UA-130521384-1 Jump to content
Forum Cinema em Cena
SergioBenatti

Oscar 2018: Previsões

Recommended Posts

20th CDGA Costume Designers Guild Awards Winners:

Excellence in Contemporary Film

I, Tonya – Jennifer Johnson

Excellence in Sci-Fi / Fantasy Film

Wonder Woman – Lindy Hemming

Excellence in Period Film

The Shape of Water – Luis Sequeira

Excellence in Contemporary Television

The Handmaid’s Tale – Ane Crabtree

Excellence in Sci-Fi / Fantasy Television

Game of Thrones – Michele Clapton

Excellence in Period Television

The Crown – Jane Petrie

Excellence in Short Form Design

P!NK: “Beautiful Trauma” Music Video – Kim Bowen

Share this post


Link to post
Share on other sites

Com 15 minutos finais de partir o coração, fica muito difícil não dar a estatueta para este documentário de Feras Fayad.

Se ficamos conhecendo o trabalho dos White Helmets pelo curta vencedor do Oscar do ano passado- inclusive alguns dos corajosos herois retratados neste documentário também eram o foco daquele - não se pode confundir a assinatura. São diretores diferentes. Não se pode falar, a meu ver, em "desdobramento" do curta, ou algo nessa linha. É o mesmo tema, filmado semelhantemente no estilo mais direto possível, etc, mas aqui há um trabalho de cinema melhor. Trilha sonora lindísima, montagem e fotografia excelentes. No entanto, quem viu o curta do ano passsado, pode achar tudo aqui meio "repetitivo"...

Mas o que fica mesmo são os últimos minutos simplesmente devastadores. Tô arrepiado.

Este trabalho tem sido vítima de fake news implantadas por hackers russos, do mesmo modo que na última eleição americana. É dizer: a boataria criminosa pode minar o jogo democrático, como pode minar também o cinema. Portanto, os cinéfilos do mundo todo estão se unindo para proteger o diretor da onda difamatória.  O processo final de votação do Oscar coincide com essa onda de proteção ao doc, bem como infelizmente coincide com o recrudescimento dos ataques a esses últimos redutos de resistência na Síria.

Tendo visto todos os indicados, tendo-me desagradado só "Strong Island", meu voto seria em "Icarus". Ainda bem que eu não voto, pois seria dificílimo para mim não votar na Agnès Varda. Mas o Oscar é uma competição, não só uma homenagem. E o lado feliz da vida sucumbe à urgência e à relevância do tema.

Vai ganhar...? Acho que "Last Men in Aleppo". Não sem razão.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Wow... Concordo em quase tudo com você!!! Exceto pelo fato de que eu votaria em Last Men in Aleppo mesmo. Aquele final é realmente impressionante, quase como se houvesse uma chave que desliga o otimismo do diretor. Antes era a vida daquelas pessoas, os pequenos atos de generosidade as pessoas tentando levar suas vidas frente à barbarie e no final observamos o momento em que o realizador não consegue mais enxergar vida naquilo, a partir dali a esperança parece se dissipar. Não há mais futuro em Aleppo.E essa curva pra mim começa no plano do aquário. Uma das imagens mais lindas que vi esse ano. Tanta força em um plano.

Strong Island me soou "pessoal demais". Em geral, gosto de filmes que exploram emoções e experiências humanas universais usando para isso contextos pessoais específicos dos personagens. Já o que Strong Island parece fazer é explorar uma emoção muito pessoal e tentar envelopar isso no contexto mais universal do preconceito. A segunda forma não me atrai muito e eu não consigo empatizar com o filme, embora empatize obviamente com os personagens.

Faces, Places, é de uma singeleza que não tem par. A forma como o filme nos faz olhar para dois artistas olhando pro objeto da sua arte me emocionou muito. É ver a beleza da arte refletida nos olhos de quem produziu a arte. É o registro mais preciso de como um artista se sente ao ver sua própria obra.

Icarus é o Citizenfour do ano. Um cineasta no lugar certo e na hora certa cria um thriller em forma de documentário, navegando pelo maior escandalo esportivo da história. Gosto ainda de como ele nos faz empatizar com um cara que é um vilão dessa história, o cara que fazia todo o esquema funcionar. Ele é tão maluco, que vê uma certa beleza em ser o cara a desmascarar a si próprio. Um orgulho sociopático de mostrar que ele é o cara capaz de quebrar o sistema antidoping. Ele é o criminoso que não se sente feliz se ninguém conhecer o seu Magnus Opus. E o filme te possibilita ver isso tudo de uma perspectiva muito humana e muito próxima. De alguém que se tornou amigo do cientista.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Algoritmo prevê vencedor da categoria

Melhor Filme

O site Trinkful e seu criador, Adam Levenson, são famosos por darem vida a um algoritmo que é capaz de prever o vencedor da categoria Melhor Filme no Oscar. Em 2018, segundo o algoritmo, a fantasia A Forma da Água, de Guillermo Del Toro, é a favorita com 47% de chance. Em segundo lugar, Três Anúncios Para um Crime, de Martin McDonagh, com 28%. Os outros sete longas indicados tem chances pequenas, mas apenas Corra!, o terror de Jordan Peele, tem 0% de chances, segundo o algoritmo. Dados os indicados de todos os anos desde 1980, o algoritmo do Trinkful conseguiu prever corretamente 37 dos 38 vencedores, errando apenas a de 2017, quando Moonlight: Sob a Luz do Luar levou sobre La La Land: Cantando Estações (que era a aposta do algoritmo).
 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Algumas notas:

* O Oscar de Montagem parece estar migrando para "Baby Driver". 

* Os compositores de "Remember Me" declararam que a música foi composta a pedido da Pixar que então construiu o roteiro  ao redor da canção.

* Todo mundo agora quer ser o melhor amigo da Allisson Janney. Está em todos os programas de entrevista. Que delícia de pessoa!

* Alexandre Desplat, segundo os analistas, só perde pra Alisson Janney em termos de campanha. Está em todo lugar.

* "The Shape of Water" está sendo comparado a "Life of Pi", vencendo direção, trilha, e tal, mas sem o apoio dos atores ( SAG de elenco), fracassando  em Best Picture.

* Nas pesquisas de internet, só dá "Call me By Your Name". Perfil de votante bem diferente dos da Academia.

* "A Fantastic Woman" está se posicionando como o favorito. Tão engraçado ver os americanos falando de quão insuportável e bizarro é "The Square", que não tem trama, etc.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Acho que não coloquei o vencedor do principal prêmio para filmes no Sindicato de Efeitos Visuais. Foi na semana passada.

Visual Effects Society Awards:

Blade Runner 2049
John Nelson
Karen Murphy Mundell
Paul Lambert
Richard Hoover
Gerd Nefzer

Guardians of the Galaxy Vol. 2
Christopher Townsend
Damien Carr
Guy WilliamsJonathan Fawkner
Dan Sudick

Kong: Skull Island
Jeff White
Tom Peitzman
Stephen Rosenbaum
Scott Benza
Michael Meinardus

Star Wars: The Last Jedi
Ben Morris
Tim Keene
Eddie Pasquarello
Daniel Seddon
Chris Corbould

WINNER War for the Planet of the Apes
Joe Letteri
Ryan Stafford
Daniel Barrett
Dan Lemmon
Joel Whist

Share this post


Link to post
Share on other sites

O CAS foi ontem à noite e deu "Dunkirk".

THE 54th CAS AWARDS FOR
OUTSTANDING ACHIEVEMENT IN SOUND MIXING and OUTSTANDING PRODUCTS FOR 2017

MOTION PICTURE – LIVE ACTION
Dunkirk
Production Mixer – Mark Weingarten, CAS
Re-recording Mixer – Gregg Landaker
Re-recording Mixer – Gary Rizzo, CAS
Scoring Mixer – Alan Meyerson, CAS
ADR Mixer – Thomas J. O’Connell
Foley Mixer – Scott Curtis
MOTION PICTURE—ANIMATED
Coco
Original Dialogue Mixer – Vince Caro
Re-recording Mixer – Christopher Boyes
Re-recording Mixer – Michael Semanick
Scoring Mixer – Joel Iwataki
Foley Mixer – Blake Collins
MOTION PICTURE—DOCUMENTARY
Jane
Production Mixer – Lee Smith
Re-recording Mixer – David E. Fluhr, CAS
Re-recording Mixer – Warren Shaw
Scoring Mixer – Derek Lee
ADR Mixer – Chris Navarro, CAS
Foley Mixer – Ryan Maguire

Share this post


Link to post
Share on other sites

A Forma da Água e Dunkirk são indicados favoritos das redes sociais

As redes sociais Facebook e Youtube revelaram quais dos longas indicados a Melhor Filme no Oscar 2018 movimentaram mais suas plataformas nos últimos meses.
Para o Facebook, A Forma da Água é o indicado mais comentado. Dunkirk, épico de guerra de Christopher Nolan, ficou com a segunda posição, pouco acima de Me Chame Pelo Seu Nome, drama de Luca Guadagnino.
Na categoria de Melhor Ator, Denzel Washington (Roman J. Israel, Esq.) surpreendeu ao roubar a primeira posição de mais comentados do favorito ao prêmio, Gary Oldman (O Destino de Uma Nação). Daniel Day-Lewis (Trama Fantasma) apareceu em terceiro.
A recordista de indicações Meryl Streep (The Post: A Guerra Secreta) foi a indicada mais comentada na categoria Melhor Atriz, seguida por Margot Robbie (Eu, Tonya) e pela favorita ao prêmio Frances McDormand (Três Anúncios Para Um Crime).
Já no Youtube, o trailer mais visto entre os nove indicados a Melhor Filme é o de Dunkirk, com 43.9 milhões de visualizações. Corra!, terror de Jordan Peele, aparece na segunda posição, com 29.9 milhões de views.
A Forma da Água (18.2 milhões), The Post: A Guerra Secreta (17.3 milhões) e Lady Bird: A Hora de Voar (11.5 milhões) completam o top 5. As informações são da EW e da Variety.
O Oscar 2018 acontece nesse domingo (04).

Share this post


Link to post
Share on other sites

Agora faltam só Phantom Thread e os curtas live action.

O Phantom Thread verei amanhã, mas os curtas live action estão difíceis. Consegui trackear nas lojas do google play e da amazon americanas. Mas nenhum dos dois disponíveis no Brasil.

https://play.google.com/store/movies/details/Oscar_Nominated_Short_Films_2018_Select_Animation?id=_rRvsxf8Gj0

https://www.amazon.com/Oscar®-Nominated-Select-Animation-Action/dp/B07B38D154/ref=sr_1_11?ie=UTF8&qid=1519959245&sr=8-11&keywords=oscar+nominated

Ainda aguardo a liberação no Vimeo, pois o Vimeo disponibiliza videos em escala mundial sem lojas separadas. Assim posso evitar as táticas não-ortodoxas. Se alguém tiver outros meios, agradeço.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Após erro em 2017, dupla de atores apresentará Melhor Filme de novo

faye-warren-696x461.jpg

A dupla Warren Beatty e Faye Dunaway vai receber uma segunda chance de apresentar o prêmio de Melhor Filme no Oscar 2018, segundo o TMZ. Os dois foram vistos ensaiando o grande momento no Dolby Theatre, em Hollywood, nessa quinta (02). “Apresentar é melhor na segunda vez”, brincou Dunaway na sua estrada no palco. Os dois atores, mais conhecidos por fazerem par em Bonnie & Clyde, foram chamados para apresentar Melhor Filme no Oscar 2017, mas receberam o envelope errado e não corrigiram o erro, chamando assim o vencedor errado. O momento da confusão (Warren & Faye anunciaram La La Land como Melhor Filme, quando o verdadeiro vencedor era Moonlight) entrou para a história do Oscar – veja um vídeo mais abaixo.Vamos esperar que não aconteça de novo na edição de 2018, que acontece nesse domingo (04).


 

Share this post


Link to post
Share on other sites

"Traffic Stop": Odioso baculejo racista em uma maravilhosa professora de matemática do Texas. Revoltante/importante. Parabéns, HBO! Mais um exemplar na filmografia sobre o tema do (desnecessário) encarceramento/aprisonamento em massa de negros nos Estados Unidos, que temos acompanhado o cinema discutir nos últimos anos. Mais ou menos 30 minutos.

Por falar nisso:

"Knife Skills": Master Chef de ex-presidiários, trabalhando pela primeira vez em um restaurante francês. Muito legal, divertido, otimista. Meu segundo favorito. Mais ou menos 40 minutos. Podia ser menor. Ótima ideia para um filme.

 

Tendo visto todos os Curtas de Documentário, gostado muito de todos, meu preferido é "Edith + Eddie". Era o favorito, mas acho que o buzz de "Heaven is a Traffic Jam on the 405", beneficiado pelo título instigante, tem crescido muito nos últimos dias. Amanhã, solto minha lista final com as apostas.

 

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
10 hours ago, lmborba said:

Agora faltam só Phantom Thread e os curtas live action.

O Phantom Thread verei amanhã, mas os curtas live action estão difíceis. Consegui trackear nas lojas do google play e da amazon americanas. Mas nenhum dos dois disponíveis no Brasil.

https://play.google.com/store/movies/details/Oscar_Nominated_Short_Films_2018_Select_Animation?id=_rRvsxf8Gj0

https://www.amazon.com/Oscar®-Nominated-Select-Animation-Action/dp/B07B38D154/ref=sr_1_11?ie=UTF8&qid=1519959245&sr=8-11&keywords=oscar+nominated

Ainda aguardo a liberação no Vimeo, pois o Vimeo disponibiliza videos em escala mundial sem lojas separadas. Assim posso evitar as táticas não-ortodoxas. Se alguém tiver outros meios, agradeço.

 

Pra mim, só falta "O Insulto", e essa dor de cabeça dos Live Action. Todo ano é a mesma coisa. Consegui ver, em um site australiano, o "The Eleven O`clock", que é uma comédia legalzinha, mas fui procurar pra você e o link estava expirado/inabilitado. Consegui assistir a 3 minutos de "Watu Wote: All of Us", no youtube alemão, e me pareceu maravilhoso.

Acredito que de hoje para amanhã eles ficam liberados. Avisarei.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Os 10 discursos mais bizarros

da história da premiação

you-like-me-696x464.jpg

Com o Oscar 2018 se aproximando nesse domingo (04), a identidade dos vencedores causa tanta expectativa quanto o que eles vão falar no palco quando subirem receber suas estatuetas. Na maioria das vezes, são os agradecimentos comuns que saem da boca dos premiados, mas em alguns momentos essa gratidão se transforma em algo mais estranho. Confira:

SALLY FIELD (1985, Melhor Atriz por Um Lugar no Coração) | “Eu não posso negar o fato que vocês gostam de mim! Nesse momento, vocês gostam de mim!”. A admissão desavergonhada de busca por aprovação de Field entrou para a história do Oscar como um dos discursos mais parodiados, reavaliados e vistos da história. Se você nos perguntar, como tudo que Field faz, o discurso foi adorável.

CUBA GOODING JR. (1997, Melhor Ator Coadjuvante por Jerry Maguire) | Após alguns segundos de agradecimentos, Cuba começou a ouvir a música alta que indicava que ele tinha que sair do palco – mas não foi o que ele fez. Ao invés disso, o ator começou a gritar a continuação do seu discurso, e a exclamar “Eu te amo!” para cada pessoa que agradecia. A alegria contagiante fez o teatro todo se levantar para aplaudir.

ROBERTO BENINGNI (1999, Melhor Filme Estrangeiro por A Vida é Bela) | Outro que contagiou o público com seu discurso foi o italiano, diretor e astro do filme, que recebeu seu Oscar das mãos da icônica Sophia Loren. Benigni começou subindo nas cadeiras da plateia, pulando em seu caminho até o palco, e falando italiano na parte final do discurso.

“MARLON BRANDO” (1973, Melhor Ator por O Poderoso Chefão) | Mary Louise Cruz, uma atriz e ativista nativo-americana, usou seu nome artístico Sacheen Littlefeather para comparecer no lugar de Brando no Oscar de 1973. Brando recusou o prêmio por O Poderoso Chefão, e Littlefeather esclareceu no discurso que a recusa foi uma forma de protestar contra o tratamento de nativo-americanos pela indústria cinematográfica.

ADRIEN BRODY (2003, Melhor Ator por O Pianista) | Ao se tornar o vencedor mais jovem do Oscar de Melhor Ator por O Pianista (título que tem até hoje) aos 29 anos, Brody subiu ao palco e tascou um beijão na apresentadora, Halle Berry. O discurso que se seguiu foi bem convencional, mas o momento seria inesquecível – Berry criticaria o acontecido depois, dizendo: “Eu só conseguia pensar: ‘Que p*rra é essa?’”.

JACK PALANCE (1992, Melhor Ator Coadjuvante por Amigos, Sempre Amigos) | Aos 73 anos, o lendário Jack Palance subiu ao palco para receber seu troféu com uma causa a defender. Segundo ele, quando atores ficavam mais velhos, eles eram esnobados em Hollywood – para mostrar que era capaz de qualquer coisa, Palance não só venceu o Oscar como resolveu fazer flexões no palco!

SHIRLEY MACLAINE (1984, Melhor Atriz por Laços de Ternura) | Após um longo, engraçado (“Essa cerimônia é tão longa quanto a minha carreira”), belo e profundo discurso, Shirley terminou dando um nocaute na plateia ao dizer o que muitos vencedores com certeza quiseram dizer antes dela: “Eu mereço isso. Obrigada”.

JANE FONDA (1972, Melhor Atriz por Klute, O Passado a Condena) | “Há muitas coisas para dizer, e eu não vou dizê-las hoje a noite. Eu só gostaria de realmente lhes agradecer muito”. Essa é a totalidade do discurso de Fonda ao vencer o seu primeiro Oscar em 1972. Polêmica, Fonda era conhecida como ativista anti-Vietnã na época, de forma que o discurso pareceu com uma alfinetada política.

ALFRED HITCHCOCK (1968, Oscar honorário) | Os discursos dos Oscar honorários geralmente são mais longos do que os outros, mas Alfred Hitchcock não quis saber de enrolação, nem de deixar o público no suspense (o que era sua especialidade na frente das câmeras). Recebendo o troféu, ele simplesmente disse “obrigado”, e saiu do palco, voltando rapidamente para acrescentar: “De fato”.

JOE PESCI (1991, Melhor Ator Coadjuvante por Os Bons Companheiros) |O sempre marcante Joe Pesci é outro que optou por um dos discursos mais curtos da história da Academia. Vencendo o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante, Pesci subiu ao palco, esperou os aplausos e disse: “É meu privilégio. Obrigado”.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Chegamos ao final da temporada. Não podemos cravar quem será o ganhador em: Filme Estrangeiro, Documentário, Canção, Curta Documentário, Efeitos Visuais, e...Filme. Eu vou apostar  naquele que tem a única regra que ainda não caiu: a indicação em SAG de elenco. 

Foi um ano marcado pelo movimento #metoo, que quebrou o silêncio das vítimas de assédio sexual na indústria do cinema. Entre acertos e erros, tibiezas e coragem, prudência e excessos, creio que o cinema sai fortalecido. As medidas de rejuvenescimento e globalização da Academia, bem como, dira eu, de conscientização sobre a necessidade imperiosa de diversificação da indústria, postas em práticas nos últimos anos, funcionaram! O conjunto de indicados mostrou-se mais diverso, multicultural, e de maior relevo cultural. O Brasil passou em branco novamente, ao escolher o filme mais "querido", mas certamente o menos internacional; como eu digo todo ano: bem feito, toma na cabeça!!

 

Abaixo segue meu ranking top 10, considerando só filmes que mereceram alguma indicação. Logo "Mother!", "120 battements par minute", "Félicité", que eu gostei muito, ficaram de fora das considerações.

O filme que realmente encheu o meu cérebro (encher o cérebro é até um critério amoroso pra mim), que me emocionou, que eu vi no dia, 29-12-2017, às 17h de um dia belíssimo no litoral do Estado de São Paulo, encabeça a primeira posição:

 

Ranking top 10:

1) Call Me By Your Name

2) Dunkirk

3) Phantom Thread

4) Blade Runner 2049

5) The Florida Project

6) Get Out!

7) Three Billboards Outside Ebbing, Missouri

8) The Shape of Water

9) Mudbound

10)War for The Planet of The Apes

 

Menções Honrosas: "Loveless", "Logan", "Baby Driver", "The Disaster Artist", "I, Tonya", "Molly`s Game", "Garden Party", "Coco","Star Wars: The Last Jedi", "Icarus", "Last Men in Aleppo", "Faces Places", "The Breadwinner".

 

Pior filme da temporada: "Bright". 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ranking das 10 melhores cenas* do ano:

10) A aparição- vamos dizer assim - fantasmágorica em "Phantom Thread"

9) A personagem da Frances McDormand apagando os outdoors incendiados em "Three Billboards Outside Ebbing, Missouri"

8) Os macaquinhos fugindo por um fio do "campo de concentração"  em "War for The Planet Of the Apes"

7)  A personagem da Meryl Streep decidindo por telefone a finalmente publicar a denúncia em "The Post"

6) Elio alquebrado, na porta de casa, e depois na cama, esperando por Oliver em "Call Me By Your Name"

5) A luta final de "Blade Runner 2049"

4) A primeira sessão de hipnose de Daniel Kaluuya em "Get Out!"

3) A cena do torpedo em "Dunkirk"

2) Os créditos finais em "Call Me By Your Name"

1) A conversa entre pai e filho em "Call Me By Your Name"

 

 

Menções Honrosas:  A personagem da Margot Robbie se maquiando e segurando o choro em "I,Tonya"; O "Vai se fuder!' em sinais de "The Shape of Water";  A cena da cadeira do dentista em "Three Billboards Outside Ebbing, Missouri"; o sapateado entre Richard Jenkins e Sally Hawkins em "The Shape of Water"; a cena final de Luke Skywalker em "Star Wars: The Last Jedi"; O personagem de Timothée Chalamet enfiando a cara no short de Oliver em "Call me By Your Name'; O personagem do Daniel Day-Lewis tirando as medidas de Vicky Krieps em "Phantom Thread"; O enterro em "Logan".

 

O instante do espelho entre as pernas em "A Fantastic Woman" é das coisas mais bonitas que eu já vi no cinema, mas dura o quê? - 2 segundos?! Vou chamar de "instante".

 

Pior cena: A invencionice demagógica de Churchill conversando com populares no metrô em "Darkest Hour".

 

* cena no sentido atécnico.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×