Jump to content
Forum Cinema em Cena
Nightcrawler

Oscar 2013: Previsões

Recommended Posts

 

 

Mas daí comparar com Christopher Waltz é muita sacanagem 06.gif Mas falei isso pq a Kristen Stewart tava sofrendo o mesmo tipo de preconceito' date=' e acho ela muito bem em Adventureland, e ao que parece também acertou nesse do Walter Salles. Por isso que quero acompanhar o casalzinho Crepúsculo com mais cuidado. Em Crepúsculo é humanamente impossível qualquer ator se sair bem, daí meu parâmetro vai ser das atuações pós isso.[/quote']

 

Ah, mas é diferente. Em relação à Stewart, eu acho exagero, mesmo em Crepúsculo. Claro que não é uma grande atriz, mas também não é essa bomba toda.

 

leomaran2012-05-25 17:15:15

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mas aí que ta, eu não sei o que eles são, nenhum dos dois. Acho que qualquer um só vai ter uma parâmetro legal depois de alguns filmes. Tanto ela, e aparentemente agora ele, mostraram que têm recursos pra tirar atuações boas. Vai depender das escolhas daqui pra frente. Mas não acho que o Cronenberg (ou qualquer outro) seja tão milagreiro a ponto de tirar uma atuação "soberba" de um mau ator.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pattinson não chegou a receber alguns elogios por aquele Little Ashes?

 

 

 

De qualquer forma, alguns atores realmente demoram mais para se provar. Ninguém levava Heath Ledger a sério antes de Brokeback Mountain, por exemplo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

Já vi 6 filmes com o Pattinson e em todos ele está constrangedor. Não vem melhorando em nada. É um ator morto, burro, sem instinto e sem profundidade alguma. Ele é uma porta de mógno antiga. Por isso não acredito nunca que ele será... Soberbo.

 

E pelo trailer e os vídeos de divulgação do filme do Cronemberg, ele continua banhado no lamaçal da mediocridade.

 

A parte final foi bonita! smiley36

 

 

 

 

FeCamargo2012-05-25 18:44:54

Share this post


Link to post
Share on other sites

Depois das reviravoltas em suas carreiras empreendidas por Charlize Theron, Heath Ledger e Rodrigo Santoro, passei a não duvidar de mais ninguém.

 

Pattinson não merece o voto de confiança, mas não me espanta a possibilidade dele se aprimorar.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu também não duvido da capacidade do cara, ele tem feito questão de dizer que a fase atual é determinante para sua carreira, o que é favorável desde já, sem dizer que Cronenberg é um ótimo começo. Nunca vi um filme dele, então fica mais fácil falar assim também. Se bem, aquele outro cara do Crepúsculo parace ser muito pior, muito inexpressivo mesmo, quem conferiu vai saber dizer.

 

E 10 Coisas que eu Odeio em Você é um filme bobo que eu adoro até hoje. Pesa a nostalgia, pois eu vi com uns doze anos, mas devo dizer que nunca imaginava dois grandes atores ali. A Julia Stiles infelizmente acabou se perdendo pelo caminho.

 

...

 

Pelo que eu li sobre Cosmopolis, eu o incluiria nessa relação de fortes candidatos para vencer a Palma, mais chances que On the Road.

 

Alguém encontrou alguma coisa sobre Hemingway e Gellhorn?

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Depois das reviravoltas em suas carreiras empreendidas por Charlize Theron' date=' Heath Ledger e Rodrigo Santoro, passei a não duvidar de mais ninguém.[/quote']

 

Pois é, os exemplos são muitos, por isso que, por mais que fique com o pé atrás, não duvido de ninguém.

 

 

 

Ps: acabei de descobrir que Nicole Kidman urina em Zac Efron em Paperboy. Já temos aqui a cena que aterrorizará FeCamargo pelos próximos anos. 06.gif

Share this post


Link to post
Share on other sites

O jornal LE FIGARO anuncia seus favoritos em Cannes:


marion.jpg


| Palma de Ouro - De Rouille et d'Os, de Jacques Audiard

| Prêmio do Júri - Beyond the Hills, de Christian Mungiu

| Ator - Mads Mikkelsen, The Hunt

| Atriz - Nicole Kidman, The Paperboy


A publicação ainda aponta The Angel's Share, de Ken Louch, como a melhor comédia exibida. E tripudia de Amour, de Michael Haneke, considerado por eles o filme mais superestimado desta edição - ressaltando que a melhor coisa do filme é um pombo que aparece em determinada cena. 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Penúltima atualização...

 

4b74bdd312d0fc7a7d61d80adff9da9c.jpg

 

 

 

 

 

E é hora de apostar.

 

 

 

Filme: In the Fog

 

Diretor: Leos Carax, Holy Motors

 

Ator: Jean Louis Trintignant, Amour

 

Atriz: Marion Cotillard, Rust & Bone

 

Roteiro: The Angel's Share

 

Prêmio do Juri: Reality

 

Grande Prêmio do Juri: You Ain't Seen Nothing Yet

Share this post


Link to post
Share on other sites

De Cannes

| Mud


 

mud.jpg

 

MUD é responsável por um feito já notável na carreira do diretor Jeff Nichols: nunca um cineasta "iniciante" ascendeu tão rapidamente das seções paralelas do festival para a disputa pela Palma de Ouro. 

Nichols venceu a Semana da Crítica em 2011 por seu filme anterior, O ABRIGO, e disputar a Palma já por seu filme seguinte despertou extrema curiosidade e expectativa. Como a grande maioria dos filmes em competição, MUD dividiu a crítica em sua sessão para a imprensa. Reclamam de um filme muito esquemático e hollywoodiano. Outros o atestam como o melhor filme americano da competição - e o mais sentimental da 65ª edição de Cannes.



Guy Lodge: "É amável e muitíssimo bem filmado. Mas é extremamente genérico".



Mike D'Angelo: "Possui algumas investidas políticas duvidosas, mas Nichols merece crédito pela forma como reverte as coisas".



Geoff Andrew: "Uma saga sulista agradavelmente sutil, embora clichê em seu terço final".



Alex Billington: "Nichols fez algo muito especial. Um "Conte Comigo" do sul selvagem, o filme talvez seja o meu favorito do festival". 



Glen Heath: "Tão hollywoodiano que dói. Artificial e longo. O pior roteiro do festival".



Michał Oleszczyk"Uma triste decepção, de extrema seriedade e pouca imaginação: muito cerebral para emocionar e muito direto para inspirar".



IndieWire: "Ao mesmo tempo opaco e artificial. Matthew McConaughey está notável"



The Film Stage: "Por mais imperfeito que seja, marca um passo em frente para Nichols como um cineasta capaz de fazer ótimo entretenimento que mantenha alguma inteligência e uma mensagem palpável.Matthew McConaughey tem, sem dúvidas, se arriscado mais em sua carreira. MUD mostra que ele está seguindo pelo caminho certo". 



Luiz Carlos Merten: "O melhor filme norte-americano da competição. E não desgosto de KILLING THEM SOFTLY e LAWLESS. O filme abraça uma temática de despertar e amadurecimento com complexidade. Matthew McConaughey está perfeitamente adequeado e Reese Witherspoon nunca esteve tão bela, mas o filme pertence aos garotos, Jacob Lofland e Tye Sheridan (A Arvore da Vida)".

 

 

- Cotações máximas -

 


Da Variety:

"Nichols reúne os temas de seus filmes anteriores (a incapacidade de lidar com forças que estão além de nosso controle, em TAKE SHELTER, e uma  vingança sangrenta, de Shotgun Stories) com maturidade, expandindo sua investigação sobre a essência da AmericaMatthew McConaughey e Reese Witherspoon entregam performances sólidas".



Do The Guardian:

"Nichols e seu diretor de fotografia, Adam Stone, captam a vida e a geografia do Sul dos EUA, seus mistérios e perigos. 

Uma obra que consegue ser emocionante, sentimental e dramaticamente gratificante. Esta é, infelizmente, uma combinação muito rara em filmes, em particular nos outros americanos na competição deste ano de Cannes. (...) Matthew McConaughey entrega a grande atuação de sua carreira".

 

 

Do Rodrigo Fonseca (O Globo):

"O filme recebeu fortes aplausos em sua sessão para a imprensa. 

Trata-se do cinema da simplicidade realizado com um casamento de competências em plenitude em todos os setores de produçao. 

Com uma precisão cirúrgica na composição de cada quadro, Nichols vai desvelando camadas da personalidade de Mud, sempre mediada por causos fantásticos, construindo a partir dele um painel do Sul dos EUA.

Matthew McConaughey se reinventa e entrega sua atuação mais iluminada desde Tempo de Matar. Um filmaço".

 

 

Do Alex Billington:

"Nichols fez algo muito especial. Um "Conte Comigo" do sul selvagem, o filme talvez seja o meu favorito do festival".

 

 

Da ScreenDaily:

"Uma narrativa convencional pode ser uma raridade na competição de Cannes este ano, mas MUD não pode desculpas por sua estrutura clássica. A história é confiante, cheia de nuances, ricamente gratificante. Em parte Huckleberry Finn e em outra Badlands, o filme é outra prova de que Nichols está se tornando um dos mais apurados autores do cinema americano atual. O jovem Tye Sheridan está formidável".
Ronny2012-05-26 17:29:03

Share this post


Link to post
Share on other sites

Penúltima atualização...

 

http://www.lefilmfrancais.com/images/stories/com_papyrus/contenus/4b74bdd312d0fc7a7d61d80adff9da9c.jpg" />

 

 

 

 

 

E é hora de apostar.

 

 

 

Filme: In the Fog

 

Diretor: Leos Carax' date=' Holy Motors

 

Ator: Jean Louis Trintignant, Amour

 

Atriz: Marion Cotillard, Rust & Bone

 

Roteiro: The Angel's Share

 

Prêmio do Juri: Reality

 

Grande Prêmio do Juri: You Ain't Seen Nothing Yet[/quote']

 

 

 

Concordo com quase todos, menos os dois últimos. Acho que o Garrone não leva nada esse ano e o Resnais pode ser premiado com alguma coisa especial. Quando sai o FIPRESCI?

 

 

 

Enfim, ainda acho que o Mungiu pode ser premiado facilmente em algum dos dois prêmios do juri.

Share this post


Link to post
Share on other sites

FILME UCRANIANO CONQUISTA O PRÊMIO DA CRÍTICA NO FESTIVAL DE CANNES

Dirigido pelo ucraniano Sergei Loznitsa, o drama de guerra "In the fog" ("V Tumane") foi o vencedor do prêmio da Federação Internacional de Imprensa Cinematográfica (Fipresci), entregue neste sábado no 65° Festival de Cannes. Centrado na ocupação nazista do território soviético, o filme está na disputa pela Palma de Ouro, que será entregue amanhã. Foram entregues ainda prêmios com a grife Fipresci para longas de mostras paralelas. Na seção Un Certain Regard (Um Certo Olhar) venceu o americano "Beats of the Southern Wild", de Benh Zeitlin, cujo pai é brasileiro. O filme, que cria uma fábula a partir das cheias de Nova Orleans, foi montado pelo carioca Affonso Gonçalves. Entre os títulos da Quinzena dos Realizadores, o vencedor foi o francês "Rengaine", de Rachid Djaïdani.

 

 

'THE HUNT' CONQUISTA O PRÊMIO DO JÚRI ECUMÊNICO

Reflexão sobre a paranoia social contemporânea, "The hunt" ("Jagten"), do dinamarquês Thomas Vinterberg, conquistou o prêmio do Júri Ecumênico no 65° Festival de Cannes. Centrada no drama de um professor acusado injustamente de pedofilia, a produção abriu um debate sobre a relevância de se relativizar aparências. Essa discussão rendeu ao novo longa-metragem do realizador de "Festa de familia" (1998) a láurea votada anualmente por entidades religiosas católicas e protestantes. 
O Júri Ecumênico dedicou ainda uma menção honrosa ao longa americano "Beats of the Southern Wild", de Benh Zeitlin, cujo pai é brasileiro. O filme foi montado pelo carioca Affonso Gonçalves.

_____

 

Nos últimos 20 anos, em cinco ocasiões o prêmio da Fipresci coincidiu com a Palma de Ouro. Em outras oito, os filmes reconhecidos pela Federação Internacional de Imprensa Cinematográfica ganharam algum prêmio da competição oficial.
Ronny2012-05-26 14:22:28

Share this post


Link to post
Share on other sites

É, taí. FIPRESCI pro Loznitsa, que obviamente não significa que ele é favorito (o Kaurismaki ano passado saiu sem nada, como atesta essa pesquisa do Ronny), mas também faz com que se tenha atenção sobre ele. E cabe lembrar que o espetacular My Joy, com o qual ele concorreu anos atrás, era favorito de muita gente e não ganhou nada. Não é o mesmo juri, claro, mas Cannes promove um pensamento de "assinar" sob os nomes de diretores em ascensão.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Previsões finais


road.jpg

 

Palma de Ouro

1. Holy Motors, de Leos Carax

2. In the Fog, de Sergei Loznitsa

3. Rust and Bone, de Jacques Audiard

4. Cosmopolis, de David Cronenberg

5. Amour, de Michael Haneke


Direção:

1. David Cronenberg, Cosmopolis

2. Leo Carax, Holy Motors

3. Sang-soo Hong, In Another Country

4. Alain Resnais, Vous n'avez encore rien vu

5. Carlos Reygadas, Post Tenebras Lux


Grande Prêmio do Júri:

1. Beyond the Hills, Christian Mungiu

2. Amour, Michael Haneke

3. The Angels Share, Ken Loach

4. In Another Country, Sang-soo Hong

5. Like Someone in Love, Abbas Kiarostami


Grand Prix:

1. In the Fog, Sergei Loznitsa

2. The Hunt, Thomas Vinterberg

3. Mud, Jeff Nichols

4. After the Battle, Yousry Nasrallah

5. On the Road, Walter Salles

 

Ator:

1. Jean-Louis Trintignant, Amour

2. Denis Lavant, Holy Motors

3. Mads Mikkelsen, The Hunt

4. Matthias Schoenaerts, Rust and Bone

5. Aniello Arena, Reality


Atriz:

1. Marion Cotillard, Rust and Bone

2. Emanuelle Riva, Amour

3. Nicole Kidman, The Paperboy

4. Cristina Flutur e Cosmina Stratan, Beyond the Hills

5. Edith Scob, Holy Motors


Roteiro:

1. Vous n'avez encore rien vu (Alain Resnais e Laurent Herbiet)

2. The Hunt

3. Like Someone in Love

4. Reality

5. The Angels Share
Ronny2012-05-26 15:41:38

Share this post


Link to post
Share on other sites
HAHAHAHAHA

Fui reparar aqui que você não coloca o Garrett Hedlund nem como possibilidade. Eu acho que não seria tão distante assim.

 

J-U-R-A que eu não sofri por deixá-lo de fora, né?

Mas os atores realmente dominaram a competição esse ano, ao contrário das atrizes (Edith Scob fechando minha lista é tapa-buraco total).

 

Além de Hedlund, deixei de fora Jun-Sang Yu, elogiadíssimo por In Another Country (quando todos esperavam um show de Isabelle Huppert).

 

Então pautei meus cinco candidatos pelo provável potencial dos filmes junto ao júri. Hedlund ficou em 6º e tem minha torcida. 06
Ronny2012-05-26 16:28:43

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.

×