Jump to content
Forum Cinema em Cena
Tensor

O Que Você Anda Vendo e Comentando?

Recommended Posts

Evil Aliens (Jake West, 2005)

Mais um gore-fest bem divertido.

Esse aqui trata de aliens parecidos com o Predador que atacam uma equipe

de filmagens. Tudo é extremamente tosco, mas a criatividade do West em

conceber nojeiras é bem interessante. E no final das contas acaba sendo

uma experiência bem engraçada.

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Scott Pilgrim contra o Mundo

O filme já começa morto devido à escolha do ator para o protagonista. Michael Cera simplesmente não convence como adulto com síndrome de Peter Pan pegador de garotinhas' date=' não convence como alguém que conseguiria das uns pegas na interessante Ramona Flowers (bem... o Cera não convence pegando nenhuma mulher), etc. Sua voz de taquara rachada é tão irritante que é difícil aproveitar as qualidades de um filme que, sem sombra de dúvida, seria infinitamente melhor caso escolhessem um ator adequado. As citações a videogames são divertidas, algumas piadas boas, mas o filme tbém é mais longo do que deveria, tornando-se realmente cansativo.

Enfim, decepcionante.

Nota 4/10[/quote']

 

pois é, eu até gosto do filme: foge do usual e tem aquele mix criativo de cultura pop/gibis/games mas chega uma hora q aquilo tudo cansa. Lá pelo quinto confronto eu já tava farto de palavras pipocando na tela, de todo aquele colorido exagerado e dos efeitos sonoros barulhentos.06

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
QUEM TEM MEDO DE VIRGINIA WOOF ?, Mike Nichols 10/10 - Uma obra prima sobre relacionamentos, pessoas, festas, paternidade e sobre as pessoas comuns ou extraordinárias. Com atuações primorosas, principalmente Elizabeth Taylor que faz uma atuação brilhantemente explosiva com uma personagem emblemática e maravilhosa mente desenvolvida que é Martha. Richard Burton está muito bem como seu marido e seus jogos e seus departamentos de história.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

O Segredo dos Seus Olhos (El Secreto de Sus Ojos), Juan José Campanella - 8/10

 

Um filme tão bem atuado, tão bem realizado tecnicamente e com uma história passeando bem por vários estilos (drama, romance, suspense, humor...) merecia um ritmo melhor, mas MUITO melhor. Chega certo momento e só quero que o filme termine logo, pra saber se há mais algum segredo por ser revelado e qual será o desfecho da relação dele com a colega de trabalho.

 

O ator que faz o parceiro do Darin roubando todas as cenas e realmente notável o plano sequência no estádio (dá uma sobrevida ao filme, que infelizmente logo depois volta ao seu ritmo desencontrado).

 

 
Sall2011-03-26 19:02:17

Share this post


Link to post
Share on other sites
QUEM TEM MEDO DE VIRGINIA WOOF ?' date=' Mike Nichols 10/10 - Uma obra prima sobre relacionamentos, pessoas, festas, paternidade e sobre as pessoas comuns ou extraordinárias. Com atuações primorosas, principalmente Elizabeth Taylor que faz uma atuação brilhantemente explosiva com uma personagem emblemática e maravilhosa mente desenvolvida que é Martha. Richard Burton está muito bem como seu marido e seus jogos e seus departamentos de história. [/quote']

Tu  vê a Taylor e imagina que atriz é essa? Será que ela sempre foi assim, maravilhosa?

 

Li algo que diz muito sobre Liz Taylor, que sua beleza ofuscava seu talento.

Nesse filme, mais velha, menos sexy ela está endiabrada a ponto de tu ter a impressão de que o "resto' do elenco gravitam a seu redor e que as cenas sem sua presença são descartáveis. Estupenda !

R.I.P. !3d17

Share this post


Link to post
Share on other sites
Peraí, que a Deborah Secco faz uma ótima atuação em "Bruna Surfistinha", tudo bem. Ela é a melhor coisa deste filme fraco. Que ela é uma mulher gostosa (não necessariamente bonita), tudo bem. Acho que ela não está envelhecendo muito bem, mas continua com corpão. Mas dizer que a atuação de Natalie Portman em "Cisne Negro" é mérito da edição.... aí não... aí não posso ficar calado. Que absurdo!!!! Mas pronto já expressei minha revolta.... rsrsrs [/quote']

 

 

Peraí meu amigo Thiago, não briguemos.06  Claro que a Portman tem seus momentos, o fato de eu não gostar particularmente do conjunto não significa que vou tirar seus méritos.  Eu só disse que ela foi extremamente auxiliada pelo montador, não que a atuação é ruim ou só é boa por causa da edição, mas que o cara foi muito camarada ele foi.  Inclusive acho que deveriam fabricar aquelas estatuetas pequenas que davam pra atores mirins antigamente e entregar pro montador, porque ele é tão "melhor atriz" quanto ela.  Mas ressaltando, NUNCA tiro os méritos dela, de jeito algum.  Espero que tenha ficado esclarecido.

Share this post


Link to post
Share on other sites

26/03/2011 - 14h27

Dublê diz que Natalie Portman fez 5% de cenas de "Cisne Negro"

A bailarina que foi dublê de Natalie Portman em "Cisne Negro" afirmou que a atriz realizou apenas 5% das cenas de dança do filme pelo qual ganhou o Oscar, segundo divulgou nesta sexta-feira o site Entertainment Weekly.

Sarah Lane, 27, integrante do American Ballet Theatre, afirmou em entrevista que foi vítima de uma campanha para encobrir o verdadeiro trabalho que Natalie fez no filme, com o objetivo de aumentar os méritos da atriz em sua competição pela estatueta.

"Das cenas de corpo inteiro, diria que 5% são de Natalie. As demais são minhas", disse a bailarina, que comentou que o rosto da israelense foi acrescentado digitalmente.

A dublê respondeu assim aos recentes comentários do noivo da atriz, o coreógrafo Benjamin Millepied, que afirmou que Sarah fez apenas o trabalho de pés, os "fouettés" e uma diagonal, e disse que "85% do filme é Natalie".

Sarah reconheceu que os planos de meio corpo são efetivamente da atriz, mas afirmou que isso "não mostra realmente o balé".

"Queriam criar essa ideia na mente das pessoas, que Natalie era um tipo de prodígio, ou muito dotada na dança, e que realmente trabalhou duro para se transformar em bailarina em um ano e meio para o filme, tudo basicamente pelo Oscar. É degradante para a profissão, não apenas para mim", insistiu.

Sarah também questionou se alguém conseguiria fazer em um ano e meio algo que a ela tinha custado 22 anos, "mesmo que seja uma estrela de cinema".

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

26/03/2011 - 14h27

Dublê diz que Natalie Portman fez 5% de cenas de "Cisne Negro"

A bailarina que foi dublê de Natalie Portman em "Cisne Negro" afirmou que a atriz realizou apenas 5% das cenas de dança do filme pelo qual ganhou o Oscar' date=' segundo divulgou nesta sexta-feira o site Entertainment Weekly.

Sarah Lane, 27, integrante do American Ballet Theatre, afirmou em entrevista que foi vítima de uma campanha para encobrir o verdadeiro trabalho que Natalie fez no filme, com o objetivo de aumentar os méritos da atriz em sua competição pela estatueta.

"Das cenas de corpo inteiro, diria que 5% são de Natalie. As demais são minhas", disse a bailarina, que comentou que o rosto da israelense foi acrescentado digitalmente.

A dublê respondeu assim aos recentes comentários do noivo da atriz, o coreógrafo Benjamin Millepied, que afirmou que Sarah fez apenas o trabalho de pés, os "fouettés" e uma diagonal, e disse que "85% do filme é Natalie".

Sarah reconheceu que os planos de meio corpo são efetivamente da atriz, mas afirmou que isso "não mostra realmente o balé".

"Queriam criar essa ideia na mente das pessoas, que Natalie era um tipo de prodígio, ou muito dotada na dança, e que realmente trabalhou duro para se transformar em bailarina em um ano e meio para o filme, tudo basicamente pelo Oscar. É degradante para a profissão, não apenas para mim", insistiu.

Sarah também questionou se alguém conseguiria fazer em um ano e meio algo que a ela tinha custado 22 anos, "mesmo que seja uma estrela de cinema".

[/quote']

 

Pois é, a Linda Blair que deu certo.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

É óbvio que Cisne Negro enrola muito no balé. Toda vez que Nina aparece de corpo inteiro, ela está longe demais ou é usado outro artifício. A gente nunca vê Portman dançando de verdade. Mas não é demérito, já que ela não é bailarina e são necessários anos de muito treino para alcançar um nível profissional. O trabalho de Portman no filme é excelente pela carga dramática que ela coloca em sua personagem reprimida, por todas as expressões de angústia, pela transformação que ela sofre no fim e que a torna tão diferente da princesinha frígida, pelo exagero que nunca se torna enjoativo e que combina com o filme e o complementa.

Lucy fer2011-03-26 20:22:26

Share this post


Link to post
Share on other sites

Se o cara acima sou eu, a resposta é não.  Acredito que a parte física tenha colaborado com a percepção de "um trabalho que fica pra História" que muitos críticos, fãs e a própria Academia tiveram.  A edição ajuda também em cenas como a de "sexo" por exemplo, pra que não fique a impressão que estou me apegando apenas as cenas de dança.  A transformação pela qual a personagem passa é uma prova do talento da Portman e de como ela está numa crescente na carreira, porém ela fica com a mesma expressão de "dor de barriga" pela maior parte do filme e isso me incomodou a beça.  Eu só não consegui achar essa coca-cola toda, mas nunca desmereci o trabalho da ATRIZ.  Isso é percepção, como eu recebi o filme, a atuação.  Não quero criar uma lei pra que quem gosta demais da atuação e do filme passem a pensar como eu.  Na verdade essa história sobre a dublê eu postei porque tinha acabado de escrever aqui daí fui no UOL  e estava a nota, achei uma certa coincidência e postei.  Não julgo essa questão, até porque acho legítimo o uso da dublê, agora não acho legal eles tentarem ficar escondendo a real, se o que ela disse for realmente verdade, afinal, qual o problema com isso?  Acho até natural, como foi dito, a Natalie não é bailarina profissional.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pensando agora' date=' o que eu vejo de metalinguagem em Black Swan é a forma deselegante com que o Arano filma algo extremamente elegante. Isso é o que eu vejo, mas mesmo assim estou forçando o conceito.

 

[/quote']

 

Deselegante seria ter dado esse filme pra qualquer outro diretor que não fosse o Aronofsky simplesmente porque a história não é elegante já que não é sobre ballet, que por si só, não é nada elegante. A história é sobre o espiral de loucura de alguém que visa a perfeição. E loucura, demência, até mesmo perfeccionismo não são nada elgantes.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Por ser um filme bem antigo' date=' não vai ser tão fácil de achar. Eu aluguei pelo Netmovies, mas, se não me engano, já vi pra vender na Fnac.

[/quote']

 

Vou procurar. Obrigado.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Apesar das falhas muitas vezes incômodas e primárias' date=' Bruna Surfistinha é um filme que vale a pena assistir, e o motivo é dos mais surpreendentes: Deborah Secco.  Deixando de lado a questão de ela ser um monumento de mulher, a "garota" entrega uma atuação simplesmente perfeita, cheia de nuances e cuidadosamente bem montada (pela atriz, e não pela edição como fizeram pra Portman no filme do Cisne da cara preta).  Pena que o roteiro insista em sabotar a personagem/atriz a quase todo o momento.  Ainda se vê os sempre ótimos Cássio Gabus Mendes, Fabíula Nascimento e Drica Moraes, além de um excelente uso de trilha sonora, figurinos e direção de arte dignos de nota, uma fotografia fria, condizente com a personagem.  Enfim, Deborah demonstra que se escolher papéis certos, se jogar no personagem, rende demais.  Vai entrar fácil para as listas de melhores do ano.[/quote']

 

 

 

Vou ter que discordar. Deborah não é um monumento, apenas uma linda mulher com um belo corpo pros trinta anos. Como atriz, está muito longe de ser perfeita pois repete vários maneirismos que vemos quando está na tv. O que ela faz aqui, e bem, é se aproveitar da expressão de menina indefesa e de mulher sexy o que, pra esse papel, encaixou-se muito bem. Faz alguns olhares bons mas não tem técnica apurada, embora seja bem carismática. Mas, meu amigo, se Natalie Portman pega esse papel e se joga como Deborah fez, seria a atuação do século porque ela é muito, mas muito mais atriz do que Deborah. E tem a mesma idade hein? Figurinos? quais, se Deborah passa a maior parte do tempo sem roupa. Trilha? Aonde, a não ser a música alta e descontrolada de algumas cenas isoladas e que nada trazem pra montagem do filme. Direção de arte e fotografia? Quais, se o filme é quase todo rodado em estúdio. Ta certo: Deborah se atirou, se arriscou, foi um divisor de águas na carreira. Gostei de ver que ela pode se tornar uma atriz de verdade. Mas compará-la com a perfeição técnica, psicológica e dramática de Natalie ou dizer que o filme é um dos melhores do ano...Sinto muito, mas acho que você precisa assistir muito Fellini, Hitchkok, J J Campanella, Spielberg, Cameron, Schnabel, Godard, Truffaut entre muitos e muitos outros pra saber o que é um filme do ano.

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

Deselegante seria ter dado esse filme pra qualquer outro diretor que não fosse o Aronofsky simplesmente porque a história não é elegante já que não é sobre ballet' date=' que por si só, não é nada elegante. A história é sobre o espiral de loucura de alguém que visa a perfeição. E loucura, demência, até mesmo perfeccionismo não são nada elgantes. [/quote']

 

Ballet não é elegante? Ok.06

 

Eu acho o Arano fraco. Nesse filme ele acertou em cheio, pois criou um filme arrebatador, emocionante, mas tecnicamente ele continua sendo histérico, fraco. Mas hey, até o Michael Bay já fez filme bom, hehehe

 

 

kakoserrano2011-03-26 22:54:24

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pois é' date=' nem sou o maior fã da Portman, mas dizer que a atuação dela é por causa da edição é froids...

 

 

 

[/quote']

 

 

 

Froids não...é no mínimo ridículo e totalmente sem critério.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Se o cara acima sou eu' date=' a resposta é não.  Acredito que a parte física tenha colaborado com a percepção de "um trabalho que fica pra História" que muitos críticos, fãs e a própria Academia tiveram.  A edição ajuda também em cenas como a de "sexo" por exemplo, pra que não fique a impressão que estou me apegando apenas as cenas de dança.  A transformação pela qual a personagem passa é uma prova do talento da Portman e de como ela está numa crescente na carreira, porém ela fica com a mesma expressão de "dor de barriga" pela maior parte do filme e isso me incomodou a beça.  Eu só não consegui achar essa coca-cola toda, mas nunca desmereci o trabalho da ATRIZ.  Isso é percepção, como eu recebi o filme, a atuação.  Não quero criar uma lei pra que quem gosta demais da atuação e do filme passem a pensar como eu.  Na verdade essa história sobre a dublê eu postei porque tinha acabado de escrever aqui daí fui no UOL  e estava a nota, achei uma certa coincidência e postei.  Não julgo essa questão, até porque acho legítimo o uso da dublê, agora não acho legal eles tentarem ficar escondendo a real, se o que ela disse for realmente verdade, afinal, qual o problema com isso?  Acho até natural, como foi dito, a Natalie não é bailarina profissional.[/quote']

 

Repito, não sou o maior fã da Portman. Mas nesse caso eu acho que atuação foi fodassa mesmo. Eu só estou argumentando porque discordo de suas justificativas pra não ter achado tão bom. Jogar os louros para o editor ou falar da cara de "dor de barriga" é meio nonsense. Atuação boa não consiste apenas em ficar mudando de expressão, ao meu ver. mas enfim...

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

<FONT size=3 face="Verdana' date=' Arial, Helvetica, sans-serif">Peraí, que a Deborah Secco faz uma ótima atuação em "Bruna Surfistinha", tudo bem. Ela é a melhor coisa deste filme fraco. Que ela é uma mulher gostosa (não necessariamente bonita), tudo bem. Acho que ela não está envelhecendo muito bem, mas continua com corpão. Mas dizer que a atuação de Natalie Portman em "Cisne Negro" é mérito da edição.... aí não... aí não posso ficar calado. Que absurdo!!!! Mas pronto já expressei minha revolta.... rsrsrs [/quote']

 

 

 

 

 

Peraí meu amigo Thiago, não briguemos.http://www.cinemaemcena.com.br/forum/smileys/06.gif" height="17" width="17" align="absmiddle" alt="06" />  Claro que a Portman tem seus momentos, o fato de eu não gostar particularmente do conjunto não significa que vou tirar seus méritos.  Eu só disse que ela foi extremamente auxiliada pelo montador, não que a atuação é ruim ou só é boa por causa da edição, mas que o cara foi muito camarada ele foi.  Inclusive acho que deveriam fabricar aquelas estatuetas pequenas que davam pra atores mirins antigamente e entregar pro montador, porque ele é tão "melhor atriz" quanto ela.  Mas ressaltando, NUNCA tiro os méritos dela, de jeito algum.  Espero que tenha ficado esclarecido.

 

 

 

Briguemos sim porque você não tem o menor critério. Que você não goste do filme ou dela ok. Eu também tenho minhas preferências e não gosto do modo como Deborah Secco, por exemplo, atua. Mas reconheci que nesse filme, pela primeira vez, vi uma atriz, vi algo de diferente. E quem sabe também se não pegaram as melhores cenas dela no Bruna? Quem sabe se a montagem também não a privilegiou mostrando muitas vezes seu corpo em detrimento das expressões? Edições existem sempre, a não ser que alguém faça teatro virar cinema pois lá é o único lugar que o que vc vê, é aquilo. Não há como fugir, editar. Sabemos muito bem que cinema e tv são ilusões e que tudo funciona pra edição, pra comércio. Não sejamos hipócritas. Pode até ser que o editor só fez o que o DIRETOR mandou, vc já pensou nisso? Ou vc acha que o editor fez aquilo simplesmente porque achou que deveria? Esqueceu do Darren nessa história? Se há algum (de)mérito nisso, que seja imputado a ele, não a editores ou atores pois ambos estavam ali servindo um diretor. E ela é uma atriz fenomenal sim. Teve o papel da vida, se entregou tanto quanto Deborah, mais até porque exigiu um preparo longo (e falo do psicológico, técnico, emocional) ao qual ela se dedicou totalmente. E outra: é mil vezes mais linda de rosto do que Deborah! Vai assistir teatro, assistir Liz Taylor, Katherine Hepburn, Audrey Hepburn, Meryl Streep, Vanessa Redgrave, Maggie Smith, Judi Dench, Lisa Minelli, Catherine Deneuve entre outras pra saber o que é atuação e depois compara com Deborah e Natalie pra saber o que é qualidade.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

 

Deselegante seria ter dado esse filme pra qualquer outro diretor que não fosse o Aronofsky simplesmente porque a história não é elegante já que não é sobre ballet' date=' que por si só, não é nada elegante. A história é sobre o espiral de loucura de alguém que visa a perfeição. E loucura, demência, até mesmo perfeccionismo não são nada elgantes. [/quote']Ballet não é elegante? Ok.smileys/06.gif" align="absmiddle" alt="06" />Eu acho o Arano fraco. Nesse filme ele acertou em cheio, pois criou um filme arrebatador, emocionante, mas tecnicamente ele continua sendo histérico, fraco. Mas hey, até o Michael Bay já fez filme bom, hehehe

 

 

 

 

Qual? Aff, odeio Michael Bay.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

26/03/2011<!--/--> - <!--HORA-->14h27<!--/HORA-->

 

<h1><!--TITULO-->Dublê diz que Natalie Portman fez 5% de cenas de "Cisne Negro"<!--/TITULO--> </h1>

 

 

A bailarina que foi dublê de Natalie Portman em "Cisne Negro" afirmou que a atriz realizou apenas 5% das cenas de dança do filme pelo qual ganhou o Oscar' date=' segundo divulgou nesta sexta-feira o site Entertainment Weekly.

 

 

Sarah Lane, 27, integrante do American Ballet Theatre, afirmou em entrevista que foi vítima de uma campanha para encobrir o verdadeiro trabalho que Natalie fez no filme, com o objetivo de aumentar os méritos da atriz em sua competição pela estatueta.

 

"Das cenas de corpo inteiro, diria que 5% são de Natalie. As demais são minhas", disse a bailarina, que comentou que o rosto da israelense foi acrescentado digitalmente.

 

 

A dublê respondeu assim aos recentes comentários do noivo da atriz, o coreógrafo Benjamin Millepied, que afirmou que Sarah fez apenas o trabalho de pés, os "fouettés" e uma diagonal, e disse que "85% do filme é Natalie".

 

Sarah reconheceu que os planos de meio corpo são efetivamente da atriz, mas afirmou que isso "não mostra realmente o balé".

 

"Queriam criar essa ideia na mente das pessoas, que Natalie era um tipo de prodígio, ou muito dotada na dança, e que realmente trabalhou duro para se transformar em bailarina em um ano e meio para o filme, tudo basicamente pelo Oscar. É degradante para a profissão, não apenas para mim", insistiu.

 

Sarah também questionou se alguém conseguiria fazer em um ano e meio algo que a ela tinha custado 22 anos, "mesmo que seja uma estrela de cinema".

 

[/quote']Pois é, a Linda Blair que deu certo.

 

 

 

Essa dublê é uma recalcada que tá querendo aparecer na esteira da competência e do talento indiscutíveis de Natalie. Queria ver darem o papel pra ela. Ela se esquece que um filme não é feito apenas de algumas cenas e nem atuações e sim do todo. É claro que Natalie não seria bailarina em um ano e meio porque esse não é objetivo do filme. Imagina se um ator que vai interpretar um boxeador tivesse de se tornar um de verdade? Ou um viciado em drogas? Um policial? Uma pessoa insana? Um assassino? Não me lembro de ter visto tanta polêmica assim quando a Hilary Swank arrebentou no Menina de Ouro. Tenho certeza q a maioria das cenas no ring também não foram feitas por ela. Mas, assim como Natalie, Hilary construiu uma personagem nos detalhes, nos minimalismos, na técnica corporal e facial. Estava tão incrível quanto Natalie. Deixa essa dublê pra la porque daqui a pouco acabam os 15 minutos de fama e, na história, o nome que ficará gravado será o de Natalie como melhor atriz do ano. Engraçado: o Colin Firth arrebentou o ano passado no A Single Man e deram vários prêmios pro Jeff por aquele filmezinho chatinho, previsível e sonolento (Crazy Heart) só pq ele nunca tinha ganho. Esse ano o Jeff tava espetacular e deram pro Colin por outro filme frio, distante, previsível que só se salva pelos atores e figurinos e ninguém fala nada??? Gente, acorda. A gente sabe que hollywood é marketing e lobby. Se for assim, então, não comentemos mais nada, pronto.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Se o cara acima sou eu' date=' a resposta é não.  Acredito que a parte física tenha colaborado com a percepção de "um trabalho que fica pra História" que muitos críticos, fãs e a própria Academia tiveram.  A edição ajuda também em cenas como a de "sexo" por exemplo, pra que não fique a impressão que estou me apegando apenas as cenas de dança.  A transformação pela qual a personagem passa é uma prova do talento da Portman e de como ela está numa crescente na carreira, porém ela fica com a mesma expressão de "dor de barriga" pela maior parte do filme e isso me incomodou a beça.  Eu só não consegui achar essa coca-cola toda, mas nunca desmereci o trabalho da ATRIZ.  Isso é percepção, como eu recebi o filme, a atuação.  Não quero criar uma lei pra que quem gosta demais da atuação e do filme passem a pensar como eu.  Na verdade essa história sobre a dublê eu postei porque tinha acabado de escrever aqui daí fui no UOL  e estava a nota, achei uma certa coincidência e postei.  Não julgo essa questão, até porque acho legítimo o uso da dublê, agora não acho legal eles tentarem ficar escondendo a real, se o que ela disse for realmente verdade, afinal, qual o problema com isso?  Acho até natural, como foi dito, a Natalie não é bailarina profissional.[/quote']Repito, não sou o maior fã da Portman. Mas nesse caso eu acho que atuação foi fodassa mesmo. Eu só estou argumentando porque discordo de suas justificativas pra não ter achado tão bom. Jogar os louros para o editor ou falar da cara de "dor de barriga" é meio nonsense. Atuação boa não consiste apenas em ficar mudando de expressão, ao meu ver. mas enfim...

 

 

 

É por causa de pessoas como vc q essa duble mal amada ainda está sendo noticiada. Ah, não me diga que vc realmente achou que Natalie tinha feito o filme inteiro sem duble? Não vi nenhum esforço de ninguém tentando esconder nada, até pq ja tava subentendido o uso da duble na maioria das vezes. Também acho legítimo pra cenas específicas porque ela é ATRIZ. Ta ali pra representar, não pra bailar espetacularmente bem. Repito: o filme não é sobre ballet. A questão da atuação dela vai muito além disso e vc mostra mais uma vez que não tem critério ao dizer que ela ficou com cara de dor de barriga e se isso te incomodou é porque você não gosta de atuações boas e reais, interpretações viscerais. Acho que nem sabe o que é isso. Você percebeu as imagens dela passando ao lado dela mesma? Seus reflexos no metrô? Os sorrisos sarcásticos, misteriosos? Viu o estupor dela em vários momentos? O olhar de terror quando achou que tinha matado a peronagem da Mila? O espanto quando descobre que não a matou? Por acaso viu o final quando ela se transforma na versão negra? Sinto muito mas acho que vc não assistiu o mesmo filme que eu.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

Príncipe das Sombras (Prince of Darkness) - John Carpenter, 1987

 
Gente que acha O Grito, Atividade Paranormal, entre outros "filmes de terror" ótimos deviam ver esse aqui. Um ótimo exemplo de como se criar clima, sem exagerar ou sem se conter. E aqui é um dos raríssimos casos onde a trilha sonora constante não me irritou.
 
4/5

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu queria saber em que momento eu disse que a Deborah Secco é mais atriz do que a Natalie Portman e quando que me referi ao filme da primeira como filme do ano.  A diferença é que eu expus meu sentimento em relação ao filme (do qual eu não sou muito fã, porém não acho ruim) e a atuação da atriz, que me desagrada em vários momentos, mas sempre pontuei que a Natalie tem o mérito dela, que realiza um trabalho muito bom, mas que PRA MIM foi um pouco superestimado.  A questão é que não dá pra manter um diálogo saudável com fãzóide então eu me recuso a voltar nesse assunto. 

 

Natalie Portman, continue escolhendo bons papéis para que você se torne a grande atriz que você tem o potencial pra ser e Deborah, parabéns pela performance, continue assim, escolhendo papéis que exijam de você muito mais do que sensualidade ou seu timing cômico, muito bom por sinal.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

 

Príncipe das Sombras (Prince of Darkness) - John Carpenter' date=' 1987

 
Gente que acha O Grito, Atividade Paranormal, entre outros "filmes de terror" ótimos deviam ver esse aqui. Um ótimo exemplo de como se criar clima, sem exagerar ou sem se conter. E aqui é um dos raríssimos casos onde a trilha sonora constante não me irritou.
 
4/5
[/quote']

Eu já vi e é ótimo, um dos melhores do Carpenter. Mas já vi Paranormal Activity também e acho excelente. Não vejo ponto algum em comparar filmes com temáticas e desenvolvimento completamente diferentes e com propostas tão distintas. Se gostou ou não é outra questão, mas por em voga subgêneros diferentes não tem o menor sentido para mim.

Mr. Scofield2011-03-27 01:51:06

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×