Jump to content
Forum Cinema em Cena

O Justiceiro 2: War Zone (05/12/2008)


Recommended Posts

     Vi o filme .

 

     De fato , não é nenhum super blockbuster de verão , clássico cult ou concorrente a Oscar (e nem sei se um longa do Justiceiro deva se propor a isso) . Entretanto , nada tira o mérito deste ser , de longe , o melhor longa do vigilante já feito (o que , bem sabemos , também não é lá nenhuma grande façanha tendo em vista o nível dos anteriores) . Por pura ironia , a melhor adaptação cinematográfica de "Justiceiro" feita logo por uma mulher , fonte de onde costumamos esperar rosas e poesia .

      Quem não curtir a esse filme , é porque realmente não curte o personagem , pois , nos quadrinhos , ele é isso aí mesmo . Trata-se de um trabalho muito mais feito para fãs do que para o público leigo . Na verdade , Lex Alexander cagou a andou para os não-nerds , chutando origens detalhadas e pseudo-realismos para o alto e priorizando por narrar páginas quase viscerais do que se assisti nas revistas do personagem . Nenhuma cabeça pode ser esmagada com um soco ? Na adaptação "à imagem e semelhança das HQ's" de Lex Alexander a resposta é : óbvio que sim . Não há nada no longa que não se encaixe ou possa ser contestado em relação à sua fidelidade às HQ's . Praticamente nenhuma atitude do personagem , fala , arma , forma de agir , enfim , nada . Digo "praticamente" porque , como sempre , ficou faltando o diário de guerra de Frank (ainda tenho esperanças de vê-lo um dia o cinema) , mas nada que interfira no resultado final . Até mesmo a canastrice e total falta de alma do vilão principal seguiu o que encontra-se nas revistas . E , é justamente neste ponto que vem o fracasso de público e crítica do longa : fidelidade demais .

        Ao optar por um retrato perfeccionista dos originais do "Justiceiro" , Alexander criou algo que , para um fã como eu , funcionou de maneira impecável . Contudo , para o restante dos espectadores , não passou de um monte de tiros e carnificina ao longo de quase duas horas . Poderiam ter dado uma trabalhada melhor no vilão , por exemplo , ao contrário de seguir à risca o modelo patético que ele se configura nos quadrinhos . Talvez , se tivesse arriscado mais com sua criatividade (que demonstra ser mais sensata do que a dos outros dois longas juntos) , quem sabe a direção não tivesse nos premiado com algo como foi a grata surpresa de ver Doug Hutchinson roubando a cena no papel de irmão do Retalho (uma das pouquíssimas alterações que a diretora concedeu) ? No entanto , não serei eu a apontar o dedo e acusar Alexander de herege . O que vimos nos dois filmes anteriores foi um completo escárnio em cima do personagem , uma distorção total do que ele é nos quadrinhos , produções realizadas unicamente para críticos e cinéfilos , excluindo inteiramente aos fãs . Portanto , nada mais natural que tamanho trauma resultasse em "Justiceiro-Em Zona de Guerra" .

        Stevenson está para Justiceiro como Jackman está para Wolverine . A atuação do ator reflete a aura em torno da narrativa : nua e crua . Seu Justiceiro só abre a boca pela primeira vez aos 25 minutos , falando somente o necessário , porém não como Thomas Jane , que quando abria a boca ou se expressava um pouco mais , transformava o personagem em bocó ; mas sim com frieza no olhar , voz gutural e , ao mesmo tempo , indicando uma certa melancolia no caráter de Frank Castle . Aliás , não somente sua interpretação , mas também fisicamente , o ator está idêntico à arte de Tim Bradestreet , artista responsável pelas capas da mais memorável fase do personagem nas HQ's . A fotografia e iluminação do longa são um elenco à parte na composição da história que Alexander narra (gostando ou não , deve-se admitir sua competência dentro da contextualização do filme) , desligando-se de qualquer laço estético para abraçar praticamente uma só tonalidade por cena , aumentando a ilusão de densidade e grossura das tomadas . Eu já disse que a proposta do filme é ser explicitamente sombrio e indigesto como nos quadrinhos ?  É quase que um longa independente , ou seja , o ideal quando o assunto é Justiceiro .

       Embora não chegue nem aos pés , a trilha sonora bem que tentou puxar um pouco ao trabalho de Hans Zimmer nos dois últimos Batmans (especialmente aquelas batidinhas secas que abrem "Batman  Begins"). Todavia , perde-se completamente ao longo da narrativa sem um encaixe adequado às cenas . Sem falar no róquinho pra lá de brega que permeia algumas sequências (erro perdoável , levando-se em conta que essa parte foi exigência do estúdio e motivo de sua briga com a diretora) . 

       As sequências de ação , o principal em uma produção deste porte , são brutas , intensas , sanguinolentas , precisas e rápidas ; em outras palavras , são o que poderia haver de melhor quando se deseja abordar o cotidiano de um serial killer de bandidos . Há impacto ! E , o que achei sensacional , foi o fato de Alexander e sua equipe ousarem inovar dentro de um gênero sugado ao máximo , aparentemente sem nada de novo a oferecer . A cena em que Castle prepara seu arsenal para ir ao encontro do Retalho , por exemplo , teria ficado muito melhor se , ao invés de plano inteiro , tivessem sido priorizados closes das mãos do personagem junto às armas . Todavia , optou-se por algo mais , digamos , feio e xôxo ; fugindo a um clichê quase que obrigatório no gênero .

       Não é segredo para ninguém que Alexander é partidária dos métodos e noções de justiça do protagonista desta película . Infelizmente , aqui eu achei uma tremenda bola fora sua . Apesar de tentar mostrar o drama pelo qual o personagem passa e sua busca por uma luz , a mensagem vista na última cena foi uma forma que a diretora encontrou de declarar de maneira intríseca seu partidarismo pela psicose do anti-herói , algo que nem carniceiros como Gath Ennis ousaram fazer com seus títulos mensais , afinal , como bem defendeu Chuck dixon : "quadrinho não deve ser palanque para que os autores defendam suas preferências políticas , sexuais , religiosas ou qualquer que sejam . Quadrinho deve ser apenas o que sempre foi , um mero entretenimento . Apenas quadrinho ."

       Enfim , esse é Justiceiro-Em Zona de Guerra , filme feito por fã e para fãs . Um quadrinho em carne e osso , feito com uma intenção semelhante a de 300 . Direto , sem rodeios e visceral . Longe de ser uma obra-prima , longe de ser um "Batman Begins(embora a diretora tenha admitido inspirar-se no trabalho dos irmãos Nolan)" , mas aquilo o que eu , como fão , sempre esperei encontrar nas telas , mas nunca encontrei . Sempre vi excelentes longas de ação e me perguntei "por que o maior personagem de ação das HQ's ainda não conseguiu algo pelo menos próximo dessas produções no cinema ?" Zona de Guerra pode não ser nenhum "Duro de Matar" ou "Perseguidor Implacável" , porém é o mais próximo que já se chegou dessas pérolas com o anti-herói Marvel . Nenhuma obra-prima , nada de antológico feito com o personagem ; mas , finalmente , um bom filme de ação com o Justiceiro .
Rei do cuco2009-04-27 18:14:53
Link to post
Share on other sites
  • Replies 197
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

    Veiobricio , valeu !

 

    Ainda não vi o tão falado Max payne . Tenho uma certa aversão por adaptações de games , mas acho que não conseguirei escapar dessa .

 

 

    Rob Gordon e Livre , Leve e Soto : Cada palavra de vcs aumenta minha fobia de assistir Spirit e Dragon Ball - Evolution (rsrsrsrs) .
Link to post
Share on other sites
  • 3 weeks later...
  • 1 month later...

 Conferi o filme hoje. Não é um lixo total, mas longe d ser um filme bom. Apesar do nivel d violencia ser bem maior(oq se tratando de justiceiro é o ideal) e de ser oq mais lembra os quadrinhos, prefiro o filme de 2004. Ray Stevenson não é tudo oq falam no papel do Justiceiro não. Dominic West claramente se inspirou em Jack Nicholson para compor seu Retalho, mas não é muito feliz. O filme tem otimas ideias, mas nada aproveitado. Uma pena.

Link to post
Share on other sites
  • 7 months later...
  • 2 years later...

Vendo o nerdoffice sobre “fan film” olha o que achei:

http://www.youtube.com/watch?v=LV6bDuGA46g

 

Já postaram, mas agora é legendado. Hehehe!

 

Não sabia que o ator Thomas Jane era fã de Punisher (O Carrasco). Este sim é um filme que queremos do justiceiro para maiores de 18 anos. E não filmes engraçadinhos e com moderação. O carrasco é para ser um filme bem pesado, o personagem é extremante brutal faz o que for necessário para combater o crime ele é quase um psicopata.

 

Ainda não vi este segundo filme. Até desanimei por causa do primeiro que foi bem moderado e brincalhão demais para o universo trágico do personagem. Vou tentar ver. Eu vou está esperando ao menos algo do nível deste curta independente. É uma coisa que duvido que venha a ser assim. <_<

Link to post
Share on other sites

Vendo o nerdoffice sobre “fan film” olha o que achei:

http://www.youtube.com/watch?v=LV6bDuGA46g

 

Já postaram, mas agora é legendado. Hehehe!

 

Não sabia que o ator Thomas Jane era fã de Punisher (O Carrasco). Este sim é um filme que queremos do justiceiro para maiores de 18 anos. E não filmes engraçadinhos e com moderação. O carrasco é para ser um filme bem pesado, o personagem é extremante brutal faz o que for necessário para combater o crime ele é quase um psicopata.

 

Ainda não vi este segundo filme. Até desanimei por causa do primeiro que foi bem moderado e brincalhão demais para o universo trágico do personagem. Vou tentar ver. Eu vou está esperando ao menos algo do nível deste curta independente. É uma coisa que duvido que venha a ser assim. <_<

Vendo o nerdoffice sobre “fan film” olha o que achei:

http://www.youtube.com/watch?v=LV6bDuGA46g

 

Já postaram, mas agora é legendado. Hehehe!

 

Não sabia que o ator Thomas Jane era fã de Punisher (O Carrasco). Este sim é um filme que queremos do justiceiro para maiores de 18 anos. E não filmes engraçadinhos e com moderação. O carrasco é para ser um filme bem pesado, o personagem é extremante brutal faz o que for necessário para combater o crime ele é quase um psicopata.

 

Ainda não vi este segundo filme. Até desanimei por causa do primeiro que foi bem moderado e brincalhão demais para o universo trágico do personagem. Vou tentar ver. Eu vou está esperando ao menos algo do nível deste curta independente. É uma coisa que duvido que venha a ser assim. <_<

 

certo, mas essa violência ai foi bem caricatural. Ele da uma porrada no cucuruto de um cidadão com boné e o sangue espirra como se tivesse dando uma martelada...

 

Mas eu adorei o curta, só acho que deveria ser mais visceral e menos caricatural.

Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...

Announcements


×
×
  • Create New...