Jump to content
Forum Cinema em Cena
Sign in to follow this  
O Espectro

É Impossível Mudar o Destino?

Recommended Posts

 Bom, é difícil explicar uma crença. Mas existe certa lógica que me faz acreditar no poder da escolha (que não é supremo, é claro). Afinal, nós ponderamos e fazemos nossas escolhas. A criação das ações que tomamos, e a responsabilidade que vem com ela, não me permite acreditar que tudo já foi "escrito".

 

 Vamos imaginar a seguinte situação, por exemplo. Uma pessoa dirigindo na cidade, encontra um desvio, devido ao alagamento da estrada por causa da chuva. Essa pessoa pode pegar o desvio, mas decide ignorar com medo de chegar atrasada no trabalho, e vai reto pela estrada alagada. O motor do carro não aguenta, e o veículo acaba ficando preso em um metro e meio de água. A pessoa não só chegou atrasada no trabalho, mas também perdeu o carro. Ora, essa situação não aponta para um fim pré determinado. Temos uma situação variável com dois fins distintos. Qual fator determina o fim da variável? A escolha.

 

 Então, acho que participamos da construção do futuro.  Não está escrito se vamos agir ou não diante de uma situação. Nós que escolhemos. Se ficamos doentes, nós que escolhemos se vamos nos tratar ou não, e por ai vai. Claro que existem situações fora de nosso controle, e ai se a responsabilidade é de um destino ordenado ou de um acaso caótico, vai da filosofia de vida de cada um. Nunca disse que o controle é absoluto.

 

 Mas existem as situações que controlamos. Acreditar que mesmo estas situações fazem parte de um grande esquema nos torna seres livres de qualquer responsabilidade, isentos de culpas e méritos. Não consigo aceitar esta possibilidade, pois isso nos eliminaria como seres pensantes, não é? O próprio ato de escrever este post. Não foi o destino, eu estou escolhendo fazer isso.

 

 Acredito que no geral, esta seja a minha visão sobre o assunto.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Hum....faz tempo que vim aqui,mas suponhamos que voce é visto pelos outros como "criança" por algumas situações que fez no passado e bem....agora voce não é tratado exatamente da forma que gostaria que fosse e não pode exatamente se impor nesse ambiente.Qual seria o remédio Primo e Questão,mudar de ambiente ?,isso tem solução também ?.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Creio que o ímpeto inicial seria responder a você, ou a qualquer pessoa com questionamento parecido, que a solução varia de acordo com cada situação e cada pessoa.

 

Não deixa de ser verdade.

 

Porém, creio que, no caso de existir um padrão para ser minimamente adaptado, arrisco dizer que envolve, primeiro, aceitação.

 

Mas não digo aceitar uma condição, a ponto de não se mover para mudá-la.

 

Digo, na verdade, aceitar o que passou. Aquilo que passou é degrau. Todos passam por degraus, e assim chegam aos patamares que almejam. Mas as escadas são diferentes para cada pessoa, e assim é a vida. Depende de uma série de fatores, não necessariamente atrelados diretamente ao indivíduo, mas também ao meio.

 

Agora, sobre mudar de local. Morar em outra cidade, por exemplo. Isso pode funcionar, mas apenas se entrar como complemento do principal, que seria a mudança no modo como enxerga as coisas e atua no mundo.

 

E por quê?

 

Pois, se você não altera algo internamente, mudar de cidade pode apenas transferir e adiar a ocorrência de problemas parecidos.

 

Se o foco das pessoas é o seu passado, evite brigar ou se lamentar com elas sobre você, agora, ser mais maduro. Isso apenas vai reforçar o problema. Mesmo que demore mais, essas pessoas precisam ENXERGAR que você mudou. Vai levar tempo, mas será mais satisfatório. Isso fará com que você concentre o foco na opinião que realmente interessa: aquela que você genuinamente tem sobre si mesmo. Você pode até dizer que tem plena consciência do quanto você mudou. mas isso precisa ser reforçado, até chegar ao ponto em que a opinião de quem está no entorno fará diferença cada vez menor. Mas, - repare - não me refiro a isolamento. Nada disso. quero dizer que, se você tiver convicção, as pessoas vão te aceitar mais e perceber a sua maturidade no modo como você trata suas próprias certezas, na medida em que você atua, reage e se manifesta com total paridade com o que acredita, mantendo a paz consigo e com os outros. É trabalho de formiguinha, devagar.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Caindo de paraquedas, acredito que mais importante do que se mudar de ambiente ou exigir uma maneira diferente de ser tratado é entender o que ocorreu na situação que gerou esse desconforto, e refletir em como agir em situações similares no futuro. Mostrando essa alteração de comportamento, e quando digo mudança, não exigida pelos outros, mas por sua nova perspectiva à situação já conhecida, acredito que naturalmente você será visto de outra maneira, e quem sabe seja a maneira que você espera.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bem,vim aqui de novo depois de mais 1 ano porque preciso desabafar novamente:

 

Bom primeiro para a notícia boa,é que minha única prima nasceu(é a única pra qual sou o mais velho,então me sinto um pouco responsável por ela)é uma graça de menininha e acredito que a vinda dela me impediu de me tornar uma verdadeira pedra humana.Só espero que ela não seja muito parecida com seus pais(são da família mas não gosto muito deles).

 

Bem,tirando o fato de que eu tenho empatia por minha mãe e minha pequena priminha(Juro que vou fazer a primeira pessoa que entristecer ela se arrepender profundamente) e também tenho um pouco pela minha avó,mas pro resto continuo indiferente,na verdade é uma mudança de certa forma,provavelmente não é positiva mas é melhor do que antes,agora estou cag**** e andando para a opinião dos outros sobre mim e também pra todo o resto confesso.

 

Tenho 19 anos agora,minha adolescencia passou rápido e não aproveitei nada,queria muito me arrepender disso mas por conta do jeito que foram as pessoas com quem convivi na escola não consigo me arrepender de não ter feito nada,admito que eu sinto um rancor forte da maioria delas e de meus tão grandiosos "amigos",a primeira coisa que eu fiz quando terminei o Ensino Médio ano passado foi tirar todos eles dos meus contatos e excluir praticamente todas as fotos dessa vil época.

 

A coisa ironica é que agora não tenho tanto interesse em minha vida adulta,vou fazer o que minha mae espera de mim,fazer o Enem esse ano e entrar pra uma faculdade e fazer por anos algum tipo de curso do qual não gosto(eu Realmente não gosto de nada pessoal).

 

A ideia de fazer faculdade não me agrada nem um pouco(se os idiotas virem com a frescura do Trote e tentarem me forçar a participar,bem eu não sou de brigar normalmente,mas nesse caso vai ter briga),só vou fazer porque sou um filho único muito mimado pela mae e bem....infelizmente meus pais não vão viver pra sempre e vou fazer algo do qual não gosto "me virar",afinal ainda somos uma família humilde.

 

Em muitos momentos dos quais passei deitado na minha cama,de madrugada,sem sono refleti e analisei minha vida até aqui,descobri com o meu eu verdadeiro(sim o negativo,mas ele me abriu os olhos)que eu enganei a mim mesmo,eu fiquei tão chateado que a garota que eu amei não gostava de mim,que pra "superar" ela eu tentei me forçar a gostar de outras duas garotas e não deu certo porque não era real,era algo forçado,pela primeira vez me senti satisfeito comigo mesmo por não ter atitude,assim pelo menos não magoei ninguém por causa do meu equívoco.

 

Não falei antes,mas a única garota que eu gostei (podia dizer que amei mesmo ela)um ano depois do fora,ela se mudou pra outra cidade e nunca mais a vi,foi um alívio porque eu tinha de verdade,medo e temor daquele sentimento horrível voltar,mas também tipo me perguntei "então seu eu tivesse feito algo e dado certo,de qualquer forma eu ia perder no fim porque ela se mudaria,e isso eu não posso impedir ?,Destino escroto do caramba",a frustração não foi tão forte,mas estava lá dentro de mim,mas eu ignorava.

 

Além do desgosto que sinto da coisa de ficar,desenvolvi desgosto dos outros homens,acho a maioria uns babacas e não consigo ficar perto por muito tempo,por algum milagre não tenho desgosto por mulheres ,se não muito provavelmente tudo desandaria de vez.

 

Sabe o que seria triste,a única coisa da qual eu consigo me arrepender é de ter amado ela,só porque........no final eu me senti estraçalhado por dentro,quase uma pedra humana,se minha priminha não existisse,hoje em dia eu seria mais frio que uma máquina,um robo,por isso eu sempre penso que se eu voltasse no tempo pra 2014 eu me impediria de gostar dela, seria eu mesmo que acabaria com minha inocencia e não os meus malditos colegas de escola,afinal seria necessário ele "evoluir" e ficar como eu pra se preparar pra essa sociedade de me***.

 

Infelizmente QUESTÃO,não acredito no livre-abírtrio e creio que nunca vou acreditar,porque se ele é limitado então na minha opinião ele não é real,porque no fim das contas ele não muda nada,eu acredito que impedi apenas 1 dos que eu chamo de Sonhos do Futuro e te digo que foi uma mudança que não valeu de nada.

 

Quanto aos sonhos,eu não expliquei antes mas eu só tive esses sonhos numa época entre 2012 e 2013,depois nunca mais,apenas sonhos normais,no entanto alguns eu lembrava só na hora ou após o fato se concretizar,basicamente falando eu tinha um Deja-Vú do momento do sonho após ele se concretizar e bem,antes frustrava bastante mas agora,a frustração é mais fraca.

 

 

Enfim,isso tudo que eu escrevi é que eu queria apenas desabafar mesmo,afinal é mais fácil falar com pessoas que voce nunca viu na vida,do que com conhecidos sobre seus problemas.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Enfim,isso tudo que eu escrevi é que eu queria apenas desabafar mesmo,afinal é mais fácil falar com pessoas que voce nunca viu na vida,do que com conhecidos sobre seus problemas.

Falo na melhor das intenções: Procure ajuda profissional.

 

Essa racionalização de "eu pensando comigo mesmo" é uma bola de neve no estágio em que você está.

 

Você vai pensando tanto nas coisas que:

1) você vai concordar com si mesmo, seja para o bom ou para o mal.

2) você vai discordar de si mesmo, para o bom e para o mal.

 

Toda a reflexão e possibilidade para em você mesmo, afinal você já tem resposta para tudo que se pergunta, e se não tiver, vai pensar tanto que vai encontrar uma que te satisfaça e isso raramente te fará sair do lugar, pois você está apenas correndo atrás do próprio rabo.

 

Estas questões existenciais existem, não são originais e exclusivas, e você tem de, com ajuda profissional, aprender a lidar com elas de maneira saudável.

Share this post


Link to post
Share on other sites

é uma graça de menininha e acredito que a vinda dela me impediu de me tornar uma verdadeira pedra humana

 

E o nascimento da sua prima pode simbolizar um reinício

 

Quem sabe até um caminho para, gradativamente, alterar de modo natural

algumas de suas convicções (todos temos), em prol de algo ainda melhor. Afinal, já estamos nessa vida, pode ser uma boa assumir de peito aberto os desafios e usar esse tempo para

uma escalada, no sentido de sempre se renovar, aprender a enxergar as coisas de modo diferente, arriscar algumas mudanças etc.

Share this post


Link to post
Share on other sites

ESPECTRO, vou fazer uma pergunta pessoal, espero que não se ofenda? Você já fez terapia? Por que acho que o SAGA STARK tem razão. Você pode estar precisando de ajuda profissional. Por favor, não se sinta diminuido por estarmos dizendo isso. Sou da opinião que todo mundo deveria faxer terapia de vez em quando, e acho wue voce ptecisa agora. Sua suto imagem, relação com o passado e perspectiva do futuro tá negativa demais, o que não é saudável.

 

 

 

Tenho 19 anos agora,minha adolescencia passou rápido e não aproveitei nada,queria muito me arrepender disso mas por conta do jeito que foram as pessoas com quem convivi na escola não consigo me arrepender de não ter feito nada.

Cara, acho que voce se arrepende sim. Do contrario, não estaria lamentando o fato. Mas brother, deixa eu te dizer uma coisa, o ensino médio não é o ponto alto da vida. Tu tem só 19 anos, amigo. Tem muito o que curtir ainda. Tua adolescêncis pode ter passado, mas tua juventude não. Isso não é um fim, é um começo. Se voce quiser, é claro.

 

 

 

 

 

 

A coisa ironica é que agora não tenho tanto interesse em minha vida adulta,vou fazer o que minha mae espera de mim,fazer o Enem esse ano e entrar pra uma faculdade e fazer por anos algum tipo de curso do qual não gosto(eu Realmente não gosto de nada pessoal).

E por que você condenaria a si mesmo dessa forma? Por que escolheria isso? Olha, escolher um curso da faculdade nem sempre é uma escolha clara. Mas não diga que não gosta de nada. Não é você falando, é a depressão. depressão causa desinteresse generalizado. Tslvez você precisse fe um tempo mais pra descobrir o que gosta. Neste caso, fale com o seus pais, arranje um trampo e faça um cursinho, por exemplo Pense no que gosta de fazer. Pense no que você é bom e no que lhe dá prazer. Mas não vá com esses pensamentos na cabeça, se não já começa errado. Se for faxer faculdade, não pode ser apenas pelo que você disse, a faculdade deve lhe dar perspectiva fe futuro, sim, mss também esperança de realização pessoal.

 

 

 

 

A ideia de fazer faculdade não me agrada nem um pouco(se os idiotas virem com a frescura do Trote e tentarem me forçar a participar,bem eu não sou de brigar normalmente,mas nesse caso vai ter briga),só vou fazer porque sou um filho único muito mimado pela mae e bem....infelizmente meus pais não vão viver pra sempre e vou fazer algo do qual não gosto "me virar",afinal ainda somos uma família humilde.

Voce precida desconstruir este pensamento e se perguntar por que a idéia de fazer faculdade não lhe agrada.

 

Repetindo ESPECTRO, você só vai fazer algo que não gosta, se você quiser.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Não falei antes,mas a única garota que eu gostei (podia dizer que amei mesmo ela)um ano depois do fora,ela se mudou pra outra cidade e nunca mais a vi,foi um alívio porque eu tinha de verdade,medo e temor daquele sentimento horrível voltar,mas também tipo me perguntei "então seu eu tivesse feito algo e dado certo,de qualquer forma eu ia perder no fim porque ela se mudaria,e isso eu não posso impedir ?,Destino escroto do caramba",a frustração não foi tão forte,mas estava lá dentro de mim,mas eu ignorava.

 

 Acho que não entendi muito bem essa parte. Você se frustrou pela garota ter ido embora, e se você tivesse ficado com ela ia perde-la por ela ter ido embora? Não acha um pouco irracional se frustar por um cenário que não aconteceu?

 

 Cara, você não pode se prender tanto ao "O que poderia ter sido".

 

 Você também precisa trabalhar essa sua ferida em relação a esse fora que você tomou. Já tem um tempo e ainda não cicatrizou. Rejeição faz parte da vida, meu amigo. Espero que não leve a mal o que vou dizer, mas você não deixou de ficar com a garota por causa do destino. Foi por que ela não tava a fim. Faz parte do jogo. Não quer dizer que tem algum problema com você.

 

 

 

Além do desgosto que sinto da coisa de ficar,desenvolvi desgosto dos outros homens,acho a maioria uns babacas e não consigo ficar perto por muito tempo,por algum milagre não tenho desgosto por mulheres ,se não muito provavelmente tudo desandaria de vez.

 

 Você não pode ser generalista. Sim, tem muito babaca nesse mundo. Mas você não deve classificar isso como uma questão de gênero. Assim como tem gente babaca, tem gente legal.

 

 

 

 

Infelizmente QUESTÃO,não acredito no livre-abírtrio e creio que nunca vou acreditar,porque se ele é limitado então na minha opinião ele não é real,porque no fim das contas ele não muda nada,eu acredito que impedi apenas 1 dos que eu chamo de Sonhos do Futuro e te digo que foi uma mudança que não valeu de nada.

 

 

 E você esperava que fosse ilimitado? Controlar a vontade alheia? A natureza? Não. O livre arbítrio é uma parte de processo, uma parte vital, mas ainda assim uma parte. Não temos o controlar se chove ou faz sol. Não podemos controlar quem vamos encontrar na rua. Mas escolhemos se saímos de guarda chuva ou não. Escolhemos se sorrimos pra quem encontramos ou não. Deixe eu ilustrar com um exemplo. Você começa a ter uma tosse alérgica. Há um xarope pra tosse em casa. Tomar o Xarope ou não é uma escolha sua. 

 

 ESPECTRO, percebo que você criou essa entidade grande e má chamada "Destino" e depositou nessa figura contra o qual você não pode lutar todos os seus medos. Então, você não luta, pois acha que já perdeu antes mesmo de começar. Assim, nada é culpa nossa, por que foi o destino que nos ferrou. Parece mais fácil pensar assim. Mas na minha opinião, muito pouco produtivo.

 

 Não temos controle total sobre a vida, mas temos algum controle. E devemos aceitar a responsabilidade pelo controle que nos cabe, aceitando os méritos e fracassos. E precisamos nos perdoar por esses erros. Você me disse certa vez que achava que nunca ia se perdoar, mas você precisa, e se você não consegue precisa procurar ajuda pra conseguir.Não foi nem um grande erro. Você só tomou um fora. Anos atrás, em um relacionamento que sequer aconteceu. Não é pra ser o fim do mundo.

 

Em resumo, você precisa desconstruir essa crença de que o destino exclui o livre arbítrio e que o destino te odeia, pois é uma crença que não esta te fazendo bem.

 

 

Quanto aos sonhos,eu não expliquei antes mas eu só tive esses sonhos numa época entre 2012 e 2013,depois nunca mais,apenas sonhos normais,no entanto alguns eu lembrava só na hora ou após o fato se concretizar,basicamente falando eu tinha um Deja-Vú do momento do sonho após ele se concretizar e bem,antes frustrava bastante mas agora,a frustração é mais fraca.

 

No passado lhe aconselhei a não dar tanto crédito a isso. Existem explicações científicas do Deja Vu.

 

 Não sei se você vai escolher ou não ouvir o que eu e os outros te dissemos aqui, ESPECTRO. Não cabe a nenhum de nós dizer o que é melhor pra você ou como você deve viver a sua vida. Mas eu te peço pra você não acreditar que está condenado pra sempre. Você parece muito deprimido, e depressão é uma doença como outra qualquer. Então procure ajuda. Não é um sinal de fraqueza, muito pelo contrario. E essa é uma decisão que não cabe ao destino, ESPECTRO, cabe somente a você e seu livre arbítrio.

 

Grande abraço, e se cuide.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 Acho que não entendi muito bem essa parte. Você se frustrou pela garota ter ido embora, e se você tivesse ficado com ela ia perde-la por ela ter ido embora? Não acha um pouco irracional se frustar por um cenário que não aconteceu?

 

 Cara, você não pode se prender tanto ao "O que poderia ter sido".

 

 Você também precisa trabalhar essa sua ferida em relação a esse fora que você tomou. Já tem um tempo e ainda não cicatrizou. Rejeição faz parte da vida, meu amigo. Espero que não leve a mal o que vou dizer, mas você não deixou de ficar com a garota por causa do destino. Foi por que ela não tava a fim. Faz parte do jogo. Não quer dizer que tem algum problema com você.

 

 

 

 Você não pode ser generalista. Sim, tem muito babaca nesse mundo. Mas você não deve classificar isso como uma questão de gênero. Assim como tem gente babaca, tem gente legal.

 

 

 

 

 E você esperava que fosse ilimitado? Controlar a vontade alheia? A natureza? Não. O livre arbítrio é uma parte de processo, uma parte vital, mas ainda assim uma parte. Não temos o controlar se chove ou faz sol. Não podemos controlar quem vamos encontrar na rua. Mas escolhemos se saímos de guarda chuva ou não. Escolhemos se sorrimos pra quem encontramos ou não. Deixe eu ilustrar com um exemplo. Você começa a ter uma tosse alérgica. Há um xarope pra tosse em casa. Tomar o Xarope ou não é uma escolha sua. 

 

 ESPECTRO, percebo que você criou essa entidade grande e má chamada "Destino" e depositou nessa figura contra o qual você não pode lutar todos os seus medos. Então, você não luta, pois acha que já perdeu antes mesmo de começar. Assim, nada é culpa nossa, por que foi o destino que nos ferrou. Parece mais fácil pensar assim. Mas na minha opinião, muito pouco produtivo.

 

 Não temos controle total sobre a vida, mas temos algum controle. E devemos aceitar a responsabilidade pelo controle que nos cabe, aceitando os méritos e fracassos. E precisamos nos perdoar por esses erros. Você me disse certa vez que achava que nunca ia se perdoar, mas você precisa, e se você não consegue precisa procurar ajuda pra conseguir.Não foi nem um grande erro. Você só tomou um fora. Anos atrás, em um relacionamento que sequer aconteceu. Não é pra ser o fim do mundo.

 

Em resumo, você precisa desconstruir essa crença de que o destino exclui o livre arbítrio e que o destino te odeia, pois é uma crença que não esta te fazendo bem.

 

 

No passado lhe aconselhei a não dar tanto crédito a isso. Existem explicações científicas do Deja Vu.

 

 Não sei se você vai escolher ou não ouvir o que eu e os outros te dissemos aqui, ESPECTRO. Não cabe a nenhum de nós dizer o que é melhor pra você ou como você deve viver a sua vida. Mas eu te peço pra você não acreditar que está condenado pra sempre. Você parece muito deprimido, e depressão é uma doença como outra qualquer. Então procure ajuda. Não é um sinal de fraqueza, muito pelo contrario. E essa é uma decisão que não cabe ao destino, ESPECTRO, cabe somente a você e seu livre arbítrio.

 

Grande abraço, e se cuide.

 

Bom QUESTÃO,se o nome tem Livre se espera que seja literalmente isso já que lembra liberdade e não só uma metade disso,que não adianta de nada devo acrescentar.E não,eu tenho rancor dos meus colegas e por isso não me arrependo do que deixei de fazer,eles só me desinteressavam,francamente desde 2015 eu to desinteressado.e por culpa deles,então tudo que eu sinto é rancor e eu até gosto,pra falar a verdade.

 

Quanto a ajuda profissional,esquece,desabafar com um desconhecido é uma coisa,confiar na opinião dele já é bem diferente,sem falar que desde a po*** dos meus 4 anos implicam comigo porque eu sou "diferente dos outros",acham que sou louco mas do meu ponto de vista eu sou o são e eles são os loucos.

 

Quanto a ela,é meu único arrependimento ter pensado que ela era bonita e por me interessar nela,me arrependo de gostar dela porque foi que eu notei algo que eu preferia não ter notado,sabe eu sabia que podia me decepcionar,mas do jeito que isso foi ?Jamais vou me perdoar,nunca mesmo.

 

E bem,por eu ser diferente já sei que nada tem haver comigo,pensei muito em profissão e essas coisas e notei que não me identifico com nada então que se f*** o que eu gosto.

 

E essas próximas gerações são a maioria uma vergonha,eu generalizo porque a minha geração é uma b****,sei que tem uns poucos bons sobrando,mas é isso.

 

Admiro as preocupações de voces aqui,mas é um desabafo,eu nem mais esquento tanto com isso.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bom QUESTÃO,se o nome tem Livre se espera que seja literalmente isso já que lembra liberdade e não só uma metade 

 

 Mas o que você esperava? Que livre arbítrio fosse controle total? Acredito que neste caso você está confundindo livre arbítrio com onipotência. Temos controle sobre as escolhas que fazemos (ou que escolhemos não fazer). Mas não temos controle sobre as escolhas dos outros, sobre a natureza e outras coisas. Então repito a pergunta, ESPECTRO, o que você esperava que fosse o livre arbítrio?

 

 

então tudo que eu sinto é rancor e eu até gosto,pra falar a verdade.

 

 Por que você gosta?

 

 

 

Quanto a ajuda profissional,esquece,desabafar com um desconhecido é uma coisa,confiar na opinião dele já é bem diferente,sem falar que desde a po*** dos meus 4 anos implicam comigo porque eu sou "diferente dos outros",acham que sou louco mas do meu ponto de vista eu sou o são e eles são os loucos.

 

 

 Espere um pouco, eu não sugeri em momento algum que você era louco. Fazer terapia não tem nada a ver com loucura (na maioria dos casos, pelo menos. Hehehe). E você não é obrigado a confiar na opinião de ninguém. Mas ouvir e ser ouvido pode ser interessante. Agora, se você confia no que ouve ou não é com você. Olha o livre arbítrio ai de novo. :D

 

 Mas falando sério, você percebe que está deprimido?

 

 

 

Jamais vou me perdoar,nunca mesmo.

 

 

 Por que não? 

 

 

 

E bem,por eu ser diferente já sei que nada tem haver comigo,pensei muito em profissão e essas coisas e notei que não me identifico com nada então que se f*** o que eu gosto.

 

 

 Você parece querer se convencer de que é uma aberração, um monstro que morreu por dentro. Claro, monstros e aberrações não precisam lidar com o que sentem. Mas você não é diferente, ESPECTRO, não é uma criatura unica e maldita. Como você foi tão sincero, acho que o minimo que lhe devo é ser sincero com você também, meu amigo. Sabe, as vezes as pessoas dizem que sabem pelo que estamos passando, mas não fazem ideia. Mas algumas poucas vezes, elas sabem, Felipe. Então, acredite quando eu digo, eu sei pelo que você está passando. Ao ler sobre esses pensamentos que você escreve, parece que eu estou me ouvindo falar alguns anos atrás. Ter a sensação de que todos tem propósito, menos você. Eu estive onde você está. Mas acredite quando eu digo, você não é maldito. É uma ilusão. Sei que parece bem real, mas não é

 

 Então, não é por que você é diferente que você não consegue se identificar com nada. É por que você está deprimido, e é difícil se identificar com qualquer coisa quando se está deprimido.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Outra coisa,eu já me aceito da forma que eu sou,então eu não preciso ligar para a opinião dos outros sobre mim,porque foi por conta disso de ligar pro que os outros pensam que a frustração surgiu,se eles acharem que eu sou louco,frio,ranzinza ou o que quer que seja,bem eu sinto muito mas eu só ligo para a minha opinião sobre mim mesmo,porque querendo ou não eu conheço mais a mim mesmo do que qualquer pessoa.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 Mas o que você esperava? Que livre arbítrio fosse controle total? Acredito que neste caso você está confundindo livre arbítrio com onipotência. Temos controle sobre as escolhas que fazemos (ou que escolhemos não fazer). Mas não temos controle sobre as escolhas dos outros, sobre a natureza e outras coisas. Então repito a pergunta, ESPECTRO, o que você esperava que fosse o livre arbítrio?

 

 

 

 Por que você gosta?

 

 

 

 Espere um pouco, eu não sugeri em momento algum que você era louco. Fazer terapia não tem nada a ver com loucura (na maioria dos casos, pelo menos. Hehehe). E você não é obrigado a confiar na opinião de ninguém. Mas ouvir e ser ouvido pode ser interessante. Agora, se você confia no que ouve ou não é com você. Olha o livre arbítrio ai de novo. :D

 

 Mas falando sério, você percebe que está deprimido?

 

 

 

 

 

 Por que não? 

 

 

 Você parece querer se convencer de que é uma aberração, um monstro que morreu por dentro. Claro, monstros e aberrações não precisam lidar com o que sentem. Mas você não é diferente, ESPECTRO, não é uma criatura unica e maldita. Como você foi tão sincero, acho que o minimo que lhe devo é ser sincero com você também, meu amigo. Sabe, as vezes as pessoas dizem que sabem pelo que estamos passando, mas não fazem ideia. Mas algumas poucas vezes, elas sabem, Felipe. Então, acredite quando eu digo, eu sei pelo que você está passando. Ao ler sobre esses pensamentos que você escreve, parece que eu estou me ouvindo falar alguns anos atrás. Ter a sensação de que todos tem propósito, menos você. Eu estive onde você está. Mas acredite quando eu digo, você não é maldito. É uma ilusão. Sei que parece bem real, mas não é

 

 Então, não é por que você é diferente que você não consegue se identificar com nada. É por que você está deprimido, e é difícil se identificar com qualquer coisa quando se está deprimido.

 

Acho que deviam mudar o nome disso então,Restrito-arbítrio soa bem mais a ver do meu ponto de vista.

 

Porque eu gosto de sentir rancor ?,bem vamos apenas dizer que eu sei que eles merecem o meu rancor,me dá um propósito,de certa forma,e em algumas situações talvez alguém tenha que ser o "monstro" e eu realmente aceitaria ser,se não tivesse nada de mais a perder.

 

Se eu estou deprimido,então vai durar até o fim dessa coia chamada vida,porque se isso é depressão não parece estar me matando exatamente,acho que o meu desinteresse é tão forte que supera a depressão em si,embora eu não pretenda passar dos 50 e poucos anos de idade,cara eu nunca me cortei porque eu penso que se fosse pra acabar com isso que seja de uma vez só,admito que já tentei me sufocar com o travesseiro mas não tive coragem principalmente por causa da minha mae,ela não merece ter que lidar com isso,provavelmente quando meus pais já não estiverem mais vivos eu tenha coragem de acabar com isso.

 

Não acho que foi só por causa da garota que fiquei assim,posso reconhecer que foi o principal fato de eu me sentir incompreendido também justifica isso eu acho,desde criança eu sempre soube que era "diferente dos outros" até minha mãe falou isso uma vez,eu não gosto do conceito de conhecer pessoas novas,porque eu sei que todo mundo é diferente um do outro,eu não gosto disso,eu não queria que todo o mundo fosse igual a mim mas se existisse outra pessoa como eu e eu conhecesse ela,eu me sentiria mais feliz talvez tendo alguém que me compreenda completamente,mas eu já sei que isso é uma ilusão e eu deixei de ser ingenuo a um bom tempo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

E quem sou eu realmente no meio dos outros ?eu sou só o cara que não tem nada a dizer e que fique no próprio canto,tirando a família,nunca senti que alguém além deles realmente se importasse comigo e talvez antes eu quisesse sentir isso,mas agora ?,pouco importa para mim.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Inferno,eu nem tenho pena de mim,já ouvi que algumas pessoas tinham pena de mim mas isso meio que me incomoda porque eu não me vejo como alguém digno de pena.

 

Eu tenho medo de gostar de alguém QUESTÃO,de gostar profundamente e eu sei que isso não é normal,inferno eu mal conversava com ela e senti aquilo tão intenso e tão forte que quando estou em um lugar sem a minha família eu encaro a mesa,o teto,qualquer outra coisa mas eu não consigo nem olhar os outros nos olhos realmente,não quero sentir aquilo de novo porque é sim algo horrível,eu sei que não vou aguentar passar por aquilo de novo,então pra mim é melhor apenas evitar.

 

Isso é tudo que eu tinha pra te falar,realmente.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Cara, vou me meter nesse tópico.

Espectro, você está num quadro muito sério de depressão.

Você precisa conversar com as pessoas e aprender a confiar em você e nos outros. Esqueça o que os outros pensam. Você o tempo todo diz que não se importa, mas seu comportamento revela o contrário.

Acho prudente conversar com sua mãe. Se não quer fazer faculdade, não faça ainda, é novo e tem tudo pela frente.

Fique bem.

Share this post


Link to post
Share on other sites
On 01/06/2017 at 10:46 PM, Questão said:

 

Agora que eu estou mais calmo vou falar e responder com mais franqueza QUESTÃO :

Mas o que você esperava? Que livre arbítrio fosse controle total? Acredito que neste caso você está confundindo livre arbítrio com onipotência. Temos controle sobre as escolhas que fazemos (ou que escolhemos não fazer). Mas não temos controle sobre as escolhas dos outros, sobre a natureza e outras coisas. Então repito a pergunta, ESPECTRO, o que você esperava que fosse o livre arbítrio?

Realmente não cabe discutir o significado,pra voce é Livre-Arbítrio e pra mim é Restrito-Arbítrio,talvez eu acreditasse que fosse algo maior do que deveria,talvez eu com meus 16 anos de idade queria sim ter um pouco de onipotencia,mas 2014 de longe foi um dos piores anos pra mim,não posso dizer que existem problemas na família mas a interação fora do círculo familiar e a escola principalmente era complicado,não me culpo por isso,não foi apenas a garota ,se eu tivesse tido amigos que um lado meu esperava ter mas não,não tinha ninguém para me abrir e hoje não estou disposto a me abrir pra conhecidos ou pessoas pessoalmente,já que aqui de certa forma eu me abro com voces,apesar de ser pouco.

Por que você gosta?

Se voce falasse para mim antes de tudo o que aconteceu eu ficaria chocado,mas vamos dizer que eu não tive na minha vida o que se chamaria de "amigos de verdade",eu andava com os chamados "mulekes do fundão" o que é meio ironico já que eu sentava na frente,bem eu nunca falava com as meninas praticamente e quando falava em raras ocasiões era algo bem curto nem devia durar mais de 2 minutos,e bem em 2014 eu ainda era inocente demais para as coisas no geral(hoje eu nem acredito como isso era possível)e cometi outra burrada,teve algo que eu falei pra sala toda mas tipo a escola inteira ficou sabendo e bem eu não sei o retardo mental que me deu mas eu resolvi revelar isso,e é algo realmente constrangedor,só vou falar que envolve uma parte do meu corpo e o que eu na época fazia com ela....no começo eu não ligava pro que falavam mas o f*** era que passava 2015,2016 e ninguém nunca esquecia,podiam não falar o tempo todo mas nunca esqueciam.Em 2014 eu me envolvi numa briga na saída de escola porque um desses "amigos" resolveu de uma hora pra outra que podia forçar eu a brincar de lutinhas e bem eu fico p*** da vida quando querem me forçar a algo mas eu fui e ai do nada aquilo vira uma briga(e surpresa...eu tive um pesadelo sobre isso em 2013,eu me senti sendo enforcado pela correntinha dele no pesadelo, tipo é estranho)eu fiquei 1 dia sem ir pra escola,tipo era pra ir até o ponto de onibus mas eu não tava com cabeça para aquilo e bem resolvi dar uma volta pelo bairro,eu pensei mesmo em fugir e ir embora da cidade queria ir literalmente a pé mesmo mas desisti e não tive coragem em de sair do Bairro eu sabia que as Ruas são perigosas então voltei pra casa e inventei uma desculpa qualquer e fiquei em casa.O idiota  eventualmente veio pedir desculpas e eu inicialmente não ia aceitar mas fui burro e aceitei,eu podia ter aproveitado a oportunidade e me mudado de escola,pelo menos eu não ia falar com ninguém(bom vou fazer isso na faculdade),mas não o trouxa aceita e o f*** é que depois quando eu quis mudar de escola nos outros 2 anos,minha mãe falou que o curso estava acabando e que se eu tivesse dito no Primeiro Ano ela ainda deixava mas não compensava deixar o curso mais e não sei o que....<_<,tive vontade de bater a cabeça na parede mas né.E tipo eu reconheço que dependo dos outros,isso é um fato e infelizmente eu dependia deles pra ter alguém pra fazer trabalho em grupo e tal (me preocupava mais com notas e sair da escola do que com as companhias,minha vida era assim).Não vou ser hipócrita e falar que eram ruins comigo todo dia e tal,tinha dias que era fácil os tolerar mas sabe...quando voce tá de boa e de repente te falam coisas que te deixam pra baixo o resto do dia ?,pois é faziam isso e muito,não é a toa que eu só convivia com eles na escola,outro dia esse ano o que brigou comigo resolveu bater papo comigo no facebook eu ignorei completamente eu sei que se eu escrevesse algo eu não ia aguentar e ia xingar ele coisa e tal e resolvi ignorar,pode não ser um motivo pra guardar rancor forte o suficiente mas eu gosto de pensar que o meu rancor dá má-sorte a eles,então seria por isso que eu gosto.

Espere um pouco, eu não sugeri em momento algum que você era louco. Fazer terapia não tem nada a ver com loucura (na maioria dos casos, pelo menos. Hehehe). E você não é obrigado a confiar na opinião de ninguém. Mas ouvir e ser ouvido pode ser interessante. Agora, se você confia no que ouve ou não é com você. Olha o livre arbítrio ai de novo.

Eu sei que voce não sugeriu mas desde que eu era pequeno todos achavam,ninguém fora da família sabia lidar comigo aparentemente e essa foi a única vez que foi a um psicólogo,fizeram minha mae me levar a toa realmente,foi em vão e o que uma criancinha vai falar pro psicólogo ?,minha mae já falou que acha que posso ter algum tipo de autismo eu não sei se tenho e nem quero saber,a resposta não vai mudar nada.

Por que não? 

Não dá,não existe um motivo forte pra perdoar isso,voce fala que é irracional e deve ser mesmo mas eu sei que no começo ela queria ser minha amiga e o idiota ingenuo foi lá,foi só abrir a boca e dizer o nome dela que tudo foi pro brejo,seria melhor que ela descobrisse por mim ou sozinha e não por todo mundo,hoje eu acho que quem reclama de friendzone é um tolo....melhor conviver e não ter ,do que nem conversar,talvez não desse certo mas os "e se...." simplesmente voltam de vez em quando,patético foi quando eu quis me declarar pra ela depois que saímos da escola,eu sabia que ela sabia eu não era completamente idiota,mas tava me agoniando por dentro mas a agonia que veio depois foi maior(eu tinha um lado positivo ainda e ele falou assim:"Ou voce fala ou nunca na Vida vai conseguir fazer isso de novo")o lado mais positivo meu sabia que era uma causa perdida,então eu tive uns 5 ou 10 segundos de coragem e só falei do nada,ela se virou pra mim rapidamente e falou:"É eu sei,voce contou pra todo mundo" e continuou andando e eu fiquei parado lá.No dia seguinte na saída da escola ela resolveu me perguntar porque eu gostava dela,eu juro eu pensei que ela nem ia me perguntar nada e o que eu ia dizer lá na hora de repente,que eu desejava mentalmente boa noite pra ela ?que era porque ela foi a única garota que foi legal comigo desde o começo,não eu falei não sei eu só gosto de voce...e quando ela fala pra eu não olhar mais pra ela,ficar encarando ela na hora eu fingi de que estava de boa mas doeu,não era algo forçado por mim mesmo,não tinha luxúria ou algo assim, era como um imã, e o sentimento levava eu a olhar e admirar ela e não poder fazer isso doeu muito,por isso que até hoje eu simplesmente não posso me perdoar eu de alguma forma tenho que lidar com as consequencias dessas escolhas equivocadas ,querer superar completamente para o que ?para abrir as portas para Ilusão e Decepção virem de novo,num ciclo talvez sem fim ?,não meu caro,simplesmente não tenho mais energia pra isso.Eu posso até não ser uma aberração ou um Monstro mas eu sou diferente,prefiro ficar sozinho do que na companhia de outros,essa é a história,voce tenta me animar QUESTÃO mas é só um desabafo eu não quero mais ilusões,expectativas,sonhos,eu agora acho isso fraquezas e vou suprimir elas o máximo possível,não há um psicólogo ou terapeuta que possa ou que eu permita resolver isso.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
On 31/05/2017 at 7:56 PM, Questão said:

 

 

Cara, acho que voce se arrepende sim. Do contrario, não estaria lamentando o fato. Mas brother, deixa eu te dizer uma coisa, o ensino médio não é o ponto alto da vida. Tu tem só 19 anos, amigo. Tem muito o que curtir ainda. Tua adolescência pode ter passado, mas tua juventude não. Isso não é um fim, é um começo. Se voce quiser, é claro.

 

 

 

 

 

 

Oh eu me arrependo sim,mas não do jeito que voce espera....eu me arrependo de não ter sido mais... cuzão por assim dizer,disso eu me arrependo,porque eles mereciam e ainda devem merecer isso,"oh olha lá o Felipe bobão e ingenuo vamos nos aproveitar dele vamos ?",nunca mais nessa vida vou ser bom com os outros fora da família quando não houver necessidade,mas eu vou fazer até questão que os outros me odeiem que mais ninguém tem ideia disso,vou ser grosso sim e se precisar ser babaca também vou ser, porque não ?eles não gostavam de ser idiotas e babacas comigo quando não precisava ?,bem agora vai ser a minha vez.QUESTÃO sinceramente sabe o que eu quero curtir na vida ?Nada,Zero,nem faço mais nada pensando nisso é perda de tempo,quando precisar trabalhar,trabalho, pago contas,compro alimento e durmo pro dia seguinte,foi assim que eu defini  pro resto da minha vida,esse é o ciclo menos ruim onde não existem muitas expectativas ou frustrações....pelo menos não pretendo passar dos 50 e pouco,então quanto a perder isso de curtir minha consciencia está tranquila,desde muito cedo aprendi que não tem nada disso de curtir para mim.

On 31/05/2017 at 7:56 PM, Questão said:

 

 

 

 

 

 

E por que você condenaria a si mesmo dessa forma? Por que escolheria isso? Olha, escolher um curso da faculdade nem sempre é uma escolha clara. Mas não diga que não gosta de nada. Não é você falando, é a depressão. depressão causa desinteresse generalizado. Tslvez você precisse fe um tempo mais pra descobrir o que gosta. Neste caso, fale com o seus pais, arranje um trampo e faça um cursinho, por exemplo Pense no que gosta de fazer. Pense no que você é bom e no que lhe dá prazer. Mas não vá com esses pensamentos na cabeça, se não já começa errado. Se for faxer faculdade, não pode ser apenas pelo que você disse, a faculdade deve lhe dar perspectiva fe futuro, sim, mss também esperança de realização pessoal.

 

 

 

 

Eu posso dizer que não gosto de nada...se nenhuma profissão que existe me faz ficar "ooh" e empolgado,significa que eu não gosto de nenhuma profissão o suficiente,embora acho que isso se deve também ao Mundo real ser uma chatice entediante mesmo...eu não tenho que gostar do que faço desde que eu faça bem na minha opinião e de uma forma ou de outra QUESTÃO haverá realização pessoal mas também não da forma que eu acho que voce espera.....vou provavelmente escrever livros e vou botar neles todos os meus pensamentos,sabe tem algo em mim que me diz que eu devo mostrar meu rancor e nada melhor para fazer isso que um livro não concorda ?vou botar tudo pra fora de uma forma ou de outra,ainda estou decidindo se crio um personagem fictício baseado em mim,provavelmente farei isso....vai ser demais.E faculdade para mim é isso mesmo,só um "estágio" que eu tenho que passar para poder trabalhar,nada grande ou espalhafatoso como todo mundo parece achar,eu mesmo nunca vi nada demais na "grande coisa" que é fazer faculdade,eu não tenho objetivos,não tenho desejos e nem pretendo ter....então porque eu deveria me importar de estar condenando a mim mesmo afinal ?eu passei por isso na escola cara,fazendo coisas que eu não queria e nunca reclamei em voz alta,então faculdade não deve ser um Monstro de 7 cabeças e eu já condenei a mim mesmo antes então fazer isso de novo não vai ser nada demais e não vai machucar meu coração de pedra.Se for depressão ela é que é minha amiga cara....ela me permitiu  evoluir e enxergar como o mundo é cinza,tenho uma dívida de gratidão enorme com ela e o favor que ela me fez,se não fosse por ela eu ainda acreditaria naquelas bobagens de "final feliz" e de "como as coisas são simples" que mostram na TV,se não fosse por ela eu ainda estaria na Ilusão de que oooh o amor é importante ou algo do tipo,o máximo de amor na vida é paternal e na família.....o resto é Ilusão de pensamentos positivos fúteis e tolos,esse outro amor só rola de verdade uma vez.....depois algo muda,as outras pessoas ficam tentando seguir em frente com outros relacionamentos porque não devem gostar de se lembrar,a diferença entre mim e os outros é que eu não pretendo esquecer eu tenho que me lembrar dessas falhas, e eu aprendi muito com as coisas que passei QUESTÃO,aprendi que a vida é cinza e não um mar de rosas,aprendi a nunca confiar plenamente em ninguém,aprendi que se apaixonar é o cúmulo da burrice e é algo que deve se evitar,aprendi que é bom ser paranóico pois um pouco de paranóia não faz mal para mim,eu aprendi bastante só ignorei os pontos positivos desse aprendizado que sei que estão errados e me fazem mais fraco e colhi os pontos negativos que estão certos e me fazem ser mais forte para lidar com o Mundo que criaram lá fora de casa.Por fim.....eu acho que é até bom ser fatalista,pelo menos assim eu posso enxergar a vida como ela é:uma coleção de decepções e fracassos disfarçada no inicio como algo bom e prazeroso que voce é forçado a passar porque outros quiseram... pobres das crianças enganadas pelos adultos que vendem pra  elas a vida como se fosse algo completamente bom,sei bem como é isso,acho que se soubessem que eu seria assim meus parentes teriam me dito a verdade desde sempre,é uma forma de consolo pra mim eu acho.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Espectro, volto a repetir cara.

Você não está sozinho! Nem que seja conosco aqui no forum.

Você é novo, e tem um futuro inteiro pela frente antes de seguir um conceito absoluto de como levar a vida. Fique bem e estamos aí! Volto a repetir, é muito importante você dividir essas angústias e certezas com alguém que você confie.

Grande abraço.

Share this post


Link to post
Share on other sites
On 02/10/2017 at 3:37 AM, O Espectro said:

gostavam de ser idiotas e babacas comigo quando não precisava

Felipe, as conversas mais recentes aqui no tópico acabaram chamando a
minha atenção para um item que pode ser relevante.

É uma dúvida minha: qual é a sua relação com o conceito de alma? Quais são as crenças que você costuma aplicar nas suas reflexões sobre o conceito de alma?

Share this post


Link to post
Share on other sites
18 hours ago, Gust84 said:

Espectro, volto a repetir cara.

Você não está sozinho! Nem que seja conosco aqui no forum.

Você é novo, e tem um futuro inteiro pela frente antes de seguir um conceito absoluto de como levar a vida. Fique bem e estamos aí! Volto a repetir, é muito importante você dividir essas angústias e certezas com alguém que você confie.

Grande abraço.

Bom pelo menos é um alento de alguma forma,voces provavelmente são os mais próximos que eu devo ter de amigos nessa vida,nem que seja pela internet,bom obrigado por ouvir minhas besteiras.....provavelmente ainda vou fazer isso bastante.

18 hours ago, primo said:

Felipe, as conversas mais recentes aqui no tópico acabaram chamando a
minha atenção para um item que pode ser relevante.

É uma dúvida minha: qual é a sua relação com o conceito de alma? Quais são as crenças que você costuma aplicar nas suas reflexões sobre o conceito de alma?

Não costumo pensar muito nisso para falar a verdade....meus pais são budistas e eu meio que sou mas não quero ser sabe ?,mas eu não gosto muito de alguma religião eu acho,provavelmente eu seria um ateu mas bem....os sonhos proféticos me fizeram ficar com um pé atrás sabe...eu acho que não ligo muito para minha alma se ela existir para falar a verdade.....provavelmente porque perdi tempo demais com expectativas e fé......bem já que eu falei sobre os sonhos e minha vida tinha algo que eu meio que omiti por ser outra coisa estranha.... a algum tempo atrás quando eu era um pouco menos conformista do que hoje eu meio que podia pensar minha indignação para um Céu e um possível Deus....a pouco tempo atrás quando eu pensava algo como "Voce é um péssimo Deus","Eu seria um Deus melhor do que voce,eu faria o que voce não faz","Voce vai pagar caro pelo que me faz passar,se voce existir eu vou me vingar"......não tenho muita vergonha de falar que tive esses pensamentos e também pensamentos de vingança ou desejando uma má-vida a alguns de meus antigos colegas de escola.....só que tem algo em comum:quando eu penso isso,imediatamente depois eu sinto um som na minha cabeça,muito estranho que me faz ficar bem tonto,por exemplo se eu estava de pé quando tinha isso,eu tinha imediatamente de me sentar em algum lugar para apoiar.....recentemente surgiu um som novo que de vez em quando se manifesta,parece o som de uma ambulancia ou carro de polícia e eu sei que é na minha cabeça porque eu vejo que é nítido que apenas eu escuto....eu não sei o que penso disso,já me questionei se sou a reencarnação de alguém maligno como Hitler,Stalin ou Calígula.... e até já pensei se é alguma possível conexão minha com algo sobrenatural mas que alguma coisa impede essa "conexão" de se realizar.....eu provavelmente não contaria isso antes,mas como já contei dos sonhos antes e da minha vida,então porque não ?eu não sei se isso tem algo a ver por minha alma ser fragilizada ou talvez maligna,mas eu sei de uma coisa....eu não entendo que nem os sonhos e me frustra não entender isso,mas espero receber as respostas desses enigmas quando eu morrer algum dia.

Share this post


Link to post
Share on other sites
5 hours ago, O Espectro said:

minha alma ser fragilizada

em alguns aspectos, budismo e hinduísmo se assemelham, e, a partir disso, eu gostaria de conversar aqui sobre o
conceito de alma (a consciência como alma), com base no que citei do seu comentário. Acho que veremos a conexão com o que acredito ser o ponto central dos dilemas. Peço que imagine um cenário onde o que digo a seguir seria real e inquestionável: a alma não se fragiliza. Na verdade, ela sofreria processo de anulação parcial e momentânea, como um eclipse. Imagine. É um exercício.

A partir daí, você tomaria a decisão corajosa de direcionar seus holofotes, seu empenho, para os elementos, em você, que eclipsam a sua consciência. Exemplos comuns (tentaríamos encontrar os seus) são 1.aspectos físicos que a mente transforma em barreiras psicológicas; 2.ausência de proximidade afetiva com familiares e colegas; 3.situações adversas em ambiente escolar na infância etc. Se você topar, seria interessante termos exemplos bem específicos. Se forem mais abrangentes, sem problema.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now
Sign in to follow this  

×