Jump to content
Forum Cinema em Cena

Críticas e Publicações do Cinema em Cena

Discuta as críticas de nosso editor, Pablo Villaça!


569 topics in this forum

  1. Desconhecido

    • 0 replies
    • 554 views
  2. Inverno da Alma

    • 1 reply
    • 711 views
  3. Biutiful

    • 0 replies
    • 574 views
  4. Deixe-me Entrar

    • 2 replies
    • 865 views
  5. A Rede Social

    • 19 replies
    • 2k views
  6. O Turista

    • 8 replies
    • 1.1k views
  7. Enrolados

    • 12 replies
    • 1.7k views
  8. Além da Vida

    • 1 reply
    • 721 views
  9. A Origem 1 2 3 4

    • 91 replies
    • 9.5k views
    • 1 reply
    • 593 views
  10. Demônio

    • 19 replies
    • 1.3k views
    • 1 reply
    • 772 views
    • 7 replies
    • 1.4k views
    • 36 replies
    • 3.6k views
    • 2 replies
    • 798 views
    • 3 replies
    • 763 views
    • 1 reply
    • 689 views
    • 1 reply
    • 759 views
    • 3 replies
    • 747 views
  11. O Mágico

    • 2 replies
    • 593 views
    • 8 replies
    • 1.3k views
  12. Aurora

    • 0 replies
    • 514 views
  13. Quando Partimos

    • 0 replies
    • 535 views
    • 0 replies
    • 503 views
  14. Eu Sou Jesus

    • 0 replies
    • 563 views

Announcements

  • Posts

    • Kansas City`s Winners: Best Film: (tie) Nomadland and Promising Young Woman Best Director: Chloé Zhao, Nomadland Best Actor: Riz Ahmed, Sound of Metal Best Actress: Carey Mulligan, Promising Young Woman Best Supporting Actor: Leslie Odom Jr., One Night in Miami Best Supporting Actress: Youn Yuh-jung, Minari Best Original Screenplay: Emerald Fennell, Promising Young Woman Best Adapted Screenplay: Chloé Zhao, Nomadland Best Animated Feature: Wolfwalkers Best Documentary: The Dissident Best Foreign Film: Another Round Best Cinematography: M. I. Littin-Menz, The Vast of Night Vince Koehler Award for the Best Science Fiction/Fantasy/Horror Film: The Invisible Man Tom Poe Award for Best LGBT Film: Kajillionaire
    • North Texas Film Critics Association Nominations: BEST PICTURE Nomadland Mank The Trial of the Chicago 7 Promising Young Woman BEST ACTOR Steven Yeun – Minari Riz Ahmed – Sound of Metal Delroy Lindo – Da 5 Bloods Chadwick Boseman – Ma Rainey’s Black Bottom BEST ACTRESS Frances McDormand – Nomadland Carey Mulligan – Promising Young Woman Viola Davis – Ma Rainey’s Black Bottom Vanessa Kirby – Pieces of a Women BEST DIRECTOR Isaac Chung – Minari Chloé Zhao – Nomandland Emerald Fennell – Promising Young Woman David Fincher – Mank BEST SUPPORTING ACTOR Sacha Baron Cohen – The Trial of the Chicago 7 Bill Murray – On the Rocks JK Simmons – Palm Springs BEST SUPPORTING ACTRESS Youn Yuh-jung – Minari Maria Bakalova – Borat Subsequent Film Ellen Burstyn – Pieces of a Woman BEST CINEMATOGRAPHY Hoyte Van Hoytema – Tenet Joshua James Richard – Nomadland Eric Messerschmidt – Mank BEST FOREIGN LANGUAGE FILM The Life Ahead (Italy) Minari (Korea) The Mole Agent (Chile) BEST DOCUMENTARY Time All In: The Fight for Democracy Crip Camp: A Disability Revolution BEST ANIMATED FILM Soul Wolfwalkers Over the Moon BEST NEWCOMER Maria Bakalova – Borat Subsequent Film Jessie Buckley – I’m Thinking of Ending Things Linda May – Nomadland GARY MURRAY AWARD (Best Ensemble) The Trial of the Chicago 7 Da 5 Bloods The Glorias
    • De fato, linda mesmo! E comparando as duas muié maravilha uma delas sai perdendo bem feio.....🤣  
    • Tô curtindo à beça a reta final do Brasileirão, então tenho visto menos esporte olímpico do que o habitual. O que eu vi do Time Brasil nesta semana: * Hoje de manhã, vi a final da primeira etapa do  STU National, que seria o Campeonato Brasileiro de Park. Pedro Barros obteve a notaça de 86,67 pontos (Luizinho foi vice-campeão com 85.5, e o campeão americano Heimana Reynolds tirou 88 naquela oportunidade) para ser o grande campeão do STU em Criciúma. Pedro Quintas, Bronze no Mundial (com 85), terminou em segundo com 80 pontos. Luizinho caiu em todas as voltas da final, lesionou um pouco as costas, e ficou apenas em sétimo (com 75 pontos). Pedro é a figura do skatista por excelência, super good vibes, estiloso, acelerado. Dá pra dizer que o Skate prepara um ídolo, para o país - além do nicho - se apaixonar. Os pontos adquiridos no torneio valerão para a definição olímpica dos nomes brasileiros. No feminino, Dora Varella , de 19 anos, foi a vencedora, com a nota de 63.33, muito aplaudida. Ela foi sexta no Mundial, com 48. Fui checar as notas do Mundial de 2019, e vi que a japonesa foi campeã com 61,17 pontos, a outra japonesa, vice, fez mais de 60 também. Ou seja, essas notas de hoje devem estar um pouco inchadas. Ou talvez ela tenha melhorado bastante, não sei. Eu ainda preciso me informar melhor sobre. (Foto: Érica Hideshima) * Entremeado com o Skate, conferi a final da volta do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia, sem a esperada configuração da final. É que Ana Patrícia/ Rebecca ficaram apenas em 5º, caindo nas quartas de finais. Fui olhar o jogo depois e elas estão "pesadonas", se deslocando mal. Fim de ano, né?! Já viu...Elas são excelentes, mas precisam trabalhar o físico. Soa inadequado falar isso hoje em dia, mas é o que eu percebo. Vôlei de Praia requer muita agilidade e vigor.  A final demonstrou isso. Ágatha/Duda foram campeãs, novamente (6 finais/ 4 títulos), com Duda arrebetando. Sacando viagem fortíssimo (o que cheguei a pedir no ano passado), tipo um Evandro, atacando de segunda várias vezes, assim poupando Ágatha (o que pedi várias vezes por aqui). Não deram chance para a nova dupla formada por Bárbara/Carol Solberg. ( Foto: Divulgação) * Samuel Albrecht/Gabriela Nicolino foram campeões da Semana de Vela de Miami, na classe Nacra-17. Eles podem, né? Escrevo sobre eles desde o primeiro post do Fórum. Potencial têm. Falta executar na hora certa, o barco não quebrar como na reta final do último Mundial... A disputa foi entre eles e várias duplas americanas, somente, no US OPen Series. Foram os brasileiros como convidados, já que ganharam a Prata em Miami na Etapa do Circuito Mundial. ( (Foto: Twitter/SamucaGabiBRA10) * No Mundial masculino de Handball, o Brasil perdeu para a Alemanha, e já não tem mais chance de avançar à próxima etapa. Joga amanhã contra o Uruguai, para não fechar a participação sem uma única vitória. Pra quem foi 9º no último Mundial, terminar em, sei lá, 20º, 21º...O mais triste desse triste campeonato foi a lesão do Toledo, um dos nossos melhores jogadores. Periga perder o pré-olímpico... * Não é notícia por aqui, mas no pré-olímpico feminino de Pólo Aquático, a Itália, atual vice-campeã olímpica, ficará de fora de Tóquio. Conquistaram a vaga olímpica, Holanda e Hungria. Os dois países donos de um ciclo olímpico invejável. * Arremesso do Peso, Ryan Crouser, Estados Unidos, Recorde Mundial indoor, com 22m.82. Que pena! Não vejo como o Darlan entrar nesse pódio...
    • (34) "The Ruling Class"/ "A Classe Dominante"/ "A Classe Governante"/ 'A Classe Dirigente", ufa, quantos títulos inconstantes. É de 1972, do húngaro Peter Medak, e rendeu a Peter O`Toole sua quinta indicação ao Oscar de Melhor Ator. Um filme que vem sendo reabilitado junto à crítica, nos últimos anos, pelo seu caráter completamente "fora da casinha". O filho de um aristocrata inglês crê ser Jesus Cristo. Ele será o herdeiro do dinheiro e do título de conde, quando seu (bizarro) pai se enforcar acidentalmente, em uma forma de fetiche sexual. O resto da família lutará para internar o filho, e ficar com a grana. A solução encontrada é fazê-lo casar, ter um filho, e ficarem eles como tutores do novo herdeiro. Bom, essa pelo menos é a primeira parte da história. Depois de 1 hora e meia, o protagonista meio que retoma aparentemente a sanidade, mostra-se mais conforme à sociedade, mas, na horas vagas, age como Jack, Estripador. É uma sátira à nobreza? Sim. A brilhante cena final, em que o personagem enxerga os representantes da Câmara dos Lordes como esqueletos é prova disso. Predomina a comédia? Sim. Principalmente nas tiradas com O`Toole personificado como um Jesus, que enfrenta outro louco de pedra, de um sanatório, e há uma guerra de raios...Mas há momentos de musical...tipo...do nada...absolutamente do nada...uma canção. É uma salada de gêneros, uma salada de trapalhadas. O interessante é perceber, no meio da confusão, que quando o personagem imita Jesus, ele é avesso ao dinheiro, simples, crê no amor, gosta da natureza; e quando retoma a sanidade, ele é materialista, colonialista, xenófobo, e é aí que as pessoas em geral passam a gostar dele, passam a ver os defeitos como algo normal. Mais curioso do que eu pensava. Mas não sei se veria novamente.
  • Popular Contributors

×
×
  • Create New...