Jump to content
Forum Cinema em Cena
Thiago Araujo

Liberdade na TV

Recommended Posts

“Art. 17. O empacotamento do serviço de comunicação audiovisual eletrônica por assinatura e das demais modalidades de prestação de serviço de TV por assinatura deverá conter pelo menos 50% de conteúdo nacional...”

O que isso significa? Que você não pode mais escolher o que vai passar na sua TV. E pior, que vai pagar mais por menos.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Isso foi aprovado? Que lixo! 07

Ja sou contra esse negocio de faixa etaria' date=' quanto mais de imporem a programação na tv a cabo. tomara que seja inconstitucional12[/quote']

 

Esses são os passos para a aprovação:

box_fluxo.jpg

 

No momento ele está na segunda etapa 'Comissão de Ciência e tecnologia'03

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

Isso é um absurdo. Estão querendo acabar com o diferencial da TV paga. Por outro lado, as operadoras teriam de acabar com os pacotes fechados e posibilitar que, de fato, possamos pagar por apenas o que realmente queremos assistir.[/quote']

 

 

ja acabram com esse diferencial a muito tempo:

 

CANAIS COM INTERVALO COMERCIAL.

CANAIS EM QUE A PROGRAMAÇÃO E SOBRE PROGRAMAS DE VENDER INUTILIDADES.

CANAIS EM QUE OS RECLAMES SÃO QUASE ETERNOS!!!!

DEXRESPEITO AO ASSINANTE - MUDANDO SERIADOS DE HORARIO, REXPRISANDO SERIADOS  DE DUBLANDO AS MESMAS !!!!

 

 

pqq !!!!!!!!!!   SEM heheheheheheh

BOMSOM2008-02-20 13:05:38

Share this post


Link to post
Share on other sites

odeio serie dublada em canal pago! isso e coisa de tv aberta! heheheheh  

até mamae prefere ler as legendas, desde que as mesmas estejam corretamente traduzidas! coisa rara! heheheheh

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

Gente,

 

 

 

 

A propaganda é completamente enviesada para colocar todos

contra o que propõe o  Projeto de Lei. Querem

fazer massa de manobra contra o projeto e estão falando todo tipo de inverdade.

 

 

 

 

 

Tive o trabalho de ler o projeto e estuda-lo. O projeto, de

autoria do deputado Jorge Bittar sequer aparece na página da campanha dita “Liberdade

na TV” – e também não há link para a proposta. E está no Congresso desde

dezembro último. Certamente para que ninguém conheça o texto e, assim, fazer

com que os argumentos da campanha caiam por terra.

 

 

 

 

A campanha é orquestrada, pelo que entendi pela Sky (do

magnata Rupert Murdoch) e a ABTA (que representa os canais estrangeiros). Ao

que parece, a Globo através dos seus braços na TV por assinatura, tem apoiado.  

 

 

 

 

O enviesamento da campanha “Liberdade na TV” é total, para

conquistar corações e mentes.

 

 

 

 

Vamos lá. O que o projeto NÃO propõe:

 

 

 

 

1 - a retirada dos atuais canais (estrangeiros) dos pacotes.

A aplicação das cotas é progressiva, sendo alcançadas, na totalidade, em 4

anos. E em quatro anos, todas as redes estarão digitalizadas, permitindo muito

mais canais.

 

2 - computar 10% em cima de toda a grade horária diária dos

canais estrangeiros. Os 10% são em cima de 5 horas do horário nobre. Dá 30 minutos

por dia (em 4 anos), ou seja, e 3:30h na semana inteirinha.

 

3 – não retira do usuário o direito de escolha sobre o que

ele quer assistir na televisão por assinatura. O Projeto de Lei não subtrai,

mas soma conteúdo brasileiro aos pacotes existentes hoje.

 

 

 

 

Efetivamente, o que o projeto propõe em relação às cotas?

São basicamente 3 cotas:

 

1 - que daqui a 4 anos, teremos 3:30h SEMANAIS de conteúdo

nacional (equivalente a 10% do tempo dentro das 5 horas do horário nobre) nos

canais que tem maioria de espaço qualificado nas 5 horas do horário nobre.

Entram: Warner, Sony, Discoverys, HBO, etc. E ficam de fora: NHK, RAI, ESPN,

etc, porque não tem maior parte de espaço qualificado no horário nobre. Vejam bem,

210 minutos por semana em 4 anos. E no primeiro ano, 25% disso, ou exatamente

52 minutos SEMANAIS. Isso é absurdo?

 

 

 

 

2 - O projeto é inteligente ao aproveitar a digitalização

das redes de tv por assinatura, fato que promete aumentar em muito o número de

canais possíveis de veiculação, para criar uma cota de canais que tenham

conteúdo brasileiro, em sua maior parte. Caso nada seja feito, as redes

aumentarão em 50 a

100 os canais disponíveis e todos esses canais serão programados por empresas estrangeiras,

com conteúdo estrangeiro dentro deles. O texto propõe 30% de todos os canais

qualificados (a titulo de exemplo: HBO e Cartoon são “canais qualificados”,

ESPN e Canal Rural não) existentes no pacote. Isso dá, de fato cerca de 20 a 25 canais caso o pacote

tenha 100 canais (visto que o cômputo se dá não em cima de todo o pacote, mas

apenas em cima dos canais que tem majoritariamente espaço qualificado no

horário nobre. 20 a

25 canais (em 100) daqui a 4 anos. No primeiro ano, a cota, pela proposta será

25% disso (ou seja 4 a

5 canais). Isso é muito? Pode ser... mas absurdo?

 

 

 

 

3 – O projeto propõe 50% de canais programados por empresas

de capital nacional. Essa cota não diz se o conteúdo será, nesses canais,

brasileiro ou estrangeiro. É uma cota para os programadores nacionais, ponto. Não

faz qualquer menção ao conteúdo existente dentro deles. Os canais Telecines por

exemplo, são da Globosat (da Globo) e entrariam nessa cota.  E só veiculam conteúdo estrangeiro.O Canal

Rural, o SporTV e o Shoptime também. É uma cota grande?. Pode ser. Mas

absurda?? Se diminuísse para um percentual razoável, continuaria absurda?

 

 

 

 

O que mais o projeto propõe:

 

 

 

 

1 - mecanismos importantes para incentivar a competição

(essa palavra que os grandes empresários brasileiros tanto odeiam) na televisão

por assinatura (art. 11, art. Art. 17, por exemplo);

 

2 - mecanismo que faz com que alguns eventos nacionais

considerados relevantes (alguns eventos esportivos, por exemplo) sejam

veiculados por mais canais de programação, estando, portanto, mais acessíveis a

mais gente.

 

3 - limite de publicidade nos canais de tv por assinatura

(15% de cada 1 hora - art. 20)

 

 

 

 

Como tais propagandas manipulam as informações:

 

1 – Dizendo que 10% da programação TOTAL dos canais

estrangeiros deverá ser composta por programas brasileiros. Na verdade é 10% de 5

horas diárias (§ 2º do art. 18).

 

2 – Dizendo que 50% dos canais terão de veicular conteúdo

nacional. O que é uma inverdade. A cota de 50% é para programadores nacionais.

E eles exibem o que quiserem: jornalismo, filmes estrangeiros, jogos de

futebol, etc.

 

3 – Dizendo que o usuário perderá a possibilidade de escolher o que

assistir, ou que estará pagando para receber menos conteúdo.

 

 

 

 

Há muitos interesses em jogo. E estão usando de propaganda maliciosa para

fazer massa de manobra contra o projeto.

 

 

 

 

A peça de propaganda diz que estão ameaçando a liberdade de escolha. Valeria

a pena perguntar: que liberdade de escolha o assinante tem hoje?

 

De pagar por uma TV por assinatura que custa de 2 a 3 vezes mais do que nos

países da América do Sul para um ter um conjunto similar de canais? (o que faz

com que o Brasil fique na lanterninha dos países da América do Sul na penetração

do serviço). Ou ainda a tal “liberdade” esteja em comprar pacotes absolutamente

fechados, onde não se permite a escolha de canal por canal?

 

 

 

 

Não acho que são só os estrangeiros que estão interessados

nessa campanha.  Interessa às

Organizações Globo continuar com o quase monopólio da programação brasileira na

TV por assinatura. Sozinha, a empresa entrega conteúdo (canais de programação)

para 82% dos assinantes brasileiros (vá em http://netbrasil.globo.com/

e clique em “Quem somos). Com esse situação, deita e rola, fazendo o preço dos

pacotes serem de 2 a

3 vezes maior que nos países vizinhos, para um conjunto similar de canais. Por

que interessaria à empresa qualquer possibilidade de mudança nessa situação??

Qual o interesse da empresa para fazer o mercado de televisão por assinatura

crescer, se isso mataria a galinha de ovos de ouro dela (a audiência da TV

aberta)?? Tudo que as organizações Globo odeiam é a competição na TV aberta, ou

mesmo dentro da TV por assinatura, pois hoje, já domina também esse mercado.

 

 

 

 

Como disse, no site “Liberdade na TV”, sequer há qualquer link para o

texto do PL. Quem quiser, encontrar em:

 

http://www.deputadobittar.com.br/pdf/071208_ef_convergencia.pdf

 

 

 

 

As cotas estão a partir do artigo 15. É só conferir. E REFLETIR a

respeito.

 

 

 

 

Abraços, João

 

 

 

 

PS: só mais uma informação,vi lá, o cômputo das cotas é realizado em cima

dos pacote que chega na casa do assinante. Por pacote entende-se todos os

canais, MENOS os canais de veiculação obrigatória (canais abertos, comunitário,

TVs do legislativo, judiciário, etc.). Esses canais também não entram no

cumprimento das cotas.

 

 

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

@João B

UAU. Vc mudou completamente minha opniao sobre esse assunto. Estou de boca aberta aqui ao ler seu post. Realmente, baseando-se nas propagandas da tv e o site "Liberdade na TV", qualquer um fica indignado com a tao falada "cota", mas depois de passar alguns minutos lendo suas declaracoes ja eh possivel entender claramente o que esta sendo passado para o povo. Nossa estou tao indignado e nao sei se estou furioso com a "enganacao" que ateh entao achei q era o lado certo da moeda, ou furioso comigo mesmo por ter acreditado e lutado tanto contra a proposta sem nem mesmo investiga-la por completo como voce fez.

Um 10 pra voce. Acho q sua opniao e divulgacao de informacao foi clarissima e deveria ser posto em mais lugares. Infelismente vivemos num pais absurdamente captalista onde temos nossas opnioes e votos controlados por grandes empresas como a Globo, entao resta poucas opcoes para a verdade ser REALMENTE divulgada, mas sao pequenas fontes como voce q nos da esperanca!

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

Mistermind,

O projeto de lei ainda não foi aprovado. Está em discussão no Congresso

- lugar apropriado (não conheço outro mais adequado..) para as grandes discussões que impactam a sociedade

brasileira. Dessa discussão sairá uma lei

 

O que está acontecendo é que tem muita gente caindo

como patinho em uma campanha construída em cima de mentiras. Têm grandes

interesses em jogo. E muita gente tem jogado a favor dos mentirosos,

acreditando nas inverdades da campanha.

 

Estou indignado com todo esse engodo!

Fiz um blog (não tenho experiencia) pra tentar agregar gente e desmascarar todo esse engano.

Se quiser

entender melhor , entre em http://cotastvpaga.blogspot.com/

 

abraços, João

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Liberdade na TV: uma campanha enganadora

 

Caros amigos,

 

A campanha “Liberdade na TV", é completamente enviesada para colocar todos contra o que propõe o Projeto de Lei em discussão no Congresso Nacional. Querem fazer massa de manobra contra o projeto e estão falando todo tipo de inverdade. Tem muita gente caindo feito patinho nesse engodo.

 

 

A campanha é orquestrada, pelo que entendi, pela Sky (do magnata Rupert Murdoch) e a ABTA (que representa os canais estrangeiros). Ao que parece, a Globo através dos seus braços na TV por assinatura, tem apoiado.

 

Tive o trabalho de ler o projeto e estudá-lo. O projeto, de autoria do deputado Jorge Bittar sequer aparece na página da campanha dita “Liberdade na TV” – e também não há link para a proposta, que está em uma comissão da câmara desde dezembro último. Não está no site da certamente para que ninguém conheça o texto e, assim, possa desmascarar a mentira.

 

O enviesamento da campanha “Liberdade na TV” é total, para conquistar corações e mentes.

 

Vamos lá. O que o projeto NÃO propõe:

 

1 - a retirada dos atuais canais (estrangeiros) dos pacotes. A aplicação das cotas é progressiva, sendo alcançadas, na totalidade, em 4 anos. E em quatro anos, todas as redes estarão digitalizadas, permitindo muito mais canais.

 

2 - computar 10% em cima de toda a grade horária diária dos canais estrangeiros. Os 10% são em cima de 5 horas do horário nobre. Dá 30 minutos por dia (em 4 anos), ou seja, e 3:30h na semana inteirinha.

 

3 – não retira do usuário o direito de escolha sobre o que ele quer assistir na televisão por assinatura. O Projeto de Lei não subtrai, mas soma conteúdo brasileiro aos pacotes existentes hoje.

 

 

Efetivamente, o que o projeto propõe em relação às cotas? São basicamente 3 cotas:

 

1 - que daqui a 4 anos, teremos 3:30h SEMANAIS de conteúdo nacional (equivalente a 10% do tempo dentro das 5 horas do horário nobre) nos canais que tem maioria de espaço qualificado nas 5 horas do horário nobre. Entram: Warner, Sony, Discoverys, HBO, etc. E ficam de fora: NHK, RAI, ESPN, etc, porque não tem maior parte de espaço qualificado no horário nobre. Vejam bem, 210 minutos por semana em 4 anos. E no primeiro ano, 25% disso, ou exatamente 52 minutos SEMANAIS. Isso é absurdo?

 

2 - O projeto é inteligente ao aproveitar a digitalização das redes de tv por assinatura, fato que promete aumentar em muito o número de canais possíveis de veiculação, para criar uma cota de canais que tenham conteúdo brasileiro, em sua maior parte. Caso nada seja feito, as redes aumentarão em 50 a 100 os canais disponíveis e todos esses canais serão programados por empresas estrangeiras, com conteúdo estrangeiro dentro deles. O texto propõe 30% de todos os canais qualificados (a titulo de exemplo: HBO e Cartoon são “canais qualificados”, ESPN e Canal Rural não) existentes no pacote. Isso dá, de fato cerca de 20 a 25 canais caso o pacote tenha 100 canais (visto que o cômputo se dá não em cima de todo o pacote, mas apenas em cima dos canais que tem majoritariamente espaço qualificado no horário nobre. 20 a 25 canais (em 100) daqui a 4 anos. No primeiro ano, a cota, pela proposta será 25% disso (ou seja 4 a 5 canais). Isso é muito? Pode ser... mas absurdo?

 

3 – O projeto propõe 50% de canais programados por empresas de capital nacional. Essa cota não diz se o conteúdo será, nesses canais, brasileiro ou estrangeiro. É uma cota para os programadores nacionais, ponto. Não faz qualquer menção ao conteúdo existente dentro deles. Os canais Telecines por exemplo, são da Globosat (da Globo) e entrariam nessa cota. E só veiculam conteúdo estrangeiro.O Canal Rural, o SporTV e o Shoptime também. É uma cota grande?. Pode ser. Mas absurda?? Se diminuísse para um percentual razoável, continuaria absurda?

 

O que mais o projeto propõe:

 

1 - mecanismos importantes para incentivar a competição (essa palavra que os grandes empresários brasileiros tanto odeiam) na televisão por assinatura (art. 11, art. Art. 17, por exemplo);

 

2 - mecanismo que faz com que alguns eventos nacionais considerados relevantes (alguns eventos esportivos, por exemplo) sejam veiculados por mais canais de programação, estando, portanto, mais acessíveis a mais gente;

 

3 - limite de publicidade nos canais de tv por assinatura (15% de cada 1 hora - art. 20).

 

 

4 – que parte das cotas de conteúdo nacional terá de ser realizada por produtores independentes brasileiros, isto é, não poderá ser feita pelas emissoras de tv aberta atuais – pode significar mais empregos e mais diversidade na TV.

 

 

Como a campanha "Liberdade na TV" tem manipulam as informações:

 

1 – Dizendo que 10% da programação TOTAL dos canais estrangeiros deverá ser composta por programas brasileiros. Na verdade é 10% de 5 horas diárias (§ 2º do art. 1.

 

2 – Dizendo que 50% dos canais terão de veicular conteúdo nacional. O que é uma inverdade. A cota de 50% é para programadores nacionais. E eles exibem o que quiserem: jornalismo, filmes estrangeiros, jogos de futebol, etc.

 

3 – Dizendo que o usuário perderá a possibilidade de escolher o que assistir, ou que estará pagando para receber menos conteúdo.

 

 

Há muitos interesses em jogo. E estão usando de propaganda maliciosa para fazer massa de manobra contra o projeto. E tem muita gente caindo como patinho.

 

 

A peça de propaganda diz que estão ameaçando a liberdade de escolha. Valeria a pena perguntar: que liberdade de escolha o assinante tem hoje?

 

De pagar por uma TV por assinatura que custa de 2 a 3 vezes mais do que nos países da América do Sul para um ter um conjunto similar de canais? (o que faz com que o Brasil fique na lanterninha dos países da América do Sul na penetração do serviço). Ou ainda a tal “liberdade” esteja em comprar pacotes absolutamente fechados, onde não se permite a escolha de canal por canal?

 

 

Não acho que são só os estrangeiros que estão interessados nessa campanha. Interessa às Organizações Globo continuar com o quase monopólio da programação brasileira na TV por assinatura. Sozinha, a empresa entrega conteúdo (canais de programação) para 82% dos assinantes brasileiros (vá em http://netbrasil.globo.com/ e clique em “Quem somos”). Com esse situação, deita e rola, fazendo o preço dos pacotes serem de 2 a 3 vezes maior que nos países vizinhos, para um conjunto similar de canais. Por que interessaria à empresa qualquer possibilidade de mudança nessa situação?? Qual o interesse da empresa para fazer o mercado de televisão por assinatura crescer, se isso mataria a galinha de ovos de ouro dela (a audiência da TV aberta)?? Tudo que as organizações Globo odeiam é a competição na TV aberta, ou mesmo dentro da TV por assinatura, pois hoje, já domina também esse mercado.

 

 

Como disse, no site “Liberdade na TV”, sequer há qualquer link para o texto do PL. Quem quiser, encontra o texto do Projeto de Lei em:

 

http://www.camara.gov.br/sileg/MostrarI ... eor=529787

 

As cotas estão a partir do artigo 15. É só conferir. REFLETIR a respeito e tomar partido.

 

 

Abraços, João

 

 

PS: só mais uma informação, vi lá, o cômputo das cotas é realizado em cima dos pacote que chega na casa do assinante. Por pacote entende-se todos os canais, MENOS os canais de veiculação obrigatória (canais abertos, comunitário, TVs do legislativo, judiciário, etc.). Esses canais também não entram no cumprimento das cotas.

 

http://cotastvpaga.blogspot.com/2008/03 ... adora.html

 

fonte: 2 jovem

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pessoas espertas que assinaram o abaixo assinado = massa de manobra da ABTA!

050505

Porcarias da Tv aberta brasileira é um pouco diferente do que possa vim a ser pragramas da tv fechada brasileira. O projeto não diz que os canais fechados devem comprar os pragramas das Tv aberta e sim incentiva a produção nacional e independente.

 

Aquele pessoal que tem uma ideal muito boa guardada no fundo da gaveta e que não tem dinheiro ou a idéia é superior a mediocridade da tv aberta, o que deve fazer se nunca tiver apoio? Desistir? Legal...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Foi assim que começou nos EUA, e hoje eles têm umas das melhores e mais

diversificadas grades de programação do mundo. Tem que incentivar mesmo

a produção nacional, tem muita gente boa aqui, com ótimas idéias e nada

no bolso. Chegou a hora desse pessoal dar um rumo novo na TV brasileira.

Só pra deixar um exemplo, tem uma série muito boa, Mandrake, produzida no Brasil junto à HBO. Para quem diz que no Brasil não sai nada de bom...06

 

 

Pow' date=' se eu assino TV é pq não quero assistir as porcarias da TV brasileira!12

[/quote']

 

Ninguém reclama de pagar para ver entre 2 e 4 horas de polishop todos os dias. Seria muito ruim se trocasse isso pela produção nacional, por exemplo? Tem muita coisa errada na TV Paga também, tá na hora de dar uma mudada nisso tudo.06

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não, Fram, eles não vão tirar canal nenhum, isso já foi dito. Eu assisti um debate na MTV há umas semanas atrás e muita coisa que o pessoal estava temendo, inclusive eu, foi desmentida. Disseram inclusive que vai ficar mais barato, os planos de assinatura. Eu não lembro de tudo que eles falaram agora, mas creio que no OVERDRIVE deve ter esse debate, dá pra acompanhar pela internet. É até bom a gente entender melhor o projeto, por que a ABTA tá fazendo o pessoal de besta, estão divulgando tudo com má vontade e, quem não vai atrás acaba de tonto na estória.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Caros,

 

Construi um Blog que trata do mercado de tv paga no Brasil. Fiz isso por conta daquilo que considero uma enganação total: a campanha da ABTA.

 

Tenho colocado no Blog notícias quase diárias sobre o andamento do novo projeto de lei para a TV por assinatura.

Na segunda última foi protocolado um novo texto na Câmara.

 

Há também alguma análise e tentativas de explicar a proposta;

 

Entrem lá. Vamos discutir.

O endereço é: www.cotastvpaga.blogspot.com

 

abs, João

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Não' date=' Fram, eles não vão tirar canal nenhum, isso já foi dito. Eu assisti um debate na MTV há umas semanas atrás e muita coisa que o pessoal estava temendo, inclusive eu, foi desmentida. Disseram inclusive que vai ficar mais barato, os planos de assinatura. Eu não lembro de tudo que eles falaram agora, mas creio que no OVERDRIVE deve ter esse debate, dá pra acompanhar pela internet. É até bom a gente entender melhor o projeto, por que a ABTA tá fazendo o pessoal de besta, estão divulgando tudo com má vontade e, quem não vai atrás acaba de tonto na estória.

[/quote']

 

Bom, menos m,al. Minha idéia era que digamos que vc tem 50 canasi num pacote, aí 25 tinham que ser BR e outros 25 gringos. Aí ahcei que por isso vc tivesse que selecionar os canais gringos que vc queria, achie que seria ssim, e eventualmente ficariam uns de fora ... 09

 

Aix, vou ver se dou uma pesquisada melhor, pq realmente não estão informando noticias que vemos e lemos não falama nada sobre o priojeto de lei, somente na polemica da aprovação!03

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Todos os canais vão ser obrigados a exibir programas nacionais? Até mesmo o TCM (que só exibe filmes clássicos da Turner), a Mtv Hits (canal americano que só exibe programas de música americanos) ou o Playboy Tv? Isso não tiraria um pouco do foco de cada canal?

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Todos os canais vão ser obrigados a exibir programas nacionais? Até mesmo o TCM (que só exibe filmes clássicos da Turner)' date=' a Mtv Hits (canal americano que só exibe programas de música americanos) ou o Playboy Tv? Isso não tiraria um pouco do foco de cada canal? [/quote']

 

acho isso palhaçada...

 

a MTV já tem conteúdo brasileiro produzido e transmitido pela sua filial aqui no Brasil. Ou seja a MTV não precisa dessa cota ridícula que o governo brasileiro quer que a gente seja obrigado a engolir 

 
cinéfilo2008-05-05 11:55:41

Share this post


Link to post
Share on other sites

Um dos artigos prevê limite de publicidade. Ok, então o pessoal pode me dizer porque a mesma pessoa é a favor da lei de aumento de publicidade? Poderiam? Hein, Hein?

 

 

 

É óbvio que querem nos enganar. Desde que trocaram o deputado responsável por isso, está sendo assim. Já enviei um email alertando isso para 6 revista nada m enos do que TRÊS VEZES. E juntos vamos todo mundo desmacarar essa farsa.Vermelhow2011-03-19 13:06:17

Share this post


Link to post
Share on other sites

E-mail que enviei para eles:

 

"Na tv aberta, a maioria dos filmes, séries, desenhos e músicas são estrangeiros. E a maioria dos documentários, jornais e programas de auditório são nacionais. Já na tv paga, a maioria dos filmes, séries, desenhos e músicas são estrangeiros. Até aí tudo bem. Se até na tv aberta isso acontece, na tv paga não tinha como ser diferente. Já a maioria dos documentários, jornais e programas de auditório são estrangeiros. Aí já é algo estranho.

 

E porque isso acontece ? Isso acontece porque a maioria dos canais prefere comprar do que fazer eles mesmos. Não é como na tv aberta, onde a Globo tem o Jornal Nacional que é feito por ela mesma, e etc. Na tv paga, como eu já disse antes, a maioria dos canais prefere comprar do que fazer eles mesmos. Por algum motivo, a maioria desses itens que existem para comprar são estrangeiros. O grandes canais abertos não querem saber de emprestar suas produções para os outros canais, a nao ser que sejam íntimos. Se vocês criassem uma empresa não-afiliada a nenhum canal aberto específico, que vendesse programas brasileiros para qualquer um que quisesse, isso não aconteceria, mas não, preferem não cortar o mal pela raiz." Vermelhow2011-04-21 19:51:20

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Todos os canais vão ser obrigados a exibir programas nacionais? Até mesmo o TCM (que só exibe filmes clássicos da Turner)' date=' a Mtv Hits (canal americano que só exibe programas de música americanos) ou o Playboy Tv? Isso não tiraria um pouco do foco de cada canal?

[/quote']

 

Eu acho que não,a TCM podia colocar programas nacionais falando dos clássicos, a MTV Hits pode fechar não fará falta e a PlayboyTV pode muito bem exivir conteúd erótico brasileiro já que a melher brasileira é bem mais bonita que as estrangeiras.

 

Juju panicat, Pornô AGORA!!!

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×