Jump to content
Forum Cinema em Cena

SisterJack

Members
  • Content Count

    125
  • Joined

  • Last visited

  1. Eu estava me referindo à estrutura, não a diálogos.SisterJack2007-01-07 16:59:50
  2. Ótimo. Kevin Smith (i.e., meio tapado). O melhor filme envolvendo homossexualismo é Mal dos Trópicos (2004), de Apichatpong "Joe" Weerasethakul. O segundo melhor é Safe (1995), de Todd Hanyes. O terceiro melhor é O Rio (1997), de Tsai Ming-Liang. Vá atrás desses.
  3. Sim, se observar madeira pode ser considerado um espetáculo.SisterJack2007-01-07 10:45:47
  4. 68. Bem divertido, e depois de anos de comédias neuróticas vagas e errantes, é impressionante ver o Woody criar uma trama de suspense bem estruturada e direta. É uma pena que o diálogo e as atuações saíram mais duros e achatados que aquele gato vagabundo que ousou atravessar a BR116.
  5. Por que? Eu concordo que seja uma piada' date=' mas é uma piada fantástica. A cena mais hilária de 2005. Perdendo talvez pra cena onde o Matt Damon participa da discussão codificada.
  6. Mude isso para "Pessoas que não são as pessoas que o SisterJack conhece". Confie em mim: eu conheço uns dois caras que pararam de acreditar em Deus ao ler o (excelente) The Blind Watchmaker' date=' um livro sobre evolução do Richard Dawkins. O resto dos meus amigos ateus também perderam qualquer possibilidade de crença em Deus ao conhecerem mais e mais sobre explicações científicas. Só o fato de alternativas baseadas em lógica/razão ficarem disponíveis há alguns séculos atrás já facilitou imensamente o crescimento de pessoas que evitam recorrer a religião para explicar o mundo. Pra clarificar: uma pessoa perder a fé não acontece facilmente. Se uma pessoa acredita em Deus com convicção, ela raramente vai parar de fazer isso. O oposto é mais comum. Quando eu falo que em O Grande Truque, a ciência está diminuindo o efeito da fé, eu digo no sentido de estar proporcionando alternativas racionais/concretas para a compreensão do mundo. É provável que a maioria dos ateus nunca realmente acreditou em Deus (especialmente depois da infância), mas apenas o aceitou como uma explicação -- até ver que essa explicação não era satisfatória. Desde que alternativas científicas começaram a surgir. Medo da morte; criação num ambiente familiar altamente religioso; uma forma de se sentir parte de um grupo de apoio; inconformação com a dureza da realidade: vários fatores que são e sempre foram influencia forte na crença (ou a vontade de crer) em Deus. Mas antes de explicações alternativas ficarem disponíveis, acessíveis e aceitáveis, mesmo pessoas que não tinham fé provavelmente se contentavam em aceitar que os outros estavam certos. Um exemplo extremo: um homem dos tempos pré-históricos vê um raio caindo. Ele pensa que é um deus dos trovões. Um homem hoje vê um raio e sabe que é uma descarga elétrica. Etc. Quando eu digo que os truques de mágica em O Grande Truque são uma "ilusão de Deus", eu não digo que a platéia se sente fascinada simplesmente pela falta de explicação (embora isso seja sim um fator), mas porque elas inconscientemente associam esse magia inexplicável com a idéia de que há uma "corrente sobrenatural" no mundo, que há algo além da banalidade da realidade, que há a possibilidade de vida após da morte, entre outros. PS: Para um filme excelente sobre um garoto que fica maluco ao tentar interromper a sua crescente compreensão de que Deus possivelmente não existe, assistam Donnie Darko.SisterJack2007-01-03 15:03:52
  7. Talvez a implosão de dogmas imbecis criados por líderes de igrejas somado à falência do modelo de instituições religiosas anteriormente utilizado? Certamente são algumas das causas, mas elas não parecem estar diretamente ligadas na idéia de pessoas perdendo a fé ou um senso de espiritualidade. A desilusão de uma crescente compreensão de que o sistema que você utiliza para estruturar sua fé é falso/problemático pode ser algo forte, mas eu não acho que seja tão forte quanto explicações alternativas baseadas em razão/lógica. Eu fui criado católico, e no meu caso (e das outras pessoas que eu conheço) foi a segunda alternativa. E (como eu já disse várias vezes) acreditar que a primeira alternativa é a razão principal não impede de ver o auto-sacrifício de Borden e Angiers como uma tentativa de criar a "ilusão de Deus/Magia/Mistério" pra uma platéia cada vez mais desiludida (independente do motivo). Como aquele financiador diz quando Angiers o mostra o truque do "Homem Transportado": "Faz um bom tempo que eu não via magia de verdade."
  8. Todos devem procurar esse imediatamente.Nacka2007-01-03 12:58:51
  9. Nacka, você parece não estar entendendo a situação. Você faz um afirmação maluca sem a menor argumentação, e quando questionado (repetidamente) sobre a validade de tal afirmação, você prefere fugir de fininho. Isso faz parecer que você nem sabe como explicar o que falou (o que não me surpreenderia). Nós só queremos entender. "A impossibilidade do consenso torna a discussão estéril" = A Fantástica Viagem na Maionese.
  10. Eu ainda não vi o que há de errado com os comentários do Kain, Nacka. Se você puder explicar (e finalmente contribuir com algo útil pra discussão), seria uma maravilha. Eu também já fiz alguns comentários sobre porque eu acho que a sua afirmação não fez o menor sentido; dê uma procurada.
×
×
  • Create New...