Jump to content
Forum Cinema em Cena
Mr. Scofield

Religião (#4)

Recommended Posts

As discussões polêmicas continuam aqui.

 

Resgatando os últimos posts do Dook e do Nost em resposta ao Rafal (porque não é de se surpreender? 06)

Dook

 

Produtor Executivo

 

Produtor Executivo

 

Avatar

 

Registrado em: 14/Jun/2004

 

Status: Offline

 

Respostas: 25959

 

Reputação: 405

1px_spacer.gif

1px_spacer.gif

 

 

bullet Enviada Ontem as 11:36

 

 

 

Postada por Rafal

 

 

Na verdade,creio que para vocês jamais concordarão com o que Jesus disse:

'Todo aquele que buscar salvar sua alma perde-la-a.Mas todo aquele que perde-la em meu nome acha-la-a'

 

Mais exejegue... Texto fora de contexto é pretexto pra bobagem...

 

 

 

Postada por Rafal

 

Mas os próprios apóstolos foram contra a lei por conta de sua fé.Eles estavam errados então?

 

 

Que lei os apóstolos infringiram por conta da fé deles? Que eu saiba eles nunca mataram ninguém para defenderem a própria fé.

 

Nostromo

 

Designer de Cenários

 

Designer de Cenários

 

Avatar

 

Registrado em: 16/Maio/2007

 

Status: Offline

 

Respostas: 1095

 

Reputação: 6

1px_spacer.gif

1px_spacer.gif

 

 

bullet Enviada Ontem as 12:37

 

 

Postada por Rafal

 

E o uso do sangue elimina o risco?

 

 

 

Não a religião.Mas nossa relação com Deus.

 

 

 

Mesmo tomando todos os cuidados me manter seguro e saudável, ainda

há o risco de eu morrer. Então devo parar de tomar esses cuidados?

Sério, esse seu argumento é falho demais.

 

 

 

Uma relação que resulta em morte de um filho é, no mínimo, doentia. 14.gif

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

1) Ninguém melhor que o médico para dizer isso. Você nem sabe o que foi conversado com os pais, e se a transfusão tivesse apenas 1% de chance de salvar a vida e mesmo assim não foi usada, pra mim dá na mesma. Se tivesse 100% ou 1% é irrelevante.

 

2) Quem decidiu "salvar" ou não a alma, foram os pais dela.... Ela tinha consciência disso? E se tivessem feito a outra escolha para salvar a vida da filha, não seria nem um pouco incompatível com esses exemplos bíblicos que você postou.

 

 

1)Não é assim tão simples.Usar ou não o sangue são dois pontos opostos.Você não pode,neste caso,usar os dois métodos.

Logo,aceito críticas por parte de não-cristãos quando é "ou usa ou morre".Mas usar por que é "procedimento padrão",como acontece,aí eu critico.

Realmente não sei o que foi dito,mas não concordo que a porcentagem seja irrelevante.Se o uso do sangue representa 1% de chance de salvação,porque não buscar não usar o sangue?

 

2)Exatamente.É papel dos pais evitar que os filhos entrem em pecado.Na verdade a bíblia vai mais longe,diz que alguém com algum cargo na igreja,um pastor por exemplo,que têm um filho "rebelde",deve perder seu cargo.

 

 

Mais exejegue... Texto fora de contexto é pretexto pra bobagem...

A aplicação deste texto é que não devemos fazer de tudo,até mesmo ir contra a bíblia para salvar nossa vida.

Você pode até não concordar que o príncipio de respeito ao sangue se aplica a transfusões também,direito seu.

Mas o texto se aplica a alguém que tenha as tranfusões de sangue como uma ordem bíblica.

 

Que lei os apóstolos infringiram por conta da fé deles? Que eu saiba eles nunca mataram ninguém para defenderem a própria fé.

Eles foram proibidos diretamente por um governante a parar de pregar e não fizeram isto.

Nos tempos de Daniel o rei instituiu uma lei que ninguém poderia fazer uma reverência para outros além do próprio rei.Orou a Deus e foi enviado à cova dos leões.

 

Mesmo tomando todos os cuidados me manter seguro e saudável, ainda há o risco de eu morrer. Então devo parar de tomar esses cuidados? Sério, esse seu argumento é falho demais.

Não estou usando este argumento para defender esta questão,não existem argumento não bíblicos para isso.

Usei para mostrar que a coisa não é tão simples assim.Que usou sangue e está resolvido.

 

em resposta ao Rafal (porque não é de se surpreender? 06)

Sem eu este tópico jamais chegaria aonde chegou06

 

Share this post


Link to post
Share on other sites


1)Não é assim tão simples.Usar ou não o sangue são dois pontos opostos.Você não pode' date='neste caso,usar os dois métodos.
Logo,aceito críticas por parte de não-cristãos quando é "ou usa ou morre".Mas usar por que é "procedimento padrão",como acontece,aí eu critico.

 

2) Realmente não sei o que foi dito,mas não concordo que a porcentagem seja irrelevante. Se o uso do sangue representa 1% de chance de salvação,porque não buscar não usar o sangue?

 

3)Exatamente.É papel dos pais evitar que os filhos entrem em pecado.Na verdade a bíblia vai mais longe,diz que alguém com algum cargo na igreja,um pastor por exemplo,que têm um filho "rebelde",deve perder seu cargo.
[/quote']
1) Vamos ao fato: A morte da menina foi porque os pais não aceitaram a transfusão. Não precisa enrolar o debate e trazer questões sem importância, já que estamos discutindo um fato.

 

2) Para as TJ isso não importa, já que vocês são contra independente disso. Então sua pergunta, já que você é TJ, não tem sentido. Já que se fosse 100% você também seria contra.

 

3) Não sei se você não entendeu meu comentário, mas você concordou quando eu disse que mesmo se os pais aceitassem a transfusão, não seriam contraditórios com os textos bíblico que você postou.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

A aplicação deste texto é que não devemos fazer de tudo' date='até mesmo ir contra a bíblia para salvar nossa vida.

Você pode até não concordar que o príncipio de respeito ao sangue se aplica a transfusões também,direito seu.

Mas o texto se aplica a alguém que tenha as tranfusões de sangue como uma ordem bíblica.[/quote']

 

Aplicação é diferente de interpretação.

 

Eles foram proibidos diretamente por um governante a parar de pregar e não fizeram isto.

 

A proibição não era uma lei' date=' até pq veio de um líder judeu que seguia a lei mosaica à risca.

 

Nos tempos de Daniel o rei instituiu uma lei que ninguém poderia fazer uma reverência para outros além do próprio rei.Orou a Deus e foi enviado à cova dos leões.

 

Daniel estava fora de casa, na Babilônia, uma nação que não conhecia o Deus que ele servia.

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

1) Vamos ao fato: A morte da menina foi porque os pais não aceitaram a transfusão. Não precisa enrolar o debate e trazer questões sem importância, já que estamos discutindo um fato.

 

2) Para as TJ isso não importa, já que vocês são contra independente disso. Então sua pergunta, já que você é TJ, não tem sentido. Já que se fosse 100% você também seria contra.

 

3) Não sei se você não entendeu meu comentário, mas você concordou quando eu disse que mesmo se os pais aceitassem a transfusão, não seriam contraditórios com os textos bíblico que você postou.

1)Não.A morte da menina foi por conta da doença dela.Não do impedimento do uso do sangue.Mas sim,se o sangue tivesse sido usado talvez ela sobrevivesse.

 

2)Falei isso do ponto de vista não-tj.

Se o uso do sangue não representa grandes chances de sobrevivência,porque não atender aos pedidos dos pais.Pelo menos eles sofrerão menos com a morte da filha.

 

3)Não.O que concordei foi que quem decidiu salvar a filha foram os pais.

E então falei que,do ponto de vista da bíblia,é dever dos pais fazer com que os filhos não caiam em pecado,podendo até mesmo perder privilégios de serviços caso tenham.

Aplicação é diferente de interpretação.

Claro que é.

Então,qual dos dois está errado na sua concepção,aplicação ou interpretação?

A proibição não era uma lei, até pq veio de um líder judeu que seguia a lei mosaica à risca.

Como não?Aqueles líderes tinham tanto poder que poderiam prender alguém.E realmente foi o que fizeram.

Logo,eles eram as autoridades alí.

Daniel estava fora de casa, na Babilônia, uma nação que não conhecia o Deus que ele servia.

Hã?Então quando estamos numa nação diferente das nossas as leis dela não se aplicam à nós?

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Claro que é.

Então' date='qual dos dois está errado na sua concepção,aplicação ou interpretação?[/quote']

 

A interpretação.

 

Como não?Aqueles líderes tinham tanto poder que poderiam prender alguém.E realmente foi o que fizeram.

Logo' date='eles eram as autoridades alí.[/quote']

 

Você está confundindo autoridade com leis... Não havia nenhuma lei judaica que impedia os apóstolos de pregarem o Evangelho.

 

Hã?Então quando estamos numa nação diferente das nossas as leis dela não se aplicam à nós?

 

Não... estou querendo dizer que a sua analogia de Daniel não se aplica ao que estamos discutindo. Não há nenhuma justificativa bíblica que apóie o que os pais fizeram, exceto uma crença originada de uma interpetação equivocada by Charles Taze Russel sobre a questão do sangue. O bíblico mesmo seria eles sacrificarem a própria vida para salvar a vida da filha.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

A interpretação.

 

Qual seria então a interpretação correta.

Você está confundindo autoridade com leis... Não havia nenhuma lei judaica que impedia os apóstolos de pregarem o Evangelho.

Sim.Mas havia uma lei humana que o fazia.

 

Não... estou querendo dizer que a sua analogia de Daniel não se aplica ao que estamos discutindo. Não há nenhuma justificativa bíblica que apóie o que os pais fizeram' date=' exceto uma crença originada de uma interpetação equivocada by Charles Taze Russel sobre a questão do sangue. O bíblico mesmo seria eles sacrificarem a própria vida para salvar a vida da filha.

[/quote']

Não estou entendendo então.

O que você está falando que não têm justificativa?A abstenção do sangue ou os pais evitarem que os filhos caiam em pecado?

Porque existem claramente duas questões aqui:A legitimidade da aplicação do texto de Atos 15:29 e o direito dos pais usar esta aplicação nos filhos também.

Se o sangue vai salvar ou não a vida da pessoa é irrelevante no contexto bíblico.

 

Além do mais,o conceito do sangue não foi formulado por Russel.Na verdade,diversas de nossas crenças são diferentes das crenças que ele tinha.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Não estou usando este argumento para defender esta questão' date='não existem argumento não bíblicos para isso.Usei para mostrar que a coisa não é tão simples assim.Que usou sangue e está resolvido.[/quote']

 

 

 

Não se faça de idiota... As chances dela sobreviver eram infinitamente maiores se tivesse recebido a transfusão. Não distorça a realidade para que ela se encaixe nessa crença imbecil. Não há como justificar pais negando tratamento para os filhos doentes. 14.gif

 

 

 

E quanto a não haver argumentos "não bíblicos"... bem... então não há argumentos. Conteúdo da bíblia não é argumento para ações no mundo real. Principalmente ações criminosas. Nostromo2010-11-22 13:00:36

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não se faça de idiota... As chances dela sobreviver eram infinitamente

maiores se tivesse recebido a transfusão. Não distorça a realidade para

que ela se encaixe nessa crença imbecil. Não há como justificar pais

negando tratamento para os filhos doentes. 14.gif

 

 

 

E quanto a não haver argumentos "não bíblicos"... bem... então não

há argumentos. Conteúdo da bíblia não é argumento para ações no mundo

real. Principalmente ações criminosas.

Sim.Neste caso realmente.As chances eram maiores.

Mas nem sempre é assim.

 

"Conteúdo da bíblia não é argumento para ações no mundo real."

Aqui você está redondamente enganado.Tudo que você conhece como "mundo real" foi moldado pelo conteúdo da bíblia.

Mas concordo que ela não é tida como lei.

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Qual seria então a interpretação correta.

 

Eu nem vou entrar nesse mérito porque senão ficaríamos punhetando aqui mais 200 páginas com você apelando lá pro meio... Não tenho mais tempo pra isso' date=' mas fica a dica: analise o texto dentro do seu contexto e isto implica ler, talvez, o capítulo inteiro onde está o versículo e, talvez o capítulo anterior e o posterior. Isso é interpretação correta.

 

Sim.Mas havia uma lei humana que o fazia.

 

Começou já... 07

 

Não havia nenhuma lei escrita dizendo que era proibido pregar o Evangelho. Os caras do Sinédrio simplesmente decidiram isso e mandaram prender (e matar) quem fizesse isso. Não havia uma lei redigida especificamente com esse propósito.

 

Não estou entendendo então.

O que você está falando que não têm justificativa?A abstenção do sangue ou os pais evitarem que os filhos caiam em pecado?

Porque existem claramente duas questões aqui:A legitimidade da aplicação do texto de Atos 15:29 e o direito dos pais usar esta aplicação nos filhos também.

Se o sangue vai salvar ou não a vida da pessoa é irrelevante no contexto bíblico.

 

Não tem justificativa SACRIFICAR uma vida inocente - que NÃO ESCOLHEU por si mesma recusar-se à transfusão, escolheram por ela - em razão de uma crença que surgiu de uma equivocada interpretação de Atos 15:29.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Atos 15:29 - "Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do sangue, e da carne sufocada, e da prostituição, das quais coisas bem fazeis se vos guardardes. Bem vos vá."

 

 

 

ABSTER - v.t. Privar do exercício de uma função ou direito: absteve-o de entrar. / &151; V.pr. Privar-se de: abster-se de bebida. / Conter-se, refrear-se, deixar de intervir ou de participar.

 

 

 

Fonte: Dicionário Aurélio

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Eu nem vou entrar nesse mérito porque senão ficaríamos punhetando aqui mais 200 páginas com você apelando lá pro meio... Não tenho mais tempo pra isso' date=' mas fica a dica: analise o texto dentro do seu contexto e isto implica ler, talvez, o capítulo inteiro onde está o versículo e, talvez o capítulo anterior e o posterior. Isso é interpretação correta.

[/quote']

Esqueça este texto então.A bíblia é repleta de pessoas disposta até a morrer para não desobedecer a Deus.

Amamos a Deus com toda nossa vida.Ela não nos pertence mais,Deus a comprou com o sangue de Jesus.

Não havia nenhuma lei escrita dizendo que era proibido pregar o Evangelho. Os caras do Sinédrio simplesmente decidiram isso e mandaram prender (e matar) quem fizesse isso. Não havia uma lei redigida especificamente com esse propósito.

Não consigo ver nenhuma diferença pratica nisso.

Escrita ou não' date='era lei.

No caso da Daniel,a lei que o impedia de orar a Deus foi escrita.E mesmo assim ele não obedeceu.

Dook,quando "cesar" manda fazermos (não importa se foi escrita ou não) algo que vai de encontro com o que Deus diz,devemos não obedecer.A menos que você prefira salvar sua vida ao invés de obedecer a Deus.

 

Não tem justificativa SACRIFICAR uma vida inocente - que NÃO ESCOLHEU por si mesma recusar-se à transfusão, escolheram por ela - em razão de uma crença que surgiu de uma equivocada interpretação de Atos 15:29.

Não vamos entrar no mérito se a interpretação esta correta ou não.

Temos exemplos bíblicos onde uma "vida inocente" foi sacrificada por conta das escolhas dos pais:

-Abraão

-Mundo pré-diluviano

-Sodoma e Gomorra

-Cristãos perseguidos (Toda a família do cristão era morta,mulheres e crianças)

-Daqui a pouco

 

É dever dos pais manter os filhos em santidade até que eles possam escolher por eles mesmo.

Se algum governo chegar na sua igreja e falar que vocês têm que parar de pregar e adorar a Deus, com penas de serem mortos.O que vocês farão com Seus filhos?

 

Atos 15:29 - "Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos' date=' e do sangue, e da carne sufocada, e da prostituição, das quais coisas bem fazeis se vos guardardes. Bem vos vá."

 

ABSTER - v.t. Privar do exercício de uma função ou direito: absteve-o de entrar. / &151; V.pr. Privar-se de: abster-se de bebida. / Conter-se, refrear-se, deixar de intervir ou de participar.

 

Fonte: Dicionário Aurélio

[/quote']

Esquece.Parece que o povo não consegue ler a palavra "abster" neste texto.Só consegue ler "comer".

Aliás,Dook.Você come molho pardo ou qualquer outra comida que usa sangue?

 

 

Rafal2010-11-23 13:56:23

Share this post


Link to post
Share on other sites
Sim.Neste caso realmente.As chances eram maiores.Mas nem sempre é assim.

 

 

 

"Conteúdo da bíblia não é argumento para ações no mundo real."Aqui você está redondamente enganado.Tudo que você conhece como "mundo real" foi moldado pelo conteúdo da bíblia.Mas concordo que ela não é tida como lei.

 

 

 

 

Nem você nem qualquer TJ leigo tem capacidade para avaliar se alguem vai morrer mesmo recebendo transfusão. Nem um médico consegue dizer isso com 100% de certeza. Se há uma mínima esperança de que a pessoa vai sobreviver' date=' então o tratamento deve ser feito.

 

 

 

Não, não estou. Não sei em que mundo você vive, mas o mundo que eu vivo certamente não foi "moldado" pelo conteúdo da bíblia. PARTE dele foi INFLUENCIADO pelo conteúdo da bíblia. O motivo de não concordarmos com assassinato é porque isso é errado, independentemente de estar na bíblia ou não. Pode não parecer para você, mas as pessoas raciocinam além do seu livrinho. Então novamente eu repito: o conteúdo da bíblia não é argumento para ações no mundo real. Dizer que deixou a criança morrer por causa de um conteúdo da bíblia não é argumento. Não é justificativa. E não libera alguém da culpa pela morte dessa criança. Isso é puro fanatismo. Tão absurdo quanto o muçulmano que interpretou o corão de maneira a achar que se explodir no meio de uma multidão de judeus era certo.

 

 

 

 

 

 

 

Atos 15:29 - "Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do sangue, e da carne sufocada, e da prostituição, das quais coisas bem fazeis se vos guardardes. Bem vos vá."

 

 

 

ABSTER - v.t. Privar do exercício de uma função ou direito: absteve-o de entrar. / &151; V.pr. Privar-se de: abster-se de bebida. / Conter-se, refrear-se, deixar de intervir ou de participar.

 

 

 

Fonte: Dicionário Aurélio

 

 

 

Nossa! Ele sabe usar o dicionário. Parabéns!! Pena que decodificar palavras não é o mesmo que contextualiza-las...Nostromo2010-11-23 16:22:43

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

 

Me impressiona que pessoas sejam capazes de trocar uma filha por uma interpretação duvidosa de um livro que pode nem ser sagrado. Chego a questionar até que ponto esses pais amavam a menina.

Neste caso eu consigo estabelecer uma lógica (mesmo não concordando com ela). A maioria dos religiosos pregam amar Deus sobre todas as coisas. Se os T.J. consideram tal assertiva como verdadeira, independentemente de seus conceitos estarem certos ou não, é coerente que amem mais Deus que a filha e, portanto, até mesmo por acreditar que ela irá para Seu Reino (e, portanto, estará bem), eles devem seguir o que o Criador falou (em sua questionável interpretação). Assim, eles a amam até o ponto aceitável pela sua doutrina (o que pode significar enormemente).

Mr. Scofield2010-11-23 17:35:53

Share this post


Link to post
Share on other sites
Me impressiona que pessoas sejam capazes de trocar uma filha por uma interpretação duvidosa de um livro que pode nem ser sagrado. Chego a questionar até que ponto esses pais amavam a menina.

Neste caso eu consigo estabelecer uma lógica (mesmo não concordando com ela). A maioria dos religiosos pregam amar Deus sobre todas as coisas. Se os T.J. consideram tal assertiva como verdadeira, independentemente de seus conceitos estarem certos ou não, é coerente que amem mais Deus que a filha e, portanto, até mesmo por acreditar que ela irá para Seu Reino (e, portanto, estará bem), eles devem seguir o que o Criador falou (em sua questionável interpretação). Assim, eles a amam até o ponto aceitável pela sua doutrina (o que pode significar enormemente).
[/quote']

Mas se o deus é perfeito, a lei também não devia ser perfeita para evitar o confronto, no caso do amor divino com o familiar? Essa é uma situação que pode até abalar a estrutura familiar, ainda mais num caso onde a decisão não compromete ninguém.

 

Isso que consideram lei é totalmente questionável, principalmente quando há um caso de interpretação literal no que se refere a sangue animal e por via oral. E ainda numa época totalmente diferente onde várias outras práticas primitivas eram comuns, como apedrejamento, olho por olho... E que supostamente eram seguidas por quem amava Deus. Sendo assim, porque não continuar com as outras leis primitivas também?

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

 

 

 

 

Me impressiona que pessoas sejam capazes de trocar uma

filha por uma interpretação duvidosa de um livro que pode nem ser

sagrado. Chego a questionar até que ponto esses pais amavam a menina.

Neste

caso eu consigo estabelecer uma lógica (mesmo não concordando com ela).

A maioria dos religiosos pregam amar Deus sobre todas as coisas. Se os

T.J. consideram tal assertiva como verdadeira, independentemente de seus

conceitos estarem certos ou não, é coerente que amem mais Deus que a

filha e, portanto, até mesmo por acreditar que ela irá para Seu Reino

(e, portanto, estará bem), eles devem seguir o que o Criador falou (em

sua questionável interpretação). Assim, eles a amam até o ponto

aceitável pela sua doutrina (o que pode significar enormemente).

[/quote']

 

 

 

Eu concordo que o comportamento de crentes que dizem amar mais a deus

que a seus filhos é coerente já que a assertiva "amar a deus sobre

todas as coisas" é bastante clara e não dá muito espaço pra  divagações. Meu problema é mais com a interpretação que as TJ's dão para aquele versículo que o Nightcrawler postou ali em cima. Assumir que aquele texto se aplica ao caso de transfusões de sangue é uma afronta à lógica e ao bom senso. O ponto é: nesse questão em específico as TJ's não têm fé em deus, e sim nos anciãos da torre de vigia. Se amanhã eles mudarem de idéia e  disserem que transfusão de sangue está de acordo com a Bíblia o Rafal vai vir aqui e dizer a mesma coisa.

Moonsorrow2010-11-23 21:53:18

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Nem você nem qualquer TJ leigo tem capacidade para avaliar se alguem vai morrer mesmo recebendo transfusão. Nem um médico consegue dizer isso com 100% de certeza. Se há uma mínima esperança de que a pessoa vai sobreviver' date=' então o tratamento deve ser feito.

 

Não, não estou. Não sei em que mundo você vive, mas o mundo que eu vivo certamente não foi "moldado" pelo conteúdo da bíblia. PARTE dele foi INFLUENCIADO pelo conteúdo da bíblia. O motivo de não concordarmos com assassinato é porque isso é errado, independentemente de estar na bíblia ou não. Pode não parecer para você, mas as pessoas raciocinam além do seu livrinho. Então novamente eu repito: o conteúdo da bíblia não é argumento para ações no mundo real. Dizer que deixou a criança morrer por causa de um conteúdo da bíblia não é argumento. Não é justificativa. E não libera alguém da culpa pela morte dessa criança. Isso é puro fanatismo. Tão absurdo quanto o muçulmano que interpretou o corão de maneira a achar que se explodir no meio de uma multidão de judeus era certo.

[/quote']

Entendo seu ponto de vista.Como falei,não existem argumento fora do contexto bíblico (leia-se,entre cristãos) que justifiquem esta atitude dos país.

 

 

Não só assassinato,roubo, etc.Mas os direitos da mulher (mesmo sendo incorretamente interpretada),adultério,não uso dos juros (mesmo por um tempo).

Mas sim,o conteúdo da biblia não pode ser usado como argumento "no mundo real".O que me surpreendeu quando descobrí que uma carta psicografada foi usada em um tribunal.

 

Me impressiona que pessoas sejam capazes de trocar uma filha por uma interpretação duvidosa de um livro que pode nem ser sagrado. Chego a questionar até que ponto esses pais amavam a menina.

Entendo seu pensamento.

Na verdade penso o mesmo dos muçulmanos.

Mas você não estaria disposto a sacrificar sua filha se soubesse' date='sem dúvida alguma,que isso é para o bem dela?Que se não sacrificar poderia privar ela de um futuro maravilhoso?

 

edit:Na verdade,a questão é ainda mais complexa.Os pais poderiam entrar em "culpa de sangue" pela filha.

Neste caso eu consigo estabelecer uma lógica (mesmo não concordando com ela). A maioria dos religiosos pregam amar Deus sobre todas as coisas. Se os T.J. consideram tal assertiva como verdadeira, independentemente de seus conceitos estarem certos ou não, é coerente que amem mais Deus que a filha e, portanto, até mesmo por acreditar que ela irá para Seu Reino (e, portanto, estará bem), eles devem seguir o que o Criador falou (em sua questionável interpretação). Assim, eles a amam até o ponto aceitável pela sua doutrina (o que pode significar enormemente).

Exato.

Pena que muitos cristãos não estão dispostos a perder a própria vida por seu amor a Deus.

 

Mas se o deus é perfeito' date=' a lei também não devia ser perfeita para evitar o confronto, no caso do amor divino com o familiar? Essa é uma situação que pode até abalar a estrutura familiar, ainda mais num caso onde a decisão não compromete ninguém.

 

Isso que consideram lei é totalmente questionável, principalmente quando há um caso de interpretação literal no que se refere a sangue animal e por via oral. E ainda numa época totalmente diferente onde várias outras práticas primitivas eram comuns, como apedrejamento, olho por olho... E que supostamente eram seguidas por quem amava Deus. Sendo assim, porque não continuar com as outras leis primitivas também?

[/quote']

Judy,

São duas leis existentes em mundo opostos.Se o mundo fosse governado por Deus (não teria doença,mas digamos que têm) e a questão do sangue fosse uma verdade,nem existiria transfusões de sangue.Os hospitais possuiriam aparelhos sem uso do sangue e ninguém consideraria que "se usasse sangue talvez ela estaria viva".

E,se Deus adaptasse sua lei para as leis humanas,ele perderia sua soberania.Além de estar concordando com as leis de Satanás.

 

Nós obedecemos à esta questão não por conta da Lei Mosaica.Mas pelo texto de Atos,que foi escrito após uma reunião entre os apóstolos e então enviaram as regras que seriam mantidas para todas as congregações.

Sim,na Lei Mosaica o sangue não poderia ser usado por via oral.Mas naquela época não existia transfusõess de sangue.Então não poderia falar:"Não comam e nem injetem sangue".

 Rafal2010-11-23 22:02:43

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu concordo que o comportamento de crentes que dizem amar mais a deus

que a seus filhos é coerente já que a assertiva "amar a deus sobre

todas as coisas" é bastante clara e não dá muito espaço pra  divagações.

Meu problema é mais com a interpretação que as TJ's dão para aquele

versículo que o Nightcrawler postou ali em cima. Assumir que aquele

texto se aplica ao caso de transfusões de sangue é uma afronta à lógica e

ao bom senso. O ponto é: nesse questão em específico as TJ's não têm fé

em deus' date=' e sim nos anciãos da torre de vigia. Se amanhã eles mudarem de

idéia e  disserem que transfusão de sangue está de acordo com a Bíblia o

Rafal vai vir aqui e dizer a mesma coisa.

[/quote']

É verdade que nosso entendimento bíblico têm sido refinado com o passar dos tempos.

Um exemplo é a questão das partes do sangue.Antes elas não eram consideradas aceitáveis.Mas após a evolução da ciência e o entendimento que elas não podem ser consideradas sangue,nós passamos a fazer uso delas.

Então,caso o pensamento da torre mude e seja dada uma boa explicação (O que acho bem difícil,já que é claro para mim está questão),poderia ser que eu mude de idéia.

 

Como aquele texto não se aplica?Ele diz "abster" de sangue.

Se alguém é alérgico à determinada substância,não importa se ele bebeu ou injetou ela,ele entrerá em crise assim mesmo.

E abster é exatamente isso.Nós somos "alérgicos" a sangue.

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Antigamente a Torre de Vigia condenava vacinas e transplantes de órgãos, hoje os dois procedimentos estão liberados. É comum a Torre mudar de idéia, embora isso nunca devesse ocorrer já que, como vocês dizem, eles são guiados pelo Espírito Santo.

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Sim,hoje é considerado como sendo de escolha do cristão.

Na verdade,é normal acontecer.A bíblia diz que a luz que a vereda dos justos "brilharia cada vez mais".

Diversos temas da bíblia só passaram a ser compreendido após certo tempo,como as profeciais a cerca do messias ou a profecia sobre o "descendente da mulher".

E ainda existem coisas que Deus deixou em aberto.Coisas que só saberemos no futuro novo mundo.

Até mesmo Jesus representou todo uma nova visão dos mandamentos divinos e veja que os escritores da época pré-cristã também eram guiados por espírito.

 

Rafal2010-11-23 23:01:42

Share this post


Link to post
Share on other sites

1) São duas leis existentes em mundo opostos. Se o mundo fosse governado por Deus (não teria doença' date='mas digamos que têm) e a questão do sangue fosse uma verdade,nem existiria transfusões de sangue. Os hospitais possuiriam aparelhos sem uso do sangue e ninguém consideraria que "se usasse sangue talvez ela estaria viva".

 

2) E,se Deus adaptasse sua lei para as leis humanas,ele perderia sua soberania.

 

3) Além de estar concordando com as leis de Satanás.

 

4) Nós obedecemos à esta questão não por conta da Lei Mosaica.Mas pelo texto de Atos,que foi escrito após uma reunião entre os apóstolos e então enviaram as regras que seriam mantidas para todas as congregações.Sim,na Lei Mosaica o sangue não poderia ser usado por via oral.Mas naquela época não existia transfusõess de sangue.Então não poderia falar:"Não comam e nem injetem sangue".
[/quote']

1) Esse seu comentário não fez sentido pra mim. Quando você diz dois mundos opostos, é um governado por satanás e outro por deus? Qual contexto da questão do sangue você se refere?

 

2) Não é questão de adaptar, as outras leis que comentei foram banidas, pelo menos no mundo cristão. No islamismo, que você diz pensar como eles, várias continuam valendo. É o caso do apedrejamento, em caso de adultério por exemplo.

 

3) Quais são as leis de satanás?

 

4) Dá na mesma, eles continuam falando sobre comer sangue.Desnecessário dizer que naquela época não existia transfusão... Mas o fato de não existir, não significa que a lei também deve ser aplicada à transfusão. Mas vamos supor que essa lei fosse numa época onde a medicina já estivesse mais desenvolvida e existisse transfusão. Mesmo assim, sem falar da transfusão no texto, você entenderia da mesma forma?

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Antigamente a Torre de Vigia condenava vacinas e transplantes de órgãos' date=' hoje os dois procedimentos estão liberados. É comum a Torre mudar de idéia, embora isso nunca devesse ocorrer já que, como vocês dizem, eles são guiados pelo Espírito Santo.

 

[/quote']

 

Touché...

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

Esqueça este texto então.A bíblia é repleta de pessoas disposta até a morrer para não desobedecer a Deus.

Amamos a Deus com toda nossa vida.Ela não nos pertence mais' date='Deus a comprou com o sangue de Jesus.[/quote']

 

Morrerem, sim... Matar outras pessoas, não.

 

Não consigo ver nenhuma diferença pratica nisso.

Escrita ou não' date='era lei.

No caso da Daniel,a lei que o impedia de orar a Deus foi escrita.E mesmo assim ele não obedeceu.

Dook,quando "cesar" manda fazermos (não importa se foi escrita ou não) algo que vai de encontro com o que Deus diz,devemos não obedecer.A menos que você prefira salvar sua vida ao invés de obedecer a Deus.[/quote']

 

"Não matarás" é tanto lei de Deus quanto lei dos homens. E essa lei foi violada pelos pais da garota.

 

-Abraão

-Mundo pré-diluviano

-Sodoma e Gomorra

-Cristãos perseguidos (Toda a família do cristão era morta' date='mulheres e crianças)

-Daqui a pouco[/quote']

 

Quem foi o inocente sacrificado no caso de Abraão? Quanto ao mundo pré-diluviano e Somoda e Gomorra, nos três casos, todos os mortos eram culpados diante de Deus. Quanto aos cristãos perseguidos, eles morrem por causa da MENSAGEM do Evangelho que é pregada e não pq são vítimas de doutrinas espúrias pregadas por líderes espirituais.

 

É dever dos pais manter os filhos em santidade até que eles possam escolher por eles mesmo.

 

Concordo com a afirmação' date=' mas penso que vc está dando a ela um escopo maior do que ela tem. Primeiro que filhos pecam independente da educação que seus pais dão; segundo que a vida do indivíduo não é propriedade de seus pais, portanto não entra na questão da santificação a que vc se refere, logo questões que versem sobre vida e morte do indivíduo competem apenas à ele.

 

Se algum governo chegar na sua igreja e falar que vocês têm que parar de pregar e adorar a Deus, com penas de serem mortos.O que vocês farão com Seus filhos?

 

Situação completamente diferente da que estamos discutindo. A pregação é uma ordem clara. A abstenção do sangue já é algo que, penso eu, depende do bom senso de cada um. Se vocês parassem com essa balela de que a alma é a vida física do sujeito, a história da proibição da transfusão de sangue sequer existiria... 

 

Aliás' date='Dook.Você come molho pardo ou qualquer outra comida que usa sangue?[/quote']

 

Não. E isso já foi falado no outro tópico. Vá lá ler...

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×