Jump to content
Forum Cinema em Cena

Bastardos Inglórios, de Quentin Tarantino


crazy
 Share

Recommended Posts

  • Replies 645
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Caracterizar como o mais maduro não significa necessariamente dizer que é melhor ou superior - ainda acho Pulp Fiction o grande filme dessas 2 últimas décadas (pra vc ver como eu gosto da falação06).

 

Mas o amadurecimento é visível na medida em que ele não precisa mais se utilizar de um arsenal verbológico ou pirotécnico para se sentir confiante. Pra mim Kill Bill soa como um sujeito colocando o cinema inteiro dentro de liquidificador saudosista e se perguntando o que vai sair dali. O que é no mínimo tão maravilhoso quanto o tal amadurecimento.
Jonny Greenwood2009-10-19 00:59:21
Link to comment
Share on other sites

 

é vero. acho que dos na ativa' date=' ele só perde pro De Palma mesmo.

[/quote']

 

Eu gosto muito da Sofia Coppola. Todos os filmes dela tem mulheres retratadas (no sentido literal mesmo) de uma forma, err, apaixonante.

 

ah sim, nesse sentido a Coppolinha é bem feliz também. mas a diferente do que eu quis dizer com as fêmeas DePalmianas e Tarantinescas. den

 

Link to comment
Share on other sites

 

 

Não sei se uma imitação' date=' mas que ele mandou um algodãozinho ali na parte inferior do lábio, bem como o Brando, isso ele mandou... 06

 

 

[/quote']

 

Não no filme todo, mas na parte que ele finge ser italiano ele parece um papagaio de pirata com a cara de corleone dele. Só faltou fazer a dança do siri. E isso foi genial.06

 

Link to comment
Share on other sites

é vero. acho que dos na ativa' date=' ele só perde pro De Palma mesmo. [/quote']

Eu gosto muito da Sofia Coppola. Todos os filmes dela tem mulheres retratadas (no sentido literal mesmo) de uma forma, err, apaixonante.

 

Mas é diferente as mulheres de Coppola com as de Tarantino e De Palma. Nesse sentido, a Coppola se assemelha mais a Jane Campion.

 

E eu acho que a Shosanna bate qualquer mulher do De Palma com folga.
Link to comment
Share on other sites

 

Mas' date=' na verdade, o que vejo é que Tarantino, naquele instante, quis demonstrar o caráter de traição da própria palavra que os norte-americanos tem, de fazerem acordos que não serão cumpridos... Mais uma crítica aos norte-americanos, não há dúvida disso...

[/quote']

 

Mas quem fez o acordo com o Landa foram os superiores (ou superior) do Brad Piti, não o proprio. Ele e o outro bastardo que sobrou apenas descumpriram ordens, não descumpriram a propria palavra deles, ja que ambos não tinham combindo nada06

 

Mas não deixa de ser uma crítica, dado que o personagem do Pitt representa os norte-americanos... Agora lembro que foi o próprio Pitt mesmo que tomou a iniciativa de descumprir, dado que ele mesmo fala que seria apenas mais uma repreensão entre muitas que ele teve, coisa assim...
Link to comment
Share on other sites

Mas não deixa de ser uma crítica' date=' dado que o personagem do Pitt representa os norte-americanos... Agora lembro que foi o próprio Pitt mesmo que tomou a iniciativa de descumprir, dado que ele mesmo fala que seria apenas mais uma repreensão entre muitas que ele teve, coisa assim...
[/quote']

 

Não... não vejo crítica nisso... a intenção foi só humilhar o filho da puta-mor do filme mesmo...
Lucas2009-10-19 18:31:16
Link to comment
Share on other sites

Não tinha pensando nessa possibilidade de "imitação-homenagem" para o Marlon Brando feita pelo Brad Pitt... 06 ... é possível...

Não sei se pelo fato de não ter visto mais nenhum filme desde então, mas "Bastardos Inglórios" ainda pulsa em minha mente... o filme traz uma série de intepretações possíveis, como as que foram citadas... outra coisa que eu pensei é que da maneira como a história é abordada a gente se dá conta o quanto existe uma anarquia dentro da guerra, ou seja, por mais que existam motivações políticas e econômicas, aqueles homens que vivem a guerra não lutam tecnicamente por estas causas... sendo assim acho que as "camadas" do filme são representadas pela motivação dos personagens... seja ele Landa, Raines, Shoshana... enfim... além de tudo isso, um filme emocionante e que não sai do pensamento. Thiago Lucio2009-10-19 19:19:38
Link to comment
Share on other sites

 

Mas não deixa de ser uma crítica' date=' dado que o personagem do Pitt representa os norte-americanos... Agora lembro que foi o próprio Pitt mesmo que tomou a iniciativa de descumprir, dado que ele mesmo fala que seria apenas mais uma repreensão entre muitas que ele teve, coisa assim...
[/quote']

 

Não... não vejo crítica nisso... a intenção foi só humilhar o filho da puta-mor do filme mesmo...

 

Eu vejo crítica aos soldados norte-americanos no filme inteiro...

 

Link to comment
Share on other sites

Não me emocionei com a trajetória de nenhum personagem a ponto de derramar lágrimas. Embora seja um tema carregado de emocionalismo' date=' Tarantino busca o foco da vingança, da dor tranformada em revanche. Nada contra diretores que seguem a linha da emoção convencional (ou dramática), mas seria um desperdício ver o Tarantino fazendo algo que muita gente poderia fazer ao invés de ir fundo naquilo que ele manja, justamente as caricaturas e os diálogos originais. Eu fiquei extasiada com a execução, não com a trama em si. [/quote']

 

 

 

 

 

<FONT size=2 face="Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif">Mas aí que entra aquela discussão que já havia sido feita anteriormente... para se emocionar não é necessário chorar, derramar lágrimas... mas enfim acho que isso já ficou claro anteriormente... nem vou apelar pra semântica da coisa... nem todo filme precisa me fazer chorar pra me emocionar... mexeu comigo, com qualquer sentimento que seja. E convenhamos nenhum filme precisa ser emocional pra ser bom. Sem querer me contradizer.

 

 

 

Sim, entramos em consenso sobre a natureza da emoção ser muito particular a cada um. A questão é o que o Pablo quis dizer com emoção. Conhecendo-o como crítico, me parece que ele buscou um tipo de emoção óbvia que o filme não se preocupa em oferecer e que eu não me lembro de ter visto em nenhum filme do Tarantino. Eu não sei o que ele esperava desse filme, mas pelo argumento ele entendeu muito pouco o propósito (ou ausência de) do Tarantino.

Link to comment
Share on other sites

Eu vejo crítica aos soldados norte-americanos no filme inteiro...

 

Eu vejo anti-heróis filhos da puta, escrotos, caricatos, mas ao mesmo tempo estranhamente carismáticos. Coisas mais saídas de uma literatura pulp barata do que de um front de batalha...
Lucas2009-10-19 21:04:03
Link to comment
Share on other sites

 

 

 

 

 

Mas não deixa de ser uma crítica' date=' dado que o personagem do Pitt representa os norte-americanos... Agora lembro que foi o próprio Pitt mesmo que tomou a iniciativa de descumprir, dado que ele mesmo fala que seria apenas mais uma repreensão entre muitas que ele teve, coisa assim...
[/quote']

 

 

 

 

 

Não... não vejo crítica nisso... a intenção foi só humilhar o filho da puta-mor do filme mesmo...
Eu vejo crítica aos soldados norte-americanos no filme inteiro...

 

 

 

Nah...isso é o que o Michael Moore faria. O Tarantino está muito acima desses julgamentos político-ideológicos. Ele só pegou emprestados alguns elementos históricos importantes para dar uma brincada à maneira dele.Scarlet Rose2009-10-19 21:07:25

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

Announcements


×
×
  • Create New...