, mas sorri, era como se depois de todos aqueles meses ela enfim tivesse conseguido confiar em mim a ponto de achar que eu, apesar de tudo, poderia ser o pai do seu filho. Mas, a menstruação veio e veio esse mês de novo (tentamos novamente) e sendo assim, nada de responsalidade vitalícia por uma vida ainda. Ainda.

 

Você ainda não conhece a sogra (pelo que entendi) o que espera do encontro?

ENXAK: Ela parece ser do tipo bicho do mato, bem conservadora. Tenho um pouco de medo, não dela, mas da impressão que posso passar. Espero ser gentil com ela e que ela não seja o estereótipo de sogra chata que todos dizem.

O que você mudaria em você? E porquê?

ENXAK - Pouca coisa. Talvez só o medo, às vezes. Queria ser ainda mais impulsivo, dar mais a cara a bater, não me preocupar com o que pensam de mim, tudo isso em dose tripla, porque na verdade, eu já sou assim.

Mas refletindo melhor aqui, talvez eu gostasse de extrair de mim a verdade compulsiva. Uma vez disse pra Mariana que acho os pés dela feios pra caramba e que ela devia cuidar deles melhor e aquilo a magoou. Como cresceu na roça, devia andar muito descalça. Gostaria de mudar isso, essa impulsividade em sempre falar o que me vem à cabeça, sem utilizar filtro algum entre a cabeça e a boca. Ficamos dias afastados e eu me sentindo um ogro. Foi péssimo. Na verdade até acho charmosos os pés dela agora, uma beleza rústica muito sexy...

 

Como é sua família? Tem irmãos? O seu relacionamento com eles (a família como um todo) é bom?

ENXAK: Éramos seis. Hoje só eu continuo com meus pais, sou o caçula.Tenho 2 irmãs e 1 irmão. Há também uma sobrinha, de 14 anos, que minha mãe cuida, filha da minha irmã mais velha e que tem vários problemas de saúde, ficou mais de uma semana na UTI na metade deste ano (epilepsia) e dá bastante trabalho à velha. A mãe dela mora hoje com outro cara e não com o pai da menina e minha mãe como sempre cuidou dela desde pequena, pegou afeição, já que a mãe sempre trabalhou muito.

Minha relação sempre foi tranquila com toda a família. Talvez só com meu pai a coisa não seja tão amigável, já que ele vive dizendo que eu só faço merda (especialmente agora com esse negócio de abandonar o serviço, sem falar das muitas vezes que desisti da faculdade). Mas eu gosto muito dele e de todos. Temos uma história de família bem "novelesca" até. Meu pai é pernambucano e minha mãe carioca. Ela o conheceu lá e por lá ficou. Ele tinha um armazém muito bem sucedido na cidadezinha de Itambé - PE, além de quatro casas que ele alugava e tínhamos um nível de vida, para os padrões da região, muito bom.

 

Porém, em 1986, quando eu estava com apenas 6 anos, meu pai começou a sofrer umas ameaças, de uns concorrentes dele, um mercado grande que acabara de abrir. Ameaças de morte mesmo e teve que vir embora. Largamos tudo. Lembro até hoje de uma noite em que eu, abraçado com minha mãe e minha irmã mais velha, vimos um carro passando em frente nossa casa, lentamente, até parar e ficar por ali por longos instantes. Foi aterrorizador.

 

Viemos para o Rio, ficamos lá menos de um mês e depois meu pai resolveu que iria morar em São Paulo, onde conhecíamos apenas um irmão de minha mãe,que morava por aqui. E no começo foi tudo muito duro. Moramos num pequeno barraco, numa favela em que, quando chovia, a água passava por baixo da nossa cama, nos deixando ilhados. Passamos fome e tudo mais. Com a grana que ele conseguiu vendendo tudo o que tinha de valor no nordeste só conseguiu comprar o bendito barraco, nos manter por algum tempo, e nada mais. Mas com muito trabalho (ele conseguiu um emprego na Volkswagen) ele construiu nossa casa e hoje vivemos bem. Tenho orgulho dele, apesar de ele ter sido meio covarde na época. Gostaria que ele tivesse sido mais Clint Eastwood e tivesse enfrentado os forasteiros na bala. Mas ok...A vida não é filme.

 

Enxak e seus (muitos) dilemas morais...que algum funcionário zeloso do INSS (ou das Lojas Americanas) não leia os trechos abaixos...

 

Uma vez, no antigo tópico de Últimos Dvds Adquiridos você admitiu ter trocado a etiqueta de preço de um dvd e ainda se gabou de que os funcionários não tinham visto (Lojas Americanas). Você acha isso ético? Faria de novo? Porquê? (É, talvez você não lembre, mas eu sim... )

ENXAK: Não acho ético, sabia que estava fazendo a coisa errada. Mas gosto disto, de burlar as concepções, incluindo as minhas próprias, aquelas que meus pais ensinaram e aquelas que eu mesmo construí. Saber que vc pode tudo, entende? Não estaremos aqui por muito tempo, o lance de viver intensamente é algo que eu gosto de seguir. Mas não como nos comerciais de cigarro, ou de cerveja,aquela coisa de aproveitar o verão pulando de bungee jump, essas coisas...Gosto de explorar todas as possibilidades que me são apresentadas perante as situações.

Estou recebendo R$ 1.100 por mes, sem ter que trabalhar, porque finjo ter problemas de saúde. Sei que isso é anti-ético, mas e daí? Estou prejudicando alguém? Só estou pensando no meu bem estar.Trabalhei demais já, mereço umas férias. O lance com os DVDs eu não faria novamente porque já foi, já fiz, já consegui. Emoção repetida não tem graça. Saí daquele dia da loja me sentindo o cara mais foda do mundo, por ter conseguido levar alguns DVDs por um preço bem menor do que o verdadeiro, sem que sequer desconfiassem de nada. Furei o sistema deles. Consegui enganar uma das maiores rede de...(como pode ser nomeada as Lojas Americanas?) do país, mas não roubando milhões, como eles fazem, vendendo um DVD por 50 reais no seu lançamento e depois de alguns meses baixando para o preço justo, 19 reais. Só roubei algumas dezenas de reais,e não sinto vergonha nem arrependimento.

 

Mas como já disse, não faria de novo, sei que é errado, que não é assim que funciona,que não posso contar isso com orgulho para meus filhos. "Ouça o que eu digo, não ouça ninguém".

 

Fingir que está doente para continuar recebendo os benefícios da empresa que trabalha... você diz isso assim? Sem nenhum pudor? Alguém já te chamou de vagabundo? O que seus pais pensam disso (se é que eles sabem)? Ou melhor o que a Mariana acha disso?

ENXAK - Sem pudor algum. É uma sensação parecida com aquela dos DVds. Quantas e quantas vezes fiquei lá,fazendo hora extra, sem ser pago? Quantos e quantos finais de semana tive que ir trabalhar, acordando às 4:30 da manhã, só para ficar lá, monitorando malditas máquinas? Se os médicos peritos do INSS são péssimos e não conseguem distinguir se estou mentindo ou não, sinto muito, eu pelo menos estou fazendo minha parte bem feita (a atuação).

Encaro como férias remuneradas. Um dia eu volto. No início eu realmente tive problemas, com a coluna, mas já fiz o tratamento e estou bem. Porém antes do término do benefício, inventei que estava com depressão, síndrome de panico, etc...E fui à uma psquiatra. Ela me receitou Rivotril e Prozen. Nunca tomei uma pípula sequer, obvio,mas isso vem me garantindo meu salário desde agosto. A última vez que fui fazer perícia médica fiquei lá,sentado na cadeira, sem dizer um A, apenas entreguei a receita da psicóloga fajuta. O cara carimbou e me liberou até 29/03/2007. Em janeiro completo um ano de férias remuneradas.

Meu pai acha péssimo. E me chama de vagabundo. Mas não vejo dessa forma, por isso não me ofendo. Minha mãe me protege, acho que ela acredita que eu sei o que estou fazendo e que em breve voltarei ao trabalho. A Mariana acha que eu ainda vou me ferrar, mas admite que sou esperto o sufiente para saber a hora certa de parar com isso.

Em um certo fórum de internet...

 

Se um dia surgisse um convite para a moderação você ficaria... porquê?

ENXAK: Ficaria lisonjeado (apesar de não aceitar), porque afinal a moderação teria deixado de ser uma espécie de academia brasileira de letras, onde só os velhos babões ocupam cadeiras, eu seria o reprentante do povo, sem se render jamais ao sistema, seria um revolucionário...Mas...Justamente por essas características, por ter a imagem de um usuário sem estabilidade, pelas merdas todas que já fiz e continuo fazendo, na maior cara de pau, como a criancice de convidar o Lordshake para o Pablito de Ouro, só para "causar", como se estivesse gritando "Não são os usuários que devem ter medo da moderação, mas os moderadores que devem ter medo dos usuários" (assinatura brilhante do TOH,que deveria ter vencido,o Jorge Soto é um rabudo).

Pura bobagem, eu sei. Mas considero muito mais construtivo que manter a imagem de um ser inacessível, sem rosto, sem emoções e programado para matar. Sou gente porra, sou povão. Faço muito mais pelo fórum que mais da metade da moderação e isso eu posso dizer sem muita preocupação com a falta de modéstia, pois sei que até os que acharem essa afirmação arrogante, concordará com isso, no fundo.

 

Não preciso ser moderador para contribuir com o fórum.Nem quero.Trabalhar de graça é pra otários.<?xml:namespace prefix = v ns = "urn:schemas-microsoft-com:vml" />

 

Momento saia justa aqui no fórum. Qual foi?

ENXAK: Acho que quando saí do fórum, com o fim da Casa dos Artistas 2. Foi exagerado. Mas estava irritado, pedi para deletarem a conta e depois voltei atrás, voltando como Elvis Presley (e mais adiante pedindo pra voltar ao nick original). Mas mesmo me sentindo meio estúpido retornando dias depois de ter dito que não voltaria, levei na boa, naturalmente.

Não sou do tipo orgulhoso, do tipo que não admite as cagadas que faz, do tipo que cria uma redoma de cristal em torno de si mesmo. Estou prestes a fazer uma cagada a qualquer momento, como todo mundo. A diferença é que eu não me preocupado tanto com o fato de ela acontecer mesmo ou não, deixo rolar pra ver no que dá. Aprendemos muito limpando nossa própria merda. No caso da Casa dos Artistas 2, aprendi a ser responsável com minhas responsabilidades, afinal havia umas 14 pessoas envolvidas no game e por causa de problemas internos (com o Jack, Lordshake), abandonei o barco. Fiquei feio na fita, ciente disto, voltei já com um novo projeto em mente,"O Cinéfilo", esse totalmente ambicioso, para limpar com creolina mesmo a merda que eu fizera.

 

E acho que limpei direitinho, afinal o fórum hoje poderia ter fechado se não fosse "O Cinéfilo", com o caminho que estava tomando. Falo isso sem modéstia alguma porque não pego os méritos só para mim. Sua presença na moderação foi muito importante, pois foi vc quem percebeu a possibilidade de extender a dinâmica de "O Cinéfilo" para o fórum num aspecto mais geral, com o "Cineclube em Cena".

 

Hoje, flood é na CMJ e se fala de cinema ao invés de se discutir se filme A é melhor que filme B.

Com quem não vale a pena manter diálogo aqui e porquê?

ENXAK: Tem muita gente burra no fórum. Poderia citar alguns nomes para criar polemica (é isso que vc quer né?), mas é que no geral me dou bem com todo mundo, mesmo com aqueles que considero completos idiotas, divirto-me com a idiotice alheia.

Mas...Vou citar um nome, pelo menos: Ethan Hunt. Esse é caso perdido. Desde que entrei no fórum, em outubro de 2004, esse cara é sempre o mesmo zero à esquerda que escreve com fonte azul, nunca vi ele postar NADA de aproveitável. Não entendo como pessoas assim não se sentem desenturmadas num fórum recheado de tanta gente inteligente.

Enxak por Enxak...

ENXAK: Egocêntrico (quem não admite ser, ou realmente não é, tem sérios problemas de auto estima), desprendido das coisas materiais, bagunceiro, desligado para coisas realmente importantes, atencioso com coisas supérfluas, malvado às vezes, afável em muitas outras, sincero, mentiroso quanto necessário, humilde, birrento, mimado, chato pra caralho às vezes, mal educado, pegajoso com quem amo, e uma pedra no sapato de quem não gosto.

Sou um amor de pessoa hahahaha...

Alguém te tira do sério quando...

ENXAK: Sou muito teimoso, sempre acredito que tenho a razão (e na maioria das vezes isso é a mais pura verdade). Me tira do sério ser contrariado, quando me impedem de fazer o que eu estou empolgadíssimo pra fazer, quando estou rodeado por pessoas que falam demais (quem muito fala, pouco diz) e principalmente quando estou sob pressão.

Odeio telefones tocando e correria de escritório, isso que me fez desistir do trabalho. Ser "domado" por um chefe é uma merda, odeio ser doutrinado. Sei que em muitos casos elas são necessárias, mas na maioria das vezes, elas não se encaixam naquilo que eu acredito ser a melhor opção.

Você comenta sobre viver intensamente, morrer sem ter realizado as coisas que imaginou te preocupa? Isso não seria uma forma de justificar o que faz?

ENXAK - Provavelmente sim, acho que seria isso o que uma psicóloga me diria. Mas psicólogos não sabem de nada. Só eu sei quem eu sou. Já fiz algumas sessões, há muito tempo atrás e era divertidíssimo, eu mentia pra caramba pra ela, dizia tudo o que ela esperava ouvir, aqueles clichês de cadeira de analista “Meu pai não confia nas minhas capacidades”, etc... Meias verdades, na verdade. Ou mentiras sinceras, não sei.

Mas voltando ao assunto...Tem um pouco disso sim em mim, de querer fazer tudo ao mesmo tempo, agora. Isso é bem refletido no fórum (Enquanto fazia o Pablito estava bolando a Caras de Pau e já elaborando regras para o Big Brother CeC e até mesmo O Cinéfilo 2), e mesmo no meu dia a dia. Sou hiperativo, sempre fui. E fico muito frustrado quando não termino coisas que comecei (como meu último livro), tenho medo realmente de sair deste mundo sem ter deixado algo digno de lembrança. Afinal somos mais o que fazemos do que o que somos, creio eu.

Você já sentiu que a vida não tinha mais sentido para você? Quando?

ENXAK - Por um tempo eu realmente passei por algo perto disso, depois de umas desilusões amorosas, antes da Mariana. Mas foi por muito pouco tempo mesmo é que eu acreditava realmente que com aquela seria pra sempre, mas não tinha nada a ver, éramos muito diferentes, muito intransigentes um com o outro. Sem falar que ela deve ter me chifrado. Não era uma relação sadia, mas eu insistia em mante-la, não sei muito bem porque. Status talvez. E quando acabou eu queria morrer, achava que ninguém nunca mais gostaria de mim, que aquela tinha sido minha última chance, um monte de babaquice emo...

Mas um dia abri a porta do quarto, fiz uma faxina (faxina no quarto é sempre muito terapêutico) e me desintoxiquei aos poucos, enquanto ouvia o Álbum Branco dos Beatles. Hoje isso é só uma mancha, uma nódoa sem muita cor, em meu passado.

 

Forasteiro demonstrando que fez bom uso do material lido previamente... sem tréguas, dilemas morais são lembrados, de novo. Alguém precisa de cura?

 

Avatar

 

 

 

Ainda que more na mesma casa que seus pais, apenas um andar acima, só agora, com 27 anos, você experimenta a sensação de cuidar e administrar o lugar em que vive. Por que demorou tanto? Motivos financeiros ou a falta de coragem? Se não fosse sua mulher, você acha que teria tomado esta decisão? Ou melhor, será que, sozinho, você a tomaria algum dia? Morar com seus pais e depender deles, não é a mesma coisa que sacanear a previdência?

ENXAK - Vamos começar do final: Quando eu trabalhava e recebia minha grana honestamente, sem os artifícios que utilizo hoje, eu gastava toda minha grana de forma totalmente egoísta, comprando minhas futilidades, comia da comida da despensa do meu pai, limpava minha bunda com o papel higiênico que ele comprava e tudo mais. Resumindo: Eu trabalhava e recebia meu dinheiro como manda o figurino, porém empregava o dinheiro de forma errada.

Hoje, eu não trabalho, pois finjo estar incapacitado, mas continuo recebendo meu dinheiro com um porém: Agora eu divido as contas de luz, água e telefone com meu pai (por livre e espontânea pressão de minha cônjuge), faço a despesa do mês separadamente do meu pai e pouco sobra para meus gastos supérfluos. Resumindo: Eu recebo meu dinheiro de forma errada, mas emprego este dinheiro da forma certa. Ou seja: Eu nunca estive totalmente certo, nem totalmente errado. Mas pode haver sim essa similaridade entre “roubar do meu pai” e “roubar da previdência”. Só que a diferença está no seguinte ponto: Meu pai é um trabalhador,o cara que me pôs no mundo. A previdência é de quem? Do Lula? Sei lá...Não me importa. Me sinto melhor na atual situação.

 

Só respondendo as outras perguntas: Se não fosse minha mulher, certamente tudo continuaria como estava, ou pior, pois eu estaria “aposentado” e gastando toda a grana com coisas supérfluas. Sozinho eu não tomaria essa decisão, acho, por comodismo. Mas nunca pretendi passar a vida inteira solteiro, então,fatalmente, isso mudaria.

Você diz ser cheio de falhas como todo mundo e que assumi-las é uma forma de tentar mudar, ou pra usar suas próprias palavras, "um passo à cura". Porém, respondendo à pergunta sobre as Lojas Americanas, você parece irradiar orgulho dos atos moralmente condenáveis que pratica. Tem certeza de que quer mesmo ser "curado"? Você não trocaria mais os preços dos produtos na loja, seria algo "repetido", mas e furar a fila do banco? Entrar no cinema sem pagar? Receber o troco a mais e ficar quieto? Você deixaria de ganhar mais de mil reais por mês, de graça, só para alcançar a "cura"?

ENXAK - Se eu quero ser mesmo curado? Essa é a pergunta de um milhão de dólares.

Esse é o grande conflito existencial, acho,de todos nós que, assim como eu, não se preocupam em manter uma postura correta, “para inglês ver”. Não sei responder. Acho que a essa “cura” é vista por mim,como o cume de uma montanha muito alta, sendo que vez ou outra, eu me descuido (às vezes de propósito) e deslizo um pouco, atrasando a chegada nele. Atrasando,mas nunca desistindo da escalada.

Seus filhos, em nível de hipótese, são citados como fator que poderá ser determinante neste seu comportamento. Quando você finalmente se tornar pai, acha que conseguirá sacrificar estes atos dignos de um orgulho negro em função da educação dos seus filhos? Sabe, um pai estava com o filho no ônibus uma vez. Ele foi passar pela catraca e pediu ao cobrador com que idade as crianças começavam a pagar. "Com cinco", o outro respondeu. Então o cara passou o moleque e pagou duas passagens, pois ele tinha seis anos. O cobrador se surpreendeu e disse que ele era burro, que poderia ter passado e que ele não ficaria sabendo de nada. "Mas meu filho saberia". Você gostaria que seus filhos fossem como você, espertos, malandros, ou que não tomassem o caminho mais fácil em função da moralidade? Você ensinaria seu filho a burlar a catraca do ônibus?

ENXAK - Sim, acredito que ao me tornar pai passarei por uma revolução gigantesca que mexerá em todos meus alicerces morais. Não consigo pensar que seja diferente, que meu filho de repente venha ao mundo, como uma fabulosa mágica realizada através de um ato de amor e total confiança e cumplicidade entre eu e minha mulher, seja apenas um acontecimento banal, como a campra de um botijão de gás, ou sei lá o que.

É sim um fato e tanto, algo que não mais permitirá que eu seja a mesma pessoa que hoje sou, ou pelo menos que mude a minha percepção diante de muitas coisas, me fazendo enxergar coisas que antes eu não via. Falando isso, sinto meio inocente, talvez na verdade nem seja assim,seja só “Putz,agora tenho que comprar uma porrada de fraldas”, mas prefiro acreditar que não seja só isso. Caso contrário, acho que serei um pai “alpinista”, sempre em direção ao cume, passando por acidentes esporádicos, com uma criança e esposa pendurados por uma corda.

Você escreve um livro. Quais são suas pretensões pra ele? Acha que um dia será lançado, trabalha pensando nisso, ou é apenas uma forma de auto-afirmação? Da necessidade de se sentir bom, talentoso? Não seria apenas um mecanismo para manter e nutrir esperanças? Seu lado escritor tem algo a ver com sua meta profissional de vida? Você espera estar trabalhando com o quê aos 40 anos?

ENXAK - “Tudo que já fiz foi por vaidade”, dizia o Renato Russo em uma de suas músicas. Não há frase mais verdadeira que essa.Tudo o que fazemos, no âmbito realizador, criativo (mesmo que não absolutamente) é por vaidade.

Mas além desse fator existe realmente essa minha fascinação pela escrita, desde muito pequeno. Tenho uns 5 cadernos manuscritos aqui em casa,que eu fazia com 10,12 anos. Pretendo sim, um dia,investir neste livro que estou escrevendo, pois acredito que a história tem um bom potencial, até mesmo comercial. Daria um bom filme ou mesmo um seriado.

 

Com 40 anos espero conseguido me formar jornalista ou publicitário e já ter uns 6 livros lançados, uma série de sucesso que me deixe milionário, como a escritora do Harry Potter, aí posso devolver cada centavo que roubei da previdência doando a algum asilo, ou dando pros meus pais,d e quem roubei muito mais durante a vida toda e que já estarão velhinhos o suficiente para representar a classe.

Sobre cinema, foi observado na CMJ, não lembro por quem, que seu filme preferido é Amadeus mas seu avatar é sobre Laranja Mecânica. Esses são os dois filmes que apresentam os personagens mais fascinantes do cinema (sem esquecer do Travis Bickle, de Taxi Driver), Salieri e Alex DeLarge.

Qual seu preferido e com qual você mais se identifica? Seria a frustração de Salieri ou a necessidade de violação do Alex? Ou eles não representam nenhum fragmento de espelho pra você?

ENXAK - São 3 personagens com aspectos bem emblemáticos. Necessidade de violação + Frustração + Solidão/Necessidade de agir contra o que acha errado com as próprias mãos.

São sentimentos que me definem um pouco sim, mergulhando mais profundamente em uma análise própria, longe daquela descrição frívola que fiz para o Nacka,no “Enxak por Enxak”. A necessidade de violação está explícita em muito do que demonstro, a frustração está implícita em muita coisa,no dia a dia,em situações corriqueiras. É bem mais fácil para mim pôr para fora, explicitar meus defeitos, minhas “maldades” que minhas frustrações, então muitas delas acabam ficando jogadas no limbo do meu subconsciente.

 

Acho que deve ser assim com a maioria. E a solidão,como aquela do Travis,está muitas vezes representada na sensação de que sou um estranho no ninho, o lance da aceitação, que era bem mais acentuada na adolescência, que foi sendo substituída (ou camuflada?) aos poucos,como no personagem do Scorsa, pela necessidade de agir contra o que acho errado,com as próprias mãos, que de certa forma se funde com o aspecto 1. Ou seja, todos os personagens estão no mesmo espelho, que está fragmentado, refletindo cada um deles aleatoriamente, quando olho para ele.

Pra finalizar, por que, afinal, você se dedica tanto ao fórum?

ENXAK - Novamente o lance da vaidade. Mas aqui entra também a interação, o prazer de interagir com outras mentes pensantes. É divertido e ao mesmo tempo recompensador, pois gera uma mobilização perante aqueles que estão envolvidos.

É aquela coisa dos “pequenos poderes”, para suprir a frustração de ser o tempo todo dominado, seja no trabalho, na escola, ou até em casa, pela patroa que exige que eu lave os pratos que eu sujo, mas com a vantagem de ser algo que estimula talentos (no caso de “O Cinéfilo”, pelo menos,que é o que mais me orgulha).

 

Silva, o bonzinho, muda de assunto e quer saber porque gastamos tanto tempo na net e sobre nossas mazelas políticas...e sim, isso tudo aí embaixo é uma pergunta.

 

 

Avatar

Há um certo tempo o alcance da internet, bem como a informatização, vem crescendo em proporcões estratosféricas não só aqui no Brasil (ainda que no nosso país tenhamos pessoas que ainda não têm um "e-mail" ou que ao menos mexeu em um computador), mas também no mundo.

Vários aplicativos como o MSN e o YahooMesseger vêm proporcionado o estreitamento das fronteiras, permitindo que você possa conversar com várias pessoas ao redor do mundo. Por outro lado, os jogos on - line estão crecendo cada vez mais, a ponto de ter atualmente no mercado um "jogo" onde você pode "fazer o que quiser", inclusive ganhar dinheiro real (o nome dele é "Second Life"). Inclusive o Forasteiro, na nossa revista eletrônica "Caras de Pau" (capitaneada por você), escreveu algumas linhas sobre essa convivência com outras pessoas pela internet, usando como objeto de analise o nosso fórum. Em contrapartida, algumas pessoas alertam para o perigo do total "isolamento físico" das pessoas por conta desse avanço tecnológico e pelo "estreitamento das fornteiras", pelo fato de que cada vez mais passamos mais tempo no computador do que convivendo com "amigos reais", interagindo pessoalmente com pessoas que estão, pelo menos por localização, mais próximas, diminnuindo, assim, o convívio social (inclusive no Japão e na Coréia existem vários casos desse tipo, de pessoas que ficaram mais de dois dias ininterruptos conectados a internet jogando on - line o usimplesmente conversando).

 

Para você, até ponto esse avanço tecnológico, esse estreitamento de fronteiras é prejudicial??? Ou o problema não é no avanço tecnológico, e sim, nas pessoas que usufruem dele??? Você acha que, futuramente, estaremos cada vez mais diminuindo o nosso convívio social, cada vez mais saindo menos de casa, cada vez mais utilizando o computador como único meio de comunicação e entreterimento??


 

ENXAK - Bem, assim como qualquer outra coisa, a internet deve ser usada de forma moderada e produtiva, sem que nos esqueçamos que não passa de um meio de comunicação (dos melhores, aliás, por conciliar um pouco de todos os outros) e não um universo paralelo em que vale tudo.

 

Fico imaginando como serão os adultos daqui a uns 30 anos, ou até menos.Todo esse conceito que temos da avó que conta histórias,do pai que trabalha e da mãe dona de casa, das crianças brincando na rua, jogando bola, estará totalmente distorcido. Se é ruim ou bom? Nem uma coisa nem outra. Mudanças são inevitáveis, já que somos seres em constante desenvolvimento. Cabe àquele que utiliza a tecnologia e os novos conceitos de sociedade, saber atuar de forma produtiva, sem esquecer-se de quem é e do que somos: Pessoas, altamente propensas ao erro, que nascem para morrer. É preciso aproveitar-se o breve intervalo entre um evento e o outro, da melhor forma possível, mesmo quando esse tempo for utilizado na frente de um computador.

Recentemente foi aberto no fórum um tópico chamado "Longevidade no fórum", onde o Fulgora fala, entre outras coisas, que é impossível permanecer em qualquer fórum por tempo inderteminado, por conta da repetição de assuntos. Tendo em vista que você é um dos "veteranos" daqui do fórum, qual a sua opinião a respeito disso??? Você concorda com ele??? Você acha que podemos constantemente participar de forma indeterminada em um fórum??? De que maneira?? O que devemos fdazer para que os assuntosa não se repitam??? Ou isso é impossível de acontecer, de uma forma ou de outra, eles váo se repetir??

ENXAK- No meu caso, o que me prende ao fórum são as amizades que construí, além dos projetos que eu toco para a frente. As discussões onde realmente se vale a pena participar são cada vez mais raras, especialmente no Geral, mas no Filmes em Geral, desde a criação do Cineclube em Cena, acho que as discussões nunca foram tão estimuladas. Não participo tão freqüentemente justamente por causa do meu comprometimento com os diversos projetos criativos. Me tornei numa espécie de Silvio Santos do fórum, o homem do entretenimento e me sinto bem neste papel. Enquanto existir gente lá para brincar comigo, lá eu estarei.

Sobre política: Já é assunto mais do que batido que o nosso país tem uma boa gama de políticos corruptos. E também uma boa parte deles não possuem competência para serem representantes do nosso povo. O nosso povo, por sua vez, nesse mais de 20 anos de democracia, demostrou que ainda não "aprendeu a votar", tendo em vista que vários parlamenteares acusados de corrupção conseguiram se reeleger. Isso sem falar naqueles que foram eleitos somente por sua "fama" (Frank Aguiar, Clodovil, entre outros). Entretanto, o fim de alguns "coronelismos modernos", como o de Antônio Carlos Magalhães na Bahia, ou ainda o da família Sarney no Maranhão, apontam, na opinião de alguams pessoas, uma luz no fim do túnel. Você acha que o "país têm jeito"??? Acha que,um dia a desiguladade social diminuirá em todos os sentidos??? Acha que, um dia, teremos um governante razoávelemtne decente, com parlamentares que representem verdadeiramente os interesses da população???

ENXAK - Não. Gostaria de apenas responder essa pergunta com esta palavra, pela fadiga, pois creio que somos um povo, no geral, que precisa de uma educação melhor para poder desenvolver um senso crítico mais apurado e assim conseguir tomar melhores decisões. Por outro lado, penso que isso não ocorrerá, pois o povo para conseguir isto teria que eleger um cara realmente bom, mas o fator exposto impede isso. Ou seja: Não tem jeito. Acho que sempre vamos ter que nos contentar com governos paliativos, na melhor das hipóteses e com um povo composto por classes, não só sociais, mas também classes de consciência distintas.

Nosso "trainee" de hoje começa bem bonzinho, só pra depois chutar sem dó o passado do rapaz, a ursinha é finalmente citada.

 

 

Avatar

 

 

 

 

 

Um dos sucessos jovens atualmente é o High School Musical que foi exibido recentemete na Globo. Feito pela Disney, o filme e a série é uma febre entre os jovens e adolescentes. Um comentário que ouvi no tópico desse filme no Filmes em Geral é que esse filme tinha tudo pra virar um clássico da Sessão da Tarde, e que daqui à alguns anos muitos vão idolatrar esse filme (mesmo não sendo lá grande coisa). Como se vê que vários filmes adolescentes em geral de várias épocas, mesmo não tendo muita qualidade acaba virando cults, então a pergunta é:

 

Quando já mais velhos, temos a tendência de idolatrar, ou cultuar aquilo que gostávamos na juventude? Como fazer para não se deixar dominar com o sentimento de nostalgia que temos em relação a juventude e ficar valorizando coisas que já ficaram para trás?

ENXAK - Acho que é uma tendência natural, pelo efeito nostágico. Mas mesmo dentro desta nostalgia sempre cabe o bom senso de discernir os filmes bons dos ruins. Não vi esse tal High School Musical, mas me parece uma coisa meio “Rebelde”, recheado de clichês da “fauna escolar norte-americana”, como o líder do time de futebol, a tímida de óculos impopular que se dá bem depois, etc...Mas e daí?

Hoje nos apegamos a isso porque já temos esses conceitos formados, há coisa mais clichê que um cara que mata aula pra não ir pra escola, e tem um amigo nerd e uma namorada,que saem para curtir o dia com uma Ferrari e depois se envolvem numa parada e cantam Twist And Shout? Bem, pensando melhor, isso não é tão clichê,realmente era uma década com filmes de enredo criativo, mas acho que entende o que quero dizer,que como assistimos a esses filmes em nossa infância/adolescência, temos essa tendência de ignorar as falhas e nos ater mais aos méritos. Ver o mesmo tipo de filme com os olhos de hoje, depois de muitos “O Poderoso Chefão”, “2001: Uma Odisséia no Espaço” e “Touro Indomável”, nos torna naturalmente mais “enjoados”. Sinal de evolução.

Todos aqui no fórum já sabem da sua história com a ursinha. Mas você tem algum outro fato curioso na sua biografia que poderia contar para o fórum? O caso da ursinha foi o fato mais, digamos, "bizarro" que aconteceu com você?

ENXAK - Sim, acho que sim. Mas teve também o lance de eu me masturbar deitado e espirrar esperma no meu olho, no auge da adolescência, quando a gente espreme o bicho até sair sangue, mas acho que isso também já contei aqui no fórum, e talvez nem seja tão incomum, um “auto-bukake”. Depende só do grau de “desengonçamento” do cidadão.  

A capacidade dos cozinheiros de lembrar e ligar fatos passados é impressionante, mestre Scofa cita um fato bizarro do tópico Perdidos no Espaço e o entrevistado não nega fogo. Aqui somos apresentados a uma visão peculiar das crianças. Medo...

 

Avatar

 

Há poucos dias atrás através do tópico Perdidos no Espaço nos deparamos com uma situação incomum que dizia respeito ao usuário Katsushiro. Talvez o fato que acabou por chamar a maior atenção foi a frase: "já que toda minha vida virtual nesse fórum é fruto de um estudo e de uma tese que estou a escrever." Katsushiro sempre apresentou um comportamento (desde que eu, por exemplo, ouvi falar dele pela primeira vez) que parecia incoerente com seu potencial de escrita, agressivo e muitas vezes adotava convicções extremamente rígidas e "pouco discutíveis" (por parte dele). Uma vez que esse comportamento representa uma infração clara às regras do "bom comportamento" (e que você diz admirar posturas diferenciadas), o usuário lhe provoca alguma simpatia? Por quê? Qual sua opinião sobre o caso (lembrando da relação entre vida virtual do Katso e que você é um dos "objetos" de tal tese)?

 

ENXAK - Não cheguei a acompanhar esse caso, para mim é uma surpresa esse lance da "tese". Que legal, agora somos ratinhos de laboratório... 

 

Mas o seu comportamento nunca me impressionou. Creio que num fórum como este, onde opiniões diferenciadas, ou melhor,posturas diferenciadas dos demais são sempre motivo para que os holofotes sejam atirados em cima de seus portadores. O comportamente do Katsushiro chega a ser até que bastante previsível. Porque o Amfíbio é lembrado sempre no Pablito de Ouro,e em qualquer discussão,como referencia de "usuário de humor corrosivo,que se utiliza do sarcasmo para "agredir" seus oponentes"?

 

Esse rótulo aqui neste fórum é na verdade um rótulo que parece ser o sonho de consumo de todos. Todos querem ser o "usuário de humor corrosivo,que se utiliza do sarcasmo para "agredir" seus oponentes", pois isso gera elogios, reconhecimento do pessoal. O selo de qualidade CeC. É um pouco idiota essa questão...

 

Acho que se utilizar do fórum, que tem inicialmente a função de proporcionar um debate de idéias, para construir um personagem de humor corrosivo, que se utiliza do sarcasmo para "agredir" seus oponentes" é muita babaquice. Vejo como uma forma de fugir das responsabilidades, de se apegar ao personagem para escapulir de uma exposição mais direta, evitando embates mais verdadeiros. As pessoas parecem ter vergonha de serem elas mesmas e encontram aqui um refúgio para tentar modelar para si próprias um belo auto-retrato. Admiro posições originais e legítimas. E não isto.


PERGUNTA: Você parece ter uma personalidade muito bem definida. Cada fator que a compõe descrita por você mesmo revela que as decisões em sua vida não são tomadas de forma aleatória, você pensa em cada uma delas e são todas coerentes com sua forma de pensar (talvez esse seja um motivo pela qual construa suas argumentações de modo tão rico em detalhes).

 

Normalmente formamos algumas opiniões desse tipo diante de situações que nos façam avaliar posturas à princípio cegas...por exemplo: no meu caso, não tenho muita simpatia por crianças. Este fato "inconsciente" está relacionado a minha percepção de que "dentro do mundo delas" a inocência que se prega não existe (noto isso por experiências que tive contato quando criança, com minhas próprias percepções do mundo infantil tanto quando criança quanto quando adulto).

 

É possível para você determinar em qual instante da sua vida percebeu que a demonstração de suas falhas e defeitos e sua iniciativa de burlar conceitos pré definidos o faria mais satisfeito consigo mesmo? Por que optou por esses "caminhos"?

ENXAK - Lembro que já conversamos sobre esse lance de "não gostar de crianças" uma vez e concordo plenamente com voce nesse aspecto de que o mundo infantil é muito cruel. As crianças são más. São preconceituosas. Não tem o menor respeito ao próximo e suas "brincadeiras" são sempre demonstrações gratuitas de agressividade, envolvendo muitas vezes a má competição e humilhação. Todos tem lembranças de abusos cometidos ou sofridos na infancia.

Quando criança eu era quieto, uma criança um tanto quanto alheia à realidade,sempre muito fantasioso e anti-social. Isso era motivo para que eu fosse o alvo das brincadeiras de todos os espertinhos,que me chamavam de Lango Lango, (eu tinha braços grandes, ainda tenho) entre outras gentilezas. E com o tempo fui abandonando minhas fantasias e tornei-me um deles, de forma um tanto quanto retardada, mas senti-me obrigado a revidar, isso já no colégio,na puberdade.

 

Acho esse comportamnto nas crianças bem compreensível. Afinal quando crianças, não temos ainda tanta noção de caráter, bom senso, muito menos a desenvoltura robótica para um bom convívio social,que adquirimos com o tempo. Somos animais pre-domesticados.

 

Ou seja, instintivamente somos assim, destrutivos. Com o tempo,ao enxergarmos o nosso meio em ambitos mais racionais, já com idéias melhores desenvolvidas de causa e consequencia, nos permitimos uma domesticação,para melhor nos relacionarmos. Detectar nossos defeitos e ter a disposição de os expor é uma necessidade quase que "redentora" de tentar um perdão antecipado, uma aceitação, já que defeitos existem para serem podados, em nossa consciencia.

 

Burlar conceitos nos dá uma sensação de poder,de liberdade,a mesma que temos ao humilhar uma outra criança na infancia, antes da domesticação. Só que de forma mais refinada, afinal temos os conceitos de "política da boa vizinhança" já implantadas em nós, então podemos brincar com isso, sem parecer sádico. A satisfação vem daí, da realização de uma necessidade instintiva de ser destrutivo. Quando optei por esse caminho?  A pergunta é: Porque OPTAMOS por este caminho. Acho que consegui responder por mim, pelo menos.

 

 

FIM

 

O Cozinha volta dia 24 de Dezembro trazendo para vocês a gracinha da Veras de presente...

 





 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu sou normal' date='eu sou normal!!!! [img']height=30 alt=aa src="http://www.cinemaemcena.com.br/forum/smileys/aa.gif" width=45 align=absMiddle>

 

 

 

 

 

Eu sou normal. Você é quase....

 

 

 

Assim como boa parte do pessoal aqui...06.gif

 

 

 

Enxak, valeu pela sincericade nas perguntas, pois quase todos os entrevistadores (menos eu, afinal, eu sou o cozinheiro "boa - praça" da equipe...06.gif ) pegaram pesado nas perguntas e você em nenhum momento fugiu delas, o que demostrou muito da sua personalidade (e que, durante esse tempo de "convivência" pela internet, percebe - se que não mudou...).

Share this post


Link to post
Share on other sites


Assim como boa parte do pessoal aqui...06.gif

Enxak' date=' valeu pela sincericade nas perguntas, pois quase todos os entrevistadores (menos eu, afinal, eu sou o cozinheiro "boa - praça" da equipe...06.gif ) pegaram pesado nas perguntas e você em nenhum momento fugiu delas, o que demostrou muito da sua personalidade (e que, durante esse tempo de "convivência" pela internet, percebe - se que não mudou...).
[/quote']

 

Valeu.Respondi às suas perguntas satisfatoriamente? As perguntas capciosas me deram um pouquinho mais de trabalho,mas as suas tbm eram muito boas.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×