Jump to content
Forum Cinema em Cena

The Deadman

Members
  • Content Count

    198
  • Joined

  • Last visited

About The Deadman

  • Rank
    Assistente de Estúdio
  1. Faço minhas, suas palavras... E vc usou um adjetivo que me incomodou muito durante toda a projeção: frieza. Ao final do filme, pensei: "Legal." e fui dormir. Period. Uma pena, pois material tinha de baciada...
  2. Puuuuutz... Que melda! Daí eu ficar feliz de NÃO conferir esse troço. Pra quê?
  3. Opaaaa! Valeu a dica, Soto!! Vou conferir, sim e depois comento sobre!
  4. Entendo. Bem... Vimos filmes "diferentes". Até porque devo dizer que sequer percebi questões de fé ali... No mais, ainda que olhando pelo viés dessa importante questão/ leitura (levantada por você) e relembrando o filme aqui; não vejo como o pedantistmo do diretor/roteirista quanto a essa abordagem afetaria, para o bem ou para o mal, qualquer aspecto no desenvolvimento e qualidade (ou não) da história mostrada. Em outras palavras: achei o filme TODO pedestre. Parafraseando o Pablo, "uma bosta". Queria eu, de coração, que a intenção de expansão daquele universo tivesse funcionado, mas...comigo essa tentativa não rolou. Aliás, poucos filmes me deixaram revoltados, com a sensação de ter sido enganado, desrespeitado enquanto fã e cinéfilo como "Prometheus"; pois vi ali apenas um diretor/roteirista que tratou a plateia como ignobil, idiota... Até por isso, não pretendo conferir Covenant no cinema e encher os bolsos já empapuçados do Scott com o meu suado vil metal.
  5. E aí, Dook? Tudo bem? Cara, não sei se seu comentário está alicerçado em algum outro que fez aqui ou mesmo lá no tópico de "Prometheus", mas quando comenta sobre a forma como as questões de "fé" (sic) são abordadas no filme... Se refere à "Covenant" ou "Prometheus"? Fiquei confuso...SE for em "Covenant", não posso opinar nada (não vi o filme e nem pretendo). Mas, se for em relação à "Prometheus" poderia (posso) e...bem... Fiquei curioso sobre essa leitura uma vez que não vi NADA que abordasse algum aspecto sobre a fé nesse filme. Além disso, gostaria de te fazer uma pergunta objetiva bem como ler de um breve argumento seu sobre: você gostou de "Prometheus"?
  6. Huahuahuahuahua... Tô meio sumido daqui (muito, na verdade... ), mas ñ poderia deixar de registrar aqui que tbm ri alto qdo vi esse vídeo do Pablo, Big. E me peguei imaginando: se eu ODIEI Prometheus a ponto de querer ir na bilheteria e pedir meu dinheiro de volta, pra quê perder mais dinheiro e tempo vendo mais essa bosta??... Como foi bem colocado aí em cima, Alien foi bom até 97 e acho que poderia (pode?) render algo interessante se o projeto do Bloomkamp fosse (tá indo?) levado adiante. Aguardemos e sigamos o cortejo...
  7. A Chegada - 5,0/5,0 Simplesmente SEN-SA-CI-O-NAL. Sutileza e inteligência raras e com uma edição primorosa, que traz fluidez e compreensão dos "nós" e do mistério da história no momento certo (discordo do Adler quando ele diz que uma dose de "nolisse" cairia bem para explicar detalhes sobre a relação tempo X linguagem...). Aliás, um dos grandes méritos desse filme é justamente não ter nolisse nenhuma. Não subestima o espectador em momento nenhum. E tem Amy Adams arrebentando... (Ahhhhhhh... ) PS 1: será que só eu percebi algum tipo de inspiração lovecraftiana na concepção dos aliens?? PS 2: sutileza é a palavra que define esse filme... Alguém aí reparou no brinco que Louise usa no dia da celebração?
  8. Star Wars VII - O Despertar da Força 3,5/5,0 Bom filme e nada mais. Resumindo é isso que achei. A constante sensação de déjà vu (principalmente na primeira parte) que impera durante todo o filme conta muitos pontos contra e cansa (rimas e homenagens cairiam bem melhor) e algumas "incoerências"/fatos não mostrados ou citados (que expliquem certas coisas e comportamentos) irritam profundamente, mas no geral (graças, muito em parte à cenas envolvendo o pessoal da "velha guarda") o filme diverte bem e tem tudo pra reiniciar a série galática com tudo. Destaque pra gradual aparição de Han Solo e Chewie (é interessante/incrível notar como o ator Harrison Ford parece meio estranho e desconfortável em revisitar o personagem e aos poucos vai deixando, deixando e...Voilá!! Eis que temos Han Solo na telona com seus maneirismos, olhares e trejeitos!), pra química bacana entre Rey e Finn e para a construção de persona de Kylo-Ren. Tecnicamente (entenda-se efeitos especiais) apenas correto. Nada demais. Aliás, a captura de movimentos e a caracterização do tal Líder Supremo Snoke me deixou extremamente decepcionado. Era notório que se tratava de um ser digital. Muito mal feito. No geral, bom divertimento, mas eu meio que me arrependi de ter visto em sala IMAX, inclusive. Poderia ter sido numa sala de projeção normal ou mesmo esperar passar na TV paga. "O Império Contra Ataca" continua incólume como o melhor da série, com esse novo à anos luz de distância dele, lá atrás...
  9. Opa, Conan!!! Não tá sozinho, não!! Acho Skyfall muito ruim, só não perde pra esse tal de Spectre que achei lastimável, lixo mesmo.
  10. Então... Ninguém me chamou na conversa, mas lá vai meu pitaco mesmo assim: achei muito pior que Quantum (que, inclusive, considero um filme subestimado e injustiçado). Aliás, o ponto mesmo é que trata-se de um filme ruim, muito ruim.
  11. Potaqueparola!!! Tooooooop demais esse aí, hein, Soto?
  12. 007 Contra Spectre - 2,0/5,0 Achei o filme horroroso. É tão ruim, mas tããão ruim que nem quero perder meu tempo escrevendo muito... (minha namorada dormiu praticamente toda a duração do filme de tão empolgante que ele é). E cada dia que passa fico mais e mais sem entender o que se passa na cabeça de alguns roteiristas e produtores (quiça de um diretor do nível - teoricamente - do Sam Mendes...). Enfim...O "plot" é simplesmente ridículo, mentiroso, picareta, sem sentido algum. Constrói passagens e elabora situações de "causa-efeito" que...não tem nada de causa-efeito (mas tentam, com estilo, enfiar garganta abaixo dos espectador)! O negócio é tão mal enjambrado que dá pra perceber pela própria interpretação de Craig (pouco à vontade em muitas cenas...): no automático. Personagens mal aproveitados, situações estapafúrdias, soluções bisonhas e mal desenvolvidas ( MEIO SPOILER -> alguém peloamordedeus pode me explicar o que foi aquela sequência que rola no trem e seu "desfecho"??!! E a "fuga das instalações da Spectre"????!!!!!!!! ). Enfim... Uma verdadeira merda de mais de trezentos milhões de doletas!! Confira por seu risco e azar. PS: minha nota só não é menor porque a fotografia é boa e tem a diva Mônica Bellucci (num papel simplesmente sem sentido, completamente e absolutamente desperdiçada e perdida no filme).
  13. Tem em torrent tbm, mas eu conferi num site de "filmes online" (se é q me entende...rs). Se conseguir conferir tbm, depois apareça e comente o que achou!
  14. The Visit - 3,5/5,0 E não é que depois de cometer barbaridades cinematográficas e de, praticamente, falir (juntamente com os produtores de seus últimos...sei lá... 5 ou 6 filmes?) M. Night Shyamalan roteiriza e dirige um filme de responsa?! Mais ainda: consegue isso adotando como forma narrativa o estilo pra lá de batido do found footage!!!? Pois é, mermão... O cara parece que acertou a mão e se reencontrou. Saca a sinopse: depois de anos sem contato com os pais, com os quais rompeu totalmente após uma briga ainda muito jovem, mulher decide enviar seus dois rebentos (Becca, a mais velha e Tyler "T-Diamond Stylus", o mais novo) por uma semana prum cafundó do Judas em pleno inverno (enquanto ela sai num cruzeiro com o novo namorado) para conhecer os avós que, ao que tudo indica, após encontrá-la na internet, parecem interessados numa reaproximação ou ao menos poderem conhecer os netos. Becca, além da curiosidade de conhecer os avós, decide gravar toda a experiência com o intuito de fazer um documentário e de usar o filme como meio terapêutico para ajudar a mãe a superar esse trauma. E lá se vão os pimpolhos conhecer os velhinhos. Tudo bem, tudo legal, mas quando a noite cai, noite após noite as coisas começam a ficar cada vez mais sinistras e pra lá de esquisitas na casa dos avós... Falar mais seria estragar as surpresas e apreciação do filme. Acertadamente Shyamalan faz um filme curto (1h34min) e considerando as locações/cenários, investe mais na construção de um clima cada vez mais bizarro e sinistro e nas interpretações do que em gastar fortuna com produção exagerada ou na utilização de efeitos especiais (não há nenhum, na realidade). Destaque para todas as interpretações (em especial da atriz Deana Dunnagan que faz a avó) e pra revelação (siiiiiiim!! Tem um twisted point beeeem bolado e inteligente, dá pra acreditar?) que deixa a situação mais CABULOSA e desesperadora... Não é um filme perfeito (se você parar pra pensar um pouco, algumas situações são "forçadas", pouco verossímeis de acontecer na vida real), mas é honesto, criativo, bem roteirizado e dirigido. E dá medo. Muito medo... (aqui, tem um fator subjetivo muito claro e óbvio na minha experiência com o filme haja vista que passei por coisa parecida quando era pré-adolecente e fui visitar minha tia-avó no interior...). Vale a conferida e dar mais uma chance pro homem que nos brindou com "O Sexto Sentido" que, aqui, não nos trata como idiotas e faz um bom filme de suspense e terror, inclusive com boas críticas de sites e revistas importantes lá fora.
×
×
  • Create New...