Jump to content
Forum Cinema em Cena

Star Wars: Episódio III


Sith
 Share

Recommended Posts

Realmente a cena do Qui-Gon foi a que mais se sentiu falta no filme. Analizando friamente dá para concordar que ficaria redundante demais a sua inclusão' date=' já que o essencial foi dito por Yoda à Obi-Wan (e o conhecimento de Kenobi sobre isso era importantíssimo por questão de continuidade). Mas o fato é que o diálogo era um dos mais belos concebidos por George Lucas e dava um fechamento bonito ao episódio. Ali se têm a certeza: Os Sith são obcecados pela vida eterna, mas só quem consegue se unir à força pode alcançar a eternidade.[/quote']

Eu achei a exclusão dessa cena absurda. Quem não acompanhou mais de perto as notícias sobre o episódio III viajou nessa parte, já que o Qui-Gon nem aparece nem é mencionado na trilogia original. George Lucas foi covarde em desperdiçar a chance de incluir um diálogo sobre a força com tamanho potencial, o que seria uma belíssima maneira de evocar uma das melhores coisas dos episódios posteriores. O final ia ficar muito mais bonito.

Ah... droga... já tinha respondido no outro tópico...

Mas para a discussão não se perder, trago pra cá também o que disse lá:

"Mesmo com esse diálogo incluído no filme, Qui-Gon continuaria não sendo citado na TC. Quem acompanhou o Episódio I sabe quem é Qui-Gon Jinn e Yoda explica tudo bem claramente à partir dali tanto ele quanto Obi-Wan passariam por um treinamento com Qui-Gon afim de aprender sobre suas descobertas. Não vejo como ninguém que tenha assistido o Episódio I tenha alguma dúvida. A cena funciona. Só que poderia ser muito, mas muito melhor se fosse amparada com esse magnífico diálogo cortado."

Só acrescentando: O final ficaria maravilhoso com essa sequência. Se pudesse dar uma sugestão ao meu xará das camisas xadrez, diria para que ele colocasse o diálogo logo após ao surgimento de Vader/Nascimento dos Gêmeos. Daria aquela ponta de esperança que o filme tava pedindo depois de tanta dor.

Lucas38494.0318287037
Link to comment
Share on other sites

 

 

Acabei de retornar do cinema. Contarei aqui apenas uma vivência particular enquanto via o filme. A primeira coisa que me veio a cabeça quando vi Leia sendo segurada por Organa e sua esposa, era de quando tinha comprado nos anos 80 os lendários bonequinhos de chumbo. Um em especial era justamente a Princesa Leia. Achava curioso o nome que vinha na caixa: Princesa Leia Organa.

Tenho ressalvas, mas que não chegam a arruinar o filme como um todo. Entretanto, as guardarei apenas para mim. Mesmo não mudando minha opinião sobre os ruins e fracos Episódio I e II, agora não mais os vejo de forma inútil.    

Esqueçam os críticos provocadores e os implicantes de plantão. Se você é fã de Star Wars, Sith é para você.

Não darei notinhas clichês, nem estrelinhas safadas.

Minha ordem. Parecida com várias:

1 - Império

2 - Jedi

3 - Esperança

4 - Sith

5 - Clones

6 - Fantasma

 

 

felipef38494.4928125
Link to comment
Share on other sites

 

Observação do Folco lá do fórum Valinor:

 

 

 

Enviada: Sáb Mai 21, 2005 5:52 pm    Assunto:

Responder com Citação Marcar este post e os seguintes como não-lidos


Alguns comentários sobre aquele filme "Revenge of the sh*t":

*Já começa mal: os primeiros 20 minutos são estruturados exatamente como um videogame (e com o mesmo tipo de distanciamento emocional): heróis voam pelo espaço no meio de uma batalha, destroem o escudo protetor, invadem uma nave inimiga, brigam com alguns droids, pegam o elevador, problemas no elevador, mais droids pra eliminar, chegam na sala onde o Palpatine está preso, enfrentam o chefão (Dooku), vencem, fogem com Palpatine da nave, são parados por um escudo de energia, são salvos pelo R2, e enfim fogem. Se o Lucas tivesse colocado uma câmera em terceira pessoa e lançado isso pro X-Box ia ser o jogo com melhores gráficos de todos os tempos. E o senso de movimento e impulso da história é mínimo, é como se eles estivessem passando pelos check points necessários pra atingir o objetivo da fase e vencer (como um jogo). Durante essa prolongada abertura, houve alguns momentos excitantes – a primeira tomada seguindo as duas naves sem cortes por alguns minutos foi linda; Obi-Wan pousando a nave e ao mesmo tempo pulando dela e destruindo alguns droids; Anakin cortando as mãos do Dooku e pegando a sabre dele no ar; os droids hilários que falavam merda e gritavam o tempo todo, etc – mas eles mal registram na sua memória comparado ao resto.

*Depois disso, infelizmente, o Lucas decide que os personagens devem abrir a boca. Bastante. Só de lembrar da economia de diálogos de “Uma Nova Esperança” já me deixa decepcionado com o quanto o Lucas está decadente. O problema nem é em si que há muitas cenas de dialogo e conversas (embora isso seja um problema), mas sim que o dialogo é extremamente ruim e cru, e as atuações são basicamente todas horríveis e forçadas, do nível de peça de teatro da terceira série. Geralmente durante essas conversas 1 x 1 que compõem grande parte do segundo ato (e do filme em si), minha mente começava a divagar, e minha atenção começava a desviar para a minha mão, minha unha, meu joelho, para o teto. Eu literalmente não tinha paciência pra olhar pra tela. Como se não bastasse o dialogo e atuações podres (combinação fatal), a maioria das cenas basicamente dizem o que todo mundo já sabe, e é extremamente frustrante você assistir um personagem se esforçando em debates para chegar a uma conclusão que você já considera óbvia. E, além disso (sim), as cenas são dirigidas como se o Lucas estivesse dormindo no set, ou como se ele simplesmente não se importasse. Tanto que ele geralmente as filma em salas com janelas no fundo, mostrando as cidades impressionantes e carros voadores e belos céus. É como se ele estivesse falando “Olha, quem não quiser prestar atenção na cena, olha as naves bonitas voando ali no fundo! Foda, né?”. Não. Surpreendentemente, o Ian McDermond e o Samuel L. Jackson são os únicos que se dão bem com o diálogo (até onde isso é possível), o primeiro trazendo uma grandiosidade clássica e o segundo soltando as falas com uma restrição mais natural. E é claro, o Yoda, mas o Yoda é um computador. É triste quando computadores parecem mais vivos que pessoas, não? O Philip K. Dick tava certo no final das contas.

*Outro problema com o roteiro (mais um!? Será possível?) é que basicamente não há uma trama. Não há nenhum senso de movimentação, propulsão, de coisas acontecendo e levando a outras coisas acontecendo. Não há nada pra se acompanhar. O roteiro foi desenvolvido com o propósito de linkar a trilogia nova com a antiga. A idéia do Lucas foi “Bem, vamos basicamente enfiar tudo que ainda faltam pra completar o espaço de tempo que separa os filmes antigos dos novos.” Não há um ponto de vista e um foco, como houve em todos os outros filmes da saga; até “Ataque dos Clones” (e esse é fraco, mas bem menos que “Sith”) é basicamente uma história seguindo ou o Anakin ou o Obi-Wan, bastante específico e focado comparado a esse. São muitas linhas narrativas e muitos pontos de vistas, e a maioria desses são chatos, desnecessários (a não ser que vc seja um SW geek). Por que não manter a história focada no Anakin, Obi-Wan e Palpatine? A gente realmente precisava de cenas do ponto de vista do General Grievous (personagem inútil), cenas de vários senadores, cenas mostrando a batalha no planeta dos Wookies (wow, essas partes foram epicamente desnecessárias, chegou a ser ridículo), etc? Essa mania de grandiosidade e “de tudo um pouco” está evidente em tudo que o Lucas fez nessa nova trilogia, não só na narrativa.

*Mesmo se todas as cenas dramáticas fossem podres, se a história fosse nula, se as atuações fossem patéticas, se o filme não tivesse nenhum ritmo ou fluidez, eu ainda seria capaz de perdoá-lo se as cenas de ação fossem competentes e satisfatórias. Bem, elas não são. Isso é só comigo ou tem mais gente achando que o Lucas colocou tantas cenas de lutas de sabre nesse que elas perderam todo o charme e qualidade mítica e épica delas? Quando alguém ligava uma sabre na trilogia antiga, você sabia que Algo Importante estava acontecendo. Era um pico da narrativa. Aqui elas são mais conveniências do que qualquer outra coisa. É triste. Como se não só bastasse o fato delas terem ficado repetitivas (e isso já vem desde “Clones”), todas as que aconteceram não foram nada excitantes e criativas. Dooku Vs. Anakin? Urgh. Obi-Wan Vs Grievous? Ew (pq eles colocam um personagem de quatro braços se ele perde quase todos em 30 segundos? Meu deus...). Mace Windu Vs. Palpatine? Blah. Anakin Vs. Obi-Wan? Enormemente decepcionante. Só o Yoda acertou com as cenas de ação – o Yoda acerta em tudo, na verdade – e só as lutas dele tiveram aquela qualidade “badass”; eu gosto especialmente quando ele bate nos dois guardas do Palpatine sem mexer. O que eu achei estranho, no entanto foi Yoda perder pro Palpatine na luta final, já que este havia perdido tão fácilmente pro Mace Windu um pouco antes... Mace Windu > Yoda? Ou Palpatine > Roteiristas? Anyway, aquela cena do iguana gigante que o Obi-Wan cavalgou perseguindo a ciclo-motoca do Grievous foi ridículo (e novamente me trouxe a mente a palavra “videogame”, pra não falar a idéia do Donald Kaufman sobre uma perseguição entre um cavalo e viaturas policiais em “Adaptação” [so it’s like horses versus technology!] ), todas aquelas batalhas em planetas diferentes pra mim não tiveram muita diferença (uma foi no planeta dos Wookies, outra num planeta meio amarelado... podem ter havido mais, eu não faço a menor idéia, tudo já evaporou da minha cabeça; até onde eu sei pode ter tido uma no planeta natal dos Cocoons), foram anônimas e repetitivas e sem nenhum apego emocional.

*Comentários variados: 1) a revelação do Vader e o nascimento de Luke e Leia foram tão anti-dramáticos e mal dirigidos quanto o resto do filme, apenas aumentando ainda mais a decepção. Ao invés de entrecortar as duas cenas de um jeito climático, com a montagem acelerando e a música crescendo à medida que cada cena chega ao seu ponto máximo (plano de Amídala gritando, plano da mascara descendo, plano do bebê saindo, plano da cama do Vader se levantando, o John Williams rodando a baiana, etc), ele preferiu fazer a cena de um jeito que ficasse bem claro pra todos que ele não entende (mais) de cinema. Ele está caduca. 2) A cena que um padawan criança defende sozinho um senador de vários stormtroopers é emocionante e interessante, ao ponto de que você começa a pensar “Não seria foda se fizessem um filme só sobre a história desse garoto em meio ao caos da revolução e da guerra? Não ficaria muito mais interessante?”. 3) Teve um momento no meio do filme que eu gosto de chamar o “Momento Ridley Scott” que o Lucas decide fazer uma montagem em câmera lenta do Luke e Padme pensativos enquanto o sol se põe e vários planos de cidades futuristas e música pseudo-arabe toca no fundo (estilo “Blade Runner”, “Falcão Negro em Perigo”, etc). Teoricamente, devia ter ficado boa. É uma pena que o Lucas não sabe dirigir. 4) Teve um subtexto político interessante em algum lugar, mas eu não me preocupei em ligar pra isso, especialmente por que eu não ia agüentar o fedor caso tentasse arrancá-lo (o subtexto) dentre as enormes e flutuantes e espetaculares merdas do filme. 5) Aquela parte na luta final entre Anakin e Obi-Wan, tem uma parte que eles lutam em cima de pequenas plataformas voadoras em cima da lava. Tipo, aquilo não lembrou todo mundo daqueles jogos de aventura tipo Sonic ou Mario onde você tem que ficar pulando de plataforma para plataforma pra não cair no fogo e morrer? Pq toda cena desse filme me lembra de video-games? Isso é ruim, não é? E se o Anakin ou Obi-Wan tivessem caído, eles teriam “Continue” pra poder voltar nessa fase, ou teriam que começar o jogo todo de novo?

*Eu devo seguir uma analogia que eu li em algum lugar pra explicar a diferença de qualidade entre a trilogia antiga e a nova. A trilogia antiga é como uma banda punk dos anos 70 que acabou de lançar o primeiro disco: é meio desajeitado e sujo, mas é claro a empolgação e energia que a banda pôs no disco, aquela sensação de “Sim, nós somos foda! Nós vamos conquistar o mundo!”, uma ingenuidade charmosa e cativante. A trilogia nova é como um disco do Creed: é todo produzido e limpo, e embora haja algum riff ou melodia ligeiramente divertida de vez em quando, a obra toda em si é artificial e seguindo uma formula quadrada e sem vida e tentando agradar todo mundo, mas no final enjoativo e esquecível. Ruim. Uma analogia mais direta ainda: repare no plano final de “Sith”, que teoricamente foi perfeito – os novos pais do Luke segurando ele no deserto, enquanto o sol nasce no fundo, ecoando o plano similar do Luke em “Uma Nova Esperança”. Agora compare os dois planos, o de Ep3 e de Ep4. O de Ep3 é todo produzido, limpo, artificial. Até o céu foi alterado digitalmente pra ficar mais “poético”. A imagem é cristalina, como CGI. O plano de Ep4 é sujo, meio tremido. Dá a sensação de que a câmera realmente estava lá. A imagem tem vida. Ela movimenta de forma insegura, assim como o Luke. O céu é simples, é natural. Tem vida. Aí está o seu problema, Sr. Lucas.

*Pior filme da saga toda, sem dúvida. E olha que eu até gostei de “Ameaça Fantasma”.

A Vingança dos Sith - 24/100

http://forum.valinor.com.br/viewtopic.php?p=1192398#1192398

 

 

felipef38494.1048611111
Link to comment
Share on other sites

Assisti finalmente e é bem melhor q os episodios 1 e 2 somados!! Mas ainda perde p/ Imperio Contra-Ataca! Enfim, Hayden continua pessimo ator onde se limita a fazer biquinho e cara de mau; dialogos fracos; gdes efeitos (aquela lagartixa q Kenobi montou era dispensavel); sombrio mesmo.. Aquele finalzinho - onde mostrava simultaneamente o duelo de sabres e o parto sofrido da Padmé - me lembrou muito o final do Poderoso Chefao..Coincidencia de tematica?! Homenagem ao Coppola?!

Lucas se preocupou em linkar as duas trilogias, no entanto a valorizacao dos efeitos deixou alguns furos evidentes. Apenas p/ citar alguns:
- Se Vader tinha ainda bondade c/ seus consaguineos, pq carbonizou seu meio-irmao Lars?
- Yoda, q mostrou habilidade e agilidade matrixianas, pq usa bengala p/ caminhar?
- R2 mostrou-se um robozao-fodao, capaz de voar e enfrentar droides imperiais. Pq se deixou facilmente capturar pelos jawas no ep.IV?
- Se Padmé era uma diplomata ativa, como conseguiu esconder a gravidez e nao ser questionada sequer pelos familiares a respeito?
- Se Anakin cedeu ao lado negro p/ salvar a amada, pq continua nele mesmo depois de perde-la? Afinal, ele "nao conseguiria viver sem ela.."
- Aquela penca de clone virou sandtropper ou stormtropper?
- Na antiga trilogia, pq os robôs e Chewbacca nao recordam nada da nova trilogia?
- Qual o interesse economico de manter base em Mustafar, o planeta-lava?! Geologicamente, alem de inospito é instavel, podendo entrar em colapso a qq hora.. seria suicidio!

Link to comment
Share on other sites

Só uma informação importante sobre o Folco (o original mesmo): é um mala chato. smiley36.gif

(eu falei brincando, mas é sério)

E outra: ele se esquece (ou ignora, ou quer dar uma de chato mesmo) que "Star Wars" teve forte base de matinês de décadas passadas, que possuem características justamente tomadas por boa parte de videogames. Ele tá tomando um caminho contrário só para falar mal, pelo visto.

Sim, às vezes parece mesmo videogame, mas não no sentido em que ele colocou.

* Grievous é inútil? Tudo bem que ele é despachado de forma bem besta, mas inútil? Tem uma GUERRA pipocando, e o GENERAL Grievous é inútil?

 

* "Quando alguém ligava uma sabre na trilogia antiga, você sabia que Algo Importante estava acontecendo. Era um pico da narrativa. Aqui elas são mais conveniências do que qualquer outra coisa. É triste. Como se não só bastasse o fato delas terem ficado repetitivas (e isso já vem desde “Clones”)" by Folco da Valinor

Ok, agora parece que virou burrice. Isso é simplesmente LÓGICO, porque na TC, que se passa DEPOIS da NT, Jedis eram uma coisa rara, e, logo, sabres também eram raros. Na NT, há todo um Conselho e Templo Jedi, antes de ocorrer o massacre e perseguição aos mesmos. Vamos fazer continhas?

TC: de início, dois Jedis (ok, um é Sith, mas foi Jedi) = Ben Kenobi e Darth Vader = dois sabres. Depois, Ben morre, mas Luke já usa sabre e vai se tornando Jedi, então continuam dois sabres (Vader e Luke). Tem o Yoda, Jedi, mas tá velhinho, exilado e não usa sabre, mas usa a Força. Na média, são só dois sabres mesmo, talvez porque, nossa, que coisa, a média seja de dois Jedis por filme.

NT: Jedis não haviam sido mortos, coisa que só acontece nos enfins de "A Vingança dos Sith". Isso significa um Conselho e um Templo repleto de Jedis. Isso significa, pelas contas maternais: vários Jedis = vários sabres.

 

* Palpatine NÃO perdeu para Mace Windu. Será que é tão difícil perceber que Palpatine, que TODOS sabem ser um manipulador de mão cheia, sabia que Anakin apareceria e, por isso, se deixou acuar por Mace Windu, para que Anakin testemunhasse aquilo e tivesse "provas" do que Palpatine vinha falando no seu ouvido?

Serge Hall38494.4716203704
Link to comment
Share on other sites

Assisti finalmente e é bem melhor q os episodios 1 e 2 somados!! Mas ainda perde p/ Imperio Contra-Ataca! Enfim' date=' Hayden continua pessimo ator onde se limita a fazer biquinho e cara de mau; dialogos fracos; gdes efeitos (aquela lagartixa q Kenobi montou era dispensavel); sombrio mesmo.. Aquele finalzinho - onde mostrava simultaneamente o duelo de sabres e o parto sofrido da Padmé - me lembrou muito o final do Poderoso Chefao..Coincidencia de tematica?! Homenagem ao Coppola?!

Lucas se preocupou em linkar as duas trilogias, no entanto a valorizacao dos efeitos deixou alguns furos evidentes. Apenas p/ citar alguns:
- Se Vader tinha ainda bondade c/ seus consaguineos, pq carbonizou seu meio-irmao Lars?
- Yoda, q mostrou habilidade e agilidade matrixianas, pq usa bengala p/ caminhar?
- R2 mostrou-se um robozao-fodao, capaz de voar e enfrentar droides imperiais. Pq se deixou facilmente capturar pelos jawas no ep.IV?
- Se Padmé era uma diplomata ativa, como conseguiu esconder a gravidez e nao ser questionada sequer pelos familiares a respeito?
- Se Anakin cedeu ao lado negro p/ salvar a amada, pq continua nele mesmo depois de perde-la? Afinal, ele "nao conseguiria viver sem ela.."
- Aquela penca de clone virou sandtropper ou stormtropper?
- Na antiga trilogia, pq os robôs e Chewbacca nao recordam nada da nova trilogia?
- Qual o interesse economico de manter base em Mustafar, o planeta-lava?! Geologicamente, alem de inospito é instavel, podendo entrar em colapso a qq hora.. seria suicidio!

[/quote']

-Lars não era seu consanguineo, Vader mal o conhecia.

-pq ele é muito velho e precisa de bengala. Seus movimentos vem do uso da força.

-pergunte ao george!

-É que os vestidos de senadora são gigantescos e escondem a barriga!smiley4.gif

-Pq seu ódio aumentou ainda mais, fazendo com que seja mais difícil dele voltar ao lado da luz. Sua sede de poder e de governar a galáxia é o que o mantém vivo

-Virou stormtrooper, sandtrooper, snowtrooper, scoutrooper, etc

-C3P0 teve sua memória apagada, R2-D2 se lembra e o que Chewie sabe não é muito relevante.

-Pergunte ao George! 

Skywalker38494.4854050926
Link to comment
Share on other sites

Assisti finalmente e é bem melhor q os episodios 1 e 2 somados!! Mas ainda perde p/ Imperio Contra-Ataca! Enfim' date=' Hayden continua pessimo ator onde se limita a fazer biquinho e cara de mau; dialogos fracos; gdes efeitos (aquela lagartixa q Kenobi montou era dispensavel); sombrio mesmo.. Aquele finalzinho - onde mostrava simultaneamente o duelo de sabres e o parto sofrido da Padmé - me lembrou muito o final do Poderoso Chefao..Coincidencia de tematica?! Homenagem ao Coppola?!

Lucas se preocupou em linkar as duas trilogias, no entanto a valorizacao dos efeitos deixou alguns furos evidentes. Apenas p/ citar alguns:
- Se Vader tinha ainda bondade c/ seus consaguineos, pq carbonizou seu meio-irmao Lars?
- Yoda, q mostrou habilidade e agilidade matrixianas, pq usa bengala p/ caminhar?
- R2 mostrou-se um robozao-fodao, capaz de voar e enfrentar droides imperiais. Pq se deixou facilmente capturar pelos jawas no ep.IV?
- Se Padmé era uma diplomata ativa, como conseguiu esconder a gravidez e nao ser questionada sequer pelos familiares a respeito?
- Se Anakin cedeu ao lado negro p/ salvar a amada, pq continua nele mesmo depois de perde-la? Afinal, ele "nao conseguiria viver sem ela.."
- Aquela penca de clone virou sandtropper ou stormtropper?
- Na antiga trilogia, pq os robôs e Chewbacca nao recordam nada da nova trilogia?
- Qual o interesse economico de manter base em Mustafar, o planeta-lava?! Geologicamente, alem de inospito é instavel, podendo entrar em colapso a qq hora.. seria suicidio!

[/quote']

Soto, a montagem simultânea é com o parto de Padmé e com a transformação de Anakin em Vader, não da luta de sabres.

Quanto às perguntas, vou tentar algumas respostas

 - Eu posso ter bondade em mim e ainda cometer algumas coisas considerada más. Imagine, então, o Darth Vader. A bondade precisava ser resgatada, e só foi no final de "O Retorno de Jedi".

 - O Yoda é sábio. Acha mesmo que ele vai ficar usando a Força para caminhar se isso pode ser feito com uma simples bengala? Ele usa a Força quando acha que tem que usar. Vai ficar gastando poder à toa? smiley36.gif

 - Taí, essa eu também pensei. Sei lá, quando apagaram a memória de R2 ele deve ter perdido algumas habilidades. Instalaram o Windows.

 - Que eu saiba, Padmé não esconde a gravidez, e sim o pai. De todo modo, também achei isso meio mal explicado. O mais foda é que JEDIS, tão sábios e que tem "bad felling about this" sobre quase tudo, nem desconfiam quem botou aquele barrigão lá.

 - Perdê-la é um catalisador para que ele se fixe no Lado Negro. Além do mais, pela lenda contada por Palpatine, ele estaria em busca do conhecimento supremo para que, assim, quem sabe consiga, sabe-se lá quando, reviver Padmé ("criar vida", lembra?).

 - Creio que os clones derivaram os stormtroopers.

 - Os robôs tiveram suas memórias apagadas, como é informado no final de "A Vingança dos Sith". E de onde você tirou a conclusão de que Chewbacca não se lembra? Na NT ele só defende sua terra, juntamente com sua raça, e só tem contato com Yoda, e eles NÃO se encontram no trilogia clássica/antiga. Chewbacca não esqueceu nada; só não esteve diretamente ligado aos acontecimentos como esteve na TC.

 - Soto, isso aqui é Star Wars, uma GALÁXIA MUITO DISTANTE. Você não sabe como funciona essa galáxia. Em Star Wars o barulho se propaga no vácuo, existem espadas de energia estática, e você se preocupa com isso? smiley36.gif

Link to comment
Share on other sites

Observação do Folco lá do fórum Valinor:

Depois de, há muito tempo, ver esse mesmo usuário abrir um tópico aqui no Geral (nos primórdios do fórum), intitulado 'aborto' onde ele começava perguntando 'você é pró-escolha ou é um IDIOTA?', como sequer ousar pensar em tentar levar a sério a estultice que ele escreveu sobre Episódio III?

O Folco Pirata, ao menos, tem um senso de humor apurado...

Link to comment
Share on other sites

Observação do Folco lá do fórum Valinor:

Depois de' date=' há muito tempo, ver esse mesmo usuário abrir um tópico aqui no Geral (nos primórdios do fórum), intitulado 'aborto' onde ele começava perguntando 'você é pró-escolha ou é um IDIOTA?', como sequer ousar pensar em tentar levar a sério a estultice que ele escreveu sobre Episódio III?

O Folco Pirata, ao menos, tem um senso de humor apurado...

[/quote']

Postei aqui só para o pessoal ler mesmo. Rs... Como discordo de algumas coisas e concordo com tantas outras, preferi não comentar. Como disse lá em cima, é o momento de quem é fã celebrar.

 

 

Link to comment
Share on other sites

'Crítica' do 'crítico' André Lux (lembram dele?)...

"Star Wars - Episódio 3 - A Vingança dos Sith"


posterp.jpg A FORÇA NÃO ESTÁ MAIS COM ELE

George Lucas encerra a trilogia inicial de forma constrangedora e comprova que não tinha mesmo mais nada a dizer

- Por André Lux

Finalmente chegou a hora que todo fã da série criada por George Lucas em 1977 esperava desde que ficamos sabendo que ele filmaria a trilogia anterior, a qual deveria mostrar o processo de ascensão e queda de Anakin Skywalker de cavaleiro Jedi para Lorde do Sith. “Star Wars – Episódio 3 – A Vingança dos Sith” era a esperança de ver explicadas, ou ao menos reparadas, todas besteiras e incongruências mostradas nos dois filmes anteriores, já que havia uma esperança que Lucas realmente soubesse o que estava fazendo desde o início e, portanto, teria guardado várias cartas na manga para fechar a trilogia inicial em grande estilo e com alguma coerência. Mas, tristeza das tristezas, a esperança era falsa. O terceiro filme é tão desconjuntado e sem sentido quanto os outros dois. E as supostas explicações soam forçadas e tolas, especialmente aquela que quer nos convencer que tudo que foi mostrado nos filmes anteriores (inclusive o nascimento de Anakin) fazia parte do infalível plano de conquista do poder de Palpatine! Imperdoável.

Fica absolutamente claro desde o início que Lucas novamente não sabe o que fazer com seus personagens, muito menos tem uma história definida para contar. Sobram então batalhas extravagantes, poluídas por milhares de naves, soldados, robozinhos e monstrinhos criados pelos efeitos digitais, num exagero tão grande que chega a entumecer a consciência do espectador, privando-o de qualquer emoção genuína (e pensar que tem gente que reclama dos fofos Ewoks de “O Retorno de Jedi”!).

Como em “A Ameaça Fantasma” e “O Ataque dos Clones”, o roteiro pula de uma batalha para outra sem qualquer lógica ou coerência, intercalando-as com breves (e patéticas) exposições dos personagens. Há uma luta no planeta natal de Chewbacca totalmente dispensável e redundante, já que nem mesmo conseguimos ver o que está acontecendo, tamanho o número de tiros, explosões e naves passando. Os Jedi, que supostamente deveriam ser guerreiros invencíveis, nobres e sagazes, são abatidos com extrema facilidade por meros soldados clones e, pior, partem para a porrada com fúria e agressividade que destoam totalmente da sua filosofia pacificadora. Mace Windu (Samuel L. Jackson, novamente desperdiçado), por exemplo, não tem qualquer pudor em tentar decepar a cabeça do vilão Darth Sidius depois de tê-lo desarmado. E, pelo amor de deus, como é possível que nenhum deles tenha percebido a verdadeira face do Chanceler Palpatine antes?

Mas isso não é nada comparado com o que deveria ser o ponto alto da nova trilogia: a transformação de Anakin Skywalker no maligno Darth Vader é absolutamente lamentável. Lucas fez três filmes para contar essa história, mas mesmo assim não conseguiu criar nuances e motivos suficientes para tornar a virada de caráter do personagem forte ou minimamente coerente. Depois de um monte de “encheção de lingüiça” na primeira metade do filme bastou o rapaz ter dois sonhos “premonitórios” sobre a morte da sua amada Padmé (muito mal encenados, por sinal) e meia dúzia de promessas vazias sobre a possibilidade de “ressuscitar os mortos” proferidas pelo vilão e pronto: Anakin já se volta contra os Jedi e sai matando inclusive criancinhas indefesas, enquanto faz cara de psicopata! Essa virada é tão mal construída e imbecil que o apoteótico confronto final entre ele e Obi-Wan não convence nem um minuto, ainda mais do jeito que foi idealizado com os dois surfando e duelando absurdamente sobre rios de lava incandescente.

2.jpgO mais triste de tudo é que não há mais ninguém a culpar a não ser o próprio criador da série, George Lucas, já que todos os filmes são frutos da imaginação e do empenho dele. Não adianta nem reclamar da inexpressiva atuação do elenco (em particular à de Hayden Cristensen, como Anakin, canastrão ao extremo, e à de Ian McDiarmid, totalmente descontrolado e ridículo quando finalmente vira Darth Sidius), afinal a direção é inexistente e o filme flui desconjuntado e sem qualquer foco narrativo até o final, alternando batalhas caóticas com cenas tediosas de exposição da trama repletas de diálogos constrangedores. Não vou nem perder tempo falando do grotesco General Grievous, que deveria ser um dos vilões memoráveis do filme, mas não passa de um boneco digital bobo com problemas no pulmão, o qual não tem a nada a fazer exceto ser morto de forma patética.

Assusta também a maneira como Lucas não respeita nem as revelações que já estão nos filmes subseqüentes. Vários diálogos dos Episódios 4 e 6, por exemplo, ficam comprometidos, tais como Obi-Wan dizendo a Luke que não é chamado de mestre Jedi desde há muito tempo antes dele nascer, Leia dividindo com o irmão pequenas lembranças de sua convivência com a mãe ou mesmo o tio de Luke chamando Ben Kenobi de “aquele velho louco”!

A fraca trilha musical de John Williams demonstra claramente a falta de inspiração do compositor com o material apresentado, tanto é que o filme só consegue emocionar um pouco durante os últimos minutos de projeção, quando Lucas tenta fechar tola e apressadamente os vários nós que conduzem à próxima trilogia, momentos em que Williams revisita alguns dos temas musicais antigos em grande estilo.

Enfim, “Episódio 3” é a prova definitiva que a “Força" não está mais com George Lucas. Até a série animada "Clone Wars" deu de dez a zero nele. Mas mesmo assim tem gente achando que esse filme é muito melhor que “A Ameaça Fantasma” e “O Ataque dos Clones”. Permitam-me discordar. Os três são igualmente ruins, desconjuntados e sem sentido, mas os dois primeiros ao menos reservaram algumas seqüências realmente emocionantes (como a corrida de pod racers do primeiro ou a morte da mãe de Anakin no segundo) e duelos memoráveis (especialmente aquele entre os Jedi e o terrível Darth Maul). Sem dizer que sempre restava a esperança de que o último filme redimiria os anteriores.

Ser fã da série original é uma coisa. Ser fanático e fechar os olhos aos incontáveis defeitos dessa nova empreitada é outra bem diferente. Melhor mesmo é rever a trilogia original e esquecer esses três filmes desastrosos, que serviram apenas para nos ensinar que os Jedi não passavam de tolos desmiolados e que o tão temido vilão Darth Vader era nada mais que um moleque mimado e birrento cuja visão política causaria orgulho tanto a Adolf Hitler quanto ao seu novo discípulo, George W. Bush.

Sinceramente, nós fãs de Star Wars não mereciamos isso...

Cotação: *
Cotação da trilogia inicial (Episódios 1, 2 e 3):
* *
Cotação da trilogia subseqüente (Episódios 4, 5 e 6): * * * * 1/2

Ainda bem que ele admite que é opinião... Já pensou se ele lidasse com essa crítica como se ela fosse fato inquestionável? smiley36.gif

Vale lembrar que para o Lux, o único filme com respostas plausíveis é Matrix Revolutions... smiley11.gif

Link to comment
Share on other sites

 - Taí' date=' essa eu também pensei. Sei lá, quando apagaram a memória de R2 ele deve ter perdido algumas habilidades. Instalaram o Windows.

[/quote']

Eu não lembro exatamente dessa fala na hora q mandam apagar a memória, mas alguém aqui do forum disse q mandam apagar a memória do "protocol droid" (ou seja, C3PO). Eu acho q R2-D2 sabe de tudo durante toda a saga.

Por mais fodão q o R2 seja, ele foi pego pelos Jawas de surpresa... talvez depois do choque q ele levou dos jawas, ele tenha perdido a capacidade de voar.

Link to comment
Share on other sites

 

 - Taí' date=' essa eu também pensei. Sei lá, quando apagaram a memória de R2 ele deve ter perdido algumas habilidades. Instalaram o Windows.

 

[/quote']

 

Eu não lembro exatamente dessa fala na hora q mandam apagar a memória, mas alguém aqui do forum disse q mandam apagar a memória do "protocol droid" (ou seja, C3PO). Eu acho q R2-D2 sabe de tudo durante toda a saga.

 

Por mais fodão q o R2 seja, ele foi pego pelos Jawas de surpresa... talvez depois do choque q ele levou dos jawas, ele tenha perdido a capacidade de voar.

 

1) Na verdade são os dois dróides que têm a memória apagada.

2) Depois de 20 anos alguma coisa ia acabar pifando, não é mesmo? smiley36.gifsmiley36.gifsmiley36.gif

Teve outra coisa que me intrigou: no início de Uma Nova Esperança, Obi-Wan diz não se lembrar de R2. Ora, isso é impossível, mesmo tendo tantos anos se passado. Com tudo que o R2 faz na NT, ia ser difícil esquecê-lo, não acham?

Link to comment
Share on other sites

Comentário meio OFF:

Alguém viu o grande prêmio de Mônaco de F1 hoje? Os carros de uma das equipes (a Red Bull, se bem me lembro, pilotados por David Coulthard e Christian Klien) traziam propaganda de Star Wars. E os uniformes dos mecânicos simulavam os uniformes do exército de clones dos filmes. Muito tri, hehehe.

Link to comment
Share on other sites

Comentário meio OFF:

 

Alguém viu o grande prêmio de Mônaco de F1 hoje? Os carros de uma das equipes (a Red Bull' date=' se bem me lembro, pilotados por David Coulthard e Christian Klien) traziam propaganda de Star Wars. E os uniformes dos mecânicos simulavam os uniformes do exército de clones dos filmes. Muito tri, hehehe.

[/quote']

 

Eu vi isso também.

Link to comment
Share on other sites

'Crítica' do 'crítico' André Lux (lembram dele?)...

"Star Wars - Episódio 3 - A Vingança dos Sith"


posterp.jpg A FORÇA NÃO ESTÁ MAIS COM ELE

George Lucas encerra a trilogia inicial de forma constrangedora e comprova que não tinha mesmo mais nada a dizer

- Por André Lux

Finalmente chegou a hora que todo fã da série criada por George Lucas em 1977 esperava desde que ficamos sabendo que ele filmaria a trilogia anterior' date=' a qual deveria mostrar o processo de ascensão e queda de Anakin Skywalker de cavaleiro Jedi para Lorde do Sith. “Star Wars – Episódio 3 – A Vingança dos Sith” era a esperança de ver explicadas, ou ao menos reparadas, todas besteiras e incongruências mostradas nos dois filmes anteriores, já que havia uma esperança que Lucas realmente soubesse o que estava fazendo desde o início e, portanto, teria guardado várias cartas na manga para fechar a trilogia inicial em grande estilo e com alguma coerência. Mas, tristeza das tristezas, a esperança era falsa. O terceiro filme é tão desconjuntado e sem sentido quanto os outros dois. E as supostas explicações soam forçadas e tolas, especialmente aquela que quer nos convencer que tudo que foi mostrado nos filmes anteriores (inclusive o nascimento de Anakin) fazia parte do infalível plano de conquista do poder de Palpatine! Imperdoável.

Fica absolutamente claro desde o início que Lucas novamente não sabe o que fazer com seus personagens, muito menos tem uma história definida para contar. Sobram então batalhas extravagantes, poluídas por milhares de naves, soldados, robozinhos e monstrinhos criados pelos efeitos digitais, num exagero tão grande que chega a entumecer a consciência do espectador, privando-o de qualquer emoção genuína (e pensar que tem gente que reclama dos fofos Ewoks de “O Retorno de Jedi”!).

Como em “A Ameaça Fantasma” e “O Ataque dos Clones”, o roteiro pula de uma batalha para outra sem qualquer lógica ou coerência, intercalando-as com breves (e patéticas) exposições dos personagens. Há uma luta no planeta natal de Chewbacca totalmente dispensável e redundante, já que nem mesmo conseguimos ver o que está acontecendo, tamanho o número de tiros, explosões e naves passando. Os Jedi, que supostamente deveriam ser guerreiros invencíveis, nobres e sagazes, são abatidos com extrema facilidade por meros soldados clones e, pior, partem para a porrada com fúria e agressividade que destoam totalmente da sua filosofia pacificadora. Mace Windu (Samuel L. Jackson, novamente desperdiçado), por exemplo, não tem qualquer pudor em tentar decepar a cabeça do vilão Darth Sidius depois de tê-lo desarmado. E, pelo amor de deus, como é possível que nenhum deles tenha percebido a verdadeira face do Chanceler Palpatine antes?

Mas isso não é nada comparado com o que deveria ser o ponto alto da nova trilogia: a transformação de Anakin Skywalker no maligno Darth Vader é absolutamente lamentável. Lucas fez três filmes para contar essa história, mas mesmo assim não conseguiu criar nuances e motivos suficientes para tornar a virada de caráter do personagem forte ou minimamente coerente. Depois de um monte de “encheção de lingüiça” na primeira metade do filme bastou o rapaz ter dois sonhos “premonitórios” sobre a morte da sua amada Padmé (muito mal encenados, por sinal) e meia dúzia de promessas vazias sobre a possibilidade de “ressuscitar os mortos” proferidas pelo vilão e pronto: Anakin já se volta contra os Jedi e sai matando inclusive criancinhas indefesas, enquanto faz cara de psicopata! Essa virada é tão mal construída e imbecil que o apoteótico confronto final entre ele e Obi-Wan não convence nem um minuto, ainda mais do jeito que foi idealizado com os dois surfando e duelando absurdamente sobre rios de lava incandescente.

2.jpgO mais triste de tudo é que não há mais ninguém a culpar a não ser o próprio criador da série, George Lucas, já que todos os filmes são frutos da imaginação e do empenho dele. Não adianta nem reclamar da inexpressiva atuação do elenco (em particular à de Hayden Cristensen, como Anakin, canastrão ao extremo, e à de Ian McDiarmid, totalmente descontrolado e ridículo quando finalmente vira Darth Sidius), afinal a direção é inexistente e o filme flui desconjuntado e sem qualquer foco narrativo até o final, alternando batalhas caóticas com cenas tediosas de exposição da trama repletas de diálogos constrangedores. Não vou nem perder tempo falando do grotesco General Grievous, que deveria ser um dos vilões memoráveis do filme, mas não passa de um boneco digital bobo com problemas no pulmão, o qual não tem a nada a fazer exceto ser morto de forma patética.

Assusta também a maneira como Lucas não respeita nem as revelações que já estão nos filmes subseqüentes. Vários diálogos dos Episódios 4 e 6, por exemplo, ficam comprometidos, tais como Obi-Wan dizendo a Luke que não é chamado de mestre Jedi desde há muito tempo antes dele nascer, Leia dividindo com o irmão pequenas lembranças de sua convivência com a mãe ou mesmo o tio de Luke chamando Ben Kenobi de “aquele velho louco”!

A fraca trilha musical de John Williams demonstra claramente a falta de inspiração do compositor com o material apresentado, tanto é que o filme só consegue emocionar um pouco durante os últimos minutos de projeção, quando Lucas tenta fechar tola e apressadamente os vários nós que conduzem à próxima trilogia, momentos em que Williams revisita alguns dos temas musicais antigos em grande estilo.

Enfim, “Episódio 3” é a prova definitiva que a “Força" não está mais com George Lucas. Até a série animada "Clone Wars" deu de dez a zero nele. Mas mesmo assim tem gente achando que esse filme é muito melhor que “A Ameaça Fantasma” e “O Ataque dos Clones”. Permitam-me discordar. Os três são igualmente ruins, desconjuntados e sem sentido, mas os dois primeiros ao menos reservaram algumas seqüências realmente emocionantes (como a corrida de pod racers do primeiro ou a morte da mãe de Anakin no segundo) e duelos memoráveis (especialmente aquele entre os Jedi e o terrível Darth Maul). Sem dizer que sempre restava a esperança de que o último filme redimiria os anteriores.

Ser fã da série original é uma coisa. Ser fanático e fechar os olhos aos incontáveis defeitos dessa nova empreitada é outra bem diferente. Melhor mesmo é rever a trilogia original e esquecer esses três filmes desastrosos, que serviram apenas para nos ensinar que os Jedi não passavam de tolos desmiolados e que o tão temido vilão Darth Vader era nada mais que um moleque mimado e birrento cuja visão política causaria orgulho tanto a Adolf Hitler quanto ao seu novo discípulo, George W. Bush.

Sinceramente, nós fãs de Star Wars não mereciamos isso...

Cotação: *
Cotação da trilogia inicial (Episódios 1, 2 e 3):
* *
Cotação da trilogia subseqüente (Episódios 4, 5 e 6): * * * * 1/2

Ainda bem que ele admite que é opinião... Já pensou se ele lidasse com essa crítica como se ela fosse fato inquestionável? smiley36.gif

Vale lembrar que para o Lux, o único filme com respostas plausíveis é Matrix Revolutions... smiley11.gif

[/quote']

plausiveis? one Revolutions teve respostas plausiveis?

meu deus, esse cara fumo um oregano smiley36.gif

a, o Folco é mais a opinar, mas só pra dazr uma de do contra, normal para pseudo entendidos!!

Link to comment
Share on other sites

Como não sei se pode-se postar links de utros fõruns, colocarei aqui o mesmo e depois, uma parte da minha crítica a este filme que assisti.

Caso queram editar, cortem apenas o link alheio, já que a opiniam também estará expresaa aqui.

---> http://forum.vaidigital.com.br/viewtopic.php?t=1133  ( fonte )

Minha opinião do filme:

"Corri feito um louco do meu trabalho para assistir ao filme Vingança dos Sith e consegui pegar a seção das 18:00.

Foram duas horas e tanto de filme.

Teve muitos efeitos especiais bons, especialmente nas cenas de lutas e das naves espaciais à toda velocidade nas perseguições.

Gostei muito de algumas cenas feitas quando uma cidade nas montanhas estava inundada em lava e outras paisagens futurísticas das cidades. Algumas cenas foram muito belas. Ótimo trabalho de computação gráfica. Smile

Contudo, os diálogos não foram tão bem trabalhados assim. Aliás, acho que este filme teve mais ação do que diálogos. Para se traduzir e fazer a legenda deste filme deve ser relatvamente simples. Talvez um pouco chato por causa da velocidade de certos diálogos, mas nada tão absurdo assim.

Achei interessante a transformação psicológica de Anakin durante a trama. De certa forma, ele fez tudo o que fez ( embora mesclado de egoísmo, possessividade e insegurança para não perder Padmé ) em nome do amor pela menina que ele amava.

Ele pressentiu, por causa dos poderes que tinha, que coisas ruins se aproximavam num futuro breve.

E querendo mudar isso ( Maktub, o fatalismo, o inexorável Destino ), ele se deixa seduzir pelas promessas vazias do Lorde Sith e o ajuda em seus planos. A dor de perder a mãe no passado o deixou amargurado e sensível demais. Então, é muito compreensível que ele tenha se agarrado à Padmé e a consagrado como o maior tesouro da vida dele, sua razão de viver. Perdê-la seria demais para ele. Simplesmente, ele não agüentaria.

Tão "enlouquecido e cego" ficou depois, que ele mesmo ajudou a "traçar" o destino dela, por causa de sua insegurança e temores pessoais qe não conseguiu lidar. Os comentários de Obi-Wan mais para o final trazem palavras de verdade: ninguém tirou Padmé dele, exceto ele mesmo, por incrível que pareça.

Ela o amava muito, apesar de tudo. E, ao vê-lo caminhar para o Lado Negro da Força, ela "perdeu a vontade de viver".

Pelo decorrer da história, ela deu a entender que morreu mais por desgosto de "perder" seu marido Anakin para o nascente Lord Vader do que pelos ferimentos físicos sofridos na guerra. Tanto que, clinicamente, ela estava bem. E, ainda assim, "a estavam perdendo inexplicavelmente".

Ela não suportaria vê-lo daquele novo jeito. Era como se aquele menino não fosse mais o Anakin de antes, o seu Anakin.

E ele, mesmo já sendo Darth Vader, chorou e gritou de dor e desgosto ao saber da morte de Padmé. Ainda mais por saber que boa parte disso foi culpa dele próprio.

O filme analisa também como se deve ter cuidado com o poder. Quanto mais o temos, mais prudentes devemos ser, para não sermos seduzidos por ele e queremos tomar tudo para nós mesmos, num ato de arrogância, petulância, egoísmo e possessividade.

O Lord Sith fez referência a uma única pessoa que burlou a morte. Nem mesmo ele o conseguiu, segundo entendi. O nome de Jesus Cristo apareceu em minha mente, pois foi o único ( bem, o mais conhecido) que "enganou" a morte e voltou a viver.

Também o Lorde Sith me fez sent=i-lo como Judas, um tradidor. Deu a entender que ele era o aprendiz, o qual aprendeu tudo de seu mestre e por fim, o matou. Lembrei de Golum ( Sméagol ) e seu amigo, que foir morto com ele por causa da sedução do anél, no filme O Senhor dos Anéis.

A essência disso ( desse filme, como no do Senhor dos Anéis, nestas cenas) parece a mesma: traição, cobiça, inveja e ingratidão, ainda mais que o mestre do sith foi morto enquanto dormia, seguno o próprio senador comentou no filme. Mais e mais poder, não importando o custo dele, havendo de ser esquecida as amizades e todo o resto. Até o Conde Dookan foi morto tempos atrás, pois o Senador achava isso uma "morte necessária" para dar prosseguimento a seus planos, mesmo eles sendo aliados.

A identidade das crianças filhas de Anakin e Padmé foi ocultada depois, por segurança. Isso é explicado melhor nas outras partes de Guerra das Estrelas.

Apesar da abominações que Anakin cometeu ( condenáveis, sem dúvida alguma ! ), fico enternecido com o amor dele e de Padmé. Isso me toca, de certa forma.

Mas isso não vou explicar aqui.

É um filme legal. Mas não é tudo isso, não. Para mim, foi apenas um filme relativamente interessante. E com muita mídia em cima dele. E não importa quantos milhões ganhe: não foi tudo isso, na minha opinião.

Nada que me faça ficar mais tempo pensando. Como filme qualidade de filme (independente do gênero) , gostei mais de um 21 Gramas.

E de efeitos especiais X história interessante , estou mais excitado com Batman Begins ou mesmo o Quarteto Fantástico, que logo teremos aí.

E dos filmes que assisti e gostei, fiquei mais apaixonado com Elektra e Constantine. E, talvez, do Sin City, quando for assistir.

Mas, acho que irei alugar o dvd deste filme, quando sair. Teve partes do filme que gostei bastante, apesar dos pesares.

PS: quanto á pirataria, sinceramente, não acho que valesse a pena fazer release deste filme, exceto para ganhar fama na scene, porque o filme em si não mereceria todo este alarde todo, não fosse feito por quem foi feito."


abraços

devil (johner)

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

Teve outra coisa que me intrigou: no início de Uma Nova Esperança' date=' Obi-Wan diz não se lembrar de R2. Ora, isso é impossível, mesmo tendo tantos anos se passado. Com tudo que o R2 faz na NT, ia ser difícil esquecê-lo, não acham?

[/quote']

Ele diz não se lembrar de ter possuído um dróide... 'Não me lembro de ter tido um dróide... Muito interessante...' É isso que ele fala para Luke.

Link to comment
Share on other sites

Eu não lembro exatamente dessa fala na hora q mandam apagar a memória' date=' mas alguém aqui do forum disse q mandam apagar a memória do "protocol droid" (ou seja, C3PO). Eu acho q R2-D2 sabe de tudo durante toda a saga.

[/quote']

Foi isso que eu entendi do que foi dito pelo Bail Organa: que era pra apagar a memória do C3PO... Nesse momento, o R2 tira um sarro do dróide medroso...

Link to comment
Share on other sites

Eu não lembro exatamente dessa fala na hora q mandam apagar a memória' date=' mas alguém aqui do forum disse q mandam apagar a memória do "protocol droid" (ou seja, C3PO). Eu acho q R2-D2 sabe de tudo durante toda a saga.

[/quote']

Foi isso que eu entendi do que foi dito pelo Bail Organa: que era pra apagar a memória do C3PO... Nesse momento, o R2 tira um sarro do dróide medroso...

Eu não lembro do diálogo ao certo, mas pelo que eu me lembre Bail ordenava que o Capitão Antilles cuidasse dos droids e depois apagasse suas memórias, então acho que R2 também teve a memória apagada.

Link to comment
Share on other sites

Isso foi mais um erro da pavorosa tradução do filme (por incrível que pareça, quem viu o filme dublado deve ter entendido mais do que quem viu ele legendado). Bail diz para apagar a memória do C-3P0... A besta humana que fez as legendas coloca: "Apague a memória DOS DRÓIDES"... Só não foi menos dolorida do que "esses ferimentos são de ESPADAS".

Link to comment
Share on other sites

Essa é para os fãs me dizerem (aff, como se eu não fosse um): antes da estréia, muitos spoilers davam conta do lance do Darth Plagueis e de que Palpatine era o tal aprendiz que o havia matado e que, por saber sua técnica, a usava para manter seu rosto sempre com uma aparência jovial... Mas daí vemos ele ser desfigurado na luta com Mace Windu e permanecendo assim desde então...

Pergunta: ele usava mesmo do poder do Plagueis para manter aquela aparência ou foi a disputa de poder entre ele e o Mace através dos raios que o desfigurou permanentemente?

 

Link to comment
Share on other sites

Pergunta: ele usava mesmo do poder do Plagueis para manter aquela aparência ou foi a disputa de poder entre ele e o Mace através dos raios que o desfigurou permanentemente?

Creio que nesse caso cabe mais a interpretação. E a minha interpretação é: Os raios não influiram em nada (tanto que quando Anakin faz sua parte, vê se que Palpatine está firme e forte). Ou seja, Palpatine é muito mais velho do que se pode imaginar e ele se utilizava das artimanhas do lado negro da força para manter a aparência jovem. Quando Mace o "encurrala", convenientemente quando Anakin está chegando na sala, Palpatine deve ter percebido que esse era o momento certo de mostrar sua verdadeira face, colocando a culpa no "Jedi traidor".

Lucas38494.7871296296
Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

×
×
  • Create New...