Jump to content
Forum Cinema em Cena

Saga S.

Members
  • Content Count

    1943
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    2

Posts posted by Saga S.

  1. On 4/29/2021 at 1:19 PM, Questão said:

     

     No fim das contas, eu curti a série. Não foi tão engajante quanto WANDAVISION, mas eu imaginei que não seria pelas propostas completamente diferentes. Mas gostei de como trataram a jornada de redenção do Bucky, que nunca teve muita atenção nos cinemas, e o arco de transformação do Falcão no novo Capitão América foi muito bem feito. O Zemo roubou todas as cenas de que participou, me deixando bastante curioso pelo futuro do personagem. Por outro lado, embora tivessem uma proposta muito bacana, achei a ameaça principal dos Apátridas meio fraquinha, e a Sharon Carter voltou mais como uma reintrodução mesmo, pois a participação efetiva dela na trama foi quase inócua, sendo mais uma preparação para o futuro.

     Mas no fim das contas FALCÃO E O SOLDADO INVERNAL foi mais um acerto da Marvel, trazendo uma trama de espionagem super heróica, com tintas politicas e sociais muito bem colocadas.

    Ainda não assisti o último episódio, mas achei que a temporada mesmo sendo curta poderia ter sido ainda mais curta. Diria até que, ao contrário de WandaVision, essa série poderia muito bem ter sido um filme "menor" direto para Disney+.

    Diminuir esses 6 de quase 50 minutos cada episódios para um filme de quase 2 horas no máximo daria muito mais energia para o que foi apresentado.

    Em nenhum momento até agora existe um senso de "urgência", do tipo "algo grande vai acontecer", só uma leve ameaça no final do penultimo episódio que conclui a trama no último.

    Achei que encheram linguiça com muito "nada" no meio.

    E deveriam botar um ator mais imponente para ser o Walker/Cap. América, pois esse que botaram realmente parece o Markito do Programa do Ratinho fora que é muito fraco.

    Não é ruim, mas também não chegou a ser empolgante.

  2. 2 hours ago, Big One said:

    Abusado o Bautista hein kkkk..

    E não era ele que estava em busca de papéis mais sérios e dramáticos .

    O próprio. Inclusive ele falou algo do tipo de que ele era um ATOR e que outros do porte físico dele (acho que citou o The Rock) não eram atores de verdade ou algo assim.

     

     

    Achei algo nessa linha:

    https://rollingstone.uol.com.br/noticia/dave-bautista-critica-capacidade-de-atuacao-de-dwayne-johnson-diz-querer-bons-papeis-nao-quero-saber-de-velozes-e-furiosos-e-bumblebee/

    https://revistamonet.globo.com/Filmes/noticia/2020/09/astro-de-guardioes-da-galaxia-detona-capacidade-de-atuacao-de-dwayne-johnson-o-rock.html

    :rolleyes:

  3. 2 hours ago, Questão said:

     

     

     Eu concordo com o JAIL. Acho que todo o lance do Knightmare deveria ser excluído mesmo.

    Quando a Warner/Joss Whedon chutaram o Snyder e praticamente removeram o lance do Knightmare do filme, fazia sentido dentro da visão deles, por que claramente a Warner não queria se comprometer com a questão do futuro apocalíptico, por claramente estar planejando  seguir uma visão mais otimista para o personagem. Tanto, que embora mais desconjutado, a versão do cinema deixa muito menos pontas soltas que a versão do Snyder.

      No filme do Snyder ele manteve não só por que era a visão dele (muito justo), mas por que ele queria dar uma pressionadinha na Warner e atiçar os fãs pra que ele conseguisse fazer o segundo filme. Tanto que as cenas com o Caçador de Marte e o epílogo do Knightmare não são do material original, ele filmou depois. Além disso, em um filme que tenta vender o Superman como um símbolo de esperança, e que ainda tá montando a Liga, ficar incluindo flashforward de mundo apocalíptico e Superman corrompido não faz o mínimo sentido. Poderia dizer que lá naquela visão do Ciborgue ser o reflexo de que o Superman ressuscite no modo "Cemitério Maldito"? Poderia. Mas no Snydercut isso não é tratado, já que a maioria embarca de boa na ideia de ressuscitar o Superman, em um dos poucos aspectos que acho que ficaram melhor tratados na versão do Whedon onde  a equipe ficava mais dividida em relação a essa questão.

    Quanto ao Caçador de Marte, ele não precisava existir nesse filme. Foi como um desses youtubers falou esses dias. Quando o marciano vai disfarçado de Martha e diz "olha, tu precisa seguir em frente. Deu de ficar visitando o túmulo do Clark", ele quase ferrou com tudo, por que se a Lois seguisse o conselho dele ao pé da letra, ela não ia tá lá pra salvar a Liga do Superman cabreiro. Deram a sorte dela resolver ignorar o conselho da "Martha" por mais um dia. kkkk

    Acho que eu estava em outra dimensão nessa altura do filme então, pois entendi como uma cutucada para ela não esquecer do Superman. :blink:

  4. 1 hour ago, Jailcante said:

     

    Eu já acho que Snyder deveria ter sumido com tudo desse nightmare, já que seria uma sequencia que provavelmente não vai sair, deveria ter feito final fechado mesmo, mas ele fez foi fincar o pé ali pra pressionar o estúdio a fazer. 

    Não acho que deveria ter "sumido", apenas ser melhor posicionado e mais enxuto.

    Digo isso no sentido de que faria sentido sua existência para mostrar "Ó, o Superman pode/vai voltar como 'From Hell' nessa ressureição aí hein, cuidado!!"

    Naquele momento em que existe uma onda de impacto quando o Flash toca a Caixa Materna batendo na agua e que o Cyborg grita "Se abaixem!", todo mundo poderia perder a consciência e entrar o "Nightmare" melhor posicionado e enxuto.

    No caso mostraria as cenas que passa quando o Cyborg esta conectado a nave e na contagem regressiva a nave tenta avisar de algo (Versão do Zack) do futuro, com um final mostrando o "Flash do Nightmare" avisando que a Lois é a chave.

    Mostrariam todos os heróis desacordados, incluindo o Flash normal, e o Batman e/ou o Cyborg acordando e comentando que tiveram um sonho esquisito (No Nightmare do final, que deveria ser excluido também, os dois são os unicos que continuam vivos) sendo alertados pela Diana que o corpo do Superman havia sumido.

    O Batman tentaria entrar em contato com a Lois, não conseguiria. Mas a Lois apareceria mesmo assim no momento que apareceu.

    No final do filme o Caçador de Marte apareceria e falaria que ele interveio como Martha, mas que esse futuro ainda não está totalmente descartado. Até esse momento acreditaríamos que realmente a Martha havia tido aquele papo com a Lois.

    Fim do filme.

  5. 25 minutes ago, Jailcante said:

    50 reais é caro, mas considerando o preço que pago quando vou no cinema, 26/28 ingresso e mais pipoca, fica perto disso. O problema aqui é considerar que foi um filme que já paguei pra ver no cinema, de certa forma. É um 'recall' de filme, não um filme novo. 

    Outro lance chato é que tem 2 dias pra rever o filme. Tem 30 dias pra ver o filme, mas viu um vez só fica disponível por 48 horas pra rever. Achei bem estranha essa matemática. Poderiam deixar mais tempo pra rever, 1 semana tá bom.

     

    Complicado vai ser os da Disney... 70 reais o aluguel (se bem que não seria aluguel, porque o filme fica lá, é meio que pagar pra colocar o filme no catálogo).

    Acho que esse esquema de cobrar esses preços é: 1º quando você paga o preço no cinema, você tem a tela, o som, o ambiente e etc. Então você está pagando por um serviço completo para poder desfrutar do filme com a maior qualidade possível.

    Agora, cobrar 60 reais de uma pessoa, comum, que vai assistir o filme em uma TV, na maioria 49 polegadas com som muito fraco, na maioria das vezes, é cagar na cabeça das pessoas e cobrar delas por isso.

    Principalmente se a pessoa já paga um valor pela assinatura do serviço.

    É como se você comprasse um pacote de entradas do cinema e daí acontecesse depois de um tempo: Olha, alguns filmes você tem que pagar mais 60 reais para assistir tá? Qual a vantagem de pagar o plano?

    Mesmo que ao invés de 60 você pague 10 reais, 5, o valor que for eu acho que é exploração.

     

     

    Sobre o filme, assisti de uma só vez. Foi difícil, mas consegui.

    O filme é MUITO, mas MUITO mais redondo do que o lançado anteriormente.

    O que não significa dizer que é "redondinho".

    Dava para tirar pelo menos uma hora do filme sem comprometer EM ABSOLUTAMENTE NADA as informações presentes.

    Não entendi a razão por terem tirado o "pesadelo" que o Batman teve, que no lançado anteriormente foi extremamente mal colocado, para colocar apenas uma menção em determinada parte e depois um muito mal colocado novamente com outro conteúdo.

    Mas com certeza esse filme deu "saudades do que ainda não vivemos".
    Gostaria de ver sequências diretas desse filme e universo, com algumas leve modificações.

    Mas é aquela coisa, não tem como saber se esse filme é absolutamente aquilo que veríamos no cinema se o Joss não tivesse entrado na parada e o Zack tivesse ido até o fim.

    É como se esse filme fosse um dos vários desenhos da DC, começou e terminou nele, é aleatório.

  6. 45 minutes ago, Jailcante said:

    Esse nome... sempre confundo com o filme das irmãs Wachowski.

    images?q=tbn:ANd9GcQRZW2-BpMvyuXpkWFn7PU

     

    E coisas de super herói só vejo Marvel e DC mesmo, fora disso só se me afirmarem que o troço é MUITO bom, senão não me animo em ver. Desculpe.

    Quando vi o título achei que era uma espécie de "sequência", só quando assisti o trailer que entendi que não se tratava disso. :lol:

  7. 2 hours ago, Big One said:

    O Legado de Júpiter é mais do.mesmo?

    Pode até ser, mas é produto para a massa, e a massa consome e tem mais predileção para o "mais do mesmo" do que  para o "fora da caixa".

     

    Eu nem tava sabendo dessa série aí, mas o Trailer me chamou a atenção para pelo menos dar uma chance.

  8. PQP. Tentei assistir mas não rolou não.

    O filme força a quebra da 4ª parede e, até onde consegui adiantar (uns 40 min de filme), o narrador (protagonista) é cansativo demais, chove no molhado, do tipo:

     

    Narrador: "Agora vou abrir a porta, utilizando a maçaneta."

    Protagonista: Abre a porta utilizando a maçaneta.

     

    Não é literalmente desta forma, mas não muito diferente.

     

    Não sei o que a "crítica" criticou, mas a avaliação dela fez mais sentido para mim do que a do público.

  9. Normalmente eu levo mais em conta a nota do público do que da crítica.

    Já aconteceu de ter nota ótima de crítica e público e eu não gostar do filme.

    Quando a nota do público é boa mas a da crítica nã, é mais fácil eu gostar do que quando ocorre o contrário.

     

    Para exemplificar, eu ainda não assisti esse filme, mas é estranho quando filmes possuem reações tão diferentes em cada "tipo" de público:

    https://www.rottentomatoes.com/m/lucky_2020

    No momento é:

    93%
    TOMATOMETER
    58 Reviews

    33%
    AUDIENCE SCORE
    Fewer than 50 Ratings

  10. 3 hours ago, Questão said:

    A origem dos poderes da Mônica foram meio "Fail" mesmo. A Sword podia ter criado um exército de meta humanos ali. Era só fazer as pessoas ficarem entrando e saindo do Hex. kkkkk

    Entendi que essa mudança também tem algo a ver com a mãe, os Krees e o "sumiço". 

    Tem um fundo genético nisso na minha percepção.

    3 hours ago, Questão said:

    Curiosamente, esse livro já tinha aparecido em AGENTS OF SHIELD, (Não sei como, pois não assistia), onde dizem que ele foi bem importante

    Na série MAoS usaram o Darkhold como motor da trama envolvendo o Motoqueiro Fantasma.

  11. On 3/10/2021 at 4:16 PM, Jailcante said:

    Pelo trailer, o Liu Kang deve torrar oi Kabal com o Dragão de fogo. Achei que isso seria história de origem do Kabal, porque no jogo, ele é torrado, depois o Kano e Shang Tsung o salvam e ele fica com esse visu aí tendo que usar respirador e etc. Isso poderia se repetir aqui, ele é torrado nesse filme pelo Liu Kang, depois nas continuações é mostrado que ele é salvo, se tornando mais similar ao do jogo.

    Mas se ele já aparece com esse visu do jogo aqui, acho que o papel dele vai ser o mesmo do Reptile no filme do MK de 1995. Vai aparecer pra ter uma luta com Liu Kang e morrer logo depois e tchau.

    Imagino que nesse tipo de filme não precisa ficar contando história de origem de TODOS os personagens.

    Alguns podem não ter esse desenvolvimento todo ou pode ter sua história mencionada, seja por flashback, diálogo ou os dois, enfim... Varias formas, sem necessariamente ter toda uma jornada de origem de forma explicita.

    Só os "protagonistas" terão origem e desenvolvimento, e olhe lá.

  12. 1 hour ago, Jorge Soto said:

    O Feige mesmo disse que o proximo filme do Estranhoso precisa funcionar pra quem nao assistiu WandaVision, logo acho que fizeram o seriado pro público em geral. No minimo, o requisito é ter assistido Ultimato. O fan service eles foram jogando conforme a narrativa se desenvolvia, de modo a "tampar buracos" de forma criativa. Uma especie de recheio que so os fas mais ardorosos saberiam apreciar melhor.

    Resumindo: Fazem praticamente o que já acontece na fonte, os quadrinhos, e no próprio MCU, quase que desde sempre.

    Você precisa assistir TODOS os filmes? Não. Os filmes (e suas sequências) funcionam, em sua maioria, separadamente.

    Mas se assistir tudo a compreensão do que se passa na maioria dos filmes aumenta ainda mais, lógico.

    Conheço gente que só assistiu os filmes dos Vingadores e não ficou perdido. Teve gente que ignorou alguns filmes, e também não ficou perdido.

    Já nos quadrinhos é um pouco mais complicado, e desconheço faz tempo como está (até por nunca ter tido conhecimento mais que superficial).

  13. Tinha assistido só o primeiro episódio, mas ontem e hoje maratonei tudo.

    Que série deliciosa de se assistir. Achei irretocável, do início ao fim simplesmente perfeita.

     

    Funcionaria como filme, mas a proposta se encaixou perfeitamente em uma minissérie. 

    Não vejo razão para uma segunda temporada, mas também não entendia a razão de se ter essa série, o que demonstra que o Kevin Feige e todo o time "MCU" possuem muita visão.

    Mal posso esperar pelas novas séries e filmes "MCU".

  14. Diria que esse filme sofre do mesmo problema do filme do Superman do Brian Singer. Ficou tão preso na homenagem que o filme mesmo é uma porcaria. Não é ruim de doer, apenas extremamente datado e sem personalidade.

  15. Filme muito fraco mesmo.

    Aquele começo, Após o Flashback, é vexatório do começo ao fim, principalmente no Shopping. Entendo a intenção, mas não funcionou para mim.

    O Pascal parece que encarnou o Jim Carrey.

    Muito tempo de filme para um fiapo de história que fica andando em círculos.

    O final é medonho também. Se parar para pensar nos furos então...

    Minha nota seria 5 por caridade.

  16. 2 hours ago, Jailcante said:

     

     

    A fala do Nolan muita gente colocou como se ele estivesse falando mal de serviço de streaming e aí estaria tendo uma briga streaming vs cinema. O Dennis, acho que ele pontuou bem melhor cada ponto da questão.

    Sim, ele pode ter sido mais ponderado nas colocações, entretanto, ele parte de um pressuposto "saudosista".

    Digo, é óbvio que Blockbusters, Arrasa Quarteirões, Hipermegaproduções há muito tempo são feitos para serem "consumidos" nos cinemas, com cineplexes passando o mesmo filme em diversas salas e horarios, todos abarrotados de gente e com longas filas, e se tornarem "sucessos de bilheteria" o que deixa, principalmente, os estudios com seus bolsos profundos bem cheios.

    Poderia passa horas escrevendo títulos feitos com esse propósito e bem sucedidos nisso.

    Entretanto hoje estamos diante de um cenário de certa forma apocalíptico (e veja só, já vislumbrado em filmes) e que não permite, a curto prazo, as aglomerações.

    A médio e longo prazo não tem como saber o que vai acontecer. A curto já está complicado o suficiente.

    Os cinemas vão voltar (espero) e com eles as grandes produções. 

    Mas supondo que a médio prazo as salas não possam abarrotar de gente, qual o problema de se conciliar o streaming e o cinema? A estratégia no momento não é estimular as pessoas a ficarem em casa?

    Então os estudios vão deixar de fazer mega produções? Não, eles vão se adaptar!

    O conteúdo vai para onde o público está, e hoje não é nas salas de cinema, são em suas casas.

    As teves estão cada vez maiores, com maior qualidade, e acessiveis ao publico em geral, os equipamentos de áudio também.

    Acho exagero falar que o streaming é a morte das superproduções, como se as salas de cinema fosse a tabua da salvação.

    Ok, ao invés de 5 ingressos, por filme, vai vender apenas 1.

    Mas o Streaming também alcança um público que nem sempre pode ir ao cinema.

    Parece que esquecem que a tabua de salvação é o Público. Unico e exclusivamente o público.

    Faz-se cinema para o público, não para as salas de cinema.

    Tão batendo o pé mas a Warner não está errada no que está fazendo, pelo menos a curto prazo.

  17. Entendo o posicionamento de alguns cineastas, como é o caso aqui.

     

    Mas parece que o que move a indústria é a grana, e não é pouca grana, é MUITA grana.

    Fora ignorar um cenário extremamente adverso em função de uma idealização e romantização.

     

    Está errada a Warner em dar uma canetada sem discutir, e mais errado ainda em se pressionar para a Warner manter o prejuízo diante de um cenário de incertezas.

     

  18. 2 minutes ago, Questão said:

     Mas MCU tá indo pelo mesmo caminho com as séries do Disney Plus.

    Por exemplo, vai ter que assistir WANDAVISION pra entender DOUTOR ESTRANHO: MULTIVERSO DA LOUCURA

    Sim está.

    E por isso mesmo eu disse "prefiro focar".

    A longo prazo não sei como vai ser, mas entre um universo "Star Wars" (que existe faz muito mais tempo, eu sei), e um MCU, eu tenho mais interesse em acompanhar esse segundo.

    Nem Cavaleiros do Zodíaco que eu sou fãzasso eu consegui acompanhar a expansão (Omega, Lost Canvas, etc)...

    Então quando vejo que estou equilibrando mais pratos do que posso e mais pratos estão aparecendo, não tenho problema nenhum em deixar alguns se espatifarem no chão. :lol:

     

  19. Não sou nenhum afficionado, mas estava acompanhando The Mandalorian.

    Até achei bacana a primeira temporada, mas esse tanto de Spin Off do universo Star Wars me fez desistir de ir para a segunda temporada dessa série.

     

    Tenho dificuldades em gostar de séries que fazem parte de um universo expandido ou em expansão.

    Essa "pressão" para que se veja outras séries é desgastante, pois o meu tempo é curto e ele vale muito, e excesso de informação e compartimentalização.

     

    Por exemplo, eu curtia assistir Chicago Fire, mas era rasa demais.

    Daí veio Chicago Police, ok. Tinha que assistir a segunda para entender algumas coisas da primeira e a primeira para conhecer a segunda.

    Então chegou Chicago Med, que você tinha que assistir a primeira, a segunda e a terceira para entender coisas da primeira, da segunda e da terceira. (Céus!)

    Tentaram Chicago Justice ou algo assim) que flopou, mas...

    Ou seja, excesso de séries com universo compartilhado e que não me estimula a continuar nele.

    Desisti de Chicago Fire, Chicago Police e não fui atras da Med ou Justice.

    Em filmes até vai, mas com limites. 

    Nesse caso, está extrapolando o meu, e como já sei que vai piorar, paro por aqui.

    Prefiro focar no universo compartilhado do MCU. Star Wars que fique para os fãs e quem goste.

  20. Vi Tenet e achei um filme paradoxal. Ao mesmo tempo que é extremamente emocionante, é extremamente apático.

    O filho do Denzel Washington pode ser extremamente talentoso, mas a atuação dele é o que torna tudo mais apático ainda.

    O modo como ele reage, com normalidade absoluta, diante de todo o "absurdo" que se apresenta e sempre com aquele ar de "sou fodão, tô entendendo tudo, sou pica", deixa tudo mais distante ainda do expectador.

    Já o Pattison é de longe a melhor coisa do filme.

    Aquele começo eu tava esperando o Bane aparecer e fazer um discursinho. Parecia que eu já tinha visto aquela "atmosfera" (trilha + cenas).

    E já sabemos que o Nolan não é capaz de tirar o melhor dos atores, vide, por exemplo, a Marion em TDK.

    Não é um filme ruim. Mas também não é bom. É bom, mas sem ser bom.

    É um filme no qual quem assiste não é conduzido, é simplesmente exposto e deixado para lá.

    Um espetáculo da indiferença.

×
×
  • Create New...