Jump to content
Forum Cinema em Cena

Preconceito


Michel M.
 Share

Qual tipo de preconceito você julga ter de forma mais explícita?  

63 members have voted

  1. 1. Qual tipo de preconceito você julga ter de forma mais explícita?

    • Preconceito de raça.
      5
    • Preconceito de classe.
      7
    • Preconceito de religião.
      4
    • Preconceito de sexualidade.
      16
    • Preconceito intelectual
      13
    • Outro tipo(qual?)
      3
    • Não tenho preconceito algum (pense antes de votar nessa)
      8
    • Mais de um dos exemplos citados.
      13


Recommended Posts

 

 

 

 

1) Não que eu ache que vai mudar a resposta' date=' mas eu estava me referindo à hipótese de vc viajar para algum lugar e, NO CAMINHO, parar em um lugar onde a cultura estabelecida prega que matar não é errado. Não se trata de algo que você aceitou assumir o risco, aconteceu, simples assim.

 

 

 

2) No mais, sei lá... tenho pra mim que tudo o que vc falou é muito lindo e fácil de lidar na teoria... Agora a prática, quando a água efetivamente bate em nossos traseiros, a coisa muda um pouco de figura. [/quote']

 

1) Dá na mesma, não muda em absolutamente nada.

 

2) Não é fácil também ver seu filho morto por assassinos. Isso não te dá o direito de ir lá e matá-los praticando um banho de sangue.  E, embora grande parte de população apoiaria esse pai, efetivamente a moral estabelecida no acordo social nega esse direito. E se ele fizer será punido.

Normas sociais são acordos imersos em um misto de racionalidade e sentimento SOCIAL, aquele que deixa de ver um indivíduo e vê o todo, o que parece mais benéfico para o geral, considerando características particulares daquele povo.

 

 

Mr. Scofield2012-01-20 19:48:10

Link to comment
Share on other sites

Eu também já vi justificativa para pedofilia na net (facebook para ser mais exato) e a explicação tem por base justamente a conduta homossexual que agora todo mundo acha "certo"... 

 

 

 

 

 

 

A pedofilia envolve diretamente e fisicamente outras pessoas além da que deseja ser!

 

 

 

Tem um antropólogo americano que alega que não existe pedofilia e que as crianças já nascem com o prazer de fazer sexo' date=' e muito mais com seus pais.

 

 

 

Eu não li o artigo desse cidadão, só li alguns pontos e o título.

 

 

 

Então não há solução, não há justiça neste caso uma vez que uma placa "cuidado, praia com tubarões" não é uma reparação justa.

 

 

 

Pois é, entendo.

 

 

 

 

No mais' date=' sei lá... tenho pra mim que tudo o que vc falou é muito lindo e fácil de lidar na teoria... Agora a prática, quando a água efetivamente bate em nossos traseiros, a coisa muda um pouco de figura. [/quote']

 

 

 

De fato, mas isso só ocorrerá se eu estiver no combate, e assim podendo me defender, ai vem o direito de defesa.

 

 

 

Se isso ocorrer com meus filhos, ou qualquer pessoa querida, eu certamente eu ficarei muito puto, mas terei tempo pra refletir a questão, diferentemente de estar lá no calor da situação.

 

 

 

E sim, há essa possibilidade, uma vez que em guerras de famílias, onde um mata o filho do outro como retalhação, há muitos filhos que optam por não matar o filho do homem que matou seu pai justamente para terminar com esse ciclo. O sentimento vem mas não indiferente, ou separado, da razão.Gustavo Adler2012-01-20 19:52:32

Link to comment
Share on other sites

 

Aliás, é por isso que é muito difícil abordar a questão no âmbito pessoal. As leis, a moral, o comportamento desejado, o Estado e tudo o mais são balizados no conjunto de indivíduos e não em indivíduos isolados. Obviamente, entretanto, como essas regras são concebidas e realizadas por homens, estão sujeitas a inúmeras falhas.

 

Naturalmente é um CONSENSO, um ACORDO, que as questões devem ser avaliadas por esse prisma (o da coletividade), ou haverá meios de punição institucionalizados e legitimados para intervir.

 

Note que se ao mesmo pai fosse concedido o direito de matar os assassinos, haveria um precedente catastrófico e que poderia levar a uma ilegitimidade em várias outras situações para a mesma sociedade.

 

Exemplo de uma aberração: suponhamos que um cara quer que outro morra para ficar com algum dinheiro deixado por ele.  O primeiro cria um cenário falso na qual o segundo assassina seu filho, aproveita-se de falhas na justiça para incriminá-lo e ainda adquire o direito legal de matar o cara e ficar com o dinheiro. Viraria uma bagunça. 06

 

Mr. Scofield2012-01-20 20:00:07

Link to comment
Share on other sites

Dook.

 

Não sugeri nada a você.

 

 

 

Disse que naquela hipótese, você teria uma atitude preconceituosa.

 

 

 

Você tá batendo nisso até virar verdade.

 

No mais essa justificativa que eu sou um preconceituoso por que não lido com discordância é a coisa mais sem sentido que eu já li.

 

 

 

Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Discordar de uma atitude por achá-la preconceituosa, não é ser preconceituoso né...peloamor..

 

 

Link to comment
Share on other sites

 

 

 

De fato' date=' mas isso só ocorrerá se eu estiver no combate, e assim podendo me defender, ai vem o direito de defesa.

[/quote']

 

Sim, mas que direito de defesa você terá se a moral é subjetiva e, aos olhos daqueles que mataram sua família, eles não fizeram nada de errado?

 

 

 

E sim' date=' há essa possibilidade, uma vez que em guerras de famílias, onde um mata o filho do outro como retalhação, há muitos filhos que optam por não matar o filho do homem que matou seu pai justamente para terminar com esse ciclo. O sentimento vem mas não indiferente, ou separado, da razão.[/quote']

 

Sim, mas na minha hipótese, eu nem cogito a retribuição olho por olho, mas uma punição para o assassino que mostre a ele que matar é errado.

 

 

Link to comment
Share on other sites

 

Sim' date=' mas que direito de defesa você terá se a moral é subjetiva e, aos olhos daqueles que mataram sua família, eles não fizeram nada de errado?[/quote']

 

 

 

Pois é, mas aos olhos deles é certo matar, aos meus não, portanto, eu não posso ser condenado por algo que em minha moral não for culpado, logo tenho o direito de defesa...

 

 

 

Tipo, se eu fosse um indivíduo daquela cultura, daquele povo, certamente meu direito de auto-defesa reduziria ao reflexo impulsivo de se defender frente a um ataque, uma vez que a crença daquela cultura eu entendo e estou sobre sua lei.

 

 

 

Já para uma pessoa que vem de outra cultura, isso não se aplica, uma vez que essa pessoa não esta sob as leis dessa cultura e sim sobre as leis de outra, logo ele pode sim se defender.

 

 

 

E antes de tudo isso, não há como impedir alguém de tentar se defender, pode-se fazer com que a tentativa seja inútil, mas certamente a pessoa tentará lutar e se tiver a chance matará para escapar.

 

 

 

 

 

Sim' date=' mas na minha hipótese, eu nem cogito a retribuição olho por olho, mas uma punição para o assassino que mostre a ele que matar é errado.

 

[/quote']

 

 

 

Mas não entendi uma coisa, a retribuição pode ser pós acontecimento, tipo alguém que sobreviveu e conseguiu escapar, ou algum familiar, que tenta convencer seu povo a dar uma lição na população daquela cultura com o intuito de faze-los provar que o ato é indesejável?

 

 

 

Eu sinceramente, não vejo solução ética, vejo solução fácil.

Link to comment
Share on other sites

 

 

 

Pois é' date=' mas aos olhos deles é certo matar, aos meus não, portanto, eu não posso ser condenado por algo que em minha moral não for culpado, logo tenho o direito de defesa...

[/quote']

 

Não entendi... a quem vc se refere? À vítima (ou sua família) ou ao assassino?

 

 

Tipo' date=' se eu fosse um indivíduo daquela cultura, daquele povo, certamente meu direito de auto-defesa reduziria ao reflexo impulsivo de se defender frente a um ataque, uma vez que a crença daquela cultura eu entendo e estou sobre sua lei. Já para uma pessoa que vem de outra cultura, isso não se aplica, uma vez

que essa pessoa não esta sob as leis dessa cultura e sim sobre as leis

de outra, logo ele pode sim se defender.

 

 

E antes de tudo isso, não há como impedir alguém de tentar se

defender, pode-se fazer com que a tentativa seja inútil, mas certamente a

pessoa tentará lutar e se tiver a chance matará para escapar.

[/quote']

 

??????? Continuo sem entender...  De novo: estou falando da hipótese de você com sua família viajar para um lugar X e calhar de, durante a viagem, pararem em lugar Y onde a cultura prega que não é errado matar, que matar o outro é "diversão". Aí, pegam a sua família e exterminam ela. O que você, único sobrevivente faz? Você os mata? Você busca meios dentro da Justiça para punir os assassinos? Vai deixar quieto, uma vez que vc não pode se queixar do que fizeram à sua família uma vez que a morte dela, aos olhos daquele povo, não é errado?

 

Link to comment
Share on other sites

 

 

Pois é' date=' mas aos olhos deles é certo matar, aos meus não, portanto, eu não posso ser condenado por algo que em minha moral não for culpado, logo tenho o direito de defesa...

 

[/quote']Não entendi... a quem vc se refere? À vítima (ou sua família) ou ao assassino?

 

Tipo' date=' se eu fosse um indivíduo daquela cultura, daquele povo, certamente meu direito de auto-defesa reduziria ao reflexo impulsivo de se defender frente a um ataque, uma vez que a crença daquela cultura eu entendo e estou sobre sua lei. Já para uma pessoa que vem de outra cultura, isso não se aplica, uma vez

 

que essa pessoa não esta sob as leis dessa cultura e sim sobre as leis

 

de outra, logo ele pode sim se defender.E antes de tudo isso, não há como impedir alguém de tentar se

 

defender, pode-se fazer com que a tentativa seja inútil, mas certamente a

 

pessoa tentará lutar e se tiver a chance matará para escapar.

 

[/quote']??????? Continuo sem entender...  De novo: estou falando da hipótese de você com sua família viajar para um lugar X e calhar de, durante a viagem, pararem em lugar Y onde a cultura prega que não é errado matar, que matar o outro é "diversão". Aí, pegam a sua família e exterminam ela. O que você, único sobrevivente faz? Você os mata? Você busca meios dentro da Justiça para punir os assassinos? Vai deixar quieto, uma vez que vc não pode se queixar do que fizeram à sua família uma vez que a morte dela, aos olhos daquele povo, não é errado?

 

 

 

aah entendi!

 

 

 

Bem, se na hora da briga eu poder me defender e conseguir mata-los, isso não é um crime, uma vez que eu não pertenço a cultura que acha que matar é correto, logo isso me dá direito de me defender, e mesmo porque a alto defesa é impossível de se proibir.

 

 

 

Agora, se eu escapo e fujo, acho que o mais ético é deixar queto. Assim como minha família poderia morrer devorada por um tubarão quando agente estava nadando (vamos supor que na ocasião, antes de chegar na ilha o avião caiu no mar, e fomos nadando até a ilha), ou poderia morrer por um parasita, ou por um animal local...

 

 

 

Não estou comparando os humanos com os animais, mas estou comparando os imponderáveis, aquilo que foge a minha alçada, comparando situações em que não há justiça, no caso dos animais porque não existe questões sobre justiça, e no caso do povo de outra cultura, porque o que justo para nós não o é para eles, logo não há como cobrar deles a mesma postura que a nossa.

 

 

Link to comment
Share on other sites

  • 2 months later...

 

A comparação é apropriada' date=' é que muito provavelmente você não entendeu. Eu, na comparação, me referi a um estado de comportamento.

 

 

 

Como você mesmo falou, ninguém nasce homossexual, a pessoa se torna homossexual. Assim como uma pessoa pode tornar-se ladrão.

 

[/quote']

 

 

 

Entendi claramente o que você quis dizer, só não acho que havia a mínima necessidade de dizer nesses termos. Independentemente da sua intenção, dá a entender uma coisa negativa. Podia ter dito ninguém nasce advogado ou ninguém nasce bailarino.

 

 

 

Não adianta, Flower. Eles vão morrer negando as evidências e dizendo que não são promíscuos, que a promiscuidade pode acontecer tanto em homossexuais quanto em gente normal (o que é verdade), e vão usar todas as falácias e jogos de palavras que puderem para distorcerem o óbvio, que transam com grande freqüência e com uma quantidade muito maior de "parceiros", em qualquer lugar e com qualquer um, sem controle e sem qualquer freio, e que a porcentagem de pessoas portadoras de homossexualismo que faz isso é muito maior do que a de não-portadores.

 

 

 

Vejam que não se trata de preconceito, não tenho nada contra esses pobres-coitados, muito pelo contrário, por mim esse mal nem existiria... tenho muita pena dessas pessoas que vivem em guetos, sujeitas a todos os tipos de doenças, violências, etc..

Link to comment
Share on other sites

Não adianta' date=' Flower. Eles vão morrer negando as evidências e dizendo que não são promíscuos, que a promiscuidade pode acontecer tanto em homossexuais quanto em gente normal (o que é verdade), e vão usar todas as falácias e jogos de palavras que puderem para distorcerem o óbvio, que transam com grande freqüência e com uma quantidade muito maior de "parceiros", em qualquer lugar e com qualquer um, sem controle e sem qualquer freio, e que a porcentagem de pessoas portadoras de homossexualismo que faz isso é muito maior do que a de não-portadores.

Vejam que não se trata de preconceito, não tenho nada contra esses pobres-coitados, muito pelo contrário, por mim esse mal nem existiria... tenho muita pena dessas pessoas que vivem em guetos, sujeitas a todos os tipos de doenças, violências, etc..[/quote']

 

Uia! Pessoas portadoras de homossexualismo? Quer dizer que o sujeito pega uma espécie de vírus e fica com vontade de abrir a porta dos fundos? Deviam divulgar isso, fiquei com medo... se eu transar com uma lésbisca corro risco? 

 

Post genial, HClementte, genial!
Lucas2012-04-13 18:58:49
Link to comment
Share on other sites

Não adianta' date=' Flower. Eles vão morrer negando as evidências e dizendo que não são promíscuos, que a promiscuidade pode acontecer tanto em homossexuais quanto em gente normal (o que é verdade), e vão usar todas as falácias e jogos de palavras que puderem para distorcerem o óbvio, que transam com grande freqüência e com uma quantidade muito maior de "parceiros", em qualquer lugar e com qualquer um, sem controle e sem qualquer freio, e que a porcentagem de pessoas portadoras de homossexualismo que faz isso é muito maior do que a de não-portadores. Vejam que não se trata de preconceito, não tenho nada contra esses pobres-coitados, muito pelo contrário, por mim esse mal nem existiria... tenho muita pena dessas pessoas que vivem em guetos, sujeitas a todos os tipos de doenças, violências, etc..[/quote']

 

 

 

Uia! Pessoas portadoras de homossexualismo? Quer dizer que o sujeito pega uma espécie de vírus e fica com vontade de abrir a porta dos fundos? Deviam divulgar isso, fiquei com medo... se eu transar com uma lésbisca corro risco? 

 

 

 

Post genial, HClementte, genial!

 

 

 

Se usar camisinha, não tem risco nenhum, vai fundo! yippie.gif

Link to comment
Share on other sites

<P style="MARGIN: 0cm 0cm 0pt" =Msonormal><SPAN style="FONT-FAMILY: Verdana; FONT-SIZE: 9pt">Opção sexual não é contagiosa' date=' mas estupidez sim. [img']http://www3.cinemaemcena.com.br/forum/smileys/thumb.gif" height="18" width="25" align="absmiddle" alt="thumb" /><?:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" /><o:p></o:p></SPAN>

 

 

 

Legal... você pegou de quem?

Link to comment
Share on other sites

<P style="MARGIN: 0cm 0cm 0pt" ="Msonormal"><SPAN style="FONT-FAMILY: Verdana; FONT-SIZE: 9pt">Cuidando <SPAN style="FONT-FAMILY: Verdana; COLOR: black; FONT-SIZE: 9pt; mso-fareast-font-family: 'Times New Roman'; mso-bidi-font-family: 'Times New Roman'; mso-ansi-: EN; mso-fareast-: PT-BR; mso-bidi-: AR-SA" lang=EN>Hclementte</SPAN>! Me respondendo toda hora aqui no Geral com suas trollagens' date=' você vai ficar igual a mim ou pior. Vai deixar inclusive de ser homofobico.[img']http://www3.cinemaemcena.com.br/forum/smileys/06.gif" height="17" width="17" align="absmiddle" alt="06" /><?:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" /><O:P></O:P></SPAN>

 

 

 

Já vai ter tido alguma utilidade, então! 16.gif

Link to comment
Share on other sites

  • 4 weeks later...

 

 

E se tem... Um exemplo "recente" foi à intolerância praticada

pelo Datena.

 

O escroto do Datena que fez isto e ficou infelizmente

impune. Ele deveria ser tirado do ar em minha opinião e preso por lei. Mas deixaram

o aspirante de Hitler com seu jeito intolerante lá para pregar o ódio.

 

http://www.youtube.com/watch?v=0NM2cMx58S0&feature=related

 

 

 

 

 

Plutão Orco2012-05-15 23:53:50

Link to comment
Share on other sites

 

 

Mas entra como crime de ódio. Ele incitou que ateus são

criminosos. Imagine isto para qualquer grupo de pessoas. É extremante perigoso

e irresponsável como comunicador e para emissora. E se idiotas cairem na onda é capaz de gerar violência

e até morte por ai. A ação dele foi criminosa neste ponto. Imagine o inverso. “Religiosos

são criminosos”. Pela lógica torta de alguns deve se combater criminosos. Vai

ter gente ai querendo até linchamento.

 

 

 

 

Plutão Orco2012-05-17 03:26:06

Link to comment
Share on other sites

 

 

Mas entra como crime de ódio. Ele incitou que ateus são

criminosos. Imagine isto para qualquer grupo de pessoas. É extremante perigoso

e irresponsável como comunicador e para emissora. E se idiotas cairem na onda é capaz de gerar violência

e até morte por ai. A ação dele foi criminosa neste ponto. Imagine o inverso. “Religiosos

são criminosos”. Pela lógica torta de alguns deve se combater criminosos. Vai

ter gente ai querendo até linchamento.

 

 

 

 

Estive olhando a Lei 9459 e ela diz assim:

 

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço 

saber  que o Congresso Nacional decreta e eu

sanciono a seguinte Lei:

 

Art. 1º Os arts. 1º e 20 da Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989, passam a vigorar com a

seguinte redação:

"Art. 1º Serão punidos, na forma desta

Lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia,

religião ou procedência nacional."

 

"Art. 20. Praticar, induzir ou incitar a

discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.

Pena: reclusão de um a três anos e multa.

Onde se encaixaria o crime de ódio aqui?

Link to comment
Share on other sites

 

 

Olha ai o que é crime de ódio:

Os crimes de ódio (do inglês hate crime), também chamados de crimes motivados pelo preconceito, são crimes cometidos quando o criminoso seleciona intencionalmente a sua vítima em função de esta pertencer a um certo grupo.

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Crime_de_%C3%B3dio

 

 

Olha aqui aplicação da lei:

 

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L2889.htm

 

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L7716.htm

 

LEI Nº 7.716, DE 5 DE JANEIRO DE 1989.

 

Art.

20. Praticar, induzir ou incitar a discriminação

ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional. (Redação dada pela

Lei nº 9.459, de 15/05/97)

 

       

Pena: reclusão de um a três anos e

multa.

 

       

§ 1º Fabricar, comercializar, distribuir ou veicular símbolos, emblemas,

ornamentos, distintivos ou propaganda que utilizem a cruz suástica ou gamada,

para fins de divulgação do nazismo. (Redação dada pela

Lei nº 9.459, de 15/05/97)

 

       

Pena: reclusão de dois a cinco anos e multa.

 

       

§ 2º Se qualquer dos crimes previstos no

caput é cometido por intermédio dos meios de

comunicação social ou publicação de qualquer natureza: (Redação dada pela

Lei nº 9.459, de 15/05/97)

 

       

Pena: reclusão de dois a cinco anos e multa.

 

       

§ 3º No caso do parágrafo anterior, o juiz poderá

determinar, ouvido o Ministério Público ou a pedido deste, ainda antes do

inquérito policial, sob pena de desobediência: (Redação dada pela

Lei nº 9.459, de 15/05/97)    

 

       

I - o recolhimento imediato ou a busca e apreensão dos exemplares do material

respectivo;

 

       

II - a cessação das respectivas

transmissões radiofônicas ou televisivas.

 

        III

- a interdição das respectivas mensagens

ou páginas de informação na rede mundial de computadores. (Incluído

pela Lei nº 12.288, de 2010)

 

       

§ 4º Na hipótese do § 2º, constitui efeito da condenação, após o trânsito em

julgado da decisão, a destruição do material apreendido. (Parágrafo incluído

pela Lei nº 9.459, de 15/05/97)

 

       

Art. 21. Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação. (Renumerado pela Lei

nº 8.081, de 21.9.1990)

 

       

Art. 22. Revogam-se as disposições em contrário. (Renumerado pela Lei

nº 8.081, de 21.9.1990)

 

       

Brasília, 5 de janeiro de 1989; 168º da Independência e 101º da República.

 

JOSÉ SARNEY

 

Paulo Brossard

 

Este

texto não substitui o publicado no D.O.U de 6.1.1989 e retificada em 9.1.1989

 

 

Plutão Orco2012-05-17 03:24:44

Link to comment
Share on other sites

 

Eu até marquei a parte discriminação ou preconceito

encerra em si. Se refere a qualquer tipo. Incluindo a grupo específico.

Tanto que a senhora Mayara sofreu punição contra seu comentário discriminatório

na internet. E ai não mostra nordestino ou regionalismo também? Contudo está

evidente e clara na lei praticar, induzir ou incitar a discriminação

ou preconceito. Logo após vem às especificações de alguns dos preconceitos.

 

Aproveitando olha ai:

 

 

Justiça condena estudante de Direito acusada de discriminação

 

 

A Justiça Federal de São Paulo condenou por crime de discriminação a

estudante de Direito que postou, em 2010, mensagem preconceituosa e de

incitação à violência contra nordestinos no Twitter. Mayara Petruso foi

condenada a 1 anos, 5 meses e 15 dias de reclusão. A pena foi convertida

em prestação de serviço comunitário e pagamento de multa.

 

Logo após à divulgação do resultado das eleições presidenciais, Mayara

responsabilizou o povo do Nordeste pela vitória de Dilma Rousseff (PT).

"Nordestino não é gente. Faça um favor a SP: mate um nordestino

afogado!", escreveu a estudante no microblog.

 

A universitária confessou ter publicado a mensagem e alegou ter sido

motivada pelo resultado das eleições. Ela disse à Justiça que não tinha a

intenção de ofender, que não é pessoa preconceituosa e não esperava que

a postagem tivesse tanta repercussão. Ela afirmou ainda estar

envergonhada e arrependida pelo que fez.

 

Para a juíza federal Mônica Aparecida Bonavina Camargo, da 9ª Vara

Federal Criminal em São Paulo, Mayara, independentemente de ser ou não

preconceituosa, acabou gerando inúmeros comentários com conteúdo

agressivo e preconceituoso na internet. A sentença foi divulgada nesta

quarta-feira pela Justiça Federal.

 

"A Constituição proíbe tais condutas a fim de que o preconceito - fato

social - seja um dia passado e deixe de existir [...]. É importante que a

sociedade seja conscientizada quanto à neutralidade que as questões de

diferenças entre as pessoas devem envolver, não sendo a origem, a

religião, o gênero, a cor de pele, a condição física, a idade etc.

motivo para atitudes agressivas", diz a sentença.

 

Na época, a jovem cursava o primeiro ano de Direito e estagiava em

escritório de advocacia. Após a repercussão do fato, perdeu o emprego,

abandonou a faculdade e mudou de cidade com medo de represálias.

 

 

Fonte.:http://primeiraedicao.com.br/noticia/2012/05/17/justica-condena-estudante-de-direito-acusada-de-discriminacao

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

×
×
  • Create New...