Jump to content
Forum Cinema em Cena

trobarel

Members
  • Content Count

    37
  • Joined

  • Last visited

  1. é quase impossível transmitir a beleza de um livro de saramago para as telas. embora o pano de fundo seja digno de nota (como na epidemia de cegueira branca, ou portugal se desgarrar da europa e navegar mar adentro, ou mesmo a morte desistir de matar), os livros se destacam pela análise filosófica e sociológica da vida. muito difícil retratar as angústias das personagens de ensaio sobre a cegueira apenas com imagens. de qualquer sorte, belíssimo trabalho de meirelles.
  2. realmente é um filme muito fraco. além da imensa confusão das cenas, quase ininteligíveis, a escuridão e a chuva predominam (talvez para esconder as falhas ou baixa qualidade dos efeitos especiais - como ocorreu em godzilla). duas observações, apenas: o predador tenta apagar os vestígios dos aliens, e não seus próprios rastros. a mãe não presenteou, em verdade, sua filha com um visor noturno. apenas o trazia na bagagem, e a filha, revirando a mesma, o encontrou. pelo menos assim interpretei as duas cenas. a frase do xerife é um crime! resumindo, o filme é uma merda! parec
  3. exatamente. o que fazer? esse deveria ser o mote de toda a discussão sobre o filme (que é, como já disse antes, um excelente e muito bem executado filme de ação). ademais, falho não é o discurso (este será, no máximo, inócuo), falha é a conjuntura. e voltamos à questão principal: o que fazer? uma sugestão? não incitar a violência nem recomendar a justiça privada, muito menos aumentar as penas. o que resolve mesmo é a certeza da aplicação e cumprimento da pena imposta, além de não se pactuar com os crimes menores. matou alguém pra roubar? cana! foi condenado a 20 anos? nada de progres
  4. vc defende que a guerra é o preço a se pagar????? o preço a se pagar pela "evolução humana"????? sem comentários.... a propósito, bush, pare de fazer suposições. nunca fumei (nem mesmo pra experimentar).
  5. o que ajudou nova iorque foi o tolerância zero, no qual não se perdoa qualquer sorte de infração, por menor que seja. tal prática aplicada no brasil, o país do jeitinho e da esperteza, traria excelentes resultados. não basta ser condenado: é fundamental cumprir a pena (mesmo que não seja cadeia). e se muita gente morreu, o resultado é péssimo.
  6. não se trata de falso moralismo, mas de pragmatismo. eu seria a favor da violência se ela resolvesse nossos problemas. só que ela não resolve. ela apenas agrava a violência. a experiência dos estados americanas com a pena de morte comprova isso. se não é a solução, porque praticar nova violência, tão brutal e condenável quanto a original? onde isso vai parar? reflita.
  7. se pensa assim, o q dirá de quem baixa filmes pela net.. e se ele fosse culpado? e se ele fosse reconhecidamente um assassino sanguinário e sádico, como o traficante "baiano", do filme? ainda assim ele não mereceria a execução sumária. nem tortura. nem mesmo um tapa na cara da autoridade policial. ele mereceria ser julgado e preso. é isso que precisa ficar sempre claro (e esse é o grande perigo do filme). favelado não é bandido. é vítima. criminoso tem direito a julgamento, tem direito a defesa, tem direito a integridade física (ainda que ele não tenha a mesma postura com
  8. vi agora. muito bom em vários aspectos. a parte técnica é brilhante (v.g., muito cuidado nos detalhes da casa do protagonista e das casas das favelas). as atuações são brilhantes (a transformação do "aspira" lembra a de gomer pyle em "nascido para matar"). quanto ao roteiro, deve-se tristemente anotar que ele deve ser muito próximo da realidade. claro que poucos dos que aqui escrevem têm condições de afirmar, por experiência própria, se as cenas são exageradas ou não, mas uma coisa é inegável: pelo que se acompanha nos jornais, trata-se de uma "ficção" muito real. parece-me uma idiotice ad
  9. ainda não vi o filme (devo ser um dos poucos que não tem o dvd pirata...). só irei opinar depois de conferir o filme, mas algumas coincidências me chamaram a atenção: houve um intenção deliberada de pablo de comentar "serpico" antes de comentar "tropa de elite"? a idéia de "jovens clássicos" surgiu dessa intenção?
  10. infelizmente, sou obrigado a concordar com pablo. o primeiro filme é muito bom. o segundo, infelizmente, é mais uma dessas sequências que aproveitam o vácuo do sucesso do primeiro e acabam por "enterrar" a série. em algumas raras ocasiões, surge um terceiro filme da franquia que salva a trilogia. não é o caso de RE 3. filme fraco, mesmo para filmes de zumbi. roteiro absurdamente ridículo, quase inverossímil. me esforço para lembrar de algum aspecto positivo e não consigo. em relação aos zumbis que quebram o carro enquanto os demais não conseguiram, há uma explicação plausível no filme
  11. não sabia que pablo ficava batendo boca no fórum... não vi e não pretendo ver o filme - não suporto musicais.
  12. excelente filme e crítica. apenas faria a correção da nota (daria 4 estrelas). demi moore e algumas partes da trilha sonora realmente distoam, mas nada que atrapalhe muito o desenrolar do filme. costner e hurt estão em perfeita sincronia. quanto ao estereótipo de moore (óculos escuros, chiclete e masculinizada), talvez se trate de uma saída rápida do diretor para apresentar a personalidade da personagem (afastando moore de sua habitual imagem no cinema - uma mulher linda e sensual, sem precisar de diálogos e acessível ao mais desavisado dos espectadores). lembro que a personalidade da persona
×
×
  • Create New...