Jump to content
Forum Cinema em Cena

Leaderboard


Popular Content

Showing content with the highest reputation since 07/06/20 in all areas

  1. 3 points
    Jorge Soto

    Filmes Sessão da Tarde

    nestes tempos covidianos de quarentena e eventualmente sem o que fazer, ando fuxicando novos softwares de edicão pras minha atividades e me deu na louca de fazer uma paródia de 1 min de um crássico de sessão da tarde.... a ver se adivinham, enjoy...🤣 testefim.mp4
  2. 2 points
    Jorge Soto

    Mulan (Live Action)

    Magina
  3. 2 points
    SergioB.

    O Que Você Anda Vendo e Comentando?

    Do mestre japonês Masahiro Shinoda, vi esse "Sob as Cerejeiras em Flor", filme de 1975. Um ladrão abrigado nas montanhas ataca uma comitiva na floresta de cerejeiras (que, dizem, sua floração tem o poder de enloquecer as pessoas) e sequestra uma mulher, tomando-a como esposa. Mal sabe ele o que lhe aguarda. A mulher é vaidosa, mimada, e terrivelmente sádica, fazendo-o pagar todos os pecados. É pena que depois da metade, o filme dê uma mudada de escopo. A linha principal - de um casal pérfido que efetivamente se merece - é muito melhor do que a segunda parte, quando o casal sai da floresta e vai para a cidade, bem como seu ingresso na comitiva de ladrões. A natureza é perigosa.
  4. 2 points
    Jailcante

    Quarentena do Coronavirus

    - Falcão: eu achei que era um pombo, por isso não identifiquei. hehehe - Tinha a rocha do Indiana Jones, mas achei que como tinha as Criaturas juntas que era aquela bola que elas fazem na parte 2, aí achei que era tudo do mesmo filme/franquia. - Ghost é de 1990, coloco ele como anos 90 não 80, aí achei que era O Iluminado (tem uma luz saindo do fantasma, aí pensei 'iluminado'). - Loucademia de Polícia: Sabia que tinha visto essa porta em algum lugar hehehehe (e não consegui ver o que estava escrito em cima dela) - Superman II? Essa cena é do Superman I (mas ele é dos anos 70...). - Krull: Nunca vi o filme, não sabia mesmo o que era aquele troço ali. - Tango e Cash: HAHAHAHAHAHAH - Das janelas no prédio, só identifiquei o Rocky (coloquei o Rocky 4 por causa do calção com a bandeira americana). Manequin, ok. O Feitiço de Áquila... Não ia saber nunca, se tivesse um lobo junto do pássaro, talvez saberia. A Coisa: Vi faz muito tempo, aí não liguei o nome a pessoa. Achei que era Academia de Gênios, pela cena da pipoca no fim do filme. - O Vingador Tóxico: Nunca ia saber. Só conheço esse filme de 'ouvi falar'. - Os Deuses devem estar loucos: Também não vi, não saberia identificar. Tem tanto filme que aparece jatos desse tipo, aí não saberia mesmo. - LA Bamba: Errei esse.
  5. 2 points
    Jorge Soto

    Obituários (in memoriam)

    "Sua carreira foi lendária, suas composições são atemporais". "Obrigado por definir o clima de tantos dos nossos shows desde 1983." "O dia em que tocamos pela primeira vez 'The Ecstasy of Gold' como nossa nova introdução em 1983 foi mágico! Desde então, tornou-se parte do nosso fluxo sanguíneo, do nosso fôlego, cumprimentos, orações e ritual pré-show. Eu cantei essa melodia milhares de vezes para aquecer minha garganta antes de subir ao palco. Obrigado, Ennio, por nos estimular, por ser uma grande parte de nossa inspiração e por ser uma ligação entre a banda, a equipe e os fãs. Eu sempre pensarei em você como parte da família Metallica", acrescentou o vocalista James Hetfield em uma nova publicação no Instagram.
  6. 1 point
    Scatman

    Liga da Justiça (HBO MAX, 2021)

    A Warner Games é publisher dos jogos Mortal Kombat e pode ser que o estúdio Rocksteady anuncie algum novo game do Batman (ou outro personagem da DC) no evento, por isso a ligação. Expectativa alta com especulações sobre um game da Corte das Corujas no Universo Arkham dos games.
  7. 1 point
    Jailcante

    Pinóquio (dir. Robert Zemeckis)

    Live Action da Disney lives... Tom Hanks cotado pra Geppetto:
  8. 1 point
  9. 1 point
    Jorge Soto

    Mulan (Live Action)

  10. 1 point
    SergioB.

    O Que Você Anda Vendo e Comentando?

    "N`um vou nem falar nada!!!"" F I N A L M E N T E !!! GENTE... Era o grande filme do Maior de Todos (essa perífrase que uso antes de escrever Ingmar Bergman) que me faltava ver. "Face a Face", 1976. Estou ainda aplaudindo de pé (dentro da cabeça). Porque muitos bons diretores podem fazer um parque dos dinossauros, mostrar uma guerra nas estrelas, recontar a história de um reinado, filmar de trás pra frente, adaptar Shakespeare com modernismos, mostrar a corrupção policial, ou fazer graça com nossos defeitos, mas só um, só um, conseguiu filmar a mente humana. Se ao longo de sua imensa filmografia já sabíamos disso, quando você chega em "Face a Face", você se desmente, não, "foi agora", foi nesse filme que ele conseguiu filmar a mente humana. Que isso! Mas ele filmou a vida mental de uma determinada personagem, uma mulher, e para isso era necessário a melhor atriz possível, e talvez até mesmo a melhor atriz do mundo. Gente...o que a Liv Ullmann faz nesse filme!!!? O que é isso? Como essa mulher não tem pelo menos um Oscar Honorário, atingidos os 81 anos? Há pelo menos três cenas de arrancar a tampa da cabeça de tão maravilhosas. Há uma cena de choro histérico que é pra lá de impressionante. Ela ganhou, na época, Nova York, Los Angeles, a National Board of Review, mas perdeu o Oscar para Faye Dunaway. Explicado. A Academia da época não iria assistir a esse filme denso, reflexivo, com legenda... Outra questão: Originalmente é um telefilme sueco (assim como o magistral "Cenas de um Casamento"), com cerca 200 minutos, mas só chega a nós atualmente a cópia cortada. Bergman tem requinte mesmo na modéstia financeira. Sua perícia das coisas prosaicas do dia a dia, como um arabesco do papel-parede, ou portas, faz elas ganharem uma quarta dimensão. É Freud se cineasta fosse. É Deus se cineasta fosse.
  11. 1 point
    SergioB.

    O Que Você Anda Vendo e Comentando?

    "Os Gritos do Silêncio"/ The killing Fields, de 1984, é outro filme que nunca é exibido e eu não sei a razão. Embora goste muito mais da primeira parte, a segunda é a que fica marcada na memória do espectador pela tragicidade das cenas. Haing S.N Nagor levou o Oscar de Coadjuvante, em sua estreia no cinema, mas na verdade é um coprotagonista, já que a segunda parte do filme é toda dele. Adoro o Sam Waterston - que figura serena e doce - merecida indicação a Melhor Ator. Aliás, deveria ser mais reconhecido. O filme politicamente é bem equilibrado. Mostra a intervenção americana no então neutro Camboja, durante a Guerra do Vietnã, bem como mostra os horrores do regime comunista do Khmer Vermelho - não a ponto de igualar os horrores descritos no excelente documentário "A Imagem que Falta", de 2013, também indicado ao Oscar. Os horrores dos campos de morte da segunda parte são contrapostos também a um certo horror mercadológico, com aquele país asiático inundado de caixas de Coca-Cola ou do uísque do andarilho, disputando espaço com a suntuosidade de seus templos. Primeiro Oscar de Fotografia do Chris Menges. Mestre.
  12. 1 point
    SergioB.

    O Que Você Anda Vendo e Comentando?

    Fechando o fim de semana, com o belo "A Colecionadora", de 1967, a parte IV (que muitos erradamente dizem ser a terceira) dos Seis Contos Morais de Éric Rohmer. O antigo editor do Cahiers du Cinema dá aqui uma aula sobre a rejeição masculina. Sul da França, verão, uma casa de campo, três jovens entediados, preguiçosos, que só fazem ler, beber, ficar ao sol, deitarem-se na grama...Opa! É filme do James Ivory? Prequel de "Call Me By Your Name"? Pois é, Rohmer foi dos primeiros a construir esse cinema de discussão filosófica embalado em charmosos cenários. Os debates são excelentes. Primeiro, no prólogo, amigos debatem beleza vs feiúra (A elegância como uma forma de manter um espaço vazio entre as pessoas). Depois se debate a necessidade do trabalho ou do ócio; mas nada é mais importante no filme do que a pensata sobre a rejeição. A bela jovem, chamada machistamente de colecionadora, por se envolver sexualmente com vários rapazes, passa o filme todo rejeitando o protagonista-narrador. E ele finge que não a quer. Desse jogo, vemos que quem tem exarcerbado o conceito de posse não é quem coleciona amantes. Mas quem sofre por não ter o objeto desejado. A personagem feminina não colenciona, ela destrói. E nem liga para os danos. Fotografia linda de Néstor Almendros, futuramente ganhador do Oscar por "Days of Heaven".
  13. 1 point
    Tahar

    O Que Você Anda Vendo e Comentando?

    A visibilidade trans alcançada pelo seu lugar de fala com a crítica inevitável para Hollywood. Quando se pensa em pessoas trans, logo se vê os estereótipos que o cinema reforçou sobre os estigmas da identidade de gênero. O documentário vai destrinchar todos os erros que o cinema já cometeu com a população que mais morre no mundo por apenas existir. O documentário começa sobre os tipos de interpretações que são endereçadas às pessoas trans, começando com pessoas cis representando-os; passando pelo sentido de vilão que pessoas crossdresser se comportam, exemplos em Psicose (1960) do Hitchcock até Silêncio dos Inocentes (1991) dirigido pelo Jonathan Demme; concluindo pela cultura da comédia que sempre permeiam as suas personificações, como Uma babá quase perfeita (1993) até As Branquelas (2004). Nesse sentido, Laverne Cox confessa as violências sofridas pelo sorriso ao seu corpo; como se a cultura que a população cis consome desse essa permissão. Como se cada pessoa trans fosse um personagem para vilanizar ou rir. Outra questão que é horripilante é o sentido de "revelação" que dá o título do documentário. Colocando o grande questionamento de quanto de satisfação tem que dar sobre as suas próprias escolhas. O grande bordão de "quando você escolheu ser hétero?" vira o "quando você decidiu permanecer no seu sexo biológico?". Uma outra problemática adotada acontece até em produções que são direcionadas ao público LGBTQI+, por exemplo a série The L World (2004): a série que trata da homossexualidade feminina, trata o personagem transmasculino com um desenvolvimento problemático. Sei que o grande mote é a crítica a essas produções, mas meu único porém é o fato de não ressaltar tanto as produções que deram um pouco mais de visibilidade positiva.
  14. 1 point
    SergioB.

    O Que Você Anda Vendo e Comentando?

    Encerrando o sábado com os "cancelados" do cinema, fui com o gênio Woody Allen, e seu "Crimes e Pecados", de 1989. Sem dúvida, um dos grandes filmes dele. Tudo é redondo, tudo flui. Embora ele mesmo tenha confessado não ter ficado tão satisfeito com a parte de comédia desse filme, e em "Match Point", segundo o próprio, ele tenha conseguido fazer um "Crimes e Pecados" só com drama. Engraçado, que a filmografia continua, e depois ele trabalharia o tema ainda em "O Homem Irracional", de 2015, por exemplo. Bem como dividiria a comédia e o drama, de maneira formal, no subestimado "Melinda e Melinda", de 2004. A inveja é um dos temas principais desse filme. Um pecado que está relacionado com o olhar, daí estarmos diante de um personagem oftamologista e outro diretor de cinema. Mas a inveja é um pecado, não é um crime. Contudo, quem será "punido" será o pecador, não o criminoso. É a ironia dramática desse roteiro fabuloso (indicado ao Oscar), desse diretor fabuloso (indicado ao Oscar), com um ator fabuloso (Martin Landau, indicado ao Oscar, que iria se superar depois estupendamente em "Ed Wood"). Deus também, lá do alto, só "olha", ou, dependendo, pune. No final, dá-se o encontro entre esses dois personagens, bebendo uísque, celebrando a derrota e a vitória de serem quem são, sob a sombra trágica do fotógrafo bergmaniano Sven Nykvist. Talvez o ranking mais difícil de se fazer. Meu ranking Woody Allen é assim: 1) Manhattan; 2) Annie Hall; 3) Match Point; 4) Zelig/ A Era do Rádio/ A Rosa Púrpura do Cairo; 5) Desconstruindo Harry/Todos Dizem Eu Te Amo/ Um Misterioso Assassinato em Manhattan Não dá pra escolher!
  15. 1 point
    SergioB.

    O Que Você Anda Vendo e Comentando?

    Vocês sabem, sou bem fã do cinema do Kim Ki-duk, já vi quase todos. Mas faltava esse "Endereço Desconhecido", do começo de sua carreira, 2001, que abriu o Festival de Veneza na época. É um filme bem trágico a respeito de três jovens que, mesmo tantas décadas depois, ainda padecem das consequencias da Guerra da Coreia. A presença americana ainda está lá, na forma de uma base militar. A cidadezinha ao redor convive com a tropa que ronda com um discurso de promoção da paz; alguns moradores tentam arranhar o inglês na expectativa de um dia viajarem; veteranos nacionalistas se amarguram com o passado enquanto treinam o Tiro ao Arco; uma ex-prostituta que teve um caso com um soldado americano envia-lhe cartas que voltam com o selo de "Endereço Desconhecido"; o filho dela é um mestiço, um asiático afrodescendente, que sofre racismo; uma mocinha apaixona-se por um soldado americano viciado em LSD... E por aí vai..É um amplo painel de personagens, sempre a trabalhar criticamente a ideia do militarismo estrangeiro na província coreana. Quem diria que esse Kim ki-duk politizado iria atravessar posteriormente uma fase mística-contemplativa, até voltar, mais recentemente, amarrando as duas pontas da vida, aos filmes mais politizados?!... Voltando ao filme em si, a primeira hora é detestável, muito difícil de acompanhar, pois envolve tortura de cachoros em várias cenas. Mesmo com o aviso inicial nos créditos que nenhum animal sofreu, pra mim passou do ponto. A segunda hora - quando os cachorros se vingam - é muito melhor. E, ademais, os conflitos humanos também já estão mais estabelecidos. Como sói acontece, o final dos filmes dele é excelente, e aqui não fica por menos. Meu ranking Kim Ki-duk, contudo, permanece inalterado: 1) Pietá; 2) A Rede; 3) Primavera, Verão, Outono, Inverno...e Primavera; 4) O Arco; 5) Dente por Dente.
  16. 1 point
    Tahar

    O Que Você Anda Vendo e Comentando?

    Longa Jornada Noite a Dentro é belíssimo... Amo esse estilo Noir. Inclusive, deixarei esse na minha lista.
  17. 1 point
    SergioB.

    Oscar 2021: Previsões

    Detesto a maioria, gosto apenas de "Green Book" e "Mãe" (mas não para maiores prêmios).
  18. 1 point
    Tahar

    O Que Você Anda Vendo e Comentando?

    Almodóvar retrata com belíssimos quadros uma história que envelheceu mal. A figura do personagem Ricky (Antonio Bandeiras) é problemática em vários sentidos; não sobre a visão de complexidade do personagem, mas pelo sentido que suas atitudes despertam aos demais. O filme tem uma preocupação de colocar sua mise-en-scène trajada de um colorido esplendido que corrobora com a encenação dos personagens em atuar. Etretanto, seu equívoco é no seu desenrolar. Marina Osorio (Victoria Abril) é a personagem tipicamente frágil e que não consegue se desvincular dos charmes de Ricky. Uma premissa do galã irresistível tão explorada que quando tenta subverter comete o crime de exaltar a passividade da protagonista. Uma pena ter que ver um filme tão bem feito esteticamente ser jogado ao marasmo por conta do seu roteiro. O amor através da violência me dá ânsia.
  19. 1 point
    Cir-El

    Liga da Justiça (HBO MAX, 2021)

    O Snyder não é o tipo de diretor que economiza nas gravações....rsrs...Há rumores de que ele havia gravado 6 horas. Antes dele sair o corte estava em 214 minutos (3h56), informação do próprio Snyder.
  20. 1 point
    Jorge Soto

    O Que Você Anda Vendo e Comentando?

    Give Me Liberty é uma boa comédia negra indie que tem duas partes bem definidas. A primeira é um agoniante road movie que não te dá um minuto de respiro diante dos perrengues consecutivos do jovem motorista atrás de seus passageiros (pessoas incapacitadas), e a segunda é mais o drama surreal propriamente dito. O melhor é a primeira parte pois a segunda é mais do mesmo, e creio que a despeito das boas intenções do diretor em tratar de forma humana os esquecidos do sonho americano, a edição caótica depõe contra a película. 8-10 Looks That Kill é um romancezinho teen bobinho e bonitinho, porém sincero. É daqueles indies de aceitação de diferenças, quem vê cara não vê coração, etc e tal.. mas o plot do moleque "lindo de morrer" é seu grande diferencial, fora a narrativa meio fabulesca, estilo Edward Mãos-de-Tesoura. As atuações são razoáveis dentro do possível e sua duração é enxutérrima, sem enrolações. Resumindo, uma boa matinê que cumpre seu propósito de entreter, pra ver, apreciar e esquecer. O hilária personagem da chinesa do intercâmbio merecia filme próprio, chega a ter mais presença em tela que o casal principal. 8,5-10
  21. 1 point
    Big One

    Emmy Awards 2020

    Better Call Saul deveria receber mais indicações. Principalmente a Rhea Seehorn para atriz.
  22. 1 point
    Questão

    Obituários (in memoriam)

    Isso mesmo. Ele viveu o papel em dois filmes, o A HORA DO PESADELO original e em GUERREIROS DOS SONHOS (Dois dos melhores da série), e depois viveu a si próprio em O NOVO PESADELO
  23. 1 point
    Jailcante

    Liga da Justiça (HBO MAX, 2021)

    Com 3h30min, acho que Snyder vai colocar tudo que ele fotografou na vida nesse filme. hehehe Acho que a gente vai ter até uns 30 min de imagens dos bastidores da filmagem durante créditos finais. Mas acho honesto da parte dele. Louvável. Porque colocaram coisas que o Richard Lester filmou no 'DonnerCut' do Superman II, e achei isso trapaça...
  24. 1 point
    Tahar

    O Que Você Anda Vendo e Comentando?

    Polêmico, hein... Assisti o Ata-me do Almodóvar ontem (depois coloco aqui com mais detalhes) e senti que ele envelheceu mal... Talvez tenha sentido o mesmo com Climas.
  25. 1 point
    Tahar

    Qual Livro Você Está Lendo?

    Bom, do lado esquerdo na primeira prateleira com livros, estão os que estou lendo agora e os da direita que serve de alguma forma para consulta. O que acharam? Obs: to demorando demais pra ler Tolkien
  26. 1 point
    primo

    Liga da Justiça (HBO MAX, 2021)

    o cartaz do evento
  27. 1 point
    Nobory

    Hancock

    O filme é bem incompleto, ele consegue pegar uma foda e interessante e transformar nisso, poderia ter desenvolvido muito a trama, mas perde tempo com uma Trama mal desenvolvida que fica boba, e ainda perde tempo com o pseudoRomance com uma personagem, que quando você assiste você pensa: Caguei pra isso", as lutas deles são legalzinhas ? São, é Bobo É, e isso só filme divertidinho do primeiro ao segundo ato e depois e só.
  28. 1 point
    primo

    Liga da Justiça (HBO MAX, 2021)

    Muito bom isso aí
  29. 1 point
  30. 1 point
    Guillermo del Toro diz que ainda tem mais da metade de “Nightmare Alley” para filmar Por Redação Categoria Nerd - 02/07/2020 260 “Nightmare Alley”, o próximo filme de Guillermo del Toro, estava ainda no meio das gravações quando o cineasta decidiu, juntamente com o estúdio, que era hora de suspender as filmagens devido à pandemia de coronavírus. Em recente entrevista ao IndieWire, del Toro contou que reagiu “super rápido” aos acontecimentos, suspendendo as filmagens, o que para ele se mostrou uma boa decisão. O diretor revelou também que ele e sua equipe conseguiram concluir 45% das filmagens do filme antes de ser interrompido. Guillermo del Toro durante as filmagens de “A Colina Escarlate”, de 2015. Foto/IMDb “Paramos as filmagens uma semana antes [das produções serem interrompidas]. Reagimos super rápido, propusemos que o estúdio parasse, em vez de nos pedirem para parar”, disse del Toro. “Isso nos salvou. Ninguém do meu conhecimento no elenco ou a equipe teve coronavírus”. “Estávamos em aproximadamente 45% das filmagens. Estávamos literalmente no meio de uma grande cena”, continua. “Fomos almoçar e conversamos com o estúdio e quando voltamos, dissemos: ‘Todo mundo deixa suas ferramentas e sai agora’”. Ele ainda disse que “espera reiniciar a produção” de “Nightmare Alley” ainda este ano, embora nada esteja certo: “Dedos cruzados. Nunca se sabe”, completa. A sinopse oficial do filme diz: “Em ‘Nightmare Alley’, um jovem e ambicioso rapaz (Bradley Cooper), com talento para manipular pessoas com algumas palavras bem escolhidas, fica com uma psiquiatra (Cate Blanchett) que é ainda mais perigosa do que ele”. O filme escrito por del Toro e Morgan, é uma adaptação do livro de mesmo título de William Lindsay Gresham, anteriormente adaptado para um filme da Fox em 1947, intitulado “O Beco das Almas Perdidas”. Bradley Cooper, Rooney Mara e Cate Blanchett estrelam como Stanton, Molly e Lilly. FONTE: CATEGORIA NERD
  31. 1 point
    Jailcante

    Liga da Justiça (HBO MAX, 2021)

    Uma lógica totalmente esquisita desse filme: 'Não podemos enfrentar ele sozinhos, temos que trazer o Superman de voltados mortos!' Aí, trouxeram. Depois: 'Temos que ir lá enfrentar ele sozinhos, porque o sabe-se lá onde está o Superman agora. Ninguém tem o telefone dele aí, não?' hehehehehe
  32. 1 point
    Cir-El

    Liga da Justiça (HBO MAX, 2021)

    Assistindo após esses anos, ficam ainda mais claras as mudanças causadas pelas regravações do Whedon e os problemas com CGI. Cara, tem muuuuita cena regravada...demais....é uma experiência muito estranha você ver uma cena e um segundo depois ela muda totalmente (ângulo, cabelo e maquiagem dos atores, tom da conversa, cenário atrás dos atores, etc)....muito grotesco. Nesse ponto eu faço coro com a galera que espera ver o SnyderCut. Não porque será um filme extraordinário sem os reshoots, mas que, com certeza, terá menos cenas de "vergonha alheia"...isso por si só já me faz querer assistir ano que vem...rsrsrs Algumas cenas que melhorariam um pouco (pelo que andei lendo por aí): A cena do roubo da caixa-materna no estacionamento. Nessa cena teria uma luta com o Lobo da Estepe no laboratório e o pai do Cyborg seria morto; A cena do Flash caindo em cima da Mulher Maravilha; A conversa do Clark com a Lois no milharal com "fundo de tela do Zoom", "Clark como é morrer?", "Coça"; A cena do "você sangra" e o Batman com "algo quebrado"; O Batman na batalha final dizendo pro Superman que "não desgosta" dele... A morte do Lobo da Estepe porque ficou com medinho (no original a MM corta a cabeça)... etc, etc, etc E dá pra ficar escrevendo até dizer chega....kkkkkk
  33. 1 point
    SergioB.

    O Que Você Anda Vendo e Comentando?

    Antoine Doinel, personagem alter ego de Truffaut, neste terceiro filme, já é um adulto jovem, dá baixa no exército por indisciplina, tem toda a vida pela frente, um romance garantido, e agora só precisa de um novo emprego... Entre idas e vindas, terminará em uma agência como detetive particular, e lá - em mais uma enrascada na vida - descobrirá um amor proibido. "Baisers Volés", de 1968, é uma comédia, leve, simpática, uma verdadeira crônica sobre o amor, e, mais especificamente, sobre o amor à primeira vista, tão típico da juventude, com tantas características de mera projeção... Porém, essa intenção só será compreendida nos dois minutos finais, aproximando o estado amoroso da loucura. Eu pessoalmente amo quando os filmes só se revelam no final. Consigo ver o fecho de ouro do roteiro sendo escrito. Olha o quilate do texto: "Quando eu estava no colégio, um professor nos explicou a diferença entre tato e polidez: Um homem abre a porta de um banheiro por engano e vê uma mulher absolutamente nua. Ele recua imediatamente, fecha a porta e diz:''Oh, perdão Senhora!''. Isso é polidez. O mesmo homem, abrindo a mesma porta, revelando a mesma mulher absolutamente nua, e dizendo: ''Oh, perdão Senhor!''. Isso é tato. O título vem da charmosa canção-tema de Charles Trenet "Que Reste-t-il de nos Amours", abaixo postada. O filme concorreu ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 1969. Que tato para o cinema! De quando o mundo não era fuleiro...
  34. 1 point
    Jailcante

    Filmes Sessão da Tarde

    heheheheh Ri demais da meia furada e o gato olhando. hehehe
  35. 1 point
    SergioB.

    O Que Você Anda Vendo e Comentando?

    Sim, exatamente, era o CGI da época.
  36. 1 point
    Jorge Soto

    Filmes Sessão da Tarde

    Valeu Big e Serjao.. 😂esse é o gato da patroa, o Fidel (@fidelgato10), e não podia ficar de fora. Daí como tem um pittbull no clipe original coloquei ele😁
  37. 1 point
    Big One

    Filmes Sessão da Tarde

    KKkkk;...muito bom....
  38. 1 point
    SergioB.

    Filmes Sessão da Tarde

    Ficou ótimo, cara! (Gostei da participação do gato)
  39. 1 point
    Hmmm. Resta saber como vão atualizar a história do Sitio, e torna-lo atraente para as crianças de hoje. E de quebra, como vão tratar alguns dos elementos problemáticos da obra original. Curioso se vão fazer uma história contemporânea, ou mais atemporal, como é o caso do filme da Turma da Monica
  40. 1 point
    Big One

    O Que Você Anda Vendo e Comentando?

    Visto!!! Fiquei estupefato com o talento dos atores, as músicas e claro, a banda que fica embaixo do palco. Coisa linda de ser..a história de Alexander Hamilton contada através de hip hop, R&B e muito talento.
  41. 1 point
    Como será o verme de areia do Villeneuve? Art by Alex Jay Brady #Dune
  42. 1 point
    Em entrevista à Variety, a atriz Elizabeth Debicki, que irá estrelar o aguardado ‘Tenet’ ao lado de Robert Pattinson e John David Washington, falou um pouco sobre a produção do longa-metragem – elogiando a ética e o profissionalismo do diretor Christopher Nolan. “Ele tem essa habilidade de fazer um filme que envolve conjecturas complexas e, do mesmo jeito, se torna divertido e acessível. É como se fosse o set de filmagens de um filme independente, por causa da precisão – Chris trabalha muito rápido; tempo e energia são investidos em todas as coisas certas. Não há nada supérfluo. Foi humilde e colaborativo e definitivamente me fez uma atriz mais forte – e uma pessoa também”. FONTE: CINEPOP
  43. 1 point
    Jailcante

    O Lobisomem (Ryan Gosling)

    O LOBISOMEM: DIRETOR DE O HOMEM INVISÍVEL PODE ASSUMIR O FILME COM RYAN GOSLING Vem coisa boa aí! 15h · 0 POR GUS FIAUX A Universal Pictures parece finalmente ter encontrado a forma certa de produzir seus filmes de terror envolvendo monstros clássicos, e mais projetos estão vindo no futuro – como, por exemplo, O Lobisomem, um filme que já vinha sendo especulado há algum tempo. E parece que, agora, o longa acaba de encontrar seu diretor. De acordo com o The Wrap, Leigh Whannell estaria em negociações com a Universal Pictures para assumir a direção do vindouro filme d’O Lobisomem, que por sua vez deve ser estrelado por Ryan Gosling (Drive, La La Land: Cantando Estações). Whannell é mais conhecido por ter dirigido recentemente a nova versão de O Homem Invisível. Outros créditos do diretor incluem Sobrenatural: A Origem e Upgrade. Como se só isso não fosse o suficiente, Whannell também é grande amigo de James Wan e o ajudou a criar franquias como Sobrenatural e Jogos Mortais. A julgar pelo sucesso de O Homem Invisível, essa escolha é bem compreensível, e pode ajudar a Universal a reerguer seu universo de monstros. O filme deve ser produzido pela Blumhouse, a mesma produtora de O Homem Invisível. O estúdio já está envolvido na produção de outros filmes dessa “franquia”, como por exemplo a nova versão de Drácula, que deve ser dirigida por Karyn Kusama (Garota Infernal, O Convite). Ainda não há previsão de lançamento para O Lobisomem. https://www.legiaodosherois.com.br/2020/lobisomem-diretor-ryan-gosling.html
  44. 1 point
    Big One

    Liga da Justiça Sombria

    O Umberto Gonzalez diz que não
  45. 1 point
    SergioB.

    O Que Você Anda Vendo e Comentando?

    A Disney lança uma carta que embaralha o jogo das premiações: o fantástico "Hamilton", a obra consagrada da Broadway, de autoria de Lin-Manuel Miranda. Musical estupendo, brilhante, delicioso, importante, fantástico, não faltam adjetivos... São quase 3 horas de queixo caído com tamanho talento! Mas será isso um filme? Com um adendo, um filme para o Oscar? As generosas regrais atuais parecem indicar que a produção será elegível, mas não acho que o corpo da Academia vai comprar esse entendimento. Porque, para mim, é apenas, sem desmerecer, "teatro filmado", ou um show gravado. Ademais, vemos os intestinos do teatro: plateia aplaudindo, microfones, luzes, há um intervalo de 1 minuto ou seja, não há disfarce. É uma peça. Uma peça filmada. O lance é que é das coisas mais lindas já feitas, e, se for elegível, como parece que é, vai ser engraçado ver "Hamilton" ganhar 11 Tonys e também algum Oscar. Assistam!
  46. 1 point
    Jailcante

    19 Dias de Horror

    A Morte te dá Parabéns (Happy Death Day, Dir.: Christopher Landon, 2017) 3/4 A Morte te dá Parabéns 2 (Happy Death Day 2U, Dir.: Christopher Landon, 2019) 3/4 Revendo esses 2 filmes bem divertidos. Primeiro pega premissa de O Feitiço do Tempo, de um dia se repetindo várias vezes, e mistura com slasher. O segundo já fala de universo paralelo, que deixa de lado o lado slasher do primeiro filme, e virar um sci-fi, mas mesmo assim vale a pena. Por ser um sequel tão surreal talvez prefira ele do que o primeiro. Mas tanto faz, todos os dois são muito bons (queria um terceiro pra fechar uma trilogia). Quadrilha de Sádicos (The Hills have Eyes, Dir.: Wes Craven, 1977) 3/4 Quadrilha de Sádicos Parte 2 (The Hills have Eyes Part 2, Dir.: Wes Craven, 1984) 2/4 Wes Craven nos anos 1970, estava numa época de fazer filmes brutais como esse e o 'The Last House on the Left". Esse aqui se sai bem melhor. É um 'Massacre da Serra Elétrica' num deserto e com uma família sendo o foco da família de sádicos, e não grupo de jovens como no Massacre. Considero o remake feito pelo Alexandre Aja em 2006, melhor que esse, mas esse ainda mantém seu valor. O que pesa contra aqui é que a família soa quase cômica (ainda mais nos dias de hoje), passando longe da família do Letherface que era só insana. Mas ok, ainda mantém seu impacto. E pensar que tanto o original como o remake, ganharam sequels meio frouxas. A Parte 2 daqui, o Wes esqueceu que estava fazendo sequel do 'Quadrilha de Sádicos' e fez um slasher bem Sexta-feira 13 (até o Harry Manfredini que fez trilha da série do Jason, foi chamado pra fazer a daqui, o que deixa tudo mais próximo). Na mesma época, Wes estava fazendo 'A Hora do Pesadelo', e aí deve ter deixado toda sua veia criativa no filme do Freddy, e aqui resolveu só adotar a fórmula dos filmes slashers que estava fazendo sucesso na época. E é uma continuação bem forçada, já que tiveram ressuscitar um vilão do filme anterior e criar um outro que, basicamente, brotou do chão. Mas enfim, se esquecer que é sequel do 'Quadrilha de Sádicos' e tratá-lo somente como mais um slasher ali da época, até que pode funcionar.
  47. 1 point
    clandestino

    Liga da Justiça (HBO MAX, 2021)

    O JL foi uma bomba justamente pelo fato da Warner ter botado a mão. A Warner não estava feliz com o rumo que o DCU estava tomando e aproveito a oportunidade que surgiu do afastamento do Snyder para fazer o que bem quiser. As acusações do Fisher podem ser verdadeiras pelo fato de ninguém do cast ter elogiado a direção do Wheedon quando o filme foi lançado.
  48. 1 point
    Jailcante

    Os Vingadores 4: End Game

    Off. No Mercado Livre, acabei dando de cara com esse jogo antigo do Capitão América pro SNes: https://produto.mercadolivre.com.br/MLB-1448288428-captain-america-and-the-avengers-paralelo-leia-descrico-_JM#position=4&type=item&tracking_id=63d0a9af-aa6e-42a8-8ccc-d5725d789f60 HAHAHAHA Pegaram o Robert DeNiro, pintaram de azul e colocaram na capa.
  49. 1 point
    Jailcante

    Quarentena do Coronavirus

    Gabaritei esse aqui (sim, isso é triste hehehe)... Segundo Sol Selva de Pedra Caminho das Índias (ri) O Clone Escrito nas Estrelas Um Anjo Caiu do Céu Caminhando nas Nuvens Vale Tudo Rainha da Sucata (ri) Que Rei Sou Eu? O Rei do Gado (ri) Mulheres de Areia Roque Santeiro (ri) Fera Radical (ri) Duas Caras (ri) Vamp Cobras e Lagartos Alma Gêmea Velho Chico (ri) Vira-lata Mico Preto A Gata Comeu Barriga de Aluguel (ri) Roda de Fogo Novo Mundo (ri) Pedra Sobre Pedra Bambolê (não tenho certeza) Estrela Guia (ri) Feijão Maravilha (ri) Chocolate com Pimenta Páginas da Vida Laços de Família
  50. 1 point
    Big One

    Filmes Sessão da Tarde

    As 7 Faces do Dr. Lao 1964 ‧ Fantasia/Faroeste ‧ 1h 43m Clássico da Sessão da Tarde, eu adorava este filme e ontem me lembrei dele e fui correndo baixar pra poder revê-lo. Continua bom, ela já era "velho" quando eu vi na primeira vez, afinal ele é de 1964. Como diz acima, mistura fantasia e faroeste, num faroeste que já tinha carros. O filme tem aquela cara de matinê, tem humor, tem uma galhofas, mas nada que atrapalhe. Numa cidade do Arizona, um cara muito rico, que por acaso chama-se Stark, kkk. O Sr Stark, tenta comprar todas as casas da cidade alegando que vai "ajudar" as pessoas. Enquanto a votação não acontece, chega na cidade um chinês montando de um burro com um aquário (com um blowfish). JUnto ele trouxe um circo, pequeno por fora e grande por dentro, com várias atrações peculiares, tais como a Medusa (dava muito medo e continua bem feito), Merlin (sim ele), deus Pan (mitologia grega), uma serpente gigante, Apolônio um homem cego que prevê o futuro e o abominável homem das neves. Com isso várias pessoas encontram seus temores, verdades e até alegrias nesses personagens.

Announcements

×
×
  • Create New...