Jump to content
Forum Cinema em Cena
silva

Stanley Kubrick

Qual vcs escolhem?  

85 members have voted

  1. 1. Qual vcs escolhem?

    • Laranja Mecânica
      32
    • O Iluminado
      11
    • Dr. Strangelove
      6
    • Nascido Para Matar
      4
    • Spartacus
      0
    • Lolita
      4
    • 2001 - Uma Odisséia no Espaço
      39
    • O Grande Golpe
      1
    • Glória Feita de Sangue
      4
    • A Morte Passou por Perto
      0
    • De Olhos Bem Fechados (?)
      13
    • Outro?? Comente, sim?
      3


Recommended Posts

" Barry Lyndon – Dir: Stanley Kubrick

Uma obra-prima feita para os amantes da beleza de todas as artes. É o Kubrick exagerando no colorido' date=' como ninguém sabe fazer; arrebatando mais um filme perfeito da sua carreira majestosa ... . "

 

[/quote']

 

It , parabéns pelo texto ! Bary Lyndon , aliás , se tornou o meu filme preferido do Stanley Kubrick . 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Lembrando que, em abril, teremos o Festival do Kubrick. Não percam, passem no Cineclube já e entrem no tópico, pelo amor do Kubrick. 0604

 

 

It ' date=' parabéns pelo texto ! Bary Lyndon , aliás , se tornou o meu filme preferido do Stanley Kubrick . 
[/quote']

 

Obrigado, Fernando. Bom saber que temos adoradores deste filme, por vezes 'escondido' na carreira do Kubrick. Já te convidei para escrever no Festival, mas não vou insistir...

 

Nascido Para Matar (Full Metal Jacket' date=' 1987) -  estrela.gifestrela.gifestrela.gif

(Blá - blá - blá) ...
[/quote']

 

Pelo uso de suas expressões convencionais e apontamentos de erros parciais, nota-se o autor da obra: Chiquinho, a lenda viva das críticas negativas. Desta vez, seu argumento foram os 40 minutos bons e o que ele queria que fosse ratratado no filme. Provavelmente, estava apaixonado pelo Pyle que se esqueceu do resto do filme. 06 A propósito, eu vi o filme recentemente e segue a crítica:

 

Nascido Para Matar - Dir.: Stanley Kubrick

 

A Guerra do Vietnã e a Grande Depressão foram as feridas mais expostas e dolorosas para os americanos pré 11 de Setembro. O cinema, vira e mexe, volta a colocar em plano as desconstruções norte-americanas do século XX; e o diretor Stanley Kubrick não ficou indiferente, na década de 80, ao fracasso na Ásia. Atestando sua versatilidade, ele termina neste só filme, a sua carreira de filmes de guerra (Glória Feita de Sangue, da década de 50 e com Kirk Douglas, fora seu outro expoente no estilo) que exibe a paixão e vício dos americanos pela violência, pelo sangue e a sua sede por destruir, comandar, 'guiar'. Isto sob o ponto de vista de um jovem que se alista no exército e configura seu estado de jornalista e narrador (confundindo propositalmente, em qual pessoa declama-se a leitura do filme), parecidamente com o jeito com o qual exercera sobre Laranja Mecânica.

Na primeira parte do filme, o ritmo é controlado e são destribuídos iguais (ou mui semelhantes) planos conforme transcorre o tempo. A voracidade e o totalitarismo no campo de preparação correm pelos mandados de um general descoordenado, odioso e engraçado. Kubrick vagueia pelos detalhes cruciais na transformação de homens comuns e ordinários em máquinas destrutivas e que agem pelo instinto da selvageria ou por pequenas referências antológicas. Soldados dormem com as armas, fazendo delas suas esposas, seus familiares e grandes apegos emocionais; oram pelos seus fuzis e peo triunfo da violênci. Com uma marchinha fácil de decorar e bordada a trechos excelentes ("Hoh Chi Min is a son of bitch"), descortina-se os renascimentos dos soldados; agora, eles são pequenas figurinhas para servirem ao imperialismo; com personagens memoráveis (o próprio general, ordenando como um nazista desvaiado; o gordo que acumula o nerosismo e descarrega a decepção pelo seu páis e um de seus órgãos máximos; a vigança do homem sobre seu colega o quesito de "sorry, friend, mas a sua concorrência atrapalha-me" ou "o quê? Prejuicando meu negócio" etc.).

Na segunda parte, valoriza-se mais o campo técnico, abafado e truculento, e a alienação da sociedad.Pimeiro, vemos o trabalho dos jornalistas do exército: cobrir a inteligência do povo com notícias patrióticas e rebaixando os vietcongues; em seguida, quando há uma espécie de documentáro ao vivo sobre os militares, vê-se o pouco caso que estes fazem para os valores do genocídio bilateral (o fotógrafo que pensa matar por liberdade e uma resposta bem (in)significativa: "Não sei se os EUA deveriam estar aqui. Só sei que este é o meu lugar".). Mais: há as podres, mesquinhas e sanguinolentas rotulações (os tiros de um helicóptero pelo delírio de aniquilar vietnamitas) como o culto à supremacia ocidental sobre todos os aspectos ("Há um american na alma de cada um deles", diz alguém ao ser questionado sobre o porquê de tirar o poder dos vietnamitas sobre seu país e o desejo da população local) até a conclusão que aparenta fragilidade de perspectiva, no entanto, é a mais pura das verdades: quando a poeira baixou e o desastre e a incompetência surgiram atônitos, restava torcer e agradecer pela seguimentação da vida; descartando os ideias fajutos e furtivos do governo.

A direção do Kubrick, as usual, controla o espectador e comanda-o na cadeira. Primeiro, porque ele mostra saber usar o seu estilo em camposabertos com balas percorrendo otrajeto (como na primeira investida); segundo, porque ele também domínio sobre suas personagens e filme, esplendorosamente, uma... filmagem (trecho já comentado)! O seu roteiro, também de marca própria, apresenta particularidades kubrickianas: a forte influência musical (Beethoven em Laranja, Strauss em 2001, a trilha mais triste do mundo em Barry Lyndon e a marcha do Mickey Mouse em Nascido Para Matar), a fonte para o caos ser o próprio ser humano por meio das suas tranformações em "animais'' obedientes. O casting sai-se regular, com destaque para D'Onofrio (o gordo) e Ermey (o gritante general) contrapostos ao irregular Modine, que deveria liderar o conjunto do espetáculo. Cenografia e fotografia formam uma bela dupla, apesr de levemente inferiores a Apocalypse Now, a fumaça das mortes e as cores do 'acampamento' compreendem as partes distintas da narrativa. Nascido Para Matar está num patamar inferior ao qual estamos acostumados, vindo do Kubrick, por causa de uma acelerada na segunda parte - o deslocamento de alguas personagens e a confusão com outras - e não causar tanto "choque" como outros filmes seus.Ademais, é do Kubrick e por estas e outras, está muito bem cotado.

 

TOP:

 

1. Laranja Mecânica - 7/5

2. 2001: Uma Odisséia no Espaço - 7/5

3. O Iluminado - 6/5

4. Barry Lyndon - 6/5

5. Doutor Fantástico - 6/5

6. Nascido Para Matar - 5/5

7. Glória Feira de Sangue - 4/5
ltrhpsm2007-02-28 00:23:05

Share this post


Link to post
Share on other sites

está no hall dos melhores de todos os tempos e a força de sua filmografia me agrada ainda mais, pq ele foi um dos poucos diretores que não ficou preso num gênero específico, ...

1999 - De olhos bem fechados (Eyes wide shut) - ? (rever)

1987 - Nascido para matar (Full metal jacket) - 8,5 (primeira metade excelente e uma segunda metade q não acompanha a excelência da primeira, ..., acho q faltou humanismo em pelo menos algum personagem desse filme, elemento esse q se encontra na figura principal de platoon (sheen))

1980 - O iluminado (The shining) - 8,5 (um dos melhores filmes de terror de todos os tempos, porém ainda acho q as alucinações de nicholson conversando com os personagens q estiveram naquele hotel a muitos anos atrás, quebra boa parte do clima de terror q deveria ser do início ao fim)

1975 - Barry Lyndon (Barry Lyndon) - 8,5 (primeira parte fantástica onde a identificação com o personagem principal é de imediato, porém acho q o maior erro é ter transformado esse mesmo personagem principal em um tremendo 'asshole' da segunda metade até o fim)

1971 - Laranja mecânica (A clockwork orange) - 10 (uma das maiores obras-primas do cinema, perfeito!)

1968 - 2001 - Uma odisséia no espaço (2001: A Space Odyssey) - 9 (preciso rever, o filme é fodíssimo, mas aquele final 'non-sense' ainda me incomoda)

1964 - Doutor Fantástico (Dr. Strangelove) - 9,5 (Fantástico! 05)

1962 - Lolita (Lolita) - 4 (inocente d+ como um filme desse estilo não deveria ser)

1960 - Spartacus (Spartacus) - 8,5 (é ótimo, mas foi sim ofuscado por ben-hur, q é bem superior)

1957 - Glória feita de sangue (Paths of glory) - 8 (rever)

1956 - O grande golpe (The killing) - 7,5 (bom mas faltou algo mais)

1955 - A morte passou por perto (Killer`s Kiss)

1953 - Fear and desire

1951 - Flying Padre

1950 - Day of the fight

 
D4rk Schn31d3r2007-03-06 16:59:23

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

1975 - Barry Lyndon (Barry Lyndon) - 8' date='5 (primeira parte fantástica onde a identificação com o personagem principal é de imediato, porém acho q o maior erro é ter transformado esse mesmo personagem principal em um tremendo 'asshole' da segunda metade até o fim) [/quote']

 

Isso está romance original ...É a trajetória de um golpista .

 

Não entendo a reclamação , já que o personagem sempre foi um assshole e por causa disso , mais cedo ou mais tarde encontraria a sua decorrada .

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Uhm, agora que eu vi que esse não é o mesmo tópico da época em que eu participava, hehehe. Não tem mais meu ranking dos filmes dele. Então vamos lá:

 

1 - Dr. Fantástico

2 - 2001 - Uma Odisséia no Espaço

3 - Laranja Mecânica

4 - O Iluminado

5 - Nascido Para Matar

6 - Spartacus

7 - Glória Feita de Sangue

8 - Lolita

9 - De Olhos Bem Fechados

10 - O Grande Golpe

11 - A Morte Passou Por Perto

 

Falta ver Barry Lindon. E vale ressaltar que a diferença entre os filmes não é tão grande, Glória Feita de Sangue estar em sétimo, por exemplo, é um detalhe que pode mudar de acordo com meu humor, e não quer dizer que não o considere um filmaço.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

1975 - Barry Lyndon (Barry Lyndon) - 8' date='5 (primeira parte fantástica onde a identificação com o personagem principal é de imediato, porém acho q o maior erro é ter transformado esse mesmo personagem principal em um tremendo 'asshole' da segunda metade até o fim) 

 

[/quote']

 

Isso está romance original ...É a trajetória de um golpista .

 

Não entendo a reclamação , já que o personagem sempre foi um assshole e por causa disso , mais cedo ou mais tarde encontraria a sua decorrada .

 

 

bom, pelo q me lembro, essa faceta 'asshole' só se sucedeu depois q ele se casou com aquela mulher cheio da grana, qd tiveram um filho, isso da segunda parte para o fim, antes disso sua "alma era boa", era cheio de boas intenções e tanto é verdade q ele só levava a pior por conta disso, qd ele foi impiedosamente assaltado qd fugia do vilarejo onde morava, e qd foi para a guerra até desertar e passar alguns dias em harmonia na casa de uma aldeã q havia perdido seu marido na guerra, depois disso, tudo desanda e sua personalidade vira outra, ..., foi disso q não gostei, se era pra ser assim do início ao fim, aí tudo bem (uma vez canalha, sempre canalha 06), mas ser uma "pessoa boa" e depois virar um tremendo f.d.p, por conta de q? sinceramente, não vejo motivo algum. 

D4rk Schn31d3r2007-03-07 14:35:57

Share this post


Link to post
Share on other sites

Os extras daquelas edições duplas que estão anunciando:

 

2001: A Space Odyssey

# Commentary by Keir Dullea and Gary Lockwood
# Theatrical trailer
# Channel 4 documentary: 2001: The Making of a Myth
# Standing on the Shoulders of Kubrick: The Legacy of 2001
# Vision of a Future Passed: The Prophecy of 2001
# 2001: A Space Odyssey - A Look Behind the Future
# 2001: FX and Early Conceptual Artwork
# Look: Stanley Kubrick!
# Audio-only interview with Stanley Kubrick

A Clockwork Orange

# Commentary by Malcolm McDowell and historian Nick Redman
# Theatrical trailer
# Channel 4 documentary: Still Tickin’: The Return of Clockwork Orange
# New featurette: Great Bolshy Yarblockos! Making A Clockwork Orange
# Career profile: O Lucky Malcolm!

Eyes Wide Shut

# Scene specific commentary by Sydney Pollack and historian Peter Loewenberg
# Theatrical trailer and TV spots
# Channel 4 documentary: The Last Movie: Stanley Kubrick and Eyes Wide Shut
# Lost Kubrick: The Unfinished Films of Stanley Kubrick
# Kubrick’s 1998 DGA D.W Griffith Award acceptance speech
# Interview gallery featuring Tom Cruise, Nicole Kidman, and Steven Spielberg

Full Metal Jacket

# Commentary by Adam Baldwin, Vincent D’Onofrio, R. Lee Ermey and Jay Cocks
# New Featurette: Full Metal Jacket: Between Good and Evil
# Theatrical trailer

The Shining

# Commentary by Garrett Brown and John Baxter
# Theatrical trailer
# Documentary The Making of the Shining, with optional commentary by Vivian Kubrick
# Three new featurettes:

* View from The Overlook: Crafting the Shining
* The Visions of Stanley Kubrick
* Wendy Carlos, Composer


 

16
Noonan2007-08-04 17:05:07

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vi muitos filme sdo Kubrick pela metade, nunca chegando ao final (Barry Lyndon, Lolita). Mas essa semana eu pego De Olhos Bem Fechados emprestado e termino de ver o filme de vez.05

2001: Uma Odisséia no Espaço 5/5

Dr. Fantástico 5/5

Laranja Mecânica 5/5

O Iluminado 5/5

Nascido para Matar 5/5

Spartacus 5/5

Day of the Fight 4/5

Flying Padre 3/5

10

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu acho Spartacus um dos melhores filmes dele, o filme é muito bom. E é dificil falarem desse filme aqui tipo falam que é bom tudo, mas faltam mais comentarios sobre esse grande filme.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
É. Mas somos humanos e' date=' por isso, falíveis por natureza. E sempre há uma chance de redenção. Hehe. [/quote']

 

 Seu mala! 06

 Vai me dizer que tu acha esse filme tão bom qtos os anteriores??

Share this post


Link to post
Share on other sites

 É.Talvez eu tenha que assistir de novo.

 ...não, acho que ele é morno mesmo.

 

 Aff!!  Acho que sou um reles humano falível por natureza e sem chance de redenção 09
Maria shy2007-08-05 13:28:18

Share this post


Link to post
Share on other sites
É. Mas somos humanos e' date=' por isso, falíveis por natureza. E sempre há uma chance de redenção. Hehe. [/quote']

 

 Seu mala! 06

 Vai me dizer que tu acha esse filme tão bom qtos os anteriores??

 

Haha, eu estava realmente brincando contigo na parte referente à heresia e você percebeu bem! Ninguém é obrigado a se deslumbrar com nada, especialmente no que toca à arte.

 

Mas eu acho esse filme tão bom quanto os anteriores sim. E Concordo com o Carioca: só 2001 está, para mim, em um outro patamar. Esse filme criou um vácuo ao seu redor e não permite que nada ocupe esse espaço a não ser ele.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 Tá, mas que "De olhos bem fechados" é ruim, ah!  isso é! 08.

 

 Sei lá, sabe o que ? Tem-se a impressão de que o diretor já tava doente (será??!!17) .

  Que deixou os atores assim, interpretarem sem sua mão, a revelia, daí ficou meio desintonizado, sem harmonia.

 

 Anyway, o cara fez "2001..." 3d17
Maria shy2007-08-05 19:58:49

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×