Jump to content
Forum Cinema em Cena

O Sonho de Cassandra, do Woody Allen


-felipe-
 Share

Recommended Posts

 

cassandrasdream.jpg

Colin Farrell and Ewan McGregor Stars in "Cassandra's Dream.".

 

 

 

Plot Summary:

The story of two Cockney brothers (Farrell and McGregor) in south

London and their relationship with a young woman (Atwell) who lands in

London on her search for fortune. She crosses the two men by accident

on her path and when one of them falls in love with her, she becomes

aware of her power to attract the opposite sex and uses this to the

point of leading the two brothers, who are in financial difficulty,

into crime, and creating a dangerous rivalry between the two men.

Filme novo do Woody Allen, que estréia ainda esse ano lá fora, mas que provavelmente só chega por aqui em 2008. A média no imdb tá 9,4 até agora, será que o filme vai ser bem recebido mesmo?

O poster já saiu, mas não é lá grandes coisas...

cassandrasdream1_large.jpg

-felipe-2008-04-19 11:35:12

Link to comment
Share on other sites

  • Replies 50
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

A estória dos dois irmãos Cockney no sul de Londres e seu relacionamento com uma jovem mulher que "aterrisa" em Londres em sua busca por fortuna. Ela cruza com os dois irmãs por acidente e quando um deles se apaixona por ela, ela torna-se consciente de seu poder de atrair o sexo oposto e usa-o ao ponto de levar os dois irmãos, que estão em dificuldades financeiras, ao crime, e cria uma perigosa rivaleidade entre os dois homens.

 

 

Link to comment
Share on other sites

  • 3 weeks later...

 

The Hollywood Reporter está MASSACRANDO o novo filme do Woody Allen' date=' Cassandra's Dream.

 

The Hollywood Reporter

A murderous tale that is not funny, not clever and not good.

-

As writer, Allen offers lazy plotting, poor characterization,

dull scenes and flat dialogue. As director, he makes no demands on the

abundant talents of cinematographer Vilmos Zsigmond and composer Philip

Glass.

 

131312
[/quote']

 

 

Variety também não aprovou Cassandra's Dream.

 

 

Variety

 

A relatively easy sit' date=' thanks to energetic perfs by Ewan

McGregor and Colin Farrell, pic still fails to satisfy fully on any

level.

 

[/quote']

 

Parece que a crítica não está gostando muito do filme...12

 

Link to comment
Share on other sites

 

Surge uma crítica favorável do novo de Allen.

Woody Allen faz filme hipnotizante

Por Pedro Butcher (crítico da Folha' date=' em Veneza)

O grande destaque do Festival de Veneza neste domingo foi a pré-estréia mundial do novo longa-metragem de Woody Allen, “Cassandra’s Dream”.

Sem contar com o diretor no elenco, o filme marca a volta de Allen ao

suspense depois do pequeno “divertissment” de “Scoop – O Grande Furo”.

Mas o tom, agora, é ainda mais soturno do que em “Match Point” (o mais

bem sucedido entre seus filmes recentes).

Outra vez situado em Londres, “Cassandra’s Dream” traz Ewan McGregor

e Colin Farrell como dois irmãos de origem modesta, que acabam

cometendo um crime bárbaro em nome da ascensão social. Mas, se em

“Match Point” o acaso era determinante para os rumos do protagonista,

agora é o destino que está em jogo, numa recriação contemporânea da

tragédia grega.

McGregor vive o irmão arrivista, que mente para sua namorada

dizendo-se um empresário do ramo hoteleiro. Farrell é um mecânico de

automoveis que contrai uma grande dívida em função de seus vícios

(pôquer e corridas de cachorro). Os dois precisam ganhar muito dinheiro

rapidamente, e a oportunidade surge quando seu tio Howard (esse sim um

bem-sucedido empresário do ramo da hotelaria) lhes faz uma proposta

indecente.

“Cassandra’s Dream” é muito bem resolvido do ponto de vista do

roteiro (apesar do fim um pouco abrupto), mas é, sobretudo, a mais bem

filmada das obras recentes de Allen. Com elegância e economia de meios,

Allen fez um filme hipnotizante, que conta com uma trilha sonora

original, assinada por Philip Glass, que muito contribui para a

atmosfera densa.

Na entrevista coletiva do filme, Allen estava cabisbaixo e

aparentemente cansado _talvez por ter acabado de rodar, há apenas cinco

dias, seu mais novo filme,

todo rodado em Barcelona. Sobre o projeto espanhol, falou: “é uma

comédia dramática, com elementos românticos. Uma história de amor com

algumas coisas divertidas no meio. Ainda não tenho um título, mas assim

que o material tomar uma forma, sei que ele vai aparecer”.

Ewan McGregor contou que filmar com Allen é uma experiência única:

“Você precisa estar à altura. Ele filma rápido, em planos únicos, cenas

com muito diálogo, sem fazer muita cobertura. Então, você precisa estar

preparado. Ele até dá liberdade para improvisar, mas você nao se sente

tão bem improvisando quando o texto foi escrito por Woody Allen. As

palavras estão muito bem colocadas...”.

[/quote']

Há esperança. (?)

 

 

Link to comment
Share on other sites

  • 3 weeks later...
  • 6 months later...
  • 4 weeks later...

 

Ví e não gostei, o filme até prega aquela tensão que temos em Match Point, onde o sujeito vai se comçicando e ficando sem saída, mas Match é tão melhor em tudo que Cassandra fica em graça.

 

E sim, aquele poster mal feito reflete o filme.

 

EDIT

 

 

 

Isabela Boscov gostou e muito.

 

A nau dos insensatos

O Sonho de

Cassandra, outro

acerto de Woody Allen,

 

começa com a compra de um barco – e termina em tragédia

 

No início de

O Sonho de Cassandra (Cassandra’s Dream,

Inglaterra/ Estados Unidos, 2007), que estréia nesta

sexta-feira no país, os irmãos Ian e Terry examinam

entusiasmados um veleiro e decidem juntar forças para

comprá-lo. O diretor Woody Allen deixa claro que esse

será o ponto de partida para uma tragédia: primeiro

porque, apesar de pequeno e usado, o barco custa muito mais

do que os irmãos têm, e essa imprudência,

mais as outras que se seguirão a ela, há de trazer

conseqüências; e segundo porque o veleiro será

batizado justamente de O Sonho de Cassandra, e dica mais clara

do que essa não há. A personagem da mitologia

grega Cassandra ao mesmo tempo tinha um dom e era vítima

de uma maldição – enxergava o futuro, mas

ninguém jamais acreditava em seus vaticínios.

Allen adora esse simbolismo, e já espalhou referências

a ele em pontos diversos de sua obra. Aqui, contudo, ele o desdobra

com método. Os irmãos cresceram numa casa em que

a mãe humilha sem descanso o pai por causa de seus poucos

talentos e proventos, e refletem pólos opostos dessa

situação. Terry (Colin Farrell) é mecânico,

gosta de beber e de apostar e não tem muita ambição.

Ian (Ewan McGregor) toca o restaurante do pai e ocupa as horas

livres fazendo-se passar por mais do que é – mais

rico, mais poderoso e mais mundano, compondo o figurino com

os Jaguares que pega na oficina do irmão. Ambos, portanto,

abraçam o fortuito e o imponderável, Terry com

suas apostas e Ian com suas imposturas. Deveriam então

saber, mas agem como se não soubessem, que esse tipo

de risco tem seu preço. Adicione-se a essa mistura um

tio milionário (Tom Wilkinson) que precisa de um favorzinho

– eliminar alguém que conhece suas desonestidades

–, e o cenário está montado.

Terceiro filme de

Allen na Inglaterra, O Sonho de Cassandra não

chega a atingir a voltagem do fabuloso Match Point, de

2005 (que, como este novo trabalho, se inspirava muito no Crime

e Castigo de Dostoievski). Mas tem sua própria sedução.

Ela começa por uma atmosfera com que o diretor pouco

se importou em sua carreira, mas que aqui ele crava desde a

primeira cena: a variedade prosaica e cotidiana de desespero

que acompanha Ian, Terry e sua família. Numa existência

relativamente precária como a deles, os erros não

vão ecoar de forma operística no futuro –

eles vêm quase que imediatamente bater à porta

e cobrar a conta. O grande apelo do filme, contudo, reside na

sua dupla central. Maravilhosamente afinados, Farrell e McGregor

expressam um amor fraterno genuíno, que se sobrepõe

a toda diferença. Ou quase toda. E, se o destino deles

não vai ser feliz, há pelo menos uma coisa com

que se alegrar em Cassandra: a interpretação

soberba de Colin Farrell como o homem que – outra novidade

na obra de Allen –, embora fraco, tem uma consciência,

e desabará sob o peso dela. Depois de tantos erros e

decepções (O Novato, Alexandre,

Miami Vice etc.), Farrell reencontrou aqui a centelha

e o talento com que tanto prometera, mas até agora não

cumprira.

Big One2008-04-30 12:16:31
Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

Announcements


×
×
  • Create New...