Jump to content
Forum Cinema em Cena
Sign in to follow this  
Jailcante

Salve Jorge, de Glória Perez

Recommended Posts

27/11/201213h32

Público reclama e Globo estuda cortar tramas de "Salve Jorge"

 

Ricardo Feltrin, colunista do UOL

 

 

Até aqui a novela das 21h com a pior média de audiência desde o ano 2000, "Salve Jorge" pode sofrer alterações profundas já nas próximas semanas, por determinação da direção de dramaturgia da Globo. O fato é que a emissora não pretende deixar o barco afundar em plena faixa nobre, após o sucesso de "Avenida Brasil". Para isso, tem realizado as famosas pesquisas com telespectadores cujo objetivo é identificar o motivo do Ibope estar decepcionando.

 

 

Em seu primeiro mês no ar, "Salve Jorge", de Gloria Perez, tem registrado em torno de 30,5 pontos de média. Embora permaneça na liderança isolada, isso não é suficiente para os elevados níveis de exigência da Globo.

 

Comparada com "Avenida Brasil", a média até aqui representa cinco pontos a menos (-14%), e em relação a "Fina Estampa", de Aguinaldo Silva, são oito pontos a menos no mesmo período, na Grande São Paulo - onde cada ponto equivale a 60 mil domicílios sintonizados.

 

As primeiras pesquisas junto a grupos de telespectadores comuns apontam excesso de personagens, excesso de tramas paralelas e alguns temas repetidos, além de os mocinhos Nanda Costa (Morena) e Theo (Rodrigo Lombardi) ainda não terem emplacado no gosto popular.

 

A novela tem em torno de 80 personagens, boa parte deles habitué das tramas da novelista, que sempre tem um papel para os amiguinhos.

Cabe lembrar que parte da direção da Globo foi contra até o nome escolhido para a novela, "Salve Jorge", mas venceu Glória Perez, que não arredou pé.

 

 

http://noticias.uol.com.br/ooops/ultimas-noticias/2012/11/27/publico-reclama-e-globo-estuda-cortar-tramas-de-salve-jorge.htm

 

Era o que foi dito desde o início. Muito personagens, muitas tramas. Tem que mandar embora mesmo, uns 40% (no mínimo) do cast da novela.

 

Sobre o insonso casal principal... Bem, novelas da Glória sempre capengam aí mesmo, tanto que nas duas últimas dela (América e Caminho das Índias), o casal principal não terminou junto. Foi cada um pra um lado. Nem duvido que a Morena e o Théo vão terminar a novela com outros pares.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tenho tentado acompanhar a duras penas essa novela... Está tudo muito caótico, mais do que o normal de uma novela da Glória Perez... Aqui parece que ela exagerou de vez mesmo... O excesso de personagens faz com que a trama da novela só se torne cada vez mais inverossível...

 

Difícil de acreditar que a chefe de um esquema de tráfico de pessoas que parece ser tão experiente quanto a Lívia comece a fazer trapalhadas tão grandes como as que está cometendo... A personagem da Totia Meireles, a Vânia (se é que esse é o verdadeiro nome), trabalho no tráfico de pessoas desde quando a filhinha "rebelde" do Mustafa era bebe... E, vamos lá né? A menina lá ficou rebeldezinha e apareceu de roupas rasgadas e tal... Fala sério... Coisa mais batida essa...

 

Mas, nada é pior do que o núcleo do Complexo do Alemão... Verossimilhança passou longe daquilo lá...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Kia causa polêmica ao usar escrava da novela 'Salve Jorge' em comercial

06/02/2013 - 09h10 | do BOL

 
 
cena-da-novela-salve-jorge-mostra-prosti
 

Kia causa polêmica ao usar escrava de novela em comercial


Do UOL, em São Paulo

 

Uma peça promocional exibida no capítulo desta terça-feira (5) na novela 'Salve Jorge', da TV Globo, causou polêmica entre os telespectadores. A cena mostra a gravação de um comercial da montadora Kia, patrocinadora da novela. Quem estrela o 'comercial' representado na trama é a personagem Rosângela, interpretada pela atriz Paloma Bernardi, que vive o papel de uma vítima do tráfico internacional de mulheres forçada a se prostituir na Turquia.
 
A cena, que durou mais de dois minutos, mostra a modelo em trajes sensuais sendo acompanhada de perto por uma cafetina, interpretada pela atriz Vera Fischer.  Um susposto pretendente da personagem tenta conseguir telefone e endereço da moça, mas é 'driblado' pela cafetina.
 
As personagens deste núcleo da novela foram enganadas por uma quadrilha especializada em tráfico de pessoas. Elas trabalham em um prostíbulo de luxo e são obrigadas a saírem com homens por dinheiro. Elas tiveram os documentos roubados, são chantageadas, humilhadas e agredidas pela quadrilha.
 
A novela 'Salve Jorge' faz uma denúncia explícita do tráfico de pessoas. Alguns casos reais já foram mostrados na novela, que se baseia, em parte, em histórias de vítimas para criar os personagens.
 
Entre as críticas publicadas na rede social Twitter, as principais reclamações eram a relação entre prostituição, tráfico de pessoas e uma marca.
 
Até o momento, nenhuma das duas partes envolvidas na ação publicitária foram encontradas para comentar o assunto.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
 
19/03/2013 - 12:42
“Salve Jorge” derrapa na coerência e subestima a inteligência do telespectador
 
salvejorge_divulgacao43.jpg

Ana Beatriz Nogueira e Cláudia Raia na cena do elevador em “Salve Jorge” (Foto: TV Globo)

“Você vai cair dura quando souber quem é a chefe!”

Esta foi a última fala de Raquel (Ana Beatriz Nogueira) antes de cair dura com a injeção de veneno letal que a vilã Lívia Marine (Cláudia Raia) lhe aplicou no capítulo desta segunda-feira (19/03) de “Salve Jorge”.

Sem conseguir falar com a delegada Helô (Giovanna Antonelli), por causa do sinal do celular, Raquel entra no elevador (oi?). Na sequência, Lívia, que está deixando o hotel, a encontra no elevador, saca sua injeção com “veneno letal” e faz uma nova vítima. Claro, a vilã nem está preocupada com câmeras de segurança, afinal, “ela tem cúmplices no hotel” – como justificou Glória Perez no Twitter depois que a cena foi ao ar. Coerência para quê, quando se pode dar qualquer desculpa para explicar um roteiro mal costurado.

Santa Clara – a padroeira da televisão – deve ter chorado sangue. Diante de tantas críticas acerca de seu roteiro estapafúrdio, a autora desabafou que era preciso “voar” em sua história. Sim, novela é novela. O brasileiro está acostumado às fantasias de nossos folhetins. Mas é necessário um mínimo de coerência para embarcar em uma história que tem a pretensão de tratar de um tema tão real e importante como o tráfico de humanos.

Glória Perez – que já foi chamada de “herdeira de Janete Clair” – adora entrechos absurdos. A novela “Carmem” (TV Manchete, 1987-1988) ficou famosa pela cena em que uma mulher deu seis tiros à queima roupa no marido, a menos de um metro de distância, e errou todos! Um exemplo mais recente: Sol, a personagem de Deborah Secco em “América” (2005), escondeu-se dentro de uma caixa de papelão para fugir da imigração americana, e foi parar no apartamento de Ed (Caco Ciocler), que se apaixonou instantaneamente pela moça assim que ela saiu da caixa (parece que a pessoa escondida na caixa de papelão foi inspirada em um fato real).

Só para lembrar: Janete Clair também foi muito criticada pelos seus roteiros fantasiosos demais, tanto que ela entendeu a urgência em mudar seu estilo, a partir de “Pecado Capital” (1975-1976).

Vilões caricatos (que parecem saídos de um filme de 007 ou de um desenho animado da Disney), situações bizarras, furos de roteiro, entrechos que subestimam a inteligência do telespectador, Morena versão cabelo liso, Morena versão cabelo encaracolado. Fica muito difícil embarcar no balão de “Salve Jorge” e “voar com a novela”, como suplica a autora, quando ela cria uma fantasia descabida no desenvolvimento de um tema realista que merecia um tratamento mais cuidadoso.

Dias Gomes era mestre na realidade disfarçada de fantasia, em novelas como “O Bem Amado”, “Saramandaia” e “Roque Santeiro”. “Que Rei Sou Eu?” (de Cassiano Gabus Mendes) é outro exemplo.  O contrário – a fantasia disfarçada de realidade – também pode agradar, caso de “Avenida Brasil”. Também o realismo pelo realismo, como em “Vale Tudo” e o naturalismo das novelas de Manoel Carlos. Ou a fantasia pela fantasia, sem pretensões realísticas, como em algumas novelas de Aguinaldo Silva (inclusive “Fina Estampa”), ou a fantasiosa “Cordel Encantado”.

A morte de Raquel poderia lembrar uma cena do filme “Vestida para Matar” (de Brian de Palma, 1980), em que uma mulher é morta a facadas no elevador (como bem lembrou @joaolimajr pelo Twitter). Mas o máximo que conseguiu foi remeter à “pegadinha” da menina fantasma no elevador, do SBT. E ainda fez sentir saudades do pendrive da Nina.

Raquel poderia ter morrido de uma forma mais simples e mais coerente. Mas a autora preferiu ampliar a realidade, justificando que sim, câmeras de segurança falham. Optou pela situação surreal, a que chama a atenção, a que causa burburinho. Afinal, a audiência de “Salve Jorge” não anda lá essas coisas e repercussão é sempre bom… Agora, se a repercussão é negativa ou positiva, essa já é outra história. De qualquer forma, o estratagema funcionou na noite fria de São Paulo: 39 pontos no Ibope.

 

 

 

http://nilsonxavier.blogosfera.uol.com.br/2013/03/19/salve-jorge-derrapa-na-coerencia-e-subestima-a-inteligencia-do-telespectador/

 

 

 

19/03/2013 - 2:00

Só em “Salve Jorge” dondoca entra no elevador para ouvir o celular e morre a golpes de seringa 

Mauricio Stycer

 

 

salvejorgeraquel.jpg

A primeira morte a golpes de seringa em “Salve Jorge”, a de Jessica (Carolina Dieckmann), dividiu o público. Houve quem tenha ficado, de fato, sensibilizado com o drama da jovem, mas muita gente se irritou com os inúmeros absurdos da situação vivida pela personagem. Desta vez, ao repetir o modus operandi para matar Raquel (Ana Beatriz Nogueira), no capítulo desta segunda-feira, Lívia (Claudia Raia) produziu apenas gargalhadas.

Foram vários os absurdos que tornaram a cena risível. Escondida na garagem de um hotel 5 estrelas em Istambul, Raquel ouve Lívia conversar com Wanda (Totia Meirelles) e entende que ela é a líder da gangue. Ao invés de sumir e avisar a delegada Helô (Giovanna Antonelli), a dondoca resolve confrontar a vilã.

Consegue, em seguida, se afastar dela e encontra o namorado, que está dando entrevistas no saguão do hotel. Seria uma oportunidade de pedir ajuda a Elcio (Murilo Rosa) ou mesmo a algum dos jornalistas presentes. Raquel, porém, pede um telefone celular emprestado a ele e…

Raquel telefona para a delegada Helô (Giovanna Antonelli) com o objetivo de avisá-la de que descobriu toda a verdade sobre a vilã. A ligação está ruim. “Helô, você tá me escutando?”, pergunta, sem ouvir resposta. O que ela faz então?

Neste momento, Raquel deve ter entrado para a história como a primeira pessoa no mundo que, precisando ouvir melhor o seu interlocutor do outro lado da linha, entrou em um elevador.

Lá dentro, de costas para a porta, começou a falar com Helô. Sim, o sinal melhorou dentro do elevador. E, então, no sétimo andar, a porta se abriu e, sem que ela notasse, quem entrou? Lívia e sua seringa assassina. Raquel vira-se e, perplexa, vê a vilã a atacar com um golpe mortal no pescoço. Fim da história para a dondoca.

O elevador, então, desceu até a garagem, sem parar em nenhum andar, e Livia deixou o hotel sem ser incomodada por ninguém. “Antes que vocês perguntem: o elevador tem câmera sim, mas a Livia tem cúmplices no hotel”, avisou Gloria Perez no Twitter assim que a cena foi ao ar e já era motivo de gargalhadas. “Se a vida real fosse tão certinha como um pessoal aqui imagina, a policia pegava qualquer criminoso!”, acrescentou a autora.

salvejorgejessica-300x146.jpgEm tempo: Para quem não se lembra, a morte de Jéssica foi acompanhada por um diálogo curioso entre as vilãs, destinado a explicar a arma. Wanda: “A sorte foi você estar com aquela seringa dentro da bolsa.” Livia: “E eu saio sem ela pra algum lugar? No nosso ramo, a gente não sabe quando vai precisar.” Desta vez não houve surpresa. Antes de embarcar para a viagem a Istambul, onde matou Raquel, Livia guardou caprichosamente o seu estojo com seringas mortais.

Atualizado às 11h15: “Adorando o alvoroço causado pela morte da Raquel”, Gloria Perez recorreu ao Twitter na manhã desta terça-feira para dizer que é possível, sim, câmeras instaladas em elevadores não funcionarem: “Vou desenhar pra um grupinho aqui: Jura que ninguém aí nunca ouviu falar em câmeras que não funcionam quando é conveniente? Só pra lembrar de casos mais recentes,vide as de Santa Maria, as do caso Bruno: nos dois hotéis que podiam comprovar o sequestro de Elisa as fitas enguiçaram aquele dia! Justo naquele dia! E depois dizem que gostam de realidade! icon_smile.gif )))) aff hem?”

 


http://http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/

Share this post


Link to post
Share on other sites

Concordo bem com essas crítica acima. Glória nunca soube diferencial de ficção e realidade, e até aqui, isso nem foi muito problemas em suas novelas, mas nessa atual tá um problema sério isso. Porque coloca um tema grave e real (tráfico de pessoas) de forma altamente débil, com vilões xulos e situações improváveis. Não dá pra levar a novela (ou esse tema que ela tenta mostrar) de forma séria (que creio que seja a inteção da autora), e ao mesmo tempo como ficção é tudo muito frouxo e sem graça. Ou seja, com Salve Jorge não dá pra ver nem de um jeito e nem de outro.

 

Essa cena de ontem foi altamente ridícula. Um absurdo atrás do outro. O celular que não dá sinal e a personagem entra no elevador... Por favor. pffff.

 

E autora ainda mostra falta de coerência nem na hora de se explicar. O lance das câmeras no elevador, primeiro ela vai no "tem gente infiltrada no hotel" e depois "as câmeras não estão funcionando". É uma coisa ou outro, ou as duas? Seja como for, deveria ter tido uma cena explicando isso (uns 2 ou 3 segs já serviria pra explicar isso). 

 

Com certeza, uma das piores novelas dos últimos tempos. E ainda temos 2 meses desse engodo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 


Flávio Ricco

Glória Perez fala em campanha torpe contra sua novela

Colunista do UOL
16/05/2013 - 13h37
  • dira-paes-gloria-perez-e-nanda-costa-na-

    Glória Perez entre as atrizes Dira Paes e Nanda Costa de "Salve Jorge"

Agora em fase de desligar as turbinas e com a sensação de mais um dever cumprido, Glória Perez tem uma leitura própria sobre os problemas enfrentados por "Salve Jorge", especialmente aqueles que dizem respeito a sua audiência. Leia o que a autora disse para essa coluna:

 

"Estreamos numa conjuntura muito desfavorável. Junto com as outras duas novelas, de modo que não tivemos escada. Primeiro dia do horário de verão, horário político, época de calor atípico, e a um mês de dezembro, quando toda a audiência cai naturalmente, porque as pessoas estão nas ruas, fazendo compras. Como se não bastasse, o mês que tínhamos para estabilizar --novembro-- também foi atípico: um feriado de três dias numa semana e outro de 6 (!)!, acrescentando a isso uma campanha torpe que antecedeu a estreia da novela e formou um verdadeiro corredor polonês para sua travessia."

 

abre_aspas.gif Foi uma novela que cutucou e desmascarou preconceitos. Dava um estudo de sociologia!fecha_aspas.gif

 

E prossegue a autora:

 

"Ainda assim conseguimos vencer. 'Salve Jorge' aterriza bonito! Considero uma grande vitória e uma demonstração de competência. Sem nenhuma falsa modéstia, não é pra qualquer piloto não!"

Glória também fala da contribuição da sua novela:

"'Salve Jorge' trouxe personagens marcantes, que vão ficar no imaginário popular, e um tema original que não será esquecido. Ousou e inovou, abordando um tema pesado, como esse do tráfico de pessoas, protagonizado por uma personagem que também ainda não tinha sido mostrada em novelas: a típica garota da favela. Acredito que tenha sido, também, a primeira protagonista prostituída. Foi uma novela que cutucou e desmascarou preconceitos. Dava um estudo de sociologia!".

 

E finalizando, a Glória ainda destaca outro aspecto importante deste seu trabalho:

 

"O poder que a novela teve de interferir na realidade, salvando pessoas do cativeiro (como no caso da Espanha), denunciando e esclarecendo sobre esse crime pavoroso que é o tráfico humano".

Segundo os dados mais recentes, "Salve Jorge" alcançou 37 pontos de média e 64% de participação no PNT – Painel Nacional de Televisão– até 14 de maio, com recorde de 47 e 72, contra 34 pontos e 60% de share na Grande São Paulo, números válidos até o capítulo desta quarta-feira.
 

*Colaboração de José Carlos Nery

 

 

A pior campanha que a novela teve veio de você mesmo, Glória, já que se propôs a escrever esse lixo de novela.

 

Não adianta defender isso que escreveu. Essa novela foi um completo lixo, sim, não tem como você fugir disso. Continue no seu mundo da imaginação aí, porque no resto do mundo a realidade vai ser essa: Essa foi a pior novela dos últimos tempos (e olha que isso não é pouco).

 

Graças, que isso vai acabar e nunca mais teremos que rever essa droga porque duvido que a Globo pense em reprisar essa coisa algum dia no "Vale a Pena Ver de Novo". Creio que até o elenco (pelo menos, a grande maioria dele, uns 99%, no mínimo) e a produção da novela devem tá aliviados de não ter que participar mais disso.

 

Adeus, pra nunca mais, Salve Jorge! \o/

 

Fim.  :ph34r:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now
Sign in to follow this  

×