Jump to content
Forum Cinema em Cena
Questão

Liga da Justiça (2017) #2

Recommended Posts

 Então pessoal, chegamos ao segundo tópico da Liga, o que é uma pequena proeza para um filme anunciado oficialmente a menos de um ano. Daqui a três anos, enfim os fãs da DC verão a reunião dos seus maiores heróis na tela, sob a direção de Zack Snyder (que não era exatamente a minha opção preferida mas podia ser pior :D ).

 

 Como ainda temos tempo antes de informações realmente concretas começarem a chegar, sugiro que continuemos a analisar histórias clássicas da Liga da Justiça para ver o que pode ser aproveitado no primeiro filme da equipe. Sugiro aqui a análise do arco "Feras", escrito por Gerry Conway e desenhado por Len Wein, uma das ultimas aventuras da famosa "Fase Satélite" da Liga da justiça.

 

 300px-JLA_v.1_221.jpg

 

 

300px-JLA_v.1_222.jpg

 

 

300px-JLA_v.1_223.jpg

 

 

  A trama tem início com um grupo de milionários se reunindo em um prédio, todos com os rostos devidamente ocultos por mascaras. Eles descem por um elevador secreto, chegando a uma espécie de arena subterrânea. Logo, o show é anunciado. Não vemos o que ocorre dentro da arena, mas a platéia parece ir a loucura quando são atingidos por vários respingos de sangue.

 

   No porto de Metropolis, Superman tenta impedir que um grupo de criminosos roubem uma carga destinada aos Laboratórios STAR. Ele recebe a ajuda da Mulher Maravilha, e os dois conseguem avariar o barco em que os criminosos tentavam fugir. Mas antes que possam fugir, são surpreendidos por uma enorme criatura metade homem, metade baleia. A criatura quase afoga Diana, o que faz o Superman ter que escolher entre resgatar a amiga ou perseguir o monstro. O homem baleia foge literalmente carregando parte do roubo na boca.

 

  Em Central City, um grupo de criminosos de armadura também executa um roubo a um laboratório de pesquisas. O Flash (Barry Allen) surge para detê-los, mas é surpreendido ao ser atacado por um homem rinoceronte, que o acerta com seu chifre direto no estômago. Os bandidos fogem, deixando o Flash gravemente ferido para trás.

 

  Em São Francisco, o Homem Elástico tenta parar um caminhão de produtos químicos roubados, mas é atacado por grandes homens pássaro. O confronto acaba se encaminhando para uma lavanderia chinesa. Um dos criminosos aproveita uma chance quando o Homem Elástico cai sobre uma prensa de roupa, e o prensa ali, o que lhe causa imensa dor, e desestabiliza as suas moléculas, deixando-o vulnerável ao ataque dos pássaros.

 

  Em Nova York, Nuclear voa pelos céus, quando percebe uma mulher pantera se esgueirando pelos prédios. Ela o ataca, achando que ele esta ali para "Leva-la de volta para Rex". O herói consegue acalma-la, e ela diz se chamar Reena, e promete lhe contar tudo sobre a sua condição, desde que ele a proteja.

 

 Nuclear a leva para o Satélite da Liga. Somos informados que Flash e Homem Elástico sobreviveram aos ferimentos, mas estão incapacitados. Reena conta aos heróis que ela se chamava Irena, e era executiva de uma empresa chamada Repli Tech Industries, e também namorada do presidente da empresa, Rogan Rex. Quando Rex descobriu que a empresa estava indo a falência, ele isolou o prédio, e o inundou com um mutagene criado por seu principal cientista, o Dr. Lovecraft. Todos no prédio, de empregados ao conselho deliberativo, se transformaram em homens animais.

 

  Denominando-se Maximus Rex, que se transformou em uma criatura metade homem, metade leão, Rex considerou que havia criado uma raça superior, mas antes de dividir isso com o mundo, precisava de dinheiro, o que fez com que criasse o seu clube da luta secreto, usando aqueles mais desfavorecidos que estavam no prédio quando o mutagene foi liberado como lutadores. Reena diz que fugiu e que quer expor isso ao mundo por não aguentar mais a culpa pelo circo de sangue que ajudou a criar. Ela só conseguiu fugir graças a ajuda de seu amigo Rowl (transformado em um leopardo), que assim como Reena, não aguenta mais a matança. Todos os heróis presentes (menos a Mulher Gavião, que acha Reena patética) são solidárias a pobre garota pantera.

 

  No Egito, Carter Hall supervisiona uma escavação de tesouros perdidos, quando são atacados por homens de armadura, que contam com o apoio de um grupo de homens escorpiões gigantes, que surgem da areia. Carter assume a identidade do Gavião Negro, e tenta impedir o massacre de sua equipe, mas acaba sendo arranhado por uma das criaturas, e começa a sucumbir aos efeitos do veneno.

 

  Nas Industrias Rex, Maximus Rex é avisado pelo Dr. Lovecraft, que se transformou em um homem rato, que o intruso que tentou roubar algum de seus registros e deixou as instalações sem autorização é Reena. Maximus Rex jura vingança contra a ex amante.

 

 O próprio Maximus Rex luta na Arena, desafiando Rowl para combate por sua traição. Rowl não é páreo para o Homem Leão, que o decapita, exibindo a sua cabeça como o destino de todos aqueles que o traírem.

 

 Os heróis são comunicados que o Gavião Negro foi encontrado gravemente ferido no Egito. Mulher Maravilha e Mulher Gavião partem para ver como Katar está, mas antes de partir, Shayera alerta Reena que caso o Gavião Negro morra, ela ira matar Reena, pois faz parte disso tanto quanto Maximus Rex e os outros.

 

 No hospital, no Egito, Diana e Shayera fazem visitam o Gavião Negro. Os médicos dizem que o herói precisa urgentemente da anti toxina, caso contrario, ira morrer. As duas heroínas são surpreendidas pelo ataque de homens de armadura, liderados pelo Homem Rinoceronte que feriu o Flash. Pegas de surpresa, elas sucumbem, e o trio de heróis é sequestrado.

 

  Na Torre da Liga, os heróis recebem uma mensagem de Maximus Rex, exigindo que os heróis entreguem Reena e fiquem fora do seu caminho, do contrário, o Gavião Negro vai morrer, e Diana e Shayera seram expostas ao mutagene. Putos da cara os Heróis da Liga decidem dar um fim a Maximus Rex e sua organização de uma vez por todas.

 

  Para provar a sua superioridade sobre a raça humana, Rex desafia doze bandidos armados com facas, porretes e correntes a enfrenta-lo na arena. Enquanto este combate acontece, Reena se entrega e pede para ser levada a presença de Maximus Rex. Reena é deixada em uma sala por Lovecraft, e logo depois um furioso Maximus Rex coberto de sangue entra na sala. Reena ordena que ele liberte os heróis capturados, mas ele a esbofeteia e a chuta, dizendo pra ela não o dar ordens. Rex diz que estão movendo a operação para uma ilha, devido a traição dela, e que ele vai lidar com a traidora mais tarde. O que Rex não sabe é que esta não é realmente Reena e sim Zatanna disfarçada, usando um rastreador/escuta no ouvido.

 

  No satelite, Flash e Homem Elástico voltam a se reunir a seus amigos, mesmo não recuperados totalmente. A equipe planeja o seu ataque com cuidado, pois sabem que os meta humanos de Rex foram poderosos o bastante pra capturar três deles. Reena se propõe a ajuda-los.

 

 Reena, Nuclear, Homem Elástico e Aquaman chegam ao velho prédio da Repli Tech Industries, onde descobrem Lovecraft comandando a ultima etapa da "Mudança". Durante o ataque, Nuclear percebe que Reena está ficando cada vez mais selvagem e violenta. O grupo interroga Lovecraft, que entrega a antitoxina que pode salvar a vida do Gavião Negro, mas o herói já foi levado para a ilha.

 

  No Satélite da Liga, Superman localiza a Ilha e, repassa a informação para os seus amigos.. Superman é o primeiro a chegar, mas Rex desenvolveu um canhão de laser baseado na energia do sol vermelho, que tira Superman da jogada. O homem de aço é crucificado no alto da montanha da ilha. Nuclear e Homem Elástico chegam para liberta-lo, Mas Superman era apenas uma isca, e Maximus Rex põe Nuclear pra dormir com um único golpe. Também ficando mais selvagem, Rex ataca o Homem Elástico, que recebe a ajuda do Flash.

 

  Enquanto isso, Aquaman tenta fazer uma entrada mais furtiva na ilha, mas é atacado pelo Homem Baleia. Usando a sua telepatia marinha, Aquaman lobotomiza, a criatura, a deixando na água em estado catatônico. Um homem cobra que banca o carcereiro da Mulher Maravilha, Mulher Gavião e do moribundo Gavião Negro diz para elas observarem seus amigos morrerem. Mas Aquaman surge e o põe pra dormir com um mata leão (no caso mata cobra :D ) libertando as colegas, e administrando o antidoto no Gavião Negro. Reforços parecem chegar pela porta. Os três heróis se preparam para o combate, mas descobrem ser apenas Zatanna, que se livrou de seu disfarce, e abria o seu caminho para liberdade.

 

  Na montanha, a verdadeira Reena ataca Maximus Rex. Os dois cada vez em um estado mais selvagem atacam brutalmente um ao outro. Reena ordena que Flash e Homem Elástico tirem o inconsciente Nuclear e o enfraquecido Superman dali, e deixem Rex com ela.

 

  Enquanto isso, Aquaman e Mulher Maravilha lideram a revanche da Liga contra os homens animais de Maximus Rex, vencendo criaturas como o Homem rinoceronte e os Homens escorpião. Entretanto, as criaturas começam a sofrer novas mutações, e regridem até se transformarem em inofensivos animais normais. Toda e qualquer humanidade que tinham desapareceu, se é que tinham alguma, como lembra a Mulher Gavião.

 

 Nuclear acorda e pergunta por Reena e Maximus Rex. Eles seguem uma trilha de sangue e encontram um leão morto. Não muito longe, há uma pantera agonizante. Nuclear se aproxima e pede desculpas por não conseguir protege-la. A pantera parece reconhece-lo, e morre. Shayera diz para Nuclear não se sentir culpado, pois Reena estava condenada desde o início, desde que deixou um homem como Rex dominar a sua vida.

 

 As questões são:

 

 1) Quais elementos de FERAS poderiam ser usados em um filme da Liga

 

 2) O vilão Maximus Rex e seus homens animais poderiam ser usados como primeiro grande desafio da Liga?

 

 

 1)  Acho que essa história tem elementos bem interessantes. Uma arena de gladiadores usada como condutor para "arrancar dinheiro dos ricos" para um plano maior é uma coisa interessante. Um dos heróis ser gravemente ferido durante o filme, e retornar para o ato final, mesmo com os seus ferimentos, como acontece com o Flash e o Homem Elástico nesta história é algo bem interessante. Esta história também tem um dos melhores usos da telepatia marinha do Aquaman que eu já vi. Pode haver uma criatura marinha no filme que sofra destino semelhante ao do Homem Baleia na história, mostrando que o Aquaman pode sim ser fodão.

 

223whale.gif

 

  

 

 

   Momento heróis da Liga muito putos ao verem uma transmissão ameaçadora na TV ou um desastre causado pelo vilão do filme.

 

 222end.gif

 

 

 

 

 

E é claro,um plano assim no filme ficaria legal.

 

223end.gif

 

 

 

2) Quanto a Maximus Rex, acredito que ele pode ser um cara preocupado com a raça humana após a invasão do Zod. Ao perceber que somos fisicamente frágeis, e que provavelmente não sobreviveremos ao próximo cataclismo evolutivo, Rex pode acreditar que a chave para a nossa evolução, e consequentemente prevenção contra outras invasões alienígenas, pode ser não desenvolver novas armas, pois elas ó nos destruiriam, mas sim o ser humano evoluir fisicamente, talvez baseando-se até em teorias darwinistas e tudo mais. Inclusive, Rex poderia estar planejando criar esta nova raça, transformando o planeta inteiro. O objetivo de Rex seria até nobre, a sobrevivência da espécie, só que por meios muito tortos.

 

 Então, o que acham?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bem Questão acredito sim que os homens animais de Maximus Rex podem ser o primeiro desafio da Liga,seria na verdade até uma inovação no mundo das adaptações de hqs se o primeiro desafio de uma Equipe de Heróis fossem seres metade humanos metade animais ao invés de alienígenas.Só conheço a Shayera pelo desenho da Liga da Justiça (do antigo Universo DC Animado)e meio que estranhei esse comportamento meio hipócrita dela com relação a Reena,uma pergunta: ela era assim mesmo nos antigos quadrinhos? bom na minha opinião quem deveria desconfiar da Reena e de suas intenções no filme substituindo a Shayera seria o Batman(faz mais sentido pra mim).Sobre esse clube de lutas de Maximus Rex,tava pensando será que não podia ser assim que os heróis descobrissem a existencia dessas criaturas?Tipo assim o Maximus Rex convida membros da elite(ou seja o pessoal rico)para irem até sua empresa ver uma inovação da ciencia que seus cientistas desenvolveram mas quando eles chegam lá eles são intoxicados pela toxina e também se tornam homens animais sendo usados como gladiadores na arena,um desses ricos seria Bruce Wayne que já desconfiaria de tudo e fugiria do prédio antes de poderem administrar a toxina nele ,mas antes de fugir ele estando escondido em um tubo de ventilação veria uma das lutas ocorrendo na arena,depois disso Batman entraria em contato com Superman e eles se reuniriam com os outros heróis após estes serem atacados pelos homens animais em suas respectivas cidades para investigar a situação.O que acha Questão?.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 Acho que isso ficaria melhor lá no tópico do BVS, BIG..

 

ESPECTRO, nas HQs, a Shayera sempre foi meio desconfiada e cabeça quente mesmo.

 

Quanto a arena de gladiadores do Rex ser um dos caminhos que levariam os heróis da Liga a entrar em rota de colisão com a sua organização, acredito que o caminho seja bem esse mesmo ESPECTRO,. Mas eu não usaria o cenário que você descreveu. Acho que os combates de gladiadores promovidos pelo Rex podiam ser uma coisa mais puxada pro mercado negro, onde os ricos são consumidores e não vítimas. Eles pagariam pra assistir essas lutas, em serviços pay per view pirata, ou coisa do gênero. Como se as lutas fossem snuff movies, só uma das fontes de renda de Rex, que diferente das Hqs, não estaria falido. 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pô, esse quadro ficou bom mesmo e tem potencial pra muito mais!

 

O lance do clube secreto para angariar fundos enquanto o povo se diverte é interessante, arena subterrânea etc. (boa hora pra usar referências ao Pantera), assim como o herói ferido que depois volta pro embate final. Não curto personagens metade homem metade animal. Eu sentiria até vergonha alheia disso. Mas já acho interessante híbridos de aparência mais homogênea.

 

Presença da Shayera, aprovada. 

 

Gosto da cultura de uma cidade - imigrantes, costumes... - sendo apresentada em um filme como esse. O submundo é um ótimo motivo, sempre com atenção ao que já feito nos quadrinhos e animações!

 

"Aquaman tenta fazer uma entrada mais furtiva na ilha, mas é atacado" (...) "energia do sol vermelho, que tira Superman da jogada. O homem de aço é crucificado no alto da montanha da ilha. (...) chegam para liberta-lo, Mas Superman era apenas uma isca" (...) "Aquaman lobotomiza, a criatura, a deixando na água em estado catatônico" - boto fé.

 

A proposta das mutações serem pela evolução dos seres, em prol da sobrevivência da vida no planeta (é isso?) tem potencial, mas não acredito que seria adequado para uma sequência, pois voto sempre em algo mais cabrón e orgânico para o primeiro, por conta daqueles pontos que já citei no outro tópico, sobre processo de aceitação do público.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

A proposta das mutações serem pela evolução dos seres, em prol da sobrevivência da vida no planeta (é isso?) tem potencial, 

 

  É sim, PRIMO. :)

 

 

 

 

pois voto sempre em algo mais cabrón e orgânico para o primeiro, por conta daqueles pontos que já citei no outro tópico, sobre processo de aceitação do público.

 

  PRIMO, mas esse "Processo" já não teria sido iniciado com BVS ? Acredito que o processo de aceitação do publico não seria ferido já introduzindo uma história que coloca experiências com mutações genéticas como mais um passo do processo iniciado em MOS.

Share this post


Link to post
Share on other sites

PRIMO, mas esse "Processo" já não teria sido iniciado com BVS ? Acredito que o processo de aceitação do publico não seria ferido já introduzindo uma história que coloca experiências com mutações genéticas como mais um passo do processo iniciado em MOS.

 

Não vejo problema nas mutações genéticas e tal. É mais no resultado delas. Nesse caso, mistura de homem com animal. Mais pra frente, estaria ok. Explico: o processo pode começar em "B v S", sem dúvida. A chave é o ponto do processo em que determinados plots são inseridos. Isso varia de acordo com o plot. No caso de híbridos de homem com animal, creio que precisaria de um tempo a mais, até porque o nome "Liga da Justiça" no título gera automaticamente comparações com o filme "Os Vingadores", e é aí que a Warner precisa ganhar pontos, pois tivemos nesse filme da Disney fortes referências a política, guerra, alienígenas - esse ponto fornece algumas concessões -, e todo um caminho com filme solo que preparou o público. Na comparação, a obra da Warner vai ter que soar tão ou mais sóbria quanto. Tem um ponto que joga a favor desse cenário: a própria intenção da Warner de que seus filmes soem mais sóbrios, sem entrar aqui no mérito do sucesso da proposta.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não vejo problema nas mutações genéticas e tal. É mais no resultado delas. Nesse caso, mistura de homem com animal. Mais pra frente, estaria ok. Explico: o processo pode começar em "B v S", sem dúvida. A chave é o ponto do processo em que determinados plots são inseridos. Isso varia de acordo com o plot. No caso de híbridos de homem com animal, creio que precisaria de um tempo a mais, até porque o nome "Liga da Justiça" no título gera automaticamente comparações com o filme "Os Vingadores", e é aí que a Warner precisa ganhar pontos, pois tivemos nesse filme da Disney fortes referências a política, guerra, alienígenas - esse ponto fornece algumas concessões -, e todo um caminho com filme solo que preparou o público. Na comparação, a obra da Warner vai ter que soar tão ou mais sóbria quanto. Tem um ponto que joga a favor desse cenário: a própria intenção da Warner de que seus filmes soem mais sóbrios, sem entrar aqui no mérito do sucesso da proposta.

 

  PRIMO, mas você não acha que esse "Processo" que você cita, não envolve apenas os filmes do estúdio (no caso, a Warner) mas os filmes do gênero como um todo? Afinal, podemos ter fortes referências a politica, guerra e tudo mais, com uma trama que envolva o cruzamento genético entre homens e animais. Usando a obra de H.G Wells como exemplo, o primeiro filme da super equipe da Marvel seria a "Guerra Dos Mundos" enquanto o primeiro filme de heróis da DC seria o "A Ilha do Dr. Moreau" dos super heróis. Acredito que o publico já provou está apto a aceitar obras de caráter mais fantástico no gênero, menos "sóbrias" positivamente falando, com filmes do gênero envolvendo viagens no tempo (X MEN: DIAS DE UM FUTURO ESQUECIDO) e histórias cósmicas (GUARDIÕES DA GALAXIA).

 

  Não vejo por que uma história envolvendo engenharia genética como "Fonte da Ameaça" não poderia ser tão bem aceita quanto os alienígenas de OS VINGADORES (que detalhe, eram comandados por um deus).

Share this post


Link to post
Share on other sites

  PRIMO, mas você não acha que esse "Processo" que você cita, não envolve apenas os filmes do estúdio (no caso, a Warner) mas os filmes do gênero como um todo?

 

Creio que não. O selo Marvel faz uma diferença muito grande hoje, certo? Acredito que a Warner precisa alcançar um respaldo próximo disso com a DC no cinema. Logo, teria que construir seus produtos tendo em mente uma construção própria em relação a esse aspecto que estamos tratando aqui. Depois, já com o selo, ganharia mais liberdade.

 

Não vejo por que uma história envolvendo engenharia genética como "Fonte da Ameaça" não poderia ser tão bem aceita quanto os alienígenas de OS VINGADORES (que detalhe, eram comandados por um deus).

 

Eu também não vejo. O problema estaria apenas no resultado. Nesse caso, mistura de homem com animal no primeiro filme. Mas, se você estiver se referindo ao lance da mistura homem com animal, eu diria que tem grandes chances de não ter muita explicação. Eu acho suficientemente bobo para macular o primeiro filme, e você acha que não. Acho que não há muita explicação, ou há?

Share this post


Link to post
Share on other sites

É acho que essa pegada da arena de gladiadores existir no mercado negro e com os ricos como consumidores soa mais interessante que a minha primeira proposta dos ricos serem as vítimas.Vou desenvolver um cenário pra essa proposta então:Maximus Rex é um dos convidados para um evento beneficente na Wayne Enterprises ,enquanto Bruce Wayne está lá fazendo a sua imagem de playboy de bem com a vida e tal ele acaba ouvindo a conversa de Rex com outros dois convidados ricos, e eles falam a Rex que não podem esperar para a próxima luta na arena ficando intrigado com isso Bruce se aproxima e com a sua imagem de playboy facilmente recebe dois convites de Rex que antes de ir embora fala que ele tem que pagar quando chegar na arena.Mais tarde na Batcaverna, Batman comenta com Alfred que está intrigado porque em todo o país o número de desaparecidos cresceu bastante nesse ano e ele suspeita que existe uma ligação de Rex com isso ,o outro convidado de Bruce não é outro senão Clark Kent que ao chegarem na arena ficam chocados com o que veem ,a partir disso Batman e Superman entrariam em contato com os outros heróis para os ajudar a desmantelarem esse esquema no mercado negro.A Mulher-Leopardo inimiga da Mulher Maravilha seria introduzida nesse filme como uma das cientistas de Rex que permitiu o desenvolvimento disso tudo.Primo,acho que a explicação para a mistura de homem e animal seria o uso de alguma bio-engenharia genética desenvolvida pelos cientistas de Rex,não tenho ideia de como eles vão desenvolver isso sei la uma ideia seria que Rex contratou alguém para se infiltrar no CADMUS(vamos dizer que Rex sabe da existencia do CADMUS porque seu pai trabalhou lá e lhe contou tudo sobre a organização) como segurança para encontrar algum dispositivo que ajudasse a fortalecer a espécie humana para poder lutar contra ataques a Terra, e esse alguém conseguiu furtivamente roubar um aparelho alienígena que fala sobre mistura de espécies e a partir disso os cientistas de Rex conseguiram desenvolver essa bio-engenharia genética com base nos dados que estavam no aparelho alienígena após fazerem a tradução mas Rex achando que ainda vai demorar antes que a Terra seja atacada novamente decide usar isso pra ganho próprio e faz a arena de gladiadores no mercado negro e contrata alguém para sequestrar pessoas que vão se transformar em seres metade humano e metade animal.Então,o que acham dessa ideia?.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Creio que não. O selo Marvel faz uma diferença muito grande hoje, certo? Acredito que a Warner precisa alcançar um respaldo próximo disso com a DC no cinema. Logo, teria que construir seus produtos tendo em mente uma construção própria em relação a esse aspecto que estamos tratando aqui. Depois, já com o selo, ganharia mais liberdade.

 

  Mas você acha que a "evolução externa" realmente não influência em nada? Acredito que os sucessos da Marvel possibilitam que a DC siga um caminho mais acelerado na aceitação de elementos mais fantásticos perante o publico. O selo Marvel é importante sim, mas as críticas especializadas e o boca boca independem disso. Se o produto for bom, o fato de ser a Marvel que fez ou não perde a relevância neste segundo momento.

 

 

 

Eu também não vejo. O problema estaria apenas no resultado. Nesse caso, mistura de homem com animal no primeiro filme. Mas, se você estiver se referindo ao lance da mistura homem com animal, eu diria que tem grandes chances de não ter muita explicação. Eu acho suficientemente bobo para macular o primeiro filme, e você acha que não. Acho que não há muita explicação, ou há?

 

  Mas precisa de muita explicação? As pessoas não sentem falta de uma grande explicação do por que Peter Parker começa a soltar teias pelo pulso em HOMEM ARANHA, certo? Ou por que cada mutante tem um poder completamente diferente um do outro na franquia "X: Men".Basta mostrar um pouco do processo de engenharia genética desenvolvido pelo Rex e era isso. Quanto ao tema ser bobo, depende de como é feito, PRIMO. Você acha A MOSCA do Cronenberg bobo? Pois acredito que a grande maioria das pessoas não ache. Tudo depende da forma como se faz. Acho que o risco pode sim valer a pena.

 

 ESPECTRO, gosto da sua ideia da Mulher Leopardo ser introduzida neste filme para depois ser mais desenvolvida em um filme solo da Mulher Maravilha. Acho que só temos que ter cuidado nessa sua ideia com alguns estereótipos e conveniências da trama, como o fato do Batman ligar os desaparecimentos ao Rex.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Na verdade Questão,o Batman suspeitaria do envolvimento do Rex com os desaparecimentos ele não ligaria os desaparecimentos ao Rex de imediato mas pensaria nessa hipótese por causa do que ouviu sobre uma luta na arena(ele não é O Melhor Detetive do Mundo á toa)ele pensaria que pode ter uma ligação do Rex com isso tudo seria uma hipótese, e ele veria que essa hipótese estava certa após ir até lá com o Superman em suas identidades civis.

Share this post


Link to post
Share on other sites

O selo Marvel é importante sim, mas as críticas especializadas e o boca boca independem disso. Se o produto for bom, o fato de ser a Marvel que fez ou não perde a relevância neste segundo momento.

 

Mas eu me refiro aos efeitos que impactam no "primeiro momento", apenas. Sobre a evolução externa: impacta, sim, e de modo forte em alguns pontos. Em alguns pontos, não. E em outros, pouco.

 

Mas precisa de muita explicação?

 

Aqui peço desculpas, Espectro e Questão. Eu me expressei mal na postagem anterior. Quis dizer explicação por parte de cada um para considerar bobo ou não determinado plot. Isso porque essa posição me parecia algo pessoal. Mas, pensando melhor agora, é assunto discutível, sim.

 

 

Quanto ao tema ser bobo, depende de como é feito, PRIMO. Você acha A MOSCA do Cronenberg bobo? Pois acredito que a grande maioria das pessoas não ache. Tudo depende da forma como se faz. Acho que o risco pode sim valer a pena.

 

Não é o tema, mas o resultado disso no processo pelo qual a DC / Warner passa. No contexto abordado por Cronenberg, há uma dedicação em relação ao processo e o repasse de um conceito próprio gradativo e conceitual, um luxo do qual um primeiro filme de equipe super-herói não dispõe, por conta até mesmo das barreiras que esse tipo de filme encontra em parte do público. Um primeiro filme da Liga com seres que são metade homem - metade animal teria um grande público? Sem dúvida teria, sim. Mas estou abordando os resultados para o processo de respaldo e formação de público defensor fiel do selo DC. É um risco? Sim. Desnecessário, na minha visão, já que poderia ficar para uma sequência, depois do peixe fisgado. É pq eu fico pensando da seguinte forma: se, nesse contexto de super-herói, soaria bobo pra mim, que sou fã de HQ, imagina a chance de ser para boa parte do público civil? Precisaria de mais tempo para amaciar a carne.

Share this post


Link to post
Share on other sites

  Mas mesmo assim ESPECTRO, um numero gigante de desaparecimentos me parece um pouco forçado como forma de envolver o Batman. Acredito que seria melhor se ele estivesse investigando desaparecimentos em uma determinada região de Gotham ao invés de desaparecimentos no país todo. O envolvimento do Superman também poderia se dar de outra forma, talvez com ele tendo enfrentado uma das criaturas bestiais, que roubava alguma fórmula dos Laboratórios Star necessária para o avanço da pesquisa do Rex.

 

 

Mas eu me refiro aos efeitos que impactam no "primeiro momento", apenas. Sobre a evolução externa: impacta, sim, e de modo forte em alguns pontos. Em alguns pontos, não. E em outros, pouco.

 

 Mas acredito que a influência de outros estúdios impacte sim na aceitação prévia do publico que culmina no primeiro momento. O trabalho da Marvel Studios nos últimos anos, permite ao meu ver que a DC/Warner possa seguir um ritmo mais acelerado no crescendo de sua ousadia narrativa no que diz respeito aos elementos fantásticos. E ai entra o marketing do filme. Pegando GUARDIÕES DA GALAXIA como exemplo, claro que o selo Marvel fez muita diferença, mas não foi só isso. Quando se falava de um filme sobre um guaxinim espacial com um trabuco, todo mundo torcia o nariz. Mas bastaram vir os primeiros trailers em uma campanha de marketing eficiente e honesta para as pessoas se sentirem mais confortáveis, o que rendeu a GUARDIÕES a 2ª maior abertura da fase 2 da Marvel, superando personagens já aprovados como Thor e Capitão América em seus filmes dois. 

 

  Isso não se deve apenas ao "Selo Marvel", pois uma boa parte do publico não faz ideia de qual estúdio produziu aquele filme (as mesmas pessoas que perguntavam por que o Batman e o Homem Aranha não participaram de OS VINGADORES :D ). Então, acho que o "Amaciamento da Carne" que a Marvel fez não se limita apenas aos seus produtos, mas ao subgênero como um todo.

 

 

 

 Um primeiro filme da Liga com seres que são metade homem - metade animal teria um grande público? Sem dúvida teria, sim. Mas estou abordando os resultados para o processo de respaldo e formação de público defensor fiel do selo DC. 

 

  

  Você esta dizendo que o filme perderia credibilidade pelo simples uso do tema da engenharia genética de cruzamento das espécies? Mas se o filme for bom, por que ele perderia credibilidade. Afinal, um filme bom com uma ameaça alienígena é tão bom quanto um filme com uma ameaça sobrenatural, que é tão bom quanto um filme envolvendo cruzamento entre espécies através de engenharia genética que estamos discutindo aqui.

 

 É pq eu fico pensando da seguinte forma: se, nesse contexto de super-herói, soaria bobo pra mim, que sou fã de HQ, imagina a chance de ser para boa parte do público civil? Precisaria de mais tempo para amaciar a carne.

 

  Aqui volto a usar GUARDIÕES DA GALAXIA como exemplo. Primeiro sobre aquele fator que já respondi, que nos últimos anos, a Marvel Studios não vem "Amaciando a Carne" sobre temas de elementos fantásticos apenas para si mesma, mas para todo o subgênero. Afinal, mutos que achavam um guaxinim com um trabuco bobo, deixaram de achar após.ver os trailers (e muitos nem se ligaram no selo Marvel).

 

  Tem também o fator atrativo (e aqui troco o termo bobo usado por você pelo termo inusitado) pode gerar. Isso também fez parte do atrativo que gerou o sucesso de GUARDIÕES DA GALAXIA, assim como no passado a inusitada reunião de personagens de filmes diferentes em VINGADORES gerou o mesmo interesse. Já vimos invasões alienígenas, e despostas humanos com planos conspiratórios dentro do gênero. Isso não é inusitado. Estes são temas que poderiam ser tratados de um novo angulo? Sem duvida, e eu não seria contra. Mas a ameaça de seres modificados através de cruzamentos genéticos gera curiosidade instantânea. Se o design das criaturas fosse bem feito, representando tais criaturas como ameaças reais para os heróis da Liga da justiça, aonde estaria a mácula que o tema poderia causar?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Repare que o assunto aqui não é qualidade da obra, Questão, e nem passa por isso a avaliação proposta, que é voltada para fidelização: fazer aquele camarada escolher este ao invés daquele (às vezes, antes mesmo de assistir) e ter estímulo para defender sua escolha.

 

Eu também acredito que os demais estúdios que fazem adaptação de quadrinhos recebem impacto positivo de aceitação, mas o nível é outro. Afinal, por mais que uma parte do público não preste atenção no selo Marvel e seus desdobramentos midiáticos, temos esse mesmo público sendo afetado indiretamente: o público ciente bomba a bilheteria e sai divulgando, falando bem. 

 

Os poucos textos que li sobre recepção desconfiada à proposta de um filme com guaxinim de trabuco vinham do próprio público nerd. Para o público civil, bastava ser convencido, na maioria dos casos, de que seria divertido. O risco para a construção do universo Marvel é minimizado pelo fato dos Guardiões da Galáxia serem um grupo desconhecido, sem os medalhões da casa, e já ter uma proposta mais descolada nos próprios quadrinhos.

 

Com os Guardiões, o público era uma tela em branco, de certa forma: não tínhamos o "Porra, o que fizeram com o Batman?" ou o "Ah, de novo esse escoteiro chato stalker de capa vermelha e cabelo lambido? ou "Hahhaha Mulher Maravilha, aquela de decote e calçolão de estrela que roda e se transforma?". Com o Capitão América, por exemplo, foi feito todo um trabalho de convencimento no cinema, para que o público deixasse gradativamente de torcer o nariz pro Steve. Eu e uma penca de amigos estamos nesse time. Falávamos mal do cara, e hoje, você já sabe.

 

No caso dos nossos seres metade animal metade homem aqui, o marketing bem feito faria muito diferença, sem dúvida, mas, se o contexto e o produto for mais difícil, o risco é maior, principalmente por estarmos lidando com o carro chefe da DC. Superman e cia serão a base da construção que a Warner precisa fazer. Não é hora de um risco (eu considero) como esse.

 

X-Men chegou há anos no cinema e contribuiu para tudo que veio depois, e mesmo assim, a Disney escolheu levar o Capitão, base do que está por vir, para um caminho ainda mais pé no chão do que aquele que Singer seguiu. Até mesmo o uniforme bandeiroso lá tinha uma explicação, caso parte do público precisasse, claro. E, pra mim, uma parte precisava, sim.

 

Se bem feito, a mácula fica mais distante, sim, mas tenho convicção de que é um risco estratégico do qual a Warner precisa, inteligentemente, escapar.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Repare que o assunto aqui não é qualidade da obra, Questão

 

 Mas não é algo que pode ser eliminado da equação, certo? Pois você esta se referindo de risco de "mácula' da franquia. Ora, se o filme é bom e bem aceito, independente se os heróis enfrentam híbridos de animais ou ameaças alienígenas, a franquia não é maculada, não concorda?

 

  

 

 O risco para a construção do universo Marvel é minimizado pelo fato dos Guardiões da Galáxia serem um grupo desconhecido, sem os medalhões da casa, e já ter uma proposta mais descolada nos próprios quadrinhos.

 

  Mas existe também o polo inverso, certo? O fato do filme conter heróis mais conhecidos e aclamados como Superman e Batman faz com que o publico "pague pra ver" e se o projeto tem qualidade e uma campanha de marketing bem pensado, o boca a boca faz o resto.

 

  

 

 

Com os Guardiões, o público era uma tela em branco, de certa forma: não tínhamos o "Porra, o que fizeram com o Batman?"

 

 Esse é um efeito que existe em dois momentos, pré e pós lançamento. No Pré lançamento, ele é praticamente inócuo, pois é o Batman, e mesmo que o publico ache estranho em um primeiro momento o novo projeto em que o herói esta envolvido, a "primeira onda" vai conferir. Com o bom projeto de marketing, o "Porra, o que fizeram com o Batman" pode desaparecer antes mesmo do lançamento. E se o filme for bom, o boca a boca fara o resto, e o "Porra, o que fizeram com o Batman" não acontece no pós lançamento, livrando o filme de danos.

 

 

 

No caso dos nossos seres metade animal metade homem aqui, o marketing bem feito faria muito diferença, sem dúvida, mas, se o contexto e o produto for mais difícil, o risco é maior, principalmente por estarmos lidando com o carro chefe da DC. Superman e cia serão a base da construção que a Warner precisa fazer. Não é hora de um risco (eu considero) como esse.

 

  PRIMO, talvez risco seja exatamente o que a DC/Warner precise em seu carro chefe. Talvez essa seja exatamente a hora de um risco como esse. Se a DC/Warner quer enfrentar a Marvel e a Fox no mercado de igual para igual, ela vai ter que dar uma acelerada. Ela não vai poder seguir o "ritmo gradual de convencimento" que as outras usaram, por que esse tempo já passou. As concorrentes já estão muito na frente. Não que a DC/Warner deva sair atropelando tudo, mas eles vão ter que ter um ritmo mais acelerado na "introdução do fantástico" em seu universo, e digo que o publico já esta preparado para isso, por aquilo que disse antes. O trabalho que a Marvel fez de convencer o publico que as "coisas de HQ"  como deuses e guaxinins de trabuco podem perfeitamente ser levadas ao cinema não se limita aos projetos do estúdio. Claro que o impacto dentro do próprio estúdio é bem maior, mas não se deve subestimar esta influência dentro do próprio subgênero dos super heróis.

 

 Então discordando de você, uma proposta mais ousada talvez seja o que a Liga da Justiça precise para se distanciar dos Vingadores, por exemplo. Nossos seres animais híbridos se encaixam nessa proposta de ousadia, que acredito poderia não ser vista como boba e sim inusitada (e nem por isso leve e descolada, e volto aqui a citar A MOSCA do Cronenberg, que não era leve e descolado). A própria reunião dos pesos pesados Superman, Batman e Mulher Maravilha ao meu ver já garante certa segurança que permite ao estúdio tentar algo mais ousado como essa temática dos seres híbridos.

 

  

 

 

X-Men chegou há anos no cinema e contribuiu para tudo que veio depois, e mesmo assim, a Disney escolheu levar o Capitão, base do que está por vir, para um caminho ainda mais pé no chão do que aquele que Singer seguiu. Até mesmo o uniforme bandeiroso lá tinha uma explicação, caso parte do público precisasse, claro. E, pra mim, uma parte precisava, sim.

 

 

  Discordo, PRIMO. O primeiro Capitão América era quase Spielbergniano, inspirado pelos filmes da franquia "Indiana Jones" e um production designer que remetia as ficções científicas dos anos 30. Algo totalmente agarrado no fantástico. O uniforme do herói sim que foi transformado em algo funcional e aceitável visualmente, algo que se tem que fazer de qualquer forma, seja a sua trama fantasiosa ou hiper realista. Acho que guarda as devias proporções, os X men do Singer eram bem mais pé no chão do que o primeiro filme do Capitão América (que eu gosto pra caramba), Já WINTER SOLDIER sim foi por uma vibe mais pé no chão que os filmes do Singer, mas era outro momento.

 

  

 

 

Se bem feito, a mácula fica mais distante, sim, mas tenho convicção de que é um risco estratégico do qual a Warner precisa, inteligentemente, escapar.

 

  Sobre a questão do risco, já coloquei meu argumento acima. Mas sobre a questão da mácula eu não entendo uma coisa. Se bem feito, não é que a mácula fique mais distante. Se bem feito, simplesmente não existe mácula, não é?

Share this post


Link to post
Share on other sites

se o filme é bom e bem aceito, independente se os heróis enfrentam híbridos de animais ou ameaças alienígenas, a franquia não é maculada, não concorda? (...) se o projeto tem qualidade e uma campanha de marketing bem pensado, o boca a boca faz o resto (...) e o "Porra, o que fizeram com o Batman" não acontece no pós lançamento, livrando o filme de danos

 

Depende da mácula. No caso que defendo aqui, a mácula seria o possível prejuízo no processo de fidelização. Supomos que eu tenha na mão dois filmes bons sobre o mesmo personagem. Um deles segue o tom mais adequado para a fidelização, o outro, não. Eu escolho a primeira opção.

 

Talvez essa seja exatamente a hora de um risco como esse. Se a DC/Warner quer enfrentar a Marvel e a Fox no mercado de igual para igual, ela vai ter que dar uma acelerada. Ela não vai poder seguir o "ritmo gradual de convencimento" que as outras usaram, por que esse tempo já passou. (...) A própria reunião dos pesos pesados Superman, Batman e Mulher Maravilha ao meu ver já garante certa segurança que permite ao estúdio tentar algo mais ousado como essa temática dos seres híbridos.

 

Discordo, Questão. Se compararmos ao processo que a Disney segue, a Warner já está acelerando (leia-se "Batman v Superman"). Mais um motivo para apertar o freio em outros pontos, para que a carroça não entre na frente dos bois. A estratégia não pode ser afetada em detrimento da pressa, até porque grana a Warner vai ganhar. Precisa se preocupar também em não perder, na comparação com o potencial. Na minha sempre humilde opinião, esse tipo de ousadia citado por você seria furada agora por parte da Warner. Ela precisa ser ousada em enquadramentos, diálogos, forma como decide usar seus melhores conceitos e, principalmente, na contratação de gente gabaritada, para chamar a atenção do público de modo positivo e atender às expectativas criadas. A Disney deve estar torcendo para a Warner acelerar mesmo, como, por exemplo, enfiar quatro seriados de qualidade média (sim, qualidade é algo subjetivo, mas não me refiro a isso aqui) na TV para ganhar uma grana da garotada, enquanto os produtos com personagens da editora Marvel continuam sendo muito bem planejados.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Depende da mácula. No caso que defendo aqui, a mácula seria o possível prejuízo no processo de fidelização. Supomos que eu tenha na mão dois filmes bons sobre o mesmo personagem. Um deles segue o tom mais adequado para a fidelização, o outro, não. Eu escolho a primeira opção.muito bem planejados.

 

  Processo de fidelização? Mas se o publico gostar do filme, a fidelização estará garantida. E você fala de tom, quando estamos discutindo elementos. Não existe um tom adequado para a fidelização, sempre se perde alguém no caminho. Vamos pegar dois bem populares, TDK e OS VINGADORES. Tem gente que reclama que TDK é um filme que se leva a sério demais, e aponta o desempenho do Ledger como único responsável pelo sucesso do filme justamente por ele supostamente fugir do "Excesso de seriedade" do filme, que é muitas vezes acusado de pretensioso pseudo intelectual. No outro polo, parte do publico acusa OS VINGADORES de ser um filme que não sabe se levar a sério devido ao seu suposto excesso de piadas, apontando o filme pejorativamente como "material feito pra criancinhas".

 

  Sei que você esta falando aqui de aumentar o máximo possível o potencial de fidelização. Mas pra mim isso tem muito mais a ver com o tom do que com os elementos que você usa. Você pode fazer um filme com uma ameaça alienígena absolutamente bobo e negativamente caricato , e pode fazer um filme com seres híbridos de animais absolutamente sério e cheio de significados.

 

  Então mesmo odiando me repetir, volto a afirmar que se o filme for bom com sua trama de seres híbridos de animais, não existe mácula alguma. Afinal, a fidelização da qual você fala é obtida depois do filme, e não antes.

 

  

 

 

 A estratégia não pode ser afetada em detrimento da pressa, até porque grana a Warner vai ganhar. 

 

 Nunca sugeri isso. Estou falando de ousadia e velocidade de ação, não de pressa.

  

POSTADO POR PRIMO: Na minha sempre humilde opinião, esse tipo de ousadia citado por você seria furada agora por parte da Warner. Ela precisa ser ousada em enquadramentos, diálogos, forma como decide usar seus melhores conceitos e, principalmente, na contratação de gente gabaritada, para chamar a atenção do público de modo positivo e atender às expectativas criadas.

 

  Por que? A Warner tem só reagido nos últimos anos (algumas vezes, muito mal). A DC ficava só na zona segura do Batman e do Superman, foi lá a Marvel e botou um personagem mais desconhecido como o Homem de Ferro na linha de frente. A DC tentou reagir com o Lanterna Verde, e bem... Tragédia. Todo mundo achava loucura colocar heróis com universos próprios atuando juntos no mesmo filme. Foi lá a Marvel com OS VINGADORES, a DC tá reagindo com BATMAN VS SUPERMAN, colocando uma penca de heróis no mesmo filme. De um modo diferente, mas aos olhos do público em primeira instância, é a mesma coisa. A Marvel foi lá, arriscou pegando um monte de personagem obscuro fora da lei como os Guardiões da Galaxia, a DC reage com o Esquadrão Suicida, o seu próprio grupo de personagens obscuros foras da lei.

 

  Uma Ação da Warner é muito importante neste momento, algo que se veja antes da estréia do filme, o que não inclui enquadramentos ou diálogos que só são apreciados totalmente depois. Esse "chamariz narrativo", que você esta apontando como algo negativo poderia ser na verdade algo bastante positivo desde que bem explorado. Não vejo onde estaria a furada da Warner em fazer isso. Afinal, o subgênero super herói permite isso. E a Marvel não vai diminuir o ritmo agora, pelo contrário. Não estou sugerindo que a DC seja descuidada, mas ela tem que ser rápida. Tem que largar a reação e ir pra ação. Fazer isso logo no primeiro filme pode ser um chamariz e tanto.

 

  

 

 A Disney deve estar torcendo para a Warner acelerar mesmo, como, por exemplo, enfiar quatro seriados de qualidade média (sim, qualidade é algo subjetivo, mas não me refiro a isso aqui) na TV para ganhar uma grana da garotada, enquanto os produtos com personagens da editora Marvel continuam sendo muito bem planejados.

 

   Mas então a que você se refere aqui, PRIMO? Por que nesse caso eu não acho que tenha alguma coisa a ver com pressa. A DC simplesmente pode trabalhar mais rápido que a Marvel na TV. Por insistir em manter um universo coeso (o que eu acho louvável) o ritmo de produção inevitavelmente caí, Já nas séries da DC, os produtores de GOTHAM na Fox não tem que se preocupar com o que os produtores de ARROW no CW estão fazendo, que por sua vez não tem que se preocupar com o que os produtores CONSTANTINE estão fazendo na NBC, que não tem que se preocupar com o que tá rolando no cinema, e assim por diante.

 

  Então acho que seu exemplo das séries não foi o mais adequado. Até por que, na minha humilde opinião, AGENTS OF SHIELD tá no mesmo nível de ARROW e FLASH,  e abaixo de GOTHAM. Mas verdade seja dita, AGENT CARTER leva a mão superior. Mas ai já é Off Topic, pois como disse antes, não acho que o exemplo das séries se encaixe nessa discussão

Share this post


Link to post
Share on other sites

 Não manteria, PRIMO. Por que era algo que o publico já vinha reclamando há tempos, tanto que até nas HQs a sunga havia sido eliminada. Fora que ela já havia passado por um teste em SUPERMAN RETURNS, que foi um (dos vários) motivos que levaram o filme ao fracasso.

 

 Bem, como já faz um tempo que não faço isso, gostaria de sugerir a análise de mais um arco da Liga da Justiça. Desta vez trata-se de O TRONO DE ATLÂNTIDA, escrito por Geoff Johns e desenhado por Ivan Reis, e recentemente adaptado em um longa animado.

 

 300px-Aquaman_Vol_7_14.jpg

 

 

 

300px-Justice_League_Vol_2_15.jpg

 

 

 

300px-Aquaman_Vol_7_15.jpg

 

 

 

300px-Justice_League_Vol_2_16.jpg

 

 

 

300px-Aquaman_Vol_7_16.jpg

 

 

 

300px-Justice_League_Vol_2_17.jpg

 

 

 

300px-Aquaman_Vol_7_17.jpg

 

 

 

   A trama tem início com um flashback de 1820, onde um navio baleeiro tira um casal do mar. Mas ao invés de agradece-los, o casal os ataca, e acaba sendo morto pelos marinheiros. Este casal eram simplesmente o rei e a rainha de Atlântida, e quando os marinheiros se dão conta, vêem o exército atlante boiando na água, aproximando-se ameaçadoramente de seu navio. Nos dias atuais, Aquaman se encontra com seu irmão Orm na carcaça submersa deste mesmo navio. Arthur conta ao meio irmão o recente confronto que teve com o vilão Arraia Negra, e como ele o impediu de usar o cetro do Rei Morto para convocar as criaturas abissais. Orm nega qualquer envolvimento com o incidente, ou intenção de atacar o povo da superfície, embora declare a sua desconfiança deles e lamente o tempo que o irmão passe com eles. Pouco tempo depois, uma figura misteriosa usando o cetro do Rei Morto vai até o fundo do Oceano Atlântico, libertando as criaturas abissais de sua prisão.

 

 

   Dias depois, durante um exercício, um navio de guerra da marinha perde o controle de seu sistema bélico, disparando uma série de misseis no mar. Em Metropolis, Clark Kent e Diana desfrutam de um encontro, em seu recém iniciado relacionamento, que eles mantem em segredo de seus colegas. Diana está impressionada como um simples par de óculos realmente é capaz de lhe manter incógnita, da mesma forma que ocorre com Clark. Em Gotham City, Batman lida com uma situação com reféns que tentam fugir em uma lancha, quando recebe o auxílio do Aquaman. O Argus pediu o auxílio da Liga sobre o recente incidente com o navio, e Arthur avisa ao Batman que consequências podem ocorrer, pois Cyborg lhe mostrou as coordenadas do impacto do míssil, que é simplesmente Atlântida. Repentinamente, Arthur começa a sentir os animais marinhos se afastarem da baía de Gotham.

 

  Em Metropolis, o encontro de Clark e Diana é interrompido quando um enorme tsunami atinge a cidade, matando milhares de pessoas. Entrando em ação, Superman e Mulher Maravilha fazem tudo o que podem pra salvar o maior numero de vidas possíveis, inclusive impedindo que um porta aviões cause ainda mais estrago. Enquanto cobre o incidente com Jimmy Olsen, Lois Lane cai na forte correnteza, mas é salva pelo atlante Vulko, que parecendo exausto, desmaia nos braços da repórter, clamando que Arthur deve retomar o trono de Atlântida, ou milhões vão morrer. O Cyborg, de plantão no monitor da Torre da Liga, informa sobre o incidente em Metropolis, e alerta Aquaman e Batman sobre o fato, além de avisa-los que um outro tsunami se dirige para Gotham. Aquaman informa o morcego que isso significa que Atlântida declarou guerra a superfície, e puseram em prática os planos de guerra.

 

  Há pouco tempo para a evacuação, e o tsunami atinge Gotham, Batman e Aquaman fazem o que podem para resgatar o máximo de pessoas possíveis, sem poder contar com a ajuda de Superman e Diana, ocupados em Metropolis. Gotham acaba recebendo o auxílio de Mera, que força os seus poderes de hidrocinese ao limite, para tentar escoar da cidade o máximo de água que consegue. Em Metrópolis, Superman e Mulher Maravilha ajudam Lois e Jimmy a acudir Vulko. Usando a visão de raio x, Clark informa os outros tratar-se de um atlante. Vulko reafirma a importância de ver Arthur para acabar com a carnificina.

 

  Em Gotham, com a situação um pouco mais controlada, Aquaman e Batman sobrevoam a cidade na Batnave. Aquaman diz que haverá um terceiro e mais devastador Tsunami, e que nesta cidade, os atlantes farão um ataque por terra. Questionado por Bruce sobre como sabe tanto sobre os planos de guerra atlante, Aquaman confessa que os escreveu juntamente com Orm durante o breve período em que governou Atlântida após a morte de sua mãe Atlana., De repente, a Batnave é abatida. Os dois heróis sobrevivem a queda, e derrotam os soldados atlantes que tentaram mata-lo. Arthur esclarece que Batman era o alvo e não ele, pois mesmo antes da formação da Liga da Justiça e de conhecer o morcego, Arthur o viu como uma possível ameaça. Perguntado se os planos previam outros alvos individuais antes do grande ataque, Arthur revela que há só mais um, o Dr. Stephen Shin, que revelou a Arthur sua verdadeira origem, e foi desacreditado a vida inteira pela comunidade científica por suas teorias sobre Atlântida.

 

  De volta a Torre de Vigilância, a Liga se reagrupa. Vulko, que foi levado para a Torre insiste que Arthur deve reassumir o trono. Cyborg detecta um grande objeto se aproximando pela água na costa de Boston, e Aquaman deduz que é lá que os atlantes devem fazer o seu ataque definitivo. Cyborg é enviado para proteger o Dr. Shin em Mercy Reef, enquanto os outros heróis deliberam sobre a proteção de Boston. Todos querem que Orm seja levado a justiça pelas mortes ocorridas em Metropolis e Gotham, mas Arthur lembra que estão tratando com o líder de uma nação, e não com um super vilão. Ele pede aos colegas uma chance de falar com o seu irmão para que ele cesse os ataques.

 

  Em Boston, o submarino de Orm emerge, sendo confrontado pelo Aquaman. Arthur diz que o ataque a Atlântida não foi ordenado por nenhum governo da superfície, e que a guerra é um erro. Aquaman pede ao irmão tempo para que a Liga da Justiça possa encontrar o culpado, mas Orm diz que a superfície deve pagar pelo sangue atlante derramado, e que antes do fim do dia, a cidade de Boston estaria submersa. A trindade aparece, disposta a levar Orm sob custódia, mas Aquaman se põe entre os amigos e o irmão. Uma luta entre Aquaman e a trindade começa, com Orm e soldados atlantes auxiliando o irmão. Câmeras da imprensa registram tudo, e passam a ventilar a informação de que Aquaman se juntou ao ataque atlante. Na sede do Argus (versão novos 52 do Cadmus), os cientistas tentam encontrar uma forma de combater a ameaça atlante, mas projetos como os Homens metálicos do Prof. Magnus, ou a reativação do robô Amazo do Prof. Ivo são colocadas fora de questão.

 

 Quando Aquaman impede que Orm desfira um golpe mortal na Mulher Maravilha, Orm declara o irmão um traidor. Ele derruba todos os heróis com o seu tridente, e isolando-os em vagens atlantes, os condena a morte, banindo os quatro para as fossas abissais. Acompanhando tudo isso do satélite da Liga, pra onde levou o Dr. Shin, Cyborg emite um chamado para um grupo de heróis que estavam sendo considerados como recrutas da Liga para que eles defendam Boston. Shazam, Elektron, Gavião Negro, Nuclear, Canário Negro e Mulher Elemental respondem o chamado.

 

 Nos Laboratórios S.T.A.R, Cyborg pede ao seu pai que o submeta a um upgrade que permita que ele sobreviva á grandes profundidades embaixo d',agua, o que significa sacrificar o pulmão que lhe sobrou. Enquanto entra em off-line, Vitor deixa rodando um programa para reconstituir as imagens de vídeo do navio americano que atacou Atlântida, e assim encontrar o responsável por começar a guerra. 

 

  Nas fossas abissais, Aquaman liberta-se de sua vagem. Ele encontra a vagem de Batman, que se mantém consciente graças ao uso de um respiradouro. Usando emissores supersônicos, os dois conseguem estabelecer algum tipo de comunicação, e tentam encontrar os dois companheiros restantes. Subitamente, Aquaman é atacado por um grupo de criaturas abissais, mas consegue matar todos eles. Indagando-se que não deveria haver tantas, Arthur considera a hipótese do próprio Orm ter começado a guerra, e libertado as criaturas com o cetro do Rei Morto, afinal, só assim ele poderia afundar Boston como prometeu.

 

  Enquanto isso, os reservas da Liga, liderados pelo Gavião Negro, formam a principal linha de defesa de Boston contra o ataque atlante. Orm ordena aos seus soldados que os detonadores sejam plantados nos pontos sísmicos da cidade.

 

  Nas Fossas Abissais, Aquaman e Batman mergulham mais profundamente. Eles encontram as vagens de Superman e Mulher Maravilha, que estão paralisados por terem respirado demais o ar das vagens. Os dois estão prestes a serem devorados por seres abissais, quando Aquaman intervém. Entretanto, eles são muitos para o rei dos mares. Repentinamente, Cyborg e Mera teleportam-se para lá, auxiliando Aquaman na batalha, e escapando com todos os seus amigos. Enquanto isso, Boston é atacada por seres abissais, que agridem tanto humanos quanto atlantes. Orm parece confuso pela presença das criaturas ali. 

 

 O time principal da Liga, juntamente com Mera, chega a Boston, e une-se aos outros na defesa da cidade. Arthur conclui que Orm não esta de posse do Cetro do Rei Morto, pois caso estivesse, não precisaria plantar os detonadores. Na Torre de Vigia, Vulko esbraveja contra Shin sobre como ele traiu Arthur ao tentar expo-lo ao mundo como um atlante, enquanto ele, Vulko, se manteve fiel a Arthur, o verdadeiro rei de Atlântida, o que lhe valeu o exílio. Em Boston, Cyborg enfim consegue ver as imagens internas do navio, ao mesmo tempo em que Vulko espanca Shin com o cetro do Rei Morto, revelando que foi Vulko quem começou a guerra e libertou os seres abissais.

 

  Enquanto os heróis da Liga concentram-se em desarmar as bombas atlantes, Arthur confrontou Orm e ordenou que ele desligasse os detonadores, mas Orm disse que não poderia nem se quisesse. Arthur então desafia Orm pela coroa de Atlântida e um duelo se inicia. Flash e Capitão Marvel conseguem se livrar de um dos detonadores, enquanto Superman e Mulher Maravilha se livram do segundo. Batman e Cyborg inicialmente falha com o terceiro, mas descobrem que ele foi desligado por Elektron.

 

 Arthur derrota Orm, sendo reconhecido como o novo Rei de Atlântida. Ele ordena que seus súditos lutem contra os seres abissais, ordem atendida até mesmo por Orm. Entretanto, as criaturas recuam de volta para a água, e Vulko surge, e entrega o cetro do Rei Morto a Arthur. Indignado, Aquaman soca Vulko por sua traição, e ordena que ele seja preso, para ser julgado por seus crimes em Atlântida. Arthur também declara que por não contar mais com a proteção do trono, e ter ignorado o primeiro passo dos Planos de Guerra atlante que era o tiro de aviso, Orm permanecera na superfície para ser julgado pela lei americana, país este que agrediu. Orm implora ao irmão para não condena-lo a tal destino, pois ficar preso na superfície é seu pior pesadelo, mas Arthur se mantém irredutível, vendo isso como algo vital para tentar manter a abalada paz entre Atlântida e o povo da superfície. Assim, o exército atlante se retira de Boston, liderado pelo Aquaman, enquanto Orm fica sob custódia dos membros remanescentes da Liga.

 

  No epílogo da história, Superman e Diana se encontram em Washington, deliberando se não devem contar aos membros restantes da Liga que estão juntos, afinal, eles merecem saber que dois dos seres mais poderosos da Terra estão juntos. Clark a convence em manter a vida pessoal dos dois entre os dois por enquanto. O que eles não sabem, é que um satélite espião os observa, e um pensativo Batman espiona o casal. Em Moscou, Amanda Waller e Aquaman se encontram em "território neutro", Waller avisa que apesar da entrega de um "bode expiatório" ter acalmado um pouco o governo, a vigilância do Argus sobre Atlântida esta redobrada, e se um novo conflito acontecer, a superfície estará melhor preparada. De volta a sede do Argus, Amanda recebe autorização presidencial para dar início ao projeto "Liga Da Justiça Da América", que visa criar uma equipe de heróis que responda direto ao governo americano.

 

A questão é uma só

 

 1) Quais elementos de O TRONO DE ATLÂNTIDA poderiam ser utilizados no cinema?

 

  Bom, como o Batman e Superman já terão tido bastante destaque, e Aquaman precisa ser respeitado, talvez fosse interessante dar a ele um papel bastante relevante (mas sem desvalorizar os outros, é claro) no filme da Liga. O TRONO DE ATLÂNTIDA seria um bom material para isso

 

  Bem, devo confessar que gosto bastante do prólogo passado no Sec. 19, mostrando um baleeiro sendo atacado por atlantes. Algo assim ficaria ótimo no cinema, pra criar um climão já no começo do filme. Os tsunamis que atingem Gotham e Metropolis poderia gerar um grande momento "Cinema Catástrofe", inclusive com a cena de Superman e Mulher Maravilha tentando segurar o Porta Aviões.

 

  Temos que ver como será o status de Arthur em relação ao seu "Direito Real" nos filmes da DC, mas gosto da ideia de ele ter sido rei, e por alguma razão, ter optado por abandonar o trono. A recente adaptação animada tentou adaptar esta história como uma origem do Aquaman, e acho que não ficou legal. Gosto do status que a história da ao Orm não como um vilão propriamente dito, mas como um líder por demais extremista que teme demais a segurança de sua nação, mais guiado pelo medo do que pelo ódio. Gosto também da relação que a história constrói entre ele e o Aquaman, que dá uma bela diferenciada relação Thor e Loki da Marvel, que é baseada em muita inveja. Aqui, Orm até quer que Arthur assuma o trono e mostra-se decepcionado com ele por ficar do lado da Superfície na hora do pega pra capar.

 

  Cyborg sacrificando um pouco mais de sua humanidade (no caso o pulmão) para ir ao resgate de seus amigos, é um elemento que eu acho bem interessante de se usar.

 

  O fato dos planos de guerra atlantes já preverem o Batman como uma ameaça antes da formação da Liga é algo bem aproveitável, até por que ao que tudo indica, Batman será o herói que estará a mais tempo na ativa.

 

  Tem que ver como a relação de Lois e Clark, e Diana e Clark será desenvolvida em BVS pra ver se rola um romance entre esses dois em LIGA DA JUSTIÇA.

 

 E vocês, quais elementos de O TRONO DE ATLÂNTIDA acham que poderia ser aproveitado nesta primeira aventura da Liga?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olha Questão eu penso que essa trama seria melhor utilizada em um segundo filme da Liga, eu até penso que poderia ser usada em um primeiro filme,mas eu acho que o primeiro filme tem que estabelecer um vínculo entre os membros da Liga incluindo o Aquaman e pra mim seria interessante ver no segundo filme a Liga incerta das intenções do povo de Aquaman sendo que eles já confiariam nele.Bom as minhas sugestões são as seguintes:

 

Eu estava pensando se é pra insinuar que já houve um clima tenso entre os Atlantes e a Humanidade no passado podemos aproveitar e utilizar algo real  como o Triangulo das Bermudas, como sabemos tudo que entra no Triangulo das Bermudas misteriosamente não retorna minha ideia é que os Atlantes sejam os responsáveis por isso vamos dizer que no passado eles eram mais hostis com a humanidade e assim qualquer embarcação que entra no Triangulo é imediatamente afundada e seus ocupantes morrem afogados.Com o passar do tempo a hostilidade dos Atlantes em relação a Humanidade foi diminuindo mas os desaparecimentos continuam a ocorrer no Triangulo das Bermudas por que uma minoria de Atlantes ainda não confia na Humanidade e assim abatem qualquer coisa que se aventure no Triangulo seja iates,barcos de pesca,aviões de pequeno porte e etc,eles contariam até com o auxílio das criaturas marinhas pra fazer isso,de resto acho que poderia utilizar o Vulko como sendo o responsável por quase iniciar uma guerra entre os Atlantes e a Humanidade sendo o elemento surpresa da trama como o filme praticamente o tempo todo daria a entender que o Orm era o responsável,acho que antes desse filme da Liga deveria ser feito um filme solo do Aquaman onde veríamos a lealdade de Vulko para com Aquaman nesse filme Aquaman enfrentaria o Arraia Negra e no final do filme abdicaria do Trono por algum motivo com Orm sendo o seu sucessor,esse filme solo também serviria pra estabelecer a relação de Arthur com seu irmão Orm mostrando que os dois se dão bem mas apenas tem pontos de vista diferentes com Arthur sendo o diplomata enquanto que Orm é o extremista sendo então uma relação bem diferente da de Thor e Loki na Marvel não havendo formas de fazerem comparações.Também seria interessante o Aquaman ao reassumir o Trono deixar o Orm pagar pelos seus crimes tendo que lidar com as leis do povo da superfície sozinho a partir disso Orm passaria a ter raiva e ódio de seu irmão nada de inveja apenas ódio e raiva pelo que Arthur o fez passar.Então o que acham?.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×