Jump to content
Forum Cinema em Cena

Qual Livro Você Está Lendo?


Administrator
 Share

Recommended Posts

LV288087_N.jpg

 

Assassin's Creed: Renascença (Oliver Bowden)

Até onde eu li não há desenvolvimento de personagens. O narrador não se ocupa com sensações e pensamentos, nem os diálogos cumprem o papel de nos dar uma boa visão do que se passa na mente deles. Os diálogos são simplórios e os acontecimentos se desenrolam da forma mais simples e rápida possível. É muito fraco, não consegui ir muito longe, mas com certeza a simplicidade extrema é justamente a característica que agradou a tanta gente, e o livro tem vendido bastante.

 

Sobre Udolpho, depois do que falou, vou procurar pra comprar... :rolleyes:

 

Quanto a Assassin's Creed, eu não sei se o sucesso se deu pela narrativa 'fácil'. Acho que o apelo do jogo somado ao valor SUPER barato do livro que foram o estopim, claro que muitos podem ter gostado dele. Mas imagine comprar um livro baseado numa história que todos falam que é muito boa por um preço baixo? O povo adora uma promoção! :lol:

 

O que li sobre esse livro era que ele seria um ótimo guia para o jogo, pois era a sua reprodução fiel. Nada mais que isso.

Link to comment
Share on other sites

Realmente o jogo ajuda a alavancar o livro... Eu li porque a sinopse chamou minha atenção, e não influenciada pelo jogo. Não me interesso por jogos. De qualquer forma, o texto simplório tem agradado, eu vi comentários que elogiam a "objetividade" do livro. Eu acho uma pena que um livro tão mal escrito esteja fazendo tanto sucesso. No Skoob a nota dele está alta. Na Amazon está mediana.

 

"Um livro perfeito para garotos de 15 anos que não gostam de ler."

 

============================================================================

 

Acabei de começar A Volta ao Mundo em 80 Dias, de Júlio Verne.

Link to comment
Share on other sites

Coragem, Jack! Toma um café pra se manter acordado! ^_^

 

Ele fez uma continuação do livro, não foi? "Regresso ao Admirável Mundo Novo", salvo engano. Vi à venda na bienal e só não comprei porque ainda não li o primeiro e o preço não estava tão vantajoso assim.

 

Esse Brave New World Revisited é um conjunto de ensaios, escrito quase trinta anos mais tarde, sobre se as previsões dele em Admirável Mundo Novo estariam ou não se aproximando de virar realidade.

Link to comment
Share on other sites

Vai mesmo? Eu li algo a respeito, mas parece que estavam cogitando a possibilidade de fazer um filme. O maior problema do livro, até onde eu li, é a garota por quem o zumbi se apaixona. Ele é cativante. Ela é insuportável. Acho que o filme será pior que o livro. O que há de bom no livro, os pensamentos do zumbi, não dá pra transpor muito bem para o cinema.

Link to comment
Share on other sites

Sexta à tarde, depois do trabalho, tentei começar Admirável Mundo Novo; dei uma pestanejada de uns 10 minutos. Tentei de novo; caí no sono de vez, dormi uma hora, mais ou menos. Isso sem passar da primeira página, que tem uma descrição meio tola.

 

Enfim, depois de acordar, vim ver um filme, e só então voltei pro livro. Aí deu certo, e agora estou gostando bastante.

 

Outra distopia que eu tenho vontade de ler é Make Room! Make Room!, que gerou o filme Soylent Green, mas a falta de uma edição digital pode atrapalhar meus planos. Se bem que eventualmente o livro deve aparecer no formato digital, já que o formato tem sido muito bem aceito (não no Brasil).

 

Peraí... Eu não procurei direito. Parece que tem em PDF, que não é o ideal, mas serve. Não sei se está disponível para o Brasil.

Link to comment
Share on other sites

1hyrnn.jpg

 

Lolita (Vladimir Nabokov)

 

"It was love at first sight, at last sight, at ever and ever sight."

 

Mesmo não gostando de poesia, gosto da linguagem poética que Nabokov usa para contar uma história deprimente, perturbadora, ultrajante e com algum senso de humor. Humbert é inteligente, carismático e cheio de comentários perspicazes. Seria fácil gostar dele. Mas ele destrói uma garota pré-adolescente para satisfazer seu desejo sexual e o que chama de amor. Então seria fácil odiá-lo. O sentimento doentio dele e o sofrimento de ambos. O dela, que aparece fragmentado através do olhar egoísta dele, é uma visão terrível. História difícil e que desperta sensações conflitantes. De modo geral, achei o texto moroso, além da dificuldade que eu tive com o idioma, já que tem um inglês meio estranho pra mim. Mas sendo um livro tão contundente, um dos mais tristes que eu já li, fico feliz por ter insistido na leitura até o fim.

 

=================================================================

 

Estou lendo Strange Case of Dr Jekyll and Mr Hyde, de Robert Louis Stevenson.

Link to comment
Share on other sites

230px-Primeira_capa_tToBtB.jpg

 

The Tales of Beedle the Bard (J.K. Rowling)

Histórias que ensinam lições, como ser generoso ou ter bom senso, ficam facilmente pedantes ou cafonas, mas Rowling sabe trabalhar com elas e tem uma boa imaginação para contos de fadas. Os comentários são interessantes por refletirem e trazerem informações sobre o universo dos bruxos (e serem de Dumbledore é suficiente para que sejam especiais). Não são obras-primas, mas são histórias suficientemente memoráveis. Só lamento que o livro não seja mais longo. Eu queria mais contos.

 

======================================================================

 

Comecei Henry VIII: The King and His Court, de Alison Weir.

Link to comment
Share on other sites

Tica, tu conheces o Cracked.com? Ontem eles lançaram um artigo ótimo sobre como as aulas de literatura na escola desestimulam o gosto pela leitura. Já no começo ele larga essa aqui:

 

"The Scarlet Letter, Wuthering Heights, Great Expectations, Ethan Frome, Walden, Heart of Darkness, Madame Bovary, The Catcher in the Rye and The Sun Also Rises all suck. OK, that's just my opinion, but the average high school student -- hell, the average human being -- will probably agree on a bunch of those at least."

 

Read more: 4 Ways High School Makes You Hate Reading | Cracked.com http://www.cracked.com/blog/4-ways-high-school-makes-you-hate-reading/#ixzz28HauzFiQ

 

Mais adiante ele larga uma que me fez lembrar de ti:

 

"There might be excessive exposition, laughable imagery, characters intended to be sympathetic who are grating or characters intended to be grating who are so grating that you can't pay attention to the story (Holden Caulfield)."

 

Read more: 4 Ways High School Makes You Hate Reading | Cracked.com http://www.cracked.com/blog/4-ways-high-school-makes-you-hate-reading/#ixzz28HbhVkF2

 

200px-Trollface.svg.png

Link to comment
Share on other sites

The Scarlet Letter, Wuthering Heights, Great Expectations, Ethan Frome, Walden, Heart of Darkness, Madame Bovary, The Catcher in the Rye and The Sun Also Rises all suck. OK, that's just my opinion, but the average high school student -- hell, the average human being -- will probably agree on a bunch of those at least.

 

Wuthering Heights parece ter muitos adoradores. Eu não chego a tanto, apenas gosto. Madame Bovary é terrível. Os outros eu não li.

 

 

148565.jpg?v=1

 

This cover is misleading because it is much more interesting than the book.

 

:lol:

 

É a mesma edição que eu tenho. Ainda não li, mas eu li dois de Edith Wharton. Não tive dificuldade com A Era da Inocência, embora talvez a tradução tenha ajudado. Com The House of Mirth eu tive, mas valeu a pena.

 

Concordo com o discurso sobre deixar que os estudantes formem sua própria opinião sobre o livro, sem deixar de exigir uma expressão coerente, ao invés de impor o que eles devem pensar. Na escola, eu nunca recebi qualquer incentivo pra interpretar um livro, eu recebi a interpretação oficial pra decorar.

 

Acho extremamente irritante a insistência de que clássicos são inquestionáveis porque são clássicos. Eu nem gosto da palavra clássico, por causa da carga de pretensão e arrogância que ela ganhou. Pra mim se refere apenas a livros antigos que são muito conhecidos e valorizados atualmente, não tendo nada a ver com qualidade, então longe de ser uma classificação muito importante. Também não acho legal a idéia de que todos os clássicos são chatos e inacessíveis, porque pra mim não são. Há os ruins, os bons, os melhores... Varia muito.

 

Sobre as escolhas que as pessoas fazem... Tudo bem que cada um deve escolher o que gosta de ler, mas eu acho triste ficar limitado ao que é popular atualmente (e que inclui O Morro dos Ventos Uivantes, mas apenas porque Bella e Edward adoram). A literatura é tão ampla, e ninguém se interessa por tudo, mas eu acho muito limitado enxergar apenas os livros de maior destaque no momento. Sei que ser assim funciona pra alguns (ou muitos)... Eu só acho triste não ir além da revista da Avon.

 

 

 

Lucy, acho que pode se interessar por ISSO AQUI! ;)

 

Já baixei do Project Gutenberg, mas nunca explorei muito. Lembro que foi de lá que eu tirei Alice's Adventures in Wonderland and Through the Looking-Glass.

Link to comment
Share on other sites

473239_detalhe1.jpg

 

Strange Case of Dr Jekyll and Mr Hyde (Robert Louis Stevenson)

Durante a maior parte da novela, o autor investe no clima sombrio e na curiosidade do leitor, o que seria suficiente se causasse mais efeito. O livro é sombrio o tempo todo, até a neblina típica de Londres ajuda, mas falta alguma coisa. Vale mais pelas últimas 20 páginas, quando o tema do livro, que é a dualidade humana, é desenvolvido por meio da angústia de Henry Jekyll. Dá pra sentir o sofrimento de um homem dividido e que destruiu a si mesmo, e até se identificar, já que somos todos contraditórios, o que há de bom e ruim em nós vive em conflito. História gótica, tem a ciência como um elemento essencial, refletindo o desenvolvimento científico do século XIX, sem deixar de ser influenciada pelo sobrenatural. Pena que hoje ninguém mais pode se surpreender com a revelação do mistério.

Link to comment
Share on other sites

O meu é essa edição

 

O Príncipe Sapo é um dos meus contos preferidos. Eu acho engraçado o sapo inconveniente se intrometendo. Ele até

dorme com

a menina. :lol:

Numa das minhas buscas por ilustrações, eu encontrei uma imagem que expressa bem o que eu sinto:

 

25uhbi1.jpg

 

 

Que venha Grandes Esperanças.

 

Acho que meu próximo livro será Oliver Twist. Eu pensei em Little Women, North and South, The Talented Mr. Ripley e The Last Unicorn, mas o de Dickens ganhou, por enquanto... Ainda tenho quase 100 páginas do livro de Júlio Verne.

 

 

De fato, o tempo enfraqueceu bastante esse livro, já que todos conhecem o segredo final, devido a força da obra na cultura pop.

 

Se pelo o clima sinistro da história tivesse mais força (como o que eu senti quando Emily está presa em Udolpho, ou quando Jonathan está no castelo de Drácula), seria melhor... Eu cheguei a me perguntar por que continuar com o livro, se eu já tinha lido e apenas resolvi ler pela primeira vez em inglês, e não estava gostando muito. Mas é bem curto e as últimas 20 páginas compensam.

Link to comment
Share on other sites

capa_volta%20ao%20mundo%20em%2080%20dias,%20a_m.jpg

 

A Volta ao Mundo em 80 Dias (Júlio Verne)

Philias Fogg tem uma atitude tão indiferente, que parece mesmo uma máquina, e é difícil gostar dele, mas, por causa de suas boas ações, eu acabei simpatizando. Passepartout, por ter um comportamento mais caloroso, desperta simpatia com maior facilidade. Desenvolvimento de personagens não tem, mas a história se sustenta bem assim. O foco é na aventura, e o início, quando a viagem ocorre sem problemas, é meio tedioso. Depois os obstáculos aparecem e vai ficando cada vez mais empolgante (conseguiu me deixar ansiosa pra descobrir como Philias Fogg venceria cada nova dificuldade). Livro leve e engraçado para espairecer. Compreendendo o contexto da época, que conheceu uma revolução nos transportes, a leitura fica ainda mais interessante.

 

========================================================================

 

Ontem eu comecei Oliver Twist (Charles Dickens). Surpreendemente, estou adorando.

Link to comment
Share on other sites

O Cemitério - Stephen King.

 

Primeira obra do autor que li. Não achei tudo isso. Talvez seja porque vi o filme, e ele é uma reprodução perfeita do livro, tirando alguns detalhes supérfulos.

Acho que fui um pouco injusto. O conceito da história é muito bom e criativo. A sequência dos eventos flui bem. E para falar a verdade é uma história bem atordoante, mas não muito assustadora em si.

O problema é o desenvolvimento e a escrita. Esperava mais. O estilo é muito ruim; não chega a convencer e a envolver o leitor como deveria numa história de horror. Você sabe o que está acontecendo, mas o modo como ele constrói e amarra a trama não corresponde ao peso, ao horror e ao drama que a narrativa exige.

É como se a idéia fosse boa demais, mas ele não foi capaz de traduzir em palavras convincentes. Ora é muito informal, ora tem piadas que não funcionam (e a gente não sabe porque um narrador "impessoal" faria piadas, ainda mais numa história de terror).

Mas não vou falar só mal não, pois li as 500 páginas num pulo só. Isso é mérito. A história nunca é repetitiva. Uma situação evolui para outra, e assim sucessivamente numa espiral, sem se perder no meio ou insistir no mesmo argumento por muito tempo.

 

O outro livro que tenho interesse é o do palhaço, IT. O filme foi trauma de todas as crianças que conheço, inclusive eu. :D

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

×
×
  • Create New...