Jump to content
Forum Cinema em Cena

Dever vs. Prazer


King Edward
 Share

O que é mais importante?  

4 members have voted

  1. 1. O que é mais importante?

    • Fazer o que se deve fazer
      1
    • Fazer o que se quer fazer
      5


Recommended Posts

Olá CeC.

 

Estou começando a desenvolver minha próxima história. Não vou contar com detalhes, pois ainda nem está pronta por completo. Baseado na minha idéia original, fiz essa enquete para saber o que as pessoas acham a respeito do dever, do trabalho para ser mais específico. O que é mais importante para você? Dedicar-se ao trabalho cotidiano e ao seu dever dentro do meio, ou preocupar-se apenas em fazer aquilo que se quer, aquilo que lhe dá prazer? Atento para que tenham uma escolha prática ao invés de teórica. Na sua vida cotidiana, vocês largam o "trampo" para beber com os amigos, ou largam os amigos para comprir o seu papel no "trampo"?
Link to comment
Share on other sites

 Concordo com o Xico.

 

 Sei lá,  se a gente não curte o que faz, é melhor ter a coragem de trocar de profissão pq além de ser um péssimo profissional, tu passará 8 horas por dia pelos próximos 30, 35 anos da sua vida... afff!

 

 Acho que dá p/ conciliar. Não é possível que ao cmuprir seu dever vc não sinta pelo menos um décimo de prazer.

 

 
Link to comment
Share on other sites

Evidente que o ideal seria trabalhar naquilo que se gosta e em alguma atividade profissional que possa trazer, além de ganhos financeiros, prazer e satisfação. Mas isto nem sempre é possível. Todavia, é possivel tornar o ambiente de trabalho um lugar agradável para você e seus colegas de ofício.

Não existem fórmulas mágicas para tornar o ambiente de trabalho um lugar apracível. Mas fazer sua tarefa de acordo com as necessidades da sua empresa e ter sempre uma atitude conciliadora, harmoniosa e de respeito com os seus colegas ajudam bastante. Não sendo possível atuar naquilo que se gosta (que seria o ideal de vida) o importante é dar valor ao trabalho que se tem e saber dar valor ao tempo despreendido nesta tarafa. Afinal de contas, são oito horas de trabalho por dia! E ficar só de olho no "relógio ponto" é, antes de mais nada, um desperdício e pura falta de criatividade em saber tirar proveito do seu tempo. Até porque, trabalhar é preciso então que se faça alguma coisa para tornar este labor o mais agradável possível. Será bom para você e para seus colegas.

 

Mas respondendo a pergunta propriamente formulada eu diria que em primeiro lugar vem o dever e depois o prazer. Se for possível praticar o dever com prazer ótimo! Caso contrário que se possa executar o dever da melhor forma possível para que o prazer possa ter o valor que ele merece.

 
Link to comment
Share on other sites

Olá CeC.

 

Estou começando a desenvolver minha próxima história. Não vou contar com detalhes' date=' pois ainda nem está pronta por completo. Baseado na minha idéia original, fiz essa enquete para saber o que as pessoas acham a respeito do dever, do trabalho para ser mais específico. O que é mais importante para você? Dedicar-se ao trabalho cotidiano e ao seu dever dentro do meio, ou preocupar-se apenas em fazer aquilo que se quer, aquilo que lhe dá prazer? Atento para que tenham uma escolha prática ao invés de teórica. Na sua vida cotidiana, vocês largam o "trampo" para beber com os amigos, ou largam os amigos para comprir o seu papel no "trampo"?
[/quote']

 

Acho que nem todo o trabalho seja desagradável, você pode trabalhar naquilo que gosta ou seja faz seu dever com prazer. No entanto, é como a minha irmã diz, se trabalho não fosse bom ninguém seria pago par executar.

<?:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

 

Minha prioridade é o prazer ultimamente, desde que não seja à custa de terceiros. Se minha priori não fosse o prazer, eu não teria porque fazer deveres desagradáveis, para garantir este meu prazer. Ou mais ou menos isto.  Aqui caberia uma pergunta igual, porém de valores próprios. O que é mais importante o seu dever para a sua família, ou para o estado? O primeiro é de valor próprio, o outro é de valor mais amplo. Para apimentar um pouco mais, se você na condição de representante do estado é encarregado de punir um responsável contra crimes do estado. Você vai punir inegavelmente esta pessoa indiscriminadamente ou não?

 

Na minha opinião, o que fala mais alto é natureza das coisas, você não pode criar regras para conter sua dor de barriga, sua vontade de fazer necessidades fisiológicas, sua vontade de comer, sua necessidade de dormir, sua necessidade de copular ou a sua vontade de auto proteção. Seu prazer não pode ser contido, por mais que o estado, patrão, lei ou deus queira ou ensina. Você tem pensamentos próprios e vontades próprias, não pode deixar de ser lesado constantemente em prol de algo até em determinados pontos focado em traços de autoritarismo em detrimento de sua liberdade.

 

Carpe Diem sempre! A vida não é só preto no branco ou branco no preto. 03

 

Carpe diem

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Carpe Diem (em Latim) significa " colha o dia " ou " aproveita o momento ".

Essa regra de vida pode ser encontrada em "Odes" (I, 11.8) do poeta romano Horácio (65 - 8 AC), onde se lê:

Carpe diem quam minimum credula postero 

(colha o dia, confia o mínimo no amanhã)

É também utilizado como uma expressão para solicitar que se evite gastar o tempo com coisas inúteis ou como uma justificativa para o prazer imediato, sem medo do futuro.

Esta idéia foi popular na poesia inglesa nos séculos XVI e XVII, por exemplo, no livro de Robert Herrick, "To the Virgins", na poesia "to Make Much of Time" (para aproveitar o tempo ao máximo), que começa "Gather ye rosebuds while ye may" (Colha seus botões de rosa enquanto podes). Também interessantes são os versos atribuídos a um poeta chinês, da dinastia Tang, conhecedor de provérbios bastante parecidos com o que escreveu Herrick:

花開堪折直須折,莫待無花空折枝。

(colha a flor quando florescer; não espere até não haver mais flores, só galhos a serem quebrados.)

[editar] Curiosidades

O professor, personagem de Robin Williams no filme "A Sociedade dos Poetas Mortos", utiliza-a assim:

"Mas se você escutar bem de perto, você pode ouvi-los sussurar o seu legado. Vá em frente, abaixe-se. Escute, está ouvindo? - Carpe - ouve? - Carpe, carpe diem, colham o dia garotos, tornem extraordinárias as suas vidas."

A banda Metallica, no seu lançamento de 1997, "Reload", apresentou uma música "Carpe Diem Baby", que encoraja o ouvinte a "espremer e chupar o dia" (come squeeze and suck the day / Come Carpe Diem Baby).

A banda Dream Theater, em seu EP A Change of Seasons, presta uma homenagem à filosofia do Carpe Diem com sua música-título do disco, de 23:06 minutos, incluindo na letra trechos de falas do filme Sociedade dos Poetas Mortos.

A banda japonesa Yellow Generation possui um CD chamado Carpe Diem,onde a música chamada "Carpe Diem~Ima,kono Shuukan wo ikiru~" (Carpe Diem~Agora,vamos viver este momento~).No começo do refrão,a frase usada é To the Virgins, to Make Much of Time 命短し恋せよ乙女 (To the Virgins,to Make much of time,Inochi mijikashi,koiseyo otome, Para as virgens,para aproveitarem o tempo,a vida é curta,portanto,se apaixonem,garotas)


Em suma, o "espírito" da frase pode ser entendido como aproveitar as oportunidades que a vida lhe oferece no momento em que elas se apresentam ou ainda "aproveitar a vida e não ficar apenas pensando no futuro".

Plutão Orco2007-04-23 14:55:44
Link to comment
Share on other sites

Nem 8 nem 80... Sou PAGO para exercer o meu trabalho e apresentar resultados. Se não trabalho' date=' não sou pago, se não sou pago, não tenho como sair para beber com amigos.

 

Bottom line: dever primeiro, prazer em segundo.
[/quote']

 

Acho que se você não pudesse exercer seu prazer, você não se preocuparia tanto com o seu dever. Entende?05

Plutão Orco2007-04-23 15:02:00
Link to comment
Share on other sites

É um dos nossos grandes dilemas ...

 

Sempre que alguém me pergunta o que eu gostaria de fazer, digo que certamente seria seguir algo relacionado a cinema. Eu gosto de tudo aquilo que cerca a 7ª arte, mas tenho uma certa queda para atuação e até mesmo roteiro.

 

Sou formado em Administração, faço pós nessa área e trabalho na área de Recursos Humanos, porém sinto prazer naquilo que eu faço. Talvez um prazer "menor", mas mesmo assim não deixa de ser algo que eu goste e/ou me dê prazer ... fazer cinema não é das coisas mais acessíveis/rentáveis para se fazer no Brasil.

 

E é bem como o pessoal comentou ... é com o seu trabalho que vc sustenta o seu prazer ... eu me lembro que uma das épocas mais difíceis foi no período que eu fiquei sem emprego e não pude desfrutar de ir no cinema e/ou alugar um filme, entre outras coisas ...

 

Aquilo que vc encara como dever é massante por si só, mas há prazeres que vc pode descobrir fazendo algo que não necessariamente seja aquilo que vc MAIS queria fazer na vida.
Link to comment
Share on other sites

 Eu me sentiria meio culpada em  deixar de estudar algo seguro, que me rendesse uma profissão que gerasse emprego rapidinho, mas que gostasse menos a estudar algo que gostasse, mas que teria pouca demanda. 

 Mas admiro quem banque isso.

 A irmã de kika fez música. Todos sabem como é dificil viver de música no Brasil.

 Ela leva uma vida bem dura, sem salário fixo no fim do mês, mas afff! tá sempre com um sorriso no rosto!

 

 Ela é talentossíssima! 1010
Link to comment
Share on other sites

Vou dizer uma coisa bem óbvia... mas não me importo. (e desculpem o meu jeito de falar meio desleixado rs)

 

O legal mesmo é quando se unem as duas coisas: dever e lazer. E isso é mais raro do que se imagina.

 

No meu caso, posso dizer que amo o que faço, tanto o que faço como dever, quanto o que faço no lazer: arte+técnica.

As coisas até se confundem às vezes na verdade. Muitas vezes eu me pego pensando: "ah, quando eu tiver um tempinho livre vou fazer coisa tal" --> e essa coisa tal muitas vezes tem relação com arquitetura.

 

Mas a grande verdade é que o que se faz só como dever, e não há nem uma pontinha de prazer, é extremamente improdutivo e chega até a diminuir o tempo e a oportunidde de lazer. (e até os ganhos)

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

 Isso de descobrir uma maneira de fazer seu trabalho prazeroso é meio doido.

 Minha amiga trabalha numa penitenciária. Ela é religiosa e daí é do tipo que vive tentando converter todo mundo... afff!

 

Sei lá se é legal isso, mas sempre esfrega alguma citação bíblica na cara de maridos que batem em mulheres e vive distribuindo bíblias p/ os detentos.

 

 Sei lá, não que ela curta trabalhar lá, mas ela viu uma oportunidade de unir o útil ao "agradável" (necessário).

 
Link to comment
Share on other sites

Bom dia. Amigos e Amigas!

 

 

 

Estranho, para mim primeiro vem o querer e depois o dever, é simples, se vc não quer, dificilmente vai conseguir fazer o que deve, colocar o dever acima do querer é um erro que muitos profissionais cometem, eles acabam não produzindo o que podem, então, para eu produzir o meu melhor e mais um pouco, eu faço de maneira prazerosa, com vontade, tendo fazer do meu dever um prazer.

 

 

 

T+!

 

 

Link to comment
Share on other sites

 Mas pode ser que a sua motivação em cumprir seu dever seja o que te impulsiona.

 Tipo assim,  faço o que preciso pq isso me dará recursos p/ fazer o que gosto.

 

 Tipo, trabalhar em algo que não curta, mas que seja bem remunerado e torrar a grana se divertindo... afff! 05
Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

Announcements

×
×
  • Create New...