Jump to content
Forum Cinema em Cena

Inicialização Literária


filmesking
 Share

Recommended Posts

Como é do conhecimento geral, inúmeros vestibulares, portanto inúmeros colégios adotam leituras obrigatórias como de Machado de Assis, por exemplo, que provém de uma escola por si só enfadonha(realismo) e possui um estilo difícil para os iniciantes. Isso, como sabemos também, é uma das principais causas para a tão falada onda de desinteresse pela leitura.

Vc concorda com isso? O que vc recomendaria para uma melhor inicialização? Quais são as causas desse aparente desinteresse?  

 
filmesking2008-01-06 16:29:34
Link to comment
Share on other sites

 Saco! Não entendi onde os impostos entram aí 17.

 

 Anyway, a literatura deve ser prazeirosa e não imposta.

 

 Só se consegue isso, despertando o gosto pela literatura bem cedo.

 

 Machado de Assis, embora tenha uma linguagem  dificil, p/ alguns, é incrível.

 Tu pode começar com contos pequenos dele e daí "tomará gosto ".

 

  
Link to comment
Share on other sites

Não, eu admiro machado de assis desde o alienista, então não tem nada a ver com o fato de eu gostar ou não.

Como se consegue despertar o gosto pela literatura cedo? Essa pergunta é clichê, sendo assim por que essa questão ainda é debatida?

 

Sobre os imposto é que creio(não tenho ceerteza) que o Brasil seja um dos países cujo acesso ao livro é mais restrito devido a alta taxa de impostos sobre ele, elevando assim o preço. De qualquer maneira, vou pesquisar e deixo aqui este tópico como uma discussão política-educacional, mais do que literária.

 

Criei esse tópico, inspirado no meu irmão mais velho que eu em 7 anos, que culpa o machado de Assis por não ter tido interesse na leitura antes.06
Link to comment
Share on other sites

Vc pode se associar a qualquer biblioteca por valores baixos ou até de graça...na época que eu estava na faculdade eu lia muito...mas acho que o excesso de tv e internet acaba atrapalhando sim...e eu prefiro contos,crônicas,poesias e ensaios que novelas ou romances.Os alunos devem começar a ler desde a primeira série com histórias em quadrinhos,contos...o professor deve identificar qual o tipo de leitura preferida do seu aluno e não impor algo,mas é difícil numa escola onde o professor tem medo de apanhar do aluno,onde faltam materiais,mas o acesso a biblioteca deve ser estimulado pelos professores tb...

Link to comment
Share on other sites

  Há livros feitos p/ todas  as idades e até p/ bebes (a partir de 2 anos), os livros emborrachados que tu pode colocar na banheira e deixar o bebe folheando.

 

 O gosto pela leitura pode vir desde qd tu é alfabetizado. há uma coleção  chamada "Gato e Rato" que é perfeita e tem p/ toda fase de alfabetização. Os desenhos são super caprichados!

 

 Qto ao acesso a livros, todas as escolas estaduais tem biblioteca com cerca de mais de 1.000 títulos.

 Esse acervo fica a disposição do aluno, p/ ser emprestado.

 

 O que pode ser detonar com o interesse da pessoa pela leitura e tu impor títulos que ele ainda não esteja preparado p/ ler.

 

 Odiei Sagarana qd li pela primeria vez... blasfemia, ne´? 09

 

 

 

 
Chica2007-12-28 22:33:49
Link to comment
Share on other sites

Acho que heresia é não ter lido Sagarana 05. Se bem que não tenho quase nenhuma vontade de ler esses livros sobre sertão, culpa mais uma vez desses colégios.

 

O Ibanez me lembrou que eu tenho quase nula experiência com a poesia(só li um e foi Fausto, só Fausto, bichinho inocente 06), o que me fez lembrar que os colégios forçam vc a iniciar o gosto por poemas nada mais nada menos que com os Lusíadas de Camões. Sendo assim, vcs recomendariam que livros de poemas para iniciantes(lê-se pessoas de 13 e 14 anos)?

 

De qualquer maneira, vou tentar ler mais poemas. Vou tentar começar com uma coleção de Fernando Pessoa e A lira dos 20 anos, pois gosto do estilo mórbido de Alvares de Azevedo.
Link to comment
Share on other sites

 Há uma coleção chamada "Para Gostar de Ler". 

 São contos, poesias, crônicas de diversos autores.

 Tipo assim, se tu pega o volume de poesias, constará várias poesias de uns 5 autores.

 

E não há só de autores brasileiros.  Acho que é voltada p/ os leitores infanto-juvenis.

 

 Um dos livros dessa coleção que tem contos até de Edgar Allan Poe 10.

 

 

 

 
Chica2007-12-29 07:42:58
Link to comment
Share on other sites

 Há uma coleção chamada "Para Gostar de Ler". 

 São contos, poesias, crônicas de diversos autores.

 Tipo assim, se tu pega o volume de poesias, constará várias poesias de uns 5 autores.

 

E não há só de autores brasileiros.  Acho que é voltada p/ os leitores infanto-juvenis.

 

 Um dos livros dessa coleção que tem contos até de Edgar Allan Poe 10.

 

 

 

 
[/quote'] Vixe, Poe é uma boa pra começar(acho que vou reler gato preto até). Aliás, terror, mistério e investigação sempre é bom.

Acho que comecei a gostar mesmo de ler com Sherlock Holmes, Stephen King e Harry Potter.
Link to comment
Share on other sites

 

 

 

 

Entendo a questão e acho um pouco mais difícil de responder do que parece. Seria bastante razoável dizer que o estímulo à leitura deveria implicar em livros que se adequam à faixa etária e ao gosto da pessoa que adentrará tal experiência. Aí temos que dividir a questão em duas partes: o papel da escola NA SALA DE AULA e o papel da escola FORA DA SALA DE AULA.

 

A leitura deve ser estimulada em ambos, isso é fundamental. Talvez, embora mais difícil, a idéia que proporcione maiores resultados seja o estímulo FORA da sala, porque esse pode se adequar melhor ao perfil do estudante com todas as suas peculiaridades.

 

Em minha opinião é impossível atender a toda a diversidade de interesses dentro da sala de aula (alguns amarão Machado de Assis, outros odiarão). E ainda há mais uma questão...será que haveria de fato uma faixa etária escolar em que seria "adequada" uma literatura mais refinada como os livros de Machado?

 

Por um lado, a estratégia da "análise do mais difícil" para que "o mais fácil" seja estimulante pode ser interessante e aguçar a percepção do aluno (a princípio ele pode se sentir perdido ou confuso, mas essa não seria uma boa preparação para o "universo literário" que tem acesso lá fora?).

 

Por outro, há também a questão do aprendizado: hoje os programas de ensino da literatura são estruturados de forma que incluam o conhecimento e evolução das diversas correntes literárias já existentes.

 

Retirá-los do programa (ou  mesmo diminuir o conteúdo) para adequar a assuntos mais "agradáveis" ao aluno (normalmente mais contemporâneos e atuais, com escrita mais descontraída e sem preciosismos) pode estimulá-lo por um lado, mas fazê-lo perder o conhecimento e a riqueza que há por trás desse universo e desprepará-lo ainda mais para a apreciação de algo mais "requintado" e "rico" (coloquei os dois termos entre aspas porque não necessariamente uma literatura que explora mais a língua é mais ou menos importante do que um que a utiliza de forma mais simples). E as consequências podem ser ainda mais desanimadoras: muitos sequer chegariam a conhecer "de fato" um Machado de Assis...

 

Será que em um país onde especialmente a leitura e a escrita já não são invejáveis isso não pioraria ainda mais o nível de "aculturamento" dos garotos?

 

Mr. Scofield2007-12-30 08:59:05

Link to comment
Share on other sites

Machado de Assis é o mais recomendável.

 

Recomendável para o quê? Para dar de presentinho de natal para um adolescente?06

 

Dê uma playboy e ele vai curtir mais' date=' brother. Nem todo mundo é um Leibniz aos 12 anos.
[/quote']

 

 Nem um tarado por peladas... né? 03

 

 

 Scofa, o governo  acrescentou ao curriculo escolar das escolas estaduais 1 aula de leitura por semana.

 

 Há a literatura  exigida  pelos professores p/ complementar a matéria dada e p/ qual os alunos torcem os narizes.

 São livros que alguns alunos jamais escolheriam p/ ler  e que qd o fazem se maravilham.

  Foi assim cmg, não queria ler "Vidas Secas" nem matando... aff! 

  A história foi um soco no estômago e virou tema do meu trabalho anual de sociologia.

   

 Se tu apresenta livros a uma criança desde cedo, ela se tornará um leitor exigente, crítico sobre o que lê.

 

 
Chica2007-12-30 09:17:00
Link to comment
Share on other sites

Entendo a questão e acho um pouco mais difícil de responder do que parece. Seria bastante razoável dizer que o estímulo à leitura deveria implicar em livros que se adequam à faixa etária e ao gosto da pessoa que adentrará tal experiência. Aí temos que dividir a questão em duas partes: o papel da escola NA SALA DE AULA e o papel da escola FORA DA SALA DE AULA.

A leitura deve ser estimulada em ambos, isso é fundamental. Talvez, embora mais difícil, a idéia que proporcione maiores resultados seja o estímulo FORA da sala, porque esse pode se adequar melhor ao perfil do estudante com todas as suas peculiaridades.

Em minha opinião é impossível atender a toda a diversidade de interesses dentro da sala de aula (alguns amarão Machado de Assis, outros odiarão). E ainda há mais uma questão...será que haveria de fato uma faixa etária escolar em que seria "adequada" uma literatura mais refinada como os livros de Machado?

 

Por um lado, a estratégia da "análise do mais difícil" para que "o mais fácil" seja estimulante pode ser interessante e aguçar a percepção do aluno (a princípio ele pode se sentir perdido ou confuso, mas essa não seria uma boa preparação para o "universo literário" que tem acesso lá fora?).

Por outro, há também a questão do aprendizado: hoje os programas de ensino da literatura são estruturados de forma que incluam o conhecimento e evolução das diversas correntes literárias já existentes.

Retirá-los do programa (ou  mesmo diminuir o conteúdo) para adequar a assuntos mais "agradáveis" ao aluno (normalmente mais contemporâneos e atuais, com escrita mais descontraída e sem preciosismos) pode estimulá-lo por um lado, mas fazê-lo perder o conhecimento e a riqueza que há por trás desse universo e desprepará-lo ainda mais para a apreciação de algo mais "requintado" e "rico" (coloquei os dois termos entre aspas porque não necessariamente uma literatura que explora mais a língua é mais ou menos importante do que um que a utiliza de forma mais simples). E as consequências podem ser ainda mais desanimadoras: muitos sequer chegariam a conhecer "de fato" um Machado de Assis...

Será que em um país onde especialmente a leitura e a escrita já não são invejáveis isso não pioraria ainda mais o nível de "aculturamento" dos garotos?


[/quote']

 

Minha opinião é basicamente a de que os livros exigidos pelas escolas não estimulam nenhum aluno entre 10 e 15 anos a dar continuidade à leitura pelo resto da vida, isto é, não fazem alguém gostar ou se interessar pelo ato de ler. É quase me sustentando nela que vou abordar os outros pontos levantados e erguer outros.

 

Por que seria impossível atender a todos os gostos(que, aliás, creio que não seja bem o escopo), se estes nem existem em determinadas idades; se tudo que existe no universo literário dos tenros iniciantes são lembranças dos contos dos irmãos Grimm?

 

Creio que a intenção não seja a análise do mais difícil para facilitar(estimular) o fácil. Primeiro porque, se assim for, vc há de convir que é falha; segundo porque não existe análise sem leitura ou entendimento dela, ademais a maioria só lê resumos; terceiro porque nem todos os livros são difíceis; quarto porque os que o são requerem profissionais realmente bons para uma verdadeira análise, e isto é raro, logo as análises são superficiais(mas não estou reclamando disso). Pois é, deve haver mais, mas paro no quarto.

 

Desconheço a utilidade dessa evolução literária, muitas vezes não passa de um decoreba, mas mesmo assim creio que não interfira muito na questão proposta.

 

E as consequências podem ser ainda mais desanimadoras: muitos sequer chegariam a conhecer de fato um Machado de Assis...
(
Isso num já acontece não?)

 

 
filmesking2007-12-30 19:30:17
Link to comment
Share on other sites

Acho que heresia é não ter lido Sagarana 05. Se bem que não tenho quase nenhuma vontade de ler esses livros sobre sertão' date=' culpa mais uma vez desses colégios.

 

O Ibanez me lembrou que eu tenho quase nula experiência com a poesia(só li um e foi Fausto, só Fausto, bichinho inocente 06), o que me fez lembrar que os colégios forçam vc a iniciar o gosto por poemas nada mais nada menos que com os Lusíadas de Camões. Sendo assim, vcs recomendariam que livros de poemas para iniciantes(lê-se pessoas de 13 e 14 anos)?

 

De qualquer maneira, vou tentar ler mais poemas. Vou tentar começar com uma coleção de Fernando Pessoa e A lira dos 20 anos, pois gosto do estilo mórbido de Alvares de Azevedo.
[/quote']

Eu recomendaria Drummond,Quintana,Fernando Pessoa...e eu detesto sequências,leio de forma aleatória,o primeiro ou último poema do livro,por isso é tão difícil eu ler um romance.
Link to comment
Share on other sites

 Eu ainda  insisto em M. de Assis pq vale a pena.

 

 Não é necessário escolher um livro denso nas primeiras leituras.

 

 Há inúmeros contos desse autor que são bem curtos.

 

 Não vou mentir, ele é maniaco por descrição.

 Ele pode levar uma página interia descrevendo algo como uma sala, mas ele faz isso de uma maneira tão interessante que não é massante, não.

 

 

 
Link to comment
Share on other sites

Entendo a questão e acho um pouco mais difícil de responder do que parece. Seria bastante razoável dizer que o estímulo à leitura deveria implicar em livros que se adequam à faixa etária e ao gosto da pessoa que adentrará tal experiência. Aí temos que dividir a questão em duas partes: o papel da escola NA SALA DE AULA e o papel da escola FORA DA SALA DE AULA.

A leitura deve ser estimulada em ambos, isso é fundamental. Talvez, embora mais difícil, a idéia que proporcione maiores resultados seja o estímulo FORA da sala, porque esse pode se adequar melhor ao perfil do estudante com todas as suas peculiaridades.

Em minha opinião é impossível atender a toda a diversidade de interesses dentro da sala de aula (alguns amarão Machado de Assis, outros odiarão). E ainda há mais uma questão...será que haveria de fato uma faixa etária escolar em que seria "adequada" uma literatura mais refinada como os livros de Machado?

Por um lado, a estratégia da "análise do mais difícil" para que "o mais fácil" seja estimulante pode ser interessante e aguçar a percepção do aluno (a princípio ele pode se sentir perdido ou confuso, mas essa não seria uma boa preparação para o "universo literário" que tem acesso lá fora?).

Por outro, há também a questão do aprendizado: hoje os programas de ensino da literatura são estruturados de forma que incluam o conhecimento e evolução das diversas correntes literárias já existentes.

Retirá-los do programa (ou  mesmo diminuir o conteúdo) para adequar a assuntos mais "agradáveis" ao aluno (normalmente mais contemporâneos e atuais, com escrita mais descontraída e sem preciosismos) pode estimulá-lo por um lado, mas fazê-lo perder o conhecimento e a riqueza que há por trás desse universo e desprepará-lo ainda mais para a apreciação de algo mais "requintado" e "rico" (coloquei os dois termos entre aspas porque não necessariamente uma literatura que explora mais a língua é mais ou menos importante do que um que a utiliza de forma mais simples). E as consequências podem ser ainda mais desanimadoras: muitos sequer chegariam a conhecer "de fato" um Machado de Assis...

Será que em um país onde especialmente a leitura e a escrita já não são invejáveis isso não pioraria ainda mais o nível de "aculturamento" dos garotos?


[/quote']

Gostei muito da forma como você escreveu...e acho que para um melhor acompanhamento desse aluno precisariam mais professores,profissionais orientando na biblioteca e quem sabe até uma ficha com os livros que o aluno leu...mas também poderíamos ter uma falsa impressão,de como o professor corrigiria ou avaliaria tal aluno.Fora isso muitas escolas adotam apostilas e aí toda a rede municipal ou estadual precisam acompanhar aquele conteúdo,por um lado forçando o professor a se dedicar mais,porém dificultando a inserção de um novo conteúdo...fora os dias de greve,a dificuldade da rede pública,a correção de provas ou trabalhos (esses merecem um capítulo separado,afinal os professores corrigem mesmo?Porque os alunos só copiam da internet ultimamente).
Link to comment
Share on other sites

 Eu ainda  insisto em M. de Assis pq vale a pena.

 

 Não é necessário escolher um livro denso nas primeiras leituras.

 

 Há inúmeros contos desse autor que são bem curtos.

 

 Não vou mentir, ele é maniaco por descrição.

 Ele pode levar uma página interia descrevendo algo como uma sala, mas ele faz isso de uma maneira tão interessante que não é massante, não.

 

 

 
[/quote'] A questão é, vale a pena pra quem? Desde quando vc tem essa opinião?

 

Nunca li um romance ou conto, sei lá, de Monteiro Lobato, mas eles não seriam mais recomendados?

 
Link to comment
Share on other sites

  Vale a pena p/ quem?????  Sei lá.  Achava que boa literatura valesse a pena p/  todo mundo.

  Tenho esta opinião desde que li o primeiro conto de M. de Assis.

 

 Monteiro Lobato  TB seria recomendado, pq tu não tem que ler esse Ou aquele autor. O melhor é que leia esse E aquele(s).

 Que leia um pouco de tudo, mesmo que ache que não curta.

 

 ... tu tá de má vontade com o cara ?? 17

 

 

 
Link to comment
Share on other sites

Só sei que serei eternamente grato à minha professora da quinta série, que dava para ler Mark Twain, Júlio Verne, Aghatha Christie, etc...

E assuntos variados, como ficção,suspense e horror, fantástico...

Antes de tudo, o mais importante é adquirir o gosto pela leitura. E quando eu leio eu busco justamente aquilo que foge das situações rotineiras do dia-a-dia, aquilo que é diferente e cria um universo distinto do meu; e não autores celebrados por obrigação.

Cada um tem um tempo de amadurecimento nos livros. Importante é que cada um descubra por si mesmo.

Não adianta obrigar, pis quem lê obrigado não guarda patavina do livro...
Link to comment
Share on other sites

Só sei que serei eternamente grato à minha professora da quinta série' date=' que dava para ler Mark Twain, Júlio Verne, Aghatha Christie, etc...

E assuntos variados, como ficção,suspense e horror, fantástico...

Antes de tudo, o mais importante é adquirir o gosto pela leitura. E quando eu leio eu busco justamente aquilo que foge das situações rotineiras do dia-a-dia, aquilo que é diferente e cria um universo distinto do meu; e não autores celebrados por obrigação.

Cada um tem um tempo de amadurecimento nos livros. Importante é que cada um descubra por si mesmo.

Não adianta obrigar, pis quem lê obrigado não guarda patavina do livro...
[/quote']

 

Pô, de qua planeta é sua professora? 06

 

Mas, falando sério, como assim ela "dava os livros para ler", eles eram algo extra-escolar que ela oferecia aos alunos "mais interessados ", através de brincadeiras? Se for, isso foi raro na minha época, além do mais eu sempre ficava com a sensação de que eram livros "do colégio". Como ela fez pra não dar essa idéia, ou simplesmente não fez nada?

 

Também acho que a melhor maneira de começar é com o fantástico, o mistério e a aventura, afinal quando vc se encontra na fase de transição criança-adolescente, vc ainda é fascinado pelos contos dos irmãos grimm, pelas fábulas em geral e, se tiver alguma formação religiosa, pelas histórias da bíblia.
Link to comment
Share on other sites

  Vale a pena p/ quem?????  Sei lá.  Achava que boa literatura valesse a pena p/  todo mundo.

  Tenho esta opinião desde que li o primeiro conto de M. de Assis.

 

 Monteiro Lobato  TB seria recomendado, pq tu não tem que ler esse Ou aquele autor. O melhor é que leia esse E aquele(s).

 Que leia um pouco de tudo, mesmo que ache que não curta.

 

 ... tu tá de má vontade com o cara ?? 17

 

 

 
[/quote'] Shy, estamos falando aqui de inicialização literária, o que se dá geralmente entre 10 e 15 anos, e vc acha que é recomendável a uma pessoa nessa faixa ler Machado de Assis que é talvez o melhor escritor realista do mundo? Vc acha mesmo que ela entenda alguma coisa do mundo(não me atrevo a dizer que entendo, mas pelo menos alguma coisa sim) para conseguir identificar as inúmeras ironias dele? Vc acha que o cotidiano é atrativo para elas? Vc acha que os contos dele tem essência diferente dos romances?

Falamos apenas no realismo até agora. E sobre a fase romântica, vc acha a mais recomendada?

 

Se alguém não pegar gosto pela leitura nesse período, certamente continuará inepto a entender e se interessar por obras mais "conceituadas", quanto mais gostar delas. Daí, vc continuará a ouvir que machado de assis é ruim e chato, como se dá por todo canto.

 

Má vontade é não entender isso, achando que é um desafeto contra determinado autor, além de ignorar a opinião de milhares de pessoas na faixa etária citada e, pelo que ouvi falar, a de milhares de universi(o?)tários que cursam letras.

 

Ah Shy, desculpe pelo tom que adotei. 03
filmesking2008-01-05 19:11:12
Link to comment
Share on other sites

 Desculpe, pelo lance do desafeto, mas foi o que pareceu.

 Tudo bem, mas tb não se pode subestimar crianças de 10 a 15 anos.

  As de 15 anos estarão cursando a oitava série.

  Provalemente alguns já terão lido, nessa idade, algo mais que Harry Potter.

 

 By the way, a maioria das crianças de 15 anos já lêem livros tão ou mais mais complexos do que M. de Assis.

 

 Não estou falando de enfiar guela abaixo M. de Assis, eu quis dizer que eles são capazes sim de apreciar tal autor nessa cidade, escolhendo livros conforme a faixa etária e até pelo perfil do aluno.

 

 Acho que otário  rotular que todos os alunos dessa faixa são incapazes de assimilar M. de Assis.

 Acho otário ainda vaticinar que tais livros não servemp/ essa idade e assim, adiá-los p/ seilá que idade... aff!

 

 Desculpe se entendi errado o lance do tópico.

 

 Bye!

 

 
Link to comment
Share on other sites

 Desculpe, pelo lance do desafeto, mas foi o que pareceu.

 Tudo bem, mas tb não se pode subestimar crianças de 10 a 15 anos.

  As de 15 anos estarão cursando a oitava série.

  Provalemente alguns já terão lido, nessa idade, algo mais que Harry Potter.

 

 By the way, a maioria das crianças de 15 anos já lêem livros tão ou mais mais complexos do que M. de Assis.

 

 Não estou falando de enfiar guela abaixo M. de Assis, eu quis dizer que eles são capazes sim de apreciar tal autor nessa cidade, escolhendo livros conforme a faixa etária e até pelo perfil do aluno.

 

 Acho que otário  rotular que todos os alunos dessa faixa são incapazes de assimilar M. de Assis.

 Acho otário ainda vaticinar que tais livros não servemp/ essa idade e assim, adiá-los p/ seilá que idade... aff!

 

 Desculpe se entendi errado o lance do tópico.

 

 Bye!

 

 
[/quote'] Ok, não concordo com vc, e não posso provar nada, mas entenda que o ponto aqui não é eu estar certo, e sim saber se o que ocorre atualmente(rotular que todos os alunos da faixa são capazes de ler livros como de machado, por exemplo) é certo. Em caso negativo, o que fazer para implantar o "certo"?

Ah, crianças de 15 anos, quer me pegar neh?1106

Outra coisa, eu não considero otário quem cursa letras e não gosta de machado(ok, só um pouquinho06). O que fiz foi indagar se vc os têm assim em sua conta.
filmesking2008-01-05 20:02:55
Link to comment
Share on other sites

Ta, olha só isso é completamente pessoal, (veja como a opinião de uma otária de Letras03):

 não acho que a iniciação literária se dê aos 10 anos.

 

 Na verdade acho que isso se dá lá pelos 4, 5 anos qd teu pai /mãe /tia /tio liam/contavam historinhas  de ninar p/ vc.
E se quer saber acho que:<?:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

“A babá dá papa para o bebê”

 

 Isso é uma tremenda de uma literatura.
 Daí que  a Cartilha pode ser considerado o primeiro livro da criança.

 Engano pensar que livros como: “Chapeuzinho Vermelho”, “Cinderela”, “A Bela Adormecida” não são complexos.

 Daí, que ler M. de Assis aos 12, 13,14 anos, p/ alguns não é grande coisa.

 

 By the way, vc se refere a crianças de 10 a 15 anos aqui:

 Vc acha mesmo que ela entenda alguma coisa do mundo (...) para conseguir identificar as inúmeras ironias dele?"

 

 Nós crescemos sendo bombardeados por todo tipo de sentimentos, todos os dias... Pasme! crianças não só reconhecem tais sentimentos como algumas até as utilizam... afff!

 

 Qto a induzir a M. de Assis, tb acho ruim a forçação ... prefiro a sedução 03

 

Link to comment
Share on other sites

  • 1 year later...

 

Ninguém começa a ler pela literatura mais difícil. Mas os intelectuais do meio literário brasileiro são preconceituosos quando se trata do estilo chamado “literatura de entretenimento”. Exigem que as pessoas comecem a ler com A Bagaceira, esquecendo (e aqui vem a parte mais patética) que eles mesmos não começaram assim.

 

O ensino literário no Brasil é uma desgraça, assim como o resto da educação. A leitura é forçada e empurram livros difíceis pra quem ainda não está pronto. Outro problema é que, ao invés de levar o aluno a pensar e interpretar o texto, o professor apresenta uma interpretação pronta, condicionada ao vestibular, para o aluno decorar e repetir na prova.

 

Eu comecei a ler com os clássicos, mas foram os paradidáticos da Scipione, que têm o texto resumido e linguagem simples. Depois de ter passado para as obras com o texto completo, comecei a desprezar os paradidáticos, achando que tinha perdido meu tempo com eles. Hoje eu percebo que eles tiveram sua função, foram importantes para desenvolver em mim um interesse pela leitura, numa época em que eu não estava pronta para livros complicados.

 

Lucy in the Sky2009-09-09 12:35:41

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

Announcements

×
×
  • Create New...