Jump to content
Forum Cinema em Cena

Na Natureza Selvagem (Into the Wild)


-felipe-
 Share

Recommended Posts

  • Replies 105
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic


4' date='5/10

1- Medíocre, muito medíocre. 2- Típico filme realizado pra te levar as lágrimas a qualquer segundo, incluindo personagens apenas com este propósito.
 
3- Emile Hirsch é carismático, mas tão limitado ao retratar a insanidade mental de seu protagonista. Tenha dó "um dos melhores de sua geração"? Chegamos tanto ao fundo do poço a ponto do carinha de Show de Vizinha ser tão fodinha (sim, com riminha)?
 
Imagens belas, mas sem fundo emocional. 4- Tudo ali é bem mastigadinho, vc deve sentir alegria aqui, tristeza acolá, errrr... não vale a pena. Entre na sessão ao lado e veja Senhores do Crime.
 
P.S.: Penn, eu lhe imploro, volte para frente das câmeras. Porque atrás tu só faz merda.
[/quote']

ótima sua crítica sobre jesse james bernardo, mas essa aqui, putz! ai, ai 06

1- já falei sobre isso num outro post, mas voltando, pq medíocre? se vc me disser um filme q seja 50% parecido com esse, ai sim eu digo q esse filme é medíocre 03

2- tb já falei sobre isso no outro post, enfim, levar o espectador às lagrimas a qualquer segundo? is that serious? as únicas partes q leva pra esse lado e lá pelo final, no sincero e tocante encontro entre hirsh e holbrook, e o final claro, fora isso, sua sensibilidade deve estar muito em alta pra vc estar falando isso 06

3- e pq? eu justamente acho o contrário, ele soube muito bem construir sua insanidade mental, a partir do momento em q ele estava passando vários meses sem contato com pessoa alguma, numa terra de ninguém no meio do alasca, e aliado a isso, a falta de comida q estava aumentando cada vez mais, por conta do despreparo dele frente a uma situação completamente inóspita como aquela, e outra, diferentemente de jesse james onde a carga dramática dos personagens vai crescendo no decorrer do filme, por conta da linearidade na edição, into the wild é diferente, são mostrados os momentos desde sua chegada ao alasca contrastando com todo o início de sua viagem desde o término de sua formatura, até a realização de seu sonho de chegar onde queria, quer dizer, se a pessoa não compreende a montagem do filme, não há como ela entender os diferentes estágios psicológicos em q o personagem trafega, será q não foi isso q fez vc achar diluído o "abrupto" período de insanidade de chris? ... e sobre a diferença de montagem nos 2 filmes citados, eu acho q são geniais naquilo q propõe, sem mais! 16

4- como assim, tudo é mastigado ali? pq? não entendi, sinceramente

Ele realmente tbm me provocou esse sentimento (até comentei no meu blog que um dos poucos méritos deste filme é justificar porque o Chris continuou com essa viagem' date=' graças as paisagens belíssimas que conseguem transmitir o sentimento de liberdade que ele sentia). As locações são estonteantes - embora o Penn utilize slow motion e câmeras na mão com freqüência e de maneira deselegante (a câmera na água enquanto os personagens brincam na praia é péssima, bem como o slow motion que vem a seguir).
 
Pena que só fica nisso.
[/quote']

a dos pássaros voando juntos com a visão do pôr-do-sol ao fundo, vc achou péssima? 17 eu já acho q ficou lindíssima junto com o tom meio poético da narração em off ... é bernardo, acho q vc não gosta de slow motion de jeito nenhum! 06 mesmo sendo tão pouco usado como o jeffs falou ... então vc deve detestar os filmes do john woo, ele usa e abusa dessa técnica

Slow motion é pouco usado - tirando a cena da praia que você comentou e algumas outras bem curtas' date=' não me recordo mais de nenhuma - e, sinceramente, não sei o quanto isso pode prejudicar Into the Wild. Câmera na mão, geralmente, aproxima o espectador do que ocorre na tela, e juntamente por este ser um road movie, foi bem empregada - é um excesso que não atrapalha, pelo contrário, até porque não achei tão deselegante como disse.

A cena da praia é linda. O slow motion é lento [não diga? '] como a fala do Hirsch em off e a câmera na mão "submersa" no mar não exemplifica melhor o que o texto diz. Harmonia entre som e imagem perfeita. Mais cinema que isso?

isso aí, concordo com tudo

Não acho tão deselegante assim - pelo menos' date=' sempre dá pra ver com clareza o que está sendo filmado. E como já falei, foram duas técnicas que combinaram com o estilo do filme. 1- Tá, o Sean Penn usa câmera lenta nas duas vezes que o Hirsch sacode a cabeça após de molhar, mas vai, não é tão grave assim.  É sério, sempre tem uma música ou uma fala que sincroniza com a imagem.

2- Só há uma seqüência que achei realmente ruim: quando o personagem do Emile chega na fronteira e começa a andar pela cidade. É descartável ao extremo [ainda daria uma enxugada na história se fosse retirada'] e o Penn faz umas coisas muito estranhas nesse momento.

1- uma vez! e essa cena na verdade achei bem inventiva, muito boa, e casa perfeitamente com a música q é foda por sinal

2- pq ruim? depois de tanto tempo na estrada ele finalmente se reencontra com a civilização, o q fez ele numa cena específica lembrar do q ele seria se nada daquilo (sua viagem) tivesse acontecido, e vendo toda aquela pobreza na região e o sentimento de "segurança" q ele teria dormindo numa cama da assistência local, ele sentiu naquele momento q ele estaria traindo seus ideais, traindo todas aquelas idéias de q ele havia defendido até então

PS: Ele fica insano com o decorrer do filme? o_O

não' date=' a insanidade dele só ocorre qd chega no alasca e depois de algum tempo

mas nao deixa de ser ironico o fato dele, q tanmto quer se despojar dos valores materias q lembrem a vida em sociedade e tanto abomina, no cu do mundo do Alaska encontre refugio (e faca dele sua casa) num busao..

mas convenhamos, esse é um processo crescente, é impossível uma pessoa q nasceu dentro de uma sociedade, mandar tudo pra merda e correr pra dentro do mato nú com a mão no bolso, claro q ele ainda era dependente de vários produtos q a sociedade gerava, se não fosse assim, ele teria q confeccionar a própria roupa q iria vestir, plantar os alimentos q iria comer, etc, tudo isso é um processo gradativo se ele quisesse chegar a tal ponto, mas qual foi mesma a última frase do filme

antes dele morrer?

 

q isso' date=' Bernardo...vc ta implicando demais com o futuro Speed Racer.. a atuacao dele ate q serve a seu proposito..  bem, a unica inconsistencia q vi foi somente na hora q "negou fogo" p/ aquela pirralha doidinha p/ dar p/ ele..
[/quote']

um cara com 23 anos de idade, e pensamentos q a grande maioria das pessoas nunca irá compreender mesmo chegando à beira da morte, tirar a virgindade de uma garota de 16 anos, e menor de idade?! pelo q? saciar a vontade dele, jogar a mochila nas costas e sair andando como se nada tivesse acontecido? vc nunca tirou a virgindade de uma garota e saber q vc é o cara q ela nunca mais vai esquecer na vida dela inteira? fazendo isso seria algo completamente contraditório a forma de pensar dele, pois justamente o q ele queria era se afastar, pensar, refletir nos diferentes aspectos da vida, e não criar mais amarras do ele já tinha e estava tentando se desvencilhar, por isso dele não ter ligado pra irmã e os pais qd teve oportunidade, pra não dar falsas esperanças sobre o futuro incerto e q ainda estava a definir

Pois é' date=' "sábio" ele não foi mesmo.

1- Mas isso não teve a ver com sabedoria, 2- acredito que foi apenas para não se relacionar, não criar um forte vínculo com ninguém [bem, isso de certa forma aconteceu com outras pessoas que ele encontrava no caminho; só acho que sexo não foi o objetivo dele ao viajar e não queria fugir do seu foco']. 3- A desculpa dele da idade não colou pra mim. Por que ele se importaria de transar com uma garota um pouco mais nova? A sociedade vê isso mal; ele não deveria.

1- é verdade, tem haver com contradição

2-  isso aí

 

3- vc mesmo já respondeu no seu comentário anterior 03

Nossa' date=' "sábio" é uma das coisas que o Hirsch (e o seu personagem) não é.
 
Essa cena em que ele nega transar com a Kristen Stewart é estupidamente besta, já demonstrando toda a visão romantizada que Penn tem de seu personagem (seria mais interessante vê-lo pegando a garota, não porque ela é gostosa, mas sim porque mostraria um lado mais ambígüo e interessante, algo que jamais vi dele durante todos os enfadonhos 140 minutos de duração).
[/quote']

e o q o penn tem a ver com isso? esqueceu q ele adaptou a estória q a irmã de chris escreveu baseado nas notas q ele deixou? ou vc acha q penn deveria jogar tudo pro alto, mostrar o chris pegando a garota pra valer, só pra ver se o filme daria mais audiência? 09

D4rk Schn31d3r2008-02-28 16:16:08
Link to comment
Share on other sites

q isso, Bernardo...vc ta implicando demais com o futuro Speed Racer.. a atuacao dele ate q serve a seu proposito..02  bem, a unica inconsistencia q vi foi somente na hora q "negou fogo" p/ aquela pirralha doidinha p/ dar p/ ele18..06


Eu achei essa cena excepcional. O Emile ficou muito bem nela. Expressando brilhantemente seu pensamento ingênuo e ao mesmo tempo sábio.


 

Parece que o Chris real era meio assexuado mesmo, de acordo com o livro do Krakauer. Inclusive especula-se que ele nunca na vida teve uma relação sexual.
Link to comment
Share on other sites

q isso' date=' Bernardo...vc ta implicando demais com o futuro Speed Racer.. a atuacao dele ate q serve a seu proposito..  bem, a unica inconsistencia q vi foi somente na hora q "negou fogo" p/ aquela pirralha doidinha p/ dar p/ ele..
[/quote']

um cara com 23 anos de idade, e pensamentos q a grande maioria das pessoas nunca irá compreender mesmo chegando à beira da morte, tirar a virgindade de uma garota de 16 anos, e menor de idade?! pelo q? saciar a vontade dele, jogar a mochila nas costas e sair andando como se nada tivesse acontecido? vc nunca tirou a virgindade de uma garota e saber q vc é o cara q ela nunca mais vai esquecer na vida dela inteira? fazendo isso seria algo completamente contraditório a forma de pensar dele, pois justamente o q ele queria era se afastar, pensar, refletir nos diferentes aspectos da vida, e não criar mais amarras do ele já tinha e estava tentando se desvencilhar, por isso dele não ter ligado pra irmã e os pais qd teve oportunidade, pra não dar falsas esperanças sobre o futuro incerto e q ainda estava a definir

 

esse jovens altruista e idealista ao extremo so existe no filme de penn.. pq ele nao vira coroinha entao? e tem ainda que julgue a Juno fora da realidade.. de qq forma, se existir esse cara q nao cede nem aos apelos da carne, favor me apresenta q faco ele casar com minha filha..06
Link to comment
Share on other sites

q isso' date=' Bernardo...vc ta implicando demais com o futuro Speed Racer.. a atuacao dele ate q serve a seu proposito..  bem, a unica inconsistencia q vi foi somente na hora q "negou fogo" p/ aquela pirralha doidinha p/ dar p/ ele..
[/quote']

um cara com 23 anos de idade, e pensamentos q a grande maioria das pessoas nunca irá compreender mesmo chegando à beira da morte, tirar a virgindade de uma garota de 16 anos, e menor de idade?! pelo q? saciar a vontade dele, jogar a mochila nas costas e sair andando como se nada tivesse acontecido? vc nunca tirou a virgindade de uma garota e saber q vc é o cara q ela nunca mais vai esquecer na vida dela inteira? fazendo isso seria algo completamente contraditório a forma de pensar dele, pois justamente o q ele queria era se afastar, pensar, refletir nos diferentes aspectos da vida, e não criar mais amarras do ele já tinha e estava tentando se desvencilhar, por isso dele não ter ligado pra irmã e os pais qd teve oportunidade, pra não dar falsas esperanças sobre o futuro incerto e q ainda estava a definir

 

esse jovens altruista e idealista ao extremo so existe no filme de penn.. pq ele nao vira coroinha entao? e tem ainda que julgue a Juno fora da realidade.. de qq forma, se existir esse cara q nao cede nem aos apelos da carne, favor me apresenta q faco ele casar com minha filha..06

 

e quem disse q qq 1 faria algo assim? muito pelo contrário, 99,9% das pessoas fariam o q ele não fez! ha-ha, mas é isso, afinal de contas me diz qts pessoas fariam TUDO aquilo q ele fez, isto é, largar a tudo e a todos em busca do auto-descobrimento e do sonho de chegar até o alasca?
Link to comment
Share on other sites

q isso' date=' Bernardo...vc ta implicando demais com o futuro Speed Racer.. a atuacao dele ate q serve a seu proposito..  bem, a unica inconsistencia q vi foi somente na hora q "negou fogo" p/ aquela pirralha doidinha p/ dar p/ ele..
[/quote']

um cara com 23 anos de idade, e pensamentos q a grande maioria das pessoas nunca irá compreender mesmo chegando à beira da morte, tirar a virgindade de uma garota de 16 anos, e menor de idade?! pelo q? saciar a vontade dele, jogar a mochila nas costas e sair andando como se nada tivesse acontecido? vc nunca tirou a virgindade de uma garota e saber q vc é o cara q ela nunca mais vai esquecer na vida dela inteira? fazendo isso seria algo completamente contraditório a forma de pensar dele, pois justamente o q ele queria era se afastar, pensar, refletir nos diferentes aspectos da vida, e não criar mais amarras do ele já tinha e estava tentando se desvencilhar, por isso dele não ter ligado pra irmã e os pais qd teve oportunidade, pra não dar falsas esperanças sobre o futuro incerto e q ainda estava a definir

 

esse jovens altruista e idealista ao extremo so existe no filme de penn.. pq ele nao vira coroinha entao? e tem ainda que julgue a Juno fora da realidade.. de qq forma, se existir esse cara q nao cede nem aos apelos da carne, favor me apresenta q faco ele casar com minha filha..06

 

e quem disse q qq 1 faria algo assim? muito pelo contrário, 99,9% das pessoas fariam o q ele não fez! ha-ha, mas é isso, afinal de contas me diz qts pessoas fariam TUDO aquilo q ele fez, isto é, largar a tudo e a todos em busca do auto-descobrimento e do sonho de chegar até o alasca?

 

eu ja fiz trocentas viagens desse tipo, mochilando pelo Brasil,  america do sul e Eurpa... e nunca neguei fogo como ele fez, qdo surgiu a oportunidade..1905 é ruim, hein?06
Jorge Soto2008-02-28 16:32:38
Link to comment
Share on other sites

Amanhã lhe respondo com maior atenção tudo o que vc apontou (ou hoje, se minha preguiça ficar de lado), D4rk, mas isso que o Soto apontou é justamente o maior problema desse filme: o filme é todo romantizado, todo bonitinho, sem nada mais a apresentar além de belas imagens e situações melodramáticas pífias empurradas de qualquer jeito.

Link to comment
Share on other sites

Soto, você é um caso à parte. 06

 

[quote name='D4rk Schn31d3r]

 

 

Não

acho tão deselegante assim - pelo menos' date=' sempre dá pra ver com clareza

o que está sendo filmado. E como já falei, foram duas técnicas que

combinaram com o estilo do filme. 1- Tá, o Sean Penn usa câmera lenta nas duas vezes que o Hirsch sacode a cabeça após de molhar, mas vai, não é tão grave assim.  É sério, sempre tem uma música ou uma fala que sincroniza com a imagem.

2- Só há uma seqüência que achei realmente ruim: quando o

personagem do Emile chega na fronteira e começa a andar pela cidade. É

descartável ao extremo [ainda daria uma enxugada na história se fosse

retirada'] e o Penn faz umas coisas muito estranhas nesse momento.

 

 

1- uma vez! e ess cena na verdade achei bem inventiva, muito boa, e casa perfeitamente com a música q é foda por sinal

2- pq ruim? depois de tanto tempo na estrada ele finalmente se

reencontra com a civilização, o q fez ele numa cena específica lembrar

do q ele seria se nada daquilo (sua viagem) tivesse acontecido, e vendo

toda aquela pobreza na região e o sentimento de "segurança" q ele teria

dormindo numa cama da assistência local, ele sentiu naquele momento q

ele estaria traindo seus ideais, traindo todas aquelas idéias de q ele

havia defendido até então

1- Dark, foram duas vezes, com certeza. A primeira quando ele dá um pulo no mar de uma pedra um pouco alta, aí ele levanta sacudindo a cabeça. A segunda é quando está tomando banho num "chuveiro" no Alasca - é a primeira imagem depois de um corte.

2- Talvez não seja "descartável ao extremo", como havia dito, por ter um significado narrativo importante. O que não gostei realmente foi a câmera do Penn e alguns artifícios estéticos que ele usa. Nessa parte sim tem muito slow motion desnecessário, pausas em alguns takes, assim como a remoção de alguns, tudo isso usado exaustivamente - acho que se vão mais de 8 minutos nisso. O resultado é feio e deselegante. Como eu adoraria que a edição não deixasse passar essa cena. 06

 

Mas se isso tivesse acontecido' date=' o Penn teria mostrado né?
[/quote']

 

Eu

quis dizer que caso ele tivesse optado em transar com a garota, assim

estaria no filme. Acho que a questão é justamente essa: Sean Penn não

tinha a intenção de romantizar seu personagem, acredito que quis ser

fiel ao livro que a irmã do personagem escreveu [aí se ela quis tornar

o irmão uma figura incorruptível, digamos assim xD, é outra história].

E um personagem não precisa ser ambíguo para ser interessante ou crível. É tão impossível o cara ser tão firme em seus valores?

 

Amanhã

lhe respondo com maior atenção tudo o que vc apontou (ou hoje' date=' se minha

preguiça ficar de lado), D4rk, mas isso que o Soto apontou é justamente

o maior problema desse filme: o filme é todo romantizado, todo

bonitinho, sem nada mais a apresentar além de belas imagens e situações

melodramáticas pífias empurradas de qualquer jeito.

[/quote']

 

Eu

não acho o filme "todo bonitinho" - não digo isso só pelo final - e nem

sei se a intenção era parecer bonito. Eu o acho muito introspectivo,

com certa melancolia até, só pelos motivos do personagem, percebemos

que não é uma viajem apenas para curtir. E isso é tão bem tratado pelo

roteiro, com narração da irmã e com algumas frases de livros que o

personagem cita em off [elas não estão lá à toa]... Quando o filme

terminou eu estava angustiadamente eufórico. hehe

 

Bernardo, que

situações são essas? Poderia citar algumas só exemplificar o que quer

dizer? E o que seria "empurradas de qualquer jeito"?

 

 

aperfeiçoando a informação' date=' seria de Melhor Roteiro Adaptado, porque o

filme foi feito a partir do livro homônimo do John Krakauer.

[/quote']

 

Tem versão em português?JeFFs2008-02-28 19:01:55

Link to comment
Share on other sites

Todo o plot de Hal Hollbrook, por exemplo, poderia ser facilmente jogado fora, especialmente aquela maldita cena. Forçada até a última potência, visível as tentativas de levar o espectador as lágrimas, o que anula a tentativa. Sean Penn necessita de aulas de sutileza depois desse filme, do primeiro ao último frame buscando incessantemente pelas lágrimas...

 

E pra me poupar tempo, tudo o que vc citou aí eu não suporto. A narração da irmã (é interessante, mas sempre parece deslocado e portanto, não surte o efeito que Penn deseja), os poemas que o Christopher cita (que é o único artifício utilizado pelo roteirista para desenvolver o protagonista, diga-se), entre outras.

 

ótima sua crítica sobre jesse james bernardo' date=' mas essa aqui, putz! ai, ai 06

1- já falei sobre isso num outro post, mas voltando, pq medíocre? se vc me disser um filme q seja 50% parecido com esse, ai sim eu digo q esse filme é medíocre 03

2- tb já falei sobre isso no outro post, enfim, levar o espectador às lagrimas a qualquer segundo? is that serious? as únicas partes q leva pra esse lado e lá pelo final, no sincero e tocante encontro entre hirsh e holbrook, e o final claro, fora isso, sua sensibilidade deve estar muito em alta pra vc estar falando isso 06

3- e pq? eu justamente acho o contrário, ele soube muito bem construir sua insanidade mental, a partir do momento em q ele estava passando vários meses sem contato com pessoa alguma, numa terra de ninguém no meio do alasca, e aliado a isso, a falta de comida q estava aumentando cada vez mais, por conta do despreparo dele frente a uma situação completamente inóspita como aquela, e outra, diferentemente de jesse james onde a carga dramática dos personagens vai crescendo no decorrer do filme, por conta da linearidade na edição, into the wild é diferente, são mostrados os momentos desde sua chegada ao alasca contrastando com todo o início de sua viagem desde o término de sua formatura, até a realização de seu sonho de chegar onde queria, quer dizer, se a pessoa não compreende a montagem do filme, não há como ela entender os diferentes estágios psicológicos em q o personagem trafega, será q não foi isso q fez vc achar diluído o "abrupto" período de insanidade de chris? ... e sobre a diferença de montagem nos 2 filmes citados, eu acho q são geniais naquilo q propõe, sem mais! 16[/quote']

1. E eu já lhe falei. Porque tudo ali possui uma única função: fazer chorar. É irritante quando vc percebe isso, já que automaticamente anula tal efeito e me leva ao mais absoluto tédio (e sem nada a sentir, passo a identificar várias falhas do filme que em outro caso ignoraria em prol do que o diretor me faria sentir).

 

2. Só isso? Tem certeza? E a revelação que a personagem da Catherine Keener faz? E logo no começo mesmo, com a Marcia Gay Harden chorando a valer? E a cena em que William Hurt (por Deus, um excelente ator!!!) se ajoelha no meio da rua e se dana a chorar? E a narração da Jena Malone (desperdiçada, coitada e ela é uma grande atriz tbm)?

 

3. Pode ser, não vou dizer que não, pois a estrutura narrativa é incrivelmente bagunçada e a não-linearidade é descartável. O montador parece jogar as cenas sem as tratá-las com o devido respeito, numa cena vemos o cara no Magic Bus e já na outra conversando com o Hollbrook. Mas quanto a atuação do Hirsch, ele é carismático e só. Não possui carga dramática nem muito menos talento para retratar a solidão do cara (e vc ainda me lembra de Jesse James, cara, com a fenomenal performance de Casey Affleck? hehe).

 

a dos pássaros voando juntos com a visão do pôr-do-sol ao fundo' date=' vc achou péssima? 17 eu já acho q ficou lindíssima junto com o tom meio poético da narração em off ... é bernardo, acho q vc não gosta de slow motion de jeito nenhum! 06 mesmo sendo tão pouco usado como o jeffs falou ... então vc deve detestar os filmes do john woo, ele usa e abusa dessa técnica[/quote']

 

Não, eu não gosto de slow motions mal encaixados, o que é muito diferente. Realmente detesto a overdose de John Woo, mas nada supera a de Zack Snyder em 300. Horrível. E logo depois de vc ler uma resenha minha em que eu digo que achei Jesse James brilhante (repleto de slow motions, diga-se), vc sugere isso? Rapaiz...

 

O Penn deveria aprender aulas com o Dominik, quando se deve utilizar tais artifícios tecnicos ou não, pois todas as tentativas de Penn (TODAS MESMO) são desastrosas.

 

e o q o penn tem a ver com isso? esqueceu q ele adaptou a estória q a irmã de chris escreveu baseado nas notas q ele deixou? ou vc acha q penn deveria jogar tudo pro alto' date=' mostrar o chris pegando a garota pra valer, só pra ver se o filme daria mais audiência? 09[/quote']

 

Sabia que existe o conceito de liberdade narrativa? Pois é, serve para trazer benefícios ao filme. Se Penn foi fiel ao livro, só lamento...
Link to comment
Share on other sites

 

Ainda não li tudo que você escreveu, Bernardo, mas porque TUDO que você citou tem que ter o intuito de fazer o espectador chorar??? Você leu a mente do Sean Penn? De onde você consegue perceber isso e, como conseqüência, anular toda uma narrativa e seus elementos? 09

 

edit: irei ao cinema ver Cloverfield. Depois comento o restante.

 

 

JeFFs2008-02-28 19:39:53

Link to comment
Share on other sites

q isso, Bernardo...vc ta implicando demais com o futuro Speed Racer.. a atuacao dele ate q serve a seu proposito..02  bem, a unica inconsistencia q vi foi somente na hora q "negou fogo" p/ aquela pirralha doidinha p/ dar p/ ele18..06


Eu achei essa cena excepcional. O Emile ficou muito bem nela. Expressando brilhantemente seu pensamento ingênuo e ao mesmo tempo sábio.


 

Parece que o Chris real era meio assexuado mesmo, de acordo com o livro do Krakauer. Inclusive especula-se que ele nunca na vida teve uma relação sexual.

 

mas sera q o termo assexuado seria um eufemismo pra baitolagem? eu li o livro tb e nao reparei nada disso..afinal, ou ele gosta da fruta ou nao...17 engracado q essa conotacao tb foi sugerida com outros dois personagens de outra pelicula, nao tao levada a seria assim..

cpiadevmsy400sx6004jn0.jpg 
Link to comment
Share on other sites

 

Parece que o Chris real era meio assexuado mesmo, de acordo com o livro do Krakauer. Inclusive especula-se que ele nunca na vida teve uma relação sexual.

 

mas sera q o termo assexuado seria um eufemismo pra baitolagem? eu li o livro tb e nao reparei nada disso..afinal, ou ele gosta da fruta ou nao...17 engracado q essa conotacao tb foi sugerida com outros dois personagens de outra pelicula, nao tao levada a seria assim..

cpiadevmsy400sx6004jn0.jpg 

 

Haha, eu não queria falar não, mas já que vc verbalizou, eu pensei nisso também... ou isso ou então o cara era um ser assim quase búdico mesmo... enfim, ainda nem vi o filme, estou comentando aqui só levando em conta o que li no livro.
Link to comment
Share on other sites

eu ja fiz trocentas viagens desse tipo' date=' mochilando pelo Brasil,  america do sul e Eurpa... e nunca neguei fogo como ele fez, qdo surgiu a oportunidade.. é ruim, hein?
[/quote']

ok, mas é diferente, vc não fez nem perto do q ele na verdade fez, o q é completamente diferente 03

1- Dark' date=' foram duas vezes, com certeza. A primeira quando ele dá um pulo no mar de uma pedra um pouco alta, aí ele levanta sacudindo a cabeça. A segunda é quando está tomando banho num "chuveiro" no Alasca - é a primeira imagem depois de um corte.

2- Talvez não seja "descartável ao extremo", como havia dito, por ter um significado narrativo importante. O que não gostei realmente foi a câmera do Penn e alguns artifícios estéticos que ele usa. Nessa parte sim tem muito slow motion desnecessário, pausas em alguns takes, assim como a remoção de alguns, tudo isso usado exaustivamente - acho que se vão mais de 8 minutos nisso. O resultado é feio e deselegante. Como eu adoraria que a edição não deixasse passar essa cena.
[/quote']

1- hmmm, essa parte tem uma câmera lenta acentuada? se tiver, nem senti muito isso acontecendo, e se sim, não a ponto de dizer q ficou uma porcaria, muito pelo contrário, o momento mais acentuado seria esse q vc disse dele sacudindo a cabeça com a água do "chuveiro" feito por ele no alasca, q é bem slow motion mesmo, mas sinceramente achei excelente, de um apuro estético combinado com a música de uma forma muitíssimo interessante, mas tem gente q acha besteira, enfim, cada 1 com seu cada 1

2- ok, isso vai de ponto-de-vista, mas não achei nada d+ nisso aí q vc está dizendo, a ponto de dizer, meu deus q porcaria completa o penn fez, assim, eu particularmente achei tudo o q ele filmou de ótimo pra cima, quem dera eu visse mais filmes desse nivel, não só em conteúdo, mas 'operacionalmente falando', o cara fez uns troços muito bons MESMO com a câmera e junto com a perfeita edição, narração em off e o desenvolvimento dos personagens e tal, realmente achei sensacional todo o esforço q o penn fez pra adaptar o livro da irmã do rapaz, IMO

1- Todo o plot de Hal Hollbrook' date=' por exemplo, poderia ser facilmente jogado fora, especialmente aquela maldita cena.

2- Forçada até a última potência, visível as tentativas de levar o espectador as lágrimas, o que anula a tentativa. Sean Penn necessita de aulas de sutileza depois desse filme, do primeiro ao último frame buscando incessantemente pelas lágrimas... 
 
3- A narração da irmã (é interessante, mas sempre parece deslocado e portanto, não surte o efeito que Penn deseja), os poemas que o Christopher cita (que é o único artifício utilizado pelo roteirista para desenvolver o protagonista, diga-se), entre outras.

4- Porque tudo ali possui uma única função: fazer chorar. É irritante quando vc percebe isso, já que automaticamente anula tal efeito e me leva ao mais absoluto tédio (e sem nada a sentir, passo a identificar várias falhas do filme que em outro caso ignoraria em prol do que o diretor me faria sentir).
 
5- Só isso? Tem certeza? E a revelação que a personagem da Catherine Keener faz?

6- E logo no começo mesmo, com a Marcia Gay Harden chorando a valer?

 

7- E a cena em que William Hurt (por Deus, um excelente ator!!!) se ajoelha no meio da rua e se dana a chorar? E a narração da Jena Malone (desperdiçada, coitada e ela é uma grande atriz tbm)?
 
8- Pode ser, não vou dizer que não, pois a estrutura narrativa é incrivelmente bagunçada e a não-linearidade é descartável. O montador parece jogar as cenas sem as tratá-las com o devido respeito, numa cena vemos o cara no Magic Bus e já na outra conversando com o Hollbrook.

 

9- Mas quanto a atuação do Hirsch, ele é carismático e só. Não possui carga dramática nem muito menos talento para retratar a solidão do cara (e vc ainda me lembra de Jesse James, cara, com a fenomenal performance de Casey Affleck? hehe).
 
10- Não, eu não gosto de slow motions mal encaixados, o que é muito diferente. Realmente detesto a overdose de John Woo, mas nada supera a de Zack Snyder em 300. Horrível. E logo depois de vc ler uma resenha minha em que eu digo que achei Jesse James brilhante (repleto de slow motions, diga-se), vc sugere isso? Rapaiz...
 
11- Sabia que existe o conceito de liberdade narrativa? Pois é, serve para trazer benefícios ao filme. Se Penn foi fiel ao livro, só lamento...[/quote']

1- jogado fora? bernardo não entende q o filme é adaptado, meu-deus! e qual o problema de uma camarada chegar na velhice extrema, nunca ter tido filhos por n razões e querer torná-lo um "descendente" dele, mesmo q psicológicamente falando? os 2 tiveram tantas afinidades no curto período de tempo q estiveram juntos, um passando lições valiosas para o outro, q não seria dificil um ser pai/avô do outro tamanha as afinidades q ambos tinham um com o outro, simples

2- mas se aconteceu na vida real, como foi proposital levar o espectador às lágrimas naquele momento? 03

3- a narração da irmã e os trechos do diário de chris, são justamente a forma de desenvolver o personagem, como vc queria q isso acontecesse de outra forma? se ele é um cara completamente introspectivo e não falaria com ninguém sobre essas coisas por justamente saber q ninguém iria compreendê-lo nem 10%? vc queria o q bernardo, dele batendo papo com cada 1 q encontrasse na esquina sobre os pontos de vistas dele? pelo-amor né, a única forma do personagem ser desenvolvido é a acertadíssima narração em off, seja pela narração da irmã, seja pelos trechos retirados do diário de chris

4- eu ainda não entendo esse "fazer chorar" q vc tanto insiste em dizer em cada frase

5- só pq ela viu no chris como sendo o filho dela q ela já não o via a anos, é motivo de choro por parte da platéia? pra ela pode ser, mas pq seria de quem está assistindo? a estória é a-d-a-p-t-a-d-a bernardo ADAPDTADA! não entende isso?

6- oh my lord, please!!! ela chorou pq é a mãe de 1 cara q a "abandonou" por 2 anos, só isso, nada d+ né? 2 anos são 2 dias pra vc? ela não tem motivo nenhum pra acordar de madrugada por conta de um sonho/pesadelo com o filho? não conheço nenhuma mãe q não ficaria completamente desesperada por conta do total desaparecimento do filho, sem saber se estaria vivo ou morto e aonde

7- mais 1 vez, e qual o problema? e essa cena sendo perto do final, poderia ser muito bem a notícia q ele teve pela

morte de chris

e cai na rua desconsolado, portanto, qual o problema com isso? o cara era o pai do cara!

8- pelo visto vc não entendeu direito a edição do filme pra estar falando isso ... conselho, dê 1 chance, e assista o filme uma segunda vez! sei q pelo visto pra vc é dificil, mas acho q vc irá compreender melhor a montagem do filme, e quem sabe não dará um maior valor a obra como um todo 03

9- filmes completamente diferentes, performances completamente diferentes, estágios emocionais completamente diferentes alcançados pelos personagens, e vc ainda me compara os 2?! 09

10- ok, lerei novamente

11- sim, claro, porém se o penn não fosse o mínimo fiel na adaptação do livro, a família inteira do rapaz o estaria perseguindo até o alasca! 06  ... acho q se dessem juno pro bernardo adaptar, ele faria o filho do filho do chuck saindo da barriga da page, caçando mc lovin por ele apresentar uma carteira de motorista falsa ao atendente da loja q nada mais é do q o querido avô de 80 anos caindo aos pedaços do bebê, q mal consegue dizer: "pega ele filho" pq pro vovô aqui não dá mais!!! 06

Parece que o Chris real era meio assexuado mesmo' date=' de acordo com o livro do Krakauer. Inclusive especula-se que ele nunca na vida teve uma relação sexual.[/quote']

daqui a pouco vcs vão dizer q o rapaz era homossexual assumido q nem priscila a rainha do deserto e q na verdade o grande sonho dele seria criar coragem, voltar do alasca, fazer uma cirurgia de troca de sexo e dizer a todos: oi geeenteee, A chris chegou!!! 06

D4rk Schn31d3r2008-03-01 02:19:36
Link to comment
Share on other sites

1- jogado fora? bernardo não entende q o filme é adaptado' date=' meu-deus! e qual o problema de uma camarada chegar na velhice extrema, nunca ter tido filhos por n razões e querer torná-lo um "descendente" dele, mesmo q psicológicamente falando? os 2 tiveram tantas afinidades no curto período de tempo q estiveram juntos, um passando lições valiosas para o outro, q não seria dificil um ser pai/avô do outro tamanha as afinidades q ambos tinham um com o outro, simples

2- mas se aconteceu na vida real, como foi proposital levar o espectador às lágrimas naquele momento? 03

3- a narração da irmã e os trechos do diário de chris, são justamente a forma de desenvolver o personagem, como vc queria q isso acontecesse de outra forma? se ele é um cara completamente introspectivo e não falaria com ninguém sobre essas coisas por justamente saber q ninguém iria compreendê-lo nem 10%? vc queria o q bernardo, dele batendo papo com cada 1 q encontrasse na esquina sobre os pontos de vistas dele? pelo-amor né, a única forma do personagem ser desenvolvido é a acertadíssima narração em off, seja pela narração da irmã, seja pelos trechos retirados do diário de chris

4- eu ainda não entendo esse "fazer chorar" q vc tanto insiste em dizer em cada frase

5- só pq ela viu no chris como sendo o filho dela q ela já não o via a anos, é motivo de choro por parte da platéia? pra ela pode ser, mas pq seria de quem está assistindo? a estória é a-d-a-p-t-a-d-a bernardo ADAPDTADA! não entende isso?

6- oh my lord, please!!! ela chorou pq é a mãe de 1 cara q a "abandonou" por 2 anos, só isso, nada d+ né? 2 anos são 2 dias pra vc? ela não tem motivo nenhum pra acordar de madrugada por conta de um sonho/pesadelo com o filho? não conheço nenhuma mãe q não ficaria completamente desesperada por conta do total desaparecimento do filho, sem saber se estaria vivo ou morto e aonde

7- mais 1 vez, e qual o problema? e essa cena sendo perto do final, poderia ser muito bem a notícia q ele teve pela

morte de chris

e cai na rua desconsolado, portanto, qual o problema com isso? o cara era o pai do cara!

8- pelo visto vc não entendeu direito a edição do filme pra estar falando isso ... conselho, dê 1 chance, e assista o filme uma segunda vez! sei q pelo visto pra vc é dificil, mas acho q vc irá compreender melhor a montagem do filme, e quem sabe não dará um maior valor a obra como um todo 03

9- filmes completamente diferentes, performances completamente diferentes, estágios emocionais completamente diferentes alcançados pelos personagens, e vc ainda me compara os 2?! 09

10- ok, lerei novamente

11- sim, claro, porém se o penn não fosse o mínimo fiel na adaptação do livro, a família inteira do rapaz o estaria perseguindo até o alasca! 06  ... acho q se dessem juno pro bernardo adaptar, ele faria o filho do filho do chuck saindo da barriga da page, caçando mc lovin por ele apresentar uma carteira de motorista falsa ao atendente da loja q nada mais é do q o querido avô de 80 anos caindo aos pedaços do bebê, q mal consegue dizer: "pega ele filho" pq pro vovô aqui não dá mais!!! 06[/quote']

1. Liberdade criativa. Aquela cena me pegou mal, é melosa e açucarada pra caralho (o mesmo valendo pra relação entre eles).

 

2. Que incrível! Então só porque o filme foi baseado em um livro, o diretor não pode incitar essa reação do espectador?09

 

3. Um filme possui muitas formas de desenvolver seu protagonista. As Horas, por exemplo, é um filme não com uma, mas TRÊS personagens que se escondem dos outros (com MUUUUUUITO mais intensidade que esse moleque), mas transmite TUDO o que aquelas mulheres sentem. Agora um filme depender de uma narração em off para desenvovler seu protagonista com 140 minutos jogados por aí?09

 

4. Então deixa pra lá...

 

5. E vc não entende o conceito de l-i-b-e-r-d-a-de c-r-i-a-t-i-v-a? Quer dizer que TODAS as falhas do filme não podem ser levadas em consideração porque o filme foi adaptado de um livro? Que isso, né D4rk.

 

6. O problema é que isso não possue função alguma para com a história. Isso afeta o Chris? Não, o máximo que ele faz é dizer "eu gostaria de ficar conversando com você a noite inteira". Mas é só. E por favor, troque o disco, já tá ficando chato essa desculpa manjada do filme ser uma adaptação.

 

7. O problema é que é novelesca. Uma coisa é o pai chorar, outra é sair pelo meio da rua e se ajoelhar no asfalto quase (mas QUASE mesmo) gritando "por que Deus, por que?!?!".

 

8. Talvez eu reveja sim, mas por ora, tenho outros filmes na frente.

 

9. Pffff... Se Penn iria adaptar um livro, deveria possuir colhões para reconhecer seus erros, mesmo que isto significasse ir contra a família.
Link to comment
Share on other sites

eu ja fiz trocentas viagens desse tipo' date=' mochilando pelo Brasil,  america do sul e Eurpa... e nunca neguei fogo como ele fez, qdo surgiu a oportunidade.. é ruim, hein?
[/quote']

ok, mas é diferente, vc não fez nem perto do q ele na verdade fez, o q é completamente diferente 03

 

ué, como vc tem tanta certeza disso? vc nao tava comigo qdo rodei a america do sul durante quase meio ano....03
Link to comment
Share on other sites

1. Liberdade criativa. Aquela cena me pegou mal' date=' é melosa e açucarada pra caralho (o mesmo valendo pra relação entre eles).
 
2. Que incrível! Então só porque o filme foi baseado em um livro, o diretor não pode incitar essa reação do espectador?
 
3. Um filme possui muitas formas de desenvolver seu protagonista. As Horas, por exemplo, é um filme não com uma, mas TRÊS personagens que se escondem dos outros (com MUUUUUUITO mais intensidade que esse moleque), mas transmite TUDO o que aquelas mulheres sentem. Agora um filme depender de uma narração em off para desenvovler seu protagonista com 140 minutos jogados por aí?
 
4. Então deixa pra lá...
 
5. E vc não entende o conceito de l-i-b-e-r-d-a-de c-r-i-a-t-i-v-a? Quer dizer que TODAS as falhas do filme não podem ser levadas em consideração porque o filme foi adaptado de um livro? Que isso, né D4rk.
 
6. O problema é que isso não possue função alguma para com a história. Isso afeta o Chris? Não, o máximo que ele faz é dizer "eu gostaria de ficar conversando com você a noite inteira". Mas é só. E por favor, troque o disco, já tá ficando chato essa desculpa manjada do filme ser uma adaptação.
 
7. O problema é que é novelesca. Uma coisa é o pai chorar, outra é sair pelo meio da rua e se ajoelhar no asfalto quase (mas QUASE mesmo) gritando "por que Deus, por que?!?!".
 
8. Talvez eu reveja sim, mas por ora, tenho outros filmes na frente.
 
9. Pffff... Se Penn iria adaptar um livro, deveria possuir colhões para reconhecer seus erros, mesmo que isto significasse ir contra a família.
[/quote']

1- pq a relação deles é melosa? não vi nada diferente do q seria uma relação entre "avô e neto", 2 pessoas se abrindo e conversando sobre a vida, indo pescar juntos, o mais velho passando conhecimento do ofício (trabalho com couro) para o mais jovem, o mais jovem incentivando ao mais velho uma mudança de ares, por conta de uma vida pacata, e de certa forma entediante, o desafiando a escalar uma montanha pra forçar ele a acreditar q tudo se feito com fé em si mesmo e força de vontade, é possível, portanto, what the hell is wrong with that? 03

2- sim, poderia desde q a adaptação não fosse baseada em fatos reais, mas como nesse caso foi baseada, o diretor mostrou aquilo q de fato aconteceu, ou pelo menos os pontos mais importantes, portanto a "culpa de levar os espectador às lágrimas" teria a ver com a obra literal no qual foi adaptada e não com o diretor em si, a não ser q o diretor tenha sido maniqueísta e modificado pontos chaves de uma obra dessas a seu bel-prazer, algo q acho certo q penn não o fez, ainda mais pq o filme teve o aval por parte da família do rapaz pra ser lançado

3- mas tb não é só com a narração em off da irmã e os trechos retirados do diário do chris, e todas aquelas pessoas q toparam com ele no caminho, não contam?

4- é melhor mesmo pq tá dificil! 06

5- cara, acho q vc não se atentou para um ponto importantíssimo sobre a suposta liberdade criativa q o filme deveria ter no seu ponto de vista e mudar aquilo q vc considerou ruim, veja bem, uma coisa é vc ter liberdade criativa pra adaptar uma obra de ficção ou romance como vc bem entender, exemplo disso? podemos citar atonement, ali como não é uma estória baseada em fatos reais, joe wright poderia muito bem mudar o livro da forma como ele quisesse, apesar de q na certa, a maioria dos fãs do livro iriam cair com pedras em cima dele, agora, outra coisa é vc mudar,  querer mudar aquilo q de fato aconteceu, eventos/fatos históricos, etc, se não fosse assim, eu poderia fazer um filme sobre a maria antonieta, onde ao invés dela ser guilhotinada no final, ela tropeçou da escada e quebrou o pescoço 09, ou ao invés de jfk levar um tiro, caiu um meteorito na cabeça, espalhando miolos pra tudo qt é lado! 06 quer dizer, alguém poderia cometer uma atrocidade dessas? claro q sim, mas nunca se esquecendo de q teria q arrumar um esconderijo muito bom e com a consciência de nunca mais sair da toca por conta do linchamento imediato e mortal! 06

6- e como isso afetaria o chris se ele estava a milhas de distância e desejava estar completamente incomunicável com todos? então por vc, vc descartaria a mãe pq ela acorda chorando no meio da noite tendo tido um sonho com o filho q não o vê a 2 anos, o pai pq ele cai de agonia sem motivos no meio da rua, a irmã pq a voz dela é chata e a narração em off é mais chata ainda, o velho pq ele é meloso e um grande chorão sem sentido, as notas do chris pq são pedantes, sem a complexidade poética pretendida por ti, enfim, eliminaria todos os personagens do filme e ficava só com as lindas tomadas (mas SEM slow motions! 06) ... cara, mas national geographic já existe, com a diferença q não fica tocando as canções de eddie vedder 06

7-

e quem sabe se não foi exatamente assim q aconteceu? enfim, e se vc achou ruim da forma como ficou, convenhamos, seria muito pior se estivessem os 3 abraçados, pai, mãe e irmã, chorando aos prantos, não? então pq vc está reclamando? 06 

8- reveja sim, e dessa vez, 'open your mind' and your heart too 03 

9- caraca, imaginem o bernardo adaptando esse filme para a família do rapaz? muito, MUITO medo 06

ué' date=' como vc tem tanta certeza disso? vc nao tava comigo qdo rodei a america do sul durante quase meio ano....
[/quote']

certeza realmente eu não tinha, mas convenhamos, qts pessoas nesse mundo fizeram ou fariam algo como o chris fez? meus parabéns se vc fez algo parecido ou bem próximo daquilo e melhor:

ainda saiu vivo 03

 ... agora vc me deixou curioso, sua estória foi meio q parecida com a do rapaz? abandonou a tudo e a todos? saiu só com a roupa do corpo e alguns itens importantes a mais? qd queria ir de um lugar mais longe para o outro, pegava carona com quem passasse? qd precisava de dinheiro pra comer ou comprar alguma coisa útil, arrumava um bico temporário? morou durante bastante tempo dentro da selva ou campo ou montanha, etc? enfim, fez todas essas coisas?

D4rk Schn31d3r2008-03-02 17:15:18
Link to comment
Share on other sites

1. Liberdade criativa. Aquela cena me pegou mal' date=' é melosa e açucarada pra caralho (o mesmo valendo pra relação entre eles).
 
2. Que incrível! Então só porque o filme foi baseado em um livro, o diretor não pode incitar essa reação do espectador?
 
3. Um filme possui muitas formas de desenvolver seu protagonista. As Horas, por exemplo, é um filme não com uma, mas TRÊS personagens que se escondem dos outros (com MUUUUUUITO mais intensidade que esse moleque), mas transmite TUDO o que aquelas mulheres sentem. Agora um filme depender de uma narração em off para desenvovler seu protagonista com 140 minutos jogados por aí?
 
4. Então deixa pra lá...
 
5. E vc não entende o conceito de l-i-b-e-r-d-a-de c-r-i-a-t-i-v-a? Quer dizer que TODAS as falhas do filme não podem ser levadas em consideração porque o filme foi adaptado de um livro? Que isso, né D4rk.
 
6. O problema é que isso não possue função alguma para com a história. Isso afeta o Chris? Não, o máximo que ele faz é dizer "eu gostaria de ficar conversando com você a noite inteira". Mas é só. E por favor, troque o disco, já tá ficando chato essa desculpa manjada do filme ser uma adaptação.
 
7. O problema é que é novelesca. Uma coisa é o pai chorar, outra é sair pelo meio da rua e se ajoelhar no asfalto quase (mas QUASE mesmo) gritando "por que Deus, por que?!?!".
 
8. Talvez eu reveja sim, mas por ora, tenho outros filmes na frente.
 
9. Pffff... Se Penn iria adaptar um livro, deveria possuir colhões para reconhecer seus erros, mesmo que isto significasse ir contra a família.
[/quote']

1- pq a relação deles é melosa? não vi nada diferente do q seria uma relação entre "avô e neto", 2 pessoas se abrindo e conversando sobre a vida, indo pescar juntos, o mais velho passando conhecimento do ofício (trabalho com couro) para o mais jovem, o mais jovem incentivando ao mais velho uma mudança de ares, por conta de uma vida pacata, e de certa forma entediante, o desafiando a escalar uma montanha pra forçar ele a acreditar q tudo se feito com fé em si mesmo e força de vontade, é possível, portanto, what the hell is wrong with that? 03

2- sim, poderia desde q a adaptação não fosse baseada em fatos reais, mas como nesse caso foi baseada, o diretor mostrou aquilo q de fato aconteceu, ou pelo menos os pontos mais importantes, portanto a "culpa de levar os espectador às lágrimas" teria a ver com a obra literal no qual foi adaptada e não com o diretor em si, a não ser q o diretor tenha sido maniqueísta e modificado pontos chaves de uma obra dessas a seu bel-prazer, algo q acho certo q penn não o fez, ainda mais pq o filme teve o aval por parte da família do rapaz pra ser lançado

3- mas tb não é só com a narração em off da irmã e os trechos retirados do diário do chris, e todas aquelas pessoas q toparam com ele no caminho, não contam?

4- é melhor mesmo pq tá dificil! 06

5- cara, acho q vc não se atentou para um ponto importantíssimo sobre a suposta liberdade criativa q o filme deveria ter no seu ponto de vista e mudar aquilo q vc considerou ruim, veja bem, uma coisa é vc ter liberdade criativa pra adaptar uma obra de ficção ou romance como vc bem entender, exemplo disso? podemos citar atonement, ali como não é uma estória baseada em fatos reais, joe wright poderia muito bem mudar o livro da forma como ele quisesse, apesar de q na certa, a maioria dos fãs do livro iriam cair com pedras em cima dele, agora, outra coisa é vc mudar,  querer mudar aquilo q de fato aconteceu, eventos/fatos históricos, etc, se não fosse assim, eu poderia fazer um filme sobre a maria antonieta, onde ao invés dela ser guilhotinada no final, ela tropeçou da escada e quebrou o pescoço 09, ou ao invés de jfk levar um tiro, caiu um meteorito na cabeça, espalhando miolos pra tudo qt é lado! 06 quer dizer, alguém poderia cometer uma atrocidade dessas? claro q sim, mas nunca se esquecendo de q teria q arrumar um esconderijo muito bom e com a consciência de nunca mais sair da toca por conta do linchamento imediato e mortal! 06

6- e como isso afetaria o chris se ele estava a milhas de distância e desejava estar completamente incomunicável com todos? então por vc, vc descartaria a mãe pq ela acorda chorando no meio da noite tendo tido um sonho com o filho q não o vê a 2 anos, o pai pq ele cai de agonia sem motivos no meio da rua, a irmã pq a voz dela é chata e a narração em off é mais chata ainda, o velho pq ele é meloso e um grande chorão sem sentido, as notas do chris pq são pedantes, sem a complexidade poética pretendida por ti, enfim, eliminaria todos os personagens do filme e ficava só com as lindas tomadas (mas SEM slow motions! 06) ... cara, mas national geographic já existe, com a diferença q não fica tocando as canções de eddie vedder 06

7-

e quem sabe se não foi exatamente assim q aconteceu? enfim, e se vc achou ruim da forma como ficou, convenhamos, seria muito pior se estivessem os 3 abraçados, pai, mãe e irmã, chorando aos prantos, não? então pq vc está reclamando? 06 

8- reveja sim, e dessa vez, 'open your mind' and your heart too 03 

9- caraca, imaginem o bernardo adaptando esse filme para a família do rapaz? muito, MUITO medo 06

ué' date=' como vc tem tanta certeza disso? vc nao tava comigo qdo rodei a america do sul durante quase meio ano....
[/quote']

certeza realmente eu não tinha, mas convenhamos, qts pessoas nesse mundo fizeram ou fariam algo como o chris fez? meus parabéns se vc fez algo parecido ou bem próximo daquilo e melhor:

ainda saiu vivo 03

 ... agora vc me deixou curioso, sua estória foi meio q parecida com a do rapaz? abandonou a tudo e a todos? saiu só com a roupa do corpo e alguns itens importantes a mais? qd queria ir de um lugar mais longe para o outro, pegava carona com quem passasse? qd precisava de dinheiro pra comer ou comprar alguma coisa útil, arrumava um bico temporário? morou durante bastante tempo dentro da selva ou campo ou montanha, etc? enfim, fez todas essas coisas?

 

Caí na estrada somente com intuito de expandir horizontes e sair da rotina do dia-dia por um tempo!

Da mesma forma q o protagonista, fui c/ roteiro semi-tracado (sair s/ um é roubada!) e pequena quantia do bolso: dar rolê pela america do sul, mudando trajeto conforme as possibilidade! Fui de bus, mas principalmente de carona e a pezao mesmo. Teve uma regiao da patagonia q tive q fazer quase 100km a pé pq simplesmente nao passava carro por la. Dormi em muquifos, mas me valhi principalmente de minha barraca, acampando onde quer q fosse plano e seguro! Levei apenas uma mochila com necessario (roupa, fogareiro, panela, etc).  Em alguns locais ficava mais, noutrs menos, conforme o povo q conehcia. Em muitos lugares as pessoas me acolhiam e ajudavam no q fosse. Noutros nao. Mas em geral o saldo foi positivo. Mas o assunto nao é esse..pq do aparecia oportnidade de catraco nao pensava duas vezes! Nao tava comprometido mesmo, a nao ser comigo.. 06Safe sex, claro!03
Link to comment
Share on other sites

NA NATUREZA SELVAGEM – 8/10 - Sinto que o meu esforço em escrever sobre “Na Natureza Selvagem” será inútil se comparada à experiência promovida pelo filme. Mais inútil do que já normalmente é quando me disponho a fazer isso e ainda assim muito mais inútil do que a representatividade da experiência vivida pelo verdadeiro Christopher Johnson Candless. O roteiro realça que esta viagem não possui apenas o seu propósito antropológico e/ou espiritual, mas também uma abordagem no que se refere à essência das relações humanas. Emile Hirsh manda muito bem (um jovem muito promissor), as composições de Eddie Veder são belíssimas e Sean Penn se mostra bem tecnicamente (câmera fixa e/ou na mão), mas é ótimo na condução do elenco. A princípio as idas e vindas de tempo do roteiro compromete o ritmo da narrativa e algumas das ações que seguem (elas são irregulares, algumas vezes abruptas). E não tem como negar certo maniqueísmo dramático/auto-ajuda (“pegue o que você quer e agarre”; “nunca é tarde para começar a viver”), mesmo não abusando do sentimentalismo barato. De qualquer forma, o filme é inspirador e te faz refletir ao mesmo tempo em que desperta um incontrolável desejo de levantar a bunda da cadeira, colocar a mochila nas costas e seguir viagem. Conhecer novos lugares. Conhecer novas pessoas e .... 3d02

Link to comment
Share on other sites

bacana sua estória soto 03 ... um dia com certeza tb terei esse momento 'distanciamento da sociedade'

 

1- A princípio as idas e vindas de tempo do roteiro compromete o ritmo da narrativa e algumas das ações que seguem (elas são irregulares, algumas vezes abruptas). 2- E não tem como negar certo maniqueísmo dramático/auto-ajuda (“pegue o que você quer e agarre”; “nunca é tarde para começar a viver”), mesmo não abusando do sentimentalismo barato. [/quote']

 

1- eu particularmente não senti nada isso, muito pelo contrário, achei q a montagem sendo dessa forma deu um maior equilíbrio ao filme, no sentido de q como é no alasca onde temos o maior tempo de duração do filme e ao mesmo tempo é onde chris passa o tempo completamente sozinho, diferentemente dos outros lugares, onde havia pessoas com quem conversar, pegar carona, pedir informação, etc, creio q o diretor e/ou montador não quis q esse período de "solidão", sem diálogos, etc, não tomasse uma grande metragem do filme, ainda mais em seu final (isso se o filme fosse montado de forma linear) ... e esses cortes "abruptos" no qual vc se refere, me fez lembrar de amnésia, hehe, claro q guardadas as devidas proporções, pois são montagens completamente diferentes, of course

 

2- maniqueísmo é qd vc manipula uma determinada situação em benefício próprio, ali claramente se vê q o protagonista fala tudo isso com sinceridade e baseado realmente naquilo q acredita, na força do pensamento positivo, na força das palavras, portanto seria mais fácil vc dizer "sentimentalismo barato", apesar de q tb discordo dessa opinião, enfim ...
Link to comment
Share on other sites

 

http://www.adorocinema.com.br/filmes/na-natureza-selvagem/na-natureza-selvagem02.jpg

 

Vi e não gostei tanto quanto esperava mas é um bom filme. A fotografia e a montagem são muito boas (essa, em alguns trechos me lembrou Perdidos na Noite, talvez propositalmente), assim como a trilha, e Penn abre espaço para seus atores, a atuação de Hirsch é ótima (não vi todos os indicados desse ano, mas decara já acho melhor que a de Depp). O roteiro tem alguns pontos negativos, como tentar por toda a culpa nos pais de Chris, mas trabalha bem os temas presentes. É impossível não ficar pensando depois na história, na vida do cara, no significado de tudo isso... 3,5/5

 

-felipe-2008-03-15 16:12:36

Link to comment
Share on other sites

Sei lá Dark, acho que se o filme tivesse começado do ônibus, voltado no tempo uma única vez para no clímax continuar do ponto onde começou o resultado teria sido melhor. Do jeito como ficou, não me agradou, idas e vindas desnecessárias ao meu ver.

Pô, vc quer mais maniqueísmo do que o cara olhar pra menina que queria dar pra ele e dizer: "pegue o que vc quer e abrace". No caso do velho, ele não disse explicitamente, mas essa idéia fica "assombrando" a passagem o tempo todo ...

 

E felipe acho que o fato de que Chris colocar a culpa nos pais muito se deve a própria imaturidade dele ... e ele foi bem radical, uma fuga sem volta.
Link to comment
Share on other sites

Mas não me referia ao Chris colocar a culpa nos pais, e sim ao filme colocar a culpa nos pais, com aquela narração da irmã dizendo tudo que os pais já tinham feito, cenas deles brigando e tudo o mais, como se esse fosse o único motivo que tivesse levado Chris a fazer o que fez - e eu não acredito que seja.

 

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

Announcements


×
×
  • Create New...