Jump to content
Forum Cinema em Cena
RegisPN

Aquaman - O Filme

Recommended Posts

Parte 2: A Crise 

 

 

Ano 2013. Atlântida passa por uma crise sem precedentes. Vários de seus cidadãos, adoecem misteriosamente e apesar da avançada medicina local, muitos vem a falecer em questão de dias. Algumas espécies de peixes, também contraem a doença, vindo a morrer mais rápido do que os atlantes.  Vulko, empenha-se dia e noite pesquisando a doença a fim de encontra uma cura. Em seus estudos, ele descobre que o vírus é resultante da combinação de lixos industriais despejados no mar. Tal revelação, inflama o desejo de vingança em uma parcela dos atlantes. Conforme o tempo vai passando e a epidemia vai se alastrando, um movimento extremista surge dentro da população atlante. Liderados por Murk*, eles planejam uma serie de ataques ao mundo da superfície em resposta ao que consideram uma agressão ao povo de Atlântida. Diante da crise que se instaurou em seu reino, Orin/Aquaman toma a decisão de ir falar com os representantes do mundo da superfície, na sede das Nações Unidas. A partida de Orin, se torna a oportunidade que Orm tanto esperava para arquitetar seu plano de tomar o trono de Atlântida. Sem que ninguém soubesse, Orm e Murk formam uma aliança para derrubar Orin e dar o troco no povo da superfície. Orm, arruma um jeito de Murk e seus mais competentes seguidores, deixem Atlântida secretamente, levando consigo armas e uma surpresa que segundo Murk, irá causar muito pavor. Enquanto isso, Orin se despede de Mera que indaga se ele estaria fazendo a coisa certa. Aquaman responde dizendo que se eles quiserem ter um futuro juntos, não pode haver guerra. Os dois se beijam e Orin desaparece da vista de Mera, conforme vai nadando para longe de Atlântida. 
 
Em uma cidade costeira dos EUA, pescadores enfrentam uma maré violenta. Quando  um dos barcos vira, um dos pescadores se encontra incapaz de nadar, começando a afundar no mar. A morte parecia certa, quando de repente, ele é salvo por um "homem peixe", na verdade Orin recém chegado a costa americana. Com todos a salvo, Aquaman pergunta onde é a sede das Nações Unidas e ao ouvir a resposta, volta para o mar. Nadando rapidamente para espanto dos pescadores que agora tinham uma história incrível para contar. 
 
Oceano Pacifico. Um cruzeiro luxuoso se dirigia para o litoral australiano quando sente que bateu em algo, no mar. Um recife? Um Iceberg? Antes fosse. Diante de seus incrédulos olhos, tentáculos gigantescos começavam a envolver o navio, retorcendo o metal como se fosse papelão. Era a terrível surpresa que os extremistas atlantes haviam preparado para iniciar sua vingança. Um KRAKEN. E em cima dele, Murk, que o comandava usando telepatia aquática. Durante anos, Murk foi treinado para ser o "dono" do Kraken, domesticando-o ao ponto em que a criatura obedecesse somente a ele(e a Orm). Enquanto o Kraken destrói o navio, os homens de Murk matam todos que tentavam sair do cruzeiro em botas salva vidas. Sem sobreviventes, ordenava Murk, ex-comandante da guarda em Atlântida. Centenas de vítimas, boiavam no mar ao termino do ataque. Para os extremistas, uma pequena vitória em uma guerra que estava apenas começando. 
 
Em Atlântida, Vulko estava tão concentrado em encontrar uma cura para a doença que seguia fazendo vítimas atlantes, que não percebeu quando Orm, roubou os registros de um de seus mais antigos projetos. E para piorar, a rainha Atlanna acaba por adoecer também. Fazendo o cientista mergulhar de vez nas pesquisas, a fim de evitar que a mãe de Orin venha a falecer nos próximos dias. Com as plantas da uma poderosa maquina Atlante em mãos, Orm percebe que precisará da ajuda de Murk para ativa-la. E usando um emissário, pede que o líder dos extremistas lhe faça um pequeno favor enquanto ataca o povo da superfície. 
 
Aquaman, seguia para Nova York, onde está a sede das Nações Unidas para tentar iniciar uma diplomacia entre os países da superfície e Atlântida. Mas sua trajetória é interrompida quando ele vê um grupo de ecologistas, se manifestando contra a poluição dos mares. Quando o barco onde os ecologistas estavam, é cercado por homens que trabalham para grandes industriais acusadas de serem poluidoras, Orin intervem para salvar os ecologistas. Usando sua telepatia aquática, Aquaman convoca criaturas marinhas que em um ataque coordenado no qual não feriram ninguém, afastam os tais homens que planejavam atirar e até afundar o barco dos ecologistas. Todos se impressionam com Orin, quando ele conta que é de de um reino no fundo do mar. Aquaman, agradece pelo fato dos ecologistas estarem tentando lutar contra a poluição dos mares, o que lhe mostra que há pessoas boas no mundo da superfície, dando-lhe plena convicção de que a guerra desejada pelo movimento  do Murk, é um erro. 
 
Oceano Atlântico. Um submarino norte americano se vê atacado por um monstro com enorme tentáculos. É o Kraken que rapidamente destrói o sistema de armas do submarino. Murk, estava fazendo o pequeno favor que Orm havia lhe pedido. Ele consiste em roubar uma certa quantidade de plutônio, que é levado imediatamente até Atlântida. Embora Murk tenha ordenado que não houvesse sobreviventes neste ataque, alguns tripulantes do submarino conseguem escapar, sendo resgatados horas depois por barcos. Apavoras e de volta a terra firma, eles relatam em detalhes o horror que haviam presenciado, jurando nunca mais voltar ao mar outra vez. Os militares começam a investigar o fato e não demora muito para que viessem a tomar conhecimento de outros ataques, todos envolvendo ou o que é descrito como um monstro gigante com tentáculos ou homens armados que saiam do fundo do mar.
 

 

Coney Island, Nova York. Era um dia comum em uma das praia mais movimentadas da cidade. Diante de dezenas de olhares, Aquaman surge vindo das águas, caminhando rumo à areia, andando em direção as ruas. Seu destino? As Nações Unidas. No entanto, em seu caminho surge carros militares, lhe dando voz de prisão e ameaçando abrir fogo contra o rei de Atlântida, caso ele resistisse. Orin até pensou em reagir, mas ao ver que havia mulheres e crianças em volta, desiste de imediato, largando o tridente e se deixando algemar. As pessoas que ele tinha ajudado antes que chegar em Nova York, assistem na tv sobre a sua prisão e naturalmente se colocam contra os militares. Em sua página no face, os ecologistas convocam dezenas de pessoas de Nova York para pedirem pela libertação de Orin. Não demora muito para que uma multidão formada por segmentos ligados aos animais e a natureza, ocupe as áreas mais próximas da base militar Norad, onde Orin é mantido preso, gritando: LIBERTEM O AQUAMAN! 
 
Observações:
 
- Agora sim ficou bom. Tudo bem explicado e tals.
- Murk é um atlante que vi em Novos 52. Não sei se nos quadrinhos, ele tem telepatia aquática. Só sei que ele n gosta do Aquaman. Por isso coloquei ele como líder dos extremistas.
- Na manifestação em frente a base militar, temos o povo dando um nome de herói ao Orin. No caso, Aquaman
- Se não ficou claro, Aquaman foi preso por conta dos ataques que os extremistas estão promovendo nos mares do mundo. Matando gente a torto e a direto.
- Pra quem já tinha lido a outra versão(que exclui a pouco), eu removi o inicio da cena do petroleiro pra tentar deixa-la mais detalhista. Até pq, to pensando em fazer dela a última cena do Murk na trama.
- Gente, alguém pode sugerir um bom nome para uma empresa poluidora? Pq to pensando em colocar isso no final.
- Notem que conforme foi ajudando as pessoas sem ter a menor obrigação, Orin foi conquistando os humanos. Por isso que eles decidiram montar acampamento, pedindo sua libertação.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

- Gente, alguém pode sugerir um bom nome para uma empresa poluidora? Pq to pensando em colocar isso no final.
 

 

Que tal "Blacks Stones"?,e Slash seu roteiro fica melhor a cada parte,se Holywood usasse seu roteiro o filme do Aquaman seria épico.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Parte 3: O Conflito 

 

Mantido preso na base militar Norad, Orin é visitado por um politico que conhece a existência de Atlântida, embora não saiba sua exata localização. O que surpreende Aquaman que até então, acreditava que a existência de seu reino submarino, era desconhecida pelo povo da superfície. O senador explica que no passado, teve um amigo arqueólogo que descobriu provas incontestáveis de que Atlantis existe, mas por motivos de segurança, decidiu esconder isso do povo. Só um grupo restrito de pessoas, o que inclui os presidentes em exercício tem essa informação sob juramento de jamais revela-la a nação, pois esta não saberia como lidar com o fato de que no fundo do mar, há um reino, uma civilização independente. Quando Orin diz que é o rei de Atlântida, a conversa entre os dois é interrompida pelo comandante da base, acusando Aquaman de ordenar ataques ao redor do mundo. Orin afirma desconhecer tais ataques, duvidando a principio que estes tenham ocorrido. Mas em instantes, tem as provas jogadas na sua frente, ficando incrédulo com o que estava vendo. Realmente, Atlantes estão atacando pessoas da superfície em diversas partes do mundo e o nº de vitimas já é grande. Orin se enfurece ao imaginar que algo possa estar ocorrendo em Atlântida, enquanto ele está ausente. Possivelmente um levante do povo insatisfeito com a praga que assola Atlântida, uma revolta certamente liderada por alguém. Seu trono, está em perigo e pior, uma guerra entre Atlântida e as nações da superfície, pode estar prestes a começar. 

 

Enquanto isso na costa de NY, uma plataforma de petróleo em alto mar começa a ser atacada por homens saídos da água. Murk está conduzindo o que julgar ser o mais audacioso dos ataques em resposta a epidemia em Atlântida. Usando o petróleo, o ex-comandante da armada Atlante incendeia barcos com os quais operários tentavam escapar do ataque repentino. Enquanto isso, o Kraken retorcia as colunas de sustentação, era uma questão de tempo para que a estrutura viesse abaixo. Cientes do perigo, três operários conseguem mandar um pedido de ajuda, que em minutos chega ao conhecimento dos militares da base Norad, onde Aquaman continua mantido preso e sob interrogatório. Ao saber que um ataque atlante está em curso, Orin trata de fugir da base para para-lo, antes que a guerra seja declarada. Militares incrédulos com a facilidade como Aquaman fugiu da base, o seguem, rumo a plataforma que está sob ataque.

 

Chegando a plataforma que está por um fio, Orin logo reconhece o líder do ataque e ordena que Murk pare imediatamente. Mas Murk não dá a minima para o que Aquaman diz, respondendo que Orin não é digno de ocupar o trono de Atlântida, pois ficou muito tempo inerte, vendo seu povo sofrer e morrer por conta do que o povo da superfície estava fazendo nos oceanos. Aquaman tenta usar sua telepatia aquática para mandar o Kraken embora, porém ela não surte efeito e Murk diz que o Kraken foi domesticado, treinado para obedece-lo e somente à ele. E eis então que Orin faz uso de seu tridente, até então guardado embaixo de sua roupa, partindo pra cima do monstro para mata-lo. Murk, com sua arma em mãos, se coloca no caminho do herói e os dois começam a lutar, na plataforma que caia cada vez mais. Em meio ao combate, Murk vê um pequeno grupo de operários tentando escapar no único barco que ainda está inteiro, e faz uso do petróleo para incendia-lo. Aquaman, usa sua telepatia para que seres marinhos ajudem os operários, deixando Murk furioso, que grita indignado por Orin pedir a inocentes criaturas marinhas, para ajudar aquela gente. O ódio de Murk pela superfície é evidente, fazendo dele um homem perigoso demais. Sem escolha, Orin fere Murk que caia na água e desaparece. Com Murk fora do caminho, Aquaman usa seu tridente e mata o Kraken, fazendo com que os seguidores de Murk fujam em minutos. A plataforma de petroleo desaba, soterrando o corpo do Kraken. 

 

Passado o perigo, o senador com quem Orin tinha feito amizade, diz que entrará com um pedido para que Atlantis seja reconhecida como nação, podendo assim fazer trazer seus assuntos para serem discutidos na assembleia mundial(Nações Unidas). E antes que o exercito tentasse captura-lo, Orin retorna para Atlântida, pois sente que isso ainda não acabou. Algo aconteceu ou está para acontecer lá e ele precisa impedir. Chegando em Atlântida, Orin se cai em tristeza ao ouvir Vulko dizer que Atlanna contraiu da doença que está vitimando atlantes. Perguntado quanto tempo ela tem, Vulko responde dizendo que em alguns dias ela estará morta. Mesmo doente, Atlanna chama Aquaman para conversar, lhe dizendo que Orm pode estar planejando tomar o trono. Embora doente, ela não deixou de perceber o modo estranho como Orm tem agido nos últimos dias. Em como ele dizia que seria dele a responsabilidade de cuidar do povo, caso Orin não voltasse. Quase como se, desejasse isso no seu intimo. E é nessa hora que Vulko de dá conta de quem roubou os arquivos contidos em sua casa. O cientista explica que naqueles arquivos, havia as plantas de uma maquina capaz de controlar o clima do planeta, pois num passado remoto, Atlantis precisou controlar o clima para conseguir sobreviver. Na época, a maquina foi considerada perigosa demais, pois assim como tinha a capacidade de amenizar o clima, ela tb poderia provocar grandes e destrutivos fenômenos naturais. Escritos até contavam que ela era capaz de afundar cidades inteiras. Um poder grande demais, para qualquer um possuir. 

 

Aquaman, diz a Atlanna e Vulko que irá deter Orm. Nessa hora, aparece Mera, dizendo que sabe onde a maquina está sendo construída. Ao que parece, Orm mobilizou um grande numero de Atlantes para o Ártico. É lá que a maquina está, oculta nas geleiras sem que ninguém perceba. Orin chega a pensar em pedir que soldados de Atlantida o ajudem a deter a catástrofe que está por vir. Mas a maior parte do exercito de Atlantis, está do lado de Orm. Veículos armados, estão indo para o Ártico para proteger a maquina do clima, caso seja preciso. Aquaman, está sozinho nessa batalha. Mera, diz que estará sempre com ele. Mas Orin pede que ela fique em Atlântida, cuidando de Atlanna. Orin se prepara para partir, mas antes ouve o pedido de Atlanna para que não deixe Orm fazer algo que certamente, terá consequências permanentes para Atlântida. A guerra, só trará destruição ao invés de solução e é obvio que o povo da superfície dará a resposta as ações de Orm, mesmo que seja a última coisa que eles venham a fazer. Aquaman, promete deter essa loucura antes que ela comece. 

 

Observações

 

- Eu achei melhor não matar o Murk. Ele poderia ser aproveitado futuramente como um opositor do Aquaman

- Não consegui pensar num nome para o senador com quem Aquaman fez amizade

- A cena do Aquaman fugindo da base, seria pra mostrar que mesmo longe da água, ele não é tão inofensivo quanto se pensa.

- Em vez de só derreter as calotas polares. A maquina aqui na historia, pode provocar terremotos, tsunames capazes de afundar cidades, furacões destrutivos e etc... É algo que faz a natureza se dobrar as suas vontades.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 Desculpe a demora em responder SLASH, mas vamos lá. Primeiro as considerações sobre a Parte 2

 

 1) Li a parte 1 e 2 e não peguei o momento em que Mera é introduzida na história. Ela já é rainha? Quando conheceu Orin?

 

 2) Acho que Orin não deveria ser rei há tanto tempo antes da praga atingir Atlântida. Acho que dois anos no máximo. Assim, ao final do filme, ele não vai apenas conquistar a confiança do povo da superfície, mas também do próprio povo.

 

 3) Acho que Arthur até largaria o tridente em um sinal de paz, mas não se deixaria algemar. Ele é um rei, e é orgulhoso. Humildade não é uma de suas maiores virtudes. Acho que você deveria criar uma situação para contornar isso. Fora que evoca cena muito semelhante de MOS, que acontece em circunstancias muito semelhantes.

 

 

 Sobre a Parte 3

 

 1) Acho que ainda é cedo para o senador propor que Atlântida seja reconhecida como nação perante as Nações unidas, mesmo com Aquaman tendo salvado a base petrolífera. Acho necessário a ocorrência de algo mais forte.

 

  2) Acho que no estilo "300", Aquaman não deveria estar totalmente sozinho, e sim deveria ter um minúsculo exercito (nem que não fosse formado por soldados) para ajuda-lo em sua batalha no Ártico.

 

  3) Pessoalmente, eu prefiro a concepção original da maquina de derreter as calotas polares. No quesito "Ficção Científica", parece mais aceitável.

 

 No geral, é isso SLASH. Mas está muito legal.

Share this post


Link to post
Share on other sites

1) Li a parte 1 e 2 e não peguei o momento em que Mera é introduzida na história. Ela já é rainha? Quando conheceu Orin? 

 

Eu pensei em deixar isso em aberto, caso algum dia fizesse uma sequência. Mera, estaria ligada a um personagem que eu vou inserir na última parte, bem lá no final e isso estaria de acordo com Novos 52. Não sei se vc sabe, mas ela não é de Atlântida. 

 

2) Acho que Orin não deveria ser rei há tanto tempo antes da praga atingir Atlântida. Acho que dois anos no máximo. Assim, ao final do filme, ele não vai apenas conquistar a confiança do povo da superfície, mas também do próprio povo.

 

Na verdade, ele não é rei há muito tempo e nem tem a confiança do povo de Atlântida. Essa é a razão pela surgiu o movimento liderado por Murk. Eles não acreditam que Orin vá resolver tudo na diplomacia e tomaram por decisão, dar o troco no povo da superfície pelo que está ocorrendo em Atlantis. 

 

  3) Acho que Arthur até largaria o tridente em um sinal de paz, mas não se deixaria algemar. Ele é um rei, e é orgulhoso. Humildade não é uma de suas maiores virtudes. Acho que você deveria criar uma situação para contornar isso. Fora que evoca cena muito semelhante de MOS, que acontece em circunstancias muito semelhantes. 

 

Vou editar depois essa parte, pra fazer algo melhor. Mas a ideia básica seria mantida. Ele se entrega pq está no meio de uma cidade, com civis inocentes. Se ele reagisse, pessoas poderiam se ferir ou até morrer. Vai saber até onde militares americanos iriam para capturar alguém que eles pensam estar ligado aos incidentes que estão ocorrendo no mar. Ali não foi bem um gesto de humildade, mas sim uma demonstração do quanto Aquaman valoriza a vida. 

 

 1) Acho que ainda é cedo para o senador propor que Atlântida seja reconhecida como nação perante as Nações unidas, mesmo com Aquaman tendo salvado a base petrolífera. Acho necessário a ocorrência de algo mais forte. 

 

Essa proposta só foi feita pq o senador viu que no fundo, Orin é um bom rei, um bom líder de uma nação e por isso, merece ter suas queixas ouvidas pelas Nações Unidas. E o único jeito de fazer isso, é Atlântida ser reconhecida como nação. Fora que, Aquaman vai salvar o mundo, logo, o minimo que as nações tem que fazer, é ouvir o que ele tem a dizer. Atlântida como nação mundial, seria uma das razões pelas quais Aquaman seria um  membro esporádico na Liga da Justiça. Pois como líder de uma nação, ele tem obrigações maiores do que ficar ajudando a Liga o tempo todo. Ele ajudaria quando fosse possível ou em casos de extrema necessidade. Fora isso, ele governa uma nação e fala em nome dela, com o resto do mundo. 

 

2) Acho que no estilo "300", Aquaman não deveria estar totalmente sozinho, e sim deveria ter um minúsculo exercito (nem que não fosse formado por soldados) para ajuda-lo em sua batalha no Ártico. 

 

Mas vc não notou que vai haver um pequeno conflito entre as tropas da ONU e de Atlantis? Aquaman será o ponto de equilíbrio entre esses dois lados, pois apesar de reconhecer que a situação pela qual Atlantis passa, é culpa do mundo da superfície, não concorda com o plano do Orm de ferrar todo mundo com a maquina do clima.  

Share this post


Link to post
Share on other sites

 Eu não estou muito familiarizado com a mitologia dos novos 52, mas...

 

 1) Independente de houver uma sequência ou não (e você pode deixar ganchos, desde que eles não prejudiquem o filme em que esta trabalhando) você tem que introduzir Mera de alguma maneira. Eu não sei quem é Mera nessa sua historia. Ela é uma cidadã comum? Um interesse amoroso, mas que não é rainha? Já é a rainha? Não é uma coisa que pode ser deixada em aberto, ainda mais levando em conta uma personagem tão importante do universo do Aquaman que você colocou em cena.

 

 2) Ah bom. É que do jeito que estava escrito, parecia que Orin já era rei há muitos anos.

 

 3) Eu entendo o gesto de Aquaman de preservar a vida. Mas mesmo assim, não vejo o Aquaman permitindo-se ser algemado pelo exército. Ele até se entregaria, mas nada de algemas, pois na visão dele, seria humilhação demais para um Rei. Ele é um governante, e quer ser tratado como tal.

 

 4) Sim, mas a proposta parece precipitada naquele momento. Afinal, o Senador (que é um cargo de poder, mas nem tanto) parece conhecer Orin há somente algumas horas. Acho que a proposta só deve ser feita após Aquaman derrotar Orm, impedindo assim a destruição do planeta.

 

 5) Percebi sim que a ONU fara parte do conflito final no Ártico, mas acho que deve haver um grupo pequeno de atlantes apoiando Aquaman, tanto pra mostrar que existe sim gente leal a ele em Atlântida, e também que ele não é o único a acreditar que possa haver paz entre Atlântida e a superfície.

 

 

PS: SLASH, se puder. dê uma passada no tópico da Liga, e deixe a sua opinião sobre algumas questões que deixei a respeito do arco PROJETO OMAC.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Slash, estou entrando atrasado no debate, desculpe-me, mas já adianto que acho bem adequado o tom escolhido para a abordagem desse personagem. Parabéns pela escolha e pelo empenho! Outro ponto positivo foi o uso do background histórico de Atlântida, com junção de algumas versões e de idéias próprias muito interessantes.

 

Elogios feitos, bora para a primeira parte de algumas considerações, principalmente em trechos que me incomodaram um pouco:

 

No contexto atual das produções no cinema, não sei se inserir um irmão como principal desafeto do Arthur seja a melhor escolha. Digo isso por conta do imenso respaldo que Loki alcançou junto ao público, sim. Fica ainda mais estranho diante das similaridades entre Thor e Aquaman. Creio que a surpresa de ver um exilado se tornar rei, diante das alternativas e do conflito com o povo da superfície, já seria conflito suficiente na disputa pelo poder, além de minimizar as comparações e deixar assim a trama com menor chance de ter sua originalidade contestada pelo espectador durante a projeção. Existem outras formas de tornar Orm um antagonista com força dramática para conflitar com Arthur.

 

O segundo ponto deste início de réplica é voltado para o período em que Arthur nada entre Atlântida e Nova York. Essa sequência de encontros e salvamentos me pareceu gratuita e conveniente demais para a trama, o que pode soar um pouco inocente da parte do roteiro. Podemos cortar alguns desses encontros. Assim, a ótima proposta de termos um grupo da superfície apoiando Arthur teria sua base em outros acontecimentos. Na verdade, até mesmo a necessidade desse subplot (grupo em defesa de Arthur) poderia ser revista, já que Arthur é um recém-chegado, e talvez seja melhor que a opinião pública demorasse um pouco mais (talvez não neste filme) para chegar a formar grupo de defesa. Na cinessérie dos X-Men o subplot (intrinsecamente ligado ao plot principal) funciona muito bem. Aqui, entretanto, as disputas políticas poderiam representar melhor as posições discordantes. O roteiro já aborda a questão climática de forma clara o suficiente para precisar que seja jogado holofote nos grupos ambientais. Essa abordagem, de tão óbvia, pode jogar contra. Os grupos estarão lá, mas não precisam necessariamente ser personagens diretos em defesa de Arthur.

 

Aguardo considerações para postar sobre outros pontos.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Certo Primo. Vou ver se edito as partes já escritas, um tipo de revisão e mando MP pra vcs conferirem quando estiver tudo pronto. Talvez eu torne Orm, um parente distante da realeza. Um primo exilado e esquecido, digamos. 

 

Sobre os salvamentos. Tá, eu vou limar isso e ir mais direto ao ponto. 

Share this post


Link to post
Share on other sites

E o povo de Atlântida aceitaria qualquer um no trono? 

 

Questão, vai no tópico da Liga da Justiça e diz o que vc acha da ideia de usa um Crise nas Infinitas Terras, para corrigir certas  cagadas que os responsáveis por Batman v Superman, fizeram e as que ainda podem vir a ser feitas. 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 SLASH, mas não seria qualquer um, e sim o membro de uma família nobre de Atlântida. Mas Orm não teria laços de sangue com Orin (a única integrante da família real viva em Atlante seria a mãe do Orin, mas mulheres não podem governar em Atlântida). Por isso, Orm seria escolhido como regente. Fazendo um paralelo com O SENHOR DOS ANEIS, é a mesma razão do Denethor estar no trono de Gondor, já que aparentemente não há sobreviventes da família real da cidade (que seriam os herdeiros de Isildur.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Aquaman | Warner encomenda dois roteiros para o filme
Will Beall e Kurt Johnstad competirão pelo longa solo do atlante.

A Warner Bros. encomendou aos roteiristas duas versões diferentes para um filme do Aquaman. Segundo o Hollywood Reporter, o estúdio julgará qual ideia é melhor e, talvez, seguir adiante com um filme do super-herói atlante da DC Comics.

 

1_______________________________________

Beall já escreveu para o estúdio Caça aos Gângsteres e uma das versões recentes do vindouro longa da Liga da Justiça. Já Johnstad respondeu pelo roteiro de 300 - A Ascensão do Império.

Aquaman | Zack Snyder defende o herói em programa de rádio

As contratações reforçam os rumores de que Aquaman - depois de ser vivido pro Jason Momoa em Batman V Superman e no longa da Liga d

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sinceramente, tem que ter muito culhão pra filmar esse filme. Primeiro porque é um herói não muito bem aceito. Segundo porque filmar no fundo do mar é bem problemático. Por fim: Filme vai ter que ser bem top-extreme-maximum-motherf*cker pra quebrar preconceitos (à lá Capitão América 2).

 

Particularmente, sempre gostei do char, espero que dê tudo certo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Segundo porque filmar no fundo do mar é bem problemático.

 

Não entendi, mestre Jailcante.

 

Guardadas as devidas proporções, é quase como dizer que filmar em Krypton ou em Asgard é complicado. hehe

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não entendi, mestre Jailcante.

 

Guardadas as devidas proporções, é quase como dizer que filmar em Krypton ou em Asgard é complicado. hehe

 

Sei que tem computação e tals, mas é meio inevitável que vão filmar em loco pra muitas cenas. E aí, fica complicado.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Aquaman | Jeff Nichols pode dirigir o filme com Jason Momoa E-mails vazados da Sony sugerem também que Phil Lord e Chris Miller podem assumir O Espetacular Homem-Aranha 3
Marcelo Hessel
14 de Dezembro de 2014
 
imagem_339.jpeg
 

Em meio ao vazamento de e-mails na Sony Pictures, o co-presidente de produção da Columbia Pictures, Michael De Luca, não falou com a presidente da Sony, Amy Pascal, apenas sobre o futuro de Homem-Aranha e ofuturo crossover de X-Men e Quarteto Fantástico na Fox.

Segundo De Luca, em um e-mail de 21 de outubro que levantava possíveis nomes de diretores para assumir os longas do universo do Aranha no estúdio, o longa-metragem do Aquaman da Warner/DC pode ser dirigido por Jeff Nichols. Nome conhecido do cinema independente, Nichols dirigiu nos últimos anos filmes comoO Abrigo e Amor Bandido.

Na mesma comunicação, De Luca sugere que Phil Lord eChris Miller, os diretores de Anjos da Lei Uma Aventura LEGO, assumam a franquia do Aranha a partir de O Espetacular Homem-Araha 3E-mails anteriores diziam que a Sony estudava os nomes de Lord e Miller para um longa animado do Homem-Aranha.

O Espetacular Homem-Aranha 3  tem previsão de lançamento para 2018, mesmo ano em que sai o primeiro Aquaman com Jason Momoa.

 

http://omelete.uol.com.br/homem-aranha/cinema/aquaman-jeff-nichols-pode-dirigir-o-filme-com-jason-momoa/#.VI7nsdLF9JU

Share this post


Link to post
Share on other sites

CCXP | "Tenho contrato para quatro filmes como Aquaman", revela Jason Momoa em painel sobre sua carreira

Ator ainda falou sobre Stargate: Atlantis e Game of Thrones
André Zuliani
07 de Dezembro de 2014

 

jason-Mamoa.jpg

 

Após participar do painel de Game of ThronesJason Momoa voltou neste domingo à CCXP - Comic Con Experience para um painel sobre a sua carreira e revelou algumas curiosidade sobre sua carreira e seu futuro no cinema.

 

O ator foi muito questionado pelo mediador Marcelo Hessel e pelo público sobre ser o Aquaman dos filmes daWarner/DC Comics no cinema. "Eu assinei contrato para viver o Aquaman há muito tempo, mas não podia falar. Vocês não sabem como é bom poder conversar, mesmo que sem falar muito, sobre isso. É um contrato para quatro filmes", disse Momoa, que deve interpretar o personagem em Batman V Superman: Dawn of JusticeLiga da Justiça,Aquaman e Liga da Justiça 2.

 

Brincando com o fato do estúdio não permitir falar sobre os vindouros filmes, Jason chamava a responsabilidade para si mesmo. "Como será o Aquaman? Será incrível. Afinal, se não fosse pra ser, eles não teriam me escolhido". E ainda revelou sua preferência para o cargo de diretor de Aquaman. "Eu amo Zack Snyder. Ele possui uma visão incrível e sou muito grato a ele pela oportunidade de viver um personagem tão importante". Perguntado por um fã se o seu herói seria forte comparado com Superman e Batman, Momoa não hesitou. "Você sabe quanta água há no mundo? Esse é meu território!".

 

Sobre seus outros trabalhos, o ator não esqueceu de relatar a importância de Stargate: Atlantis eGame of Thrones para a sua carreira. "Stargate foi o meu primeiro grande papel. Ronox Dex era um personagem ótimo, assim como Khal Drogo. É muito difícil para um ator interpretar um personagem que não fala tanto, e quando fala, é em outra língua. Foi muito difícil". Momoa ainda estrelou o remake de Conan, o Bárbaro, papel que ficou marcado por Arnold Schwarzenegger. "Eu queria fazer algo diferente com Conan, até porque não sou nada parecido com Arnold. Ele é mais forte, eu sou mais fraco. Eu sou alto e ele é baixo".

 

No final, ele agradeceu o carinho dos fãs brasileiros. "Nunca fui tão amado quanto estou sendo no Brasil. É um ótimo país, com uma ótima comida e cultura. Estou vindo pela primeira vez, mas com certeza não será a última".

 

Para saber mais novidades, siga os perfis da CCXP - Comic Con Experience no Twitter e no Facebooke visite o site oficial da CCXP. O evento será realizado dos dias 4 a 7 de dezembro, no Espaço Imigrantes.

 

http://omelete.uol.com.br/comic-con-experience/cinema/ccxp-tenho-contrato-para-quatro-filmes-como-aquaman-revela-jason-momoa-em-painel-sobre-sua-carreira/#.VI7ocdLF9JU

 

- Batman v Superman

- Liga da Justiça

- Liga da Justiça 2

- Aquaman

 

... Warner nem abriu mais um espaço pra num futuro fazer outros filmes. Se fizer sucesso e continuar, vão ter que bancar o salário que o cara pedir.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

AQUAMAN | KARL URBAN PODE VIVER O VILÃO DO FILME

 

E Noam Murro se junta aos diretores cotados

22/01/2015 - 21:35 - MARCELO HESSEL

Segundo o Latino Review , o ator Karl Urban pode interpretar o vilão do filme de Aquaman . O personagem não foi detalhado, porém, mas o estúdio estaria interessado em ter Urban no filme.

Ainda de acordo com o site, Jeff Nichols não é o único no páreo para dirigir o filme. Noam Murro , de 300 - A Acensão do Império , também seria uma possibilidade. O escolhido provavelmente terá que lidar com um espetáculo grandioso; o site diz que os dois roteiros concorrentes encomendados pelo estúdio implicam orçamento alto e uma construção de universo submarino grandiosa.

Jason Momoa viverá Aquaman em Batman V Superman - Dawn of Justice , nos dois longas da Liga da Justiça programados para 2017 e 2019 e em um filme solo prometido para 2018. Na CCXP , Momoa disse que tem contrato para quatro filmes como Aquaman.

 

FONTE: OMELETE

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pode-se fazer algo épico com um mundo submarino, mas sei lá, Aquaman não é um herói tão popular, dependendo em que mãos irá ficar, pode-se fazer algo decente, mas uma coisa já evolui ai com a presença do Momoa, bem longe de um Ken Humano, o problema é só que ele não é bom ator, mas deve ir melhorando com o tempo..., deviam chamar o James Cameron logo..., ok... essa piada é velha :D, na série Entorage o suposto filme do Aquaman quebrou recorde de bilheteria... :D, será que a Warner nem mesmo contatou o homem ou era tão absurdo que parecia piada? :D

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×