Jump to content
Forum Cinema em Cena

Noonan

Members
  • Posts

    7247
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by Noonan

  1. Covardia mesmo... Saiu hoje na Folha de SP uma entrevista em que ele fala praticamente a mesma coisa: "Foi emocionante [o Live 8]. Faria de novo. Ouvir aquelas canções, com todos juntos novamente... Pessoalmente, acho que seria um boa se a gente fizesse de novo. [...] Não acho que o David Gilmour se entusiasmaria com a idéia... [...] Ele ainda parece querer se segurar ao poder." O ego dele também é incrível... o cara acha que fez o Pink Floyd sozinho e que a banda perdeu sua característica revolucionária quando ele saiu (e tentou impedir os outros de continuarem, fato que obviamente ele não ressalta). Ele fala como se fosse o único autor do Dark Side. E agora quem for na do Waters (muita gente) vai culpar Gilmour se o Floyd não se reunir - e eu duvido muito que ele queira essa reunião. Realmente, Big, disse tudo: o Waters é um gênio... e um cuzão também.
  2. O Waters foi bem esperto nessa, jogou praticamente tudo nas costas do Gilmour... Se a reunião não se concretizar, ele vai poder dizer "Eu estava disposto, mas Gilmour e os outros não quiseram"... Noonan2007-03-02 11:41:54
  3. Roger Waters falando sobre as possibilidades de o grupo se reunir novamente. http://www.brain-damage.co.uk/latest/roger-waters-talks-of-touring-the-incas-and-of-pink-floyd.html
  4. CScorpius, o filme sobre o qual você perguntará em alguns minutos é, se não me engano, Meia-Noite e Um. Noonan2007-02-24 23:40:47
  5. Não gosto de It, mas parece que o filme será lançado em DVD por aqui. Em abril.
  6. Julio, sua crítica ficou ótima sim. Como disse o Silva, foi bem clara e, além disso, deu margem às discussões que vimos por aqui: do seu texto puxou-se o assunto dos cenários/visual acima do desenvolvimento dos personagens, e disso veio o tema das motivações reais de John Doe e as improvisações pelas quais o plano teve que passar.
  7. Sobre o ponto levantado pelo Alexei, a estética acima do desenvolvimento dos personagens, eu acho válido, dependendo da proposta do filme em questão. Em Se7en, considero que Fincher não se equivocou nesse sentido. Concordo com o Julio no aspecto do clima sombrio e, principalmente, angustiante de todo o longa; e os ambientes onde acontecem os assassinatos são um fator importantíssimo, a meu ver, na hora de causar essa sensação no espectador. Se7en consegue ser mais tétrico que muitos filmes por aí, e isso sem apelar para a violência explícita - Fincher usa apenas a sugestão das descrições (o crime correspondente à luxúria é o ápice nesse quesito) e a pesada carga visual dos cenários (são lugares onde pessoas sofreram muito antes de morrer, algo que se capta com um único olhar, mesmo que inconscientemente). Diante disso, eu diria que Fincher não estava errado em colocar o visual em primeiro plano em relação aos personagens. E, apesar de estes terem um desenvolvimento bem longe do espetacular, não chegam a prejudicar o resultado final. Aliás, grande mérito aos atores aqui, especialmente Freeman e, claro, Kevin Spacey, como o Nacka apontou. (E a cena "entrega", no final, é uma das coisas mais tensas que já vi. Caramba.)Noonan2007-02-19 23:36:46
  8. O ponto, Raziel, é se você discordou da interpretação do Burton sobre o personagem porque nos quadrinhos ele é diferente ou por algum outro motivo. Se for a primeira opção, bem, a discussão já se esgotou há muito tempo.
  9. Ler esse tópico me deu uma tremenda vontade de rever os filmes do Burton...
  10. Realmente, o primeiro parágrafo da crítica foi ótimo.
  11. Se quiserem se enturmar rápido com o pessoal, passem na CMJ. Mas não se assustem.
  12. Cara, Forrest Gump será um dos cinco livros mais engraçados que você irá ler na vida. Não há como ser diferente.
  13. Sin City. Acabei a primeira, A Cidade do Pecado (The Hard Goodbye no original), que é a história do Marv e tal, contada no filme. Agora vou para a segunda, A Dama Fatal.
  14. Vamos ver se ele vai ir além desse post.
  15. Irei rever o filme hoje à tarde, mas, forçando um pouco a memória, lembro que, na época em que o vi, os "truques" de Welles para fazer o espectador pensar estar vendo uma coisa e depois mostrar que na realidade é outra me pareceram não só exercícios de estilo; foram a forma que o diretor encontrou para fazer um paralelo visual com a imprensa mostrada no longa, que também manipula a realidade conforme seus interesses.
  16. Acabo de descobrir, na Wikipédia, que Vertigo, do Hitch, recebeu em Portugal o título de (preparem-se) A Mulher Que Viveu Duas Vezes (!). Talvez nossa situação não seja tão ruim, afinal. Noonan2007-01-29 23:11:58
  17. Fala, Corleone! Isso mesmo, passe na CMJ, se quiser ser z... se quiser conhecer todo mundo.
  18. Indy, acho que a crítica que você citou é essa:
  19. Dessa vez não foi culpa do Sadamoto, o volume 10 tinha sido lançado no Japão em meados do ano passado. A Conrad que ficou enrolando. E acho que só falta mais um ou dois estágios para o volume 11 (o penúltimo do mangá) ficar completo por lá. Esse lance da Conrad foi estranho.... porque será que eles ficaram embaçando tanto? Dizem eles que a demora foi por causa da negociação dos direitos autorais. Vai saber.
  20. Dessa vez não foi culpa do Sadamoto, o volume 10 tinha sido lançado no Japão em meados do ano passado. A Conrad que ficou enrolando. E acho que só falta mais um ou dois estágios para o volume 11 (o penúltimo do mangá) ficar completo por lá.
×
×
  • Create New...