Jump to content
Forum Cinema em Cena

Penny Lane

Members
  • Content Count

    476
  • Joined

  • Last visited

About Penny Lane

  • Rank
    Operador de Câmera
  1. Só um comentário sobre o final do terceiro episódio... WTF!? True Blood é muito bom...
  2. Penny Lane

    True Blood

    A segunda temporada foi otima.Para quem leu o livro, as coisas acontecem de outra maneira. O núcleo Bon Temps não é tão importante. A coisa toda rola mesmo em Dallas. Só achei que eles deram importância demais à Maryanne e ao Jason nessa temporada. Embora eu adore o Jason... nem se compara com o do livro.. (boring). Enfim, a Rainha, Sophie Anne não era para aparecer agora... mas de uma certa forma fez sentido. A prima da Sookie também não. Mas também faz sentido. É como se eles quisessem já deixar um gancho para outras temporadas. O que o Allan Ball sabe fazer demais. E tá chegando a terceira *-* Alcide, Alcide... aquilo é muito homem para uma Sookie só....ui.
  3. Olá xuxus, Então, como alguns já sabe, eu sou estudante de Arquitetura e Urbanismo e meu projeto de graduação é uma escola de cinema. Como em Fortaleza só existem 3 cursos relacionadas à cinema e audio visual, e nem um deles é referência, gostaria da ajuda de vocês. Preciso de exemplos de escolas de cinema de referência. Preciso também de imagens da estrutura da escola (salas de aula, estúdios, salas de fotografia, som, edição e tudo mais). Também preciso da opinião de vocês. Como seria uma escola de cinema ideal? O que ela ofertaria para os alunos? Como ela funcionaria? Que espaços, salas, equipamentos, cursos ela teria que ministrar e ter para oferecer uma experiência completa para o aluno de Cinema? Seria interessa que essa escola também ofertasse cursos profissionalizantes para profissionais de apoio à indústria cinematográfica? Enfim, é um espaço para dicas, comentários! Prometo que nos agradecimentos do meu TFG vocês estarão lá! Obrigada desde já!
  4. Só assisti ontem, e sei que é 'So last year', mas lá vai: 500 Days of Summer é um filme que desde o inicio deixa claro não se tratar de uma história de amor. Desde a piadinha dos créditos iniciais à narração estilo 'manual de instruções'. Boy meet girl, boy fell in love with girl, girl don't. Mas o filme é tão 'aconchegante' que me fez sentir-se em casa. Tom é aquele personagem em que eu me identifiquei logo de cara. Arquiteto frustrado que acaba ganhando a vida fazendo algo em que ele é bom, mas não o realiza (acontece...) Romântico contigo que acredita que 'All we need is love', mas que obviamente não fica gritando isso para todos ouvirem, até conhecer 'a garota'. Aí ele vira um abobado apaixonado e se deixa levar por toda aquela balela de amor ideal, do 'happy ever after', que quando estamos apaixonados temos certeza de que é a mais pura verdade. Temos aquela sensação de que as brigas são apenas uma besteirinha de nada. Que é gostoso até aquela sensação de está perdido no meio do nada, sem chão.. só para sentir aquele alívio sensacional e aquela alegria indescritível quando se faz as pazes. Porque você está apaixonado, e obviamente ela perceberá, mais cedo ou mais tarde, que você é o amor da vida dela e que são 'meant to be'. Daí durante as idas e vindas dos 500 dias, mesmo avisados, ficamos esperando que tudo se resolva. Que Tom e Summer fiquem juntos e que todo mundo acabe feliz. E é exatamente nesse exato momento que o filme te ganha. Em te fazer perceber o obvio. Que relações são vividas por 2 e que o que você sente não necessariamente é o que o outro sente. Você só enxerga e vive um lado da coisa toda. E sempre acreditamos que somos donos da verdade. Os sinais estavam lá o tempo todo, Tom só não achou interessante capta-los. E Summer nada mais é que o outro lado da moeda. Aquela pessoa cética e cheia de muros que achava mais fácil viver a vida sem criar grandes expectativas sobre nada nem ninguém. Que acredita nela e não nos outros. E que deixa a guarda baixar, se envolve e percebe que é gostoso deixar outras pessoas se aproximarem. Mas isso não significa que essa pessoa é a certa. Tom abriu as portas e o cara certo entrou e se fez em casa. Se o filme acabasse alí, naquele momento no parque... hummm... Tudo mundo já passou por um momento 'Summer', ou um momento 'Tom' na vida. A trilha sonora é demais. Entrou no meu Top. Algumas cenas são deliciosas, como o momento 'Enchanted' do filme. A direção de arte ficou sensacioanal, criando ambientações bem blasé e retro, combinando perfeitamente com alguns elementos modernos, dando o clima que o filme pede.. Downtow LA na sua melhor forma...edifícios Art Deco e Neoclássicos fazendo pano de fundo... O figurino da Zooey é tudo o que eu queria no meu guarda-roupa... Enfim, 500 me fez sair do cinema com aquele sentimento gostozinho de que a vida é boa e que eu sou feliz.
  5. Entrando em pânico.. acho que não vai dar pra ir....
  6. Ok, vi o filme e lá vai minha opinião: Venho aguardando Avatar desde que este foi anunciado. Acompanhei aqui no fórum as pequenas novidades, as primeiras imagens e confesso que nada me preparou para a experiência que tive. Avatar é de encher os olhos em todos os sentidos. Acredito que precisarei assisitr mais algumas vezes para conseguir compreender toda as informações dadas sobre o universo de Pandora. E que universo. Concebido com uma riqueza de detalhes que me deixou encantada. Da paleta de cores usadas, as layers que compunham aqueles cenários... é fruto de um trabalho minucioso, sem dúvida, de pessoas brilhantes que conseguiram desenvolver um novo mundo, palpável e real. Pandora existiu por 3 horas e foi uma experiência indescritível visita-la. Sim, temos um versão right tech de um plot que já vimos antes: O 'forasteiro' que é enviado para dominar o povo local e acaba se envolvendo com o universo destes, trocando de lado e lutando para defende-los da guerra eminente.Eu me importei? Nem um pouco. Penny Lane2009-12-31 11:44:03
  7. Acabei de ler From Dead to Worse! Muito bom! Para mim, até agora o ranking está assim: Dead to the World Club Dead All Together Dead From Dead to Worse Definitely Dead Dead as a Doornail Living Dead in Dallas Dead Until Dark Penny Lane2009-12-29 12:01:36
  8. As do meu coração: Quase Famosos - neh? Moulin Rouge Hair (vários musicais que eu não vou ficar citando ... esse acima são meus preferidos com base na trilha sonora) Alta Fidelidade - clássico (ponto) Adaptação - deliciosamente sarcástica Virgens Suicidas - delicada e triste Antes do Amanhecer - choro horrores 1 Antes do Por do Sol - choro horrores 2 Pulp Ficition - danço horrores 1 Cães de Aluguel - danço horrores 2 Kill Bill I e II - danço horrores 3 Brilho Eterno - linda Noiva Cadaver - divertidíssima Maria Antonieta - delicioooosa Little Miss Sunshine - cute Juno - eu me sinto bem Coraline - não sei, acho que é ' Other Father SongOther Father Song' que me ganhou.
  9. Uma dicona. Se forem ler, leiam em inglês. Não tem a menor graça a versão em português dos livros da Charlaine Harris. Para começar ela insere todo o sutaque sulista nos livros, e é onde está todo o sentimento de veracidade da história, porque é Sookie nos contando, do ponto de vista dela e com todo o jeitinho Sookie de ser. Outra dica. Quando a Sookie começar a descrever a roupa, ou o penteado, ou o sapato, ou a maquiagem... passe umas duas páginas e a história fica boa novamente.
  10. Topico para comentários sobre os livros da série. Dead Until Dark (May 2001) [2] Living Dead in Dallas (March 2002) [3] Club Dead (May 2003) [4] Dead to the World (May 2004) [5] "Fairy Dust" in Powers of Detection (October 2004) - Introduction of Claudine's brother Claude, and posthumous introduction of their sister Claudia[6] "Dancers in the Dark" a novella in Night's Edge (October 2004) - Indroduction of Sean and Layla, later seen briefly in All Together Dead.[7] (a Sookie-universe story without the character of Sookie Stackhouse) "Dracula Night" in Many Bloody Returns (September 2007) [8] Dead as a Doornail (May 2005) [9] "One Word Answer" in Bite (2005) - Introduction of Hadley's death & Mr. Cataliades, Waldo, and Sophie-Anne Leclerq.[10] Definitely Dead (May 2006) [11] "Tacky" in My Big, Fat Supernatural Wedding (2006) - Introduction of vampires Dahlia and Taffy, and their ex-husbands Todd and Don. (Dahlia is later seen in All Together Dead and with Taffy in "Bacon".)[12] (a Sookie-universe story without the character of Sookie Stackhouse) All Together Dead (May 2007) [13] "Lucky" in Unusual Suspects (December 2008) [14] From Dead to Worse (May 2008) [15] "Gift Wrap" in Wolfsbane and Mistletoe (October 2008) [16] Dead and Gone (May 2009) [17] "Bacon" in Strange Brew (July 2009) [17] (a Sookie-universe story without the character of Sookie Stackhouse) "The Britlingens Go To Hell" in Must Love Hellhounds (September 2009) - The Britlingens were previously introduced in All Together Dead. [17] (a Sookie-universe story without the character of Sookie Stackhouse) A Touch of Dead (October 2009) [17] (a compilation of some of the Sookie-universe short stories: "FairyDust," "One Word Answer," "Dracula Night," "Lucky," and "Giftwrap.") Dead in the Family (May 2010) [17]
  11. Spoiler Lucy, te digo uma coisa, se a série seguir mais ou menos o terceiro livro, teremos a Sookie protagonizando uma cena com o Erik que só não é melhor que todo o quarto livro... Porque no quarto, amiga... ai ai ai ui ui. Digo mermo.
  12. Cranberries tá no meu "TOP 10 de shows que eu tenho que ver na vida". Depois que eles 'deram um tempo' achei que nunca teria a oportunidade de ve-los ao vivo. Foi o primeiro cover que fiz, quando tinha, sei lá, 16 anos acho... Meu problema são os dias. Queria ir para o Rio, Mas como só posso viajar na sexta a noite, vou ter que ir para o show de Domingo em BH. Penny Lane2009-11-30 00:26:35
×
×
  • Create New...