Jump to content
Forum Cinema em Cena
maximum

Mulher Maravilha

Recommended Posts

 Lamentável essa reação ao comentário do PRIMO. Nem vou comentar mais nada, por que o pessoal já disse todo o necessário sobre o assunto.

 

  Mas falando em divergência de opinião, discordo bastante do nosso amigo, PRIMO :D. Acho que Jenkins mandou muito bem na direção de atores, e acho que a Gadot entregou uma excelente Mulher Maravilha, andando com desenvoltura entre a determinação e a inocência que guiam a personagem no filme. A química com o Steve Trevor do Chris Pine também foi excelente, e a relação do casal foi desenvolvida com delicadeza e credibilidade ao meu ver. Gostei muito tanto do primeiro ato em Themiscera quanto as divertidas cenas em Londres, assim como o bacana contraste visual presente entre as duas passagens do filme.

 

 O humor do filme é bem conduzido, e diferente do que ocorre muitas vezes em filmes do gênero, não é intrusivo. As cenas de ação, são em sua maior parte bem orquestradas, especialmente o ataque alemão as praias de Themiscera, e a sequência da Terra de Ninguém, que se torna um grande ponto de virada para a protagonista. O uso do Slow motion característico de muitos filmes do subgênero está presente, e é bem utilizado pela cineasta, embora ela acabe exagerando em um momento ou outro.

 

 Mas o maior mérito de MULHER MARAVILHA é como ele desenvolve a narrativa em um clima de otimismo e esperança, fazendo jus a uma das principais referências da diretora, o clássico SUPERMAN de 1978. Ao mesmo tempo, as sequências que exploram Diana sendo confrontada pelos horrores da Primeira Guerra Mundial guardam grande parte da força dramática do filme, mas felizmente não caem na armadilha de trazer algum tipo de cinismo que jogaria contra a proposta de esperança do filme.

 

 Mas nem tudo são flores amazonas. Da sequência do baile em frente, Jenkins e cia quase põem a perder tudo o que haviam construído até ali. A direção antes tão segura de si, torna-se claudicante, o CGI pouco convincente do filme, mas até então tolerável, é trazido para primeiro plano, e mesmo a montagem passa a cometer erros primários. Infelizmente, pouca coisa funciona no climax da história, e o filme, que até ali vinha num nível altíssimo, cai bastante. Não é de se surpreender que as maiores críticas ao projeto dizem respeito justamente a este ato final.

 

  E se o roteiro merece elogios por construir uma jornada dramática muito sólida e coerente para a protagonista, e trabalhar muito bem a relação de Diana com Steve,, os vilões, omo ocorre com muitos filmes de heróis nos últimos anos, são fraquíssimos. Há uma sequência envolvendo a Doutora Veneno e o personagem de Danny Huston onde os dois atacam uma sala de reuniões, que chega a ser constrangedora. E apesar de haver idéias interessantes girando em torno do principal vilão da trama, elas acabam não sendo muito bem executadas. E o roteiro acaba deixando algumas arestas um pouco incômodas, como a falta de desdobramento dramático da descoberta dos poderes Diana no começo do filme, e um epílogo que não é muito bem trabalhado.

 

 No geral, MULHER MARAVILHA está longe de ser um filme perfeito, especialmente devido ao seu problemático 3º ato. Mas a condução da maior parte do filme compensa essa escorregada final. Pode não ser o clássico que a super heroína mais importante das Hqs merecia, mas ainda assim foi um ótimo começo, que me mandou pra fora do cinema com um sorriso no rosto. Que venham mais aventuras da Princesa Amazona.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olá pessoal, tudo bem?

 

Depois de tanto tempo, tive que encher o saco do Big para ele reativar minha conta, já que nem lembrava mais da minha senha, rs. Mas eu precisava vir comentar este filme aqui com vocês.

 

Minha crítica completa encontra-se aqui: https://cinelogin.wordpress.com/2017/06/02/mulher-maravilha-critica/

 

Mas é bem parecida com o que o Questão comentou acima, com exceção de que eu acho que o filme não cai tanto assim no terceiro ato, ainda mais depois de revisto (fui à pre-estreia, escrevi a crítica, e ontem voltei ao cinema). Primo, recomendo que assista novamente também.  ;)

 

Eu gosto da cena da Dra. Veneno com o Ludendorff rindo da maldade que acabaram de fazer, demonstra o quanto o filme não se leva tão a sério, apesar de não ser uma palhoça total. Etta Candy serve para ser alívio cômico mesmo, e para mostrar um pouco sobre o que era ser mulher naquela época, em contraste com Diana. E no ato final, aquele exagero todo nos faz lembrar que é um filme de super-herói, então é aquilo mesmo.

 

E pra mim o clímax mesmo é - SPOILER - A despedida entre Diana e Steve, que é de um romantismo e beleza nunca antes visto num filme do gênero.

 

Enfim, eu adorei, e olha que eu estava com medo do resultado, mas Patty Jenkins e toda sua equipe mandaram muito bem.  :)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não sei qual é essa obrigação que alguns acham que todo filme aclamado deve ser unanimidade. Tem filme que galera paga pau gigante e eu acho uma bosta enorme e tem filme que galera mete o pau e eu gosto muito.

 

Então cada um é cada um.

 

Deixem as pessoas terem sua opinião, concordando com elas ou não.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não sei qual é essa obrigação que alguns acham que todo filme aclamado deve ser unanimidade. Tem filme que galera paga pau gigante e eu acho uma bosta enorme e tem filme que galera mete o pau e eu gosto muito.

 

Então cada um é cada um.

 

Deixem as pessoas terem sua opinião, concordando com elas ou não.

 

Pois é, cabei de ver e procurei o porquê dessa cocada e não encontrei. Sim, é um bom filme pipoca mas nenhum crássico como andam pagando pau por aí ou que vá revolucionar o gênero. Tão comparando ao Super do Reeves e ao Bátima do Nolan...menos, né? Mas que tá anos-luz de SS e BvS, isso é. Como já disseram aí o melhor é o começo e a metade, já que depois disso desanda no automático e necessidade forçada de batalha entupida com CGI porn. Sem falar nos vilões rasos, de personagem que entra mudo e sai calado, ta repleto de erro de continuidade e até de lógica, mas este último a gente releva por ser pipoca. Entretanto, o que mais gostei foi da Seriema que, mesmo sendo péssima atriz, segurou muito bem a peteca no timming cômico/ingênuo que o roteiro demandava. Resumindo, é um bom filme da Marvel feito pela concorrente. Se bobear, gostei mais até que nosso colega Primão.  :)  :rolleyes:

PS: a despedida acima mencionada pela sumida e gde forista Liv tb ja teve similar em.... Soldado Invernal.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Rapidinhas da Seriema :rolleyes:

220px-Cariama_cristata.jpg

 

Diretora quer que heroína original participe da sequência

Mulher-Maravilha foi um sucesso estrondoso ao redor do mundo, o que trouxe a muitos fãs a nostalgia de relembrar do papel da atriz Lynda Carter, a Mulher-Maravilha original, quando ela deu algumas entrevistas a respeito. E recentemente no Twitter, a diretora Patty Jenkins disse que pretende trazer a atriz de volta. “Nós tentamos, tentamos e tentamos. E ainda estamos tentando fazer acontecer”, disse ela.

 
Diretora desabafa sobre críticas negativas
Mulher-Maravilha foi um sucesso estrondoso ao redor do mundo, porém ainda assim recebeu algumas críticas negativas sobre a atuação. E a diretora do filme, Patty Jenkins, desabafou a respeito disso em uma recente entrevista ao New York Times. “Eu queria contar uma história a respeito de uma heroína que acredita no amor, na mudança e no melhor da humanidade. É péssimo quando alegações desse tipo impedem um artista de ser sincero com seu trabalho”, disse ela.
 
Chris Evans parabeniza Gal Gadot pelo trabalho na DC
Mulher-Maravilha segue ganhando elogios de todas as partes. E neste domingo foi também a vez de Chris Evans, famoso por seu papel como Capitão América. “Wow! Um GRANDE parabéns”, disse Chris brevemente
 
Gal Gadot fala sobre testar traje apertado para o filme
Mulher-Maravilha já é um sucesso absoluto, mesmo apenas dias depois de sua estreia oficial. E grande parte disso se deve ao carisma da heroína.Porém, grande parte da construção parte também do traje que ela usa. E durante uma entrevista ao Jimmy Kimmel, a atriz falou rapidamente sobre a dificuldade de usar o uniforme a primeira vista. “Eu estava em uma sala cheia de fotos da Mulher-Maravilha, então entrei em outro local e me deram o traje para experimentar. Eu achei tão incrível o fato de estar vestindo aquilo que que nem me lembrei de falar que estava tão apertado que eu mal conseguia respirar”, disse ela, dando indícios de que depois o problema foi resolvido.
 
Diretora ainda não sabe se Chris Pine estará no próximo filme
Mulher-Maravilha se passa no período da Primeira Guerra Mundial, mas a sequência do longa ainda não tem o período no qual será ambientado. Com tal dúvida em mente, a diretora do filme, Patty Jenkins, revelou que a próxima aparição de Diana Prince pode acontecer sem a companhia de Steve Trevor. “Tudo o que posso dizer é que era um dilema”, disse a cineasta, ao Comicbook. “É algo que espero que não falemos no público (porque) quero que as pessoas vejam, mas é muito difícil saber quais personagens estarão no próximo filme por causa do período, então é uma grande questão”, completou. No que depender do ator que interpreta Steve Trevor, Chris Pine, seria muito bom interpretar o personagem novamente, até mesmo em um filme derivado. “O filme tem que sair, e então vamos ver. E o Homem-Maravilhoso?”, brincou.
 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 Mas o maior mérito de MULHER MARAVILHA é como ele desenvolve a narrativa em um clima de otimismo e esperança, fazendo jus a uma das principais referências da diretora, o clássico SUPERMAN de 1978. Ao mesmo tempo, as sequências que exploram Diana sendo confrontada pelos horrores da Primeira Guerra Mundial guardam grande parte da força dramática do filme, mas felizmente não caem na armadilha de trazer algum tipo de cinismo que jogaria contra a proposta de esperança do filme.

 

E pensando agora nos filmes anteriores, dá pra perceber como isso faltou muito em Homem de Aço.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olá pessoal, tudo bem?

 

Depois de tanto tempo, tive que encher o saco do Big para ele reativar minha conta, já que nem lembrava mais da minha senha, rs. Mas eu precisava vir comentar este filme aqui com vocês.

 

Minha crítica completa encontra-se aqui: https://cinelogin.wordpress.com/2017/06/02/mulher-maravilha-critica/

 

Mas é bem parecida com o que o Questão comentou acima, com exceção de que eu acho que o filme não cai tanto assim no terceiro ato, ainda mais depois de revisto (fui à pre-estreia, escrevi a crítica, e ontem voltei ao cinema). Primo, recomendo que assista novamente também.  ;)

 

Eu gosto da cena da Dra. Veneno com o Ludendorff rindo da maldade que acabaram de fazer, demonstra o quanto o filme não se leva tão a sério, apesar de não ser uma palhoça total. Etta Candy serve para ser alívio cômico mesmo, e para mostrar um pouco sobre o que era ser mulher naquela época, em contraste com Diana. E no ato final, aquele exagero todo nos faz lembrar que é um filme de super-herói, então é aquilo mesmo.

 

E pra mim o clímax mesmo é - SPOILER - A despedida entre Diana e Steve, que é de um romantismo e beleza nunca antes visto num filme do gênero.

 

Enfim, eu adorei, e olha que eu estava com medo do resultado, mas Patty Jenkins e toda sua equipe mandaram muito bem.  :)

 

Seja bem-vinda de volta Liv!!

Share this post


Link to post
Share on other sites

FILME SOBRE O CRIADOR DA MULHER-MARAVILHA LANÇA SITE PROMOCIONAL!

O trailer traz um pequeno diálogo entre Luke Evans, que interpretará o William Moulton Marston, e Bella Heathcote, como  Olive Byrne, nada menos do que a mulher a qual se credita a inspiração de Marston para criar a Mulher-Maravilha.O filme focará no relacionamento entre Marston, sua assistente, Heathcote, e a esposa do professor, Holloway Marston, interpretada pela atriz Rebecca Hall. A dinâmica entre esses três personagens levou a criação do maior ícone feminino da história dos quadrinhos.

 

Será que vão abordar que o cara tb tinha uma quedinha por bondage (fetiche de dominação com cordas) e sadomasô?? quem conhece as revistas antigas sabe do que falo :wub:

lcdmdacxar0qlfrvbfqp.jpg

william-marston-wonder-woman-bondage-the

berlatsky_2_full.jpg

 

Puts, até o pai da MM tem filme...e do Flash nada... :angry:  :(  :rolleyes:

5a9710268f64bd0990e48b4869e4a3df53674492

Share this post


Link to post
Share on other sites

Conferi ontem e gostei do filme. Ele me trouxe emoções que os últimos filmes de heróis não me deram, tanto Marvel quanto Dc. O filme tem ecos com o Superman do Reeve. Se preocupa em mostrar a mensagem do herói clássico que se importa com a vida de todos, mesmo matando soldados alemães. Ela é nesse filme o que o Super não foi em Homem de aço, um símbolo de esperança para as pessoas. Tem seus problemas claro, talvez se tivessem escolhido um ator mais jovem para Ares, seria possível uma luta mais realista corpo a corpo com inclusões digitais, estilo luta de super gladiadores. Mas no fim o saldo é bastante positivo, se a Dc seguir esse novo tom com uma luz de esperança sobre seus personagens, é possível que esse seja o diferencial em relação a Marvel. Ps.O filme empolga muito mais que os dois filmes do Thor e o primeiro Capitão América.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Questão, on 05 Jun 2017 - 7:36 PM, said:snapback.png

 Mas o maior mérito de MULHER MARAVILHA é como ele desenvolve a narrativa em um clima de otimismo e esperança, fazendo jus a uma das principais referências da diretora, o clássico SUPERMAN de 1978. Ao mesmo tempo, as sequências que exploram Diana sendo confrontada pelos horrores da Primeira Guerra Mundial guardam grande parte da força dramática do filme, mas felizmente não caem na armadilha de trazer algum tipo de cinismo que jogaria contra a proposta de esperança do filme.

 

E pensando agora nos filmes anteriores, dá pra perceber como isso faltou muito em Homem de Aço.

Foi isso mesmo!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Oito ideias do portal Omelete para a sequência de “Wonder Woman”

 

O vilão misógino:

Uma maneira de manter o espírito de empoderamento feminino do primeiro filme pode ser a entrada do vilão Doutor Psycho. Estudioso do ocultismo e conhecido por seus poderes de telepatia e controle de mentes, o psicopata diminuto que desenvolve um ódio incomum contra as mulheres pode ser ajustado a qualquer nacionalidade e época histórica, e seria um fan service de respeito: Psycho é um dos principais vilões da Mulher-Maravilha desde a primeira década de histórias da heroína.

 

O acerto de contas:

Diana descobre ao fim do primeiro filme que é filha de Zeus. Há um acerto de contas a ser feito com sua mãe, portanto, que escondeu da filha o status de semideusa. Nos quadrinhos, a volta da Mulher-Maravilha a Temíscira sempre oferece oportunidades dramáticas, e uma das mais legais ocorreu nos Novos 52, quando Hera (mulher de Zeus), tomada de ciúmes, transformou Hipólita em pedra e as demais amazonas em serpentes. Quando descobre o estado do seu povo, Mulher-Maravilha pode perseguir e combater Hera em Temíscira ou ao redor do mundo.

 

O novo Olimpo:

O primeiro filme decreta a morte dos deuses, mas, francamente, é questão de tempo até que o Olimpo se refaça, porque vem da mitologia boa parte das histórias da heroína. Uma delas - que daria um belo filme de pancadaria - poderia ser a entrada do Primogênito, o primeiro filho de Zeus, largado para morrer no mundo dos homens e que tira seu ódio da sua condição de bastardo renegado. O trono vago do Olimpo pode trazer também figuras como Apolo e Éris, deusa da discórdia, que na mitologia grega foi desprezada por sua mãe Hera e poderia voltar ao Olimpo depois de ter sido originalmente banida.

 

Combo de ressuscitações:

Se o segundo filme seguir o caminho de restabelecer o Olimpo, pode então já aproveitar o embalo e usar Hades - irmão de Zeus e Poseidon e senhor do Submundo, o que lhe dá domínio sobre todas as almas no Além, sejam aquelas amaldiçoadas ao Tartarus ou abençoadas pela vida eterna nos Campos Elíseos - não apenas para ressuscitar os deuses mas também os amigos mortais de Primeira Guerra de Diana, que obviamente não teriam idade para curtir aventuras com a Mulher-Maravilha nos dias de hoje.

 

A busca pelo Paraíso:

Uma vez que a Mulher-Maravilha se torna conhecida publicamente no mundo de hoje, seria mais do que lógico que a humanidade passasse a buscar a localidade de Temíscira. No cinema, essa busca pode ser financiada por grupos de interesse econômico ou político, e aí entram figuras importantes dos quadrinhos como o magnata com poderes mentais Maxwell Lord ou a empresária Veronica Cale, criada em 2003 por Greg Rucka para ser "a Lex Luthor da Mulher-Maravilha". Nesse contexto, um vilão criado tecnologicamente, como a Doutora Cyber, se encaixaria bem.

 

O novo interesse amoroso:

Uma forma de substituir Steve Trevor (que provavelmente não congelou na Primeira Guerra e voltaria jovem e galante nos dias de hoje) como interesse amoroso, e ao mesmo tempo amarrar Wonder Woman 2 com o universo espacial da Liga da Justiça, seria a entrada do Novo Deus Orion ao Universo DC do cinema. Orion pode trazer consigo ameaças espaciais (Starro no cinema?) ou artefatos superpoderosos (outra caixa materna?) capazes de fazer aquela corrigida na continuidade para trazer de volta à vida Etta Candy e até o próprio Steve Trevor.

 

1496754899665hFL.jpg

 

O perigo entre nós:

Se a trama da continuação realmente trouxer a ação para os EUA nos dias de hoje, o que pode servir de ameaça? A lendária feiticeira Circe, uma das principais inimigas da heroína, pode ser o canal para uma variedade ilimitada de criaturas e situações mágicas ou mitológicas. Nada impede que Circe crie ou controle outros personagens conhecidos, como a Giganta - cuja origem já mudou tanto nas HQs que pode ser revista tranquilamente no cinema para servir aos propósitos de Circe.

 


A amiga antagonista:

Se a continuação optar por revelar ao mundo a existência de Temíscira, nada mais natural que surja em cena a maior vilã da Mulher-Maravilha, a Mulher-Leopardo, cujo alter-ego é retratada hoje nas HQs como uma ex-arqueóloga fascinada por mitologia que se tornou uma das primeiras amigas de Diana no mundo dos homens, antes de cair numa maldição que fez dela uma criatura bestial. A ideia de uma Mulher-Leopardo corrompida por seu status de deusa pode servir de contraponto ao poder de Diana, que ela descobre aos poucos e também tem o potencial de desumanizar.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Filme é retirado de festival na Argélia

Wonder-Woman-Bracelets-696x348.jpg

Após já ter sido proibido no Líbano, o filme da Mulher-Maravilha agora foi retirado de um festival de cinema em Argel, a capital da Argélia. O filme seria exibido no domingo, durante a segunda edição do Nuits du Cinéma, um festival para celebrar o mês sagrado muçulmano do Ramadã. A mudança súbita levou os jornalistas locais a especularem que o filme foi retirado do festival porque a atriz principal Gal Gadot, é israelense, mas Amine Idjer, chefe de imprensa da MD Cine, disse que o filme foi retirado por “questões administrativas ligadas aos direitos de exibição”. Ele disse que o filme seria adicionado de volta à programação uma vez que esses problemas fossem resolvidos.Mulher-Maravilha foi banida na quarta-feira passada no Líbano cerca de duas horas antes do lançamento. O filme ainda está em exibição em outros países árabes como a Tunísia, Marrocos, o Egito e os Emirados Árabes.
 
DIRETORA NÃO QUER QUE O FILME SEJA CHAMADO DE “BREGA”!
Patty Jenkins está defendendo seu trabalho com unhas e dentes! Após chegar aos cinemas e quebrar diversos recordes de bilheteria, Mulher-Maravilha caiu nas graças do público, e está sendo bem elogiado por fãs e por críticos. A diretora Patty Jenkins, por sua vez, deu uma entrevista ao New York Times, onde foi convidada a falar um pouco sobre a repercussão do longa. Em determinado momento da entrevista, o jornalista perguntou se havia algo que a diretora não gostaria de ver ou ouvir sobre o filme, e insinuou que essa era uma pergunta um tanto quanto brega. Em resposta, Jenkins disse: “Você disse ‘brega’? Brega é uma das palavras banidas do meu mundo. Eu estou cansada do fato de que devemos ter medo de fazer coisas sinceras. Tem sido assim por 20 anos, e o mundo da arte e do entretenimento tem se afastado da sinceridade, da verdadeira sinceridade, porque todos sentem que precisam piscar para a audiência porque é o que o público infantil gosta. Temos que fazer histórias reais agora. O mundo está em crise.“ Em seguida, Jenkins explicou como a história de Diana representa essa quebra no cenário atual: “Eu queria contar a história de uma heroína que acredita em amor, que é cheia de amor e que acredita em mudança e melhora da humanidade. Eu acredito nisso. É terrível quando tantos artistas são obrigados a temer a sinceridade e a verdade emocional, e são relegados a um estigma legal-demais-para-isso. Arte deveria trazer beleza ao mundo.“ Desde então, a cineasta tem recebido elogios pela entrevista, tanto por parte dos fãs quanto por outros cineastas. Para se ter uma ideia, James Mangold, o diretor de Logan (que já havia elogiado o trabalho de Jenkins) foi ao Twitter responder à entrevista da artista, dizendo: “Você não está sozinha, Patty. Palavras negativas como ‘brega‘, ‘banal‘ e ‘melodramático‘ têm estragado nossos filmes e cultura, e machucado as críticas.”
 

Share this post


Link to post
Share on other sites

ATORES E DIRETORES DA MARVEL ELOGIAM E COMEMORAM O SUCESSO DO FILME!

legiao_Jj7k5Zm6UeS_g1IyA9QMNizKGqbroWFln

Para muitos fãs existe uma competição e rivalidade entre Marvel e DC Comics pelo fato de que as duas empresas são concorrentes no mesmo mercado.  Essa rivalidade, no entanto, não afeta o relacionamento entre os atores e a equipe envolvida nos filmes de super-heróis. Diversos atores e roteiristas do Universo Cinematográfico Marvel se pronunciaram sobre o filme Mulher-Maravilha e não economizaram elogios para a produção do Universo Estendido da DC.
Chris Evans, que interpreta o Capitão América, disse: “Uau!!!! PARABÉNS”
Já Vincent D’Onofrio, que vive o Rei do Crime, comentou que “Mulher-Maravilha é incrível. Vejam! Eu acabei de assistir com a minha família e eu amei.”
Lupita Nyong’o, a Nakia que aparecerá em Pantera Negra, que já fez um texto no seu Instagram para elogiar o filme, tuitou uma versão resumida da sua declaração. “Os DEUSES nos abençoaram com o filme da Mulher-Maravilha. @GalGadot vai te prender na tela. A Diretora @PattyJenks NÃO ESTÁ DE BRINCADEIRAS.”
O incrível Hulk, ou melhor dizendo Mark Ruffalo, celebrou que o filme quebrou recordes: “Yay! “Mulher-Maravilha” quebrou o recorde de maior abertura para um filme dirigido por uma mulher”.
Karen Gillan, que vive a perigosa Nebulosa, disse: “Eu estou tão animada para ver Mulher-Maravilha, ele está recebendo críticas tão boas e parece que será um marco na história dos filmes liderados por uma mulher!”
Pelo seu Instagram, Kristen Ritter, que vive Jessica Jones, publicou uma foto sua junto de Carrie-Anne Moss, que interpreta a Jeryn Hogarth dizendo: “Indo ver #MulherMaravilha com minha Mulher Maravilha da vida real favorita @Carrieannemoss. ATUALIZAÇÃO – CARAMBA, ESSE FILME É INCRÍVEL – tipo, eu ainda estou chocada. Todas as sensações! DESLUMBRADA! Tão fodão, tão divertido, tão amoroso. Eu nem consigo lidar.”
James Gunn, o diretor da franquia Guardiões da Galáxia, também elogiou o filme: “Meus parabéns para @PatyJenks e sua incrível Mulher-Maravilha no que parece ser um fim de semana de abertura com mais de 100 milhões [de dólares]”
Enquanto Joss Whedon, que dirigiu os dois filmes dos Vingadores e agora está responsável por escrever e dirigir Batgirl comentou sobre a polêmica envolvendo a sessão do filme só para mulheres: “Eu pude ver Mulher-Maravilha semanas atrás, então calem a boca, já teve uma sessão só para homens. Oh e o é filme muito prazeroso.”

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

ATORES E DIRETORES DA MARVEL ELOGIAM E COMEMORAM O SUCESSO DO FILME!

legiao_Jj7k5Zm6UeS_g1IyA9QMNizKGqbroWFln

Para muitos fãs existe uma competição e rivalidade entre Marvel e DC Comics pelo fato de que as duas empresas são concorrentes no mesmo mercado.  Essa rivalidade, no entanto, não afeta o relacionamento entre os atores e a equipe envolvida nos filmes de super-heróis. Diversos atores e roteiristas do Universo Cinematográfico Marvel se pronunciaram sobre o filme Mulher-Maravilha e não economizaram elogios para a produção do Universo Estendido da DC.
Chris Evans, que interpreta o Capitão América, disse: “Uau!!!! PARABÉNS”
Já Vincent D’Onofrio, que vive o Rei do Crime, comentou que “Mulher-Maravilha é incrível. Vejam! Eu acabei de assistir com a minha família e eu amei.”
Lupita Nyong’o, a Nakia que aparecerá em Pantera Negra, que já fez um texto no seu Instagram para elogiar o filme, tuitou uma versão resumida da sua declaração. “Os DEUSES nos abençoaram com o filme da Mulher-Maravilha. @GalGadot vai te prender na tela. A Diretora @PattyJenks NÃO ESTÁ DE BRINCADEIRAS.”
O incrível Hulk, ou melhor dizendo Mark Ruffalo, celebrou que o filme quebrou recordes: “Yay! “Mulher-Maravilha” quebrou o recorde de maior abertura para um filme dirigido por uma mulher”.
Karen Gillan, que vive a perigosa Nebulosa, disse: “Eu estou tão animada para ver Mulher-Maravilha, ele está recebendo críticas tão boas e parece que será um marco na história dos filmes liderados por uma mulher!”
Pelo seu Instagram, Kristen Ritter, que vive Jessica Jones, publicou uma foto sua junto de Carrie-Anne Moss, que interpreta a Jeryn Hogarth dizendo: “Indo ver #MulherMaravilha com minha Mulher Maravilha da vida real favorita @Carrieannemoss. ATUALIZAÇÃO – CARAMBA, ESSE FILME É INCRÍVEL – tipo, eu ainda estou chocada. Todas as sensações! DESLUMBRADA! Tão fodão, tão divertido, tão amoroso. Eu nem consigo lidar.”
James Gunn, o diretor da franquia Guardiões da Galáxia, também elogiou o filme: “Meus parabéns para @PatyJenks e sua incrível Mulher-Maravilha no que parece ser um fim de semana de abertura com mais de 100 milhões [de dólares]”
Enquanto Joss Whedon, que dirigiu os dois filmes dos Vingadores e agora está responsável por escrever e dirigir Batgirl comentou sobre a polêmica envolvendo a sessão do filme só para mulheres: “Eu pude ver Mulher-Maravilha semanas atrás, então calem a boca, já teve uma sessão só para homens. Oh e o é filme muito prazeroso.”

 

 

só uma coisinha....

 

alguém lembra de alguém envolvido nos filmes da DC ficar soltando notas assim sobre algum filme da marvel?

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

O acerto de contas:

Diana descobre ao fim do primeiro filme que é filha de Zeus. Há um acerto de contas a ser feito com sua mãe, portanto, que escondeu da filha o status de semideusa. Nos quadrinhos, a volta da Mulher-Maravilha a Temíscira sempre oferece oportunidades dramáticas, e uma das mais legais ocorreu nos Novos 52, quando Hera (mulher de Zeus), tomada de ciúmes, transformou Hipólita em pedra e as demais amazonas em serpentes. Quando descobre o estado do seu povo, Mulher-Maravilha pode perseguir e combater Hera em Temíscira ou ao redor do mundo.
 
O novo Olimpo:
O primeiro filme decreta a morte dos deuses, mas, francamente, é questão de tempo até que o Olimpo se refaça, porque vem da mitologia boa parte das histórias da heroína. Uma delas - que daria um belo filme de pancadaria - poderia ser a entrada do Primogênito, o primeiro filho de Zeus, largado para morrer no mundo dos homens e que tira seu ódio da sua condição de bastardo renegado. O trono vago do Olimpo pode trazer também figuras como Apolo e Éris, deusa da discórdia, que na mitologia grega foi desprezada por sua mãe Hera e poderia voltar ao Olimpo depois de ter sido originalmente banida.
 
Combo de ressuscitações:
Se o segundo filme seguir o caminho de restabelecer o Olimpo, pode então já aproveitar o embalo e usar Hades - irmão de Zeus e Poseidon e senhor do Submundo, o que lhe dá domínio sobre todas as almas no Além, sejam aquelas amaldiçoadas ao Tartarus ou abençoadas pela vida eterna nos Campos Elíseos - não apenas para ressuscitar os deuses mas também os amigos mortais de Primeira Guerra de Diana, que obviamente não teriam idade para curtir aventuras com a Mulher-Maravilha nos dias de hoje.

 

Gostei dessas ideias!

 

Eu queria ver a Hera como vilã do próximo WW. Mostrando a situação do Olimpo depois do que foi estabelecido em WW...

 

A ideia do filho bastardo tb é bem legal! 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Acho que para muitos homens é difícil perceber a importância desse filme.

 

Mulher-Maravilha é uma quebra de tabu, de paradigma, de recorde. É uma ode ao emponderamento feminino, à representatividade, à igualdade (a.k.a. feminismo) e, descontando o fato de ser um filme de uma super-heroína dirigido por uma mulher, é a primeiro do gênero em muitos anos a mostrar uma heroína que luta por um ideal, e não é em nenhum momento relutante ou cínica.

 

Por isso vem recebendo tantos parabéns.

 

Mulher-Maravilha é hino!  :D

Share this post


Link to post
Share on other sites

SLASH, a sequência já tem tópico. Poste seus comentários lá sempre que quiser. ;)

 

 http://forum.cinemaemcena.com.br/index.php?/topic/7461-mulher-maravilha-2/

 

 

 LIV,! Sempre bom ver você por aqui!. Gostei muito da sua resenha do filme para o Cinelogin! De fato, você apontou alguns fatores sobre os quais eu não havia me atentado, como a escolha do disfarce do Ares e a interessante crítica que o filme faz obre a guerra com a escolha desse disfarce.

 

 Concordo com você sobre a natureza do climax. Mas não foi bem a sua grandiloquência que me incomodou. Foi a condução mesmo. Ali, acho que a Jenkins deu um

 

PRIMO, Vai ver de novo um filme que te deixou triste?! :D  To zoando.

 

 Mas quando puder poste ai com mais detalhes apontamentos sobre o que mais curtiu no filme e o que te decepcionou (Pedido sem muita esperança, por que sei que você não curte fazer isso com filmes que não curtiu, mas a tenteada é grátis :D). 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Acho que para muitos homens é difícil perceber a importância desse filme.

 

Mulher-Maravilha é uma quebra de tabu, de paradigma, de recorde. É uma ode ao emponderamento feminino, à representatividade, e, descontando o fato de ser um filme de uma super-heroína dirigido por uma mulher, é a primeiro do gênero em muitos anos a mostrar uma heroína que luta por um ideal, e não é em nenhum momento relutante ou cínica.

 

Por isso vem recebendo tantos parabéns.

 

Mulher-Maravilha é hino!  :D

 

Nesse sentido, acho que o mais importante é que ele faz tudo isso que você diz sem precisar colar panfleto. Ele prega a igualdade e a fraternidade sem nenhuma sombra de sentimentos triunfalistas ou revanchistas. Diana é uma heroína extremamente feminina, e não precisa ser sexualizada pra isso. Ao mesmo tempo, diferente de outras produções que acham que precisam transformar os personagens masculinos em babacas pra criar uma heroína forte (como se a forma de fazer personagens femininas ser mais fosse tornar os masculinos menos) os personagens masculinos são tratados como pessoas. Diana não precisa rebaixar ninguém pra ser uma heroína. Só por esses fatores, o filme já é digno de aplausos.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×