Jump to content
Forum Cinema em Cena

Gago

Members
  • Content Count

    2057
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    1

Everything posted by Gago

  1. É sempre muito complicado quando a gente fala a e o outro responde b. É óbvio que ninguém precisa de motivação alguma pra postar, qualquer mensagem que seja, a não ser pelo fato dela própria querer se expressar. Mas não é disso que estou falando. Você não acha que não custava nada sublinhar - a título de alerta mesmo - que o seu post continha possíveis spoilers? Isso que você digitou anteriormente são spoilers em potencial, cara. Que, no caso, podem não se concretizar. Mas que, por outro lado, podem ser reais. Fico espantado por você não perceber isso.
  2. Na boa, pra que postar uma coisa dessas? Sério, qual o intuito, se o máximo que você pode conseguir, caso esteja certo, é produzir um spoiler pra alguém, quiçá comprometendo legal a experiência de assistir ao filme? Sem brincadeiras, qual a graça ou o mérito nisso? Claro que sempre há a possibildiade de você estar errado (e aí alguém pode dizer que não gostaria de entrar na sessão com quaisquer idéias ou teorias pré-concebidas), mas ainda assim permanece a pergunta: pra quê? Putz. Veras2010-03-12 23:52:05
  3. Tomarei a liberdade de transportar um comentário feito pelo Deadman no outro tópico, porque me interessou e é a partir dele que falarei um pouco a respeito do filme.
  4. Eu passo longe das inserções do REF e da moça que apresenta juntamente com ele. O negócio aqui em casa é tecla SAP durante a festa inteira, porque eu já assisto acompanhado de pessoas suficientemente interessantes para ter que me submeter a comentários pobres como os desse sujeito. E também porque ouvir o áudio da premiação concomitantemente ao dos apresentadores da TNT não dá certo de jeito nenhum, sempre perco o principal com aquelas vozes sobrepostas.
  5. Agora me digam: pra que raios a deselegância de cortar com a musiquinha o discurso de agradecimento das pessoas que eles mesmos se propõem a premiar quando, na mesma noite, inserem coisas como aquelas apresentações claudicantes de melhor ator/atriz e as danças que em nada rimavam com as trilhas sonoras? Quanto aos prêmios, não comentarei de um em um porque não tenho saco nem tempo. Mas gostei do fato de A fita branca não ter levado filme estrangeiro e Avatar ter saído com relativamente pouco. Foi legal ver Guerra ao terror como o grande vencedor da noite, apesar de particularmente não ser mesmo o meu preferido. E apesar de extremamente previsível, fiquei satisfeitíssimo com os prêmios de Up, é claro. Gago2010-03-08 14:10:50
  6. Apostas: Filme: Guerra ao terror Direção: Kathryn Bigelow Ator: Jeff Bridges Atriz: Sandra Bullock Ator Coad.: Christoph Waltz Atriz Coad.: Mo'Nique Roteiro original: Bastardos inglórios Roteiro adaptado: Amor sem escalas Filme estrangeiro: O segredo dos seus olhos Animação: Up Edição: Guerra ao terror Trilha sonora: Up Canção: The weary kind Direção de arte: Sherlock holmes Figurino: The young victoria Maquiagem: Star trek Edição de som: Avatar Mixagem de som: Avatar Efeitos visuais: Avatar Fotografia: Guerra ao terror Documentário: The cove Curta animação: A matter of loaf and death Curta live action: The door Curta documentário: China’s Unnatural Disaster: The Tears of Sichuan Province É isso. E provavelmente não assistirei à cerimônia de entrega, já que faltou luz em todo o bairro às quatro da tarde e, até então, as coisas não melhoraram por aqui. Tenho um tanto de bateria pra gastar aqui, mas definitivamente não dará pra muita coisa. Sobre as categorias, eu considero a de fotografia a mais difícil entre todas. Depois, é direção de arte, pois ainda tenho minhas dúvidas quanto a aceitação por parte da academia quanto ao teor cgi de Avatar. E, por último, acho que o filme do Cameron não sairá como vencedor do prêmio principal. Mesmo se der zebra, acho que será Bastardos inglórios.
  7. Não tem mesmo, ainda com a idolatria que o filme tem por aqui. Mas será um prêmio merecido, sem dúvida alguma, ainda que eu tenha outras preferências nesse quesito. Gago2010-03-02 12:16:57
  8. Estou começando a elaborar minha lista, que, imagino, não será muito difícil. Mas eu tenho uma dúvida: a questão da escolha da audiência. Ela só entrará na próxima etapa, certo? E, mesmo assim, terá aquela falha grotesca do ano passado corrigida (filme indicado na categoria principal vencendo aqui), né?
  9. Eu gosto bastante do Jonze, principalmente porque, na minha opinião, há bastante conteúdo por baixo de suas estripulias visuais e narrativas (que no geral me divertem), diferentemente da maior parte dos cineastas indies. Pra falar a verdade, eu nem manjo desse rótulo em si (na minha pobre cabecinha, engloba obras como Pequena miss sunshine, Juno, Distante nós vamos, 500 dias com ela e afins), mas o pouco que eu sei me faz pensar que este filme é, salvo engano muito forte, o primeiro indie americano que eu gostei pra valer. Mas eu só não entendi o trecho em que você fala que os conflitos criados no outro mundo, a partir do que você conhece de crianças, não combinam com Max. É porque você acha que crianças de nove anos não são assim? Ou porque não condiz com o personagem do filme mesmo? Eu não pesquei. De todo modo, fiquei satisfeitíssimo com o filme tanto como o mapeamento psicológico de um menino dessa faixa etária quanto do Max personagem mesmo, uma vez que comigo funcionou bem a idéia de projeção no mundo fantasioso - e com um tom meio ingênuo mesmo, como a idéia do castelo/fortaleza ser o modo que ele encontrou de unir sua família junto de si, ou a guerra de neve ter um equivalente com os monstros, acabando mal do mesmo jeito.
  10. Funcionou consideravelmente bem comigo, no sentido de que sempre gosto da idéia de ver o fantasioso e o psicológico infantil conjugados de modo que a criança consiga enxergar a porta do estágio de amadurecimento distante de lições de moral. Nesse sentido, é mais inteligente do que eu imaginei que fosse, e a riqueza das relações entre o lúdico e o real são simplesmente maravilhosas, revelando um universo e personagens cujas relações e constituições próprias são mais palpáveis e profundas que de muito ser humano que a gente costuma encontrar no cinema por aí. Deve ser o melhor filme que vi nesse ano, até agora. Gago2010-03-01 11:32:41
  11. O arco dramático desse filme é tão frágil, com personagens tão ocasionalmente volúveis e uma moral tão quadrada que foi complicado apreciá-lo como eu gostaria. Gago2010-02-28 22:40:15
  12. Foi como voltar no tempo, lá pelos meus oito ou nove anos, quando eu jantava com a minha avó para, logo em seguida, assistirmos a uma novelinha do SBT. E desse tempo eu sinto saudades apenas da velhinha.Gago2010-02-26 23:48:16
  13. Eu já tive a oportunidade de assistir a dois de seus filmes, e gostei bastante. É provavelmente muito distinto de tudo o que você já viu, dado que o Apichatpong Weerasethakul (não fiquem impressionados, eu copiei e colei) é o diretor que, hoje em dia, faz o cinema mais particular do mundo. E aproveitando o ensejo, tenho que me render ao grupo dos que acharam essa lista postada pelo Alexei maravilhosa. Não é todo dia que a gente encontra As coisas simples da vida (que lá em casa é conhecido como o filme mais subestimado do mundo) tão bem colocado assim. Muito menos seguido por dois Lynch (que lá na minha humilde residência é conhecido como o maior diretor vivo). É a melhor compilação que vi do gênero.
  14. É verdade, tem dessas coisas.
  15. Li que o Juvenal estava no meio de uma negociação por empréstimo para contar com o Diogo, ex-Lusa. Eu duvido muito que consiga, e parece que será bastante difícil mesmo concretizá-la, por mais que o próprio jogador queira. Mas seria uma baita contratação, muitíssimo melhor que Fernandão. Ele é muito, muito bom.
  16. Definitivamente não, Saulomeri. Eu gosto muito, mas muito mesmo, da atuação da Christie e, acima de tudo, considero o filme maravilhoso. Tão maravilhoso, aliás, que seria justíssimo uma indicação ao prêmio principal. E apesar de idolatrar Onde os fracos não têm vez, ficaria imensamente feliz caso saísse vitorioso. Eu não sou capaz de, nesse momento, lembrar quais são as minhas atuações favoritas da década passada, mas acho que consigo citar algumas bastante poderosas: Ralph Fiennes, por Spider. Heath Ledger, por O segredo de brokeback mountain. Liam Neeson, por Kinsey. Viggo Mortensen, por Senhores do crime. Joseph Gordon-Levitt, por Mistérios da carne. Javier Cámara, por Fale com ela. Miranda Richardson, em Spider. Imelda Staunton, por O segredo de vera drake. Björk, por Dançando no escuro. Isabelle Huppert, por A professora de piano. Hermilla Guedes, por O céu de suely. Penélope Cruz, por Volver. E muito mais, é claro. Eu precisaria de mais um bom tempo pensando e pesquisando no IMDB. Gago2010-02-24 10:53:41
  17. De Amor sem escalas e O fantástico senhor raposo eu não posso comentar nada, já que ainda não pude assisti-los, mas nem considero a persona do Clooney em si ruim. Ele é carismático e tem lá suas qualidades, apesar de um pouco restritas, mas também não produz atuações indeléveis.
  18. Faz um tempo que o Clooney resolveu assumir uma persona na hora de compor seus personagens, mais ou menos como um Cary Grant dos tempos de hoje. É um negócio com o qual já me acostumei, embora não veja com bons olhos, especialmente devido ao precipício que separa a qualidade desses dois atores. Mas deve ser um subterfúgio interessante pra ele, que me parece meio limitado, não?
  19. Proporciona uma viagem interessante, esse psicotrópico do Herzog!
×
×
  • Create New...