Jump to content
Forum Cinema em Cena
puaba

Planos-Sequência marcantes

Recommended Posts

Se “O Grande Golpe” não foi o filme que Stanley Kubrick teve grande liberdade artística, em compensação esse grande diretor (o meu preferido) consegue contar a sua história como ninguém, se utilizando de enquadramentos muito bem planejados, economizando nos cortes, dando a magnitude merecida a cada diálogo (em um roteiro muito bem escrito), e entregando planos-sequência magníficos.

Um plano-sequência em destaque chama a atenção, quando Kubrick acompanha Johnny Clay (Sterling Hayden) por um corredor, revelando ser na verdade o ponto de vista de um espelho (ou na verdade um ponto de vista de fora do espelho) e seguindo a trajetória do personagem na busca de um parceiro para  desempenhar uma dada função em seu plano. Chama a atenção o plano-sequência pela trucagem de câmera (confesso que não sei como Kubrick fez), que além de ser tecnicamente perfeito, condensa a cena num contínuo dentro da narrativa, sem a necessidade do uso do corte, conferindo mais realismo e imersão do expectador ao narrar visualmente as ações do personagem.

 

http://cultcomentario.wordpress.com/2014/08/10/plano-sequencia-de-o-grande-golpe/

 

post-21400-0-30932600-1407651722_thumb.jpg

 

post-21400-0-20655300-1407651738_thumb.jpg

 

post-21400-0-31445200-1407651752_thumb.jpg

 

post-21400-0-90785100-1407651788_thumb.jpg

 

post-21400-0-90808900-1407651812_thumb.jpg

 

post-21400-0-39886400-1407651833_thumb.jpg

Share this post


Link to post
Share on other sites

The Revenant tem um porrada de tomadas de 1-2 minutos que são bem legais, cheio de composições mistas.

 

Tomorrowland, filme passável, mas tem uma legal de 11 minutos, bem legal sem ser muito chamativa, só caiu a ficha que era 1 tomada quando terminou. Dá pra ver claramente os cortes escondidos contudo.

 

Snake Eyes do Brian DePalma é um deleite para quem gosta de longas tomadas, o filme começa ocm uma bem maluca de 12 minutos com ótimos cortes muito bem escondidos e Nic Cage sendo Nic Cage.

 

 O Poe Dameron no seu X-Wing em Star Wars VII... Uau, que tomada!

 

Jurassic World tem uma bem curiosa no final, também com composições mistas, mas um tanto "gratuita", parece não servir propósito comum de uma longa tomada.

 

E falando na franquia do Spielberg, a tomada na balça de Jaws, pela simplicidade e genialidade.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Deu vontade de ver de novo o filme.

Revi estes dias, passou no Cinemax se não me engano. Sequencias lindas são a da estrada, logo no começo, que não parece ter nenhum corte (embora tenha, estão ocultos) e o confronto dos rebeldes com exercito culminando com a chegada ao mar, já no final do filme. O que é aquilo!

 

Ainda não vi Spectre nem Creed (quero muito ver). Situação tá complicada para ficar indo no cinema, infelizmente.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu estava revendo 300 do Zack Snyder. Tem tracking-shot horizontal do Gerard Butler brigando, o zoom-in/zoom-out quebra um pouco, mas sou capaz de apostar que é tomada única sem corte nenhum, nem mesmo cortes escondidos. 

 

Também me deu um desejo de rever a briga do corredor de Daredevil. Fui lá e fiz exatamente isso. Maravilha, parece coisa do John Woo em Hard Boiled.

 

E falando em séries, primeiro episódio da terceira temporada de Black Sails tem uma massa. É uma re-introdução a um personagem, que passou uma por uma mudança radical no final da temporada prévia, usaram a longa tomada de uma cena de ação para construir o suspense e revelar no final o resultado da mudança. Que jeito de começar uma temporada!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Esse canal é muito massa. Eles conseguem combinar um passo rápido, bom pra nova geração impaciente (como eu) mas sem sacrificar informação.

 

E já que estamos falando de tomados longas:

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Como já comentado: Battle of the Bastards

 

 

 

 

Notem como o enquadramento adiciona. Nossa visão é ampla o suficiente que vemos o personagem e seu esforço com clareza, e fechada o suficiente que não vemos a próxima ameaça com muita antecedência, vemos somente a iminência de perigo aparecendo ao redor. Combina isso com a fatalidade comum em Game of Thrones e a tensão acumulada de uma tomada longa e temos um dos melhores momentos de TV em existência.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×