Jump to content
Forum Cinema em Cena
Tensor

O Que Você Anda Vendo e Comentando?

Recommended Posts

Perseguidor Implacável (Dirty Harry, Dir.: Don Siegel, 1971) 5/4

image.png.be220b2dec69a5d29ac245739c2db44c.png

Com certeza, o filme policial que moldou os filmes policiais/de ação da década de 70/80 do herói durão, solitário e implacável. Duro de Matar, Swarza, Charles Bronson, Chuck Norris, todo mundo bebeu (e continua bebendo) dessa fonte aqui.

Magnum 44 (Magnum Force, Dir.: Ted Post, 1973) 4/4

image.png.c204a25d83fbc5a9b640808a7cea12c6.png

Continuação tão boa quanto o primeiro filme. É mais longo que devia, mas continua consistente. E acho que suavizaram um pouco algumas coisas (mostrando a vida do policial fora da polícia, e ele não combatendo 'bandidos' propriamente ditos, enfim), mas tá tão impactante como o original.

Sem Medo da Morte (The Enforcer, Dir.: James Fargo, 1976) 2/4

image.png.be01a2c0fb622c5227c2fb565008e6f6.png

Aqui já deu uma degringolada. Tem ainda o bom ar 'underground/marginal' vindo dos 2 primeiros filmes, mas tem vilões bobocas e umas cenas extremas demais (Harry matando um cara na bazuca), faz cair um pouco.

Impacto Fulminante (Sudden Impact, Dir.: Clint Eastwood, 1983) 3/4 

image.png.07f88e5f324cfbc27775a77c15431888.png

Acho melhor que o 3º filme (a história de vingança aqui é mais interessante), mas já é anos 80 aqui, com cara de filmes dessa época, perdeu o ar de "filme underground/marginal" dos anteriores, já é bem mainstream (não sei se isso chega a ser defeito, porque curto ambas estéticas).

Obs.: Olhando esse filme, não posso deixar de pensar que poderiam ter feito um crossover do Dirty Harry (Clint Eastwood) e Desejo de Matar (Charles Bronson)... A história da vítima aqui se assemelha ao da série do Bronson. E a história do Dirty e a da mulher vão andando paralelamente e só depois se encontram (coisa de crossover mesmo). Fazendo uma adaptação aqui e acolá na história, daria pra terem feito.

Dirty Harry na Lista Negra (The Dead Pool, Dir.: Buddy Van Horn, 1988) 2/4

image.png.8f4ae493e5fb5de92dc6db4decf5746a.png

Já é bem "fim de feira" mesmo esse 5º filme. Sem muitas ideias novas, e execução precária. Não chega a envergonhar a série (talvez tirando a cena do Clint com um arpão na mão...), mas é bem o inferior mesmo. O interessante é ver o Liam Neeson, no início de carreira, fazendo um diretor de filmes de terror, e o Jim Carrey, também novo, fazendo um cantor de rock dublando Guns'n Roses. 

*Queria que o Clint tivesse feito outro filme nos anos 90 (depois d'Os Implacáveis), pra tentar fechar bem a série, depois desse 5º filme meio blá, mas enfim. Já foi.

Loucuras de Verão (American Graffitti, Dir.: George Lucas, 1973) 5/4

220px-American_graffiti_ver1.jpg

Filme que George Lucas fez antes de Star Wars. E é um ótimo filme, bem autoral. Mesmo com alcunha de "comédia", curto mais pela nostalgia que a história traz. Aquele lance de abandonar a juventude e partir pra vida adulta. Várias história contadas ao mesmo tempo e com personagens marcantes.

E a Festa Acabou... (More American Graffitti, Dir.: Bill L;. Norton, 1979) 3/4

More_American_Graffiti_1979.jpg

Acho que pouca gente sabe da existência dessa continuação de Loucuras de Verão. Lucas não dirigiu (já tava ocupado com Star Wars), mas foi produtor executivo. E apesar do filme original contar o destino dos personagens nos anos que vieram, essa sequel não deixa de ser interessante (e até trágica, já que tem personagem que já sabemos que morre). Se passa na véspera de ano novo dos anos de 1964, 1965, 1966 e 1967, com cada ano mostrando cada personagem do filme anterior (menos o do Richard Dreyfuss, que não aparece no filme e foi só citado numa cena da irmã) e o resultado da sua vida adulta. Filme acaba mostrando bem o cenário político da época com Guerra do Vietnã, protestos estudantis, hippies e feminismo. 

Share this post


Link to post
Share on other sites

"First Kill" é um thriller frouxo disfarçado de filme de amadurecimento. Desperdiça bons atores numa trama inverossimil, irregular e digna de Supercine. Tadinho do Bruce Willis por entrar nessa barca furada.. Outra: eita mocinha feiadaporra! 7/10

a53d736d6a2bba94e300078b2b5add7b

 

"Hypersomnia" é um thriller fantástico argentino cujas referencias são bem claras. "Sucker Puch".."A Origem"..e até "Hostel"..Começa muito interessante, te chamando a decifrar sua simplicidade iintimista, só no final cai de nivel mas ainda assim vale a bizoiada desta produção da terra do Maradona e do Darin. 8/10
Hypersomnia-Poster.jpg

 

"The Demolisher" é filme de justiceiro doidão tocado como se fosse "filme de arte", manja? Imagina "Desejo de Matar" feito pelo Nicolas Winding Refn. É interessante pelo formato e quiçá pela alegoria vanguardista da violência..Mas quer saber? ainda prefiro filme de vigilante do modo tradicional. 8/10

the-demolisher2.jpg

 

"Assim que eu abro meus olhos" é um belo filme tunisiano que retrata a juventude árabe. Sem falar na foderosa trilha sonora que tem.  O pessoal de humanas da Usp vai pirar com este filme e torná-lo obrigatorio durante suas greves. 8,5/10

522714.jpg

 

"Lourdes" é uma versão femenina de "Intocáveis", tocada de forma mais intimista e religiosa. Com a delicinha Lea Seydoux em inicio de carreira, prepare-se pro delicioso e emocionante final na cena do baile, com lenço do lado. 8,5/10

lourdes-poster.jpg

 

"Oats Studio Vol.1" é a volta triunfal de Neill Blomkamp pro que sabe fazer melhor: falar do bem contra o mal em formato scy-fy. Estupenda antologia de contos que dá vontade de ver mais, e mostra que o talentoso diretor faz bonito quando ta fora dos grilhões hollywoodianos. Todos são bons mas curti mais o do Deus vingativo do Charlto Copley. Hilário que parece Monthy Pithon. Agora voltei a ficar com vontade de vê-lo substituindo o Ridley Scott na franquia Alien. 9/10

oatsstudiosneill-poster.jpg


"The Last Man on Moon" é um espetáculo de documentário sobre o titulo do filme. Imagina "Os Eleitos" tocado como mockumentary..é isso, ao mostrar a trajetoria dum caipira que literalmente foi mandado não pra China e sim pra Lua.. 9/10
TheLastManOnTheMoon_UK_Poster_Final_large2.jpg

 

"Killing Ground" a principio pode parecer uma repaginada de "Amargo Pesadelo" (tem até um dog chamado Banjo), "Eden Lake" ou até de "Wolf Creek"...e é mesmo. O diferencial é a narrativa composta de 3 núcleos que culminam num amargo nó-no-estômago. Opção barra pesada de thriller com survival bão e cru. 9/10

KIL_47_M3.0V1.1-1-e1498764475368.jpg

Share this post


Link to post
Share on other sites

Fragmentado - Inegável que a cada filme do Shyamalan ficamos todos esperando uma centelha de genialidade já vista em seus primeiros filmes e...nada. Aqui ele entrega um resultado aparentemente renovador mas que no fundo não passa de mais do mesmo daquilo que se faz no cinema hoje, Fragmentado balança entre o suspense e o terror mas não assume nenhum lado. Se querem ver algo com mais força abordando o mesmo tema (múltiplas identidades) vejam "Identidade" de 2003 do James Mangold.

Dunkirk - Christopher Nolan. "A cada voo rasante, a sala de cinema inteira guincha, e então ribomba e trepida. Ou se é bombardeado em terra ou já no mar, pelos torpedos que incendeiam os navios carregados de homens. Dunkirk é uma experiência implacável.." Uma parte da crítica de Isabela Boscov para a memorável experiência que é assistir ao último filme do Nolan no cinema, Imersivo como poucos filmes são, implacável porque não deixa que você se apegue a ninguém, o som tonitroante é uma parte visceral desta experiência, não há personagens relevantes porque a guerra real é feita de anônimos e entre uma explosão e outra não dá tempo de flashbacks ou draminhas a serem contados, ponto pra ele. Com 3 linhas distintas de ação, o diretor desenrola seu novelo sem errar o ponto, não há distinções e não lembraremos de um ator mais que outro, ainda assim o fio narrativo te carrega para dentro da ação, Dunkirk grita em alto e bom som que o virtuosismo técnico não morreu.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

The Founder


94000141_84940_pos1_s-high.jpg

Já comentaram sobre o filme e eu também recomendo, só digo que achei interessante o dilema que o filme apresenta de forma bem sutil.

Acho que o filme usa Ray Croc como símbolo de um dilema capitalista. Bem interessante.

Dunkirk


c1174685cab0057e799cd0006cd5a932-d9lx6yv

De cara já é a melhor produção de guerra que já ví.

Pode ser dito que o filme é meio "light" no que diz respeito a personagens, e até vejo mérito nisso, contudo não acho que isso analisa o filme justamente. A questão do valor e vida dos soldados, covarde ou herói, independe de caráter ou da farda.

Uma das melhores experiencias no cinema que tive em um bom tempo. Nolan realmente criar um espetáculo do caralho.

O som em particular... Uau!

Seven Psicopaths


11168525_ori.jpg

Um misto de Tarantino com Shane Black, despejando boa dose de comentário e esperteza própria do diretor Martin McDonagh.

Divertido para caramba. Sam Rockwell é bom demais.

Share this post


Link to post
Share on other sites
On 08/08/2017 at 2:36 PM, Jorge Soto said:

"Hypersomnia" é um thriller fantástico argentino cujas referencias são bem claras. "Sucker Puch".."A Origem"..e até "Hostel"..Começa muito interessante, te chamando a decifrar sua simplicidade iintimista, só no final cai de nivel mas ainda assim vale a bizoiada desta produção da terra do Maradona e do Darin. 8/10
Hypersomnia-Poster.jpg

Não sei por que esse poster me da um desconforto do caramba...

Verei esse filme assim que puder! 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Fui ao cinema assistir a Valerian e, embora goste da ideia geral do filme, é uma peneira de furos e falta de carisma. Os atores e personagens são fracos (nem o Clive Owen se salvou da estupidez) e o roteiro é executado de forma ora com lindos efeitos especiais que chamam a atenção, ora com tantos níveis de bobagem que soam incoerentes. A bobagem prevalece. 

Bom é a Rihanna. Mas não necessariamente por sua atuação de encher os olhos. 

Share this post


Link to post
Share on other sites

"El Bar" é um foderoso thriller apocaliptico que bebe de "O Nevoeiro" e até "Rec". De praxe, é um filme de confinamento afixiante, tenso e com o humor negro peculiar do diretor que é o "Tarantino espanhol". 9/10
image.thumb.png.467fe7a8270f6ed26466ca2a7bee5452.png

 

"Valerian e blábláblá" é um deslumbre de espetáculo visual, mas é bobinho, confuso, cansativo e qualquer outro mau adjetivo. Com protagonistas sem quimica e enredo raso de "Jupiter Ascending", quem se destaca positivamente é a Ryhanna. É o Luc Besson no estilo ianque e não naquele que o consagrou. 7/10

image.thumb.png.407903fa317221442ca41eef382390a4.png

 

"Chuck" é um filmaço que vai além da "estória que deu origem a Rocky", é um drama envolvente que não se furta de homenagear vários clássicos desse subgênero. Sem falar na ótima trilha sonora. Imagina "Dois Caras Legais" com um quê de "Rocky", versão real! Entre tantas m.. esta semana, enfim um filme que se destaca de longe. O Dentes-de-Sabre manda bem na pele do protagonista principal. 9,5/10
chuck-dvd-cover-side.jpg

 

"The Wall" é um thriller de suspense/guerra bacaninha e enxuto que te prende até o final. Indie bem simples, minimalista e com muitas semelhanças com o recente "Mine", seu diferencial é o desfecho, tão abrupto quanto corajoso. É o Doug Liman mandando bem com orçamento merreca. 8,5/10
the-wall-new-poster.jpg?itok=sLIk8kF1

 

"Órbita 9" é um thriller futurista espanhol bem bacana, que é o que "Passengers" e "Space Between Us" quiseram ser e não foram. O único porém é que depois da grande reviravolta resbala eventualmente no dramalhão romântico sem necessidade e outra..o trailer entrega já um baita spoiler. 8,5/10

rbita_9-952512815-large.jpg

 

"El Faro de las Orcas" é um filme familia bem bunitim, que mistura "Rain Man" e "Free Willy" a contento. De longe, o melhor são as paisagens patagônicas e os cetáceos, que superam horrores as interpretações do elenco humano.  8,5/10
C7MKgOyWkAACB6l.jpg

 

"Black Butterfly" é um thriller acima da média, que começa genérico feito Supercine mas a partir da metade mostra seus trunfos: uma reviravolta e depois a reviravolta da reviravolta, etc... No entanto, isso pode apenas mascarar as falhas do roteiro pralguns. 8/10
butterflyposter.jpg

 

"Agent" é um thriller sci-fy que não passa duma versão teen de um sub-"Arquivo X". Orcamento paupérrimo nunca foi desculpa prum roteiro e desenvolvimento tão meia boca como esse. 6/10
Agent-movie-poster-1.jpg?ssl=1

 

"Black Site Delta" é um indie que se propõe ser um sub-"Mercenários", com porradaria o tempo todo. Dá pro gasto, mas ainda prefiro os canastrões do Stallone.  6/10

Black-Site-Delta-movie-poster.jpg?ssl=1

 

"The Promisse" é um romance de guerra razoável e genérico, embora bem produzido, com direito até um final que peita o do "Titanic" em melodrama. Pra assistir apenas pelos atores..  7,5/10
LA%2BPROMESA.jpg

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Conan, O Bárbaro (Conan, The Barbarian, Dir.: John Milius, 1982) 3/4

image.png.0a9513679393e51da676c1f1a7e71289.png

Conan O Destruidor (Conan , The Destroyer, Dir.: Richard Fleisher, 1984) 2/4

image.png.64d1d39dc085c1fcf755ac2dbae8741c.png

Uma série que se perdeu no segundo ep. Conan sempre foi pra um público mais adulto, e o primeiro filme foi nisso (brutal, sanguinário e etc). Já o segundo fizeram pra gurizada e suavizaram muito tudo. Mas o problema do filme nem é esse propriamente, é que é um história que não acrescenta nada ao Conan. Poderiam ter colocado qualquer personagem ali no lugar dele que daria  na mesma (tem cara de roteiro que já tava feito e depois que encaixaram o Conan ali). Assisti mais o segundo filme na época porque passou bem mais na Sessão da Tarde, então ele soa mais nostálgico, pra mim, mas o primeiro é bem melhor e representa melhor o personagem.

Comando Para Matar (Commando, Dir.: Mark L Lester, 1985) 2/4

image.thumb.png.f11163b2fd6b4293e2da8e818aab25d7.png

 

Filme bem nostálgico pra mim. Passou muito na Globo, no fim dos anos 80. Tela Quente, Temperatura Máxima, Sessão da Tarde e etc. Não que curta muito, mas se tem prazer em ver e rever pelo seu humor involuntário. É o Swarza tentando fazer seu próprio Rambo. Não deu certo na época e ficou só nesse filme, mas que hoje é até cultuado pelo seus exageros. Incrível que o Swarza não esteja planejando sequência dele, já que deu pra fazer sequência de todos seus filmes da época.

Share this post


Link to post
Share on other sites

"Message From the King" é um nervoso thriller de vingança que poderia ter sido feito pelo Neeson, Reeves ou Willis. Mas aqui é o "Pantera Negra" fazendo bico da Marvel pra chutar bundas em territorio americano. Curiosidade é o elenco tão diversificado quanto eclético, com gente de todas franquias possiveis..SDA, HP, Crepúsculo, SM, etc.. 8,5/10

Message-from-the-King-movie-poster.jpg?ssl=1

 

"Insubstituível" é uma bela comédia dramática que flerta com "Garota Desconhecida" ao tratar a medicina de forma humana e sensivel. Francois Cluzot ta fadado a interpretar doentes, se em "Intocaveis" era o tetraplégico aqui ta no bico do corvo com um tumor.. 8,5/10

456643.jpg

 

"Operation Mekong" é um bom exemplo de cinema de ação chinês que não se furta a chupinhar positivamente o melhor de "Rambo", "Predador", "Missing in Action", etc e tal.. atente pra foderosa sequência final, de quase meia hora inipterrupta de pura pauleira. 8,5/10
OM-Poster-27x39-copy3.jpg

 

"Disorder" é um thriller francês que lembra bastante o noventista "O Guarda-Costas", com Kevin Costner. O grande diferencial aqui é a pegada intimista, o suspense e tensão crescente até seu curioso desfecho. 8/10
6a00d8341c2b7953ef01b8d2118336970c-pi

 

"Jasper Jones" é uma deliciosa e nostálgica crônica de amadurecimento, uma espécie de "Conta Comigo" australiano. Tenha a caixa de lenço próximo do final. 9/10
9322225221789.jpg

 

"Shot Caller" é um foderoso filme de prisão que não dava nada. Seu ritmo é ágil e mesmo sua narrativa não linear impede de te manter colado na tela pra ver a via-crucis do protagonista principal, que tem uma transformação de personagem tremenda. Pensa em "Carlito´s Way" tocado como "Carandiru" e "Um Sonho de Liberdade"... Surpresa indie desta semana.  9/10

Shot-Caller-New-Banner-poster.jpg?ssl=1

 

"Asura" é um bom exemplar da nova safra de thriller criminal da Coreia. Tem um quê de "Fogo contra Fogo" e os "Infiltrados". Apesar de excessivamente longo, a o fodástica meia hora final compensa a espera. 8,5/10
asura-the-city-of-madness-1495799072.jpeg

Share this post


Link to post
Share on other sites

A Hora do Espanto II (Fright Night Part II, Dir.: Tommy Lee Wallace, 1988) 2/4

image.png.b6ad0b0b13497b0b1fc7c237a35d59a6.png

 

Essa sequel deu uma floopada na época, mas hoje muitos a consideram melhor que o filme original de 1985. Bem, eu não... Primeiro filme, pra mim, continua como um dos melhores da década. Muito pelo clima de filme de terror das antigonas que o filme consegue recriar bem, e muito pela situação de claustrofobia que o personagem principal sofre (ele sabe da existência do vampiro na vizinhança mas ninguém o leva a sério) e outras coisas. Esse aqui até tem alguns momentos bons,  é um filme legal (MUITO melhor que o remake de 2011 - que é um boshta completa), mas não consegue ir muito longe no que propõe. Esse é o problema: o primeiro é eficiente no que se propõe, esse aqui não. Cria muita coisa, coloca muita coisa, mas nada é levado pra frente.

Minhas reclamações (tem spoilers):

O filme tenta colocar o Charlie aqui como vampiro (já que a vilã o morde logo quando chega ali), o que é engenhoso pro filme, mas em nenhum momento isso se desenvolve ou se explora isso, porque o personagem simplesmente não sabe que tá virando vampiro (??!!!), então isso cria tensão zero pra ele. Imagina ele sabendo disso e tentando lidar com isso, como seria, hein?. Pro público também não se cria tensão, porque não sabemos até que ponto ele vai virar um vampiro. No primeiro filme, o pessoal que levava mordida, logo virava vampiro (o amigo e a namorada do Charlie, por exemplo), aqui o Charlie demora. Não se tem uma informação sólida sobre isso, então, ele tá ali com alguns sintomas de vampirice (que aparecem mais pro humor do filme) e fim.

Outra situação que o filme trás, mas não leva pra frente, é que Charlie tem uma namorada linda, mas recatada, e aí sofre assédio da vampirona sensual nova no pedaço. Em nenhum momento isso vira algum conflito, porque a namorada nem sabe que o cara tá sendo assediado. Não tem aquela "tensão sexual" entre os 3, porque a namorada fica ali a parte, enquanto o Charlie tá com assédio em cima. Nem como "peso de consciência" pro Charlie (dele tá ali, se entregando pra outra mulher nas costas da namorada), isso é colocado. Nem no final do filme usam isso muito isso. Poderiam colocar um combate direto entre as duas, mas isso não rola (lembrando que no primeiro filme, desenvolveram isso muito bem, com o vampiro assediando a namorada do Charlie e ele desesperado com isso). Ou seja, mais uma coisa que colocam, mas não coloca nenhum desenvolvimento em cima.

Da vampira vilã, eu gostei. Até porque gostei de ver que é parente do vampirão do original e está aqui pra se vingar da dupla que matou o irmão. Sempre é bom ver que mesmo um vilão morrendo, a história não morre porque tem gente ligada a ele que vem pra se vingar. Mas é mais uma coisa que também não levam pra frente. Por quê? Porque o Charlie nem sabe disso (???). Sim, até no final do filme não usam isso de alguma forma, e não dá nem pra saber se o Charlie descobriu isso em algum momento. Pra mim, ele deve tá pensando que tá ali combatendo outro grupo de vampiros aleatórios e só. O único que sabe é o Peter, mas ele não conta pro Charlie. Isso acaba sendo um peso pra ele, mas (mais uma vez), não levam isso muito pra frente, não desenvolvem, fica só na superfície. Única coisa que isso cria é que Peter tenta matar a vampirona em rede nacional, e nisso prendem ele num hospício. Só que isso leva a uma outra coisa que não levam pra frente, já que Peter foge logo de lá. Imagina se tivessem colocado o Peter, durante o filme todo preso no hospício, sabendo do perigo que o amigo tá sofrendo, e não podendo fazer nada? Oportunidade perdida aqui...

Fora isso, não curto os elenco de apoio ali da vilã. Tem um vampiro ali que é metido a comediante, e que tá ali pra seduzir a namorada do Charlie, mas não acho graça nele. Nem como perigo pra namorada do Charlie, se coloca algo, porque o cara vive criando desculpas pra não atacar a moça (só vai atacar quando o Charlie tá perto - porque não o fez quando ela tava sozinha? Seria mais fácil, não?). Tem outro vampiro ali com visual exótico que também não passa medo. É só alguém estranho, bizarro. E todos os 2 são mortos facilmente no fim do filme. A vampira poderia ter escolhido gente melhor pra ficar ao redor dela pra protegê-la, e executar suas missões. 

Enfim, tem outras coisas aqui e ali no filme que não decolam. Basicamente, nesse mesmo ponto de colocarem coisas ali, mas não desenvolvem muito bem. Mas, repetindo, mesmo com todos problemas, é legal (vampirona é boa, a nova namorada do Charlie é lindíssima, o Charlie e Peter estão ali de novo), e é milhões de distância melhor que o remake (a continuação do remake ainda não vi).

Share this post


Link to post
Share on other sites

Fui ver Anabelle 2.

Saí do cinema pálido e com a sensação de ter levado vários socos no estômago. 

Não fui submerso no filme. .. fui mergulhado e afogado nele. 

Como um suspense deve ser. Muito bom. 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Homem Formiga (Ant Man, Dir.: Peyton Reed, 2015) 3/4

image.png.dc0b35b99f51cdec7193dc8a05bb24e7.png

Continua bem divertido pra mim. Só que não como filme de super herói ou afins, mas como uma ótima Sessão da Tarde.

Vingadores Era de Ultron (Avengers Age of Ultron, Dir.: Joss Whedon, 2015) 2/4

image.png.91a0a72503e0d7fc3ee7e078348d2f67.png

Achei ele murcho antes, e hoje continua. Muita coisa (em tese) rolando mas não se sabe o fio condutor qual é, o que faz tudo soar como uma bagunça desenfreada e só.

Whedon, pelo que sabe, queria fazer uma coisa e a Marvel outra, e isso transparece nesse filme que não levou a história pra frente, e fica dando voltas em volta do próprio rabo. Espero que na DC, Whedon tenha mais sorte.

Share this post


Link to post
Share on other sites
On 01/09/2017 at 9:29 PM, GilsonDee said:

Saí do cinema pálido e com a sensação de ter levado vários socos no estômago. 

Não fui submerso no filme. .. fui mergulhado e afogado nele. 

To tentando decifrar se isso é bom ou ruim.

Share this post


Link to post
Share on other sites

"Megan Leavey" é o tipico filme clichezado, redondinho e mesmo assim muito emocionante. Mix de "Marley & Eu" com "Guerra ao Terror", o melhor são as cenas tensas feitas no Iraque, que deviam ter explorado mais. Pra quem curte dogs (eu!) e adora soluçar facilmente no final, um prato cheio. 8/10
image.thumb.png.3a2a453812b29965d95fb9d4c582c2cd.png


"Atômica" é o filme da Viúva Negra que a Marvel queria fazer e nunca fez. Divertido e bem ágil, a Theron se firma como legitima Bruce Willis de saias. Que venha o 2.. 9/10
image.thumb.png.27c5c34ec8ba67a980643f601091d712.png

 

"What Happened to Monday" é um thriller scy-fy bem legal da Netflix. Espécie de "Diario de Anne Frank" distópico, onde o melhor é sua originalissima primeira metade, ja que depois descamba no automático de ação básico. Vale a bizoiada, mas ignore o recurso batido de diferenciar gêmeos pelo corte de cabelo..kkk.. 8,5/10
image.png.f386794628a022c4138973aadcdefd4e.png

 

"Clash" é um thrillerzaço árabe que, passado num único ambiente dentro dum camburão, consegue ser agoniante, tenso e claustrofóbico sem se valer de zumbis, monstros, psicos, etc.. O microcosmo criado reflete bem o ser humano, uma vez que o camburão aí passa a ser o personagem principal. Ah,e se fosse americano não teria esse desfecho corajoso.  9,5/10
image.thumb.png.e2344e68451bc04232aad4bd2d94676a.png

 

"Bushwick" é um indie de ação cuja premissa (uma 2ª Guerra Civil Americana) e formato (quase que "tudo" num único plano sequência e cortes bem disfarçados) fazem diferencial de qualquer outro genérico B do gênero. Diverte da mesma forma que um "Hardcore Henry" ou até um "Call of Duty" protagonizado pelo Drax. 8,5/10
bushwick-poster.jpg

 

"Rememory" é um scy-fy policial que beira o "filme noir". Tem uma boa premissa e é bem executado, apesar de alguns elementos batidos tirarem o foco do que realmente presta. E tem ainda uma reviravolta nos finalmentes que dá um gás a esta produção diferenciada bacaninha. So acho o anão de GOT fraquinho demais, parece não se dar conta que é o personagem principal.  8/10
Rememory-Poster-1.jpg?ssl=1

 

"Pokot" é um eco-thriller-feminista polaco bacaninha cujo formato me lembrou outro sueco bem bão, "O Cidadão do Ano". Apesar de relativamente longo, consegue prender até o final. 8/10

MV5BMzJhZGQ0ODAtZGYyNC00OWVlLThmZTgtMWJlODY5ODk2YzAyL2ltYWdlL2ltYWdlXkEyXkFqcGdeQXVyMTc4MzI2NQ@@._V1_UY1200_CR103,0,630,1200_AL_.jpg

 

"Bluebeard" é um thriller coreano que pega emprestado vários elementos de "Pacto Sinistro", mas aqui os recicla com um tiquim mais de gore. Nãoi chega aos pés do filme do Hitch, mas consegue ser divertido com duas boas reviravoltas nos finalmentes. 8,5/10

bluebeard-poster.jpg

 

"Unlocked" é um bom thriller de espionagem com uma 007 de saias..aliás, o diretor já tem um filme do agente inglês nas costas. Redondinho e eficiente, de todo seu elenco estelar destoa facilmente a Noomi Rapace, que tem a mesma presença porreta da Charlize Theron pra filmes de ação. 8,5/10

unlocked-jpg.jpg

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Gaslight (1944)

Gaslight.jpg


Admito que não conhecia este filme em que Ingrid Bergman - lindíssima - ganhou um de seus Oscar.

Começa meio chato, mas logo a trama pega força e o show de atuações começa. A dupla principal, presente em quase todas as cenas, é cativante ao extremo e eleva o filme. O que fazem com os olhos é memorável.

Jogo de câmera econômico, edição invisível, iluminação significativa. Show de bola.

Poderia ser um remake bem legal nas mãos de Fede Alvarez, Fincher...

Share this post


Link to post
Share on other sites

"Baby Driver" é uma divertida matinê onde o roteiro batido não é o que interessa, mas sim o som e música, que são é mais um personagem ativo da estrutura do longa. Divertido,é mais um musical travestido de filme de aventura com personagens bem carismáticos.  9-10
baby-driver-poster.jpg

 

"Dave Made a Maze" é um primor de originalidade e absurdo tremendamente divertido. Absurdo do naipe de "Quero ser John Malkovitch" e tão divertido quanto o oitentista "Labirinto" ou "Maze Runner", versão Hermes e Renato, claro. O filme tem muitas leituras, o que o faz a grata surpresa da semana. 9-10

DAVE-MADE-A-MAZE-poster.jpeg

 

"Guardians of Night" é um divertido pipoca russo que entorna "Kingsman" com as franquias "Underworld" ou até "MIB". Bem feito que parece até ser dirigido por qualquer diretor ianque genérico do gênero. 8-10
image.thumb.png.7ddbcf6dbd409e8e34bf8fee81b874a6.png

 

"El Guardian Invisible" é um bom e eficiente thriller de serial-killer que, muito bem feito, poderia ser muito melhor se não se rendesse aos cacoetes ianques do gênero. Espécie de "Silencio dos Inocentes" espanhol, deixa-se ver de boa a despeito de seus poucos defeitos. 8,5-10
image.thumb.png.b55663359e1c7c62f24e63ef430edcb2.png

 

"Starred Up" é um bom thriller prisional que se sustenta no seu grande (e desconhecido) protagonista principal, que parece ser uma força da natureza. "Prison Break" britânico que te prende até o final, os coadjuvantes tentam segurar bem a peteca, mas são facilmente ofuscados pelo primeiro. 8,5-10

image.png.8615e1ad87ba57af3f423bd8e0c1cbba.png

 

"La Distancia Más larga" é um bonito road movie venezoelano que flerta muito com "Central do Brasil". O diferencial é a foderosa ambientação com paisagens lindas da Gran Sabana e dos Tepuy Roraima, na fronteira BR/VE. Pra quem ja conhece a região (eu!) vai ter gostinho a mais. E pra quem não, fica a vontade de conhecer a região. 8,5-10

ladistancia_maslarga-1.jpg?d9bb4d

 

"O Efeito Aquático" é uma deliciosa comédia francesa que parece ter sido feita nos USA pelo enredo redondinho e alto astral. Mas é o tom europeu que dá a liga e faz engrenar além da conta e o torna superior aos genericos ianques 8-10
424855.jpg

 

"Los Insólitos Peces Gato" é uma fofuchis dramédia que parece ser "Pequena Miss Sunchine" mexicana, porém com maior carga dramática. Dificil destacar alguém superior em todo aquele maravilhoso elenco. 8,5-10

los-inslitos-peces-gato-the-amazing-catfish-year-2013-mexico-director-E7R4TC.jpg

 

"The Limehouse Golem" é um bacana thriller de época que é muito bem feito e ambientado, tipo "Mulher dePreto". Ele é bem bom, pecando apenas quando se afasta da trama policial que conta...e isso ocorre várias vezes. 8-10

DJD8LsrW4AIEKlD.jpg

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

"London Town" é uma deliciosa matinê que flerta muito com o oitentista "Febre da Juventude", so que aqui troca os Beatles pelo The Clash. Neste conto de fadas punk, o tema do amadurecimento é embalado numa foderosa trilha sonora. Tem erros sim, mas a somzeira passa por cima de tudo. 8,5-10
a7fc2e_c5c1dfd974b5481f8c4264a38fac2949~mv2_d_3000_4444_s_4_2.webp

 

"My Pet Dinosaur" é uma matinezinha inofensiva estilo "Meu Amigo Dragão" mas tocado feito "Jurassic Park". Genérico bunitim que parece feito pela Disney. Apenas pra crianssasss.. 7-10

my%2Bpet%2Bdinosaur.jpg

 

"Anti Matter" é um bom exemplar de thriller scy-fy minimalista que te prende diante da tela, desde que se sobreviva aos primeiros sacais 15min. Misto de "Primer" e "Alice in Wonderland", esta pelicula noir tem seus pequenos defeitos mas deixa-se ver de boa, mesmo prevendo de longe o desfecho. 8-10

antimatter-poster-2.jpg

 

"Amelia 2.0" é um drama drama scy-fy que lembra o ótimo alemão "Transferência" numa embalagem "Ex-Machina". Ou até um "Robocop" muié mais existencialista. A producão é bem pobre, quase de telefilme, mas a discussão que propõe e seus diálogos são muito bons. Com mais grana teria dado um filmão. 7-10

Amelia-2.0-movie-poster.jpg?ssl=1

 

"Heal the Living" é um delicado drama francês que parece um institucional sobre doacão de órgãos. Seria mais um melodrama com boa intencão mas as foderosas interpretacões elevam este filme emocionante bem acima da média. 8,5-10

heal-the-living-poster.jpg

 

"Tyranossaur" é um bonito drama de redencão de familias disfuncionais, que guarda ecos com o bonzão oitentista "Barfly". Dificil dizer quem ta melhor em todo esse foderoso elenco, onde até o cachorro manda melhor que o Nicolas Cage. E segure as lágrimas no lindo desfecho. 9-10
tyrannosaur-poster02.jpg

 

"Wind River" é um thrillerzaço criminal  bem acima da média que guarda muitas semelhanças com o bonzão "Sicario", tanto em estrutura como na composição da dupla de personagens principais, no caso, a Feiticeira Escarlate e o Gavião Arqueiro (e até participacão do Justiceiro). Mas ainda assim é um indie de forte critica social e bem desconfortável que por pouco não chega a ser o novo "Onde os Fracos não tem vez".  9,5/-10

Wind-River.jpg


 

Share this post


Link to post
Share on other sites

"Bem Vindos a Marly Gomont" é um delicioso filme que apesar de se mostrar como divertida dramédia sob racismo é mesmo, no fundo, uma carta de amor do filho ao pai. Matinezona bacanuda. 9-10

image.png.ad054c19fbee27130e8cbf7524bfa1f5.png


"London River" é um belissimo drama sobre dor de perda unindo duas pessoas bem diferentes. O tom politico e as ótimas atuacões da dupla principal são apenas cereja do bolo deste filme bem atual, nestes tempos de terrorismo. 8,5-10

image.png.d47fc9baa937489c32af2bd6bcd6cbe2.png

 

"Killing Hasselhof" é uma comédia sem graca que tenta repetir o sucesso do igualmente sem graca "Se Beber Não Case", mas aqui tentando pegar o vácuo do ostracismo do ator da "Supermáquina" e "SOS Malibu".. 7-10

image.png.df28f0dfc5f3c4570b778dcbb8e4d37e.png

 

"To the Bone" é um drama razoável que como filme é pra lá de genérico, mas como panfleto informativo sobre a anorexia é bem eficiente. A magricela protagonista ta ótima no papel, já o personagem do Keanu Reeves é bem interessante mas ta mto mal aproveitado. 8-10

image.thumb.png.8f1c5534111e6edfd2584d0295c833ed.png

 

"Robots Overlord" é uma ficcão britânica mix de "Transformers" e "Independence Day" que até diverte sem se levar muito a sério. Filme B assumido, como pipoca entreteem mais que o filme do Bay, mas como producão deixa a desejar que o filme do Emmerich. 8-10

image.thumb.png.df364bad105d83e5395b66c354de0f06.png

 

"Un Sac de Billes" é uma bonita crônica de amadurecimento em tempos de guerra, do naipe de "Adeus Meninos" ou até "Império do Sol". O problema é que é muita coisa contada em pouco tempo, diluindo o impacto de boa parte das cenas. Mas é um filme de guerra estilo Disney.. ou seja, clichê que emociona.  9-10

image.png.92d4dad5c41feec0b13dd8936a57301c.png

 

"6 Days" é um bom thriller politico que prende a atencão, onde os destaques são o Strong e o Bell, que seguram bem a peteca desta versão de "Um Dia de Cão" ingles.  8,5-10

image.png.3ea678062d2c219afba8cf605fb817a8.png

 

"Beatriz at Dinner" é uma deliciosa comédia negra com poderoso conteúdo real, social e politico. A dupla Hayek-Lithgow carrega fácil este filme com muitas semelhancas com "An Invitation" e "Carnage". Grata surpresa da qual so não curti seu (desnecessário) lúdico desfecho, que dá margem a várias interpretacões.  9,5-10

image.png.878c46e6072cf3d61f0fa2083a85d277.png

Share this post


Link to post
Share on other sites

  "Killing Gunther" é a prova da decadência do Schwarzza ao se meter nos mockumentarys, filmes em primeira pessoa e falso documentário. Imagina um "True Lies" tocado como "Borat"..é isso! Imagina uma comédia sem graca..é isso! Imagina um elenco tão apático e ruim...é isso! E imagina uma propaganda enganosa...pois o Terminator só aparece nos dez minutos finais desta bomba total de producão vergonhosa.4-10 

killing-gunther-theatrical-poster.jpg?token=gZ9qQ4%2B8D3fjaKyyDOpjXlCDOPs%3D

Share this post


Link to post
Share on other sites

Blade Runner - O Caçador de Andróides (Blade Runner, Dir.: Ridley Scott, 1982) 5/5

blade_runner_xlg-embed.jpg

 

Blade Runner 2049 (Blade Runner 2049, Dir.: Denis Villeneuve, 2017) 3/4

Blade-Runner-2049-poster.jpg

Difícil a sequel competir com um filme que já enraizado assim no seu peito, mas minha principal questão com esse 2049 é o visual mesmo (e a trilha). Villeneuve não quis recriar o visual vivo que tem o original (e que é um dos motivos dele ser o que é). O diretor foi no que ele tá acostumado a lidar (ou seria seu estilo? Enfim) assim tem muito visual opaco, cinza e escuro (o original também tem escuros, mas sempre rolava uma luz forte junto pra fazer contraste - aqui isso não rola). Até que em certos momento ele usa o visual do original, mas isso ficou meio espalhado no filme, e o opaco/cinza acaba sobressaindo. Isso me fez não me conectar com esse filme como rolou com o de 1982. Até quando ele usa cores fortes predominantes (como o laranja na pré-cena de encontro com o Ford), acaba ficando com o visu mais opaco mesmo do que o vivo visual do original.

Nem queria tocar nesse tecla, porque o Villeneuve mesmo disse que seria um filme dele (como deve ser), e como esse deve ser o seu estilo, então ok (pensando aqui nos filmes dele que vi - A Chegada e Os Suspeito - é ele tem mesmo essa parada de cinza-opaco). Mas fiquei abismado quando ele usa cores fortes e luzes (pra lembrar o original) como o filme crescia (pra mim -  por exemplo, como a cena do holograma gigante conversando com o Gosling). Mas enfim. Isso seria a única reclamação, já que de resto o filme funciona muito bem, e consegue criar/recriar um universo todo para o filme. Muita coisa boa e muito bem desenvolvida no decorrer do filme. Personagens fortes e etc.

 

(Spoilers: Talvez eu tenha problemas com aquela cena dos replicantes falando em revolução, em luta contra os humanos e etc, porque esse tipo de conflito é algo que já cansou - Matrix, Terminator, e etc... - Espero que não mostrem isso se houver um terceiro filme. Preferiria que o filme se situasse pra algo depois desse conflito, e assim mostrasse suas consequências. Isso seria mais útil do que mostrar o conflito em si)

Share this post


Link to post
Share on other sites

O problema de Blade Runner 2049 (se é que há um) é o 3D. Não funciona em nenhum momento e tenho cá pra mim que isso foi imposição do Estúdio e ficou meia boca porque devem ter resolvido de ultima hora, o filme fica MUITO escuro. Mas é apenas isso, de resto perfeito, atualiza com propriedade o de Ridley Scott.

 

a-ghost-story-900x0-c-default.jpg

 

A Ghost Story - David Lowery - Casey Affleck e Rooney Mara. Como lidar com a dor incomensurável da perda e de que forma manter-se presente quando já não estamos mais? Belo, reflexivo, sem concessões, com takes longuíssimos, quase exasperantes, "A Ghost Story" tem uma câmera sem pressa e uma trilha inquietante, desperta sentimentos de uma empatia insuspeita, somos o fantasma, vagando insistentemente, não nos afastamos daquele lugar, invisíveis, sufocados na vontade de existir. A cena da torta... um amigo a descreveu, segundo ele é como observar alguém mastigar a solidão. Provavelmente pouca gente vai ver, o que é uma pena.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
17 hours ago, Nacka said:

O problema de Blade Runner 2049 (se é que há um) é o 3D. Não funciona em nenhum momento e tenho cá pra mim que isso foi imposição do Estúdio e ficou meia boca porque devem ter resolvido de ultima hora, o filme fica MUITO escuro. Mas é apenas isso, de resto perfeito, atualiza com propriedade o de Ridley Scott.

 

É, eu assisti em 3D, e tô querendo rever no 2D mesmo. Mesmo tendo problemas pontuais, é um filme que quero rever mais.

**Não sei porque insisto no 3D. Em cinema nunca fiquei muito impressionado assim, só em casa é que acho diferença, já que uma coisa que o 3D faz, é aumentar a imagem, mas no cinema a imagem já é grande o suficiente, em casa numa TV é que tudo fica numa escala maior (pelo menos, pra mim eu sinto essa diferença).

Share this post


Link to post
Share on other sites

"The Book of Henry" e uma matinezinha fofuchis que comeca feito drama mas depois envereda pelo policial investigativo, mas tudo com criancas. Tem rviravolta, emocao, etc..mas tudo milimetricamente feito pra lacrimejar o espectador. E funciona, aliás o diretor é o do ultimo Jurassic Park, ja sabe os paranuê com kids.. 8,5-10

C8GAroyXgAAP8Av.jpg

 

"A Leoa" é uma versão nórdica, mirim e feminina de "O Homem Elefante". É um filme suave, simples e sensivel sobre preconceito e aceitacão que parece feito pela Disney. Bunitinho, só peca nos finalmenes onde é tudo meio que apresentado as pressas. 8-10

poster_5.jpg

 

"Spielberg" é um documentário obrigatório não apenas pra quem curte o pai do ET mas cinema de modo geral. Repleto de depoimentos e entrevistas, o filme prende quando fala de producões do cabra, mas se torna muito mais interessante quando trata da vida pessoal dele. 9,5-10

0_4b4ae3_d44fa2a5_XL

 

"Planeta dos Macacos, a Guerra" é o fechamento razoável da trilogia dos macaquinhos rebeldes. Sei lá, mais drama que guerra mesmo, dos três filmes gostei mais do primeiro. Este fecha bem o arco simio, mas esperava mais acão e carnificina..kkk. 8-10

011-cb257c1082360043af14949494372595-640-0.jpg

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×