Jump to content
Forum Cinema em Cena

Harry Potter e as Relíquias da Morte


Renata
 Share

Recommended Posts

Ah. Alexei.

 

Eu não culpo o diretor pela falta de grandes momentos. Afinal, a própria primeira parte do livro sofre com isso também. Aliás, achei o clímax bem conduzido dramaticamente. A morte do Dobby emociona e comove bastante. E olha que, supostamente, não deveríamos ter um clímax.

 

Gostei muito da sequência no ministério também.

 

Esse filme é quase um prólogo, né? Um filme de transição. Acho natural carecer de grandes momentos dramáticos. Ainda assim, entretém bastante.

 

 

Link to comment
Share on other sites

  • Replies 512
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Gostei muito do filme...Confesso desde o ultimo filme nao dava muita atençao à serie, sendo que ja fui um fã assiduo...mas achei um excelente resultado, e muito se deve a divisao em duas partes...assim a carga dramática pode ser passada quase que como no livro...

o diretor fez uso de belissimas imagens aéreas, dando um ar épico ao longa...a fotografia é sensacional

Gostei muito da cena da dança...achei um alivio comico, e muito sentimental ver que mesmo naquela situação limite, Harry tenta animar sua amiga...bela cena! Emocionante também a visita de harry ao tumulo de seus pais...outro ponto positivo pra mim foi a trilha sonora, que se nao me engano nao é mais do John Williams; ficou sombria e ao mesmo tempo triste, que é o tom dominante no filme. Essa primeira parte funciona como um prólogo mesmo para o que promete ser um grande desfecho, digno do fim da série, que pra quem leu sabe o quão fantástico é.
Link to comment
Share on other sites

Público de cinema é um problema mesmo. Você paga caro para assistir o filme sossegado, mas é impossível não se deparar com os candidatos a idiotas da sessão. Durante a cena da dança, muito bonita por sinal, algumas pessoas acharam que aquilo tinha um clima mais sensual e ficavam soltando piadinhas sem graça sugerindo que Harry "finalizasse" Hermione. Nada a ver. Até eu que nunca li os livros sabe que eles são grandes amigos e que o fato do Harry tirar a Hermione para dançar era apenas para apagar um pouco a tristeza do rosto da garota. Aliás, o filme é banhado de tristeza, inclusive desde o momento em que vemos a garota apagar a memória de seus pais no início. Mesmo assim as pessoas gargalhavam em momentos errados. É por isso que prefiro horários alternativos para ir ao cinema. Mas estava ansioso e vi ontem mesmo numa sessão cheia de imbecis.

 

Sobre o filme, gostei muito. Pra mim, como não leitor dos livros, é muito melhor assistir sem ter que apontar essa ou outra passagem que ficou de fora. Como adaptação não sei, mas como filme bem escrito, bem dirigido, ótimas atuações, locações belíssimas e fotografia impecável essa primeira parte foi excelente. Muito interessante a explicação sobre as tais relíquias da morte através daquela criativa animação. O filme também fugiu do óbvio quando abandona os cenários da escola de magia e deixa o trio de protagonistas "abandonados", caminhando meio sem rumo. E naquela cena onde o Ronald ouve incessantemente o rádio divulgando a lista interminável de mortos, o filme se parece com aqueles que se passam durante a segunda guerra mundial. Excelente. Ansioso pela segunda parte. 

 

 

Link to comment
Share on other sites

Tive a sorte de pegar uma sessão hoje cedo com pouquissimas crianças/adolescentes chatos, não fui incomodado em momento algum :))

 

 

 

Anyway, puta filmaço. Bonito, divertido e extremamente fiel ao livro. IMO, hega a ser superior a obra escrita já que a maneira com que Rowling conduz as cenas (principalmente as de ação) nessa parte deixaram a desejar.

 

 

 

Adorei como o filme começa e termina com momentos bem dramáticos da história e preparando terreno pro próximo que, mantendo o tom dessa parte, tem tudo pra ser o melhor filme da série.

 

 

Link to comment
Share on other sites

 

 

 

 

 

 

 

Na minha sala tinha aquela turminha de idiotas habituais já

na fila irritando todo mundo.Na hora do filme uma mãe com duas crianças sentou do meu

lado a mulher não sabia absolutamente nada sobre a série eas crianças faziam

perguntas e falavam o tempo todo na hora da dança era basicamente “seu

aproveitador” “foi só o cara se virar”...na hora do lago...completo inferno de gritos ¬¬ toda vez que tinha um close na

Hermione era “Gostosa”Verei essa semana novamente (preciso)

 

O filme está espetacular o melhor da série. na via Harry

Potter tão bom desde do Prisioneiro de Azkaban.a

fotografia incrível..fiquei realmente apaixonada dessa vez eos atores melhores

que nunca Rupert e Emma ficaram naquela delicadeza sobre o relacionamento

futuro deles (finalmente)

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

Eu me pergunto se o David Yates nao quis msmo passar um clima sensual na cena da dança...porque o Harry nao deixa de ser homem, Hermione nao deixa de ser mulher, e ambos estao sozinhos ali, perdidos...nao duvido que a intença tenha sido mostrar um lapso de instinto masculino do Harry, já que o olhar dele depois que hermione sai é quase que de decepção e conformidade!

Link to comment
Share on other sites

 

A única cena sensual do filme é entre Harry e Hermione, mas não na cena de dança e sim quando Rony parece estar confuso com a visão proporcionada pela força maligna do tal medalhão. Foi impressão minha ou eles estavam nus?

 

Ironicamente os idiotas da sessão não se manifestaram nessa cena. Sem piadas, nem nada.

 

Tetsuo2010-11-21 16:48:13

Link to comment
Share on other sites

 

O pior dos idiotas da sessão foi que eles ficavam lançando os bordões retardados do Pânico da TV o tempo todo ("ah vá, é memo"). E o casalzinho atrás de mim ficava gemendo o tempo inteiro... enfim. Como não gosto de rever um filme em um intervalo de tempo pequeno, vou esperar o DVD ou BD para apreciar a obra da forma adequada.

Indiana Jones2010-11-21 17:01:29

Link to comment
Share on other sites

Tem spoilers.

 

 

 

Ah. Alexei. Eu não culpo o diretor pela falta de grandes momentos. Afinal' date=' a própria primeira parte do livro sofre com isso também. Aliás, achei o clímax bem conduzido dramaticamente. A morte do Dobby emociona e comove bastante. E olha que, supostamente, não deveríamos ter um clímax.Gostei muito da sequência no ministério também.Esse filme é quase um prólogo, né? Um filme de transição. Acho natural carecer de grandes momentos dramáticos. Ainda assim, entretém bastante.

 

[/quote']

 

 

 

Eu discordo um bocado, Rike. O livro tem muito mais intensidade, não tem nem comparação. Penso que o grande problema do filme é que o David Yates (ao contrário do Alfonso Cuarón) não percebeu que, em termos de fidelidade ao material original, o menos seria mais. Se ele tivesse usado uns bons recursos narrativos a partir da primeira hora de filme, como umas elipses bem inseridas, o miolo não teria sofrido tanto com falta de ritmo e ele teria tido tempo para investir no que realmente importa, que é a parte psicológica da coisa. Mas não, ele optou por sacrificar o mínimo possível de estória, e as cenas realmente importantes - como o confronto entre Harry e o Ministro, a partida de Rony, o retorno dele, a tortura de Hermione - ficaram muito superficiais.

 

 

 

A saga do Harry Potter é um grande coming of age. Por meio de muitas provações e sofrimentos, Harry inicia a série como uma criança e termina como um homem. O personagem encarnado por Radcliffe - que é bem fraquinho, por sinal, e não melhorou muito ao longo dos anos -, por sua vez, continua completamente perdido, sem convicção alguma.

 

 

 

Pronto. É hoje que os fãs tiram todos os meus pontos de reputação, um por um!

 

 

 

lol.gif

 

 

Link to comment
Share on other sites

 

Eu concordo com o Alexei, o filme foi bem fraco (toda a ideia que o segundo filme vai chegar destruindo com todas as bases de todo mundo que acompanhou a série desde o começo da década passada não tem nada a ver com isso); o clímax foi o Dobby e a varinha do Voldemort, e isso pra mim é bem sintomático. O Dobby foi renegado pela série cinematográfica, só apareceu no segundo pra nunca mais; a varinha, pelo que me contaram (ainda não consegui terminar o sétimo livro, desapeguei mesmo) torna-se irrelevante pra história. Então, assim, talvez devessem ter pensado nessa divisão de um jeito diferente mesmo (o sexto filme pedia muito por isso).

 

O melhor momento é o conto animado, lindo, lindo.

 

E esse David Yater, ein. O cara tem um trabalho cinematográfico quase nulo, deve ter saído de algum estúdio da BBC pra ""brilhar"" atrás dos produtores (sou mais o Columbus com aquela sobriedade, do que esse cara)

 

Troy Atwood2010-11-21 21:16:54

Link to comment
Share on other sites

Nossa. Acho que podem acusar o filme de ser arrastado, de não ter grandes momentos e até de chato.. Mas dizer que Columbus é melhor que o Yates... Pelo amor de Deus, hein?

 

Para alguém que saiu da televisão, Yates demonstra ótima experiência. Principalmente com algo que quase nunca dão muita atenção: direção de atores. Acho que podem acusar Relíquias da Morte de qualquer coisa, menos dizer que é mal filmado, porque não é.

 

 

Link to comment
Share on other sites

Sim, tem spoiler.

 

Assistido. Eu gostei demaaaais, demais.

 

 

 

Achei o filme com um ótimo rítmo e tudo que era necessário para a primeira parte tá lá. Gostei muito também das atuações, de todos, em especial da Emma Watson que eu sempre critiquei rs.

 

O que mais gostei desse filme, aliás, foi como o diretor foca nessa amizade fantástica do trio. Exemplo: assim que Rony chega na Toca, depois de se passar por Harry e Hermione corre para abraçá-lo, Harry chega e abraça os dois; quando Rony vai embora e Harry, ao perceber a amiga triste, dança com ela para fazê-la sorrir.

 

Sério, achei a atuação do trio perfeita. Rony e Rupert Grint amadureceram, Emma Watson deu uma interpretação de peso para Hermione e Daniel Radcliffe continua carregando bem o peso de Harry.

 

Muito interessante também as passagens dos personagens, em silêncio, com os rostos sempre aflitos e paisagens sombrias (é o filme mais sombrio de todos, aliás). O filme é o mais adulto da saga, enfim... A cena da alucinação de Rony por causa do medalhão é a prova... Harry e Hermione se beijando 'pelados' não é para criancinhas 06 Além disso, quando Gina pede para Harry fechar seu vestido, danadinha. 06

 

Por fim, resultado mais do que positivo pra mim... Trilha sonora muito boa também. E devo assistir de novo em breve. Aloka. 06

 

 

Apenas um comentário, sobre o que ocorreu na minha sessão:

 

No filme: e agora, o que vamos fazer? Como faremos para destruir uma Horcrux??

Alguém solta: Bota no google.

 

Eu ri.

 

 

Link to comment
Share on other sites

É, de fato, um filme que serve como "homenagem" aos fãs mais fiéis da história. Duvido muito que HP e as Relíquias da Morte I tenha sido considerado divertido pra quem quer que não tenha acompanhado a saga do início ao fim. São cenas, como o próprio Pablo disse, bastante longas. Algumas sem diálogo, só pra mostrar uma tensão que, de certa forma, não existe nessa primeira metade.

 

Concordo quanto à fidelidade da adaptação em partes. Basicamente tá tudo lá, mas é uma pena que quase todas as adaptações busquem dar foco ao geral e se esquecem um pouquinho das sutilezas. Como a chatíssima perfeccionista e detalhista que sou, senti muita falta de três coisas que, pra mim, eram bastante significativas:

 

 

 

1. A despedida do Duda Dursley e do Harry. Aquele é um dos momentos mais bonitos do livro, e eu senti MUITO que o diretor resolveu não colocá-lo detalhado. É uma pena, porque só nesse momento a gente pode ver que o primo, ao contrário dos tios do Harry, o considerava de certa forma.

 

2. Na cena em que o Rony quebra o medalhão, a linda frase do Harry: "Eu a amo como uma irmã."

 

3. Os dizeres da lápide do Dobby, que fizeram com que eu chorasse mais do que a própria morte dele: "Aqui jaz Dobby, um Elfo Livre"

 

 

 

 

Linda a animação que conta a história das Relíquias da Morte.

 

Belíssima e triste a primeira cena da Hermione com os pais. Me deu um nó na garganta.

 

Filme MUITO escuro, que até dificultou um pouco o entendimento de algumas cenas.

 

Um outro ponto que deixa o filme ainda mais confuso pra quem não é Pottermaníaco são os vários nomes e personagens novos que surgem nessa parte. Claro que isso é inevitável, já que o livro 7 é o que tem mais informação.

 

Uma pena que algumas cenas não são explicadas, como a cena da Batilda. Fui com meu namorado e ele ficou tipo "Ahn?"

 

E fui só eu que achei o ator que faz aquele sujeito no qual o Harry se transforma pra entrar no Ministério PÉSSIMO? Qual era o problema dele?

Link to comment
Share on other sites

Não disse que era melhor, disse? Disse que prefiro, e prefiro mesmo.

 

A cena do Harry dançando com a Hermione ao som de Nick cave foi badass também. Não consigo exergá-la tanto com aquela conotação sexual que falaram, mas mais por aquilo que a Kate disse, de amizade (aliás, o sexto livro termina exaltando a questão dos laços afetivos dos três, muito bonito)

 

 

Link to comment
Share on other sites

 

Apenas um comentário' date=' sobre o que ocorreu na minha sessão:

 

No filme: e agora, o que vamos fazer? Como faremos para destruir uma Horcrux??

Alguém solta: Bota no google.

 

Eu ri.

 

[/quote']

 

lol.gif

 

Muito bom!

 

De fato, Harry e Mione se beijando pelados e Mione comandando ainda, puxando o Harry super Hot foi muito foda!

 

E essa cena da horcrux, aquela voz medonha do Voldemort saindo dali, aquela coisa negra falando com o Rony, eu saia correndo gente! Ui! 0806 Não fui feita pra ser um grifinório! 06

 

Link to comment
Share on other sites

O que mais gostei desse filme' date=' aliás, foi como o diretor foca nessa amizade fantástica do trio. Exemplo: assim que Rony chega na Toca, depois de se passar por Harry e Hermione corre para abraçá-lo, Harry chega e abraça os dois; quando Rony vai embora e Harry, ao perceber a amiga triste, dança com ela para fazê-la sorrir.[/quote']

Sim.

 

Explorar a dinâmica entre os personagens, principalmente o trio, é que faz do Yates o melhor diretor da série.

 

Aliás dinâmica entre os personagens quase não existe em 'Prisioneiro de Askaban', já que o sr. mexicano estava muito ocupado filmando paisagens.
Link to comment
Share on other sites

 

O que mais gostei desse filme' date=' aliás, foi como o diretor foca nessa amizade fantástica do trio. Exemplo: assim que Rony chega na Toca, depois de se passar por Harry e Hermione corre para abraçá-lo, Harry chega e abraça os dois; quando Rony vai embora e Harry, ao perceber a amiga triste, dança com ela para fazê-la sorrir.[/quote']

Sim.

 

Explorar a dinâmica entre os personagens, principalmente o trio, é que faz do Yates o melhor diretor da série.

 

Aliás dinâmica entre os personagens quase não existe em 'Prisioneiro de Askaban', já que o sr. mexicano estava muito ocupado filmando paisagens.

 

 

Também acho. Eu gosto muito do terceiro filme, gostei dos contornos que o Cuáron deu de novo para a série, mas... O filme é frio. Passa voando por coisas importantes da trama como a explicação do Mapa Maroto (sério! me revolto até hoje com isso), perde tempo com passarinhos voando por Hogwarts e realmente não existe essa dinâmica entre o trio, apesar de ter uma ótima entre Harry e Lupin.

 

Link to comment
Share on other sites

Dan falando do beijo com Emma 06

 

"Tivei uma cena vigorosa de beijo", revela Dan Radcliffe

MAIS: Elenco prestigia pré-estreia de “Harry Potter 7”

SÃO PAULO – As coisas esquentaram no set de gravações da primeira parte de “Harry Potter e as Relíquias da Morte”, que chegou aos cinemas de todo o mundo nesta sexta-feira (19).

Daniel Radcliffe, que interpreta o bruxinho mirim, detalhou em primeira mão como foi gravada a sequência quente de beijo que realizou com sua companheira de cena Emma Watson (intérprete de Hermione Granger).

“Eu pensei que seria um momento leve e sensual, mas acabou sendo uma cena vigorosa de beijo. Sabe, Emma veio com vontade, me pegou com a guarda baixa”, contou em entrevista à agência "Canadian Press". “Mas não posso reclamar. Sei que muitos homens dariam uma costela para estar naquela posição, então por mim tudo bem", brincou.

Emma Watson se defendeu, explicando que a cena do beijo teve que ser regravada já que o diretor, David Yates, pediu algo mais “enlouquecedor” para atriz, enquanto ela se preparava para a sequência “caliente”.

"Me dei conta de não precisaria fazer tantas tomadas caso fosse a fundo e desse a David o que ele queria. Tinha que ser um beijo apaixonado, algo que realmente perturbasse Rony [Weasley] e fosse doloroso e assustador para ele assistir", afirmou Watson.

"Dan e eu somos como irmão e irmã, então foi difícil fazer com que parecêssemos apaixonados.”

Na trama do filme, o personagem Rony Weasley (vivido pelo ator Rupert Grint) tem um pesadelo no meio da noite com seus dois melhores amigos, Harry e Hermione aos beijos. O problema é que, nessa passagem, Rony começa a perceber que está ficando apaixonado por Hermione. E aí que os problemas começam...

Grint disse em entrevista que não parou de rir na ilha de edição, quando finalmente conseguiu assistir à cena. "Emma me colocou para fora porque eu não parava de rir. Me pareceu realmente estranho”, lembrou.

http://entretenimento.br.msn.com/famosos/noticias-artigo.aspx?cp-documentid=26418767
Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

Announcements


×
×
  • Create New...