Jump to content
Forum Cinema em Cena
Nacka

Obituários (in memoriam)

Recommended Posts

Atriz Betty Hutton morre aos 86 anos nos EUA

 

Betty_Hutton.jpg


 

 

x.gif

x.gif

x.gif


 

x.gifA atriz americana Betty Hutton, famosa nos anos 40, morreu aos 86 anos na cidade californiana de Palm Springs, informaram nesta terça-feira os estúdios Paramount, que não disseram as causas da morte.

Nascida em 1921, Hutton morreu na segunda-feira. Seu papel mais famoso foi o de Annie Oakley no filme musical Bonita e Valente, de 1950.

A intérprete ganhou o papel após a famosa Judy Garland ter ficado doente. No filme, cantou músicas populares como Doin'' What Comes Naturally, Anything You Can Do I Can Do Better e There's No Business Like Show Business.

A atriz começou sua carreira como vocalista de grandes orquestras, e sua mudança para Nova York e a estréia na Broadway a levaram à fama nos anos 40.

Após a assinatura de um contrato com os estúdios Paramount em 1941, Hutton atuou em diversos filmes dessa produtora, como Papai Por Acaso, uma comédia de Preston Sturges de 1944, na qual apareceu com o comediante Eddie Bracken e que significou seu primeiro papel não musical.

Em 1945, teve seu primeiro papel dramático em Chispa de Fogo. Outro de seus sucessos chegou em 1952 quando atuou como trapezista no filme de Cecil B. DeMille O Maior Espetáculo da Terra, que também contou com a participação de Charlton Heston e de Dorothy Lamour.

A partir deste filme, sua carreira caiu em declínio diante da recusa do estúdio de permitir que seu marido, Charles O'Curran, dirigisse os filmes nos quais atuava.

Em 1980, Hutton voltou a aparecer no musical Annie, onde encarnava Miss Hanigan, proprietária de um orfanato. Depois, tornou-se professora da disciplina de televisão e cinema na Universidade de Regina, em Rhode Island.
 

Nacka2007-03-14 11:53:33

Share this post


Link to post
Share on other sites

Notícia atrasada,mas vamos lá:

MORRE O ATOR DE O MÁSKARA
Ator de O Máskara morre com suspeita de suicídio
(13/03/2007 - 15h21)

Da Redação www.cineclick.com.br

Richard Jeni
No último sábado (10), foi anunciada a morte do comediante Richard Jeni em seu apartamento na cidade de Los Angeles (EUA). Jeni morreu com um tiro na cabeça que, segundo indícios, foi disparado pelo próprio ator. A namorada do comediante ligou para a emergência quando soube do incidente e uma hora depois o corpo foi levado para o Hospital Cedars-Sinai.

Os investigadores ainda não confirmaram a natureza do crime. Nos próximos dias, será finalizada a autópsia, quando poderá ser dito com precisão se o episódio se trata de um suicídio ou não.

Richard Jeni ganhou fama no início da década de 90 pelos shows humorísticos que escrevia e apresentava na TV norte-americana. Em 1993, chegou a receber o prêmio de melhor comediante do gênero stand-up, o que lhe proporcionou diversos convites para participações no cinema.

O ator viveu Charlie Shumaker na consagrada comédia O Máskara, de Chuck Russell, em 1994. Recentemente, fez uma aparição no documentário sobre o humor americano The Aristocrats, participando de um desafio de piadas.

Richard completaria 50 anos no dia 30 de outubro.

0000ca3010dr.jpg

P/quem não lembra do moço,é esse aqui.

 
Penelope.2007-03-20 20:26:36

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pai de astro americano é encontrado morto na prisão
 

x.gif

x.gif

 

x.gifCharles Harrelson, pai do ator Woody Harrelson, foi encontrado morto em uma cadeia do Estado americano do Colorado, onde cumpria pena, segundo informações da agência Ansa.

Charles, 69 anos, foi condenado, em 1979, à prisão perpétua pelo homicídio de um juiz que processava um traficante de drogas.

O pai de Woody Harrelson foi encontrado sem vida em sua cela na cadeia de segurança máxima. As autoridades estão investigando a causa da morte.
 

Beatrixx Kiddo2007-03-21 14:59:01

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

 

 

morreu ontem Bob Clark o diretor e roteirista dos inesquecíveis Porky's e Porky's II  - O dia seguinte (clássicos absolutos da Sessão da Tarde)

 

o ultimo filme que Bob Clark dirigiu foi Bebês Geniais 2 (que passa direto na Sessão da Tarde)

 

Diretor de cinema Robert Clark morre em acidente de trânsito na Califórnia

 

Washington, 4 abr (EFE).- O cineasta Robert Clark, que dirigiu

"Uma História de Natal" (1983), morreu nesta quarta-feira num acidente na Califórnia, disseram fontes oficiais.

 

Segundo um porta-voz da polícia, no acidente, ocorrido na região

de Pacific Palisades, também morreu seu filho Ariel Hanrath-Clark,

enquanto uma mulher não identificada que viajava no carro de Clark

ficou ferida.

 

Ainda de acordo com a fonte, o automóvel do diretor de cinema, de

67 anos, bateu de frente com uma caminhonete, cujo motorista

aparentemente dirigia sob efeitos do álcool.

 

O homem, identificado como Héctor Velázquez, foi levado para um

hospital com ferimentos leves.

 

Clark iniciou sua carreira como diretor de cinema no Canadá, em

1967, com o filme "The She Man". Depois, passou a fazer filmes de

terror, como "Deathdream/Dead of Night", "Children Shouldn't Play

With Dead Things" (1972) e "Black Christmas" (1974).

 

Nenhum desses filmes obteve sucesso de crítica ou público.

 

No entanto, Clark começou a ficar famoso por sua direção

imaginativa em filmes policiais e de suspense, como "Assassinato por

Decreto" (1979).

 

Nesse longa, Clark conduziu as interpretações dos britânicos

Christopher Plummer (como Sherlock Holmes) e James Mason (como

Watson) na resolução dos assassinatos de Jack, o Estripador.

 

Mas seu maior sucesso foi "Uma História de Natal" (1983),

considerado um clássico natalino e que sempre é exibido na TV nessa

época do ano.

 

Nos últimos anos, Clark vinha trabalhando em filmes para a TV.

 

Ele chegou a voltar à grande tela em "Acontece nas Melhores

Famílias", uma seqüência do seu filme de maior sucesso.

 

 

 

cinéfilo2007-04-05 14:37:56

Share this post


Link to post
Share on other sites

Morre Barry Nelson, o primeiro James Bond

 

Barry Nelson, o primeiro ator a interpretar o personagem James Bond,

morreu em Los Angeles (Califórnia), aos 89 anos, informou hoje sua

esposa, Nansi.

 

Sua mulher afirmou que a morte ocorreu quando o ator, que interpretou o

personagem dos romances de Ian Fleming para uma versão de televisão de

"Cassino Royale", em 1954, viajava ao estado da Pensilvânia no último

sábado.

Nelson foi durante quase toda a sua carreira um ator dos

estúdios MGM e entre seus principais papéis estão os vividos em "A

Sombra dos Acusados" (1941) e "A Estrada Proibida" (1944).

O ator interrompeu sua carreira para servir no Exército durante a Segunda Guerra Mundial.

 

Em seus últimos anos de trabalho teve papéis coadjuvantes em filmes

como "Aeroporto" (1970) e "O Iluminado" (1980), além participar de

seriados para a TV como "Murder She Wrote" e "Dallas".

"Foi um ator muito convincente e era bom tanto na comédia como no drama", disse seu agente, Francis Delduca.

Nelson se casou duas vezes e não deixa filhos.

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Morre a atriz Nair Bello aos 75 anos
 

x.gif

x.gif

 

x.gif

» 

x.gif


 >

x.gifA atriz e comediante Nair Bello morreu aos 75 anos nesta terça-feira, em São Paulo. Ela estava internada desde o dia 11 de novembro no Hospital Sírio-Libanês, na imeiro trabalho na televisão aconteceu em 1950, como garota propaganda. Depois disso, ela foi convidada para atuar no cinema no filme Liana, A Pecadora, de Antonio Tibiriçá, em que contracenou com a grande amiga Hebe Camargo.

O sucesso da personagem rendeu-lhe outro convite e seu segundo longa-metragem veio em 1952, onde atuou ao lado de Mesquitinha no clássico Simão, O Caolho. O cinema abriu as portas para que ela entrasse "de cabeça" na carreira de atriz.

Após as duas produções, ela atuou ainda em Os Apavorados (de Ismar Porto), Tô na Tua, o Bicho (de Raul Araújo), Das Tripas Coração (de Ana Carolina) e Fogo e Paixão (de Márcio Kogan).

A estréia no teatro aconteceu em 1976 na peça Alegro Deesbum, de Viana Filho. O sucesso na TV só veio em 1982 com o grande fenômeno da TV nacional Dona Santa, minissérie da Rede Bandeirantes.

Depois do êxito na Band, Nair foi para a TV Globo, onde participou de várias novelas de sucesso, entre elas Perigosas Peruas, Malhação, Vira Lata, Era Uma Vez, Torre de Babel, Uga Uga e Kubanacan. Recentemente, ela fez uma participação especial na novela Bang Bang, numa tentativa de levantar a audiência da trama.

Nos últimos anos, Nair Bello fez muitos programas humorísticos, seu ponto forte, como Sai de Baixo e A Grande Família. Antes de ser internada, ela interpretava a Dona Santinha no humorístico Zorra Total, da Globo.

Principais novelas
2005 - Bang Bang
2003 - Kubanacan
2000 - Uga Uga
1998 - Torre de Babel
1998 - Era Uma Vez
1996 - Vira-lata
1995 - Malhação
1994 - A Viagem
1993 - O Mapa da Mina
1992 - Perigosas Peruas
1983 - Maçã do Amor
1982 - Casa de Irene
1981 - Dona Santa
1980 - Olhai os Lírios do Campo
1978 - João Brasileiro, o Bom Baiano
1976 - Sossega Leão

Principais filmes
1988 - Fogo e Paixão
1982 - Das Tripas Coração
1971 - Tô na Tua, Ô Bicho
1962 - Os Apavorados
1952 - Simão o Caolho
1951 - Liana, a Pecadora

Beatrixx Kiddo2007-04-17 13:59:56

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

 

Morre a atriz Nair Bello aos 75 anos

 

x.gif

x.gif

 

x.gif

» 

x.gif

 

x.gifA atriz e comediante Nair Bello morreu aos 75 anos nesta terça-feira, em São Paulo. Ela estava internada desde o dia 11 de novembro no Hospital Sírio-Libanês, na imeiro trabalho na televisão aconteceu em 1950, como garota propaganda. Depois disso, ela foi convidada para atuar no cinema no filme Liana, A Pecadora, de Antonio Tibiriçá, em que contracenou com a grande amiga Hebe Camargo.

O sucesso da personagem rendeu-lhe outro convite e seu segundo longa-metragem veio em 1952, onde atuou ao lado de Mesquitinha no clássico Simão, O Caolho. O cinema abriu as portas para que ela entrasse "de cabeça" na carreira de atriz.

 

Após as duas produções, ela atuou ainda em Os Apavorados (de Ismar Porto), Tô na Tua, o Bicho (de Raul Araújo), Das Tripas Coração (de Ana Carolina) e Fogo e Paixão (de Márcio Kogan).

 

A estréia no teatro aconteceu em 1976 na peça Alegro Deesbum, de Viana Filho. O sucesso na TV só veio em 1982 com o grande fenômeno da TV nacional Dona Santa, minissérie da Rede Bandeirantes.

 

Depois do êxito na Band, Nair foi para a TV Globo, onde participou de várias novelas de sucesso, entre elas Perigosas Peruas, Malhação, Vira Lata, Era Uma Vez, Torre de Babel, Uga Uga e Kubanacan. Recentemente, ela fez uma participação especial na novela Bang Bang, numa tentativa de levantar a audiência da trama.

 

Nos últimos anos, Nair Bello fez muitos programas humorísticos, seu ponto forte, como Sai de Baixo e A Grande Família. Antes de ser internada, ela interpretava a Dona Santinha no humorístico Zorra Total, da Globo.

 

Principais novelas

2005 - Bang Bang

2003 - Kubanacan

2000 - Uga Uga

1998 - Torre de Babel

1998 - Era Uma Vez

1996 - Vira-lata

1995 - Malhação

1994 - A Viagem

1993 - O Mapa da Mina

1992 - Perigosas Peruas

1983 - Maçã do Amor

1982 - Casa de Irene

1981 - Dona Santa

1980 - Olhai os Lírios do Campo

1978 - João Brasileiro, o Bom Baiano

1976 - Sossega Leão

 

Principais filmes

1988 - Fogo e Paixão

1982 - Das Tripas Coração

1971 - Tô na Tua, Ô Bicho

1962 - Os Apavorados

1952 - Simão o Caolho

1951 - Liana, a Pecadora

 

 

[/quote']

 

demorou...

 

olha que você já tinha previsto isso na primeira página do tópico no ano passado

 

Amanhã eu vou colocar da Nair Belo e na segunda do Jece Valadão.

 

 

 

 

cinéfilo2007-04-17 14:12:04

Share this post


Link to post
Share on other sites

2007 fez mais uma vítima

 

Ator francês Jean-Pierre Cassel morre aos 74 anos

O ator francês Jean-Pierre Cassel morreu nesta quinta-feira aos 74

anos, depois de meio século de carreira cinematográfica, anunciou seu

agente.

 

Nascido em 27 outubro de 1932, em Paris, e batizado como Jean-Pierre

Crochon, Jean-Pierre Cassel, filho de um médico e de uma cantora de

ópera e pai do ator Vincent Cassel, foi descoberto por Gene Kelly

depois de brilhar em comédias de Philippe de Broca nos anos 60 ("Les

Jeux de l'amour", "Le Farceur").

 

Apaixonado pela comédia

musical, Cassel trabalhou com grandes cineastas, de Renoir ("Le Caporal

Épinglé") a Buñuel, passando por Chabrol, Clair, Losey, Melville e

Altman.

 

Entre seus filmes, Cassel fez "O exército das sombras", de Melville, e "O Discreto Charme da Burguesia", de Buñuel.

 

Nos anos 80 e 90 ele passou a fazer mais televisão e teatro.

 

 

 

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Morre Ingmar Bergman aos 89 anos, diretor de "O Sétimo Selo"

reuters.gif

AFP

Diretor%20e%20roteirista%20Ingmar%20Bergman%20morreu%20em%20sua%20casa,%20na%20ilha%20de%20Faro,%20no%20mar%20Báltico

Diretor e roteirista Ingmar Bergman morreu em sua casa, na ilha de Faro, no mar Báltico

Por Anna Ringstrom e Sarah Edmonds

ESTOCOLMO (Reuters) - O lendário cineasta sueco Ingmar Bergman, que influenciou gerações de cinéfilos com suas obras sombrias sobre temas como a morte e os tormentos sexuais, morreu nesta segunda-feira, aos 89 anos.

Sua filha Eva disse à agência sueca de notícias TT que o diretor e roteirista autodidata morreu em sua casa, na ilha de Faro, no mar Báltico.

Entre seus filmes mais conhecidos estão "Morangos Silvestres", "Cenas de um Casamento" e "Fanny e Alexander", vencedor de quatro Oscars. Esses filmes ajudaram a tornar a Suécia mundialmente associada à melancolia, mas fizeram de Bergman um mestre do cinema mundial.

Ao longo da carreira, ele realizou 54 filmes, 126 produções teatrais e 39 peças de rádio, além de programas para TV.

Suas obras-primas frequentemente lidavam com a confusão sexual, a solidão e a vã busca pelo sentido da vida -- temas que muitos atribuíam a uma infância traumática, quando ele era agredido pelo pai.

"Ele era um dos grandes", disse por telefone Jorn Donner, produtor de "Fanny e Alexander". "Eu o conhecia havia mais de 50 anos."

A vida particular de Bergman também costumava colocá-lo sob os holofotes. Casou-se cinco vezes, com mulheres bonitas e talentosas, e teve relacionamento com suas principais atrizes.

Em 2001, disse à Reuters, numa rara entrevista, que seus demônios pessoais haviam atormentado e inspirado sua vida inteira.

"Os demônios são inumeráveis, aparecem nos momentos mais inconvenientes e criam pânico e terror", disse Bergman na época. "Mas aprendi que, se eu puder dominar essas forças negativas e colocar arreios nelas, elas podem funcionar em meu benefício."

O jovem Bergman, que passou uma infância doentia, costumava apanhar do pai, um pastor luterano.

Em 1956, Bergman obteve reconhecimento internacional com "O Sétimo Selo", no qual está a clássica cena em que o cavaleiro medieval, à procura de Deus e do sentido da vida, joga xadrez com a morte. No ano seguinte, o filme recebeu o prêmio do júri em Cannes.

Em 1960 e 61, Bergman ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro. Voltaria a receber quatro estatuetas (inclusive, de novo, filme estrangeiro) em 1983, por "Fanny e Alexander", um filme com versões de três e cinco horas.

Depois de "Fanny e Alexander", o diretor anunciou sua aposentadoria do cinema, tendo dirigido apenas alguns especiais de TV, como o elogiado "Saraband", de 2003.

Bergman se estabeleceu na ilha Faro ("das ovelhas"), na costa sudeste da Suécia, depois de rodar sete filmes ali. Todos os verões, a ilha celebra a vida e obra de Bergman.

(Com reportagem de Fredrika Bernadotte, Helena Soderpalm e Adam Cox em Estocolmo, Terhi Kinnunen em Helsinque e David Cutler em Londres)

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Quando eu abri a página do Cine Players e vi essa porra de notícia lá, eu passei mal. Parei de comer, perdi até a fome. Fazia muito tempo que não ficava tão triste assim. Fazia muito tempo que não chorava como hoje. O mundo perdeu deus. A vida não faz mais sentido...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Engraçado, não sinto nenhum mal-estar quando alguém que deixou a sua marca entre os outros morre após se aposentar. Pelo contrário, acho até bonito. E não nego que sinto um pouco da satisfação que deve ter sentido o próprio falecido, no momento final. Antes morrer aos 89, tendo usado o tempo e o corpo para fazer tudo que podia até se bastar, do que morrer aos 39, no meio do caminho. Essa última, sim, é de entristecer.

 

Ao invés de condolências, esse sujeito merece, como muitos outros que se foram no tempo certo, os parabéns.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×