Jump to content
Forum Cinema em Cena

Mr. Blonde

Members
  • Content Count

    10
  • Joined

  • Last visited

  1. Olá pessoal. Não costumo mandar muitas mensagens por aqui, nem sou grande fã de filmes de herói, mas tenho que confessar: estou doido para assistir o cavaleiro das trevas. Estou colocando essa mensagem apenas para corrigir um mal entendido que ocorreu no Rotten Tomatoes. Como vocês disseram anteriormente, um crítico teria escrito que considerou o filme o pior da franquia. Na verdade o crítico foi bastante audacioso ao fazer isso. Os reais motivos dessa nota publicada por ele eram mostrar que a maioria das pessoas que andava ofendendo os críticos que não gostavam do filme, nem se quer liam as críticas e se contentavam com a "chamada" do site e que o Rotten Tomatoes é por muitas vezes um sistema falho, já que ele na verdade utilizou a frase "o novo filme é o pior da série" como uma brincadeira. Depois ele afirmava para todos ficarem tranquilos que o filme era excelente e que depois ele colocaria a crítica completa. Acho que o pessoal do Rotten Tomatoes não gostou muito, mas por via das dúvidas a crítica foi apagada e depois eles devem colocar a verdadeira! Abraços.
  2. como prometido... vou falar um pouquinho sobre as minhas preferências. a lista de schindler é um forte retrato do reinado de terror que os nazistas tentaram impor, bem como da determinação e capacidade das pessoas que resistiram. emociona por sua crueldade e pelo horror que é mostrado ao longo da projeção e conquista graças à complexidade do caráter do personagem principal. é um verdadeiro exemplo do cinema proposto pelo diretor. ele é brilhantemente escrito, dirigido, atuado e visto! um dos melhores filmes que ví em minha vida! mas sou suspeito... na minha opinião, o resgate do soldado ryan é uma das melhores produções de guerra de todos os tempos. você não apenas o assiste, você vive através dele. você sobrevive à ele e no final, você sente como se soubesse por um momento como é estar em uma verdadeira batalha. é uma extraordinário experiência e merece ser visto! me lembro como se fosse hoje o dia em que assisti pela primeira vez à o parque dos dinossauros. sem sombra de dúvidas foi a maior fila que ví em toda minha vida! o público não parava de comprar bilhetes e havia uma grande expectativa com o que seria apresentado na tela. dinossauros? parecia interessante! enquanto as luzes iam se apagando... ninguém sabia o que esperar. não era como hoje, que se tem acesso à internet e meses antes do lançamento já sabemos boa parte do que irá acontecer! as cenas de abertura permanecem como algumas das minhas favoritas entre todos os filmes que já ví e chegam a me dar calafrios até hoje. fiquei duas horas sentado na minha poltrona maravilhado com aquelas criaturas que nunca pensei que veria antes! o filme era cheio de tensão e sustos e eu caminhava para fora do cinema tentando recuperar o ar. é uma grande viagem! claro que as atuações não são perfeitas, os diálogos não são profundos! mas o ritmo é impressionate! aquilo era entretenimento! spielberg em grande forma! ps: ainda não pude rever louca escapada! vou passar na locadora hoje e comento depois. abraços.Mr. Blonde2008-05-06 12:56:41
  3. olá pessoal, também vou fazer a minha lista com os meus filmes preferidos do steven spielberg. não quero cair no clichê, mas é um grande diretor. não é qualquer um que recebe onze indicações ao oscar. foi muito difícil escolher dez, aqui vai: 01. a lista de schindler, schindler's list, steven spielberg, 1993. 02. o resgate do soldado ryan, saving private ryan, steven spielberg, 1998. 03. o parque dos dinossauros, jurassic park, steven spielberg, 1993. 04. tubarão, jaws, steven spielberg, 1975. 05. et: o extra terrestre, et: the extra-terrestrial, steven spielberg, 1982. 06. contatos imediatos de terceiro grau, close encounters of the third kind, steven spielberg, 1977. 07. munique, munich, steven spielberg, 2005. 08. prenda-me se for capaz, catch me if you can, steven spielberg, 2002. 09. os caçadores da arca perdida, raiders of the lost ark, steven spielberg, 1981. 10. inteligência artificial, artificial intelligence, steven spielberg, 2001. preciso assistir novamente louca escapada e depois desenvolvo melhor o porque das minhas preferências... abraços! Mr. Blonde2008-05-06 12:13:18
  4. olá pessoal, farei um apanhado aqui sobre alguns filmes que na minha opinião foram subestimados, a maioria deles pelo grande público, irei separá-los para facilitar a discussão e vou acrescentar alguns comentários à respeito das obras citadas. ok? 01. e sua mãe também, y tu mamá también, alfonso cuarón, 2001. 02. a lula e a baleia, the squid and the whale, noah baumbach, 2005. 03. corações livres, elsker dig for evigt, susanne bier, 2002. 04. maria cheia de graça, maria full of grace, joshua marston, 2004. 05. entre quatro paredes, in the bedroom, todd field, 2001. 06. anti-herói americano, american esplendor, shari springer berman e robert pulcini, 2003. 07. as confissões de schmidt, about schmidt, alexander payne, 2002. 08. fonte da vida, the fountain, darren aronofsky, 2006. 09. terra dos sonhos, in america, jim sheridan, 2002. 10. munique, munich, steven spielberg, 2005. e sua mãe também é um filme que absolutamente deve ser visto por qualquer pessoa com paixão por cinema, e certamente por sexo, o mais rápido possível. uma mistura esperta entre filme de estrada, sexualidade e sátira política. ele decola graças à sua narrativa pouco convencional e talvez seja o projeto mais ambicioso do cineastra mexicano alfonso cuarón. a lula e a baleia conta uma incisiva e íntima história de uma família se desfazendo e faz as pessoas rirem e chorarem na mesma medida em que nos torna testemunhas do que acontece realmente com a vida quando encontramos problemas e transformações no amor. uma daquelas raras películas onde tudo parece no lugar e mesmo abordando um tema delicado, consegue transparecer momentos de puro encanto e leveza. corações livres é um poderoso e bem interpretado drama que explora o impacto que um catastrófico acidente de carro pode ter em nossas vidas. uma história de amor, dor e perdão que nos prende do início ao fim. pouco usual e provocativo, soa tão real que dá até pra ficar sem fôlego. além desses, vale lembrar de minha vida sem mim, o sol de cada manhã, os sonhadores, alma de herói, três enterros, pollock, zatoichi, do jeito que ela é, em busca da terra do nunca, à beira da piscina e de maria antonieta, que também não foram tão reconhecidos. é isso! qualquer dúvida... estou à disposição! abraços a todos.
  5. eu vou ser bem sincero: eu entrei nesse fórum para falar sobre cinema e pensei em me dedicar única e exclusivamente à isso. acontece que eu tenho uma enorme paixão pela música. é uma experiência sensorial totalmente diferente da sétima arte, tendo em vista que utilizamos apenas o sentido da audição. acho muito difícil escolher dez bandas entre tantas opções! ou seja, vou me dar o direito de fazer duas breves listas, colocando os meus álbuns preferidos e separando as bandas clássicas dos artistas atuais. ok? meus álbuns preferidos - bandas clássicas. 01. sgt. peppers lonely hearts club band, the beatles. 02. exile on main street, the rolling stones. 03. what's going on, marvin gaye. 04. pet sounds, the beach boys. 05. highway 61 revisited, bob dylan. 06. the sun sessions, elvis presley. 07. kind of blue, miles davis. 08. innervisions, stevie wonder. 09. at folsom prison, johnny cash. 10. the dark side of the moon, pink floyd. escolhi apenas um álbum por artista, pois assim, consigo diversificar mais nas opções e gostaria de incluir também os seguintes álbuns e artistas: london calling do the clash, thriller do michael jackson, led zeppelin do led zeppelin, are you experienced? do jimi hendrix, live at the apollo do james brown, in the wee small hours do frank sinatra, live at the regal do b.b. king, a night at the opera do queen, bookends de simon and garfunkel, buena vista social club de buena vista social club, can't get enough do barry white, like a prayer da madonna, modern sounds in country and western music do ray charles e i'm still in love with you do al green. meus álbuns preferidos - artistas atuais. 01. till the sun turns black, ray lamontagne. 02. language, sex, violence and other, stereophonics. 03. see the sun, pete murray. 04. water, the beautiful girls. 05. continuum, john mayer. 06. all the stars and boulevards, augustana. 07. lifeline, ben harper & the innocent criminals. 08. 9, damien rice. 09. because of the times, kings of leon. 10. call me irresponsible, michael bublé. destacando também alguns outros álbuns que não saem da minha lista de execução, o que aliás, reflete bastante o meu estado de espírito atualmente: mr. a-z de jason mraz, move by yourself, do donavon frankenreiter, supply and demand do amos lee, four on the floor de juliette and the licks, songs for silverman do ben folds, life in slow motion do david gray, the story de brandi carlile, bang bang do dispatch, chariot do gavin degraw, beyond measure do jaremy camp, revelations do audioslave, introducing joss stone da joss stone, songs we sing do matt costa, who we are do lifehouse, not too late da norah jones, it won't be soon before long do maroon 5, future sex love sounds do justin timberlake, calling the world do rooney, inside in inside out do the kooks, favourite worst nightmare do arctic monkeys, a weekend in the city do bloc party, razorlight do razorlight, for me it's you do train, half the perfect world da madeleine peyroux, corinne bailey rae da corinne bailey rae, x e y do coldplay, back to black da amy winehouse, still alright da lily allen e white moth do xavier rudd. ufa! Mr. Blonde2008-10-07 12:48:10
  6. olá pessoal! eu não sei se isso fere alguma regra desse tópico em específico, mas eu gostaria de fazer alguns comentários e expressar a minha opinião sobre o filme trabalhado na última resenha. abaixo, segue o resumo que escrevi quando desenvolvi a lista com os filmes da década atual. aproveitando agora que tenho mais tempo para desenvolver o assunto e na minha opinião, se você não assistiu ao filme deve parar de ler agora, achei cidade dos sonhos um trabalho bastante subversivo e transcendental. ele foi exibido pela primeira vez no festival de cannes, no ano de dois mil e um e até hoje inúmeras teorias tentam desvendar o seu enredo. o fato, é que é muito difícil alguém chegar à conclusão do mistério assistindo o filme logo na primeira vez. poucos filmes foram tão corajosos quanto cidade dos sonhos, ao transformar uma história tão simples em uma obra prima. a trama central do filme é meio sem graça e bastante banal. um ou outro elemento mais interessante poderia gerar mais excitação ou polêmica, como o lesbianismo vivido entre naomi watts e laura harring, mas david lynch renovou para sempre a estrutura narrativa ao embaralhar situações verdadeiras com cenas irreais, num delírio hipnótico que desafia nossas mentes a imaginar mais de uma possível interpretação. olhando superficialmente, nada de muito anormal. a história parece girar em torno de uma jovem canadense, que chega a hollywood com o sonho de tornar-se uma grande atriz. ela irá se hospedar na casa de uma tia que está saindo de viagem. chegando lá, encontra uma mulher bastante assustada que afirma que se chama rita. depois de fazer uma ligação, ela é informada que rita não está falando a verdade e ao tentar resolver o problema, descobre que a moça perdeu a memória em um acidente de carro. isso dá início à uma busca pela verdadeira origem da garota e é partir daí que as coisas começam a ficar estranhas. personagens intrigantes começam a surgir, como um cineastra que está buscando o elenco para uma nova produção, um assassino profissional em busca de uma agenda de endereços, um caubói dono de um racho que fica no meio da cidade, mafiosos estranhos que cospem café, um monstro que se esconde em uma lanchonete, um cadáver em decomposição, uma espécie de anfiteatro que apresenta números sinistros de música e mágica. imaginem a salada! os trabalhos de david lynch normalmente recebem o título de esquisitos ou doidos e ele fez questão de provar que a teoria realmente procede. claro, que o filme soa muito mais indecifrável do que veludo azul ou coração selvagem, mas não chega a ser tão hermético como a estrada perdida. o que pode-se dizer, é que ele deu um nó na trama e contou uma fábula sobre ambição, inveja e ciúmes, tão perfeita quanto um conto de fadas ou uma tragédia de shakespeare. a busca pelo poder, que provoca a morte do ser amado e o arrependimento fatal. uma grande combinação. na minha opinião, filmes assim dispensam uma justificativa. a incógnita não é um problema e sim um mérito. decifrá-los logo de cara poderia colocar tudo a perder. mesmo assim, nem tudo que aparece na tela deve ser levado em conta, é justamente a consciência pesada de uma das personagens que provoca o surgimento dessas figuras inquietantes, transformando os sonhos em verdadeiros pesadelos. literalmente!
  7. bom... eu gostaria de fazer algumas considerações à respeito desse filme em particular, já que não o inclui em minha lista final, mas tenho profunda admiração pelo que apresentou. abaixo, segue o resumo que escrevi quando desenvolvi a lista com os filmes da década atual. agora, aproveitando que tenho mais espaço para desenvolver o tema, acredito que encontros e desencontros fala em uma língua universal, que todos podem compreender. decifra os sentimentos de solidão absoluta, a importância de verdadeiras amizades e a necessidade ocasional do auto conhecimento. ele foi escrito e dirigido por sofia coppola, filha do lendário francis ford coppola e sem sombra de dúvidas pode ser considerado um dos melhores do ano de 2003. ele descreve o relacionamento entre dois indivíduos que estão fora do seu ambiente, em um mundo que não compreendem e filosofam sobre os sucessos e fracassos de uma vida inteira. é bonito, bem proposto e profundo. o fato, é que nos dias de hoje poucos filmes conseguem passar essa mensagem com charme, eloquência e sinceridade. for relaxing times, make it santory times. abraços.
  8. olá pessoal, farei um apanhado aqui sobre os melhores filmes da década vigente e irei separá-los para facilitar a discussão e acrescentar alguns comentários à respeito das obras citadas. ok? ano 2000. 01. amnésia, memento, christopher nolan, 2000. 02. réquiem para um sonho, requiem for a dream, darren aronofsky, 2000. 03. amores brutos, amores perros , alejandro gonzález iñárritu, 2000. 04. quase famosos, almost famous, cameron crowe, 2000. 05. nove rainhas, nueve reinas, fabián bielinsky, 2000. 06. conte comigo, you can count on me, kenneth lonergan, 2000. 07. snatch - porcos e diamantes, snatch, guy ritchie, 2000. 08. o tigre e o dragão, wo hu cang long, ang lee, 2000. 09. billy elliot, billy elliot, stephen daldry, 2000. 10. alta fidelidade, high fidelity, stephen frears, 2000. amnésia, sem sombra de dúvidas é um filme para pessoas que esperavam algo novo e original. um sopro de ar fresco no início de uma nova década. se pulp fiction representou o nascimento do cinema pós-moderno, amnésia marca sua adolescência. o filme é uma viagem diabólica, cheia de mistério, sem que a finalidade da película seja a resolução destes. afinal, se você sair do cinema sem saber ao certo o que aconteceu, isso já é o suficiente, já que, o que vemos na verdade é um exercício de subjetividade para decifrar um estado de espírito. réquiem para um sonho é um filme como nenhum outro que você já tenha assistido. a melhor descrição talvez seja: perturbador, então prepare-se para ficar em choque. é daqueles que se adora, mas dá ódio por gostar. um inteligente trabalho em que o sexo e as drogas podem ser tudo, menos gratuitos. aronofsky nos trás uma nova visão sobre filmes de droga, já que através da sua lente subjetiva, nos mostra como os personagens se sentem, como eles gostariam de se sentir e como eles temem sentir-se. amores brutos é um dos primeiros clássicos dessa nova década, com sequências que provavelmente irão entrar para a história. sempre inteligente e devastador na sua descrição da natureza humana, é um original e poderoso retrato que nos brinda com uma das mais impressionantes e marcantes estréias de um diretor de cinema em muitos anos. além desses, vale lembrar de garotos incríveis, amor à flor da pele, náufrago, pollock, psicopata americano, o auto da compadecida, plata quemada, traffic e do vencedor do oscar gladiador, que na verdade fala mais sobre o nosso tempo do que sobre o império romano e por isso, na minha opinião, não entra entre os melhores do ano. não assisti dançando no escuro, as coisas simples da vida e antes do anoitecer. ano 2001. 01. o fabuloso destino de amélie poulain, le fabuleux destin d'amélie poulain, jean-pierre jeunet, 2001. 02. e sua mãe também, y tu mamá también, alfonso cuarón, 2001. 03. cidade dos sonhos, mulholland drive, david lynch, 2001. 04. entre quatro paredes, in the bedroom, todd field, 2001. 05. terra de ninguém, no man's land, danis tanovic, 2001. 06. moulin rouge, moulin rouge, baz luhrmann, 2001. 07. mundo cão, ghost world, terry zwigoff, 2001. 08. assassinato em gosford park, gosford park, robert altman, 2001. 09. lugar nenhum na áfrica, nirigendwo in afrika, caroline link, 2001. 10. o homem que não estava lá, the man who wasn't there, joel coen, 2001. o fabuloso destino de amélie poulain merece ser estimado, abraçado e comemorado. é um filme irresistível, se você conseguir manter o seu cinismo em cheque por duas horas. não pode haver alguém no mundo com argumentos contra o poder de sedução de amélie. há uma mágica real nesse filme e energia suficiente para alimentar uma cidade inteira. e sua mãe também é um filme que absolutamente deve ser visto por qualquer pessoa com paixão por cinema, e certamente por sexo, o mais rápido possível. uma mistura esperta entre filme de estrada, sexualidade e sátira política. ele decola graças à sua narrativa pouco convencional e talvez seja o projeto mais ambicioso do cineastra mexicano alfonso cuarón. cidade dos sonhos é uma película maravilhosa, resplandecente em suas imagens misteriosas. ela brinca com nossa imaginação, deixando-nos sem a certeza do que acabamos de testemunhar e da influência do acontecimento na história. ninguém cria pesadelos cinematográficos tão bem quanto david lynch e esse é o seu mais intenso e assustador trabalho. seria um pecado deixar de incluir nessa lista bons filmes, como a última ceia, lúcia e o sexo, waking life, dia de treinamento, lavoura arcaica, o filho da noiva, falcão negro em perigo, monstros s.a e abril despedaçado. Adorei os excêntricos tenenbaums, um filme raramente engraçado, mas com tantos momentos espertos e inteligentes que as risadas maldosas acabam vindo com frequência. uma mente brilhante, que levou o oscar de melhor filme é maravilhoso, mas é daqueles trabalhos que não assumem nenhum risco. acabou ficando de fora. não assisti donnie darko, nem a viagem de chihiro. ano 2002. 01. fale com ela, hable con ella, pedro almodóvar, 2002. 02. corações livres, elsker dig for evigt, susanne bier, 2002. 03. encantadora de baleias, whale rider, niki caro, 2002. 04. ser e ter, être et avoir, nicolas philibert, 2002. 05. o pianista, the pianist, roman polanski, 2002. 06. o homem sem passado, mies vailla menneisyyttä, aki kaurismäki, 2002. 07. cidade de deus, cidade de deus, fernando meirelles, 2002. 08. herói, ying xiong, yimou zhang, 2002. 09. chicago, chicago, rob marshall, 2002. 10. as confissões de schmidt, about schmidt, alexander payne, 2002. assim como os outros filmes de pedro almodóvar, fale com ela está recheado de escândalos, mas a sensibilidade e extravagância com que são retratados acabam tornando o filme um dos mais bem sucedidos filmes com humor negro de todos os tempos. sexy, devastador e loucamente romântico, é o estilo de filme que cresce com uma maior reflexão. corações livres é um poderoso e bem interpretado drama que explora o impacto que um catastrófico acidente de carro pode ter em nossas vidas. uma história de amor, dor e perdão que nos prende do início ao fim. pouco usual e provocativo, soa tão real que dá até pra ficar sem fôlego. o maior mérito de encantadora de baleias é o jeito com que atravessa e deixa de lado os milhares de clichês da história e transforma tudo em algo novo, resistente e genuíno. fala sobre a família, as tradições, auto confiança e coragem e nele, o confronto entre os sexos não é reduzido aos estereótipos, fazendo com que as lições soem honestas e com um sentido de revelação real. não tem como deixar de citar os ótimos gangues de nova york, as horas, um grande garoto, prenda-me se for capaz, a era do gelo, adaptação, coisas belas e sujas, tiros em columbine, para sempre lilya, albergue espanhol, segunda-feira ao sol, o americano tranquilo, longe do paraíso e embriagado de amor (ufa!). As melhores surpresas do ano foram a estréia de george clooney na direção de confissões de uma mente perigosa e o filme independente terra dos sonhos. não assisti frida, dolls, nem o crime do padre amaro e na minha opinião, irreversível é bastante superestimado por algumas pessoas. ano 2003. 01. desde que otar partiu, depuis qu'otar est parti, julie bertucelli, 2003. 02. osama, osama, siddiq barmak, 2003. 03. encontros e desencontros, lost in translation, sofia coppola, 2003. 04. sob a névoa da guerra, the fog of war, errol morris, 2003. 05. o retorno, vozvrashcheniye, andrei zvyagintsev, 2003. 06. o melhor da juventude, la meglio gioventù, marco tullio giordana, 2003. 07. primavera, verão, outono, inverno e primavera, bom yeoreum gaeul gyeoul geurigo bom, ki-duk kim, 2003. 08. o agente da estação, the station agent, thomas mccarthy, 2003. 09. anti-herói americano, american esplendor, shari springer berman e robert pulcini, 2003. 10. na captura dos friedmans, capturing the friedmans, andrew jarecki, 2003. desde que otar partiu conta uma história de drama convencional, mas são suas atuações que o fazem extraordinário. os personagens são tão profundos, vivos e intensos que a história se torna apenas uma ferramenta para conhecê-los. o filme marca pontos em silêncio, com bom humor e uma extensa quantidade de emoções humanas, que transcendem a língua, a cultura e a nacionalidade. osama não tem apenas uma mensagem para passar, pois também é um bonito, realçado e profundo filme de arte, que captura com a sua pureza e nos demonstra a claustrofobia de ser aprisionado dentro do próprio corpo em um país onde apenas o fato de ser mulher já é considerado um crime. encontros e desencontros é um filme com muitas facetas. você pode rir, pensar e se divertir, mas com certeza será tocado. é uma bela visão do deslocamento, de um jeito que você talvez nunca mais irá ver. é aquele filme perfeito a que você presta atenção e sente-se como se não estivesse sozinho no mundo. funciona como um sonho. na minha opinião, um ano com ótimos filmes. encontrei muita dificuldade para escolher apenas dez, portanto sinto-me no dever de apontar outras boas obras apresentadas durante o período: 21 gramas, sobre meninos e lobos, elefante, adeus lenin, aos treze, oldboy, não tenho medo, o preço de uma verdade, a última vida no universo, o retorno de sweetback, zatoichi, memórias de um assassino, as invasões bárbaras, mestre dos mares, casa de areia e névoa, procurando nemo, o último samurai, o retorno do rei, alma de herói, simplesmente amor, minha vida sem mim, os sonhadores, desejo assassino, alguém tem que ceder, kontroll, medo, a janela da frente, do jeito que ela é, desafio no ártico, o homem que copiava, sobre cafés e cigarros, herança, kill bill e peixe grande. não assisti as bicicletas de belleville, o mistério dos escavadores, dogville, raízes do mal, moça com brinco de pérola e tocando o vazio. ano 2004. 01. brilho eterno de uma mente sem lembranças, eternal sunshine of the spotless mind, michel gondry, 2004. 02. menina de ouro, million dollar baby, clint eastwood, 2004. 03. maria cheia de graça, maria full of grace, joshua marston, 2004. 04. camelos também choram, die geschichte vom weinenden kamel, byambasuren davaa e luigi falorni, 2004. 05. entre umas e outras, sideways, alexander payne, 2004. 06. ninguém pode saber, dare mo shiranai, hirokazu koreeda, 2004. 07. a queda: as últimas horas de hitler, der untergang, oliver hirschbiegel, 2004. 08. hotel ruanda, hotel rwanda, terry george, 2004. 09. antes do pôr-do-sol, before sunset, richard linklater, 2004. 10. o segredo de vera drake, vera drake, mike leigh, 2004. brilho eterno de uma mente sem lembranças é um delicado estudo das emoções humanas, relacionamentos e amores mal resolvidos. nem totalmente cínico ou romântico, tem um bom equilíbrio entre raciocínio e sentimentos. um filme notável, que pode lhe induzir ao sorriso, fazendo com que você caia nas mesmas armadilhas do amor, enquanto silenciosamente, parte o seu coração. menina de ouro conta uma bonita e assustadora história sobre o espírito humano. não é aquele filme de boxe que você quer ver, mas sim aquele que você deve assistir. é um drama de tirar o fôlego que deixa você sem palavras e trata de assuntos como culpa, responsabilidade e riscos. é puro e simples, profundo e verdadeiro. maria cheia de graça é um trabalho tenso e imediato, sobre escolhas desesperadas, feitas sob circunstancias desesperadoras e que não falha ao mostrar as consequências dessas opções. podemos não concordar com as atitudes retratadas, mas com certeza aplaudimos pela coragem. tanta coisa é feita corretamente, que conseguimos facilmente acreditar nessa pequena história e multiplicá-la em nossas mentes pelos outros milhões de casos reais que ela representa. outra vez, tive muita dificuldade na classificação e com certeza isso tem relação com a crescente oferta e qualidade de filmes independentes e dos circuitos alternativos. sendo assim, segue agora outros bons lançamentos do ano: contra a parede, tartarugas podem voar, machuca, o aviador, clã das adagas voadoras, má educação, mar adentro, diários de motocicleta, o expresso polar, a voz do coração, como no céu, vozes inocentes, eterno amor, no limite da emoção, querido frankie, kinsey, tempestade de verão, mistérios da carne, whisky, um refúgio no passado, patrulha da montanha, o operário, os melhores dias de nossas vidas, quatro espectros do assombro, hora de voltar, em busca de um milagre, o lenhador, oásis, brothers, uma questão de imagem, os segredos do amor, livrando a cara, fahrenheit: onze de setembro, clean, a vida é um milagre, as consequências do amor, os incríveis, em busca da terra do nunca, ray, os educadores, colateral, closer: perto demais, e crash: no limite. não assisti a irmandade da guerra, yesterday, no limite, simon e central al jazeera e o filme a paixão de cristo não foi citado apenas por estar abaixo dos demais. é mais um filme medíocre. nada contra. ano 2005. 01. boa noite e boa sorte, good night and good luck, george clooney, 2005. 02. a lula e a baleia, the squid and the whale, noah baumbach, 2005. 03. a marcha dos pinguins, la marche de l'empereur, luc jacquet, 2005. 04. a morte do senhor lazarescu, moartea domnului lazarescu, cristi puiu, 2005. 05. capote, capote, bennett miller, 2005. 06. paradise now, paradise now, hany abu-assad, 2005. 07. paixão e glória, murderball, henry alex rubin e dana adam shapiro, 2005. 08. uma mulher contra hitler, sophie scholl: die letzten tage, marc rothemund, 2005. 09. caché, caché, michael haneke, 2005. 10. flores partidas, broken flowers, jim jarmusch, 2005. boa noite e boa sorte é de longe um dos filmes mais inteligentes do ano e fala sobre a prática, profundamente americana de classificar seus dissidentes como traidores. parece uma volta no tempo em que você pode testemunhar acontecimentos históricos como eles realmente ocorreram. uma bonita e comprometida obra, sobre ideologias políticas e liberdade de imprensa, que se mostram assuntos mais próximos do que aparentam. a lula e a baleia conta uma incisiva e íntima história de uma família se desfazendo e faz as pessoas rirem e chorarem na mesma medida em que nos torna testemunhas do que acontece realmente com a vida quando encontramos problemas e transformações no amor. uma daquelas raras películas onde tudo parece no lugar e mesmo abordando um tema delicado, consegue transparecer momentos de puro encanto e leveza. a marcha dos pinguins é um trabalho simplesmente encantador, mostra uma das jornadas mais incríveis da natureza e explora o difícil ciclo de vida dos pinguins imperadores. encontramos muito mais coração e drama nesse documentário do que em muitos filmes escritos atualmente para tocar nossos sentimentos e ele acaba soando como uma das expressões mais apaixonadas do relacionamento entre as espécies contada na história do cinema. não posso deixar de lembrar de outros ótimos exemplares, como o homem-urso, a criança, ponto final: match point, batalha no céu, as maçãs de adam, razões para a guerra, um herói do nosso tempo, three times, a proposta, syriana: a indústria do petróleo, três enterros, estrela solitária, bob dylan: no direction home, infância roubada, batman begins, johnny e june, transamerica, obrigado por fumar, orgulho e preconceito, o jardineiro fiel, a aura, a fantástica fábrica de chocolate, marcas da violência, a noiva cadáver, ritmo de um sonho, a vida secreta das palavras, soldado anônimo, a batalha dos vegetais, cidade baixa, o sol de cada manhã, o segredo de brokeback mountain, retrato de família, munique, sin city: a cidade do pecado, o que você faria, um longo caminho, eu, você e todos nós, feliz natal, aos doze e tantos, lady vingança, a ponta de um crime, instinto animal, ato terrorista. não assisti manderlay, uma vida iluminada, finais felizes, water, verdade nua, sonhos com xangai e café da manhã em plutão. ano 2006. 01. pequena miss sunshine, little miss sunshine, jonathan dayton e valerie faris, 2006. 02. os infiltrados, the departed, martin scorsese, 2006. 03. o labirinto do fauno, el laberinto del fauno, guillermo del toro, 2006. 04. a vida dos outros, das leben der anderen, florian henckel von donnersmarck, 2006. 05. volver, volver, pedro almodóvar, 2006. 06. filhos da esperança, children of men, alfonso cuarón, 2006. 07. vôo united 93, united 93, paul greengrass, 2006. 08. a rainha, the queen, stephen frears, 2006. 09. cartas de iwo jima, letters from iwo jima, clint eastwood, 2006. 10. fonte da vida, the fountain, darren aronofsky, 2006. pequena miss sunshine aborda um engraçado e tocante drama de família, nos mostrando que nem sempre a sabedoria vem com o sucesso e sim com uma falha. diferente de muitos filmes que tentam colocar lições de vida goela abaixo, o filme as emprega na fabricação da história que aborda com muito humor temas como suicídio e abuso de drogas. imperdível. os infiltrados é um filme brilhante e ambicioso, executado com muita virtuosidade por um diretor fora de série, que eleva as histórias de mafiosos ao nível da tragédia e apresenta momentos tão intensos, através de uma vertiginosa narração, quase sem pausas e de um elenco estupendo. precisa dizer mais? o labirinto do fauno, indicado oscar de melhor filme estrangeiro é um triunfo e representa um grande salto na carreira do diretor guilhermo del toro, que se inspirou em muitas outras fabulas para criar algo novo e extraordinário. além de trabalhar em diversos níveis, capturando o horror da guerra, a violência sangrenta e a rigidez emocional da alma, nos brinda com uma visão de esperança e eternidade através dos olhos de uma pequena menina, atirada em meio a esse caos. um ano complicado, já que não assisti muita coisa ainda. dos que eu posso avaliar até agora, destaco também o sobrevivente, babel, diamante de sangue, à procura da felicidade, pecados íntimos, vênus, notas sobre um escândalo, o bom pastor, maria antonieta, a conquista da honra, apocalypto, depois do casamento, dias de glória, happy feet: o pinguim, o plano perfeito, alpha dog, scoop: o grande furo, entre o céu e o inferno, mais estranho que a ficção, prova de fogo, nome de família, caminho para guantanamo, sherrybaby, confidencial, santos e demônios, uma verdade inconveniente, cassino royale, borat: o segundo melhor repórter do glorioso país cazaquistão viaja à américa, half nelson, marcas da vida, o último rei da escócia, ventos da liberdade, paris: te amo e o grande truque. não assisti a maldição da flor dourada, o segredo de berlim, a dama na água, o mestre da armas, a ciência dos sonhos, pinta-me da cor do açafrão, um certo olhar, perfume: a história de um assassino, correndo com tesouras, nação fast food, southland tales, deliver us from evil, inland empire, cashback, juventude em marcha, flandres, crônica de uma fuga, amigo de família, black book, longe dela e this is england. sendo assim, me reservo o direito de não classificar os filmes à partir deste ano, afim de não cometer injustiças com obras que ainda não pude assistir e abaixo coloco os meus dez preferidos de acordo com as informações que escrevi nesse texto. tudo bem? Mr. Blonde2008-10-07 12:26:57
  9. olá pessoal, essa discussão foi movida para outro tópico! ok? deixarei portanto apenas a minha lista final, com os dez melhores da década vigente e se vocês quiserem mais informações acessem: os melhores filmes da década atual. Mr. Blonde2008-10-07 12:30:15
×
×
  • Create New...