Jump to content
Forum Cinema em Cena

Giza

Members
  • Content Count

    25
  • Joined

  • Last visited

  1. Ah, mas o cartaz é ruinzinho, hein?
  2. Muito bom o filme. O plano final então, é maravilhoso. A atuação da Hermila Guedes é impressionante, mas discordo dos que dizem que ela carrega o filme nas costas, como se não houvesse outras qualidades. O argumento, por exemplo, é bastante original e a trilha sonora muito bem localizada. Karim Ainouz filma belamente, e sabe tirar o melhor de seus atores (João Miguel também foi muito bem). Mas também acho que a partir do momento em que a Hermila resolve fazer a rifa, o filme parace caminhar depressa demais e não explora tanto quanto poderia as situações decorrentes disso.
  3. A primeira foto do Aladin tá com a cara muito parecida com a terceira foto do Chris O'Donnel
  4. Muito bom filme. Pra mim o maior mérito dele, além da questão técnica é o fato de mostrar que não há inocentes. Policiais (corruptos ou incorruptíveis porém cruéis) e bandidos são ambos seres humanos, que devido ao contexto de barbárie que presenciam desde cedo entram em estado de degeneração, passando a defender apenas a própria pele, sem mais terem condições de discernir moralmente seus atos. E o pior é que, na maioria das vezes, isso é irreversível: esses seres humanos já estão perdidos, não têm recuperação. Agora o mais triste é ver a reação das pessoas. Sei que o curioso da arte é ver que uma mesma obra pode provocar diferentes reações, e que a maioria das pessoas tende a ver uma obra como elas são. E nesse caso foi possível uma constatação cruel: a maioria das pessoas tem uma mentalidade extremamente fascista. Não que eu achasse que todo mundo seria solidário, humanista, justo, etc, etc... mas me impressionou muito ouvir pessoas dando gargalhadas em situações absolutamente inadequadas. E vibrando com as ações de tortura. Alçando o Capitão Nascimento à condição de herói. Claro que eu já imaginava que todo esse sucesso do filme não deveria ser pelos seus questionamentos sociais e políticos, mas achava que era pela questão da violência, o pessoal adora cenas de guerra. Agora vejo que, mais do que isso: o pessoal se empolgou mesmo, e acha que o filme defende a maneira de agir do BOPE, e justamente por isso gostam. E ainda tem aqueles que também acham que o diretor quis fazer apologia à política de repressão do Estado e não gostaram justamente por isso. Sinceramente, acho que a situação tá fugindo do controle. Se eu fizesse parte da equipe de realizadores do filme não ia querer todo esse sucesso à custa de impressões tão tortas. Ah, e fazer uma série a partir desse filme... bom, tomara que não, não tem nada a ver, seria ridículo.
  5. Foi o primeiro filme que vi em um video-cassete mas não lembro o nome. Pra dizer a verdade, mal lembro a história. Só lembro que era mais ou menos infantil e que tinha o David Bowie. Alguém sabe?
  6. Bom, não li todos os posts do tópico, só vou deixar minha opinião: 1. Acho que a pirataria não prejudica a bilheteria dos cinemas. Prejudica talvez a indústria de DVDs (digo talvez, pq muitas pessoas só compram DVD pirata que é barato, se não existisse o pirata, tampouco comprariam o original que é bem mais caro, ou seja, não são potenciais clientes das lojas). Aliás, em alguns casos, como Tropa de Elite, acho que isso foi até um puta marketing pra eles, Vão faturar muito mais do que senão tivesse havido toda essa polêmica. 2.Não é por isso que acho isso certo. Considero errado ganhar dinheiro com isso, ganhar dinheiro em cima da cópia do trabalho dos outros (pessoas envlvidas na produção e distribuição de um filme). 3. Não considero errado (como no post acima) baixar filmes, livros e músicas para consumo próprio ou para compartilhar com quem quer que seja, sem obtenção de lucro (lucro = $$$). Principalmente tendo em vista os preços absurdos e o fato de que muitos destes não chegam ao Brasil ou só chegam a algumas cidades, ou são raridades que não se encontram facilmente. 4. Desde que comecei a baixar filmes na internet meu interesse por cinema só tem aumentado, consegui ver filmes que não veria de outra maneira e vou muito mais ao cinema do que antes.
  7. Vi um filme ontem no festival do Rio. O que ganhou a Palma de Ouro, " 4 meses, 3 semanas e 2 dias". o filme é ótimo. Mesmo. Um dos melhores que já vi este ano. As atuações também. Daí, eu reparei uma coisa: tá havendo uma tendência muito grande a cada vez mais valorizar atuações "cool", como as desse filme. Tipo, o personagem sofre coisas horríveis, humilhações tremendas, perdas e tal, mas sempre fica com aquela cara tipo "a minha dor é interna". Não gritam, quase não choram, não discutem... Não tô criticando as interpretações desse tipo, apenas observando esse fato cada vez mais crescente. Não é que eu ache que deveria haver melodrama, shows performáticos e etc... mas parece estranho epouco verossímil que pessoas reais quando expostas a situações horríveis apenas fiquem olhando para o horizonte (ou para dentro de si) . Exemplo: a maioria esmagadora das pessoas achou a Grace de Dogville mais bem interpretada que a de Manderlay. E pra muitas pessoas, quando eu pergunto o porquê, além de dizerem "ah, pq a Nicole é a Nicole" também dizem "a Grace de Dogville é mais cool, demonstra menos suas emoções". [se alguém aqui ainda não viu esses filmes SPOILER] Mas é verossímil que uma pessoa estuprada quase não esboce reação? Que ela aguente todas aquelas humilhações sofrendo tanto por dentro e pouco externando isso? Tá certo que chegou um ponto em que ela era tão maltratada que não devia ter forças nem pra chorar, e também que ela não podia reclamar, pois não queria ser mandada embora de Dogville e voltar pras mãos dos gângster. Então a atuação dela foi mais contida pq a situação exigia isso. Mas em Manderlay, não era a Grace que dependia da proteção daquela gente. Era diferente, agora era ela que se sentia protegendo o pessoal, não estava mais acuada, achava que tinha o domínio da situação, que ela é quem deveria mostrar praquele povo como eles deveriam viver. E então não tinha pq a Bryce Dallas-Howard fazer uma Grace "cool', quieta, que pouco demonstra as emoções, introspectiva. Ela interpretou de um modo mais expansivo. Então foi criticada. Eu não concordo com isso, parece que as pessoas hj em dia estão dando muito mais valor às atuações menos expansivas e torcem o nariz para aquelas mais emotivas, mesmo quando o contexto exige.
  8. Um filme que todo mundo malha é American Pie. Mas caramba, eu rio! E sendo o filme uma comédia (pq há certos "dramas" que não conseguem arrancar nada de mim a não ser gargalhadas), logo...
  9. Giza

    Paraíso Tropical

    Olha, fazia mais de dois anos que eu ñ via novela e pra ser sincera não senti a menor falta. Mas essa eu acomapnhei mais,pelo menos o suficiente pra não ficar boiando na trama. <?:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" /> E mais uma vez cheguei a conclusão que não vale a pena perder tempo com isso não. É incrível como todas as novelas são iguais. TODAS, por exemplo, tem uma traminha de alguém que não é filho de quem pensava ser ou algo semelhante. Essa acho que bateu o recorde: primeiro a Paula descobriu que não era filha da Susana Vieira (sei lá o nome da personagem); a Joana descobriu que era filha do Jader; o Mateus aos 18 anos encontrou o verdadeiro pai; o Antenor descobriu que não era pai do filho da Bebel; o Fred descobriu que não era irmão de verdade da Fernanda; e no fim a descoberta de que o Ivan era filho do Antenor. Putz, claro que devia ter um filho do Antenor na história, só que eu achava que era o Daniel, tipo, o Antenor teria engravidado a mulher do caseiro que ou nunca contou a verdade pro marido ou o elemento sabia mas nunca tinha contado. De qualquer forma, daria na mesma, ou seja: nada de novo nas novelas. E a Taís entrou pra história como a vilã mais burra: quer dizer que ela descobre que o cara que tá caidinho por ela é herdeiro de uma fortuna e a anta vende seu silêncio pra um cara perigoso por uma ninharia (perto do que ela poderia desfrutar junto do Ivan, ou até matando ele, se quisesse)? Hauhauahuahauhahah.... Conta outra! Aff, e aquela Camila que passou a novela inteira morrendo de amores pelo insosso do Mateus pra no último capítulo descobrir que ama o quase tão insípido Fred? Sem contar que essa de casamento pra salvar o emprego do pai... Enfim... assistir novela é uma derrota mesmo.... nunca mais.
  10. Ok, a Angélica e essa Fanny são atrizes, tudo bem. Ou pelo menos trabalham como atrizes. Fazer o que, né? Admito que quando disse que a maioria esmagadora é mestiça, joguei no ar, não tenho dados sobre isso. Me baseei no que vejo pelos lugares do Brasil por onde já andei, mais pelo Norte e Nordeste mesmo, e moro no Rio. Mas tenho a impressão de que os dados do IBGE estão sujeitos a distorções, visto que se baseiam naquilo que as pessoas se declaram. Acho 53% um exagero. Quanto à sua teoria... Bem, hã... não acho que isso seja biológico. Tipo, que a atração pela "delicadeza" e "fragilidade" feminina nasça com homem. Há (ou houve) etnias onde mulheres voluptuosas, fortes, são valorizadas. Continuo acreditando que seja cultural mesmo, tem a ver com aquilo que desde criança a pessoa se acostumou a associar ao que é belo. Aí, sim, entra o inconsciente, pois são informações que ficam tão enraizadas que as utilizamos de forma inconsciente.
  11. Bom, diferente da maioria dos homens que não gostam de admitir e até admirar a beleza de outros homens, a maioria de nós mulheres não vê problemas em reconhecer a beleza de outras. Então deixa ver,analisando as 20 primeiras celebridades (pq atriz... Angélica, rsrrs... e essa Fanny Georguleas é aquela do BBB?) postadas pelo Richard... pois é, vendo as listas postadas neste tópico, vejo como praticamente só brancas são lembradas. Outras que poderiam estar tranquilamente entre as 20 mais lindas do Brasil, posso citar um bocado: Taís Araújo, Ildi Silva, Talma de Freitas (mulherão!), Camila Pitanga, Isabel Fillards, ... E ainda tem aquela japonesinha linda, Daniele Suzuki. E no mundo então, há várias e várias. Acho que todos os tipos de pessoas deveriam ser consideradas bonitas, mas sei que é difícil, pois cada grupo social tende a achar bonitos aqueles que são parecidos com os seus (se no meio de uma tribo nasce um loirinho de ohos azuis, ele vai ser considerado feio pelos outros, inclusive discriminado, não tô dizendo que isso é certo, sou contra qualquer tipo de discriminação). Mas vejo que aqui no Brasil, onde a maioria esmagadora da população é mestiça, ocorre o contrário... em vez de acharmos mais bonitos os que se parecem com o que temos por aqui, nossas listas de mais belos quase nunca refletem isso... Curioso.
×
×
  • Create New...