Jump to content
Forum Cinema em Cena

Gago

Members
  • Content Count

    2057
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    1

Everything posted by Gago

  1. É apenas uma explicação do porquê de não ter gostado do filme. O motivo principal é o fato dele não ter me envolvido, me cativado ou simplesmente gerado qualquer emoção positiva. As palavras são apenas tentativas de dar corpo às possíveis razões. É somente uma forma de comunicação para troca de ideias. E, pra ser bem sincero, eu ligo muito mais para o que o diretor conseguiu me comunicar do que aquilo que ele inicialmente pretendia. E discordar nem é o maior problema quando você simplesmente não gosta.
  2. Gago

    Grêmio #2

    Teria de quebrar uns 12. O RG ainda é, na cabeça do Dunga, prioridade em comparação com o Ganso. E o Carlos Eduardo é preferência com relação ao Gaúcho. Mas hein, como joga bola esse moleque, puta que pariu. E o time do Santos, que vira e mexe é colocado em dúvida quando aparece um novo adversário, vai levando mais uma...
  3. Texto muito, mas muito bom mesmo, do Mauro Cezar Pereira: Não vou discutir nomes, afinal, Dunga é "coerente". Tanto que não chamou Paulo Henrique Ganso e Neymar por terem sido reservas no Santos em jogos no Brasileirão 2009. Mas convocou Doni, Júlio Baptista e Kléberson, que são suplentes hoje! Tão "coerente" que alegou não poder levar os santistas porque não foram testados. Mas incluiu o meia na lista de espera. E chamou Grafite, que atuou só 26 minutos em sua equipe. Bobagem discutir nomes quando o aspecto técnico não importa tanto. Para Dunga, o que vale é "paixão", "emoção", "o sonho de vestir a camisa da seleção", "ser patriota". Opa, alto lá. Patriota? Então quem não torce loucamente pelo time da CBF é menos brasileiro do que aqueles que se descabelam pelo dunguismo? Não, essa eu não aceito, professor. Se a turma do panetone passar a Copa vestida de amarelo e festejando cada gol, isso não fará desses elementos bons brasileiros. Pátria de chuteiras em pleno século 21? O mesmo discurso quatro décadas depois? Não, obrigado. Seleção é apenas um time de futebol. Ninguém é obrigado a torcer por ela, tampouco pode ser atacado por não adotar tal comportamento. Jornalistas devem informar e analisar. Imprensa não existe para apoiar nada, e ninguém dá resposta aos críticos. A seleção da CBF não é "a" favorita ao título, mas apenas uma das equipes com chances. As escolhas de Dunga foram pela dedicação, que em alguns casos pode ser entendida como subserviência. Sim, prioridade para os cordatos que se deixam levar pelo discurso tacanho do técnico que a CBF criou. Falta talento. Com Ronaldinho Gaúcho e Ganso nos lugares de Michel Bastos e Kléberson, por exemplo, ele poderia mudar os rumos de uma partida. Mas a inflexibilidade impede Dunga de rever conceitos. Não em todos os terrenos. Quando assumiu a seleção da CBF, ele assegurou que não haveria privilégios a jogadores, tampouco a veículos de comunicação. Dunga esteve no Bola da Vez da ESPN Brasil. Chamado a retornar, recusou. Outras TVs, rádios, jornais, revistas e sites gostariam de entrevistá-lo com mais tempo. Nada feito. Mas concedeu uma exclusiva ao canal Sportv há alguns meses, e após a convocação apareceu no Jornal Nacional. Durante sete minutos, respondeu perguntas. Deu mais ênfase às reações emocionais dos jogadores do que ao desempenho técnico. E sorriu. Dunga estava em casa. Claro, sabia que ali ninguém lhe faria questionamentos de difícil resposta e com chance de réplica, algo que não acontece nas coletivas organizadas pela CBF. O treinador parece viver num universo paralelo, só dele. Fala sobre uma volta da paixão do torcedor e de um desejo dos atletas de jogarem pela sua seleção como se isso fosse algo novo. Quantos renunciaram à convocação de Parreira em 2006? Todos os por ele chamados estiveram na Alemanha. O que houve foi bagunça há quatro anos, graças à permissividade geral, inclusive de Américo Faria e Ricardo Teixeira, até hoje na CBF, ao lado de Dunga, que ignora tal "detalhe". Jogadores de nível técnico discutível veem a seleção como algo distante e, quando dentro dela, aceitam o que lhes é imposto, seja o que for. A lista de Dunga está cheia de gente assim, daí o comportamento tão elogiado. Até porque, para ele, jogar bola não é o mais importante. Pesa mesmo a capacidade de aceitar o discurso que parece extraído de um livro de auto-ajuda. Coerência? Não me parece esta a palavra que marque a atual "Era". Que tal contradição, subserviência e intransigência?
  4. Mais Busquets, que também é muito bom, embora de menor qualidade que a maior parte dos listados.
  5. Legal ver mais um fã do Di María. Esse joga muita bola mesmo. O Maradona errou um bocado na convocação, mas esse foi provavelmente seu maior acerto depois do óbvio.
  6. Eu não entendo essa coisa de achar absurdo ou ridículo alguém torcer contra o Brasil. Pra falar a verdade, besteira mesmo é pensar em obrigação de torcida num caso como esse, afinal de contas, em junho começará o campeonato mundial de seleções ou a terceira guerra mundial? Não sei, mas isso não é lá muito diferente de torcer para a Inter de Milão na final da Champions só porque tem um bocado de brasileiros atuando. Nem muito diferente de dizer que um cearense não pode torcer para o Flamengo, nem um goiano para o Corinthians, por exemplo. Essa lógica é totalmente falha, com todo respeito. Torcida, aliás, é um negócio que não dá pra encaixar num sistema lógico muito bem definido. Cada um torce para a equipe pela qual se sentir atraído, pelo qual simpatizar, esse tipo de coisa. É um troço pessoal e esportivo demais pra cobrar um patriotismo exacerbado à la Galvão Bueno. Gago2010-05-11 23:08:05
  7. O Maradona é muito mestre, puta que pariu. Ele simplesmente conseguiu enfraquecer o elenco da seleção argentina numa porcentagem generosa. Uma pena, mas uma pena mesmo. Zanetti e Cambiasso de fora é uma coisa que simplesmente não tem o menor cabimento. Bem, paciência.
  8. PVC matou a pau nessa. Foi preciso na pergunta. E esse rapaz respondeu da maneira que melhor evidencia seu temperamento e estilo de jogo. Deveria virar hit.
  9. Há um bom número de goleiros realmente bons no Brasil. Victor e Fábio são, na minha opinião, dois que atuam no futebol daqui e poderiam tranquilamente participar dessa Copa. Mas o Gomes estar nessa lista não é nenhum absurdo, sinceramente. Ele está defendendo muito lá no campeonato inglês.
  10. Nenhuma novidade, como era de se imaginar. O Adriano ficou de fora mesmo, o que faz todo sentido dentro da lógica do próprio Dunga. Bem, é isso aí. Final das contas é um time organizado e engessado, cheio de jogadores que fazem a mesma função. Não tem muito variação de jogo e... talento. Resta ao torcedores torcer para que o técnico monte, a partir daí, uma equipe competitiva, mas na minha opinião é um grupo muito limitado, fraco mesmo. Gago2010-05-11 14:13:52
  11. Meus comentários não são embalados pelo fator torcida nem nada, são apenas a minha opinião, a minha visão analítica e imparcial da situação. E concordo muito quando o Foras diz que se o Dunga acredita no título com esses jogadores então que não abra mão disso e tchau. O detalhe é que esse elenco é limitado, de modo que não tem muitos recursos. Se o Kaká for suspenso, ou sentir alguma lesão, ou simplesmente estiver num dia ruim, não há alternativas. Se o Brasil estiver no meio de um jogo amarrado com uma Alemanha da vida, ou estiver perdendo de uns dois de diferença para uma Holanda da vida, não tem produto humano no banco de reservas capaz de modificar completamente o panorama da situação. Daí é esperar que o Daniel Alves acerte mais uma cobrança de falta daquela ou que tudo se resolva com o Lúcio numa bola parada. Ou, na pior das hipóteses, ver se o Júlio César consegue escrever seu nome na história das copas. E Foras, essa seleção argentina é a mais deliciosa das incógnitas. Depois de tudo que o Maradona passou, de abdicar de ser um Deus e voltar a ser um humano criticado pelo povo de lá, imagina só ele levar a taça? Seria divertidíssimo. Seus jogadores estão comendo a bola mundo afora. E não são poucos: Messi, Milito, Lisandro, Tévez, Higuaín, Zanetti, Samuel, Verón, Cambiasso, Di María (esse aqui é relativamente desconhecido, mas joga DEMAIS) e outros. Só falta mesmo -- e eu espero fortemente que sim -- o técnico organizá-los da melhor maneira possível, especialmente no setor defensivo.
  12. Mas a seleção espanhola tem o melhor elenco da atualidade e os melhores resultados desde o fim da Copa de 2006 até agora. Perdeu o jogo para os EUA e só. Todo o restante foi consideravelmente bom, incluindo a bela conquista da Eurocopa, um torneio praticamente do mesmo porte e dificuldade que a Copa do Mundo. É, ao menos em tese, a melhor equipe nacional de hoje. Gago2010-05-10 16:24:43
  13. Eu acho que essa equipe dos EUA passa bem longe de favoritíssima, mas é uma candidata a dar trabalho aqui e ali, caso consiga encaixar um estilo de jogo sólido como o da Copa das Confederações. De todo modo, não acho que dê pra pegá-la como um parâmetro de grande qualidade. O time do Dunga obteve bons resultados durante esses anos, disso não tenho dúvida, mas também vejo muitas limitações nesse percurso. É o que aconteceu com a maior parte dos que vão à Copa, mas eu não considero o suficiente para apontar o Brasil como o grande favorito, como a maior parte das pessoas estão fazendo por aí. É um dos sérios candidatos ao título, quanto a isso eu concordo, mas não vejo como dizer que esse time tenha mais chances que a Espanha ou a Inglaterra, por exemplo. Mas pra vocês notarem o quanto eu não confio nessa equipe do Dunga, eu não me supreenderei em caso de título nem em caso de eliminação logo na primeira fase. É um time certinho e organizado, mas tecnicamente limitado. Dá pra vê-lo tanto longe quanto precocemente derrotado. É a minha opinião. E a minha grande expectativa para a convocação de amanhã gira justamente ao redor do nome do Adriano. Se ele for convocado, então a filosofia norteadora dessa era da seleção, na minha opinião, terá ido por água abaixo. Não dá pra dizer que o atacante do Flamengo atualmente se encaixa no perfil de comprometimento exigido pelo Dunga -- está gordo, não treina etc. --, que tanto falou sobre o preparo físico e disposição do Ronaldo e Cia na última Copa.
  14. Foras, o Doni simplesmente não tem moral alguma na Itália. O negócio é tão feio pra ele que ele é escalado, quando muito, como reserva de um outro brasileiro. Já o Gomes vem pegando muito na Premier League, titular absoluto nesse time do Tottenham que finalmente voltou a conseguir vaga para a Champions. Eu venho assistindo, já há um bom tempo, a praticamente todos os jogos europeus transmitidos na tevê fechada, e a discrepância de qualidade entre os jogadores brasileiros e os demais é bastante grande, especialmente em contraste com os selecionáveis do Dunga. Os que vêm atuando em alto nível são os jogadores da Inter e o Daniel Alves. Eu particularmente acho que a maior parte do pessoal superestima demais o trabalho que esse sujeito vem fazendo como técnico da seleção brasileira. O que ele conseguiu foi uma Copa das Confederações aos trancos e barrancos (sufoco contra o timeco da África do Sul, contra o normalzinho EUA etc.) e uma Copa América (quando mesmo que o Brasil não ganhou uma? Rá!). O Parreira alcançou os mesmos feitos antes da Copa de 2006, lembram? Não estou dizendo que o Dunga fez necessariamente um trabalho bom ou ruim, nem que perderá ou ganhará a competição, até porque Copa do Mundo é um troço muito doido, mas que montou uma equipe não muito confiável. É um time com pegada, disciplina, vontade e tudo mais. Mas bem limitado tecnicamente também. A sorte é que o mesmo ocorre com boa parte das outras seleções. À parte de tudo isso, há o desserviço para a seleção brasileira que será não levar os meninos do Santos. Nem tanto porque essa equipe do Dunga tem poucos talentos verdadeiros, mas pela mão na roda que seria esses dois, daqui a quatro anos, com o peso e o clima de uma Copa do Mundo na bagagem. Minha nossa.
  15. Eu acho que na lista dos vinte e três a única surpresa -- se é que dá pra chamar assim -- será o nome do Grafite ou do Tardelli no lugar do Adriano. Na questão da lateral esquerda, eu também acho que o Dunga levará o Michel Bastos e o Glberto, até pela versatilidade de ambos. Meu palpite para a lista oficial: J. César, Doni, Victor, D. Alves, Maicon, Luisão, Juan, Lúcio, T. Silva, M. Bastos, Gilberto, G. Silva, Ramires, Kléberson, Josué, F. Mello, Elano, J. Baptista, Kaká, Nilmar, Robinho, L. Fabiano e Grafite (ou D. Tardelli). E meus chutes para os sete nomes a mais são: Gomes, Miranda, André Santos, Sandro, Carlos Eduardo, Ganso e Tardelli (ou Grafite). Pus o Paulo Henrique porque não consigo pensar em nenhum outro nome para preencher a lista, além do que é mais fácil que o Dunga escale o Baptista, o Carlos Edurado ou até mesmo o Gilberto no caso de algum problema com o Kaká, então dá no mesmo.
  16. Gago

    Corinthians! #2

    Sabe o que acho engraçado desse critério do gol fora de casa? É que o perdedor geralmente reclama como se ele próprio não pudesse ser beneficiado. Não me lembro de ter visto quaisquer reclamações corinthianas depois da semi da Copa do Brasil do ano passado, quando esse mesmo regulamento fez com que o Corinthians eliminasse o Vasco da Gama. Eu nunca parei para pesar os prós e os contras dessa regra, mas não nego que as reações flexíveis que ela causa são curiosíssimas!
  17. Este seu comentário final reflete muito do que eu penso, Scofa. Qualquer um que torça e, claro, sinta satisfação com um possível contra-ataque fatal do touro não é lá muito diferente daquele que desfere os golpes com a espada a fim de proporcionar sofrimento e consequentemente acabar com a vida do animal.Gago2010-04-25 22:59:37
  18. Eu continuo achando o time muito bagunçado. Um dia o Jean é lateral, no outro é volante. Um dia o Cicinho é lateral, no outro é meia. Um dia o Júnior César é o lateral ideal, no outro é barrado. Um dia o Hernanes é volante, no outro é meia de ligação. Basta pegar o jogo de ontem. Durante a partida, o time prende a bola a maior parte do tempo, mas só levou perigo mesmo na metade do segundo tempo, com um chute do Washington, quando a equipe adversária já estava em vantagem no placar. Isso, numa disputa em que a equipe do São paulo precisava vencer com mais de um gol de diferença.
  19. Gago

    Flamengo

    O Flamengo enfrentou o Botafogo três vezes em todo o campeonato, perdeu duas e empatou uma no sufoco. Tanto quanto o primeiro pênalti, na minha opinião, nem tem o que discutir. E ó que o time do Bota é muito, muito limitado mesmo. Mas acontece, de que adianta ter um jogador do nível do Adriano se ele aparece mais em manchetes de jornal (é caso de moto, de carteira de habilitação, de noiva apanhando, blablablá) do que em campo? Complicado, mas a impressão que dá é que o título nacional do ano passado foi uma excessão. O clube tá voltando à bagunça que imperou nos outros anos, com jogadores de talento mas também com uma ingerência que põe tudo a perder.
  20. Deixe-me, primeiramente, parabenizar o Deadman por ter acertado suas previsões com relação aos mistérios da trama e, claro, agradecê-lo por não ter sido egoísta o suficiente a ponto de ter guardado este tesouro somente para si. Uhu! Daqui em diante, possíveis spoilers! Quanto ao filme propriamente dito, eu não sei precisar exatamente o quanto, mas eu gostei. Estou sem tempo para analisar minuciosamente os comentários dos colegas, mas assim, por cima, sei que a maior parte das críticas não fazem muito sentido pra mim, pois aos meus olhos a beleza do desfecho é justamente o seu caráter dúbio, já que não existem muitos parâmetros que estabeleçam a explicação/revelação como uma verdade absoluta, livre da dúvida de que não se trata de parte do processo arquitetado pelos médicos a fim de não permitir a fuga do detetive. A prórpia imagem final, por exemplo, parece sugerir aquilo negado minutos antes. E enxergo com certa satisfação qualquer um dos filmes extraídos dessa ambiguidade, tanto aquele que versa sobre uma mente ferida e dilacerada quanto o que constrói um conto sobre a paranóia.Gago2010-04-14 01:00:14
×
×
  • Create New...