Jump to content
Forum Cinema em Cena
joao_spider

Robocop (2013 dir Jose Padilha)

Recommended Posts

 

  previsivel e final hollywoodiano.

 

  Discordo totalmente. Se o final do ROBOCOP do Padilha é Hollywoodiano, o do Veoerhoven também é. Nos dois filmes, a impunidade continua, e o Murphy continua ferrado. A jornada dos dois personagens não alterou o "sistema maligno" praticamente em nada. Se for comparar alias, o final do filme do Veorhoven é bem mais hollywoodiano (o que não é defeito. Inclusive, acho que o Padilha tinha que ter sido menos econômico, e embarcar numa vibe mais Hollywood no clímax. O final do filme do Veoerhoven  mais hollywoodiano é melhor)

 

  Podia ser pior, mas ta longe da expectativa criada.

 

  Que expectativa? Cinquenta negativo era otimismo pro nível de expectativa, (pelo menos aqui no fórum, mas pelo que eu saiba, em outros lugares a coisa não andava muito melhor não)

 

  O pior é q não tem como não levar em consideração o filme do Verhoeven...nao tem como ser um filme independente, com vida propria. Esta consideracao so terá sentido a quem desconhece o original ou se besunta em ufanismo pelo Padilha.

 

  Aqui forçou a barra legal. Como eu disse em outro tópico, é obvio que conhecer a fonte original afeta a forma como você recebe o filme. E isso não vale só pra remakes , e sim pra qualquer adaptação de uma obra já existente como adaptação de livros, teatro, hq e etc. Se a pessoa conhece o material original, a comparação é sim automática. Mas basear toda a sua avaliação sobre uma obra em cima da comparação com o material original é no mínimo uma avaliação pobre.

 

  Se tem uma coisa que eu não sou é ufanista. E perdi a conta de quantas vezes vi o filme original, tendo sido a primeira vez justamente quando eu tinha oito anos, na Temperatura Máxima da Globo, no tempo em que se podia mostrar um braço sendo arrancado as três da tarde de um domingo. Tendo dito isso, posso dizer que gostei muito da refilmagem do Padilha, que propõe temas bem relevantes sobre os dias de hoje, sendo um filme que dá pra discutir depois da sessão, tendo uma faceta que vai além do entretenimento (nada contra aqueles que ficam só no entretenimento também).

 

  O original do Verhoeven é muito melhor? Sem duvida nenhuma. Mas isso faz com que o novo Robocop seja ruim ou descartavel? Não. O que torna um filme descartável ou não são suas próprias qualidades e defeitos.

 

   Claro que a pessoa pode ver o filme, e diferente de mim, achar uma merda. Mas é muito mais interessante pro processo crítico dessa pessoa, que ela não goste do filme  pelos defeitos do filme em si, e não por que "Não é como o do Verhoeven".

 

  Em resumo, acredito que os dois filmes podem (e devem) sim ser vistos como duas obras independentes. Passível de comparação? Sim, assim como qualquer outro filme. Mas tal comparação não pode se transformar em um "elo vital". Dando outro exemplo, recentemente vi o remake de CARRIE: A ESTRANHA, e achei uma merda. Mas não por que o filme do De Palma e genial, e sim por que o novo "Carrie" é ruim por si só.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Canseira dessas pessoas que acham que Remake/Reboot só vale a pena se for para superar o original, como se não pudesse ser uma nova experiência...

 

E interessante, não vi reclamarem da mão "humana" e do rosto... Isso é explicado no filme Questão?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Relaxa, Questão... sussa! Ce gostou? Otemo. Eu achei meia-boca.. Pronto. Mas gosto é quinem bunda.. etc, etc e etc..De qq forma, não ha como avaliar o filme do Padilha como algo independente, e nao seria justo falar dele sem levar em consideração a clássico do Verhoeven. E é ai q ele perde. E feio. Esta produção é mais um caça-niquel descartável q pega carona na onda de super-herois pra molecada teen, coisa q Robocop nunca foi.

Outra experiencia, Saga? Fale por si... Eu odeio repetir mesma estória e mesmo filme (vide, remakes). Ce ja sabe o q vem ai e a surpresa é zero. Criterio unicamente pessoal. Pergunta a ambos: dos remakes feitos, quantos valem a pena? Tem uns q nao se dao nem trabalho de mudar diálogos, e a desproporção merda/razoavel é auto-explicativa.

Isto so retifica minha opiniao de q remakes sao desnecessarios (e inuteis) e q nao ha razão alguma pra sairem do papel a nao ser mercadologica. Isto em relacao a obras consagradas, q nao precisam de releituras pra nao passar feio. Ja a contrapartida é valida. Remakes dum filme ruim so tem a ganhar, pq ai nao seria dificil superar a mediocridade do original. E a chance de vir coisa boa é real.

PS: Padilha está de parabéns. Sinceramente esperava coisa pior.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Relaxa, Questão... sussa! Ce gostou? Otemo. Eu achei meia-boca.. Pronto. Mas gosto é quinem bunda.. etc, etc e etc..De qq forma, não ha como avaliar o filme do Padilha como algo independente, e nao seria justo falar dele sem levar em consideração a clássico do Verhoeven. E é ai q ele perde. E feio. Esta produção é mais um caça-niquel descartável q pega carona na onda de super-herois pra molecada teen, coisa q Robocop nunca foi.

Outra experiencia, Saga? Fale por si... Eu odeio repetir mesma estória e mesmo filme (vide, remakes). Ce ja sabe o q vem ai e a surpresa é zero. Criterio unicamente pessoal. Pergunta a ambos: dos remakes feitos, quantos valem a pena? Tem uns q nao se dao nem trabalho de mudar diálogos, e a desproporção merda/razoavel é auto-explicativa.

Isto so retifica minha opiniao de q remakes sao desnecessarios (e inuteis) e q nao ha razão alguma pra sairem do papel a nao ser mercadologica. Isto em relacao a obras consagradas, q nao precisam de releituras pra nao passar feio. Ja a contrapartida é valida. Remakes dum filme ruim so tem a ganhar, pq ai nao seria dificil superar a mediocridade do original. E a chance de vir coisa boa é real.

PS: Padilha está de parabéns. Sinceramente esperava coisa pior.

 

me desculpe Soto, mas da pra avaliar sim como algo independente, e eu quando irei assistir a essa versão do Robocop, vou assistir exatamente como isso, uma outra versão do Robocop.

 

Ou seja, vou avaliar independentemente da obra prima do Robocop do Veoerhoven.

 

Para mim será um outro filme, com outra proposta, baseado na proposta do Veoerhoven.

 

Portanto, independente de como será esse filme em relação ao de 87, eu irei ve-lo e avalia-lo conforme eu julgue o que ele é. O máximo que poderei fazer é fazer um paralelo pra ver até onde foi explorado o potencial de cada proposta.

Share this post


Link to post
Share on other sites

me desculpe Soto, mas da pra avaliar sim como algo independente, e eu quando irei assistir a essa versão do Robocop, vou assistir exatamente como isso, uma outra versão do Robocop.

 

Ou seja, vou avaliar independentemente da obra prima do Robocop do Veoerhoven.

 

Para mim será um outro filme, com outra proposta, baseado na proposta do Veoerhoven.

 

Portanto, independente de como será esse filme em relação ao de 87, eu irei ve-lo e avalia-lo conforme eu julgue o que ele é. O máximo que poderei fazer é fazer um paralelo pra ver até onde foi explorado o potencial de cada proposta.

 

A proposta do Padilha se aproxima mais do "Eu, Robô" q do filme do Verhoeven, sendo esse seu maior "diferencial". Pra mim (veja bem, pra mim) não é suficiente. É uma proposta perfeita (um enlatado de herói descartavel) pra levar filho ou sobrinho num sabado sem o q fazer. E tb programa perfeito pra constatar o qto o passar dos anos me fez um tiquim mais exigente.

 

Em tempo, outro remake marromenos é este aqui.. ainda assim prefiro o original (claro) e até o sueco "Whiter", q é a mesma coisa..

 

tumblr_n10r2sH4Ue1ra9vqfo1_500.gif

Share this post


Link to post
Share on other sites

O Darren Aronnofsky quando tava a frente do projeto, foi mais esperto e não falava em "remake". Era um reboot, sim, mas em cima de sequel que se passava muito anos depois dos anteriores. 

 

"Remake" puxa muito o original pra perto, então quem conhece é meio difícil afastar, já "sequel" não sofre tanto disso, se ficar ruim, é só "mais um filme ruim da série". Remake se ficar ruim, todo mundo vê como algo que "apaga a luz do filme original" já que era algo pra "recriar o original". Inconscientemente ou conscientemente, acaba sendo assim.

 

My opinion: Sim, concordo com o Soto sobre isso, o problema do filme do Padilha é que mesmo tirando o original de perto dele, a coisa não ajuda muito. Se colocar, aí já era. Basicamente, o Robocop do Padilha é uma versão "apenas legal" de um filme f.o.d.a. do passado.

Share this post


Link to post
Share on other sites

O Darren Aronnofsky quando tava a frente do projeto, foi mais esperto e não falava em "remake". Era um reboot, sim, mas em cima de sequel que se passava muito anos depois dos anteriores. 

 

Se a produção é tao foda entao pq surfa na marca "Robocop" e nao abre uma nova trilogia original? Particularmente acho q essa marca é o principal fardo do filme do Padilha, um genérico de ação. Quiçá se fosse algo completamente desvinculado da franquia passsaria totalmente de$apercebido do publico cativo dela, ou seja, os q tao na faixa acima dos 30.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Estou totalmente calmo, SOTO. Também não estou colocando em questão aqui o fato de você não ter gostado do filme. estou colocando em questão os seus argumentos. E nesse caso, não adianta se esconder atrás de "Gosto pessoal", por que você não gostar não é o foco aqui, e sim o seu argumento "Importância da comparação". E ao expor os seus argumentos, você autoriza as pessoas a questiona-lo.

 

  nao seria justo falar dele sem levar em consideração o clássico do Verhoeven.

 

  Por que não seria justo? Afinal, o filme que está sendo avaliado é o filme do Padilha, e não o do Verhoeven. Como o ADLER disse, o original deve ser usado como paralelo no máximo, e não como um fator determinante.

 

  Outra experiencia, Saga? Fale por si... Eu odeio repetir mesma estória e mesmo filme (vide, remakes).

 

  Aqui vai mais um fator de curiosidade do que de discussão propriamente dito. Se você lê um livro, e esse livro é adaptado, você não vai ver o filme? Por que em tese, é a mesma coisa. Sei lá, mas eu acho que FILMES são muito mais do que meramente "o esqueleto" da historia. Por exemplo, assistir o "Drácula" da Hammer é uma experiência fílmica totalmente diferente de assistir o Drácula da Universal, que por sua vez é totalmente diferente de assistir o Drácula do Copolla. No seu caso, você acharia melhor a versão que você assistisse primeiro? Tipo, é uma corrida?

 

  Pergunta a ambos: dos remakes feitos, quantos valem a pena?

 

   Muitos. Começando por este ROBOCOP, e passando por CABO DO MEDO, A BOLHA ASSASSINA, A MOSCA, A FANTASTICA FABRICA DE CHOCOLATES, O ENIGMA DO OUTRO MUNDO, A CIDADE DOS AMALDIÇOADOS, VIAGEM MALDITA,  SCARFACE, O MANIACO, SOMOS O QUE SOMOS, KING KONG, O ESTUDANTE DE PRAGA, BRAVURA INDOMITA, ONZE HOMENS E UM SEGREDO, MADRUGADA DOS MORTOS entre outros. Remakes de épocas distintas, sendo alguns inferiores aos originais, outros superiores aos originais. Filmes que podem até ter a "mesma história", mas que no geral são filmes totalmente diferentes.

 

 Tem muitos ruins, é claro, mas se tu pegar muitos gêneros que tem por ai e peneirar, vai ver que geralmente o numero de filmes ruins supera os bons.

 

  Claro que nos últimos dez anos(mais ou menos) tem se feito remakes demais em detrimento de filmes originais? Sim, e é um problema que deve ser resolvido. Mas isso é outra questão. Isso não justifica o fato de muitas pessoas irem assistir a um filme como um "remake", e não como um filme, como se remake e filme fossem duas coisas diferentes. Ao meu ver, este tipo de pensamento não é melhor que o do "Nerd chato" que ao invés de avaliar o filme, reclama que o seu livro ou hq preferido não foi adaptado de forma fiel.

 

  Remakes dum filme ruim so tem a ganhar, pq ai nao seria dificil superar a mediocridade do original. E a chance de vir coisa boa é real.

 

 Outro pensamento equivocado na minha opinião. As chances que um remake de um "filme ruim" gere um filme melhor realmente são maiores. Mas dizer que a chance de vir "Coisa boa" de um remake cujo original é ruim é real, e que a chance de vir coisa boa de um remake cujo material original é bom simplesmente não tem sentido nenhum.

Share this post


Link to post
Share on other sites

E se for entrar no mérito de remake "melhorar" o original, o conceito de original bom ou ruim também parte do pressuposto de gosto pessoal...

 

Oldboy o remake é ruim, mas não porque o original é superior, mas prq o remake possui erros que o comprometem, para aquele que tá assistindo e experenciando o filme...

 

Se o filme for ruim ele é ruim prq é ruim mesmo, não por "se comparado ao original"... Jornada nas estrelas foi um ótimo Reboot, mas deve ter quem fique chiando por causa dos originais...

 

Acho desgaste à toa ficar se doendo por causa de ser remake...

 

Eu por exemplo acho "Conflitos Internos" extremamente superior ao "Os Informantes", mas este segundo ganhou até oscar...

 

Tive minha época de chiar disso, mas passou faz uns 5 anos, rs... (E na época assisti com uma má vontade terrível... Preciso rever...)

 

 

 

E só pra citar mais um exemplo de ótimo "remake" que é tão bom quanto o original e icônico: Hannibal Lecter...

 

Mads Mikkelsen tá sensacional como Hannibal, não tem como falar um "A" sobre a "versão dele" do Hannibal...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Estou totalmente calmo, SOTO. Também não estou colocando em questão aqui o fato de você não ter gostado do filme. estou colocando em questão os seus argumentos. E nesse caso, não adianta se esconder atrás de "Gosto pessoal", por que você não gostar não é o foco aqui, e sim o seu argumento "Importância da comparação". E ao expor os seus argumentos, você autoriza as pessoas a questiona-lo.

 

  nao seria justo falar dele sem levar em consideração o clássico do Verhoeven.

 

  Por que não seria justo? Afinal, o filme que está sendo avaliado é o filme do Padilha, e não o do Verhoeven. Como o ADLER disse, o original deve ser usado como paralelo no máximo, e não como um fator determinante.

 

  Outra experiencia, Saga? Fale por si... Eu odeio repetir mesma estória e mesmo filme (vide, remakes).

 

  Aqui vai mais um fator de curiosidade do que de discussão propriamente dito. Se você lê um livro, e esse livro é adaptado, você não vai ver o filme? Por que em tese, é a mesma coisa. Sei lá, mas eu acho que FILMES são muito mais do que meramente "o esqueleto" da historia. Por exemplo, assistir o "Drácula" da Hammer é uma experiência fílmica totalmente diferente de assistir o Drácula da Universal, que por sua vez é totalmente diferente de assistir o Drácula do Copolla. No seu caso, você acharia melhor a versão que você assistisse primeiro? Tipo, é uma corrida?

 

  Pergunta a ambos: dos remakes feitos, quantos valem a pena?

 

   Muitos. Começando por este ROBOCOP, e passando por CABO DO MEDO, A BOLHA ASSASSINA, A MOSCA, A FANTASTICA FABRICA DE CHOCOLATES, O ENIGMA DO OUTRO MUNDO, A CIDADE DOS AMALDIÇOADOS, VIAGEM MALDITA,  SCARFACE, O MANIACO, SOMOS O QUE SOMOS, KING KONG, O ESTUDANTE DE PRAGA, BRAVURA INDOMITA, ONZE HOMENS E UM SEGREDO, MADRUGADA DOS MORTOS entre outros. Remakes de épocas distintas, sendo alguns inferiores aos originais, outros superiores aos originais. Filmes que podem até ter a "mesma história", mas que no geral são filmes totalmente diferentes.

 

 Tem muitos ruins, é claro, mas se tu pegar muitos gêneros que tem por ai e peneirar, vai ver que geralmente o numero de filmes ruins supera os bons.

 

  Claro que nos últimos dez anos(mais ou menos) tem se feito remakes demais em detrimento de filmes originais? Sim, e é um problema que deve ser resolvido. Mas isso é outra questão. Isso não justifica o fato de muitas pessoas irem assistir a um filme como um "remake", e não como um filme, como se remake e filme fossem duas coisas diferentes. Ao meu ver, este tipo de pensamento não é melhor que o do "Nerd chato" que ao invés de avaliar o filme, reclama que o seu livro ou hq preferido não foi adaptado de forma fiel.

 

  Remakes dum filme ruim so tem a ganhar, pq ai nao seria dificil superar a mediocridade do original. E a chance de vir coisa boa é real.

 

 Outro pensamento equivocado na minha opinião. As chances que um remake de um "filme ruim" gere um filme melhor realmente são maiores. Mas dizer que a chance de vir "Coisa boa" de um remake cujo original é ruim é real, e que a chance de vir coisa boa de um remake cujo material original é bom simplesmente não tem sentido nenhum.

 

 

Nao gostei pq simplesmente nao gostei do q assisti, e nao tem como me dissuadir do contrario. Trama chinfrim melhor desenvolvida pelo Verhoeven, Robocop-ninja, conflito familiar digno de novela mexicana, fora momentos em q tive imrpessao q esqueceram takes na sala de montagem, etc e etc...Do contrario, o irmaozinho da minha mina gostou. Pq? Pq foi feito prum publico diferente, nao pra mim. O fato de ser remake apenas coroou tds essas apreeensões. Dificil é buscar explicar a subjetividade, algo q vc mesmo frisou certa ocasiao. Pra isso basta ver o numero de resenhas. Mezzo-Mezzo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mas se você não gostou por algo do filme, não pode colocar a culpa no filme do Verhoeven, como se o fato do original for icônico fizesse obrigatoriamente este remake ser tão quanto...

 

A proposta é essa mesma, relaxar, divertir, PIPOCA, não um novo filme icônico...

Share this post


Link to post
Share on other sites

   Logo, por essa logica um remake nunca vai superar um original pelo fato de nunca será original, tendeu?

 

   SOTO, mas essa sua lógica vai pro vinagre quando lembramos que você mesmo já disse preferir os remakes de THE BLOB e O MANÍACO do que as versões originais.

 

  Quando a não gostar do filme do Padilha, ninguém tá tentando te convencer a gostar. Debater os seus argumentos não é isso. Quando você reclama da montagem, do roteiro fraco, ai sim você tem um argumento. Que eu posso até questionar, mas não refutar por que é a sua opinião. Mas dizer simplismente "O filme é ruim por que o de 87 é foda", isso não é um argumento. É isso que eu tô querendo dizer.

Share this post


Link to post
Share on other sites

A-do-rei o filme, está longe de ser entretenimento descartável e esquecível. Pelo viés político que tomou, é compreensível porque parte da crítica americana detonou (apesar de grande parte vir com esse papo de que é ruim porque o de 87 é foda). O elenco todo está ótimo, os personagens são bem desenvolvidos, mas destaco o apresentador fascista Novak, de Samuel L. Jackson, abrindo e fechando o filme, é priceless...hahaha!

 

Gosto muito do filme original, que é um cult, mas não considero OP. Revi neste fim de semana antes de assistir ao novo, e olha, nem comparei muito, pra mim os dois filmes funcionam muito bem cada um ao seu estilo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ainda não vi o filme, mas entendo ambos os "lados". E de modo geral, concordo com o Questão em 2 pontos: primeiro, que se você conhece a obra original ou fonte primária (tipo um filme oriundo de uma outra Arte, tipo quadrinhos, como "300"...) E se você gosta, é automático e inevitável tecer comparações e ser mais "chato" na análise de um remake, um reboot ou mesmo de uma adaptação. Entretanto, tenho pra mim, sem citar números que, de um modo geral, quase todos os remakes de filmes que foram sucessos, são cult ou icônicos ficaram aquém das obras originais... Isso prova que o remake é mais uma questão de contemporizar para um público novo ou...faturar mesmo, to make money, do que qualquer desejo artístico já que existem públicos que demandam isso mesmo (um exemplo clássico são as refilmagens yankees de filmes estrangeiros já que o americano médio detesta legenda...).

 

Como brasileiro que adora Cinema e não tem preguiça de legenda (muito pelo contrário!), me pergunto: se um filme é foda pra quê refilmá-lo?! Mais: se um filme de 2012 é super bacana pra quê refilmá-lo em 2014??! Tantas histórias boas, tantas ideias bacanas, tantos mundos pra serem explorados, tantos personagens pra serem apreciados e levados às telas... Que preguiça... De um modo geral morro de preguiça de remakes. Claro, já me surpreendi positivamente, mas a maioria dos casos foi bomba e/ou se mostrou supérfluo, meio que "mais do mesmo", sem nada que destaque algo mais do que já foi visto...  

 

Segundo ponto, o fato do original ser top, não significa que o remake seja ruim ou que não funcione como obra filmíca por conta disso. Um remake pode ser ruim entre outros motivos porque o original era muito melhor E/OU porque simplesmente é...ruim mesmo. rs  Simples assim. Não funciona, é mal editado, os atores são ruins, efeitos chinfrins, trilha capenga etc. Por mais que um filme seja "cópia" do outro, fato é que são obras distintas, realizados e tocados por outras visões, outras pessoas (excetuando-se casos como o de Michael Haneke e seu "Violência Gratuíta"...). 

 

Por outro lado... Concordando com o Soto, tem certas coisas que sou tradicionalista, ortodoxo, chato mesmo. Logo, penso que a natureza satírica, sanguinária, violenta quase pastiche do filme "RoboCop" original se tornaram "conceitos" pra apreciação do personagem e do filme. Elas continuam (mais ainda nos tempos atuais!), sendo o cerne da história e de um personagem desse tipo inserido num mundo fascista e cínico, dominado por mídia e megacorporações. Claro... Um pouco mais de "drama" e de existencialismo não fariam mal ao original, assim como manterem a mão "pesada" na porradaria e sangue (aposto!) não faria mal algum à esse do Padilha (ainda mais um filme vindo de um cara que nos brindou com sequências cruas e vis tais como a do Major Rocha mandando "quebrar um perueiro" no meio da rua em plena luz do dia...) por exemplo mas... Porra!! PG 13??!? Pegaram pesado... Ainda sem motivação e interesse de conferir no cinema.

 

Aguardemos...       

 

PS: ainda sem ter visto o resultado da obra realizada pelo Padilha, devaneio o que o Pete Travis de "Dredd" teria feito com um personagem como o RoboCop...   :rolleyes:  

Share this post


Link to post
Share on other sites

   Logo, por essa logica um remake nunca vai superar um original pelo fato de nunca será original, tendeu?

 

   SOTO, mas essa sua lógica vai pro vinagre quando lembramos que você mesmo já disse preferir os remakes de THE BLOB e O MANÍACO do que as versões originais.

 

  Quando a não gostar do filme do Padilha, ninguém tá tentando te convencer a gostar. Debater os seus argumentos não é isso. Quando você reclama da montagem, do roteiro fraco, ai sim você tem um argumento. Que eu posso até questionar, mas não refutar por que é a sua opinião. Mas dizer simplismente "O filme é ruim por que o de 87 é foda", isso não é um argumento. É isso que eu tô querendo dizer.

 

Creio q nao entendeu o que quis dizer, quica por ter me expressado mal ( "O melhor remake nunca será melhor q o original, simplesmente por ser original" seria o correto) E vc mesmo ja sabe o contexto em q assisti os remakes q mencionou.. ;) .E creio tb estar sendo redundante em afirmar trocentas vezes o q me desagrada nesse filme.  De qq maneira, o filmeco do Padilha (veja em a nota q dei 7, é bom)  empalidece ainda mais qdo ainda tenho bem fresquinha na memoria aquela inesquecivel sessao pré-estreia do filme do Verhoeven, no Objetivo da Paulista. E é ai q a nota da minha critica decanta mais e mais.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Por outro lado... Concordando com o Soto, tem certas coisas que sou tradicionalista, ortodoxo, chato mesmo. Logo, penso que a natureza satírica, sanguinária, violenta quase pastiche do filme "RoboCop" original se tornaram "conceitos" pra apreciação do personagem e do filme. Elas continuam (mais ainda nos tempos atuais!), sendo o cerne da história e de um personagem desse tipo inserido num mundo fascista e cínico, dominado por mídia e megacorporações. Claro... Um pouco mais de "drama" e de existencialismo não fariam mal ao original, assim como manterem a mão "pesada" na porradaria e sangue (aposto!) não faria mal algum à esse do Padilha (ainda mais um filme vindo de um cara que nos brindou com sequências cruas e vis tais como a do Major Rocha mandando "quebrar um perueiro" no meio da rua em plena luz do dia...) por exemplo mas... Porra!! PG 13??!? Pegaram pesado... Ainda sem motivação e interesse de conferir no cinema.

 

PS: ainda sem ter visto o resultado da obra realizada pelo Padilha, devaneio o que o Pete Travis de "Dredd" teria feito com um personagem como o RoboCop...   :rolleyes:  

 

o Dead entendeu meu pto de vista...sou ortodoxo e chatérrimo nese quersito...detestei o lance "familia" deste Robocopia edulcorado (sem contar aquele romance melacueca mal resolvido), ausencia de humor caustico (quer se levar a serio), fodeu com sequencias miticas, ação calcada em videogame, etc.. Dessa forma, o compararia ao primeiro "Dredd" , do Stallone, enqto sua refilmagem é o original do Verhoeven. Mas claro, esta é minha opiniao.

Resumindo, péssimo como remake e "bonzinho" como filme de ação (dei 7, esqueceu?). Mas ai ele ficaria a par do remake do "Vingador do Futuro".. :P

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

A proposta é essa mesma, relaxar, divertir, PIPOCA, não um novo filme icônico...

 

Sim, exato... é um filme pra pirralhada... Como nao me enquadro nesse target, odiei. Simples.

Ainda bem q tem a santa internet pra baixar independentes q trazem coisa nova...e nao a merda da mesmice dos malditos remakes.

Share this post


Link to post
Share on other sites

A proposta do Padilha se aproxima mais do "Eu, Robô" q do filme do Verhoeven, sendo esse seu maior "diferencial". Pra mim (veja bem, pra mim) não é suficiente. É uma proposta perfeita (um enlatado de herói descartavel) pra levar filho ou sobrinho num sabado sem o q fazer. E tb programa perfeito pra constatar o qto o passar dos anos me fez um tiquim mais exigente.

 

Em tempo, outro remake marromenos é este aqui.. ainda assim prefiro o original (claro) e até o sueco "Whiter", q é a mesma coisa..

 

tumblr_n10r2sH4Ue1ra9vqfo1_500.gif

 

O sueco Whiter? tens a info desse filme? procurei e não achei

Share this post


Link to post
Share on other sites

Gostei muito! Me surpreendi positivamente. E olha que sou muito, muito fã do filme de 87. Padilha conseguiu, em alguns pontos, ser até superior. O RoboCop de 2014 terá o seu lugar ao lado do original na minha estante. E não fará vergonha alguma.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...

×
×
  • Create New...