Jump to content
Forum Cinema em Cena

Direção ou Roteiro?


Dook
 Share

Recommended Posts

 

 

menina de ouro dirigido pelo haggis' date=' seria sensacional... [/quote']

 

A questão não é essa, nunca foi. Mas será que Crash dirigido pelo Eastwood seria bom? Os negros falando das janelas de ônibus continuaria lá, só que filmado de uma forma diferente. Sandra Bullock despencando escada a baixo e falando que a empregada (mexicana, ou algo assim) era a melhor amiga, continuaria lá, só que filmado de uma forma diferente. E etc etc etc.

 

A câmera do Eastwood seria o suficiente pra transformar isso em um ótimo filme? Sei lá quanto a vcs, mas eu não preciso que aconteça pra falar: não, continuaria uma bosta. Uma bosta melhor filmada, apenas.

 

tu falou a mesma coisa que eu, só que ao contrário. eu nunca falei que roteiro é desimportante, mas é bem menos que o direção e muitas das vezes nem precisa ser nada demais. a questão pra mim é bem mais simples que esse monte de quotes que se tem feito aqui. um grande roteiro na mão dum Uwe Boll = crap, um roteiro nhé nas mãos do De Palma = yeah baby. portanto, voltando ao cerne do tópico, roteiro x direção, é direção na cabeça.

batgody2009-03-15 04:22:49

Link to comment
Share on other sites

  • Replies 383
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

sinceramente, não tenho tanta certeza que crash nas mãos do clint ficaria uma bosta não, visto que o haggis teve roteiros dirigidos por aí que deram bons filmes, ao contrário das vezes em que o próprio dirgiu. ele dirige seus roteiros = shit, outros dirigem = hummm. fica pra pensar.

 

Link to comment
Share on other sites

 

Será que não seria possível filmar Crash de forma tao bem filmada, que

faria a gente esquecer um pouco a ruindade do roteiro (um roteiro ruim

disfarçado por uma direção acima da média), e o filme ficaria ao menos

um pouco melhor?

 

Assim como eu considero o roteiro apenas uma parte de um filme' date=' isso não impede que ele se destaque, como no caso dos filmes do Kaufman. Assim como existem filmes ruins com atuações fantásticas (DiCaprio em Blood Diamond). Claro que tudo isso existe, mas geralmente o determinante na qualidade de um filme é o diretor, já que este é o responsável por "unir" todas estas partes (roteiro, atores, editores de som, montadores, compositores, etc) e formar algo harmonioso, genial.[/quote']

Concordo, inclusive com o geralmente.

 

 

Link to comment
Share on other sites

tu falou a mesma coisa que eu' date=' só que ao contrário. eu nunca falei que roteiro é desimportante, mas é bem menos que o direção e muitas das vezes nem precisa ser nada demais. a questão pra mim é bem mais simples que esse monte de quotes que se tem feito aqui. um grande roteiro na mão dum Uwe Boll = crap, um roteiro nhé nas mãos do De Palma = yeah baby. portanto, voltando ao cerne do tópico, roteiro x direção, é direção na cabeça.[/quote']

 

O cerne do tópico era pra ser esse, sim. E praticamente todos concordam que o diretor é o que pesa mais na hora da balança. Quanto a isso não há discussão. Só que, se você ler todas as páginas deste tópico, perceberá que há uma desvalorização acentuada do roteiro e do conteúdo, como se fossem praticamente irrelevantes. E isso eu considero errado. Não sei se este é o seu ponto de vista, mas é um pensamento que considero bastante discutível.

 

 

 

Será que não seria possível filmar Crash de forma tao bem filmada' date=' que

faria a gente esquecer um pouco a ruindade do roteiro (um roteiro ruim

disfarçado por uma direção acima da média), e o filme ficaria ao menos

um pouco melhor?[/quote']

 

 

 

 

 

Que ele ficaria um pouco melhor, não há dúvidas, até porque Crash é muitíssimo mal filmado. Só que isso, ao menos pra mim, não faria dele algo propriamente bom.

 

 

 

 

 

sinceramente' date=' não tenho tanta certeza que crash nas mãos

do clint ficaria uma bosta não, visto que o haggis teve roteiros

dirigidos por aí que deram bons filmes, ao contrário das vezes em que o

próprio dirgiu. ele dirige seus roteiros = shit, outros dirigem =

hummm. fica pra pensar.[/quote']

 

 

 

Mas há uma diferença considerável entre Menina de Ouro e Crash,

em termos de conteúdo. Olhando pelo lado ruim, o primeiro é apenas um

amontoado de clichês, enquanto o segundo é agressivamente ruim,

essencialmente danificado. Eu vejo um abismo gigantesco aí. O

primeiro depende da maneira como é filmado para ser considerado bom ou

ruim, enquanto o segundo, pra mim, não importa o que seja feito -

mudança de fotografia, ritmo, posição de câmera -, ele sempre será uma

porcaria, porque por mais que você modifique sua forma, aquele conteúdo continuará sendo ultrajantemente imbecil.

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

 

Será que não seria possível filmar Crash de forma tao bem filmada' date=' que

faria a gente esquecer um pouco a ruindade do roteiro (um roteiro ruim

disfarçado por uma direção acima da média), e o filme ficaria ao menos

um pouco melhor?[/quote']

 

 

 

 

 

Que ele ficaria um pouco melhor, não há dúvidas, até porque Crash é muitíssimo mal filmado. Só que isso, ao menos pra mim, não faria dele algo propriamente bom.

Seria uma experiência suficientemente boa asisstir Crash mais bem dirigido? Seria melhor, com certza, mas seria suficientemente boa? A direção melhor tornaria possível ignorar, ao menos em parte, o roteiro ruim?

 

Foi principalmente isso que eu quis perguntar, e você já respondeu.

 

Link to comment
Share on other sites

É, foi exagero meu falar que a discussão não era aquela, agora que fui ver o inicio do tópico, e realmente começou na comparação direção x roteiro, e claro que direção é mais importante sim. Acontece que como o Carica falou, nas últimas páginas mudou para o quanto roteiro é importante, e juntando uma outra que eu tava: uma direção boa pode salvar um roteiro podre (nessas circunstâncias exemplificadas pelo carica)? Pra mim não.

 

E a comparação de Menina de Ouro com Crash em relação ao conteúdo, perfeito, é bem isso. 
Link to comment
Share on other sites

 

 

 

outro filme que pra mim é um exemplo bem claro de que a direção se impõe é o último trabalho do Cronenberg, Senhores do Crime, que superficialmente tem uma trama bem comum, com até, uma certa pitada de sentimentalismo barato e clichês, mas com o Cronenba orquestrando tudo, o filme toma uma dimensão totalmente diferente, é imponente, agressivo até.

 

sobre o último quote do gago ao um post meu, cara, eu nem táva só comparando menina etc com crash, se você ler ali de novo, vai ver que só comparo o haggis dirigido por ele mesmo e o haggis dirigido por outros, pode usar o cassino royale também, e no vale das sombras. o que proponho é que, o mesmo autor (ou seja, roteiros com essas mesmas mãos) ficam extremamente deficientes e ultrajantes quando filmados com o olhar dele, e ficam, no mínimo, bons filmes em outras mãos mais competentes. ou seja, o que diferencia é o diretor e não o roteiro. e eu acho sim, que um roteiro ruim, capenga, tem grandes chances de ser salvo por um grande realizador. pô, todos sabemos que o de palma cansa de fazer op´s com enredos so so. não sei vocês, mas eu acho, por exemplo, Femme Fatale uma puta obra-prima que se encaixa muito nessa relação.

 

a discussão de minha parte é sobre o que é mais importante e ilustrando esse ponto de vista, não tô dizendo que roteiro é inútil, senão, ser fã do Allen não teria muita lógica.

 

batgody2009-03-15 15:53:55

Link to comment
Share on other sites

A questão é que um roteiro ruim também é responsabilidade do direitor. Se o roteirista faz merda e o diretor deixa passar isso na tela... para mim ele também responde pela cagada. É evidente que o roteiro é importante... mas o resultado geral, o que vemos na tela, incluindo o roteiro tem a mão do diretor...

O que eu quero dizer... o diretor pode ter filmado maravilhosamente... mas se o roteiro for uma bosta e se essa bosta transparecer no resultado final... o filme não vai funcionar... e o diretor é responsável...

PS: Ah... e falando do exemplo citado. Eu acho que Crash nas mãos de Clint Eastwood seria filmão. Simplesmente porque a influência de Clint também seria sentida no roteiro. Trocando em miudos... seria outro filme...

 
Lucas2009-03-15 16:58:07
Link to comment
Share on other sites

 

É justo exigir que o diretor corrija os problemas do roteiro, não apenas filmando lindamente, mas interferindo no texto se for necessário, pois o roteiro deve servir como guia e não como lei inviolável. No caso de Crash, as mudanças precisariam ser tão grandes, que o certo não seria falar em corrigir, e sim em escrever um novo roteiro com a essência do roteiro de Crash.

 

Não sei se apenas uma direção exímia salvaria Crash. Talvez no máximo conseguisse disfarçar, atrair nossa atenção, fazê-la se desviar da ruindade do roteiro, tornando a experiência de assistir o filme mais agradável.

 

E The Sweetest Thing? Acho difícil imaginar quais movimentos de câmera e uso da fotografia fariam aquelas piadas ridículas serem engraçadas...

Lucy in the Sky2009-03-15 17:58:28

Link to comment
Share on other sites

 

 

Sei não. Só sei que segundo o que você disse' date=' é impensável ver o Allen como um bom diretor.

[/quote']

 

cara, na boa, tu não sabe ler. eu vou desenhar pra ti então:

 

"não tô dizendo que roteiro é inútil, senão, ser fã do Allen não teria muita lógica."

 

"não teria MUITA lógica" - já que pra mim, além da sempre ótima direção do Allen, seus textos são fantásticos e marcantes, impossível não saber que é um Allen com meia dúzia de diálogos ou situações. e "impensável" é um termo que não saiu do meu teclado, só da sua cabecinha oca.

 

e desenhando mais ainda: ou seja, o fato de eu reconhecer em allen um grande escritor (não só para filmes) não ANULA o fato de eu acha-lo um grande diretor. mais do que isso não tenho saco pra explicar.

batgody2009-03-15 20:15:28

Link to comment
Share on other sites

 

 

1.O Allen está longe de ser só roteiro. 2. Grande parte da importância é como as coisas são ditas/mostradas. 3. E esse é outro ponto contra a importância do roteiro. 4. Não importa a qualidade do texto' date=' ele pode ficar uma bosta ou genial no caminho que leva até a tela.[/quote']

 

1. aonde foi dito isso?

2. de pleno acordo.

3. ponto contra? discordo, tem filmes ótimos escritos por ele e não dirgidos por ele.

4. bom, isso é mais do que óbvio.

 

batgody2009-03-15 19:27:27

Link to comment
Share on other sites

 

 

Lógica vem do pensamento, eu só usei sinônimos, desculpa aí. Na verdade o que aconteceu é que você disse algo e aí descobriu agora que foi uma grande besteira. Beleza. Não vou esperar você admitir, mas não adianta tentar "desenhar" (aka desvirtuar o que você realmente disse?).

 

É exatamente o que o Amfíbio disse ali. Tentem ler o roteiro de Annie Hall pra vocês verem que coisa maluca e que, nas mãos de pessoas erradas, poderia ter se tornado um filme bem menos bom do que ele realmente é (e o Allen como ator também, conta muito num filme dele. Em Melinda e Melinda, o Will Ferrel tenta, coitado, mas tá longe, longe demais).

 

Troy Atwood2009-03-15 21:39:57

Link to comment
Share on other sites

 

 

 

outro filme que pra mim é um exemplo bem claro de que a direção se impõe é o último trabalho do Cronenberg' date=' Senhores do Crime, que superficialmente tem uma trama bem comum, com até, uma certa pitada de sentimentalismo barato e clichês, mas com o Cronenba orquestrando tudo, o filme toma uma dimensão totalmente diferente, é imponente, agressivo até.

 

sobre o último quote do gago ao um post meu, cara, eu nem táva só comparando menina etc com crash, se você ler ali de novo, vai ver que só comparo o haggis dirigido por ele mesmo e o haggis dirigido por outros, pode usar o cassino royale também, e no vale das sombras. o que proponho é que, o mesmo autor (ou seja, roteiros com essas mesmas mãos) ficam extremamente deficientes e ultrajantes quando filmados com o olhar dele, e ficam, no mínimo, bons filmes em outras mãos mais competentes. ou seja, o que diferencia é o diretor e não o roteiro. e eu acho sim, que um roteiro ruim, capenga, tem grandes chances de ser salvo por um grande realizador. pô, todos sabemos que o de palma cansa de fazer op´s com enredos so so. não sei vocês, mas eu acho, por exemplo, Femme Fatale uma puta obra-prima que se encaixa muito nessa relação.

 

a discussão de minha parte é sobre o que é mais importante e ilustrando esse ponto de vista, não tô dizendo que roteiro é inútil, senão, ser fã do Allen não teria muita lógica.

 

[/quote']

 

A diferença entre os roteiros que Haggis dirige ele mesmo e os que ele envia a outros diretores diferenciam-se por um fator muito peculiar: naqueles cuja direção é assinada por ele mesmo, há uma visão muito mais particular a respeito do assunto abordado. Compare o conteúdo de Crash e o de No vale das sombras com os de Cassino royale e Menina de ouro. No primeiro caso, há o interesse de explorar a sociedade americana direta e indiretamente, enquanto os outros dois são exemplares de uma franquia de entretenimento e um filme cujo teor, apesar de melodramático (taí uma constante), aparenta ser bem mais impessoal de um determinado ponto de vista.

 

Que a direção é o mais importante do filme já é um consenso há muito tempo. A conversa começou a enveredar por outros caminhos.

 

De qualquer maneira, o que está ocorrendo é uma falta de comunicação no que diz respeito ao conceito do que é um roteiro ruim. E você está no caso de Femme fatale e de Senhores do crime, dois grandes filmes construídos a partir de roteiros que aparentemente não possuem qualidades que saltam aos olhos. Eu estou falando daqueles que, de uma forma ou de outra, te agridem.

Daqueles cujo conteúdo é imbecilizante. Daqueles que, independentemente

da posição da câmera e da abordagem formal, permanecerão ridículos segundo os seus critérios. Para você ter uma base do que está sendo proposto, digamos que De Palma transformou em obras inesquecíveis roteiros simples ou com pouquíssimas qualidades - o roteiro de Blow out e Vestida para matar não ruins de jeito algum, mas claramente simples.

 

Link to comment
Share on other sites

 

 

 

1.O Allen está longe de ser só roteiro. 2. Grande parte da importância é como as coisas são ditas/mostradas. 3. E esse é outro ponto contra a importância do roteiro. 4. Não importa a qualidade do texto' date=' ele pode ficar uma bosta ou genial no caminho que leva até a tela.[/quote']1. aonde foi dito isso?2. de pleno acordo.3. ponto contra? discordo, tem filmes ótimos escritos por ele e não dirgidos por ele. 4. bom, isso é mais do que óbvio.

 

 

 

 

 

O número 1 era a única observação sobre o seu post. E sua reação desesperada de provar o contrário prova que tu falou merda. Mas hey, todos falamos eventualmente.

 

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

 

A questão é que um roteiro ruim também é responsabilidade do direitor. Se o roteirista faz merda e o diretor deixa passar isso na tela... para mim ele também responde pela cagada. É evidente que o roteiro é importante... mas o resultado geral' date=' o que vemos na tela, incluindo o roteiro tem a mão do diretor...

O que eu quero dizer... o diretor pode ter filmado maravilhosamente... mas se o roteiro for uma bosta e se essa bosta transparecer no resultado final... o filme não vai funcionar... e o diretor é responsável...

 

PS: Ah... e falando do exemplo citado. Eu acho que Crash nas mãos de Clint Eastwood seria filmão. Simplesmente porque a influência de Clint também seria sentida no roteiro. Trocando em miudos... seria outro filme...[/quote']

 

A medida mais inteligente que um diretor pode fazer para transformar um roteiro muito ruim em algo minimamente aceitável, é interferindo em seu conteúdo, modificando detalhes e outras coisas mais, como você afirma. Exatamente, este é o caminho. Sob este ponto de vista - que é o mais ideal e verdadeiro possível -, Clint Eastwood talvez tivesse feito de Crash um bom filme. No entanto, a discussão já superou a questão inicial, uma vez que há um consenso de que o diretor é o personagem mais importante na feitura de um filme, e passou a percorrer o caminho do combate entre a forma e o conteúdo.

 

Por isso, a título de discussão, permanece a dúvida se vale a pena um belo e exímio formato contando uma péssima estória.

Link to comment
Share on other sites

 

O Allen está longe de ser só roteiro. Grande parte da importância é como as coisas são ditas/mostradas. E esse é outro ponto contra a importância do roteiro. Não importa a qualidade do texto' date=' ele pode ficar uma bosta ou genial no caminho que leva até a tela.[/quote']

 

Sim, precisamente. É onde surge o trabalho dos atores e mormente o dedo do diretor, que percebe como guiá-los.

 

Link to comment
Share on other sites

A medida mais inteligente que um diretor pode fazer para transformar um

roteiro muito ruim em algo minimamente aceitável' date=' é interferindo em seu

conteúdo, modificando detalhes e outras coisas mais, como você afirma.[/quote']

 

 Aham. O Coppola inclusive, junto com o Puzo, tiveram que reescrever inteiramente o roteiro de Cotton club, para que este pudesse ser filmado. Caso contrário, o filme não iria acontecer, pelo menos não com o Coppola na direção.

 

 

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

Announcements


×
×
  • Create New...