Jump to content
Forum Cinema em Cena
Jack Ryan

O Hobbit, A Desolação de Smaug, 2013 (dir Peter Jackson)

Recommended Posts

Os fãs de SDA estão meio mortos aqui. Foi se o tempo que eles lotavam o fórum.

 

Aqui o cartaz:

 

976275_529187847116825_1152610988_o.jpg

 

E uma imagem da Evangeline Lilly como elfa Ruiva.

 

FL-The-Hobbit-Desolation-of-Smaug.jpg

 

 

Cá entre nós. Eu prefiro ela morena.

 

evangeline-lilly.jpg

 

evangeline-lilly-ddded-1724183886.jpg

 

 

Inclusive ela me lembra Liv Tyler como Arwen.

 

934_liv-tyler-arwen-lord-of-the-rings-21

 

liv-tyler-2-43.jpg

Share this post


Link to post
Share on other sites

Que saudades do Sean Connery dublando dragão. Meio vergonha alheia dessa voz "monstruosa" típica de filmes trash dos anos 80. Preferia algo mais "humano".

Smaug é um dos meus vilões favoritos nas obras de Tolkein exatamente por ser uma mistura de sofisticação e brutalidade. Não precisava mostrar pela voz que ele é mau, feio e selvagem. A aparência dele já diz isso. O mais interessante é que por cima de toda esta instabilidade selvagem, tem uma leve camada de uma sofisticação cínica que pode a qualquer momento explodir em uma fúria imprevisível e incontrolável.

 

No mais, permaneço com as minhas impressões do outro filme. O Del Toro deveria ter assumido e apresentado um universo com uma cara nova.

Share this post


Link to post
Share on other sites

O Hobbit | Custo da trilogia de Peter Jackson já passa de US$500 milhões Valor passa do dobro do orçamento da trilogia O Senhor dos Anéis

Aline Diniz

04 de Outubro de 2013

18
 

 

 

The-Hobbit_square.jpg
 

O Hobbit  está custando caro: US$561 milhões até hoje, mais do dobro do valor gasto na trilogia O Senhor dos Anéis.

O valor inclui grande parte dos 266 dias de filmagem com os atores para os três filmes, com exceção das cenas rodadas esse ano e alguns custos de pós-produção que ainda devem aparecer enquanto os dois últimos filmes são finalizados.

Segundo a Variety, no entanto, o dinheiro foi um investimento e tanto a distribuidora Warner Bros. quanto o diretor Peter Jackson já tiveram retorno somente com O Hobbit: Uma Jornada Inesperada, que arrecadou pouco mais de US$1 bilhão de bilheteria.

A escolha de Jackson em filmar a trilogia em 3D e 48 quadros por segundo encareceram significantemente a produção, que é uma das únicas de Hollywood a ter seus valores divulgados com tanta precisão.

O segundo filme, A Desolação de Smaug, chega aos cinemas em 13 de dezembro. Já a terceira e última parte, O Hobbit - Lá e De Volta Outra Vez, estreia em 19 de dezembro de 2014.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Que saudades do Sean Connery dublando dragão. Meio vergonha alheia dessa voz "monstruosa" típica de filmes trash dos anos 80. Preferia algo mais "humano".

Smaug é um dos meus vilões favoritos nas obras de Tolkein exatamente por ser uma mistura de sofisticação e brutalidade. Não precisava mostrar pela voz que ele é mau, feio e selvagem. A aparência dele já diz isso. O mais interessante é que por cima de toda esta instabilidade selvagem, tem uma leve camada de uma sofisticação cínica que pode a qualquer momento explodir em uma fúria imprevisível e incontrolável.

 

No mais, permaneço com as minhas impressões do outro filme. O Del Toro deveria ter assumido e apresentado um universo com uma cara nova.

 

Eu estou gostando do que estou vendo até agora. Eu tb acho que o Del Toro faria um trabalho incrível, mas dificilmente o estúdio apostaria e algo diferente se já tem a fórmula com o Peter Jackson, é só ver os custos dessa produção. No mais PJ vem fazendo um belo trabalho.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 Sério CONAN? LI O HOBBIT há muito tempo, mas não me recordo do Smaug ser exatamente sofisticado, como um "Hannibal Lecter" dos dragões ou coisa que o valha, como você dá a entender.

 

 Não vi nada de errado com a voz, mas sendo que é o Benedict Cumberbach que dubla o dragão (a gente mal reconhece a voz do cara) acho que talvez menos efeitos na voz  teriam soado melhor mesmo. Mas não achei ruim do jeito que ficou.

 

 Em tempo, acho que no quesito vilania, o Dragão Glaurung de OS SILMARILLION é um vilão bem mais maquiavélico (pra não dizer filho da puta) que o Smaug.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu também não vi esse defeito todo nessa "nova trilogia" ou no filme em si. Acho que Peter Jackson está fazendo um ótimo trabalho. Se não é melhor e tão envolvente como SDA (O Senhor dos Anéis) é porque isto se deve ao material dos livros. Enquanto que a outra trilogia tem muito mais um Q de épico e drama essa trilogia fica só na Aventura e diversão como no livro em que foi baseado. Acho que não seria diferente com outro diretor, eu não esperava mais do que isto. Para mim o filme fez isto e cumpriu com seu papel de aventura e diversão.

 

Para ter algo como no nível de O Senhor dos Anéis teria que fazer o Silmarillion e não o Hobbit.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 Sério CONAN? LI O HOBBIT há muito tempo, mas não me recordo do Smaug ser exatamente sofisticado, como um "Hannibal Lecter" dos dragões ou coisa que o valha, como você dá a entender.

 

 Não vi nada de errado com a voz, mas sendo que é o Benedict Cumberbach que dubla o dragão (a gente mal reconhece a voz do cara) acho que talvez menos efeitos na voz  teriam soado melhor mesmo. Mas não achei ruim do jeito que ficou.

 

 Em tempo, acho que no quesito vilania, o Dragão Glaurung de OS SILMARILLION é um vilão bem mais maquiavélico (pra não dizer filho da puta) que o Smaug.

 

Sim, eu tive esta impressão. O fato de adorarem tesouros só pelo gosto do luxo mostra um grau de sofisticação sim. Além disso, são extremamente inteligentes e observadores. Têm a noção exata de suas posses e são difíceis de serem enganados.

Os dragões são um outro tipo de vilania, rsrs. Não são o puro mal de Sauron e dos orcs. Não estão nem aí para qual lado eles estão. Eles não estão do lado de ninguém. Dragões não seriam maquiavélicos, mas egoístas. Assim eu penso a personalidade deles: não estão nem aí para ninguém e não têm escrúpulos, mas não são a encarnação do mal. Só querem usufruir do luxo.

 

No geral, acho que o P. Jackson erra a mão na caracterização dos vilões. Ficam meio canastrões.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu também não vi esse defeito todo nessa "nova trilogia" ou no filme em si. Acho que Peter Jackson está fazendo um ótimo trabalho. Se não é melhor e tão envolvente como SDA (O Senhor dos Anéis) é porque isto se deve ao material dos livros. Enquanto que a outra trilogia tem muito mais um Q de épico e drama essa trilogia fica só na Aventura e diversão como no livro em que foi baseado. Acho que não seria diferente com outro diretor, eu não esperava mais do que isto. Para mim o filme fez isto e cumpriu com seu papel de aventura e diversão.

 

Para ter algo como no nível de O Senhor dos Anéis teria que fazer o Silmarillion e não o Hobbit.

 

Acho o contrário. O Silmarillion é um livro muito mais entediante que o Hobbit. Não é por falta de material mesmo.

O Hobbit é muito bom, mas dentro da sua dinâmica. Querer que seja um épico, não cola.

O Jackson esqueceu de toda magia e mistério, e adotou uma abordagem explícita e grandiosa. Uma comparação com os games, SDA estaria para o Ocarina of Time assim como o Hobbit estaria para o Majora's Mask.

Ou seja, o Hobbit seria algo mais intimista.

 

Radagast, Orc-Rei, Orc Branco... é meio vergonha alheia.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sim, eu tive esta impressão. O fato de adorarem tesouros só pelo gosto do luxo mostra um grau de sofisticação sim. Além disso, são extremamente inteligentes e observadores. Têm a noção exata de suas posses e são difíceis de serem enganados.

Os dragões são um outro tipo de vilania, rsrs. Não são o puro mal de Sauron e dos orcs. Não estão nem aí para qual lado eles estão. Eles não estão do lado de ninguém. Dragões não seriam maquiavélicos, mas egoístas. Assim eu penso a personalidade deles: não estão nem aí para ninguém e não têm escrúpulos, mas não são a encarnação do mal. Só querem usufruir do luxo.

 

No geral, acho que o P. Jackson erra a mão na caracterização dos vilões. Ficam meio canastrões.

 

Onde vc acha que ele erra mão? Pois se for neste filme, que ainda nem saiu, vc deve estar muito bem informado.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Nerd on:

 

Conan você vê os dragões como criaturas sem lados ou seres bestiais sem controle, mas não é bem assim na mitologia do Tolkien. Eles ajudaram em muitas ocasiões os “exércitos das trevas”. Glaurung por exemplo, que foi muito bem citado pelo Questão era um dos muitos dragões cruéis a serviço de Melkor (o Lúcifer desse universo) o antigo mestre de Sauron, eles eram sim o mal encarnado. O Smaug talvez até seja assim um ser sem lados, mas as origens ou as raízes dos dragões são malignas nas obras do Tolkien.

 

Em muitas culturas os dragões são mais vistos como mal puro e bem consciente de seus atos. Na mitologia nórdica ou germânica do qual o Tolkien bebeu bem das fontes eles são caracterizados como mal encarnado também. Eles vão ser uma das muitas mazelas das trevas no juízo final ou Ragnarök e "depois do fim do mundo".

 

Na mitologia germânica tem até o equivalente de Glaurung o Nidhoggr é ambos são as origens de todos os dragões.  Aproveitando tem até o equivalente germânico para Smaug. Seu semelhante nos mitos é Fafnir o dragão que deu invencibilidade a Siegfried ao ser morto pelo herói. Fafnir também dormia sobre o ouro roubado de anões.

 

smaug.jpg = 418px-Ring41.jpg

Share this post


Link to post
Share on other sites

Onde vc acha que ele erra mão? Pois se for neste filme, que ainda nem saiu, vc deve estar muito bem informado.

 

Cara, se a intenção de um trailer é vender o filme, sinceramente não me convenceu até agora. Aliás, não sou eu quem deve falar onde ele errou, mas os outros falarem onde ele acertou. Não me entenda mal, não é ruim, mas é um filme genérico, não muito diferente da leva de épicos de fantasia que saiu após SDA. Por enquanto estou encarando o Hobbit como uma imitação de SDA assim como foram inúmeros filmes até agora no gênero.

 

Mas bom, falando sobre o onde o P. Jackson erra a mão: revi a trilogia estes dias e percebi que o filme não envelhece muito bem. Algumas cenas continuam incríveis e geniais, mas outras que até então tinham passado desapercebidas, estão começando a me incomodar. Tem coisas que são muito canhestras e bobas demais. Por exemplo, eu não consigo engolir aquele Orc chefe do Retorno do Rei. É totalmente desnecessário aquele personagem.

 

Então. Pelo primeiro filme do Hobbit, tive a sensação que foi este lado do P. Jackson que ficou, e não o lado genial. E pelo o que saiu até aqui, tudo me indica que o tom do filme continuará o mesmo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Momento Nerd.

 

Plutão, o fato de Glaurung ter colaborado com Melkor não significa que eles estão submetidos a esta vontade. Nem mesmo a maioria dos dragões se juntaram nestas lutas. Para mim, eles estão na mesma categoria das aranhas, águias e até do Tom Bombadil. São personagens antigos, e que se tiveram algum papel nas lutas mitológicas, nas eras seguintes se tornaram personagens autônomos. Eles têm quase a mesma categoria do próprio Sauron.

Nas segundas e terceiras eras, eles não estiveram ligados ao "dark side".

 

Se o Jackson quisesse explorar este lado "obscuro" da mitologia do Tolkien, ele faria referência à capacidade dos dragões de hipnotizarem e influenciar a mente das pessoas, introduzindo a desconfiança e a discórdia. Alguns até mesmo dizem que a batalha das cinco exércitos do Hobbit foi um efeito da morte do próprio Smaug.

 

Então... voltando à realidade, rsrs. Um trecho sobre os dragões do Tolkien:

 

"All accounts of interaction between dragons and other beings makes mention of them speaking, using the Common Tongue. Those unfortunate episodes inevitably culminated in the dragon manipulating the individual to believe things either false, or in the worst possible light. These creatures evidently delighted in sowing discord and strife among others, which is reflective of their nature. Dragons apparently had a love of riddles and puzzling talk, spending long hours trying to decipher it. Therefore, speaking in ambiguous riddles was the best way to converse with a dragon, as it was quite unwise to either tell the full truth or to directly refuse them."

 

E sobre o Smaug:

 

He had an enclyclopedic knowledge of his treasure hoard, immediately registering the theft of a single cup after Bilbo made his first visit to his lair. When the hobbit returned a second time, Smaug was already expecting him by feigning sleep, and immediately declared that he could sense the thief even if he could not see him. Although Bilbo was clever enough not to fall for Smaug's attempts to trick him into revealing his exact position, the dragon used the resulting conversation to plant doubts in Bilbo's mind, correctly guessing that the "burglar" had allied himself with dwarves and the men of Lake Town and asking if Bilbo had ever considered the logistical difficulties of getting his share of Smaug's treasure back to his home.

 

E é claro, basta lembrar também do senso de humor sardônico, que os outros vilões da Terra Média não têm...

Share this post


Link to post
Share on other sites

 Discordo. Acho que o Smaug guarda aquele tesouro pelo sentimento de posse., e não por que é valioso ou não. Não vejo sofisticação nenhuma nisso. É como um corvo que guarda coisinhas brilhantes.

 

 E em O HOBBIT nunca é mencionado ou sugerido que o Smaug teria algum tipo de poder mental.

 

 Em tempo no quesito vilania, acho Glaurung > Smaug

Share this post


Link to post
Share on other sites

Você está confundindo com um Troll que acumula qualquer coisa por acumular, hehe.

 

Por acaso, na folga aqui, peguei o Hobbit agora e reli um trecho do diálogo de Smaug e Bilbo, e a minha impressão não é outra. É um personagem arrogante, inteligente, aristocrático, dissimulado, irônico, sardônico, e com certa fineza na conversa:

 

- Bem ladrão! Posso sentir seu cheiro e seu ar. Ouço a sua respiração. Venha! Sirva-se de novo, tem muito e de sobra!

Mas Bilbo não era tão ignorante em matéria de dragões a ponto de fazer isso e, se Smaug esperava que ele chegasse mais perto com tanta facilidade, ficou desapontado. - Não, obrigado, ó Smaug, o Tremendo! - retrucou ele. - não vim por causa de presentes. Eu só queria dar uma olhada e ver se você realmente é grande como dizem as histórias. Eu não acreditava nelas.

- Agora acredita? - disse o dragão, de certa forma lisonjeado, mesmo não acreditando em uma palavra do que ouvia.

-Na verdade, canções e histórias não estão à altura da realidade ó Smaug, a Maior e Mais importante das Calamidades - respondeu Bilbo.

-Você tem boas maneiras para um ladrão e um mentiroso - disse o dragão. - Parece estar familiarizado com o meu nome, mas eu tenho a impressão de não ter sentido seu cheiro antes. Quem é você e de onde vem, se me permite perguntar?

- Permito, é claro! Eu venho de baixo da colina, e sob as colinas e sobre as colinhas meus caminhos conduziam. E através do ar. Sou o que caminha sem ser visto.

-Posso muito bem acreditar nisso - disse Smaug -, mas esse não pode ser o seu nome verdadeiro.

-Sou o descobridor de pistas, o cortador de teias, a mosca que dá ferroadas. Fui escolhido pelos números da sorte.

-Títulos encantadores! - zombou o dragão. - Mas os números da sorte nem sempre são os sorteados.

 

(...)

 

E depois continua com o Smaug "jogando verde" para descobrir o verdadeiro plano e descobrir sobre o grupo a que Bilbo percencia.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Acho que integrar novos personagens não era necessário. O Hobbit é o meu livro favorito do Tolkien, então quando foi anunciado a adaptação pelo Peter Jackson achei ótimo, mas depois que eu vi o filme fiquei meio decepcionada, não que o filme fosse ruim, só que esperava muito mais, o filme não trouxe aquela sensação fantástica que o senhor dos anéis trouxe. Se eu não tivesse lido o livro provavelmente teria ficado como minha colega que achou o filme incrível e não parou de falar sobre ele depois. Espero que essas novas mudanças na parte 2 não mude as partes que eu mais gosto, porque senão vou começar a pensar como um amigo meu que acha que estragaram o livro, que também é o favorito dele.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Você está confundindo com um Troll que acumula qualquer coisa por acumular, hehe.

 

Por acaso, na folga aqui, peguei o Hobbit agora e reli um trecho do diálogo de Smaug e Bilbo, e a minha impressão não é outra. É um personagem arrogante, inteligente, aristocrático, dissimulado, irônico, sardônico, e com certa fineza na conversa:

 

- Bem ladrão! Posso sentir seu cheiro e seu ar. Ouço a sua respiração. Venha! Sirva-se de novo, tem muito e de sobra!

Mas Bilbo não era tão ignorante em matéria de dragões a ponto de fazer isso e, se Smaug esperava que ele chegasse mais perto com tanta facilidade, ficou desapontado. - Não, obrigado, ó Smaug, o Tremendo! - retrucou ele. - não vim por causa de presentes. Eu só queria dar uma olhada e ver se você realmente é grande como dizem as histórias. Eu não acreditava nelas.

- Agora acredita? - disse o dragão, de certa forma lisonjeado, mesmo não acreditando em uma palavra do que ouvia.

-Na verdade, canções e histórias não estão à altura da realidade ó Smaug, a Maior e Mais importante das Calamidades - respondeu Bilbo.

-Você tem boas maneiras para um ladrão e um mentiroso - disse o dragão. - Parece estar familiarizado com o meu nome, mas eu tenho a impressão de não ter sentido seu cheiro antes. Quem é você e de onde vem, se me permite perguntar?

- Permito, é claro! Eu venho de baixo da colina, e sob as colinas e sobre as colinhas meus caminhos conduziam. E através do ar. Sou o que caminha sem ser visto.

-Posso muito bem acreditar nisso - disse Smaug -, mas esse não pode ser o seu nome verdadeiro.

-Sou o descobridor de pistas, o cortador de teias, a mosca que dá ferroadas. Fui escolhido pelos números da sorte.

-Títulos encantadores! - zombou o dragão. - Mas os números da sorte nem sempre são os sorteados.

 

(...)

 

E depois continua com o Smaug "jogando verde" para descobrir o verdadeiro plano e descobrir sobre o grupo a que Bilbo percencia.

 

 

Um pequeno trecho que só prova o quanto o livro é superior, a narrativa sugere uma tensão entre os dois que eu não vi no trailer. Sinceramente desapontado com essa versão para o cinema de O Hobbit, pode ser que as coisas melhorem com os dois filmes que faltam mas duvido muito. 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×