Jump to content
Forum Cinema em Cena
Amfíbio

Tvs LCD/Plasma/LED

Recommended Posts

Acabei de comprar uma TV LCD Philips de 26'. Escolhi certo? Havia algumas tvs de plasma na jogada (de 42'), mas achei o preco alto (em torno de 6000) e ouvi falar que plasma tem uns probleminhas como gasto de energia e marcas na tela...

 

Vamos discutir sobre os dois tipos?

 

Ps: A TV só chega sábado. Até então não vou poder atestar ou não sua qualidade...

Nacka2010-03-18 10:16:00

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bom... eu já ouvi falar que a LCD é que tem uns problemas com marcas na tela e pouco tempo de vida útil... Mas nunca me aprofundei no assunto...

E Home Theater sapo? Som não é importante pra vc? Hehehehe

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bom , segundo um amigo meu que é viciado neste tipo de coisa , o LCD tem uma qualidade levemente superior ao plasma com o inconveniente de só existir até 32" . Daí para cima , só plasma mesmo .

Eu não saberia dizer pois sou péssimo para detalhes . Não consigo ver diferença de imagem entre a tela plana da sala e a tela convencional do quarto smiley36.gif.

Uma pergunta : Estas TVs de plasma e LCD que estão no mercado hoje já estão prontas para a chegada da TV digital , será preciso adaptar  ou mesmo necessitarão de substituição ?

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

já estão prontos pra HDTV a maioria (se não todas...)

mermão a diferença é pouco perceptivel...mas é melhor a de LCD mesmo!!! mas eu to LOUCO pra comprar uma de plasma de 42' !!! smiley4.gif 

NightRaven2006-5-23 18:32:42

Share this post


Link to post
Share on other sites

A quem interessar possa, a revista Info desse mês traz uma ótima reportagem sobre televisaores plasma e LCD com as diferenças, vantagens e  desvantagens de cada uma, inclusive com quadros comparando os modelos de cada marca... muito esclarecedor...

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

      Sem dúvida Plasma. Não tem nem pq preferir LCD.A nao ser se quiser fazer de monitor e entao LCD existe em vários tamanhos e resoluções maior que plasma.

Por que "sem dúvida"? O que faz do Plasma tão superior assim?

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Bom... eu já ouvi falar que a LCD é que tem uns problemas com marcas na tela e pouco tempo de vida útil... Mas nunca me aprofundei no assunto...

E Home Theater sapo? Som não é importante pra vc? Hehehehe

 

Não Dook, esses problemas são do plasma. Do LCD um dos problemas que eu li são "rastros" em imagens rapidas.

 

E sim, vc acredita que minha namo turca barganhou um Home Theater da philips também na faixa. Vai chegar o whole package.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

já estão prontos pra HDTV a maioria (se não todas...)

mermão a diferença é pouco perceptivel...mas é melhor a de LCD mesmo!!! mas eu to LOUCO pra comprar uma de plasma de 42' !!! smiley4.gif 

Então, 90% das plasmas vendidas no Brasil não estão prontas pra HDTV. Os LCD sim...

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

      Sem dúvida Plasma. Não tem nem pq preferir LCD.A nao ser se quiser fazer de monitor e entao LCD existe em vários tamanhos e resoluções maior que plasma.

 

 

Err, vc pode explicar porque?

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Texto de um usuário do htforum:

Esta semana, provavelmente em razão da aproximação da copa, multiplicaram-se as perguntas que me fizeram no escritório sobre "tela grande" orangebiggrin.gif. Diante de tantas perguntas e de tanta desinformação nas lojas e na imprensa, eu resolvi compartilhar com todos uma pesquisa que andei fazendo recentemente sobre as duas tecnologias e quem sabe poder ajudar mais gente. smile.gif

As informações apresentadas aqui foram extraídas de várias fontes, em especial o
www.denguru.com. Meu objetivo foi "condensar" isso em algo digerível e em português. De modo nenhum este artigo visa enaltecer uma ou outra tecnologia. A idéia é mostrar que há razões muito bem determinadas para alguns dos "problemas" de cada tecnologia, e que cada uma está um pouco mais à vontade em determinada aplicação.


Como funciona um display de plasma

Antes de mais nada, a tecnologia de displays de plasma não é nova, data de 1960, mas só se tornou comercialmente viável e interessante nos anos 90, quando mesmo tendo sido "encostada" nos EUA, ela continuou a ser aprimorada no Japão, principalmente pela Fujitsu.

Cada pixel num painel de plasma é feito de 3 sub-pixels, sendo cada um destes uma "cavidade" preenchida por um gás raro (xenônio) e tendo tipicamente um eletrodo na frente e outro atrás, embora haja outras configurações. Quando se aplica a cada par de eletrodos uma alta corrente alternada, o gás se ioniza (grosseiramente os elétrons se "separam" dos núcleos) e entra no estado de "plasma", emitindo raios ultravioleta (ilustrados pelas setas em violeta na imagem abaixo), que nós não enxergamos.

plasma_pixel.jpg

Os raios UV atingem uma camada de "fósforo", mais propriamente chamado de material cintilante ou cintilador, que então é excitado e passa a emitir luz visível. Cada sub-pixel é recoberto de um cintilador próprio para emitir luz vermelha, verde ou azul. Ou seja, um display de plasma não passa de uma lâmpada fluorescente superdesenvolvida. orangebiggrin.giforangebiggrin.gif

Brincadeiras à parte, cada sub-pixel mede em torno de 200µm x 200µm x 100µm e é complicadíssimo montar um painel com milhões deles lado a lado e com outros milhões de eletrodos, todos conectados numa enorme matriz que tem que ser controlada, tanto é que até hoje você pode contar nos dedos de uma mão as empresas que realmente fabricam os painéis. As demais só montam. wink.gif

Como funciona um display de cristal líquido

O termo "cristal líquido" data de 1888/9 e se refere a substâncias em estado líquido cujas moléculas se alinham quando submetidas a um campo elétrico, mas o primeiro display de cristal líquido é de 1968 e a primeira vez que ele foi usado com um computador foi em 1986.

A principal diferença entre plasma e LCD é que os pixels de um display LCD não emitem luz, ao contrário dos do plasma. Praticamente todas as diferenças de performance decorrem desse fato. A luz é fornecida por um painel fluorescente que fica atrás do display e o LCD em si é uma grande "chave comutadora" e filtradora de luz, sub-pixel a sub-pixel. Cada sub-pixel pode ser controlado para "deixar passar" mais ou menos luz vinda do painel traseiro, e cada pixel é formado novamente por 3 sub-pixels, cada um contendo um filtro vermelho, verde ou azul.

lcd_pixel.jpg

Embora o LCD seja muito mais barato de fabricar, pois sua construção envolve técnicas similares às dos semicondutores, permitindo sub-pixels muito pequenos, entender um pouco melhor seu funcionamento é complicado. Vou tentar fazê-lo de modo bem simples e rápido, mas se a coisa ficar técnica demais pro seu gosto korean.gif, basta ficar com a explicação do parágrafo anterior. smile.gif

lcd_pixel2.jpg

A luz que é emitida pelo painel fluorescente "de fundo" é branca e não-polarizada, o que significa que seu campo elétrico pode assumir qualquer orientação perpendicular à direção de propagação. A luz sai do painel fluorescente e passa por 2 polarizadores, ortogonais entre si, de modo que nessa configuração toda luz é barrada. Mas... se entre os polarizadores pusermos um cristal líquido, o campo elétrico da luz é rotacionado de modo que então toda luz passa. A tensão aplicada a cada "lado" do cristal líquido permite alinhá-lo e portanto controlar a quantidade de luz que "passa" por cada sub-pixel. Hoje praticamente todos os LCDs são do tipo "matriz ativa", onde um transistor (TFT) e um capacitor são usados para controlar com muito mais precisão o alinhamento do cristal.

Plasma: Principais vantagens...

A escolha dos cintiladores para os painéis de plasma lhes permite ter a melhor e mais ampla gama de cores.

O ângulo de visão é muito mais amplo, justamente porque a luz é gerada nos próprios sub-pixels do painel.

O contraste é excelente porque o sub-pixel é totalmente escuro quando não emite luz - no LCD o pixel, para ser escuro, tem que "bloquear" a luz vinda de trás, o que não é a mesma coisa, é claro.

e desvantagens.

O tamanho do pixel não pode ser inferior a cerca de 0,5 mm, logo só se consegue fazer plasmas "grandes" para conter determinada resolução.

Para se obter brilhos intermediários, cada sub-pixel, que só pode estar ligado ou desligado, é ligado a intervalos pré-determinados, de modo que na média ele esteja num estado equivalente a alguma coisa no meio. Isso funciona bem para tons mais claros, mas para os escuros é mais difícil conseguir distinguir tons próximos.

Se o observador estiver muito próximo, além da grade dos pixels (é claro, devido aos limites de tamanho deles), perceberá um "flicker", devido ao processo descrito no item anterior. Embora o cérebro não o perceba, o olho o sente e se cansa mais rápido.

Burn-in, é claro, pela mesma razão que as CRTs, ou seja, por usar cintiladores. A vida útil da plasma é basicamente determinada pelo envelhecimento dos cintiladores, que vão perdendo sua capacidade de emitir luz depois de N mil horas.

LCD: Principais vantagens...

Os pixels podem ser muito menores que os das plasmas, permitindo altas resoluções em tamanhos menores.

É uma tecnologia muito mais barata do que o plasma, ou seja, um display com as mesmas características básicas (diagonal, resolução, etc) custa menos para ser fabricado na versão LCD.

Os LCDs podem ser vistos de perto (estou a 20 cm de um neste momento orangebiggrin.gif), pois não têm "flicker".

e desvantagens.

O ângulo de visão é mais restrito porque a luz é emitida pelo painel fluorescente atrás dos 2 polarizadores, logo apesar da grande melhora nesse aspecto, nunca será a mesma coisa que no plasma.

O contraste dos LCDs é significativamente inferior, especialmente no que tange ao nível dos pretos, pois o painel bloqueia a luz em vez de se apagar, logo o pixel nunca é realmente escuro.

As cores mais escuras têm pouca fidelidade (de cor) pela mesma razão.

A latência real é alta, muito mais alta do que especificado pelos fabricantes, que a medem apenas numa situação "ideal", embora prevista em norma.

Ghost existe e é bem visível em cenas escuras.

A luminosidade do painel traseiro não é uniforme, fazendo com que áreas da tela sejam mais brilhantes do que outras.

A interpolação de imagens de resolução mais baixa para a resolução nativa do LCD ainda deixa muito a desejar. Para isso não precisa ser nenhum especialista, basta ir em qualquer loja e observar as bordas de qualquer objeto se mexendo numa fonte em DVD.

Como dito no início, meu principal objetivo era esclarecer que muitos dos "defeitos" de cada tecnologia são inerentes ao próprio princípio de funcionamento delas. Mesmo que os fabricantes "melhorem" isso usando idéias criativas ou software, sempre haverá limitações naturais. Assim é o burn-in do plasma, por exemplo, e também o pior contraste do LCD.

Depois dessa pesquisa também fica evidente que as especificações dos fabricantes são um mero "guia" para nós, e que quem não pesquisar bem antes de comprar pode levar um aparelho cujo desempenho está um tanto aquém do prometido. Números como contraste de 10.000:1 nas plasmas e latência de 8ms nos LCDs são coisa do tipo "PMPO". rolleyes.gif

Abaixo de 40/42" o LCD reina absoluto e acima de 50" o plasma domina o mercado. Justamente nessa faixa de 40/42" parece estar a maior competição. Na minha opinião, apesar de oferecer uma resolução muito maior que o plasma nesse tamanho, o LCD ainda tem um bom caminho a percorrer como monitor de TV de baixa resolução, a conversão ainda deixa a desejar e fica bastante atrás do plasma. Já como fonte HDTV, nesse tamanho, o LCD tem realmente uma imagem muito boa. Mas nem todos os plasmas 42" são livres de upscaling, eu tomaria cuidado com aqueles de resolução 4:3 pelo mesmo motivo. Obviamente, estou mais preocupado com fontes 480p (DVD) que são a realidade de hoje.

Imagino que com a chegada de títulos em 720p e acima os LCDs tomem a dianteira também na faixa de 42", deixando os plasmas apenas com a faixa acima de 50", onde conseguem resolução compatível.

Fiquei bastante impressionado com o problema dos tempos de latência e principalmente com a gritante não-uniformidade de iluminação do painel traseiro dos LCDs. Vejam só essa medida de um dos recentes lançamentos de 32" de um fabricante famoso no mercado:

uniform_lcd.jpg

Para ver essa imagem e ler um belo review, bem recente, de alguns dos melhores e últimos LCDs de 32" do mercado, vejam
este link, onde esses problemas são medidos e mostrados de modo muito ilustrativo e esclarecedor.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bom... eu já ouvi falar que a LCD é que tem uns problemas com marcas na tela e pouco tempo de vida útil... Mas nunca me aprofundei no assunto...

E Home Theater sapo? Som não é importante pra vc? Hehehehe



Não Dook' date=' esses problemas são do plasma. Do LCD um dos problemas que eu li são "rastros" em imagens rapidas.

E sim, vc acredita que minha namo turca barganhou um Home Theater da philips também na faixa. Vai chegar o whole package.
[/quote']

Que beleza, hein??? Agora sim tu vai ver o que é o verdadeiro HOME CINEMA...

smiley36.gif

Ahhh, sim... dicas para home theater tem um tópico mais abaixo... Não se meta a besta de achar que é só plugar tudo nos buraquinhos e pronto... Tem toda uma frescura para vc obter o máximo do equipamento...

Share this post


Link to post
Share on other sites

      Sem dúvida Plasma. Não tem nem pq preferir LCD.A nao ser se quiser fazer de monitor e entao LCD existe em vários tamanhos e resoluções maior que plasma.

Por que "sem dúvida"? O que faz do Plasma tão superior assim?

Menor reflexo e não deixa os famosos "rastros" na tela quando se tem um movimento brusco... eu já vi as duas.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

      Sem dúvida Plasma. Não tem nem pq preferir LCD.A nao ser se quiser fazer de monitor e entao LCD existe em vários tamanhos e resoluções maior que plasma.

Por que "sem dúvida"? O que faz do Plasma tão superior assim?

Menor reflexo e não deixa os famosos "rastros" na tela quando se tem um movimento brusco... eu já vi as duas.

 

Não deixa rastro, ela deixa o burn in (marcas forever na tela) e te faz deixar o salário de conta de luz...

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

É óbvio que as duas tecnologias tem as suas vantagens e desvantagens, mas depois de muito pesquisar sobre o assunto, cheguei à conclusão de que se eu fosse comprar uma TV dessas hoje optaria pelo LCD.

 

Chegaram a comentar aqui sobre os rastros em telas LCD. Esse é um problema que existia antigamente na primeira geração do LCD, quando as telas tinham tempo de resposta superior a 30 milessegundos. Hoje em dia este problema não existe mais pois o tempo de resposta das telas modernas é baixo, em torno de 8 ms. Eu uso um monitor com 12 ms de tempo de resposta e nunca notei esse problema, testando com jogos modernos e movimentados e filmes.

 

Outra grande vantagem do LCD é a economia de energia, que gasta muito menos que um Plasma ou um CRT.

 

Mas acredito que a grande vantagem do LCD em relação ao Plasma seja a inexistência do efeito "Burn-in". Vamos a uma curiosidade. Sempre foi muito comum ir a uma loja de eletrônicos e ver dezenas de TVs lado a lado, sintonizadas em um mesmo canal.

 

Agora eu pergunto, vocês já viram uma loja de eletrônicos exibindo TVs de Plasma sintonizadas em um canal de TV aberta? Eu nunca vi. Geralmente as TVs de Plasma são mostradas exibindo um filme em DVD. Por que?

 

Simples, muitos consumidores que compraram TVs de Plasma reclamam que as imagens dos canais normais de TV ficam ruins, enquando que para DVDs elas ficam excelentes. Isso acontece porque os DVDs usam uma tecnologia digital, enquanto que os canais de TV aberta e a maioria dos canais de TV paga usam o sinal analógico, e a TV de plasma foi feita para o sinal digital. Com isso vamos ver os riscados e as imperfeições do sinal analógico bem mais visíveis na TV de Plasma do que na TV convencional. Esse é o primeiro motivo pelo qual os logistas jamais sintonizam canais nas TVs de Plasma nas lojas.

 

O segundo, e o pior deles, é o "Burn-in". As TVs de Plasma são em formato 16x9, 1.78:1, widescreen. Os canais de TV brasileiros transmitem seus sinais no formato padrão 4x3, 1.33:1, das TVs convencionais. Logo, para assistir esses canais nas TVs de Plasma nós ficamos com duas opções, ou assistimos com a imagem deformada e esticada nos lados, ou assistimos no formato 4x3 mesmo, mas com duas grandes barras pretas laterais. O problema é que se a TV ficar muito tempo com essas barras laterais elas podem "queimar" a tela. E depois, quando você for assistir o seu DVD em widescreen o filme ficara com duas manchas escuras nas laterais. Isso é o "Burn-in".

 

Isso me lembra um episódio grotesco, quando vi em uma loja uma TV de Plasma exibindo a nossa versão mutilada em DVD do filme Homem Aranha, com a imagem esticada pros lados, um Homem Aranha gordo. E pensar que o filme é originalmente em wide... E o vendedor não queria botar em 4x3 de jeito nenhum...

 

E não é só isso. Sabem aquelas logomarcas de alguns canais de TV, que ficam paradas na tela o dia inteiro? Ou então aquele placar daquele jogo de futebol que fica lá os 90 minutos? Isso também pode queimar a tela, e mesmo após o jogo ter terminado você continuará a ver a "sombra" do placar na tela. E o pior é que isso não tem remédio, queimou, já era. Dizem que assistir TV de Plasma com imagens paradas ou barras pretas por mais de duas horas seguidas já é suficiente para queimar a tela.

 

Alguns fabricantes, como a Samsung por exemplo, já anunciaram uma tal de "proteção anti burn-in" para suas novas TVs de Plasma, mas parece que essa proteção só ameniza o problema.

 

Outro problema das Plasmas é a resolução. A grande maioria das TVs de Plasma disponíveis no mercado brasileiro (quase todas) tem resolução comum de 480p. Logo, quem comprar uma TV dessas pensando na futura TV Digital de Alta Definição ou então nos novos formatos de disco de alta resolução (Blu-Ray e HD-DVD com resolução de 1080i) vai jogar dinheiro no lixo.

 

Já a maioria das TVs LCD já são HDTV Ready, preparadas para a futura TV digital. Elas ainda não são ideais (apesar de melhores que o Plasma) para os discos de alta definição, pois não conheço modelo que tenha resolução de 1080i, mas sei que esse ano já devem ser lançadas algumas assim. Nesse ponto o LCD está na frente do plasma.

 

Resumindo, decidir entre uma TV de LCD ou de Plasma depende do uso que ela vai ter. Se você quer montar uma sala de cinema com Home Theater para assistir sua coleção de DVDs, pode comprar a TV de Plasma que a imagem vai ficar excelente. Só não vale filme mutilado... Inclusive, uma das vantagens do Plasma em relação ao LCD é que as cores são mais vivas.

 

Agora, se você quer uma TV para substituir sua TV convencional, para assistir a programação da TV aberta e fechada, e seus DVDs, fique com o LCD HDTV Ready. Assim você poderá assistir TV com as barras laterais sem problemas, não precisará gastar dinheiro quando a HDTV chegar aqui e aproveitará bem mais os discos Blu-Ray e HD-DVD, e isso tudo gastando muito menos energia. Pra quem quer telas grandes, existem modelos LCD com 40 polegadas no mercado nacional.

 

Ufa, que texto longo, acho que falei demais...smiley4.gif

 

 

DVD Freak2006-5-26 21:23:50

Share this post


Link to post
Share on other sites

  O problema é que se a TV ficar muito tempo com essas barras laterais elas podem "queimar" a tela. E depois' date=' quando você for assistir o seu DVD em widescreen o filme ficara com duas manchas escuras nas laterais. Isso é o "Burn-in".
[/quote']

Segundo li em sites especializados, isso não é verdade. As barras lateriais pretas não causam burn-in pois são exatamete isso, pretas. É como se a TV estivesse desligada naquela área. Somente imagens é que podem deixar marcas.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

 

  O problema é que se a TV ficar muito tempo com essas barras laterais elas podem "queimar" a tela. E depois' date=' quando você for assistir o seu DVD em widescreen o filme ficara com duas manchas escuras nas laterais. Isso é o "Burn-in".

[/quote']

Segundo li em sites especializados, isso não é verdade. As barras lateriais pretas não causam burn-in pois são exatamete isso, pretas. É como se a TV estivesse desligada naquela área. Somente imagens é que podem deixar marcas.

 

Os próprios fabricantes dizem que as barras pretas causam burn-in. O preto da barra preta não é o mesmo preto de desligado. Vou colocar algumas matérias sobre o assunto.

DVD Freak2006-5-27 16:10:7

Share this post


Link to post
Share on other sites

tecn.gifdiv448.gif

 

bt_envia.gif

bt_imprime.gif

 

 

 

 

11/05/2006 19:04

 

LCD ou plasma, o que é melhor para a sua próxima TV?

 

 

 

Afora o preço, a TV de plasma não é a mais adequada

para qualquer consumidor. Varia pelo uso: para games, TV aberta e

computador não é o melhor. Para Copa do Mundo depende.

 

 

 

Por Paulo Rebêlo, com Folha de Pernambuco.

 

A televisão comum recebe o sinal analógico das transmissoras e a

imagem é escalonada no chamado formato padrão 4:3, que significa 4 de

largura por 3 de altura. A televisão de plasma é digital e trabalha com

o formato usado no cinema e em filmes de DVD. É o chamado widescreen,

de medida 16:9 ou 16:10, um retângulo.

 

Se você assistir canais abertos, como novelas ou os programas

locais, a imagem será 4:3 que, se for esticada para os 16:9 da sua tela

de plasma, irá gerar uma distorção perceptível na imagem. Mesmo na TV

por assinatura, a maioria dos canais são exibidos em 4:3. E qual seria

a solução? O jeito é assistir em 4:3 na tela de plasma, o que irá gerar

duas tarjas pretas, grandes, nas laterais da tela − justamente a porção

de imagem que não está sendo utilizada. Ocorre que a solução é um

problema ainda maior, porque se as tarjas pretas ficarem por horas

seguidas, elas irão manchar o plasma, causando o efeito burn-in. Para

100% de satisfação, só mesmo os filmes em DVD em widescreen, que encham

a tela.

 

Segundo a gerente de produtos da LG, Fernanda Summa, o recomendado

pela empresa é que “ninguém assista nada com tarjas pretas por mais de

uma hora na TV de plasma, pois além desse tempo a tela pode realmente

ficar marcada pelo burn-in”. Ou seja, nada de três novelas seguidas

para os noveleiros de plantão. (Veja mais: Vai comprar TV de plasma? Cuidado com o burn-in..)

 

O comerciante Marco Antônio de Sousa foi um dos que quase viram o

investimento na TV de plasma ir pelo ralo. “Como eu estava acostumado

com a imagem 4:3, optei por assistir programas com as tarjas pretas,

mas não sabia dos problemas de burn-in. Depois de um tempo, a tela

estava praticamente toda manchada, uma coloração diferente que

tornou-se gritante até quando fui assistir filmes em DVD”, explica

Sousa, que depois de meses entre assistência técnica e fabricantes,

conseguiu trocar a TV.

 

Sousa complementa: “é engraçado, porque o próprio manual indicava

que poderia ocorrer manchas permanentes na tela em caso de imagens

paradas (estáticas), mas era completamente omisso em relação às tarjas

pretas, que é um recurso oferecido pela própria TV. Ou seja, um recurso

da própria TV danifica a tela”, lamenta. O modelo em questão era um

Philips e, de acordo com Sousa, a fabricante trocou o televisor em

pouco tempo e o atendeu muito bem. Procurada pela reportagem para

comentar sobre os efeitos de burn-in, a Philips informou que nenhum

porta-voz da empresa estava disponível.

 

Games na tela grande também prejudicam

 

Jogar videogame em uma TV de plasma é outra tentação, sobretudo com

os consoles novos como Xbox e Playstation 2. Com a celeuma gerada pelas

manchas na tela, as desenvolvedoras de jogos começam a repensar o

costume de exibir marcas estáticas. Por exemplo, em jogos de tiro, a

interface (chamada de HUD) com os detalhes sobre energia, munições e

mapas, fica parada o tempo todo. Resultado: após algumas horas de tiros

e explosões, a TV de plasma corre o sério risco de ficar marcada.

 

De acordo com o ex-designer de conceitos da Acclaim Studios, Greg

Wilson, os HUDs são uma verdadeira praga nas TVs de plasma. “Cientes da

situação, os desenvolvedores tentam reverter o quadro melhorando a

jogabilidade, de uma forma tal que o jogador não precisa de imagens

estáticas com informações sobre o jogo”, antecipa. Wilson enumera o

exemplo do game King Kong, baseado no filme de 2005 de Peter Jackson,

onde não há qualquer imagem estática.

 

“No Call of Duty 2, a situação não é 100% boa, mas os produtores

melhoraram bastante e diminuíram a quantidade de informações no HUD”,

explica. Ele ainda deixa a dica: em vários jogos de tiro, como Doom 3,

Quake 4 e outros, existe a opção de eliminar o HUD por conta própria,

indo nas configurações. Apenas não é o padrão, o usuário tem que

configurar”.

 

LCD ou plasma, o que é melhor?

 

Uma outra opção disponível no mercado são as telas de cristal

líquido, o LCD. O especialista em tecnologia da informação e criador do

iBuscas, Eduardo Favaretto, explica a diferença entre as duas: “a

principal diferença é formação da imagem e a resolução, que no LCD

varia de 1024x768 a 1920x1080 pixels, associada a um baixo consumo de

energia.

 

A tela de LCD é mais usada atualmente para dispositivos pequenos,

como displays de celulares, equipamentos de som para carros e monitores

de computador, além de TVs abaixo de 42 polegadas”, explica.

 

O LCD também apresenta problemas, que são menos graves. Em imagens

muito rápidas, às vezes é possível identificar rastros na tela, o

chamado efeito fantasma ou “ghost”. Esses rastros são instantâneos, não

mancham e não queimam a tela, mas incomodam bastante. Isso ocorre,

também, porque o sinal é analógico.

 

Para uso em computador, o problema é facilmente solucionado ao

comprar um cabo digital de conexão entre o monitor o PC, chamado de

cabo DVI, o que acaba com o efeito fantasma e melhora consideravelmente

a qualidade da imagem. Mas não funciona em televisão. Entre as

desvantagens do LCD, é que a relação brilho/contraste não é tão

vibrante quanto o plasma.

 

Futebol 100% digital só em São Paulo

 

Se a Copa do Mundo é o referencial para comprar uma TV de plasma, é

bom ficar sabendo que somente na cidade de São Paulo haverá transmissão

100% digital com todos os recursos disponíveis. Uma parceria da TVA

Digital e da BandSports irá transmitir os jogos em alta definição

(HDTV), com resolução de 1080 linhas. As TVs comuns e o sinal

analógico, por exemplo, transmitem com apenas 400 linhas. O serviço

deve começar a ser implementado no Rio de Janeiro no final deste ano,

em Curitiba no ano de 2007 e sem a menor previsão para as demais áreas.

 

 

Para quem está fora de São Paulo, algumas operadoras como Sky e

DirecTV vão oferecer planos para transmitir os jogos em widescreen 16:9

e, eventualmente, com som digital − mas até agora não há um padrão nas

empresas para todo o Brasil. Quem for assistir aos jogos da Copa pelos

canais abertos ou pela TV por assinatura que transmita em sinal

analógico, que são a maioria, não terão a melhor imagem no plasma e

irão sofrer os mesmos riscos mencionados na reportagem, de manchas na

tela e distorção das imagens. No Recife e em outros estados

brasileiros, algumas operadoras oferecem pacotes com a Rede Globo no

formato digital, por um custo adicional.

 

Prós e contras da TV de plasma

 

Prós:

 

- cores mais vibrantes

 

- ângulo de visão mais amplo

 

- contraste aprimorado, melhor do que telas LCD

 

- tamanhos de tela a partir de 42 polegadas, modelos de até 103 polegadas

 

- ideal para DVDs e sinal digital em widescreen 16:9

 

Contras:

 

- alto consumo de energia

 

- ao ficar muito próximo da tela, é gerado um efeito flicker que cansa a vista mais rápido

 

- imagens estáticas e tarjas pretas nas laterais queimam a tela

 

- para ser usado como monitor no PC, é inferior ao LCD por conta da resolução em pixels.

 

- possui mais reflexo do que o LCD, deixando a tela "espelhada" se

houver incidência de luz direta (janela aberta, por exemplo), fenômeno

também conhecido em monitores CRT. [Webinsider]

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

tecn.gifdiv448.gif

 

bt_envia.gif

bt_imprime.gif

 

 

 

 

11/05/2006 18:11

 

Vai comprar TV de plasma? Cuidado com o burn-in.

 

 

 

TV de plasma tem imagem ótima. Mas se o aparelho não

é só para DVD, saiba que imagens da TV aberta não ficam tão bem e as

tarjas pretas e logotipos podem manchar a tela.

 

 

 

Por Paulo Rebêlo, com Folha de Pernambuco.

 

À primeira vista, é o paraíso. Imagens fantásticas, cores

vibrantes, linhas perfeitas. Com a Copa do Mundo dobrando a esquina, a

tentação para comprar uma televisão de tela gigante só vai aumentar

pelos próximos dias até o início do evento. Nessa situação, as TVs de

plasma com telas de 42, 50 e 60 polegadas se tornaram um objeto de

desejo do brasileiro.

 

O que os atuais e futuros compradores não sabem é que, muitas

vezes, a TV de plasma pode se transformar em uma dor de cabeça e nem

sempre é o tipo mais indicado para o seu perfil. As reclamações sobre

defeitos enchem os fóruns técnicos na internet e as associações de

defesa ao consumidor alertam para a falta de informação por parte de

lojistas e fabricantes.

 

As vantagens da TV de plasma são bem visíveis. Telas gigantes,

design caprichado e cores vibrantes. As desvantagens, porém,

dificilmente ficam à mostra e quase nunca são informadas corretamente

pelos vendedores ou fabricantes. Quem compra uma TV de plasma,

geralmente não fica sabendo de duas restrições técnicas e impeditivas

que podem tirar toda a graça do aparelho e colocar em xeque o

investimento. (Veja mais: LCD ou plasma, o que é melhor para a sua próxima TV?)

 

Primeiro: aquela imagem linda e perfeita que você vê nas lojas, não

se repetirá em casa, a não ser em condições especiais. Segundo, se você

acha que vai poder ficar grudado por horas a fio vendo TV, é bom

procurar outra diversão. A depender do tipo de programa televisivo,

filme ou jogo, a tela da TV de plasma pode ficar queimada (manchada)

após horas seguidas com imagens paradas, ocasionando o chamado efeito

de “burn-in” e marcando a tela de uma forma nada discreta.

 

Devido à própria tecnologia em si, a TV de plasma é moldada para

exibir na tela o que tem de melhor somente quando o sinal é digital. No

Brasil, os programas da TV nos canais abertos chegam em sinal

analógico. Resultado: ao assistir aos canais abertos no aparelho de

plasma, você verá riscados, granulados e uma imagem perceptivelmente

inferior, às vezes pior do que na sua antiga TV comum de 20 polegadas.

Para reverter o problema, a opção seria assistir a tudo com TV por

assinatura (Sky, DirecTV etc.), mas, mesmo assim, não há garantia de

que todos os canais sejam digitais. Nos filmes em DVD, que são

digitais, não há problema e a imagem é verdadeiramente boa.

 

Mas o que está tirando os compradores do sério é o efeito de

burn-in, quando uma imagem estática queima a tela e deixa uma mancha.

Exemplo prático: um jogo de futebol com a logomarca do canal sendo

exibida durante toda a partida, parada, sem mudar. Muitas vezes, após o

jogo, é fácil perceber que aquele local ficou manchado.

 

Levando em consideração que a TV de plasma é retangular (formato

widescreen 16:9) e a maioria da programação é quadrada (formato padrão,

4:3) você irá ver duas tarjas pretas do lado da imagem. Essas tarjas,

após mais ou menos duas horas, podem manchar a tela de forma

definitiva. Para evitar isso, só existe uma solução: forçar a recepção

para o formato widescreen, deformando a imagem e causando desconforto

visual.

 

Desinformação começa nas lojas

 

Ao pesquisar preços nas lojas, o acontecimento óbvio é ficar

maravilhado com a imagem perfeita exibida. O problema começa quando o

consumidor pede informações. Em geral, a loja repassa tudo de bom sobre

o plasma, sem entrar em detalhes sobre os perigos de manchar a tela e a

baixa qualidade da imagem ao assistir canais abertos.

 

Visitamos cinco lojas de eletro-eletrônicos que vendem TVs de

plasma. Em todas elas, o problema de burn-in (quando a tela fica

queimada/manchada) foi minimizado pelos vendedores. A maioria sequer

soube explicar, concretamente, como ocorria a mancha e como poderia ser

evitada na prática. Em algumas situações, os lojistas explicam que os

“modelos mais recentes não possuem esse problema de burn-in, porque a

tecnologia é melhor”. A verdade é que o problema existe, é reconhecido

oficialmente por todas as fabricantes de TVs de plasma e até hoje não

existe solução total.

 

Algumas fabricantes das TVs garantem que os modelos novos não

possuem o problema, por serem de nova geração, com recursos anti-burn

in. No entanto, na garantia, não especificam. No manual, as informações

também são superficiais.

 

De acordo com a gerente de produtos da LG, Fernanda Summa, alguns

modelos novos possuem recursos para amenizar o burn-in, mas é

impossível evitar por completo. “O plasma tem uma restrição da própria

tecnologia de não deixar uma imagem estática muito tempo na tela, como

as tarjas pretas laterais”, explica. Ela acha que “quem compra uma TV

assim, tem que estar preparado para usar o formato widescreen, mesmo

que deforme um pouco a qualidade da imagem nos canais abertos. Mas para

filmes em DVD, a imagem fica perfeita”, garante. O gerente de logística

da Plasmashop, Thiago Sato, confirma que “infelizmente, todas as

plasmas estão sujeitas e a maioria dos compradores não faz idéia dos

problemas até que eles aconteçam. É um fator negativo a médio e a longo

prazo, sem dúvida”, explica Sato.

 

Os fabricantes dão garantia de um ano, mas nem sempre trocam o

aparelho em caso de problemas. O gerente de produtos de áudio e vídeo

da Samsung, Rogério Molina, reforça que cada caso precisa ser analisado

pela assistência. Molina garante que os novos modelos da fabricante não

sofrem com o burn-in, mas reconhece que os modelos anteriores, sim, são

bem mais suscetíveis ao defeito. “É uma restrição da tecnologia, o

consumidor precisa saber o quê está comprando”, diz.

 

No entanto, uma rápida visita a fóruns na internet revela que, na

prática, o pós-venda e a assistência técnica de várias fabricantes

deixam muito a desejar. Por outro lado, os consumidores que compraram

TVs de plasma e não tiveram problemas de manchas, se consideram bem

felizes e satisfeitos com a compra.

 

Durante vários dias procuramos representantes da Philips e da

Gradiente, mas até o fechamento desta edição, as empresas não se

pronunciaram.

 

A advogada Maíra Feltrin, do Instituto de Defesa do Consumidor

(IDEC), explica que somente o fato de o consumidor não ser explicado

corretamente sobre as restrições são suficientes para mover uma ação

judicial. “As informações não devem constar somente no manual e a

Justiça pode ser acionada contra a fabricante e contra a loja, a

depender de cada caso”, garante, apesar de realçar que, na prática, é

uma situação bem difícil para o consumidor. [Webinsider]

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Caraca, minha TV chegou. Sinceramente a grana alta que eu gastei compensou totalmente. É impressionante. Coloquei Herói, com sua fotografia deslumbrante e babei. No modelo que eu comprei, que tem uma resposta baixíssima, o efeito Ghost (rastros) não é notado.

 

Agora aviso. Esta TV não é pra quem se contenta em assistir TV. Enquanto nosso sinal de TV não for totalmente digital, pra isso ela não vale a pena.

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu acho q , pelo menos atualmente, a melhor opção - lógico q pra quem pode pagar- é ter um projetor e uma tela retrátil pra ver DVDs, e uma tela 29 ou 34  CRT mesmo comum, tela plana pra assisitr TV aberta e a cabo.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

A Veja disse que tanto fabricantes de LCD e Plasma estão eliminando os problemas e que as novas tvs fabricadas já reduziram significamente essas ocorrências: imagem ghost no LCD e tela queimada por imagem estática no Plasma...

Tá chegando a hora de comprar uma...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Com esses preços.. Acho q a hora de comprar, uma, pelo menos pra mim, ainda está longe... Tv é legal,  ótimo, útil, divertido... mas pagar quase 8.000 reais por um aparelho desses eu considero piada.. Vc já pensou, à exceção do seu carro,  a coisa mais cara da sua casa ser uma TV? - (se bem q depende de q carro vc tem, talvez a TV seja até mais cara) - Não curto TV a esse ponto. Com uns 2.400 vc já compra um projetor q faz imagens de até 200 polegadas, se não quiser projetar na parede, uma tela razoável q funcione junto com o projetor dá pra arrumar por uns 600  paus... Com isso vc tá pronto pra ver os filmes e DVDs, e sem os problemas inerentes à essa nova tecnologia de TVs, e sem grilo com barras e formatos de tela... Pra assistir televisão, a sua 29 ou 34 polegadas tela plana de pouco mais de 1000 reais cumpre o papel na boa... Eu não tenho essa ânsia pelo pioneirismo q muita gente tem.. Só adquiro uma TV dessas quando o preço estiver bem mais camarada e qdo a tecnologia estiver absolutamente consolidada... Mas é questão de opinião, feliz de quem pode comprar uma agora, e daqui a 2 ou 3 anos qdo todos os problemas dessa tecnologia estiverem resolvidos comprar uma mais nova...

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

A Veja disse que tanto fabricantes de LCD e Plasma estão eliminando os problemas e que as novas tvs fabricadas já reduziram significamente essas ocorrências: imagem ghost no LCD e tela queimada por imagem estática no Plasma...

Tá chegando a hora de comprar uma...

Vou esperar mais um pouco...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×