Jump to content
Forum Cinema em Cena
Questão

Punho de Ferro (A Série)

Recommended Posts

 Conferi o piloto.

 

 Achei bem mais ou menos. É diferente das outras séries da Netflix no que diz respeito a sua ambientação, pois possuem muito mais cenas diurnas e ambientes solares do que suas parceiras. Sai também os bairros mais periféricos de Hell's Kitchen e Harlem, e entra o mais luxuoso distrito empresarial de Nova York.

 

 Mas no geral, é um piloto bem fraco, e não particularmente muito bem dirigido. Tem uma cena em que Danny Rand dá um mortal por cima de um carro que achei bem constrangedora. Devo insistir mais um pouco, mas não foi um começo promissor.

 

PS: Pior crédito de abertura das séries Marvel/Netflix também. Sem o charme e personalidade das aberturas de DEMOLIDOR, JESSICA JONES e LUKE CAGE.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 Assisti os episódios dois e três;

 

 Tem uma melhora considerável em relação ao piloto sofrível. É uma série bacaninha, mas falta aquele "algo a mais", que mesmo a tão criticada LUKE CAGE tinha na minha opinião. Falta um personagem mais forte. Além disso, embora competentes, as cenas de luta acabam não sendo o que se espera quando se fala de uma série que tem as artes marciais em seu cerne. Não chega a ser ruim, mas com certeza fica atrás das séries dos outros Defensores.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 Quem tem amigos, não morre pagão. E nem desempregado :D

 

 

 

Punho de Ferro | Benedict Cumberbatch ajudou ator de Sherlock a conseguir papel na série
POR
 DANIEL MORAES
 -
  20/03/2017
 
 
 
Benedict-Cumberbatch.jpgBenedict Cumberbatch
 

Sacha Dhawan foi escolhido para interpretar Davos na série do Netflix Punho de Aço. Mas para conseguir o papel, o ator contou com a ajuda de Benedict Cumberbatch. Dhawan foi companheiro de Cumberbatch nas gravações de Sherlock e durante a última temporada da série recebeu conselhos antes de conseguir o papel em Punho de Ferro

 

A conversa começou quando os dois participaram de uma cena de luta que durou três dias no set de filmagem de Sherlock. “Eu sabia que ele tinha feito Doutor Estranho e ele me perguntou: ‘O que você vai fazer depois?’ Aí eu disse: ‘no momento estou fazendo um teste para o Punho de Ferro’. E ele pegou o celular, começou a teclar e depois disse: ‘A propósito, acabei de mandar um email para um contato da Marvel”, disse ao Radio Times.

Surpreso, Dhawan comentou com o companheiro de cena sobre sua atitude e recebeu uma boa resposta. “Eu disse: ‘Oh!’ E ele completou: ‘É, é, eu escrevi algumas boas coisas sobre você’. E eu disse que não precisava, mas ele respondeu: ‘Não, foi um prazer. Eu amei trabalhar com você”.

 

 

FONTE: OBSERVATÓRIO DO CINEMA

Share this post


Link to post
Share on other sites

 Então, terminei a 1ª temporada.

 

  Olha, acho que apesar do começo fraco, a série melhora bastante ao longo dos episódios  (embora volte a cair nos episódios finais). Embora não chegue a ser um desastre, como alguns apontaram, com certeza é o produto mais fraco da parceria Marvel/Netflix até aqui. Para uma série que tem as artes marciais como centro da narrativa, esperava coreografias um pouco mais performáticas. Não que as cenas de luta estejam ruins, muito pelo contrário, mas lembram simplesmente as vistas em DEMOLIDOR sem a mesma visceralidade (o que de certa forma faz sentido, já que por ser um mestre das artes marciais, Danny Rand se vale mais da técnica do que da brutalidade). Mas apesar de esperar mais, não se pode negar que são muito boas com destaques para algumas sequências ocorridas no meio da temporada, envolvendo um torneio contra o Tentáculo, e a luta contra um lutador do "estilo bêbado" na China.

 

 A série parece ter certa vergonha também em abraçar o seu caráter mistico (embora a falta de orçamento definitivamente tenha algo a ver com isso). Praticamente não vemos o passado de Danny em Kun Lun, a cidade mística onde cresceu, assim como não vemos praticamente nada de seu treinamento. O pior é que fica-se com a impressão de que isso se deve muito mais por que a Netflix não teve grana pra entregar uma Kun Lun convincente do que por uma decisão criativa.

 

 Esses fatores poderiam ser ignorados se a série não apresentasse outros problemas. A começar pela falta de um vilão forte. A ameaça acaba ficando diluída entre Harold Meachum, o seu filho Ward Meachum, e a organização Tentáculo (que surge aqui com duas facções diferentes). Além disso, a série parece falhar em construir a jornada dramática de seu protagonista. A ideia clássica de botar o herói dividido entre a sua vida civil como Danny Rand e suas obrigações como o Punho de Ferro, protetor de Kun Lun poderia ter funcionado bem justamente pela simplicidade, com o herói questionando tanto o que a sociedade de Nova York espera dele quanto o que Kun Lun espera. Mas os roteiros se perdem em muitos momentos nessa construção, entregando um protagonista instável, hora com um código de conduta muito bem estabelecido, hora propenso a surtos de raiva bem mal explorados pela direção.

 

 Mas como eu disse, a série não é um desastre, e tem coisas muito boas. Ward Meachum tem uma jornada de queda e redenção bem interessante de se acompanhar. Apesar dos problemas na construção do personagem, Finn Jones consegue fazer de Danny Rand um personagem por quem simpatizamos e torcemos. Rosario Dawson, já mais do que a vontade com sua Claire Temple surge aqui quase como um alívio cômico muito bem colocado, funcionando como a voz da razão em muitos momentos. E a velha Madame Gao, que já havia aparecido nas duas temporadas de DEMOLIDOR surge como a melhor vilã da série, sempre irônica e manipuladora, parecendo estar sempre um passo a frente dos heróis.

 

 Enfim, é a série mais irregular da Marvel/Netflix mesmo. Mas ainda vale a conferida.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Punho de Ferro | Cocriador fala sobre polêmica de apropriação cultural
POR
 YGOR PALOPOLI
 -
  21/03/2017
 
 
 
crop2_lewistanironfist-696x263.jpg
 

Desde sua estreia, a série Punho de Ferro levantou diversas críticas negativas. Algumas em relação a seu roteiro, outras sobre as atuações. Mas uma grande parte da crítica foi motivada por acusações de apropriação cultural na série. A polêmica voltou a figurar depois da notícia de que o ator américo-asiático Lewis Tan revelou que foi cotado inicialmente para viver o protagonista Danny Rand e não o vilão Zhou Cheng.

 

Para a crítica, a escolha mostrou como a indústria pode ser preconceituosa e clichê, repetindo heróis dentro do padrão e deixando outras etnias para outros papéis. Quem discorda disso é o cocriador da série Roy Thomas, que falou a respeito da polêmica para o The Inverse.

“Eu estou tentando não pensar muito a respeito disso. Não tenho muita paciência pra esse tipo de coisa. Digo, apropriação cultural? Meu Deus, é simplesmente uma aventura de herói. As pessoas não tem algo melhor para fazer do que se preocupar se o protagonista é asiático ou não?”, declarou Roy.

Roy disse ainda que tudo na série se passa em uma realidade fictícia e que nada disso deve ser uma preocupação, pois segundo ele, Punho de Ferro é qualquer coisa, menos racista.

 

 

FONTE: OBSERVATÓRIO DO CINEMA

Share this post


Link to post
Share on other sites

Punho de Ferro | Estreia pode ter superado Stranger Things, Luke Cage e outras em audiência
Empresa de coleta de dados afirma que o último defensor não decepcionou nos números
31/03/2017 - 15:34 - ARTHUR ELOI


Iron-Fist_BIbUXQQ.png

 

Apesar de uma recepção decepcionante por parte da críticaPunho de Ferro pode ter sido uma das estreias mais assistidas da Netflix como um todo, segundo dados coletados pela empresa de pesquisa 7Park Data. A informação foi incialmente publicada pela Variety.

Os relatos da 7Park, que mede as visualizações de assinantes de serviços de streaming, apontam que 54,7% das exibições do seriado na estreia foram dos episódios três ou mais avançados, mostrando que o público estava engajado na maratona. Além disso, o programa o último defensor conquistou 14,6% da audiência total da Netflix, superando outros gigantes como Stranger Things (4,0%), a quarta temporada de Orange is the New Black e até mesmo seus companheiros Luke Cage (12,8%) e a segunda temporada de Demolidor (13,8%).

 

Por que uma dissonância tão grande entre público e crítica? O analista sênior da 7Park Chistopher Coby explica: "A relação entre críticas e apelo em massa sempre foi complicada. Considere as décadas de 1970, 1980 e 1990 onde há uma longa lista de programas com altíssimos números de audiência mas com poucos Globos de Ouro ou Emmys. Nossos dados mostram que os programas que os críticos consideram de qualidade e aqueles que o público considera os melhores podem ser coisas muito diferentes. Punho de Ferro é mais um desses exemplos."
Vale ressaltar que os números não são oficiais, afinal a Netflix não divulga informações sobre visualizações ou hábitos de consumo de seus assinantes. Os 13 episódios da primeira temporada de Punho de Ferro chegaram ao serviço em 17 de março. Os Defensores deve estrear no segundo semestre.

 

https://omelete.uol.com.br/series-tv/noticia/punho-de-ferro-estreia-pode-ter-superado-stranger-things-luke-cage-e-outras-segundo-empresa-de-pesquisa-de-dados/

 

 

Por que uma dissonância tão grande entre público e crítica?

 

Er... Seria porque ninguém tem que ter a mesma opinião da dita "crítica" (para o bem ou para o mal). Cada um com a sua.

 

Nossos dados mostram que os programas que os críticos consideram de qualidade e aqueles que o público considera os melhores podem ser coisas muito diferentes.

 

duh.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Nem tô defendendo a série (não vi ainda), mas essa discussão opinião de público vs opinião de crítica é meio duh pra mim.

 

Todo mundo tem sua opinião, cada um cada um, então pode muitas vezes ter discrepâncias mesmo de público gostar de algo que críticos não gostam e vice-versa.

Share this post


Link to post
Share on other sites

público gostar de algo que críticos não gostam

 

Assisti apenas ao primeiro episódio, e tem um problema ali de

argumento / coerência / atuação em um nível que não vi nas séries anteriores do eixo Disney - Netflix.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mas aí é você (e muitos outros também) que viu isso, só que povão pode não ter ligado, sei lá. Ninguém é obrigado a rejeitar a série porque a crítica foi contra.

 

Transformers do Bay tem público até hoje, e nitidamente a crítica rejeita.

 

 

E falo até em primeira pessoa, curto a série Sexta-feira 13 que sempre foi renegada pelos críticos e tals. Acho que isso foi até bom, porque desde cedo aprendi a não ligar muito pra isso.

 

 

Próprio Omelete gostou do BvS que muitos da crítica não gostaram (seria os críticos do Omelete discordando de outros críticos - até dentre eles não há uma "unanimidade").

 

 

Realidade é que cada um tem sua opinião, a crítica pode ter uma opinião mais embasada, mas isso não quer dizer que o público vá dizer amém pra tudo que dizem. Sei lá. E essa matéria do Omelete trata isso como algo meio "inimaginável" (talvez pra fazer meio sensacionalismo pra dar clickbait, enfim), e não é. É algo até normal de rolar.

Share this post


Link to post
Share on other sites

não quer dizer que o público vá dizer amém pra tudo que dizem. Sei lá.

 

Sim, e nem deveriam mesmo. A crítica entra como mais um elemento.

Indo além, eu diria que, tanto no caso do Punho de Ferro quanto no de BvS, percebi o "público" mais dividido do que o comum (leia-se obras recentes baseadas em quadrinhos). Daí a recepção morna ganha peso, mas os estúdios, obviamente, optam pelo estilo João sem braço e bombam o conceito "é feito para fã" nas entrevistas. Nada contra a estratégia para fugir do mea-culpa, mas atingir um público maior todo grande estúdio quer.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Assisti apenas ao primeiro episódio, e tem um problema ali de

argumento / coerência / atuação em um nível que não vi nas séries anteriores do eixo Disney - Netflix.

O piloto é provavelmente o pior episódio da série. Depois melhora (embora alguns defeitos persistam).

Share this post


Link to post
Share on other sites

Punho de Ferro | Segunda temporada terá novo produtor e passará por ajustes

Raven Metzner assume as funções de Scott Buck
22/07/2017 - 16:45 - RAFAEL GONZAGA
punhocrop_H0j8i79.jpg
 

Marvel confirmou a segunda temporada de Punho de Ferro durante a San Diego Comic-Con 2017 e foi revelado que Raven Metzner (Sleepy Hollow) irá assumir a produção executiva da série da Netflix, substituindo Scott Buck, que esteve a frente da primeira temporada. (via Deadline)

Com a saída de Buck de Punho de Ferro, ele se concentrará nas atividades como produtor executivo de Inumanos, outra série da Marvel.

A renovação havia sido anunciada por Jeph Loeb, chefe da Marvel TV. Sobre a substituição, Loeb declarou que foi feita pensando no melhor para o programa. "O amor de Raven por todas as coisas de Punho de Ferro e seu extenso conhecimento de filmes de artes marciais o tornaram a escolha perfeita para continuar a contar as aventuras de Danny Rand e Colleen Wing. A primeira temporada e Os Defensores são apenas o começo deste conto de ação fantástica".

Punho de Ferro deverá sofrer ajustes na sua segunda temporada, visto que a série da Marvel na Netflix que não conseguiu boas críticas em seu lançamento.

Ainda não há previsão de estreia, mas o novo ano contará com a participação de Misty Knight (Simone Missick). A personagem de Luke Cage deve unir com Colleen Wing (Jessica Henwick), como indicou Jeph Loeb, o presidente da Marvel TV.

 

FONTE: OMELETE

 

Já estava achando que iam cancelar. Mas a mudança de Showrunner indica que estão buscando mesmo uma nova direção após a péssima recepção critica da temporada de estréia.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Punho de Ferro | Chefe da Marvel nega que troca de showrunners tenha sido por conta de críticas

POR
 CAIO COLETTI
 -
 28/07/2017
 
 
 
  
punhodeferro-696x464.jpg Punho de Ferro
 

Ouça este conteúdo

 

0:00

01:09

 
 

Raven Metzner, roteirista que comandou Sleepy Hollow para a Fox, será o novo showrunner de Punho de Ferro, série da Marvel/Netflix cuja renovação para segunda temporada foi anunciada na sexta-feira passada (21) pelo estúdio.

?dc=5550003218;ord=1501267075519

No entanto, o chefe da Marvel TV, Jeph Loeb, garante que a mudança não se deve as críticas ruins recebidas pela primeira temporada, comandada pelo roteirista Scott Buck (Dexter).

“Não foi isso que aconteceu, Scott não foi demitido. O que houve foi que ele se envolveu com Inumanos, outra de nossas séries, e quando a Netflix nos pediu mais uma temporada de Punho de Ferro sabíamos que ele não teria tempo para ambas. Raven chegou e nos contou uma história que nos convenceu. A ideia não é mudar a série radicalmente. Esse é o próximo capítulo, não um reboot”, garantiu ao Tracking Board.

Finn Jones estará de volta como Punho de Ferro em Os Defensores, que estreia no dia 18 de agosto na Netflix

Share this post


Link to post
Share on other sites
On 01/04/2017 at 8:52 AM, Questão said:

Raven Metzner (...) será o novo showrunner de Punho de Ferro (...) comandada pelo roteirista Scott Buck “(...) Scott não foi demitido. O que houve foi que ele se envolveu com Inumanos

às vezes o sujeito tá na droga e 
parte pra outras mais pesadas.

Share this post


Link to post
Share on other sites

defenders-image.jpg?resize=820%2C461

Oficializada durante a San Diego Comic-Con, onde também tivemos a confirmação da participação de Misty Knight (Simone Missick), a segunda temporada de ”Punho de Ferro” pode sofrer uma pequena alteração em seu desenvolvimento. De acordo com um novo relatório do Deadline, existe a possibilidade da Netflixdiminuir o número de episódios para apenas dez, ao invés de treze.

O site norte-americano reporta que foram reservados 23 episódios para a terceira temporada de Demolidore a segunda temporada de Punho de Ferro, e visto que a série do Homem Sem Medo continua sendo o maior sucesso da companhia de streaming, é de se imaginar que não sofrerá alterações em seu formato.

Assim como foi reportado anteriormente, as filmagens de ambas as séries estão agendadas para o fim do ano. Enquanto Demolidor deve retornar ainda em 2018, é esperado que Punho de Ferro só retorne em 2019.

 

FONTE: PUNHO DE FERRO

Netflix começando a economizar. Tá certo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Protagonista de Punho de Ferro quer o personagem com o uniforme clássico a partir de agora

POR
 YGOR OLIVEIRA
 -
 20/08/2017
 
 
 
  
dannyedavos.jpg Sacha Dhawan contracenando com Finn Jones
 

Ouça este conteúdo

 

0:00

00:56

 
 

Raven Metzner, roteirista que comandou Sleepy Hollow para a Fox, será o novo showrunner de Punho de Ferro, série da Marvel/Netflix cuja renovação para segunda temporada foi anunciada na sexta-feira passada (21) pelo estúdio. E a gravação com o novo chefe já deve começar neste ano.

?dc=5550003220;ord=1503257571342?dc=5550003219;ord=1503257573222
[x]

E pelo que depende do ator Finn Jones, protagonista da série, o personagem usará o uniforme clássico a partir de agora. Ao menos foi o que ele disse em entrevista a CBR.

“Eu não sou o roteirista da série, nem o produtor executivo. Então infelizmente essas coisas não são da minha alçada, mas no que depender de mim, eu certamente acho e quero que isso aconteça a partir da segunda temporada”, disse ele.

Finn Jones está de volta como Punho de Ferro em Os Defensores, que estreou no dia 18 de agosto na Netflix.

 

FONTE: OBSERVATÓRIO DO CINEMA

Share this post


Link to post
Share on other sites

Assisti aqui. Não achei ruim, até gostei, achei "bonzinho".

Curti alguns personagens, como a família Meachum. Pai, filho e filha. Pai vilão mas se une com Danny pra combater Tentáculos. Filho que poderia soar vilão, mas a relação difícil com o pai acaba se torcendo por ele. E a filha que mesma com ar de mocinha, toma umas atitudes estranhas aqui e ali (e, spoiler, pelo jeito vai se tornar vilã). Como tinha Tentáculos como vilão, eles puderam mover esses 3 personagens bem, de acordo com a história, sem detoar muito, e achei que funcionou.

Mas fora isso, achei uma história normal de herói que luta artes marciais e que vá buscar vingaça e tals. Pais mortos quando ele era criança e tals. E etc. Não achei o herói ruim, mas era algo usual sem novidades. Vilões da Tentáculos me irritavam mais, com aquela mania de ficar falando coisas vagas pra soar sábios.

O que mais pesou de negativo foi a preguiça de ver 13 epis. com 50min./1hr de duração cada. Até porque se vê que a história não precisava de tudo isso. Uns 8/9 epis. com 40 min. já bastava. Creio que o material original não tinha tanta base pra tanto. Poderiam ter feito mais compacto o lance.

No mais, a produção também deu uma capengada. Cenas de luta, cenários e etc. Certo momento, personagens vão pra China, mas se nota que filmaram na esquina do estúdio (sem falar que personagens vão lá e voltam tão rápido). Se nota que por ser já o 4º seriado (5ª temp. se contar as 2 do DD) seguido, e com vontade de filmar logo o encontro dos personagens, Marvel/Netflix fizeram esse seriado no piloto automático. 

Mas enfim, até veria uma nova temp. Espero que façam com mais esmero.

Share this post


Link to post
Share on other sites
12 hours ago, Jailcante said:

O que mais pesou de negativo foi a preguiça de ver 13 epis. com 50min./1hr de duração cada. Até porque se vê que a história não precisava de tudo isso. Uns 8/9 epis. com 40 min. já bastava. Creio que o material original não tinha tanta base pra tanto. Poderiam ter feito mais compacto o lance.

Pois é. Mesma impressão aqui. Mas parece que os caras se tocaram. A próxima temporada vai ter dez episódios (diferente das séries dos outros Defensores, que continuam com treze). Mas acho que o que mais decepcionou o pessoal, além da enrolação, foram as lutas. Não acho que sejam ruins, mas pra uma série cuja temática são as artes marciais, se esperava coisa bem melhor. É só comparar com as coreografias de DEMOLIDOR, que são outro nível Fora que a série veio prometendo explorar um lado mais místico do Universo Marvel e tal, mas percebe que os caras não tinham bala na agulha pra bancar essa proposta.

 

12 hours ago, Jailcante said:

No mais, a produção também deu uma capengada. Cenas de luta, cenários e etc. Certo momento, personagens vão pra China, mas se nota que filmaram na esquina do estúdio (sem falar que personagens vão lá e voltam tão rápido). Se nota que por ser já o 4º seriado (5ª temp. se contar as 2 do DD) seguido, e com vontade de filmar logo o encontro dos personagens, Marvel/Netflix fizeram esse seriado no piloto automático. 

 Pois é. Com certeza foi a série menos bem acabada da parceria Marvel/Netflix. Como você, não chego a achar a bomba de neutrons que muita gente aponta. Mas é uma série bem "Nhé", e não tem uma identidade forte como a dos outros defenders.

Chegou a conferir LUKE CAGE e OS DEFENSORES, jail?

Share this post


Link to post
Share on other sites
14 minutes ago, Jailcante said:

Ontem, fiquei na dúvida se via Luke Cage ou já ia logo pro Defensores. Na dúvida, deixei pra decidir depois. hehe

Tô mais ansioso pro Defensores, mas tô na cabeça que tenho que ver o Luke antes. Sei lá.

 

Jail... vai tomar um café com o Luke... e depois veja os defensores...

Share this post


Link to post
Share on other sites
10 hours ago, Jailcante said:

Ontem, fiquei na dúvida se via Luke Cage ou já ia logo pro Defensores. Na dúvida, deixei pra decidir depois. hehe

Tô mais ansioso pro Defensores, mas tô na cabeça que tenho que ver o Luke antes. Sei lá.

 

 Acho que o ideal mesmo seria ver LUKE primeiro, como o GILSONDEE sugeriu, pra experiência ser completa. Até por que tem alguns personagens, como a Misty Knight que são introduzidos lá. Mas dá pra ver OS DEFENSORES sem ver a série do Cage e compreender OS DEFENSORES de boa.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×